Coronelismo no brasil

3.144 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.144
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
137
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Coronelismo no brasil

  1. 1. Coronelismo no Brasil
  2. 2. Conceito é o termo criado para designar certos hábitos políticos e sociais próprios do meio rural brasileiro, onde os grandes proprietários rurais, chamados de 'coronéis', exerciam absoluto domínio sobre as pessoas que viviam em suas terras ou delas dependiam para sobreviver. O fenômeno tem raízes profundas na tradição patriarcal brasileira e no arcaísmo da estrutura agrária do país. Também é utilizado, na atualidade, para designar a política nepotista e demagógica de alguns políticos. Fonte: http://www.dicionarioinformal.com.br/coronelismo/
  3. 3. O termo "Coronelismo" remete a um momento anterior à República.  Quando Dom Pedro I deixou o reinado, em 1831, foi criada a Guarda Nacional, criando um coronelismo institucional. Na ocasião, as patentes militares foram colocadas à venda pelo governo regencial que comandou o Brasil até 1842. Os homens mais ricos, grandes proprietários de terra, em geral, puderam comprar títulos de tenente, capitão, major, tenente-coronel e de coronel da Guarda Nacional, que era o mais importante de todos.  Apesar da origem do termo ainda no período imperial, foi na República que ele ganhou mais representatividade no cotidiano do povo brasileiro e passou a conceder poderes maiores ao portador do título. Os coronéis da Primeira República eram grandes latifundiários e, eventualmente, comerciantes enriquecidos, que gozavam de grande poder e de muitos privilégios sobre a população brasileira.
  4. 4. O grande diferencial do poder dos coronéis era a capacidade de determinar em quem os eleitores votariam. A expressão "voto de cabresto" é relativa a esse período da história do Brasil, pois o voto não era secreto e os jagunços dos coronéis utilizavam de punição física caso algum eleitor se manifestasse contra os interesses do mandatário local.
  5. 5. Vídeo – Resumo: Voto de cabresto
  6. 6. Leitura do texto de Victor Nunes Leal Entenda: O coronelismo é uma manifestação diferenciada do poder privado em meio a um regime político de base representativa.
  7. 7. O poder do coronel estava muito relacionado à distribuição populacional em regiões rurais do território brasileiro. Nesse contexto, o coronel era uma figura local de grande influência sobre os moradores de cidades menores, de regiões mais afastadas e de suas imediações. Os coronéis dominavam funções como de policiamento e de justiça que deveriam ser de autoridade do Estado nessas regiões. Submetendo, inclusive, delegados, juízes e prefeitos. Quanto mais terra possuísse, maior era seu poder, pois mais pessoas dependiam dele.
  8. 8. O trem da história: Coronel Delmiro Gouveia
  9. 9. Sobre o fenômeno do coronelismo, Edgar Carone o define como “Uma das consequências fundamentais do desequilíbrio entre o centralismo e o federalismo”; em decorrência da ausência efetiva do Estado em localidades mais distantes, desenvolvem-se agrupamentos sociais e políticos autônomos, ganhando poder, inclusive, de barganha. Agindo como “chefe de clã”, “juiz”, “comerciante”, “agricultor”, “homem de fé”, “hospitaleiro”, o coronel conseguia tecer ao seu redor e em seu benefício uma teia de relações que envolvia todos os segmentos da sociedade. Como mais um instrumento de coerção, contava com os “capangas”. (APUD SEIXAS, 2009)
  10. 10. 300 picaretas, Paralamas do Sucesso
  11. 11. Ainda existe coronelismo no Brasil?  Leitura do texto de André Raboni

×