Deco

129 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
129
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Deco

  1. 1. TS D O OC N O DECO ELE ACONSELHA, DÁ BRONCA, AJUDA.CONHEÇA HISTÓRIAS QUE MOSTRAM POR QUE O CRAQUE DO FLUMINENSE TAMBÉM É UM LÍDER FORA DE CAMPO POR MARCUS ALVES ILUSTRAÇÕES PABLO MAYERNÃO FOI NO MARACANÃ, como ele sempre so- eu acho que liderança é uma coisa natural, nun- você viveu. Acho que é isso que funciona. Den-nhou. Nem foi com aquela aura dos jogos do ca é forçada. E, no dia que você se sentir líder, tro do Flu também”, resume.passado, do seu ídolo Romerito. Mas Deco che- você já está errado”, afirma. É assim, líder de O camisa 20 tricolor faz a sua melhor tem-gou lá neste ano. Foi campeão carioca em cir- nada, como ele mesmo define, que o meio-cam- porada desde que chegou ao clube, em agostocunstâncias inéditas na carreira: pela primeira pista embala um time que, no clube, acredita-se de 2010. Nos 29 jogos que disputou no ano atévez, disputou uma final em jogos de ida e volta. que possa superar aquele que fez fama na déca- o fechamento desta edição, foram cinco gols eAinda assim, parecia faltar algo. E faltava. “Não da de 1980, campeão brasileiro e tri carioca. nove assistências. Números que já o aproxi-vai ter aquela tradicional foto posada, com todo Deco dá conselhos para a revelação Wellington mam de sua melhor fase no Barcelona e supe-mundo?”, perguntou ao fotógrafo oficial do Flu- Nem, orienta o posicionamento dos colegas e ram os dos tempos de Chelsea. Somente nominense, Nelson Perez. “No Chelsea, Barcelona, vai atrás até de estágio para dirigente em clu- Campeonato Brasileiro, somou oito vitórias etodo lugar que passei é assim”, argumentou. bes como o Barcelona. dois empates em suas dez primeiras partidas. O cara dos lençóis, enfiadas precisas e dri- “Ao lado do Fred, é a locomotiva para os As lesões também têm sido menos frequentes.bles curtos é também quem todos nas Laranjei- outros, o cara que puxa a fila nos treinos, está Poderia ser a explicação para o seu momento,ras param para ouvir. O craque chama a atenção sempre motivado, trocando ideia com os mais mas ele acha que não: “Dor tem sempre. Napela elegância com que trata a bola em campo, novos”, comenta o gerente de futebol, Marcelo verdade, eu digo o seguinte: sempre que estivemas conserva uma postura discreta fora dos Teixeira. Aos 35 anos e com contrato renovado bem, joguei bem.”gramados, exercendo o tipo de liderança que até o fim de 2013, Deco vê com naturalidade o E Deco está bem. Não fecha as portas parasomente quem está nos bastidores enxerga. O seu papel. Credita os elogios ao seu jeito de ser, uma possível extensão de seu vínculo até 2014,seu grande poder, segundo dizem no clube, é o não diferenciando ninguém pela função e sem- se sente confortável com o espaço que ocupa nada invisibilidade. “Você não imagina quanto pre disposto a ajudar o time com a sua experiên- equipe e projeta o futuro ao lado de seu empre-ele agrega por aqui”, afirma o diretor-executi- cia. “Não é falar que eu sei mais que os outros, sário, Jorge Mendes, o mais influente agente dovo tricolor, Rodrigo Caetano. mas você tem uma vivência maior. Isso ajuda a futebol mundial. A ESPN mostra todos os lados Deco, ainda assim, não se sente líder desse dar uma opinião com conhecimento de causa, do craque que se movimenta nas LaranjeirasFluminense. “Cara, eu não sei te dizer. Primeiro não é ‘faz assim porque eu vi em algum lugar’, com a mesma leveza que flutua em campo. 47
  2. 2. FLUMINENSE CONTOS DO DECO feito. O meia-atacante tratou os focos dentá- “TENTAVAM BATER rios que costumam agravar problemas físicos e se recuperou. Faltava apenas jogar. E um garo- to da sua idade, segundo Deco, jamais poderia ficar encostado numa equipe. “É assim: um “E AÍ, jogador jovem, na minha opinião, subiu para o profissional, passou um, dois anos, ele não joga, ele tem que buscar outro lugar”. NO MESSI” O QUE Wellington Nem procurou, mais uma vez se amparando nos conselhos daquele que con- sidera ser seu padrinho nas Laranjeiras. Ainda naquela temporada, Deco levou o ponta trico- “A gente ficava puto”, desabafa VAMOS lor para almoçar numa churrascaria no Rio de Janeiro. Lá, com toda a experiência que uma carreira construída em grandes clubes da Eu- ropa lhe deu, opinou sobre o que o jogador Deco. “Ele subia para treinar e os caras queriam dar porrada nele”. Não conseguiam, claro. E não conseguiam, segundo Deco, porque RESOLVER deveria fazer para afastar do seu horizonte o futuro incerto que já o rondava. “O que eu falo para os mais novos é o se- ele e Ronaldinho Gaúcho construíram um escudo em torno de um Lionel Messi que ainda dava HOJE?” Marcos Junio se define com precisão. “Sou baixinho guinte: às vezes para o clube e para o treina- dor é cômodo ter, sei lá, 30 jogadores no elen- co, mas o jogador que está começando tem que ter essa gana de jogar, aprender, apa- nhar”, explica. “E o Nem foi isso. Eu falei: ‘pô, seus primeiros passos entre os profissionais e brigava por espaço no time de cima do Barcelona. Apadrinhado pelos brasileiros, o argentino – que tinha 17 anos – já encantava nos treinos do clube e rápido. E acho que todo atacante tem que ser abu- você tem que sair daqui, tem que jogar, tem espanhol. “Ele fazia coisas que sado”. A revelação tricolor é. Foi lançado por Abel que ir para algum lado’”, conta. E o meia saiu. ninguém conseguia e tentavam Braga no primeiro jogo da final do Campeonato Ca- Partiu emprestado ao Figueirense, brilhou sob bater nele, mas não deixávamos”, rioca, contra o Botafogo, e marcou o gol que fechou o comando do tetracampeão mundial Jorgi- revela o craque luso-brasileiro. a vitória do Fluminense por 4 a 1. Ao fim da partida, nho, faturou o prêmio de revelação do Brasi- A relação entre os dois até hoje rodeado por microfones, mostrou que é abusado leirão 2011 e voltou ao Fluminense. Menos de se mantém próxima. Em junho, também com as palavras. “Entrei para resolver e re- um ano depois, foi convodado para a Seleção. Deco esteve na Argentina e jantou solvi”, afirmou. Para alguns no clube, acabou abu- Voltou mais confiante. Com a certeza de ao lado do ex-companheiro. sando até demais da autoconfiança. Ele mesmo re- que, mesmo ainda inexperiente, poderia abo- Puderam relembrar as conheceu no dia seguinte: “Eu me arrependi. Falei canhar um lugar no estelar elenco tricolor. brincadeiras que marcavam o dia a aquilo na emoção e no calor do momento. Quando Tamanha confiança vinha de sua passagem dia catalão, sentados sempre numa cheguei em casa, vi que tinha feito besteira.” pelo Figueira, claro, e também pela presença mesma mesa: “O Messi é muito Ainda assim, não se livrou do puxão de orelha de na equipe de seu tutor, Deco. De Florianópo- tímido. Ele se relacionava com Deco: “Ele me chamou a atenção por falar que tinha lis, além dos minutos que lhe faltavam nas pouca gente, então, o [Ronaldinho] entrado para fazer a diferença”. O atleta de 19 anos Laranjeiras, ficou também como lembrança Gaúcho e eu acabamos nos acabou ganhando do meia o apelido de Resolve. A um quadro feito com uma camisa do meia de aproximando dele”. Não é raro ver o cada encontro dos dois, uma brincadeira do vetera- 35 anos guardada após confronto com o Flu, atacante de 25 anos se referindo à dupla como dois dos melhores no se segue aos cumprimentos. “E aí, o que vamos “Cheguei ao Fluminense e ele estava lá com no Brasileiro. DA CADEIRA DO parceiros de sua carreira. resolver hoje?”, ri Deco. vários problemas no púbis. Não pode um mole- Os frutos poderiam ser ainda maiores, so- Deco se despediu de Lionel O armador tricolor acredita que a declaração foi que de 18 anos estar sofrendo o que ele estava bretudo financeiramente. Em alta após a pas- Messi e do Barcelona em 2008. fruto da inexperiência de Marcos Junio. “Imaturida- sofrendo.” Foi esse o diagnóstico que Deco fez sagem por Florianópolis, Nem recebeu uma Talvez não esperasse, mas no de, né? Alguns garotos são mais extrovertidos, ou- do jovem Wellington Nem ao ser apresentado oferta do CSKA Moscou. Os dirigentes tricolo- Fluminense encontrou alguém com tros, mais tímidos, cada um tem um jeito e acaba no clube e encontrá-lo no departamento médi- res até esboçaram aceitá-la, mas o jogador quem compartilha a mesma relação DENTISTA PARA O expressando de uma forma que nem sempre sai co. O jogador, que tinha tudo para já estar jo- bateu o pé para ficar no time. Mais valorizado e coincidentemente chamado pela como o esperado”, afirma. Nesse sentido, o meio- gando, havia se lesionado com gravidade no após renovar contrato até o fim de 2015, ele torcida tricolor de “Messi de -campista tem certeza de que o Fluminense está início do ano e visto adiada mais uma vez a sua tomou a decisão correta ao seguir na equipe, Xerém”. É Wellington Nem. “Não bem amparado. Não só pela presença de nomes mais estreia entre os profissionais. O time já cogita- segundo avalia Deco. “Os empresários podem comparando ao Messi, mas o Nem rodados como ele, Fred e Edinho, mas também pela va uma operação quando Deco entrou em cena. até ficar chateados, mas aos 18, 19 anos ne- tem uma capacidade ainda maior FIGUEIRENSE habilidade com que o técnico Abel Braga lida com “Sei bem o que é isso. É cárie dentária”, nhum atleta deveria ir para a Rússia ou Ucrâ- do que aquilo que ele costuma fazer essas situações: “Além de ser um grande treinador, disse o ex-meio-campista de Chelsea e Barce- nia. Como eu acredito que ele realmente tem o em campo. Hoje, no futebol o Abelão é um cara de caráter fantástico. Ele faz lona ao atleta. Assim, com o consentimento do talento, a capacidade de jogar em um nível brasileiro, o recurso do drible curto, muito bem a esses moleques. É alguém que dá moral, clube, o novo reforço do Flu indicou a Nem o muito alto, falo ‘meu, se cuida, faz isso, faz explosão, rapidez, somente ele, o mas que também põe no lugar.” mesmo dentista que o acompanhava. Dito e aquilo’ porque eu quero ver o bem dele”. Lucas e o Neymar têm”, analisa.48 49
  3. 3. FLUMINENSE CONTOS DO DECO BULLYING NO ALMOÇO “PROFESSOR” uma opinião, como às vezes alguém dá opinião DECO em minha maneira de jogar”, explica. Tamanha atenção ao posicionamento dos companheiros COM O pode ser compreendida a partir de sua visão de futebol. “Eu sempre gostei de ver o jogo tatica- mente. Acho que o futebol não se ganha pela NEYMAR técnica ou pela força, por isso a parte tática sem- pre me interessou”, afirma. Um dos atletas em quem mais aposta é o CORINTHIANS TRICOLOR lateral-direito Bruno. Segundo ele, pratica- mente perfeito em sua função e com potencial Foram apenas dois jogos na para chegar à Seleção. Faltava apenas um pou- equipe principal. Uma passagem co mais de personalidade para se manter fiel que durou pouco mais que um ano. Não tem problema. Na ausência dos mais Depois de 48 dias longe dos gramados, Deco ao seu estilo. Deco, então, o chamou de canto. E uma desilusão que levaria para o experientes, a garotada resolve no Flumi- voltou aos treinos no fim de setembro. Foram “O Bruno é um jogador que eu gosto bastante, restante de sua vida. Não nense. Samuel é a bola da vez. Marcos Junio dois coletivos na semana de preparação para o veio do Figueirense, fez um campeonato fan- exatamente com o Corinthians ou teve o seu momento. E Robert pode ser o jogo contra o Náutico, no estádio Raulino de tástico. Quando você chega num clube grande, com alguns de seus colegas mais próximo. Talvez não tão cedo. O meio-cam- Oliveira, em Volta Redonda. Em ambos, o a responsabilidade é outra. Eu sempre falei velhos. Mas com tudo que sofreu e pista de 16 anos é a maior promessa das meio-campista deixou transparecer uma ca- com ele que, se pusesse na cabeça que tinha acompanhou no Parque São Jorge em 1996. Deco tinha 18 anos e categorias de base do clube e já faz o cami- racterística já conhecida por aqueles que que fazer o que o Mariano fazia, não ia acon- chegava ao time como uma nho até as Laranjeiras com alguma frequên- acompanham o dia a dia do clube e que é in- tecer, porque ele é outro jogador, diferente do promessa vinda do Nacional-SP. Ao cia. Comparado a Neymar, o jogador, que centivada pela comissão técnica: as orienta- Mariano, né. Ele é um jogador que defende lado de nomes mais conhecidos tem a sua carreira administrada pela Traffic, ções aos colegas. Sobrou até mesmo para os melhor, taticamente perfeito. O Mariano era como Marcelinho Carioca, Souza, aproveitou uma dessas visitas ao time prin- mais experientes Valencia e Jean. um jogador de muito atacar, uma força, um“NÃO QUERO DINHEIRO. Henrique, Célio Silva e Ronaldo, cipal para tratar uma lesão no departamen- Deco não se vê como uma espécie de repre- absurdo. O que eu sempre falei é que, se ele imaginava dar ali o primeiro passo to médico. E foi lá que conheceu Deco. sentante do treinador Abel Braga em campo. “Na quisesse jogar igual ao Mariano, ia ter proble- para brilhar no futebol. Não foi Robert impressionou o camisa 20 trico- verdade, não é orientar. É mais trocar ideia, dar ma”, relembra. bem assim.QUERO UM TESTE” lor. Duas vezes. “Ele veio treinar e realmen- “Aquilo que encontrei no te é diferente do resto”, afirma. Os dirigen- Corinthians de certa forma me tes também sabem disso. O assédio ao seu traumatizou”, afirma. Não a ponto futebol fez com que o presidente da equipe, de fazê-lo desistir dos seus sonhos, Peter Siemsen, assumisse pessoalmente a mas para transformá-lo no que éDeco já tinha um compromisso para aquela noi- Na mansão, manteve a sua agenda. Saiu missão de mantê-lo no clube. Mas Robert hoje para boa parte da garotada dote, mas, encerrado o treino, enquanto deixava para o jantar já programado e deixou Maicon impressiona também pela autoconfiança Fluminense, uma referência dentroo CT das Laranjeiras pela rua Pinheiro Machado, aos cuidados do primo Jeferson, que trabalha que demonstra em suas ações. Dentro e fora e fora de campo. Segundo ofoi surpreendido por um garoto de 14 anos que no ramo imobiliário. “Ele veio para cá, comeu de campo. “A confiança que ele tem é uma meio-campista, não havia no clubebatia no vidro do seu carro. Não queria dinhei- e ficou jogando um pouco de videogame com o coisa fantástica. Acho engraçado que al- paulista o mesmo cuidado no tratoro. O volante Edinho já lhe oferecera antes uma Jê”, conta Deco. Um mundo totalmente novo guns jogadores com uma idade parecem ter com quem estava subindo. “Tinhaajuda de R$ 200 e ele recusara. Queria mesmo para o garoto capixaba. No outro dia, com uma uma maturidade muito maior do que o nor- alguns atletas que não davamera uma chance de mostrar o seu talento no ligação para o supervisor Rodrigo Henriques, o mal. Como eu nunca tive isso, era mais pé muita importância para os maistime tricolor. Vestindo uma camisa do Flamen- meia conseguiu o que o garoto tanto queria: no chão, introvertido, acho engraçado, por- novos e eu achava aquilo umgo pelo avesso, que ganhou após passar na por- absurdo, a maneira como os caras uma semana de testes no Fluminense. que, quando conversa com ele, você se per- do profissional se dirigiam àta do clube rubro-negro e ter negada a chance E, assim, na companhia do motorista do gunta como esse moleque tem toda essa molecada”, recorda.de fazer teste, Maicon Souza comoveu o meio- jogador, Rodolfo, Maicon partiu para os treinos confiança no futebol dele”, se diverte Deco. Deco é contra rituais de batismo-campista ao contar a sua história. no CT das categorias de base do Fluminense, Encantado com a revelação do Flu, Deco que existem nos clubes para Não era a primeira vez que ele fugia de casa em Xerém. O resultado foi o esperado nessas o convidou para um almoço para aconselhá- supostamente integrar os garotos.para tentar realizar o seu sonho. Nem a segun- circunstâncias. “Ele acabou não ficando, né? É -lo. Ele admite que as experiências enfren- Define como babaquice. “Porra, vocêda ou a terceira. O menino que chegara ao Rio natural. Na verdade, minha preocupação tadas no passado, durante a sua formação, chega lá em cima e não é bemvindo de Barra de São Francisco, no Espírito maior era com o bem-estar dele, se viraria ou o fizeram adotar uma postura diferente no tratado pelo cara que é seu ídolo?Santo, graças à contribuição de outros passa- não jogador não era realmente importante”, contato com os mais novos – pouco importa Tem cara que acaba se perdendogeiros no meio do caminho, já havia dormido afirma. A notícia da reprovação nos testes aca- se eles ainda atuam pelos juniores ou pelo pelo caminho”, diz. Deco não sealguns dias nas ruas da cidade, fora assaltado e bou ficando a cargo do gerente-geral das divi- juvenil. “Na minha época, os mais velhos perdeu. Saiu do Corinthians, secarregava apenas a roupa do corpo. Ao checar sões de base do clube, Fernando Simone. No falavam com a gente como se estivessem transferiu para o futebol alagoano ea história com a sua mãe, Deco decidiu levá-lo período, o jovem jogador utilizou a mesma um degrau acima. E eu procuro não fazer ganhou o mundo. No retorno aopara passar a noite em sua casa, num condomí- camisa 20 de seu padrinho. Os dois conversam isso porque a gente não é diferente. Talvez Brasil, assinou justamente com umnio de luxo, na Barra da Tijuca, onde também até hoje. “De vez em quando, falo com ele e não tenhamos noção disso, mas para quem dos dois times que chegou amora o ex-técnico do Vasco Ricardo Gomes. com a família”, diz Deco. está começando dá uma baita força”, diz. enfrentar pelo alvinegro. 51
  4. 4. FLUMINENSE CONTOS DO DECO o baixa em PARCERIA COM O OBSERVADOR Deco acompanha com atenção os primeiros meses de Seedorf e Forlán no Brasil. A dupla é elogiada pelo comprometimento dentro e fora de campo, mas o craque do Flu se nega a como bancar o tratamento, pois o hospital não aceitava o seu plano de saúde. Deco, en- tão, resolveu assumir os custos da operação e pagou do próprio bolso a cirurgia. “Na dor No fim de junho, o Fluminense lançou ao lado dos outros grandes cariocas copos e JORGE MENDES O contrato de Deco com o Fluminense vai até 2013, mas dispõe de cláusula que, em caso de acordo entre as partes, assegura renovação por mais um ano. Ele renovará? “Se falar que vou, pode ser mentira.” O seu futuro passa, então, por alguns dos seus muitos creditar isso meramente ao fato de virem da equipe, a gente ajuda todo mundo. Não só camisas com caricaturas de seus ídolos. Europa. “Não é exatamente isso”, diz. “A vi- eu. Você deve imaginar, tem muitos funcio- Foram quatro os jogadores escolhidos do negócios? “Só vou começar a definir são de equipe deles, como a minha também, nários e cada um com seu problema. Dentro time tricolor. Deco, no entanto, acabou depois, porque é no dia a dia que vai muito além do treinador e dos jogadores, do que podemos fazer, do que é possível, se sendo o único deles a comparecer para a você vai saber realmente o que te satisfaz e o que você gosta”. O que já do time. Todo mundo que está trabalhando está ao nosso alcance, estendemos a mão.” assinatura de contrato sem exigir a pre- está em seu horizonte, no entanto, é ali, no dia a dia, contribui para o sucesso ou Por atitudes como essa e o seu envolvi- sença de seu representante. Ganhou o desejo de se tornar, no Brasil, uma o insucesso”. No Fluminense, segundo Deco, mento social por meio do Instituto Deco20, o pontos com o departamento de marke- espécie de Jorge Mendes, fazem parte da equipe desde aqueles que es- jogador de 35 anos recebeu no ano passado, ting do clube e deve ser a grande aposta seu empresário. tão na entrada do clube até os que estão na no mesmo dia em que foi anunciada a reno- do setor para os próximos meses. Na se- O agente português é hoje o saída. Na medida do possível, a atenção tem vação de seu contrato, o título de Cidadão mana de seu retorno aos gramados, no mais poderoso do mundo da bola e de ser a mesma para todos. Honorário do Município do Rio de Janeiro na fim de setembro, o meia voltou a ser con- teve em Deco um de seus primeiros Foi assim que, alguns meses atrás, o meia sala de trófeus das Laranjeiras. A iniciativa vocado para gravar um vídeo em que en- clientes no futebol. Agora, os dois se soube do um drama familiar vivido por um foi aprovado pela Câmara de Vereadores da sinava os torcedores a marcar um gol do preparam para estreitar laços. dos fisioterapeutas do time, que sofria com cidade e emocionou o meia, nascido em São meio de campo. Não impôs barreiras. “Acho que, no futuro, vou ficar muito a doença grave da mulher, mas não sabia Bernardo do Campo, São Paulo. E nem haveria motivo, ele afirma. mais ligado a fazer um pouco o que o Deco admite até ter estranhado a ausência Jorge Mendes faz. No fundo, ele de ações em seu primeiro ano nas Laran- quer que a gente abra um braço no jeiras. “Eu vejo assim: o Fluminense tem Brasil”, revela. Não exatamente um os jogadores que tem e, desde quando eu braço da Gestifute, empresa que Sandro Lima foi confirmado como novo vice- conversa sempre. Até pela idade, estou mais “Acho que a primeira coisa que o Fluminense cheguei até o meio do ano passado, nin- administra as carreiras de Cristiano ESTÁGIO PARA CARTOLA -presidente de futebol do Fluminense em 10 de próximo dos diretores do que dos jogadores. O vai resolver é que não existe time sem um cam- guém fazia nada para tentar explorar isso, Ronaldo, José Mourinho e outros. maio de 2011. Desde então, mantém em seu Sandrão mesmo é apenas um ano mais velho po em condição para treinar. A gente não tem. fazer alguma coisa”, critica. “O negócio Mas da Polaris Sports, agência iPad uma espécie de diário com as experiências que eu”, brinca. O atleta de 35 anos afirma que Além de ter buraco para caramba, prejudica em dos copos parece pequeno? Não, é bacana, criada por Mendes para cuidar da vividas no clube. No futuro, pode ser que elas teria feito o mesmo por qualquer outro amigo e todos os sentidos. Não sou médico nem fisiote- é trabalho, acho legal. No fundo, hoje vejo imagem de suas estrelas. E esse sejam transformadas em livro. Se a ideia for acredita que experiências como essa só podem rapeuta, mas com certeza nossas lesões são gente trabalhando, querendo fazer coisas, braço, aliás, já funciona há alguns adiante, na obra constarão algumas passagens ser positivas. “Ele é um cara que eu gosto, um muito ligadas às atividades em campo ruim”, com ideias novas”, completa. meses, atentendo pelo nome de Arpoador Sports & Marketing. marcantes de sua convivência com Deco, um dos cara bacana para caramba, que realmente tem comenta. Deco está atento até mesmo a peque- Entre os seus clientes, está o craques que o ex-cartola de esportes olímpicos uma mentalidade diferente. A gente estava tro- Deco se sente à vontade para falar a respei- nos detalhes, como uma mera atualiza- zagueiro Dedé, do Vasco. Deco é encontrou ao mudar de função nas Laranjeiras. cando ideia e ele falou: ‘pô, um dia eu quero ir to da estrutura do Tricolor. Sabe que, nas La- ção no Facebook. Considerado interna- outro, mas também atua como Entre os registros, além dos bastidores da no Barcelona para conhecer’. Então, respondi: ranjeiras, todos trabalham para um só objetivo: mente uma espécie de embaixador consultor. No futuro, vai aumentar a classificação para a Libertadores em um ano ‘se você quiser, eu ligo para o pessoal lá, conhe- o crescimento da equipe. Ao sugerir aos diri- mundial do clube, o jogador tem a seu sua participação. “A Arpoador foi que tinha tudo para ser ruim, estão devidamen- ço todo mundo. São meus amigos’”. gentes oportunidades como um estágio no Bar- favor nas campanhas o compromisso até criada muito em função dessa te anotados, por volta do fim de 2011, detalhes O atual presidente do Barça, Sandro Rosell, celona, ele crê estar cumprindo o seu papel o final de 2013 e a segurança que trans- experiência que eu tinha da Polaris do convite feito pelo meio-campista para que o é uma dessas amizades que Deco ainda cultiva como parte de toda essa mecânica. “A gente lá mite na criação de produtos. “De certa e, nos próximos tempos, deve haver dirigente realizasse um estágio no Barcelona. na Catalunha. O cartola com quem manteve no Fluminense dá a sorte de ter um ambiente forma, são os clubes que têm o poder de uma união das duas”. O sócio-diretor “Ele me perguntou se gostaria de ir até lá ver o contato para o estágio de Sandrão foi responsá- muito bom, mas ele é construído, não é uma se relacionar com o torcedor. Se ele não Daniel Deivisson acredita que a que poderíamos aplicar no Fluminense. Aceitei, vel por sua contratação junto ao Porto, ainda coisa que surge. Acho que cuidar das pessoas fala com o torcedor, alguém o fará. Seja a empresa briga pelo mesmo nicho claro. Em seguida, ele ligou para o presidente em 2004. Dessa passagem, o jogador espera que que estão em volta, que é uma forma de gestão, imprensa, um blog ou o que for. Precisa- que hoje é ocupado pela 9ine, de do clube [Sandro Rosell] e fechou tudo”, des- o vice de futebol do Flu traga algumas ideias é primordial. Não tem como você achar que mos criar mecanismos para trazer esse Ronaldo Fenômeno, mas com um creve o dirigente. para o clube. A mais óbvia delas, afirma ao ser ‘não, não, temos bons jogadores, pago bem, um torcedor para perto”, conclui o meio- diferencial: “Vamos gerar valor para De acordo com Deco, a viagem para o Camp perguntado sobre o que aplicaria, é a necessi- bom treinador, mas o resto não funciona’. Não -campista, que aposta nas redes sociais os atletas a partir também do meio Nou deve finalmente sair em janeiro. “A gente dade de se investir num centro de treinamento. existe isso”. também em seus negócios. digital”, explica.52 53

×