ANGINA DE PEITO OU ANGINA
     ALGUNS DISTÚRBIOS                                                    PECTORIS OU ANGINA
   ...
INFARTO, ENFARTO, ENFARTE                                            O QUE CAUSA O ENTUPIMENTO
           OU ATAQUE CARDÍA...
FATORES DE RISCO
                                                          n   Alimentação desequilibrada ] pobre em
     ...
COMO É FEITO O TRATAMENTO

                                                    n   Cirurgia de revascularização do
       ...
ATEROSCLEROSE                                                          ATEROSCLEROSE
                                     ...
ARTERIOSCLEROSE                                                               PREVENÇÃO

n   O cigarro promove            ...
HIPERTENSÃO ARTERIAL                                     FATORES DE PREDISPOSIÇÃO
n   Pode causar lesões em diferentes órg...
FATORES DE PREDISPOSIÇÃO                                         CONTROLE E PREVENÇÃO
n   Vida sedentária: um estilo de vi...
SINTOMAS                                     DIAGNÓSTICO
                                                   n   Ruídos ano...
PREVENÇÃO                                        ARRITMIA CARDÍACA
                                                       ...
CAUSAS PATOLÓGICAS                                                              SINTOMAS
n   Anormalidade na maneira na qu...
PREVENÇÃO                                                   TRATAMENTO
n Procurar um médico ao sentir qualquer sintoma des...
CONSEQÜÊNCIAS                                                       FATORES DE RISCO
n A longo prazo, os trombos podem lev...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Disturbios cardiovasculares

10.865 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.865
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
278
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Disturbios cardiovasculares

  1. 1. ANGINA DE PEITO OU ANGINA ALGUNS DISTÚRBIOS PECTORIS OU ANGINA CARDIOVASCULARES n É uma dor localizada no centro do peito: Ø sentida como peso, aperto, queimação ou pressão, geralmente atrás do osso esterno; Ø algumas vezes pode se estender para os braços, pescoço, queixo ou Profª Ana Luisa Miranda Vilela costas. Figura: http://www.tusalud.com.mx/120405.htm 2 www.bioloja.com INFARTO, ENFARTO, ENFARTE POR QUE OCORRE OU ATAQUE CARDÍACO n A dor aparece quando o suprimento de sangue para uma parte do miocárdio é insuficiente (isquemia): nÉ a morte de uma área do miocárdio, Ø o coração não recebe oxigênio e nutrientes nas quantidades cujas células ficaram sem receber necessárias Æ não provoca danos permanentes no miocárdio. sangue com oxigênio e nutrientes. 3 4 www.bioloja.com www.bioloja.com
  2. 2. INFARTO, ENFARTO, ENFARTE O QUE CAUSA O ENTUPIMENTO OU ATAQUE CARDÍACO DAS ARTÉRIAS n No infarto ocorre uma n 1- Aterosclerose obstrução das artérias por placas interrupção abrupta do lipídicas – placas de ateroma. n 2- Trombos arteriais (sangue coagulado ou coágulos) Æ fluxo de sangue para o formam-se geralmente em sítios com fluxo sangüíneo miocárdio: turbulento ou em zonas com placas de ateroma Æ Ø artéria coronária foi obstrução da circulação de artérias cerebrais e do coração com maior freqüência Æ embolia arterial. completamente entupida; Ø dor mais intensa e duradoura (geralmente mais de 20 minutos) Æ danos permanentes no miocárdio. 5 6 www.bioloja.com www.bioloja.com O QUE CAUSA O ENTUPIMENTO O QUE CAUSA O ENTUPIMENTO DAS ARTÉRIAS DAS ARTÉRIAS n 3- Embolismo ou embolia arterial: produzido pelo n 3- Embolismo ou embolia arterial: entupimento de uma artéria por um êmbolo: Ø o ponto de origem do êmbolo pode ser o coração ou um Ø coágulo sangüíneo ou parte de uma placa de ateroma que vaso sangüíneo; se desprende do local de origem e é conduzido pela Ø os êmbolos arteriais podem afetar as extremidades corrente sangüínea a outra parte do corpo ] interrupção (especialmente pernas e pés), rins, intestinos e olhos; repentina de sangue a um órgão ou parte do corpo ] Ø alguns podem comprometer o cérebro e o coração. isquemia ou necrose: 7 8 www.bioloja.com www.bioloja.com
  3. 3. FATORES DE RISCO n Alimentação desequilibrada ] pobre em alimentos de origem vegetal e rica em sal e alimentos de origem animal (fonte de gorduras saturadas e colesterol). n Obesidade. n Sedentarismo. n Estresse. n Tabagismo e abuso de álcool. n Aumento do número de plaquetas associado a condições hematológicas hereditárias que produzam hipercoagulação. n Aterosclerose, arteriosclerose, hipertensão arterial, diabetes e insuficiência renal, entre outros. 9 10 www.bioloja.com www.bioloja.com COMO É FEITO O TRATAMENTO COMO É FEITO O TRATAMENTO n Clínico: medicamentos: aspirina (ácido acetil- n Angioplastia: utilização de cateter com balão ou rede metálica (stent) para desentupir as artérias coronárias. salicílico) e nitratos colocados embaixo da língua n Aterectomia: desobstrução das coronárias por sucção (agem mais rápido), engolidos ou usados sob forma ou laser, através de cateter introduzido em artéria de de emplastros sobre a pele. braço ou perna. n Outros medicamentos: bloqueadores dos canais de cálcio e beta-bloqueadores Æ aliviam os sintomas da angina. 11 12 www.bioloja.com www.bioloja.com
  4. 4. COMO É FEITO O TRATAMENTO n Cirurgia de revascularização do miocárdio: ponte (veia safena e/ou artéria mamária interna). 13 14 www.bioloja.com www.bioloja.com COMO É FEITO O TRATAMENTO COMO É FEITO O TRATAMENTO n Transplante de coração: nas n Coração artificial elétrico: o cirurgias cardíacas, a Heartmate, coração artificial circulação sangüínea elétrico, ajuda o coração natural enfraquecido a bombear o sangue. precisa ser isolada do Ø O sangue sai do ventrículo coração. Para isso, é esquerdo, entra em um cano e vai usado um coração- para o Heartmate. Ø Por outro cano, o aparelho pulmão artificial, impulsiona o sangue para a aorta. também chamado de Ø O sistema é acionado por uma circulação caixa de controle que fica na parte externa do corpo. extracorpórea. Ø A energia é fornecida por uma bateria elétrica carregada em uma bolsa a tiracolo. 15 16 www.bioloja.com www.bioloja.com
  5. 5. ATEROSCLEROSE ATEROSCLEROSE n Pode causar danos a órgãos importantes ou até n É uma doença crônico-degenerativa que leva à mesmo levar à morte. obstrução das artérias pelo acúmulo de lipídeos (principalmente colesterol) em suas paredes Æ n Tem início nos primeiros anos de vida, mas sua placas de ateroma Æ isquemia. manifestação clínica geralmente ocorre no adulto. n É a principal causa dos entupimentos nas artérias coronárias. 17 18 www.bioloja.com www.bioloja.com PREVENÇÃO ARTERIOSCLEROSE n Dieta hipossódica (com pouco sal) e hipocalórica (sem excesso de calorias); n Processo de espessamento e n Dieta balanceada rica em vegetais e frutas frescas e pobre em gorduras saturadas e colesterol; endurecimento da parede das artérias, n Redução de peso; n Prática de exercícios físicos aeróbicos (de baixa intensidade e tirando-lhes a elasticidade. longa duração) ou isotônicos (com grande movimentação dos membros) Æ sedentários devem procurar um cardiologista n Decorre de proliferação conjuntiva em antes de iniciar qualquer tipo de exercício; substituição às fibras elásticas Æ pode n Medir periodicamente (a cada seis meses) a pressão arterial e tratar o diabetes (quando for o caso); surgir como conseqüência da n Eliminar ou reduzir o fumo e, nos casos de mulheres hipertensas, eliminar o uso de contraceptivos orais (são aterosclerose (estágios terminais) ou uma bomba para o coração quando associados ao cigarro); devido ao tabagismo. n Reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas; 19 20 n Consultar o médico regularmente. www.bioloja.com www.bioloja.com
  6. 6. ARTERIOSCLEROSE PREVENÇÃO n O cigarro promove n Reduzir o peso e a ingestão de alimentos de vasoconstrição origem animal (ricos em gorduras saturadas (contração) as artérias e colesterol). coronárias e, ao mesmo n Parar de fumar. tempo, excita n Fazer exercícios físicos. excessivamente o coração; favorece ainda a formação de placas de ateroma (aumento de radicais livres). 21 22 www.bioloja.com www.bioloja.com HIPERTENSÃO ARTERIAL HIPERTENSÃO ARTERIAL n Pode provocar a formação de aneurismas: n É a elevação da pressão arterial para dilatações saculares que se desenvolvem na parede números acima dos valores considerados das artérias Æ seu rompimento pode trazer graves normais. conseqüências (ex: AVC –Acidente Vascular Cerebral). Figura: http://www.utihusf.hpg.ig.com.br/aneurisma_cerebral Figura: http://www.neuro.med.br/aneurisma.htm 23 24 www.bioloja.com www.bioloja.com
  7. 7. HIPERTENSÃO ARTERIAL FATORES DE PREDISPOSIÇÃO n Pode causar lesões em diferentes órgãos do corpo humano, tais como cérebro, coração, rins e olhos. n Histórico familiar: pessoas que têm familiares com pressão arterial elevada têm maior chance de serem hipertensas. n Idade: risco aumenta com a idade. n Etnia: é mais comum em pessoas de etnia negra do que branca. n Sal: a ingestão excessiva de sal predispõe ao aumento da pressão arterial. 25 26 www.bioloja.com www.bioloja.com FATORES DE PREDISPOSIÇÃO FATORES DE PREDISPOSIÇÃO n Obesidade: pessoas com excesso de peso têm maior probabilidade de desenvolver a n Diabetes: pessoas com diabete muitas vezes hipertensão: também sofrem de hipertensão Æ esta combinação aumenta o risco de doenças cardíacas e renais. Ø procure saber qual é seu peso normal em relação n Abuso de álcool: estudos demonstraram que o a sua idade, altura e sexo e, se você estiver abuso de álcool pode estar associado à pressão alta acima deste peso, consulte seu médico sobre um programa de exercícios e dieta adequados para Æ o significado de "abuso" pode diferenciar de uma perda gradual de peso. pessoa para pessoa, dependendo do peso, hábitos alimentares e hereditariedade Æ de qualquer maneira recomenda-se moderação. 27 28 www.bioloja.com www.bioloja.com
  8. 8. FATORES DE PREDISPOSIÇÃO CONTROLE E PREVENÇÃO n Vida sedentária: um estilo de vida sem exercícios n Controlar periodicamente sua regulares aumenta a probabilidade de excesso de pressão arterial. peso, significando um fator de risco para o n Deixar de fumar. desenvolvimento da hipertensão. n Minimizar o uso de álcool. n Manter seu peso ideal. n Fazer exercícios físicos sob orientação médica. n Cigarro: o hábito de fumar é um fator de n Evitar alimentos ricos em gorduras. contribuição para elevar a pressão arterial. n Diminuir o sal nos seus alimentos. n Reduzir o estresse. 29 30 www.bioloja.com www.bioloja.com SOPRO NO CORAÇÃO SOPRO NO CORAÇÃO n Alterações nas válvulas: n É uma alteração no fluxo do sangue dentro Ø Congênitas: algumas pessoas já nascem com válvulas do coração, provocada por problemas em anormais Æ parece ser determinada geneticamente. uma ou mais válvulas cardíacas ou por Ø Adquiridas: febre reumática, insuficiência cardíaca e infarto Æ podem danificar as válvulas. lesões nas paredes das câmaras. Prolapso da válvula mitral (PVM): n Na maioria das vezes não existem seqüelas. um ou ambos os folhetos ou ainda n Quando decorre de lesões nas paredes das os músculos papilares e suas cordoalhas são demasiadamente câmaras Æ mistura de sangue. longos, sendo também descrito o aumento do anel valvular Æ não ocorre o fechamento uniforme da válvula Æ refluxo de sangue. 31 32 www.bioloja.com www.bioloja.com
  9. 9. SINTOMAS DIAGNÓSTICO n Ruídos anormais, percebidos quando o n As queixas mais comuns são: n palpitações, síncope (desmaio) médico ausculta o peito Æ som estalado Æ devidas a distúrbios do ritmo (PVM) ou som semelhante ao de um fole. cardíaco (arritmias). n dor de cabeça (cefaléia). n dor torácica. n falta de ar. n fadiga Æ mais comum. 33 34 www.bioloja.com www.bioloja.com DIAGNÓSTICO DEFINITIVO TRATAMENTO n Ecocardiograma Æ utilização n Em muitos casos os de ultra-som para a obtenção sintomas são poucos ou de imagens do coração: inexistem Æ não há Ø permite a avaliação de dados necessidade de tratamento. anatômicos e aspectos n Casos sintomáticos: vai funcionais. desde simples medicamentos até intervenções cirúrgicas para conserto ou substituição das válvulas Æ podem ser de material biológico ou fabricadas a partir de ligas metálicas. 35 36 www.bioloja.com www.bioloja.com
  10. 10. PREVENÇÃO ARRITMIA CARDÍACA n É uma anormalidade na freqüência, regularidade ou na origem n Não há uma maneira de prevenir o sopro. do impulso cardíaco, ou ainda uma alteração na sua condução, causando uma seqüência anormal da ativação miocárdica Æ Mas existem formas de evitar que ele se ritmo cardíaco alterado. agrave. Para isso, é importante que você n Causas: diversas enfermidades do coração (doença do nó saiba se tem ou não o problema, realizando sinusal, bloqueio atrioventricular, hipersensibilidade do seio carotídeo, hipertensão arterial, prolapso de válvula cardíaca exames de check-up. etc), estresse, cafeína, tabaco, álcool, algumas drogas ilegais e alguns medicamentos. 37 38 www.bioloja.com www.bioloja.com ARRITMIA CARDÍACA CAUSAS PATOLÓGICAS n Anormalidade na formação dos sinais elétricos: n Os batimentos podem perder o compasso de Ex: Síndrome de Wolf-Parkinson-White: feixes duas maneiras: elétricos excedentes no coração Æ taquicardia Æ Ø Bradicardia: ocorre quando o coração passa a freqüências de até 300 batimentos por minuto Æ bater menos de 60 vezes por minuto. risco de morte súbita. Ø Taquicardia: chegam a acontecer mais de 100 batimentos por minuto. Taquicardia supraventricular Æcomum na síndrome de Wolf-Parkinson-White 39 40 www.bioloja.com www.bioloja.com
  11. 11. CAUSAS PATOLÓGICAS SINTOMAS n Anormalidade na maneira na qual viajam os n Na taquicardia, o principal sintoma é a sinais elétricos. Ex: as taquicardias aparecem em cerca de 5% dos pacientes palpitação. Nas bradicardias ocorrem com cicatrizes cardíacas produzidas após um infarto do tonturas e até desmaios. miocárdio. Arritmia extrassistólica auricular: comum em pessoas normais Æ desencadeada por tensão emocional, café, fumo álcool. 41 42 www.bioloja.com www.bioloja.com ARRITMIA CARDÍACA ARRITMIA CARDÍACA Bradicardia sinusal: atletas, qualquer Taquicardia sinusal: infância, exercício, pessoa durante o sono, morfina, β- ansiedade, emoções, atropina, bloqueadores, estimulação vagal pelo adrenalina, β agonistas, café, fumo, vômito, hipotireoidismo, hipotermia. álcool, choque, infecções, anemia, hipertireoidismo, insuficiência cardíaca 43 44 www.bioloja.com www.bioloja.com
  12. 12. PREVENÇÃO TRATAMENTO n Procurar um médico ao sentir qualquer sintoma descrito acima. n Em alguns casos Æ medicamentos. n Controlar o estresse Æ realizar atividades prazerosas sempre que possível, praticar exercícios físicos leves e não acumular n Casos mais graves Æ implante no coração tarefas são algumas medidas que podem ajudar. n Reduzir o peso e a ingestão de gorduras saturadas e colesterol de um pequeno aparelho Æ marcapasso Æ Æpresente apenas em alimentos de origem animal. controla os batimentos cardíacos. n Reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas e parar de fumar. n Fazer exercícios físicos Æ de preferência aeróbicos de baixa intensidade e longa duração (caminhadas por exemplo). 45 46 www.bioloja.com www.bioloja.com TROMBOSE VENOSA (TV) CAUSAS n É uma doença causada pela coagulação do sangue nas veias, n Lesão venosa: inicia um processo de principalmente das pernas. n A curto prazo Æ problema localizado Æ por si só não leva a coagulação local Æ pode se propagar maiores danos. formando trombos. n Complicação: migração dos trombos: para as veias mais calibrosas Æ lado direito do coração Æ pulmões Æ obstrução da n Diminuição ou parada de circulação circulação pulmonar Æ embolia ou tromboembolismo sangüínea num determinado local da veia Æ pulmonar (TEP). ativa a cascata da coagulação do sangue Æ trombos. n Distúrbios da coagulação sangüínea: aumento da coagulação sangüínea Æ trombos. 47 48 www.bioloja.com www.bioloja.com
  13. 13. CONSEQÜÊNCIAS FATORES DE RISCO n A longo prazo, os trombos podem levar a uma inflamação na parede dos vasos sangüíneos Æ flebite. n Idade acima de 40 anos n O funcionamento das veias é afetado, gerando lesões que n Obesidade minam a qualidade de vida do paciente Æ como úlceras e o n Varizes grandes escurecimento da pele, grandes varizes (veias dilatadas, e tortuosas com válvulas defeituosas) e o inchaço do local. n História anterior e/ou familiar de trombose ou embolia n Uso de anticoncepcionais orais ou reposição hormonal n Cigarro n Alterações genéticas que afetam o mecanismo de coagulação n Cirurgias de médio e grande portes n Infecções e doenças graves n Traumatismos n Gravidez e pós-parto n Imobilização prolongada Figuras: http://www.angiologista.com 49 50 www.bioloja.com www.bioloja.com SINAIS DE ALERTA RECOMENDAÇÃO MÉDICA n Fique atento à evolução das varizes Æ procure o médico diante do aparecimento n Dor intensa. de nódulos, calor e vermelhidão no local. n Jamais combine cigarro com as pílulas n Inchaço nas pernas. anticoncepcionais ou a terapia de n Vermelhidão e calor no local. reposição hormonal Æ o risco de trombose aumenta nesses casos. n Endurecimento da musculatura da perna. n No caso de uma cirurgia, converse com n Formação de nódulos dolorosos nas varizes. seu médico sobre os cuidados para evitar a trombose, mesmo depois de receber alta do hospital. 51 52 www.bioloja.com www.bioloja.com

×