Poesia do século XX- 4

5.671 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.671
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.159
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Poesia do século XX- 4

  1. 1. | Português – 10º ano | Poetas do Séc. XX Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2010 /2011 . POESIA LUSÓFONA (Alguns poetas brasileiros e africanos)
  2. 2. | Português – 10º ano | Poetas do Séc. XX Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2010 /2011 1901- Rio de Janeiro, Brasil 1964 – Rio de Janeiro Retrato Eu não tinha este rosto de hoje, Assim calmo, assim triste, assim magro, Nem estes olhos tão vazios, Nem o lábio amargo. Eu não tinha estas mãos sem força Tão paradas e frias e mortas; Eu não tinha este coração Que nem se mostra. Eu não dei por esta mudança, Tão simples, tão certa, tão fácil: - Em que espelho ficou perdida A minha face? Ideias-Chave . Poetisa, pintora, professora e jornalista; . Aos 9 anos começa a escreve poesia e aos 18 publica o seu primeiro livro de poesia : Espectro (poemas simbolistas); . A sua poesia é considerada atemporal : trata temas atemporais e é influenciada por várias estéticas literárias. Minha infância de menina sozinha deu-me duas coisas que parecem negativas, e foram sempre positivas para mim: silêncio e solidão . Essa foi sempre a área de minha vida.(…) Mais tarde, foi nessa área que os livros se abriram e deixaram sair suas realidades e seus sonhos, em combinação tão harmoniosa que até hoje não compreendo como se possa estabelecer uma separação entre esses dois tempos de vida, unidos como os fios de um pano. "... Liberdade , essa palavra que o sonho humano alimenta que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda..." ( Cecília Meireles , Romanceiro da Inconfidência)
  3. 3. | Português – 10º ano | Poetas do Séc. XX Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2010 /2011 1902- Minas Gerais, Brasil 1987 – Rio de Janeiro Destruição Os amantes se amam cruelmente e como se amarem tanto não se vêem. Um se beija no outro, refletido. Dois amantes que são? Dois inimigos. Amantes são meninos estragados pelo mimo de amar: e não percebem quanto se pulverizam no enlaçar-se, e como o que era mundo volve a nada. Nada. Ninguém. Amor, puro fantasma que os passeia de leve, assim a cobra se imprime na lembrança de seu trilho. E eles quedam mordidos para sempre. deixaram de existir, mas o existido continua a doer eternamente. Carlos Drummond de Andrade Ideias-Chave . Fundou "A Revista", para divulgar o modernismo no Brasil. . Forte criador de imagens , a sua obra tem como temáticas: a vida e os acontecimentos do mundo a partir dos problemas pessoais; . Os seus versos focam: o indivíduo, a terra natal, a família e os amigos, os embates sociais, o questionamento da existência, e a própria poesia. “ Os homens são como as moedas; devemos tomá-los pelo seu valor, seja qual for o seu cunho.”
  4. 4. | Português – 10º ano | Poetas do Séc. XX Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2010 /2011 Vinícius de Moraes A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana. A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo, o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro. (…) Rio de Janeiro, Brasil 1913 - 1980 Poética De manhã escureço De dia tardo De tarde anoiteço De noite ardo. A oeste a morte Contra quem vivo Do sul cativo O este é meu norte. Outros que contem Passo por passo: Eu morro ontem Nasço amanhã Ando onde há espaço: – Meu tempo é quando. Ideias-Chave: . Poeta, compositor, diplomata, dramaturgo e jornalista. . Em 1958 foi lançado o LP Canção do Amor Demais , que inclui a música Chega de Saudade , composta por ele e Tom Jobim, marco do movimento da Bossa Nova . . As suas canções alcançaram grande êxito junto do público, sobretudo a música Garota de Ipanema , uma das mais conhecidas no mundo.
  5. 5. | Português – 10º ano | Poetas do Séc. XX Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2010 /2011 GRITO NEGRO Eu sou carvão! E tu arrancas-me brutalmente do chão E fazes-me tua mina Patrão! Eu sou carvão! E tu acendes-me, patrão Para te servir eternamente como força motriz mas eternamente não Patrão! Eu sou carvão! E tenho que arder, sim E queimar tudo com a força da minha combustão. (…) José Craveirinha 1922 - Maputo 2003 – África do Sul Ideias-Chave: . Iniciou a sua carreira como jornalista no “ O Brado africano” ; . Fez campanha contra o racismo no Notícias, onde trabalhava, tendo sido o primeiro jornalista oficialmente sindicalizado; . Esteve preso pela Pide, de 1965 a 1969; . Apesar de a sua obra reflectir a influência dos surrealistas, a sua poesia possui um carácter social que radica nas camadas mais profundas do povo moçambicano; . Os temas fundamentais são: escravatura, raça, crítica à civilização ocidental, vitalismo, sensualidade, revalorização da tradição negra, culto da Natureza, animização, etc . Escritor de ligações afectivas com Portugal , foi-lhe atribuído o Prémio Camões em 1991 e recebeu condecorações dos presidentes de Portugal e de Moçambique.
  6. 6. | Português – 10º ano | Poetas do Séc. XX Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2010 /2011 1955 - Moçambique (…)Veja-se, num sumário exemplo, perguntas que se podem colocar à língua: • Se pode dizer de um careca que tenha couro cabeludo? • No caso de alguém dormir com homem de raça branca é então que se aplica a expressão: passar a noite em branco? • A diferença entre um ás no volante ou um asno volante é apenas de ordem fonética? • O mato desconhecido é que é o anonimato? • O pequeno viaduto é um abreviaduto? • Como é que o mecânico faz amor? Mecanicamente. • O elefante que nunca viu mar, sempre vivendo no rio: devia ter marfim ou riofim? (…) Mia Couto (1997) Ideias-Chave: . Iniciou-se no jornalismo; . Formou-se em Biologia; . Escreve poesia e contos e trata-se de um dos escritores moçambicanos mais traduzidos em várias línguas; . Em 1999 foi vencedor do prémio Vergílio Ferreira pelo conjunto da obra; . Em 2001, recebeu também o Prémio Literário Mário António (que distingue obras e autores dos países africanos lusófonos e de Timor-Leste); . Conhecido por ter inventado uma nova maneira de falar – ou "falinventar" – português, que continua a ser o seu ex-libris. . Para Mia couto: “ O mar foi ontem o que o idioma pode ser hoje, basta vencer alguns Adamastores.”
  7. 7. | Português – 10º ano | Poetas do Séc. XX Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 20102011 Fontes: http://www.astormentas.com/ http://alfarrabio.di.uminho.pt/ http://cvc.instituto-camoes.pt/index.php Esta apresentação completa o estudo dos poetas do século XX no 10ºano, contemplando outros poetas que não constaram nas apresentações orais feitas pelos alunos.

×