A Missão do Administrador
A Missão do 
Administrador 
Administração Como Filosofia de Vida 
Stephen Kanitz
A Missão do Administrador Direito autoral © 2014 
This book was produced using PressBooks.com, and PDF rendering was done ...
Conteúdos 
Capa vii 
Introdução viii 
Um Brasil Mal Administrado x 
Como Mudar o Mundo xv 
A Nova Realidade Econômica xx 
...
16. Criando Laços de Confiança 75 
17. A Função Mais Difícil do Administrador 79 
18. Se Karl Marx Tivesse Estudado Admini...
Part IV. 
Problemas 
36. Você Não Entende Absolutamente Nada de Administração? 
157 
37. Jornalista Precisa Ser Treinado, ...
Capa 
A capa foi feita por Helio de Almeida, 30 anos atrás, que eu con-sidero 
a melhor capa da Edição de Melhores e Maior...
Introdução 
Este não é um livro de administração comum. 
Ele não irá discorrer sobre técnicas administrativas nem sobre 
a...
Introdução 
No meu mundo ideal, todos teriam noções de Administração. 
Seja com um pós-graduação para complementar a sua p...
Um Brasil Mal Administrado 
Mas existe uma Solução 
Um país do tamanho do Brasil, com os recursos naturais e a pop-ulação ...
Um Brasil Mal Administrado 
O socialismo que prometia justiça, progresso e melhoria para 
as classes menos favorecidas, fr...
Um Brasil Mal Administrado 
tratação de amigos e parentes e não de profissionais para adminis-trar 
a coisa pública. 
Esta...
Um Brasil Mal Administrado 
Em pleno século XXI, temos pouquíssimos administradores 
com uma coluna fixa na grande imprens...
tiva que tomem decisões não por critérios políticos, mas por 
critérios de custos e eficiência. 
Um projeto e tanto para s...
Como Mudar o Mundo 
Continuadamente, Constantemente, Diariamente e Não 
Revolucionariamente 
Todo jovem quer mudar o mundo...
Como Mudar o Mundo 
Aforma revolucionária émudar tudo que está aí, de preferência 
de uma vez só. 
Parte da premissa de qu...
Como Mudar o Mundo 
Infelizmente, nossos jovens revolucionários e os professores 
que os incentivam não acreditam em “pesq...
Como Mudar o Mundo 
pela democracia, seja pelas armas. É dar as ordens certas, as dire-trizes 
certas que todos precisam o...
Como Mudar o Mundo 
Comente aqui http://administrador.pressbooks.com/front-matter/ 
como-mudar-o-mundo/ 
xix
A Nova Realidade Econômica 
Stakeholder ou Stockholder? 
Boa parte da teoria econômica e política do passado parte do pres...
A Nova Realidade Econômica 
Fonte http://www.ebah.com.br/ 
Stake, significa compromisso ou participação. 
Um formando que ...
A Nova Realidade Econômica 
Fonte: http://www.ebah.com.br/ e CHESF 
Pelo organograma da CHESF percebe-se que a preocupação...
A Nova Realidade Econômica 
10% dos custos dessa empresa. E, as margens de lucro da empresa 
seriam até menores, de 4% sob...
A Nova Realidade Econômica 
Sua missão como administrador é tentar tornar todas as empresas 
“capitalistas” em empresas De...
O Verdadeiro Significado da Palavra 
Gestão 
Gestão É Um Termo Que Administradores Não Deveriam 
Usar 
Muitos administrado...
O Verdadeiro Significado da Palavra Gestão 
Gestores ainda usam termos como: 
“indicadores” de produção, 
“apontar” uma so...
O Verdadeiro Significado da Palavra Gestão 
sozinhas, delegamos, treinamos, damos poder aos nossos colegas 
contratados. 
...
O Verdadeiro Significado da Palavra Gestão 
Se quiser continuar o termo, fique a vontade. 
Mas você está mostrando para to...
O Que Falta Para o Brasil Dar 
Certo? 
Uma Linguagem Comum Em Prol da Eficiência 
Desde a ditadura militar, o Brasil segue...
O Que Falta Para o Brasil Dar Certo? 
primeiros cinco anos, por cometer um dos 100 erros banais citados 
nos livros de adm...
O Que Falta Para o Brasil Dar Certo? 
É também a que dá o tom, a filosofia, o modus operandi de toda 
a economia americana...
O Que Falta Para o Brasil Dar Certo? 
O Brasil possui no máximo 5.000 mestres em administração, e a 
impressão que se tem ...
Part I 
As Principais 
Funções
1 
A Função do Presidente de 
Uma Empresa 
É Olhar Para Fora da Empresa, Não Para Dentro 
A função do cargo de Presidente,...
Stephen Kanitz 
Administração é criar um sistema operacional de tal forma que 
a empresa ande sozinha. 
Sem que precisemos...
alianças estratégicas, da expansão da empresa, com as vendas no 
exterior. 
Foi o estilo Lula, que vivia viajando pelomund...
Stephen Kanitz 
Mas todos os seus Ministros escolhidos também não entendiam 
absolutamente nada de administração. 
E as co...
Presidentes que pensam estrategicamente para ampliar os negó-cios, 
e não ficar atolados nos problemas internos que se acu...
2 
Administrar é Ter 
Acabativa 
Saber Acabar o Que Você Iniciou 
Iniciativa é a capacidade que todos nós temos de criar, ...
A Missão do Administrador 
É a capacidade de colocar em prática uma ideia e levá-la até o 
fim. 
Os americanos dividem o m...
Stephen Kanitz 
* Empreendedores são aqueles que têm iniciativa e acabativa. 
Um seleto grupo que não se contenta em ficar...
A Missão do Administrador 
Não se preocupam com o imenso tédio da repetição do dia-a-dia 
e não desanimam com as inúmeras ...
Stephen Kanitz 
Ele fez fortuna porque foi hábil em implantar as ideias dos out-ros 
– dizem as más línguas que até copiou...
A Missão do Administrador 
O sistema que deveríamos apoiar é o de “livre acabativa“. 
Nem o conceito correto acertamos. 
N...
3 
Administrar é Realizar o 
Sonho dos Outros 
O Líder Servidor 
Existem mais pessoas no mundo com ideias, do que pessoas ...
A Missão do Administrador 
Para isto precisamos motivar e treinar jovens para estarem dis-postos 
a realizar os sonhos dos...
Stephen Kanitz 
Na sua essência, Empreender é saber realizar o seu próprio sonho. 
É a atitude mais egoísta e egocêntrica ...
A Missão do Administrador 
istrador e na administradora, aqueles que se preocupam de fato 
com os sonhos dos outros, será ...
implantá-la, para não incorrer no que chamamos no Ocidente 
“cegueira profissional”. 
Por isto dizemos que só o Administra...
A Missão do Administrador 
Esta é a nossa missão. 
18
4 
Administrar é Nunca 
Acumular Problemas 
O Ótimo é o Maior Inimigo do Bom 
O segredo para o sucesso de toda família, em...
Quando problemas acumulam, o diagnóstico dos problemas 
seguintes fica mais difícil. 
As soluções ficam mais complicadas, ...
Stephen Kanitz 
Por isto administradores profissionais são tão necessários em 
empresas, governos e até para administrar c...
A Missão do Administrador 
Infelizmente, a maioria dos administradores não consegue 
provar a sua utilidade nem sabe expli...
Stephen Kanitz 
mente estamos evitando que problemas se acumulem um atrás do 
outro, e nestes casos rapidez de raciocínio ...
A Missão do Administrador 
Só que resolver problemas corretamente hoje em dia não é o sufi-ciente. 
Eles precisam ser reso...
Stephen Kanitz 
que deixamos tantos problemas se acumularem nestas áreas que 
somente uma ampla reforma resolverá o proble...
A Missão do Administrador 
cai por causa de um único problema. Estas quatro empresas que-bram 
a um custo de capital monst...
Stephen Kanitz 
dos quando se trabalha sozinho, mas quando se trabalha em grupo 
é necessário conciliar. 
Trabalhando em g...
A Missão do Administrador 
resolvê-los, contrate um administrador profissional, alguém 
treinado para resolver problemas d...
Stephen Kanitz 
Mas no mundo acadêmico nada precisa ser feito para amanhã 
ou ontem. 
Professores levam meses para corrigi...
A Missão do Administrador 
Lei Número 4. Uma decisão mal feita é melhor do que uma 
decisão não feita. 
A primeira vez que...
5 
Administrar é Saber 
Delegar 
Aquilo Que Você Já Sabe Fazer 
Um dos grandes problemas dos Gestores é o pavor de delegar...
A Missão do Administrador 
Por isto a maioria das empresas familiares não sobrevive à morte 
do fundador. 
Se você quiser ...
Stephen Kanitz 
Muitos acham justamente o contrário, que se delega aquilo que 
não se entende. 
Se você não entende de Mar...
6 
Administrar é Por Fim a 
Incompetência 
Todo Mundo Tem Que Ser Incompetente? 
Casar com a filha do dono da empresa, arr...
Stephen Kanitz 
Competência no Brasil é justamente uma ameaça ao status quo 
dos medíocres. 
E são os medíocres que infeli...
A Missão do Administrador 
É medir os resultados dos velhos incompetentes e sugerir que se 
retirem de cena. 
A regra bási...
Stephen Kanitz 
Infelizmente, os milhares de jovens competentes de gerações 
passadas acabaram não desenvolvendo e tiveram...
7 
Administrar é Saber o 
Intervalo Entre Ação e 
Reação 
Nada é Instantâneo no Mundo Real, Só na Teoria 
Você pede descul...
Stephen Kanitz 
1) suas políticas fracassaram, ou se 2) você errou nas estimativas 
do intervalo de reação, ou se 3) você ...
A Missão do Administrador 
difícil ajustar a temperatura quando é grande o intervalo de reação 
entre abrir a torneira de ...
8 
Administrar é Ter Que 
Lidar Com Problemas 
Brochantes 
Ninguém Quer Tirar o Lixo e Lavar a Louça 
Nossa educação, cult...
A Missão do Administrador 
vista em jornal, de pertencer a uma academia exclusiva de 
notáveis. 
Não é por acaso que todo ...
Stephen Kanitz 
Obviamente, ninguém quer lidar com os Problemas Brochantes 
que cada sociedade gera. 
Não dá Ibope. 
Não g...
A Missão do Administrador 
psicólogo, geriatra, administrador, que tenham sido enaltecidos e 
elogiados por algum blog de ...
9 
Administrar é Por em 
Ordem o Progresso 
Ordem e Progresso ou Progresso e Ordem, Eis a Questão. 
Um dos modismos em adm...
A Missão do Administrador 
“Ordem é a precondição para todo progresso“. “Ordem por base, pro-gresso 
por fim”, diz Comte e...
Stephen Kanitz 
administração no Brasil que se tornou best-seller popular, Virando 
a Própria Mesa, mostra uma interessant...
A Missão do Administrador 
São eles que ajudam a consolidar os “progressos” feitos pelos 
cientistas, empreendedores, cria...
10 
Administrando Pessoas 
Estranhas 
Administrar Filhos e Parentes é Muito Mais Fácil 
Observando o crescimento da renda ...
A Missão do Administrador 
Agora, compare com o crescimento da Renda do Mundo no 
mesmo período. 
50
Stephen Kanitz 
Em 2020, a renda média do mundo está estimada em US$ 20.000, 
por ano. 
Contra US$ 400, em 1800. 
O livro ...
A Missão do Administrador 
Isto permitiu, pela primeira vez na história, que empresas com 
10.000 funcionários, com mais d...
Stephen Kanitz 
e aos fornecedores e que saibam colocar de lado as suas diferenças 
em prol do bem comum. 
Por não termos ...
A Missão do Administrador 
para um objetivo comum, em harmonia, com valores comuns 
compartilhados, semeando assim o respe...
11 
Administrando Pessoas 
Muito Estranhas 
E Bota Estranhas Nisso 
Como vimos no capítulo anterior, uma das difíceis tare...
A Missão do Administrador 
Meus dois filhos pequenos rolaram de rir quando viram aquele 
cartaz. 
“Quer dizer que o Paulin...
Stephen Kanitz 
destas empresas 400 pessoas muito, mais muito estranhas mesmo, 
que dificilmente seriam contratadas em emp...
A Missão do Administrador 
Sempre damos uma segunda chance, mudamos o funcionário 
de departamento ou mudamos de função. 
...
12 
Administrando Com 
Desconfiança 
Ninguém é Santo Neste Mundo 
Infelizmente, por falta de uma cultura Administrativa, o...
A Missão do Administrador 
Isto ocorre a cada quatro anos, amplamente divulgado pelos 
jornais, quando presidentes e gover...
Stephen Kanitz 
entes foram contratados para que todos se tornem ricos, o que 
pelos salários atuais do setor público é pr...
A Missão do Administrador 
Bons amigos então, nem se fala. De onde surgiu este mito de 
que amigo do peito e parente não r...
Stephen Kanitz 
Pelo menos algum dia vamos começar timidamente con-tratando 
os melhores brasileiros desde o início. 
PS –...
13 
Administrar é Saber 
Delegar - II 
E Ficar Observando 
Administração é possivelmente a única profissão onde o sonho é ...
Stephen Kanitz 
Nenhuma outra profissão ousaria ser pego numa posição destas, 
seria considerado motivo para demissão na c...
A Missão do Administrador 
cisará de nós, por isto precisamos delegar e criar organizações 
autossustentáveis. 
Claro que ...
14 
Será Que o Problema é Este Mesmo? 
Um dos maiores choques de minha vida foi na noite anterior ao 
meu primeiro dia de ...
A Missão do Administrador 
Lá não há aulas de inauguração, na qual o professor diz quem ele é 
e o que ensinará durante o ...
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
E book A Missão do Administrador
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

E book A Missão do Administrador

344 visualizações

Publicada em

E-book gratuito disponibilizado pelo prof. Stephen Kanitz.
Leitura divertida e linguagem acessível

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
344
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

E book A Missão do Administrador

  1. 1. A Missão do Administrador
  2. 2. A Missão do Administrador Administração Como Filosofia de Vida Stephen Kanitz
  3. 3. A Missão do Administrador Direito autoral © 2014 This book was produced using PressBooks.com, and PDF rendering was done by PrinceXML.
  4. 4. Conteúdos Capa vii Introdução viii Um Brasil Mal Administrado x Como Mudar o Mundo xv A Nova Realidade Econômica xx O Verdadeiro Significado da Palavra Gestão xxv O Que Falta Para o Brasil Dar Certo? xxix Part I. As Principais Funções 1. A Função do Presidente de Uma Empresa 2 2. Administrar é Ter Acabativa 7 3. Administrar é Realizar o Sonho dos Outros 13 4. Administrar é Nunca Acumular Problemas 19 5. Administrar é Saber Delegar 31 6. Administrar é Por Fim a Incompetência 34 7. Administrar é Saber o Intervalo Entre Ação e Reação 38 8. Administrar é Ter Que Lidar Com Problemas Brochantes 41 9. Administrar é Por em Ordem o Progresso 45 10. Administrando Pessoas Estranhas 49 11. Administrando Pessoas Muito Estranhas 55 12. Administrando Com Desconfiança 59 13. Administrar é Saber Delegar - II 64 14. Administrar É Saber Fazer as Perguntas, Não Achar as Soluções 67 15. Administrar é Ser Ágil na Ação e Decisão 72
  5. 5. 16. Criando Laços de Confiança 75 17. A Função Mais Difícil do Administrador 79 18. Se Karl Marx Tivesse Estudado Administração 82 Part II. Postura Ética 19. O Atributo Mais Importante do Administrador: Sua Ética 89 20. A Primeira Regra Ética a Seguir 93 21. O Administrador é Íntegro 96 22. O Administrador é Humilde 101 23. O Administrador e o "Poder" 104 24. O Administrador é Um Democrata 107 25. O Administrador é Um Mediador de Conflitos 111 26. Administradores ou Revolucionários ? 116 27. Existem Administradores de Esquerda 120 28. Administrar é Cuidar do Capital Social da Sociedade 124 Part III. O Futuro 29. Administração Tem Que Ser Divertida 129 30. A Importância de Uma Visão do Futuro 133 31. Chegamos na Era do Administrador, Finalmente 136 32. A Nova Sociedade Brasileira 142 33. O Administrador Como Um Político 146 34. Empresas Preparadas Para Servir 150 35. Capitalismo Beneficente 153
  6. 6. Part IV. Problemas 36. Você Não Entende Absolutamente Nada de Administração? 157 37. Jornalista Precisa Ser Treinado, Administrador Não? 161 38. A Função do Gestor e a Função do Administrador 163 39. A Lei do Mínimo Esforço 166 40. O Mal Que Karl Marx Fez Para a Administração 171 Part V. Conclusões 41. Por Um Brasil Bem Administrado 179 42. A Lei 7988/45 Que Atrasou o Brasil 182 43. Quem Salvará o Capitalismo dos Capitalistas? 185 44. A Missão do Administrador Brasileiro 189
  7. 7. Capa A capa foi feita por Helio de Almeida, 30 anos atrás, que eu con-sidero a melhor capa da Edição de Melhores e Maiores. vii
  8. 8. Introdução Este não é um livro de administração comum. Ele não irá discorrer sobre técnicas administrativas nem sobre as melhores práticas usadas pelas melhores e maiores empresas do país. Mas será um livro que fará de você um administrador melhor. Ele abordará a missão do administrador como um agente da sociedade, a função do administrador na sua plenitude. Mostrará o espaço maior da existência de um ser humano. A Missão do Administrador mostra a administração como uma filosofia de vida, mostra o significado maior da tarefa de ser um administrador. Prometo que no fim deste livro você terá um maior significado para sua vida, uma maior clareza e porque estamos fazendo o que fazemos. Embora eu esteja usando o termo administrador, isto não sig-nifica que eu esteja advogando que o mundo seria melhor na mão de administradores. Eu realmente acredito nisto, mas rapidamente vou acrescentar que eu acredito é que todos nós deveríamos ser administradores das nossas vidas, das nossas atividades econômicas, das nossas famílias e das nossas finanças. viii
  9. 9. Introdução No meu mundo ideal, todos teriam noções de Administração. Seja com um pós-graduação para complementar a sua profissão de médico, engenheiro, etc, não somente os administradores de fato. No meu mundo ideal, os administradores de fato são somente os maiores especialistas no assunto e que servirão de mentores, professores, observadores e pesquisadores. Eu sou um caso típico. Se eu fosse o Presidente de uma empresa, provavelmente eu seria um desastre. Mas isto não me impede de ser um bom administrador como consultor, mentor, escritor e pesquisador do assunto. Portanto, vocês das outras profissões não sintam que eu estou sendo classista ou corporativista quando eu uso o termo Admin-istrador. Estou sempre me referindo à sua parte ainda não desenvolvida de administrador, que acho que todos deveriam ter. Minha grande frustração na vida é que a maioria dos jornalistas, economistas, contadores, políticos, juízes e sociólogos com quem conversei na vida, nem sequer entendiam o que eu estava falando, de tão atrasados que eles eram em termos de conhecimento administrativo. Administração é o único curso que ativamente procura no MBAformandos de outras disciplinas, porque achamos a comple-mentaridade necessária. Se todos nós nos imbuirmos da missão e das funções do admin-istrador lato sensu, tenho certeza que o Brasil será um país melhor. Se você fez um download da Versão Beta, acesse http://administrador.pressbooks.com/ para incluir comentários, erros e sugestões. Stephen Kanitz ix
  10. 10. Um Brasil Mal Administrado Mas existe uma Solução Um país do tamanho do Brasil, com os recursos naturais e a pop-ulação que tem, não é exatamente um país com problemas econômicos. Mas o mantra todo dia nos jornais é sobre os proble-mas econômicos deste país. Somos, sim, um país muito mal administrado. Não sabemos administrar os Estados, não sabemos administrar nossas dívidas, não sabemos administrar nossa previdência nem nossa segurança. Nossos governantes e ministros normalmente não são formados em administração nem fizeram aqueles cursos de MBA que prolif-eram por aí. A maioria dos nossos ministros nunca trabalhou numa das 500 maiores empresas do país, nem como presidente nem como dire-tor. Fernando Henrique Cardoso teve como ministros muitos pro-fessores brilhantes, que administravam sessenta obedientes alunos e de um momento para o outro passaram a administrar mais de 5.000 funcionários públicos, sem formação em adminis-tração, recursos humanos, motivação, liderança nem avaliação de desempenho. Teriam sido bons assessores, não executivos. x
  11. 11. Um Brasil Mal Administrado O socialismo que prometia justiça, progresso e melhoria para as classes menos favorecidas, fracassou nos maiores países que o abraçaram. Vladimir Putin, presidente da Rússia, se elegeu com a bandeira que oComunismo foi o maior erro da história da Rússia. O Capitalismo, com seus bancos alavancados 20 vezes e total-mente descontrolados, ou supostamente controlados interna-mente por algoritmos falhos, ou então controlados externamente por acadêmicos teóricos, vive entrando em crise e levando dezenas de outros setores de roldão. A Social Democracia Europeia, que poderia ter sido o meio termo salvador, está atolada de ineficiência e dívidas impagáveis. O Brasil está atolado em problemas cada vez maiores, que em vez de serem resolvidos à medida que aparecem vão se acumu-lando sem solução, piorando o problema. Atese deste livro é que todos estes fracassos e todos estes prob-lemas advêm do fato de que o mundo está cada vez mais mal administrado. Governos são administrados por políticos, cujo único conhecimento formal que tiveram em administração é o de Marketing Eleitoral. O Banco Mundial, o FMI, o FED, o Banco Central e o BNDES são dirigidos por pessoas indicadas por estes mesmos políticos, e que também não têm nenhuma educação prática ou formal das várias competências necessárias para serem administradores destes organismos nacionais e federais. Parte-se do pressuposto que o problema destes organismos é saber o que fazer, quando na realidade a falha destes organismos é não saber implantar o que já sabem e, aliás, todo mundo já sabe. Todo jovem de 16 anos já sabe quais são nossos problemas: inefi-ciência do Estado, gastar mal, corrupção e falta de auditoria, con- xi
  12. 12. Um Brasil Mal Administrado tratação de amigos e parentes e não de profissionais para adminis-trar a coisa pública. Esta é a missão social do administrador. Mudar o Brasil. Trocar os donos do poder por administradores do bem-estar social. Tirar os amigos e parentes, conselheiros e puxa-sacos. Trocá-los por administradores éticos e responsáveis, cuja lealdade seja para com os princípios da administração, com a função do admin-istrador, e não com os interesses do Partido que os indicaram. Embora o Brasil forme administradores públicos competentes, eles são os primeiros preteridos para os principais cargos da administração pública. O escolhido é amigo de campanha ou um colega da época estu-dantil. Os Estados Unidos são a maior potência econômica não pela qualidade de suas teorias econômicas, mas pela qualidade de suas teorias administrativas. Algumas são modismos, outras funcionam. Embora a imprensa americana sempre se refira ao governo como administração Bush ou “theClinton administration”, poucos jornais brasileiros usariam a expressão administração Cardoso, Lula ou Dilma para descrever nosso governo. Lacan explica. Quarenta por cento dos colunistas americanos são gurus de administração, como Peter Drucker, Tom Peters e Michael Porter, que disseminam diariamente o mantra da eficiência, competência e boa administração. No Brasil, eles são substituídos por ex-ministros que escrevem justificando seus erros no governo e sobre como se deveria “administrar” o estrago que deixaram, como Maílson da Nóbrega na Veja, ou Delfim Netto na Folha, e como se deveria “adminis-trar” corretamente um país. xii
  13. 13. Um Brasil Mal Administrado Em pleno século XXI, temos pouquíssimos administradores com uma coluna fixa na grande imprensa brasileira. Todo jornal brasileiro tem seu caderno de Economia. Por que não criar os cadernos de Engenharia, de Sistemas, de Advocacia ou de Administração para poder ouvir as outras profis-sões que têm contribuições a dar sobre os problemas do país? No rol dos alunos famosos da Harvard Business School há dezenas de ministros que serviram ao governo. GeorgeW. Bush foi meu calouro em Harvard, onde ele apren-deu a defender a indústria americana como ninguém, algo que Fernando Henrique Cardoso obviamente não aprendeu em seu curso de Sociologia. O problema de Bush é que Harvard não nos ensinou a fazer guerra, matéria em que Saddam Hussein e Osama bin Laden eram professores. Mitt Romney foi outro colega, e se formou entre os 5% mel-hores alunos da Faculdade, e mesmo assim preferiram dar uma segunda chance a Obama. Nunca tivemos no Brasil um presidente formado em Admin-istração nem que tenha sido presidente de uma das 500 maiores empresas privadas antes de dirigir todo um país. Criticaram Lula, mas ele foi o primeiro presidente a ter pelo menos trabalhado numa das 500 maiores empresas privadas do Brasil, as Indústrias Villares. Mas esquecemos disto ao eleger a Dilma. Este livro faz parte de uma luta que teremos que enfrentar. Uma luta para que administradores profissionais e testados na prática sejam escolhidos para o primeiro escalão do governo. Executivos de primeira e ministros com experiência administra- xiii
  14. 14. tiva que tomem decisões não por critérios políticos, mas por critérios de custos e eficiência. Um projeto e tanto para salvar este país. Comente aqui http://administrador.pressbooks.com/front-matter/ 59-2/ Um Brasil Mal Administrado xiv
  15. 15. Como Mudar o Mundo Continuadamente, Constantemente, Diariamente e Não Revolucionariamente Todo jovem quer mudar o mundo. Isto é bom e ruim ao mesmo tempo. Bom, porque é uma força inovadora e idealista. Ruim, porque a maioria dos jovens não tem os conhecimentos necessários para mudar o mundo. Não estudaram organização, métodos, recursos humanos, planejamento, finanças, etc, áreas necessárias para tirar grandes ideias do papel. Pior, no Brasil e no Mundo temos um histórico de jovens e int-electuais que pregam revolução, que é justamente destruir toda a organização que existe por aí, sem nenhum conhecimento de como organizar o novo mundo. O problema de ser jovem é não entender como implantar as suas ideias de como mudar o mundo, e na maioria das vezes só pioram a situação como a turma de 1968 fez com o Brasil. Não mudaram nada e assustaram a ditadura militar prorrogando-a por mais 20 anos no poder. Existem duas formas de mudar o mundo, a forma revolu-cionária típica de partidos de esquerda, e a forma conservadora típica de partidos de direita, liberal e neoliberal. xv
  16. 16. Como Mudar o Mundo Aforma revolucionária émudar tudo que está aí, de preferência de uma vez só. Parte da premissa de que “tudo que está aí” é inútil e precisa ser mudado. Daí o termo revolucionário. A forma ultra conservadora acha que o mundo não precisa de muitas mudanças, que o problema reside nas mudanças equivo-cadas já feitas, daí o termo “conservador”. Quero que o leitor aceite uma terceira opção. A do administrador e administradores. Uma das nossas funções é realizar mudanças constantemente, pequenas suficientes para serem incorporadas por todos, mas sempre mudanças porque o mundo é mutável e inconstante. A opção que observa o que nossos antepassados construíram de bom, e mudar aquilo que é ruim. Concentrarmos mais em ten-tar disseminar as boas práticas, as melhores, as mais eficientes, replicar as boas soluções. Normalmente os progressistas, que também querem mudar o mundo como nós, se concentram em eliminar o que eles veem de ruim, a ponto de querer mudar “tudo que está aí”, criar o “novo”, implantar ideias nunca antes testadas. Só que mudanças bruscas e revolucionárias, como todo admin-istrador aprende, têm enormes chances de dar errado, e ao invés de melhorar pioram a situação. Normalmente queremos testar ideias novas e revolucionárias cientificamente, com calma, num beta test ou num “projeto piloto”, antes de adotar para toda a população de uma forma revolu-cionária. Algo que nós administradores sabemos fazermuito bem, e faze-mos o tempo todo. xvi
  17. 17. Como Mudar o Mundo Infelizmente, nossos jovens revolucionários e os professores que os incentivam não acreditam em “pesquisa demercado”, “beta tests”, plano piloto, “best practices”, escolas modelos, que deveriam primeiro fazer testes antes de generalizar, e partem para a tomada de poder, a revolução. Acham que o sistema já é podre na sua essência, que solução teórica e ótima não precisa ser previamente testada. Ou, se frus-traram nas várias tentativas de implantar melhorias que não deram certo. Por isto o Administrador é tão importante como mediador dos conflitos naturais de uma sociedade. Lidamos com conflitos diariamente. De todos os revolucionários da história nenhum era admin-istrador, ou que tivesse feito um curso de administração que já existia na França desde 1802. Nenhum trabalhou numa empresa, por exemplo: Karl Marx, Hegel, Rosa Luxemburg, Lenin, Mao Tsé-Tung, Fidel Castro. Nenhum foi treinado para implantar pro-jetos nem medir o sucesso na prática, e deu no que deu. Administradores não se frustram com tudo o que está errado por aí. Sabem que mudanças sempre partem do existente, começar do novo é fórmula para o desastre. Também percebem como tudo está mudando diariamente: os seus departamentos, hospitais, escolas e empresas. Oproblema é generalizar tudo e disseminar estas melhorias rapidamente, mais do que destruir tudo que está aí e começar do zero. Revolução para o Administrador são as ideias que foram implantadas rapidamente em cima do que já existia, como por exemplo, o uso do computador. Revolução para os não administradores é tomar o poder seja xvii
  18. 18. Como Mudar o Mundo pela democracia, seja pelas armas. É dar as ordens certas, as dire-trizes certas que todos precisam obedecer imediatamente. Vejam as resoluções do Partido em cada país que adotou essa linha administrativa. Acham que o mundo é ineficiente por ide-ologia ou por falta de vontade política, e não por incompetência administrativa. Por isto a maioria dos administradores é de esquerda na agenda social, mas na forma de implantar esta agenda social é de centro direita. Curiosamente todos os países, que adotaram a Revolução como forma demudar omundo,mudaram tudo que estava ali de um dia para o outro, mas nos 50 anos seguintes quase nada mudaram. Não há nada mais conservador do que isto. Stalin, Fidel Castro e Mao Tsé-Tung permaneceram 30 anos no poder, mudanças con-stantes não faz parte do ideário revolucionário. Cuba, Rússia, China, Albânia e Coreia do Norte são hoje os países que mais estagnaram nos 50 anos seguintes. Quase nada mudaram após a grande mudança revolucionária. China é uma exceção, porque passados 50 anos eles decidiram tratá-la como uma empresa, com o concurso de milhares de administradores e engenheiros de produção, que será assunto de um outro livro em breve, Introdução à Administração Socialmente Responsável. Se você é jovem e quer mudar o mundo, aprenda a ser admin-istrador ou complemente o seu curso profissional com um MBA. Aí sim, mude o mundo constantemente, diariamente, com pequenas melhorias, pequenos processos, pequenas ideias, e não destruindo tudo o que está aí, na esperança de termos um mundo melhor. xviii
  19. 19. Como Mudar o Mundo Comente aqui http://administrador.pressbooks.com/front-matter/ como-mudar-o-mundo/ xix
  20. 20. A Nova Realidade Econômica Stakeholder ou Stockholder? Boa parte da teoria econômica e política do passado parte do pres-suposto de que as empresas são criadas e controladas por empresários.Nunca imaginaram que o “capital” cairia nas mãos de administradores profissionais que poderiam ser treinados, como o foram em escolas como Harvard e Stanford a serem socialmente responsáveis. A Nova Teoria Administrativa substitui o conceito de acionista controlador como peça fundamental da empresa, para um con-ceito mais pluralista de parceiros reunidos num mesmo local para uma cooperação mútua. Aempresa é vista como a organização de vários grupos de inter-esse, empregados, clientes, fornecedores, governo e acionistas em torno de um objetivo comum. Oacionista não é mais a peça fundamental, mas um dos compo-nentes cujos interesses também precisam ser satisfeitos. A missão e função do administrador profissional, ao contrário do empresário acionista, passa a ser aquele que tenta conciliar todos estes interesses difusos.Agradando namedida do possível a todos, e não a um único grupo – o acionista. É o conceito de Stakeholder em vez do Stockholder. xx
  21. 21. A Nova Realidade Econômica Fonte http://www.ebah.com.br/ Stake, significa compromisso ou participação. Um formando que decide trabalhar numa empresa, também está investindo por assim dizer na empresa, também está correndo riscos “capitalistas”, também tem algo a perder se a empresa não der certo. Idem para um cliente, fornecedor e colaborador externo. O administrador profissional pode ser agora despedido ad nutum, algo que não ocorria no acionista controlador familiar. Agora veja um diagrama de Stakeholders vs Stockholders na prática, neste caso da CHESF. xxi
  22. 22. A Nova Realidade Econômica Fonte: http://www.ebah.com.br/ e CHESF Pelo organograma da CHESF percebe-se que a preocupação das empresas é bem mais ampla. Karl Marx achava que o mundo era a luta entre duas únicas classes. A luta é muito pior, é entre dezenas de grupos de interesses. Todos com suas agendas próprias e representando demandas diferentes. Tudo isto tem de ser politicamente gerenciado por hábeis administradores profissionais. O que Marx, Engels, Lenin, Rosa Luxemburg e tantos outros não diagnosticaram, é que os trabalhadores de chão de fábrica, assunto de suas análises, passariam a ser um dos inúmeros grupos de interesse de uma empresa, e que hoje representam somente xxii
  23. 23. A Nova Realidade Econômica 10% dos custos dessa empresa. E, as margens de lucro da empresa seriam até menores, de 4% sobre vendas. Esta perda de poder do Stockholder, do acionista, que de con-trolador e majoritário passou a ser minoritário e sem muito poder de decisão, veio acompanhada de uma tendência contrária de for-talecimento do administrador em relação aos acionistas, agora minoritários. Mais do que maximizar o lucro, minimizar o custo de capital se tornou fator determinante para os administradores profissionais, poderíamos dizer que isto é uma guinada de 180 graus no capital-ismo de antigamente. Em vez de explorar o trabalhador pagando salários mínimos, passamos literalmente a explorar o capitalista fazendo IPOs onde se cobra P/Ls máximos. O objetivo é vender uma quota do capital da empresa pelo preço máximo, e não pagar o mínimo para nossos companheiros e trabalhadores. Para o Administrador Profissional, os funcionários da empresa são mais próximos a ele do que os acionistas pulver-izados e dispersos mundo afora. Os acionistas viraram distantes, e os trabalhadores da empresa e colegas de trabalho viraram próximos e objetos da nossa proteção. Soumembro doNovoMercado, onde se iniciou este paradigma, mas ainda são poucas as empresas que adotam esta postura. E mesmo assim, muitas empresas do NovoMercado são controladas pelo Partido ou pelo Governo Único, como o Banco do Brasil, única estatal a aderir ao novo mercado. xxiii
  24. 24. A Nova Realidade Econômica Sua missão como administrador é tentar tornar todas as empresas “capitalistas” em empresas Democráticas de capital pulverizado diminuindo o poder individual do capitalista, e aumentando o poder do Administrador. Por isto, nossa ênfase na Administração Socialmente Responsável. Comente aqui http://administrador.pressbooks.com/front-matter/ a-nova-realidade-administrativa/ xxiv
  25. 25. O Verdadeiro Significado da Palavra Gestão Gestão É Um Termo Que Administradores Não Deveriam Usar Muitos administradores usam a palavra gestão como sinônimo de administração. Gestão vem de Gesto, Gesticulação. Gestores eram aqueles que gesticulavam, que apontavam com o dedo indicador, 200 anos atrás, onde o carregamento de alimentos deveria ser deixado ou estocado. Ou apontavam quem deveria fazer uma tarefa. “Coloque este fardo aqui.” “Você, venha já.” xxv
  26. 26. O Verdadeiro Significado da Palavra Gestão Gestores ainda usam termos como: “indicadores” de produção, “apontar” uma solução, “apontamentos” de uma reunião, remanescentes da época em que administrar era basicamente apontar com o indicador a direção a seguir. Isto não é Administração do Século XXI, isto é gestão do Século XVI. Quem usa o termo Gestão está 500 anos atrasado, e pior, nem sabe disto, porque normalmente são aqueles que não são forma-dos em Administração, e não querem admitir o fato. Administrar não é mais mandar. Nem dirigir os estoques para serem colocados aqui e ali. Administradores nem dirigem mais, não somos mais dirigentes nem diretores. Somos criadores de sistemas, adoramos empresas que andam xxvi
  27. 27. O Verdadeiro Significado da Palavra Gestão sozinhas, delegamos, treinamos, damos poder aos nossos colegas contratados. Administrar vem de servir, como em ministério, ministrar, ser religioso. Gestores por outro lado querem gesticular sobre tudo. Dão ordens, dão murros na mesa. Gritam para subordinados que não cumprem as ordens. É o estilo Comand and Control das organizações militares. Se você usa ainda o termo Gestão, cuidado. Eu sei que muitos Administradores usam o termo Gestão como sinônimo. Mas tenho notado que quem usa Gestão normalmente não é um Administrador formado e usa este termo como porta de entrada. Quem não é formado em Administração usa normalmente o termo Gestor, que é o único que eticamente ele ou ela pode usar. Semelhante ao uso do Termo Bispo, para aqueles que não fiz-eram Teologia, nem foram confirmados como tais pela Igreja Católica. Portanto, ao contrário da Igreja Católica, eu acho que temos defender os nossos termos daqueles que a usurpam, mesmo que alguns Administradores sintam que o termo já era nosso. Mas não é. Não mais. xxvii
  28. 28. O Verdadeiro Significado da Palavra Gestão Se quiser continuar o termo, fique a vontade. Mas você está mostrando para todo mundo que acredita que administrar é dar ordens para subordinados. Esta não é a missão de um administrador. Comente aqui http://administrador.pressbooks.com/front-matter/ o-verdadeiro-significado-da-palavra-gestao/ xxviii
  29. 29. O Que Falta Para o Brasil Dar Certo? Uma Linguagem Comum Em Prol da Eficiência Desde a ditadura militar, o Brasil segue a visão economicista, que acredita que o desenvolvimento depende exclusivamente da esta-bilidade econômica, algo que se persegue há 50 anos, sem sucesso. Esta visão acredita que basta um ambiente econômico propício, que o crescimento emergiria naturalmente. Espontaneamente, como segue a cartilha da Escola de Chicago. Infelizmente, não é bem assim. Já se foi o tempo de Adam Smith, John Maynard Keynes e Karl Marx, que acreditavam que um pouco de ganância e capital seriam suficientes para gerar empresas e empregos. Já se foi o tempo em que “agentes econômicos”, com um mínimo de “espírito empreendedor”, abriam empresas bem-sucedidas. Esta é a visão que reina neste país. Basta uma boa política econômica, que os empresários farão o resto. Hoje em dia, para montar uma empresa e ter sucesso, são necessários sólidos conhecimentos práticos e teóricos de adminis-tração de empresas. Oitenta por cento das empresas brasileiras quebram nos xxix
  30. 30. O Que Falta Para o Brasil Dar Certo? primeiros cinco anos, por cometer um dos 100 erros banais citados nos livros de administração. Só que o Brasil formou nestes últimos vinte anos menos de 250.000 administradores de empresas. O Conselho Federal de Administração tem menos de 90.000 inscritos. Por isto temos uma taxa de poupança tão baixa. A poupança que temos é desperdiçada em empresas que jamais darão certo. Aí está a principal razão para o nosso atraso, a desorganização de nosso Estado e a estagnação econômica. Com 4.650.000 empresas, nem sequer temos um administrador por empresa, que permita que problemas não acumulem e atolem de vez a empresa. Pela falta crônica de administradores formados, temos médicos que administram hospitais, enfermeiros que tocam laboratórios de análises, e engenheiros mecânicos que administram carteiras de ações. Um desperdício! No Brasil perdemos assim excelentes médicos e engenheiros mecânicos formados com dinheiro público e ganhamos péssimos gestores sem formação, que nem sabem o verdadeiro significado da palavra. E pior, acabam aprendendo a gerir empresas à moda antiga: errando. Os Estados Unidos tomaram outro caminho. De 1960 para cá formaram nadamenos que 8 milhões de admin-istradores de empresas. É a profissão mais frequente, com 19% do total de 50 milhões dos americanos formados. xxx
  31. 31. O Que Falta Para o Brasil Dar Certo? É também a que dá o tom, a filosofia, o modus operandi de toda a economia americana. É o segredo bem escondido da economia americana. Nossos economistas levaram 40 anos para aprender que países precisam manter reservas internacionais, algo que se aprende no primeiro ano de Administração Financeira. Só começamos a acumular reservar internacionais quando tive-mos um administrador no Banco Central. Pode uma coisa desta? Empresários aprendem com os livros de administração vendi-dos nas livrarias de aeroportos, uma péssima forma de aprender administração, a um custo social monstruoso. De 1,5 milhões de formados pelas nossas universidades federais e estaduais, somente 4,5% são de administradores de empresas. Muitos governos de esquerda inclusive foram contra esses cur-sos, coisa da direita a ser custeada pela iniciativa privada e não pelo Estado. Jamais! Eu pessoalmente pedi ao antigo Capes uma Bolsa de Estudos para um Mestrado nos Estados Unidos, e me disseram que jamais concederiam. “Peça às empresas, seu pequeno burguês.” Eu não era, era é pobre. Os próprios empresários achavam esses cursos desnecessários, já que suas empresas seriam geridas pelos filhos, treinados pela família. Em pós-graduação a situação piora ainda mais. A Harvard Business School forma por ano mais MBAs que o Brasil inteiro. Os Estados Unidos têm 2.400.000 MBAs, 10% deles trabal-hando no governo. xxxi
  32. 32. O Que Falta Para o Brasil Dar Certo? O Brasil possui no máximo 5.000 mestres em administração, e a impressão que se tem é que nenhum deles trabalha no governo. O Ministro da Fazenda acredita que o país crescerá na hora que ele achar oportuno. Os “desenvolvimentistas”, do outro lado, acham que sete econ-omistas estrategicamente colocados farão o país crescer na inten-sidade e direção que eles determinarem. Ledo engano. A mão invisível de Adam Smith não funciona mais no mundo moderno. Toda nação requer a mão firme e visível de centenas de milhares de pessoas treinadas e preparadas para criar empregos e organiza-ções. O futuro do Brasil depende da disseminação de livros como este. Vamos torcer. xxxii
  33. 33. Part I As Principais Funções
  34. 34. 1 A Função do Presidente de Uma Empresa É Olhar Para Fora da Empresa, Não Para Dentro A função do cargo de Presidente, seja de uma empresa, seja de uma nação, é pensar grande, pensar no todo. Infelizmente no Brasil, temos uma visão equivocada ou melhor atrasada da função do administrador/a, que muitos confundem com a de gestor, termo ainda muito usado no Brasil. Como vimos no capítulo anterior, gestor era aquele que fazia gestos, gesticulava e apontava quem deveria fazer o quê. Rima com Feitor. Administrar para esta linha de pensamento era dar ordens. “Empregados” não tinham uma função a realizar. “Empregado” tinha que obedecer as ordens do Gestores, justa-mente em troca de um “emprego”. Administração não é nada disso. 2
  35. 35. Stephen Kanitz Administração é criar um sistema operacional de tal forma que a empresa ande sozinha. Sem que precisemos dar ordem alguma. Administradores não possuem “empregados”. Administradores possuem funcionários, pessoas que treinamos para exercerem uma função. Uma função que independe de estarmos dando ordens a torto e direito. Eles já sabem o que fazer. Não somos Gestores, somos talvez Supervisores. Na maior parte do tempo podemos até não fazer nada, até que um problema surja que necessite da nossa atuação. Ou, até que um funcionário fique na dúvida sobre o que fazer e nos peça uma opinião. Para a Teoria da Gestão, o Presidente da Empresa é o dirigente supremo. Ele é quem decide tudo. Tudo passa pela mão dele. É a visão do empresário. Do Gestor Familiar. Do capo supremo. Da máfia inclusive. A visão daqueles que acreditam que “É o Olho do Dono é Que Engorda o Gado”. A verdadeira função de um Presidente na visão da Teoria da Administração é olhar para fora da empresa. Não para dentro, dando ordens para todo mundo. A Missão do Administrador é cuidar da empresa para fora, não empresa para dentro. É cuidar das relações com a sociedade, com o governo, cuidar de 3
  36. 36. alianças estratégicas, da expansão da empresa, com as vendas no exterior. Foi o estilo Lula, que vivia viajando pelomundo afora, criticado constantemente pelo seu Aero Lula, bem diferente do estilo Dilma, que administrava o Brasil para dentro, seus ministros e secretários, cobrando resultados, dando esporros de tempos em tempos. O Presidente “Administrador” tem tempo para cuidado do futuro, da expansão dos negócios, porque a empresa, lembre-se, anda sozinha, ou praticamente sozinha. Lula foi um administrador neste sentido. Justamente porque cuidou do Brasil para fora, e como fruto desse esforço o Brasil teve um prestígio jamais visto, até vir a Dilma. Dilma é uma Gestora, o que faz parte de seus problemas, e do Brasil. Ela vê seu cargo de Presidente como uma controladora de gas-tos, da corrupção, realiza o micro-management, que deveria ser feito pelos seus Ministros e não por ela. Ela nem tem tempo para supervisionar 39 Ministros e 230 Secretários. Suas reuniões Ministeriais são totalmente improduti-vas, a maioria dos participantes nem abre a boca. Bastaria ler a ata da reunião. A Missão do Administrador 4
  37. 37. Stephen Kanitz Mas todos os seus Ministros escolhidos também não entendiam absolutamente nada de administração. E as consequências estão aí. E como ela está descobrindo, Gestor não tem tempo para tudo isto, fica atolado controlando todas as áreas de sua empresinha. Verdade seja dita que nosso governo não anda sozinho. Esta é a missão de vocês jovens administradores. Agir politicamente para mostrar que o Brasil está 500 anos atrasado e exigir que o país seja administrado por admin-istradores, aqueles que têm tempo para pensar no todo, no Brasil, no Brasil para fora e não para dentro. 5
  38. 38. Presidentes que pensam estrategicamente para ampliar os negó-cios, e não ficar atolados nos problemas internos que se acumulam dia a dia. A Missão do Administrador 6
  39. 39. 2 Administrar é Ter Acabativa Saber Acabar o Que Você Iniciou Iniciativa é a capacidade que todos nós temos de criar, iniciar pro-jetos e conceber novas ideias. Algumas pessoas têm muita iniciativa e outras têm pouca. Iniciativa tem sido um atributo cantado em verso e prosa por filósofos, cientistas, economistas e políticos. Uma das correntes políticas mais discutidas chama-se inclusive “livre iniciativa“. Vou mostrar neste artigo que todos estão equivocados. De nada adianta “livre iniciativa” sem uma classe na sociedade preocupada com acabativa. Acabativa é um neologismo que significa a capacidade que algu-mas pessoas possuem de terminar aquilo que iniciaram ou con-cluir o que outros começaram. 7
  40. 40. A Missão do Administrador É a capacidade de colocar em prática uma ideia e levá-la até o fim. Os americanos dividem o mundo em duas categorias, os dream-ers e os doers, os sonhadores e os fazedores. Mas os seres humanos podem ser divididos em quatro grupos, dependendo do grau de iniciativa e/ou acabativa de cada um: os empreendedores, os iniciativos e os acabativos e os mantenedores 8
  41. 41. Stephen Kanitz * Empreendedores são aqueles que têm iniciativa e acabativa. Um seleto grupo que não se contenta em ficar na ideia e vai a campo implantá-la. São estatisticamente muito raros. Menos de 1% da população. São os Thomas Edison, Bill Gates, Steve Jobs, Irineu Evangelista (o Barão de Mauá), e muitos outros. * Iniciativos são os criativos, os que têm mil ideias, mas abomi-nam a rotina necessária para colocá-las em prática. São filósofos, cientistas, professores, intelectuais. Acabativa é o ponto fraco desse grupo. São os Thomas Moore, os Karl Marx, os AugustoCompte, osRousseau que sonhavam com uma sociedade melhor, mas nunca delinearam como estas sociedades funcionar-iam de fato, achando que o amor e a fraternidade resolveriam todos os problemas operacionais. São os sonhadores utópicos. * Acabativos são aqueles que gostam de implantar projetos. Sua atenção vai mais para o detalhe do que para a teoria. 9
  42. 42. A Missão do Administrador Não se preocupam com o imenso tédio da repetição do dia-a-dia e não desanimam com as inúmeras frustrações da implantação. Nesse grupo está a maioria dos executivos, empresários, admin-istradores e engenheiros. A ênfase que muitos no Brasil estão dando ao empreendedor é equivocada. Eles são muito raros e normalmente veem prontos, não dá para formá-los em MBAs e universidades. Como iremos ver, o que o Brasil deveria esta incentivando é a formação de Acabativos, e incentivar a cooperação dos Iniciativos com os Acabativos. Este grupo representa 80% da população e não somente 1%. Esta é outra Missão do Administrador. Terminar o que 40% da população inicia mas não termina. Essa singela classificação explica muitas das contradições do mundo moderno. Empresários, normalmente associados à “livre iniciativa” desco-brem rapidamente que ficar implantando suas próprias ideias é coisa de narcisista. E portanto, egoísta. Existem muito mais pessoas com excelentes ideias do que pes-soas capazes de implantá-las. É por isso que empresários ficam ricos e intelectuais, profes-sores – entre os quais me incluo - morrem pobres. Temos ideias, mas não sabemos implantá-las. Mesmo se soubéssemos, jamais implantaríamos ideias de outros intelectuais. No ramo intelectual o narcisismo e o egoísmo imperam, justa-mente o contrário do que pregam. Se Bill Gates tivesse se restringido a implantar suas próprias ideias teria parado no Basic. 10
  43. 43. Stephen Kanitz Ele fez fortuna porque foi hábil em implantar as ideias dos out-ros – dizem as más línguas que até copiou algumas. Essa classificação explica porque intelectual normalmente odeia empresário, e vice-versa. Há uma enorme injustiça na medida em que os lucros fluem para quem implantou uma ideia, e não para quem a teve. Só que uma ideia somente no papel é letra morta, inútil para a sociedade como um todo. Umdos problemas do Brasil é justamente a eterna predominân-cia, em cargos de ministérios, de professores brilhantes e com ini-ciativa, mas com pouca ou nenhuma acabativa. Para o Brasil começar a dar certo, precisamos procurar valorizar mais os brasileiros com a capacidade de implantar nossas ideias. Tendemos a encarar o acabativo, o administrador, o executivo, o empresário como sendo parte do problema, quando na realidade eles são parte da solução. Iniciativo almeja ser famoso, acabativo quer ser útil. Mas a verdade é que a maioria dos intelectuais e iniciativos não tem estômago para devotar uma vida inteira para fazer dia após dia, digamos bicicletas. Oiniciativo vive mudando, testando, procurando coisas novas, e acaba tendo uma vida muito mais rica, mesmo que seja menos rentável. Por isso, a esquerda intelectual e a direita neoliberal conviverão às turras, quando deveriam unir-se. Há um ditado chinês, “Quem sabe e não faz, no fundo, não sabe” - muito apropriado para os dias de hoje. A Função Primordial de um Administrador é ser o acabativo de uma sociedade. É se prestar para colocar em ação as ideias, e tirá-las do papel. 11
  44. 44. A Missão do Administrador O sistema que deveríamos apoiar é o de “livre acabativa“. Nem o conceito correto acertamos. No próximo capítulo revelarei a função mais nobre de um Administrador. A de realizar os sonhos dos outros. 12
  45. 45. 3 Administrar é Realizar o Sonho dos Outros O Líder Servidor Existem mais pessoas no mundo com ideias, do que pessoas capazes de implantar estas ideias. Sabemos que 4 entre 5 empresas quebram nos primeiros 5 anos de vida. Isto é um desastre mundial e brasileiro. Isto significa para 80% da população de empreendedores e seus trabalhadores um fracasso total. Tempo e dinheiro totalmente desperdiçado. Significa 80% dos trabalhadores desempregados em 4 anos, com um péssimo currículo. Significa 80% de ex-capitalistas, agora sem capital e provavel-mente com pesadas dívidas e impostos em atraso. Tudo isto seria amenizado se pudéssemos ter uma classe profis-sional com talento e treinamento em acabativa. 13
  46. 46. A Missão do Administrador Para isto precisamos motivar e treinar jovens para estarem dis-postos a realizar os sonhos dos outros. Aceitar a ajudar os criativos, os intelectuais, aqueles com ideias inovadoras a passarem do papel para a realidade. Realizar os sonhos dos outros não é uma tarefa fácil nem recom-pensadora. Significa treinar jovens que não sejam egoístas, narcisistas, arro-gantes, donos da verdade, egocêntricos e preocupados com si. Significa treinar pessoas dispostas a implantar as ideias dos out-ros, deixar os outros com a fama da inovação, deixar os outros ditarem as ideias, deixar os outros com boa parte da glória. Quem foram os administradores que colocaram as ideias de Steve Jobs em prática? Poucos sabem. Deveriam ter dividido o mérito com Steve Jobs? Sem dúvida. Mas estes administradores não se preocupam com fama, holo-fotes, dedicação aos sonhos dos outros. Nosso sonho é ajudar as pessoas com ideias a colocá-las em prática. Por isto eu discordo desta ênfase que o PSDB, o PT e o PMDB dão para o Empreendedorismo. Por isto eu discordo destas faculdades que ensinam Empreendedorismo. 14
  47. 47. Stephen Kanitz Na sua essência, Empreender é saber realizar o seu próprio sonho. É a atitude mais egoísta e egocêntrica que se pode tomar. E é o problema que o mundo ocidental enfrenta, o do egocen-trismo e do narcisismo dos nossos políticos e intelectuais. Não precisamos de faculdades que incentivem o empreende-dorismo, mas sim que incentivem a criação de uma classe de profissionais que esteja disposta a realizar os sonhos dos outros, colocando o seu próprio ego de lado. Não que nós administradores não daremos palpites, que não escolheremos o nosso jeito de implantar, e derivar daí muita sat-isfação. Mas quem irá brilhar no final é o outro, o inovador, o cri-ador. Como o anônimo pedreiro e obreiro de construção, nossa satis-fação é ver o prédio pronto. Eu realmente acredito que uma sociedade centrada no admin- 15
  48. 48. A Missão do Administrador istrador e na administradora, aqueles que se preocupam de fato com os sonhos dos outros, será a sociedade ideal. Muitomelhor que a sociedade socialista e marxista preconizada por Marx, ou a “livre iniciativa” preconizada por Milton Fried-man. A história mostra que ambos incentivam a competição de indi-víduos ou de grupos ideológicos antagônicos, digladiando-se pelo poder de mandar nos outros. Nossa cultura é toda voltada a não realizar os sonhos dos out-ros. Realizar os sonhos dos outros é considerado ser feito de bobo.Não é. Precisamos de pessoas como você, disposta a realizar os sonhos dos outros. Que aceita ser humilde, deixar a glória para o outro que teve a ideia. Estamos acima disto. Por isto na Índia havia duas castas, a dos Intelectuais, os Brah-mins com suas ideias, e os Chátrias, os administradores com a tarefa de implantá-las. Na Índia jamais deixam o “dono” da ideia 16
  49. 49. implantá-la, para não incorrer no que chamamos no Ocidente “cegueira profissional”. Por isto dizemos que só o Administrador pode salvar o Econ-omista, o Sociólogo e o Cientista Político do fracasso, porque trazemos para a realidade suas teorias nem sempre malucas, mas normalmente mal executadas quando executadas por eles mes-mos. Realizar os sonhos dos outros requer um tipo de ser humano infelizmente raro. Um ser humano desapegado de si, confiante o suficiente em si para deixar os outros brilharem. Um ser humano que de fato ouve os outros, que esteja disposto a servir e até obedecer os outros. Disposto a devotar uma vida onde os outros se realizam e nós seremos meros coadjuvantes. Seres humanos onde não impera a soberba, a arrogância, o autoritarismo, o egocentrismo. Espero que você seja um deles. Uma das tragédias do Brasil é que tantos jovens idealistas pref-erem ser filósofos, assistentes sociais, historiadores, jornalistas de denúncia, marxistas e revolucionários, querendo destruir tudo que está aí, em vez de dedicar a sua vida a realizar o sonho de seus concidadãos vivos e criativos. Pergunte a qualquer trabalhador do mundo se eles estão felizes com os intelectuais que tomaram o poder em nome deles. Per-gunte se estes intelectuais de fato realizaram os sonhos dos trabal-hadores do mundo e dos trabalhadores brasileiros. O caminho para melhorar o mundo não passa pelo Marxismo nem pelo Liberalismo, mas por uma classe de profissionais compe-tente em administração e cooperação humana, disposta a servir os outros. Stephen Kanitz 17
  50. 50. A Missão do Administrador Esta é a nossa missão. 18
  51. 51. 4 Administrar é Nunca Acumular Problemas O Ótimo é o Maior Inimigo do Bom O segredo para o sucesso de toda família, empresa e governo é nunca acumular problemas. Este é o segredo da administração profissional. 19
  52. 52. Quando problemas acumulam, o diagnóstico dos problemas seguintes fica mais difícil. As soluções ficam mais complicadas, a implementação fica mais comprometida, e a avaliação dos resultados fica bem mais ques-tionada. O vigésimo problema é na realidade consequência do oitavo problema não resolvido. O décimo quinto, consequência do terceiro. Aí, você terá enormes problemas ao discutir “prioridades”, quais dos 20 problemas atacar primeiro, e para piorar a sua situ-ação os escolhidos não serão o primeiro, segundo e terceiro como deveriam ser. A Missão do Administrador 20
  53. 53. Stephen Kanitz Por isto administradores profissionais são tão necessários em empresas, governos e até para administrar conflitos familiares. A primeira função do administrador é nunca permitir prob-lemas acumularem. Por isto somos chatos, queremos tudo para ontem. Eles se dedicam integralmente para que problemas não se acu-mulem, facilitando a vida de todos os envolvidos. Por isto mulheres estão cada vez mais sendo requisitadas para cargos administrativos. Elas possuem a maioria das qualidades que se espera de um administrador moderno. Ou como já coloquei anteriormente, a AdministraçãoModerna incorpora muitos dos valores que consideramos mais femininos do que masculinos.Oque torna o homem administrador não mais feminino, como imaginariam alguns, mas mais humano. Como sempre, estamos sugerindo o caminho do meio, admin-istradores menos autoritários e agressivos, e administradoras mais efetivas e incisivas. Pergunte a um engenheiro, advogado ou psicólogo qual é o estilo gerencial do administrador comum, e eles provavelmente também usariam um único adjetivo. Provavelmente nos definiriam de “imediatistas”, preocupados com lucros de curto prazo, como Paul Krugman e seus colegas não param de escrever no New York Times. Administradores, segundo a visão popular, querem tudo para “ontem”, vivem dizendo que “o ótimo é o inimigo do bom”, que precisamos mais de “acabativa” e não de iniciativa. Algo que uma mãe já sabe intuitivamente que é a única forma de gerenciar uma família. “Vamos promover um debate e consultar as bases” não é admin-istrar, mas sim postergar. 21
  54. 54. A Missão do Administrador Infelizmente, a maioria dos administradores não consegue provar a sua utilidade nem sabe explicar exatamente o que faz. Por isto, eles não ganham o que merecem, por isto não são val-orizados. Muitos acham que administrar é liderar, executar, coordenar, valores essencialmente masculinos. Isto está até escrito em inúmeros livros de Administração ado-tados pelas nossas Faculdades de Administração. Uma organização complexa, que é a empresamoderna, requer a cooperação de milhares de pessoas, dentro e fora da empresa. E isto inclui cooperação de mulheres em postos de comando, algo que a civilização europeia, americana e brasileira estão longe de implantar. E, esta cooperação multipessoal gera inúmeros problemas que se não forem solucionados a tempo afetarão todos os parceiros envolvidos na empresa. Não permitir que problemas se acumulem talvez seja a tarefa mais importante para o bom andamento de toda família, empresa e nação. Quando o mundo era gerido por açougueiros, padeiros e fábri-cas de alfinetes, como observou na épocaAdam Smith, de fato não havia muitos problemas “acumulados”. Nem havia necessidade para se contratar administradores. Tudo funcionava pela Mão Invisível do mercado. Hoje, o mundo é bem mais complexo e rápido, razão pela demanda crescente de profissionais em administração. Toda empresa e nação precisa de um corpo de profissionais treinado e dedicado a resolver os problemas de forma rápida. Não somos imediatistas como muitos acreditam, nós simples- 22
  55. 55. Stephen Kanitz mente estamos evitando que problemas se acumulem um atrás do outro, e nestes casos rapidez de raciocínio e ação são essenciais. Por isto, nós nos preocupamos tanto com acompanhamento, qualidade total, processos, auditoria, recursos humanos, etc. Infelizmente, não é assim que a maioria dos intelectuais brasileiros que ocuparam tantos cargos de destaques neste país pensam. Toda a filosofia de ensino, pelo menos a partir do iluminismo e cientificismo, é voltada para resolver problemas corretamente, até a segunda casa decimal. Rapidez, só no vestibular. Países dominados por professores acadêmicos, como o Brasil, estão fadados ao atraso. Para um acadêmico, todos os dados precisam ser precisos e rechecados. Decisões são postergadas até “termos melhores dados“. Um acadêmico precisa estar “absolutamente certo”, prefere não tomar uma decisão se não tiver todos os dados necessários. Quando se acusa o PSDB de ficar sempre em cima do muro, na realidade se comete uma injustiça. O PSDB, que é um partido de acadêmicos e intelectuais, sim-plesmente é mais demorado na tomada de decisão, como todo int-electual. Eles vivem pensando, literalmente. 23
  56. 56. A Missão do Administrador Só que resolver problemas corretamente hoje em dia não é o sufi-ciente. Eles precisam ser resolvidos rapidamente, algo que nossos for-madores de opinião, jornalistas e acadêmicos simplesmente não compreendem. Temos que tomar decisões com os dados que temos, não com os dados que gostaríamos de ter. O Brasil é um país atrasado porque estamos eternamente acu-mulando problemas. É tão óbvia esta constatação que é um espanto que a nossa opinião pública, nossos intelectuais e professores de história nunca perceberam esta simples verdade da história brasileira. Quando se diz que precisamos fazer a Reforma Política, a Reforma Tributária, a Reforma Judiciária, o que queremos dizer é 24
  57. 57. Stephen Kanitz que deixamos tantos problemas se acumularem nestas áreas que somente uma ampla reforma resolverá o problema. Se tivéssemos resolvido os problemas na medida que surgiram, o Brasil teria evoluído, teria caminhado para um sistema ótimo, em vez de termos que criar revoluções e enormes reformas de tem-pos em tempos, que no fundo nos atrasam ainda mais. Temos problemas no judiciário, na previdência, na logística, na infraestrutura, na educação, na economia, simplesmente porque não temos um estilo gerencial que se preocupa com a rápida solução de problemas. E problemas que se acumulam crescem exponencialmente, não linearmente, como todo administrador sabe por experiência. Quatro entre cinco empresas quebram no Brasil porque são geridas por profissões que não percebem que problemas não podem se acumular. Aí, qualquer crise ou evento fora do comum as abate. Nenhuma empresa quebra por uma única razão, nenhum avião 25
  58. 58. A Missão do Administrador cai por causa de um único problema. Estas quatro empresas que-bram a um custo de capital monstruoso para o país, por falta de um estilo gerencial apropriado. O Brasil não poupa o suficiente para crescer; e pior, torramos 80% desta poupança em empresas que irão quebrar em quatro anos. Eu não diria, e nunca disse, que o estilo gerencial do/a admin-istrador/ a é superior ao do/a engenheiro/a, do advogado/a ou con-tador/ a. Infelizmente, estas profissões se sentem ameaçadas pelos administradores à toa. E se mostrarmos que mulheres são exce-lentes administradoras, as ameaças se tornam maiores ainda para aqueles que não entendem de administração. Não queremos comandar, gerir, tomar o lugar de ninguém, nem mesmo as administradoras, embora muitas feministas coloquem isso como meta. Quero deixar claro para todo empresário, sociólogo, engenheiro e político que possam se sentir ameaçados, que o estilo do/a administrador/a não é superior. Ele é simplesmente necessário. Não podemos permitir que nossos problemas se acumulem sim-plesmente porque cada profissão acha que seu estilo gerencial é superior. Nós administradores aceitamos que engenheiros sejam perfec-cionistas, que advogados sejam detalhistas, que economistas queiram dados precisos, mas tudo isto tem de ser adequado para não atrapalhar os outros dentro da empresa ou do governo. Não podemos ficar esperando enquanto os outros seguem seus estilos individuais. Engenheiros, advogados, contadores enfim, precisam entender que seus estilos gerenciais podem ser superiores e apropria- 26
  59. 59. Stephen Kanitz dos quando se trabalha sozinho, mas quando se trabalha em grupo é necessário conciliar. Trabalhando em grupo, um simples atraso numa reunião atra-palha os outros, imagine um problema que não foi solucionado por anos a fio. Quando vejo acusarem administradores e empresários de “ime-diatistas”, que pensamos somente no curto prazo, percebo que estas pessoas nada entendem das funções do administrador, de crescimento, de justiça social, de democracia e de um mundo feliz cheio de realizações, porque tudo é feito na velocidade necessária. Se você está cansado de um país estagnado, que cresce aquém de suas possibilidades, que acumula pobreza, corrupção, injustiça e inúmeros problemas, converse mais com um administrador. Ele o ajudará a decidir e implantar suas ideias muito mais rapi-damente do que você vem fazendo até hoje. Mais do que ninguém elas sabem que problemas não podem ficar sem solução por muito tempo, enquanto o maridinho fica pensando por aí. O problema do Brasil é que devido a 50 anos de gestão acadêmica deixamos dezenas de problemas acumularem e agora a grande discussão é qual resolver primeiro, já que não temos recur-sos para resolver todos. Tudo isto exige preparo, treinamento, um código de ética, uma visão epistemológica do mundo, uma determinação e uma cor-agem que leva tempo para ensinar. Por isto o curso de Adminis-tração não é para qualquer tipo de pessoa, ele não combina com alguns tipos de personalidade, especialmente os perfeccionistas, por exemplo. Se sua empresa, seu governo ou suaONG anda devagar, parada porque acumulou problemas demais e agora não consegue 27
  60. 60. A Missão do Administrador resolvê-los, contrate um administrador profissional, alguém treinado para resolver problemas de forma competente. Mas contrate antes disto tudo acontecer porque senão será tarde demais, e não haverá muito que um administrador possa fazer, a não ser lentamente fechar as portas de sua empresa ou organização. Como administradores conseguem sucesso numa área onde tantos fracassam como os empresários, empreendedores, políticos e governo? Lei Número 1. Problemas precisam ser identificados logo que ocorrem. Administradores irão implantar um complexo sistema de avali-ação e contabilidade, para identificar todos os problemas no nascedouro. Irão estabelecer padrões, benchmarks, orçamentos, planos, para justamente identificar problemas assim que eles ocorram. Eles estarão medindo a sua “pressão” constantemente. Lei Número 2. Problemas precisam ser resolvidos assim que ocorrem. Um dos problemas em empresas “administradas” por profis-sionais de outras áreas é que o mundo acadêmico preza análises e decisões bem feitas, de preferência perfeitas. Engenheiros, psicólogos, advogados, todos passaram pela experiência de ter tirado zero numa prova por um pequeno erro ou detalhe. Às vezes, erro de aproximação por calcular 3,9 em vez de 4,0. Isto leva a um erro administrativo que chamamos de “analysis paralysis”. Se todo problema for analisado a exaustão, a empresa para. 28
  61. 61. Stephen Kanitz Mas no mundo acadêmico nada precisa ser feito para amanhã ou ontem. Professores levam meses para corrigir provas de alunos, nunca leram a lei número um acima. Lei Número 3. Problemas precisam ser resolvidos sem termos todos os dados à nossa disposição. Isto em Engenharia e Economia seria uma heresia e uma irre-sponsabilidade. Como não saber todos os fatos antes de tomar uma decisão? Por isto não é fácil ser administrador. A responsabilidade é enorme, justamente porque tomamos algumas decisões “irrespon-savelmente” na terminologia de pessoas leigas. Fazemos isso porque sabemos que não tomar uma decisão, de ficar paralisado analisando um problema à exaustão, também é uma forma de ser irresponsável. Oque na realidade ocorre não é que tomamos decisões às cegas, mas normalmente juntamos dados com diferentes níveis de pre-cisão. Em contabilidade isto é muito claro. Os valores do Caixa são precisos até duas casas decimais, os centavos, mas tranquilamente somamos com os valores de Esto-ques e Ativo Fixo que não tem nem perto, a mesma precisão. Muitos empresários nem sabem que os dados dos Ativos das empresas são agregados com diferentes níveis de significância. Os formuladores dos Acordos da Basileia não sabem que o valor do Patrimônio dos Bancos é totalmente impreciso, justa-mente porque não se permite no Brasil a correção monetária dos balanços. E mesmo assim usam este valor para criar leis como os Acordos da Basileia, tema que não vou remoer mais uma vez aqui. 29
  62. 62. A Missão do Administrador Lei Número 4. Uma decisão mal feita é melhor do que uma decisão não feita. A primeira vez que eu ouvi este conselho, de um dos meus professores de Harvard, tive a mesma reação que você está tendo agora. Malucos, óbvio que estão brincando, não pode ser sério. O raciocínio é mais ou menos assim. Se você tomou uma decisão errada, rapidamente através dos indicadores que já estabeleceu para avaliar tudo o que você faz descobrirá que sua decisão foi equivocada. E como você é rápido, logo irá corrigir o problema. É uma questão de postura, mais do que de ciência. 30
  63. 63. 5 Administrar é Saber Delegar Aquilo Que Você Já Sabe Fazer Um dos grandes problemas dos Gestores é o pavor de delegar aquilo que não entendem. Querem centralizar tudo e poder acompanhar tudo de perto, especialmente aquilo onde sentem insegurança. Por isto, os Gestores são verdadeiros ditadores, centralizadores, desconfiados ao extremo e inseguros. Vemos isto claramente na Gestão Familiar, onde o velho patri-arca não larga o osso e não confia nem nos próprios filhos. Colocar os pés na mesa e não fazer nada, nem pensar. “Esta empresa não anda sem mim, ela precisa de mim.“ Para o Gestor Familiar, o objetivo NÃO é criar uma empresa que ande sozinha. 31
  64. 64. A Missão do Administrador Por isto a maioria das empresas familiares não sobrevive à morte do fundador. Se você quiser subir na vida, saiba delegar. Se você quer ser um Administrador, saiba delegar em vez de gerir tudo sozinho. Agora, existe um grave problema: saber delegar exige conhecer bem o assunto que você está delegando. Quem nunca estudou administração nem sabe como delegar. Muitas pessoas leigas não apreciam ou não entendem o signifi-cado de SABER delegar. Saber delegar não significa saber Como Delegar, mas sim saberO Que Está Sendo Delegado. Por isto, os acadêmicos e a maioria dos brasileiros acha que qualquer um pode ser Gestor. Basta dar os gestos e ordens necessárias para fazer uma empresa funcionar. Saber delegar é conhecer bem o assunto que você está dele-gando. 32
  65. 65. Stephen Kanitz Muitos acham justamente o contrário, que se delega aquilo que não se entende. Se você não entende de Marketing, delega-se a um executivo de Marketing que entenda. Assim, no limite, um Presidente de uma empresa não pre-cisa entender de nada, basta ter executivos de “confiança” que entendam. Que é o que acontece na maioria das empresas estatais e Min-istérios entregues a políticos de partidos aliados. Saber delegar é justamente saber o que está sendo delegado. Caso contrário, você não saberá se o que foi delegado foi bem feito. Você pode ser enganado, e muito bem enganado pelo seu confi-ado. Você também não saberá ajudar o seu delegado quando os problemas começarem a se complicar. Por isto, é muito difícil encontrar bons Presidentes de Empre-sas. Porque são pessoas que entendem um pouco de tudo, se inter-essam um pouco por tudo. Sabem dialogar com competência com todas as áreas de uma empresa. Podem não saber os detalhes, mas sabem o que é essencial. Muitos leitores se surpreendem que eu escrevo sobre muitos assuntos diferentes como casamento, família, ciência, economia, dança de salão, etc… Nós administradores somos treinados a nos interessar por tudo. Somos fuçadores por excelência. Estamos procurando sempre a essência das coisas. 33
  66. 66. 6 Administrar é Por Fim a Incompetência Todo Mundo Tem Que Ser Incompetente? Casar com a filha do dono da empresa, arrumar emprego público, ter padrinho político ou obedecer piamente às ordens do chefe eram, em linhas gerais, os caminhos para o sucesso no Brasil. QI no Brasil é sinônimo de “quem indica”. Ter um MBAno exterior, falar cinco idiomas, desenvolver nova tecnologia, caminhos certos para o sucesso no Primeiro Mundo, em nada adiantavam no Brasil. Fui um dos primeiros brasileiros ame formar pela Harvard Busi-ness School, achando que eu seria cortejado para ser professor titular da FGV, eleito para uma diretoria do Conselho Regional de Administração, cortejado pelo Ministério da Educação, convi-dado para assessor do Presidente da FIESP, ter dezenas de head hunters querendo a minha cabeça. Nada disto aconteceu. 34
  67. 67. Stephen Kanitz Competência no Brasil é justamente uma ameaça ao status quo dos medíocres. E são os medíocres que infelizmente dominam o país. Sua missão será mudar esta visão de mundo. Visão de mundo inclusive incentivada pela classe de intelectu-ais e os formadores de opinião, na maioria tão medíocres quanto. Muitas empresas brasileiras ainda preferem mamar nas tetas do governo, do BNDES, com créditos subsidiados, numa economia protegida por acadêmicos no poder, do que gerar competência própria. Até um perfeito imbecil toca uma empresa brasileira naquelas condições. Fato que irrita sobremaneira a esquerda e os nossos intelectuais marxistas, com toda razão. Contratar pessoas competentes, além de não ser necessário, era desperdício de dinheiro. Competência num ambiente desses não tem razão para ser val-orizada. Até hoje no Brasil, os jovens não veem necessidade de adquirir conhecimentos. Acham que o objetivo é passar de ano. Felizmente, tudo isso já está mudando. Empresários incompetentes estão quebrando ou vendendo o que sobrou de suas empresas para as multinacionais. Por muitos anos, no Brasil, quem tivesse um olho era rei. Daqui para a frente, serão necessários dois olhos, e bem abertos. Sai o improvisador e o esperto, entra o Administrador formado em cooperação e treinamento. A Função Social do Administrador é promover e treinar a com-petência. É identificar aqueles que têm talento e supervisioná-los. 35
  68. 68. A Missão do Administrador É medir os resultados dos velhos incompetentes e sugerir que se retirem de cena. A regra básica daqui para a frente é a competência, e não a fili-ação política, a amizade ou o parentesco. Competência profissional, experiência prática e não teórica, habilidades de todos os tipos. De agora em diante, seu sucesso será garantido não por quem o conhece, mas por quem confia em você. Estamos entrando numa nova era no Brasil, a era da meritocra-cia. Felizmente, para os jovens que querem subir na vida, o mérito será remunerado e não desprezado. Já se foi a época em que o melhor aluno da classe era ridicular-izado e chamado de CDF, o Cu de Ferro, nome que dávamos para quem estudava e sabia a matéria, em vez de fazer política estudan-til. Se seu filho de classe média não está levando o 1º e o 2º grau a sério, ele será rudemente surpreendido pelos filhos de classes mais pobres, que estão estudando como nunca. As classes de baixa renda foram as primeiras a perceber que a era do status quo acabou. Hoje, até filho de rico precisa estudar, e muito. Há vinte anos eram poucas as empresas brasileiras que tinham programas de recrutamento nas faculdades. As empresas administradas por administradores colocam esta meta em primeiro lugar. Hoje, as empresas possuem ativos programas de recrutamento nas faculdades não somente aqui, mas também no exterior. Os 200 brasileiros que estão atualmente cursando mestrado em administração no exterior estão sendo disputados a peso de ouro. 36
  69. 69. Stephen Kanitz Infelizmente, os milhares de jovens competentes de gerações passadas acabaram não desenvolvendo e tiveram seu talento tol-hido pelas circunstâncias. Talvez eles não tenham mais pique para desfrutar essa nova era, e na minha opinião esta é a razão da profunda insatisfação atual da velha classe média. Mas os jovens de hoje, especialmente aqueles que desen-volveram um talento, os estudiosos e competentes, poderão final-mente dormir tranquilos. Não terão mais de se casar com a filha do dono, arrumar um padrinho, aceitar desaforo de um patrão imbecil. O talento voltou a ser valorizado e remunerado no Brasil como o é mundo afora. Talvez ainda mais assustador é reconhecer que o Brasil não será mais dividido entre ricos e pobres, mas sim entre competentes e incompetentes. Os incompetentes que se cuidem. ( Publicado originalmente na Revista Veja edição 1536 ano 31 nº 9 de 4 de março de 1998 ) 37
  70. 70. 7 Administrar é Saber o Intervalo Entre Ação e Reação Nada é Instantâneo no Mundo Real, Só na Teoria Você pede desculpas ao seu marido, mas ele continua brigando. Você traz flores para a sua esposa, só que ela não o perdoa no ato. Infelizmente, ação e reação instantâneas só acontecem na física. Na psicologia, nas finanças, na economia, nas empresas, nas relações de trabalho sempre existe um intervalo demorado entre ação e reação. Não saber avaliar corretamente o intervalo de reação da sua esposa, do seu chefe ou de uma política econômica tem sido a principal causa dos conflitos entre seres humanos. Não saber ao certo esse intervalo causa enormes problemas. Primeiro, nunca se consegue avaliar se: 38
  71. 71. Stephen Kanitz 1) suas políticas fracassaram, ou se 2) você errou nas estimativas do intervalo de reação, ou se 3) você errou na dose da ação inter-ventora. Quando uma política econômica ou social não dá os resultados esperados, os que a implantaram invariavelmente se defendem pedindo mais tempo. É sempre assim, nunca aceitam que erraram na política ou na medida econômica. Aí temos o famoso problema administrativo do culpado fazer “mais domesmo“, aumentando a taxa de juros, pedindo mais verbas para segurança e educação. Aumentam a dose da medida em vez de abandonar a ideia por inteiro. Aí elevam ainda mais os juros dando maiores subsídios, aumen-tando ainda mais os gastos públicos, e assim por diante. Foi dessa forma que nossos juros, nossos impostos, os gastos de governo foram subindo, subindo, subindo, em vez de se mudar a política econômica. Só quando a política está prestes a arruinar o país é que semuda a equipe e sua nefasta política. Muitas vezes se faz o movimento diametralmente oposto, que também não é necessariamente a solução correta. Essas duas políticas, “mais da mesma coisa” e “guinada de 180 graus“, resumem praticamente 95% das políticas econômicas implantadas neste país nos últimos 35 anos.Ofamoso “stop and go” que faz até parte da literatura econômica. Agora imaginem, em vez de lidar com uma única variável, tipo juros, e seu intervalo de reação, temos que lidar com cinco ou mais variáveis ao mesmo tempo. Quem já tomou banho de chuveiro em casa antiga sabe como é 39
  72. 72. A Missão do Administrador difícil ajustar a temperatura quando é grande o intervalo de reação entre abrir a torneira de água quente e ter um fluxo de água na temperatura desejada. Requer paciência, num vai e vem sutil, requer disciplina. Imaginem agora acertar a temperatura com cinco torneiras e cinco intervalos de reação diferentes e desconhecidos. Isto é o que nós administradores fazemos todo dia. E não são 5 mas 50. Tentamos calibrar a dose certa e observar os efeitos antes de agir novamente. As doses são homeopáticas e impera a paciência. Agora imaginem tentar controlar as duzentas variáveis necessárias para desenvolver um país. “Vamos usar todas as medidas que forem necessárias.“ Mas se com uma única variável já é complicado os economistas acertarem a mão, imagine com 10 “medidas macro prudenciais“. Lidar com 50 variáveis ao mesmo tempo é a tarefa do Admin-istrador, uma das razões que as mulheres têm se destacado nesta área cada vez mais. Administradores são treinados para lidar com 50 variáveis ao mesmo tempo, e não somente duas ou três como juros e câmbio, inflação e emprego. O mundo do administrador é muito mais complexo que o do economista. Lidar com 50 variáveis ao mesmo tempo é a seara da Adminis-tração e não se aprende isso somente em quatro anos de teoria. 40
  73. 73. 8 Administrar é Ter Que Lidar Com Problemas Brochantes Ninguém Quer Tirar o Lixo e Lavar a Louça Nossa educação, cultura, nossos poetas, historiadores e escritores escrevem milhares de textos contando os efeitos e as glórias daqueles que resolveram as grandes questões da humanidade. Aqueles que lidam com as grandes perguntas da ciência, da filosofia, da política, que vou chamar de Perguntas Edificantes. Perguntas que uma vez respondidas nos permitiram o uso da luz, do rádio, do voo à lua, da internet, da eliminação da pobreza, da melhor distribuição da renda. Estes são os heróis das novas gerações. Responder as Perguntas Edificantes dá fama e prestígio. Devido a este viés infeliz da nossa cultura, somente assim você irá se tornar herói,merecedor de um Prêmio Nobel, de uma entre- 41
  74. 74. A Missão do Administrador vista em jornal, de pertencer a uma academia exclusiva de notáveis. Não é por acaso que todo jovem quer se tornar engenheiro, cientista político, sociólogo, jornalista, juiz, economista, e dedicar a sua vida para resolver estes problemas edificantes de justiça, ciência, economia e bem-estar social. Mas o mundo moderno não é mais o mundo simples de Platão, Aristóteles, Durkheim, Kelsen e Karl Marx. Hoje, nosso problema não é mais descobrir coisas novas, mas manter as velhas funcionando. Tanto é que o edifício de nossos Edificadores está ruindo. E você sabe disto. Nosso edifício de justiça, democracia, educação e economia, está ruindo rapidamente. Opovo está cada vez mais descrente de nossos cientistas, sociól-ogos, intelectuais, e veem que o mundo melhor que prometeram está gerando aquecimento global, crises financeiras em todos os países ditos desenvolvidos, justamente os já edificados. Por quê? Muito simples, e é assustador que a maioria assustada nunca leia algo como o que mostrarei em seguida. Existe outro tipo de problema no mundo. Os Problemas Brochantes. Os Problemas Brochantes são aqueles que nos levam para trás, e não para frente. São problemas que deveríamos colocar como prioridade, mas não o fazemos. Ainda aplaudimos os que nos prometem ir para frente, igno-rando que estamos indo para trás. 42
  75. 75. Stephen Kanitz Obviamente, ninguém quer lidar com os Problemas Brochantes que cada sociedade gera. Não dá Ibope. Não ganha eleição. Ninguém quer lidar com problemas como falha de qualidade, atraso, descumprimento do planejado, roubos de produtos feitos, desvios de recursos distribuídos, intrigas entre colaboradores, falta de dinheiro para implantar soluções edificantes, pagar os impostos atrasados, resolver estes gargalos de falta de quase tudo. Ninguém quer lidar com a manutenção do edifício, sua limpeza e contabilidade de custos. Ninguém quer lidar com problemas que estão nos levando para trás, todos obviamente querem lidar com problemas que nos levam para a frente. Mas precisamos destas profissões mais e mais. A medida que nos tornamos mais civilizados e edificados, pre-cisamos mais e mais de profissões que mantêm as fronteiras do que aquelas que abrem novas fronteiras. Precisamos de profissões que sejam treinadas e estejam dis-postas a lidar com nossos problemas brochantes com criatividade e sorriso no rosto. Todo mundo quer mudar o mundo, e não manter os edifícios já existentes que os edificantes do passado construíram. Pior, nunca valorizamos as profissões que lidam com os proble-mas brochantes da sociedade. Cite um auditor, contador, fiscal, engenheiro de manutenção, psicólogo, geriatra, administrador, que tenham sido premiados com um Prêmio Nobel. Cite um auditor, contador, fiscal, engenheiro de manutenção, 43
  76. 76. A Missão do Administrador psicólogo, geriatra, administrador, que tenham sido enaltecidos e elogiados por algum blog de renome. Cite um auditor, contador, fiscal, engenheiro de manutenção, psicólogo, geriatra, administrador, que você admira porque eles cuidam dos problemas brochantes da sociedade. Agora pergunte a um auditor, contador, fiscal, engenheiro de manutenção, psicólogo, geriatra, administrador, se eles estão felizes por serem ignorados pelos nossos poetas, historiadores e blogueiros. Pergunte a um auditor, contador, fiscal, engenheiro de manutenção, psicólogo, geriatra, administrador, se eles não gostariam de serem reconhecidos, validados e motivados de vez em quando. A todo auditor, contador, fiscal, engenheiro de manutenção, psicólogo, geriatra, administrador, o meu muito obrigado por resolverem os problemas brochantes que têm de ser feitos. Esta é uma missão edificante, podem crer. 44
  77. 77. 9 Administrar é Por em Ordem o Progresso Ordem e Progresso ou Progresso e Ordem, Eis a Questão. Um dos modismos em administração de empresas na década de 80 foi a criação da “missão da empresa” e da “carta de princípios“, que você encontra incrustadas nas paredes da maioria das salas de recepção das grandes empresas. Algumas têm cinco pontos básicos, outras chegam a ter doze ou mais. A “missão” mais antiga que eu conheço tem 1.000 anos e per-tence a uma entidade beneficente, a Ordem dos Cavaleiros da Cruz de Malta, “Obsequium Pauperum“, servir aos pobres, uma missão que se mantém até hoje. O Brasil é um dos poucos países do mundo que possui uma “carta de princípios“, nisto somos administrativamente inovadores. Nossa carta de princípios reza “Ordem e Progresso“, nesta ordem, o lema positivista de Auguste Comte gravado em nossa bandeira. 45
  78. 78. A Missão do Administrador “Ordem é a precondição para todo progresso“. “Ordem por base, pro-gresso por fim”, diz Comte em seu “Cours de Philosophie Positive“. Boa parte das políticas econômicas de Getúlio Vargas, fã de Augusto Comte, dos Governos Militares, seguiram o lema pos-itivista de manter a casa em ordem, sem inflação, por exemplo, como precondição para o progresso. Temos uma Constituição de mais de 300 parágrafos que põe “ordem” em tudo, ou em quase tudo. Para abrir uma empresa no Brasil são necessárias dezenas de autorizações prévias para podermos começar tudo em “ordem”. O governo Fernando Henrique Cardoso e o Ministro Pedro Malan seguiram mais ou menos o mesmo princípio. Colocando a casa em ordem, o progresso viria automatica-mente. Nosso lema deixa bem claro que “ordem” vem em primeiro lugar, sem “ordem” não há progresso. Ricardo Semler, um dos primeiros a escrever um livro de 46
  79. 79. Stephen Kanitz administração no Brasil que se tornou best-seller popular, Virando a Própria Mesa, mostra uma interessante inconsistência. “Ordem e progresso são incompatíveis“, argumenta Semler. Progresso, por definição, é desordem. Criatividade é bagunça e confusão. Basta observar a mesa de um cientista, injustamente chamado de louco por suas atitudes desordeiras. “Ou se escolhe ordem ou se escolhe progresso”, diz Semler. Sem dúvida é bem engraçado, mas a realidade é um pouco difer-ente. Felizmente não precisamos escolher entre a ordem e o pro-gresso. Graças ao administrador, poderemos ter ambos. Segue a linha de Semler, mas é um pouco diferente. Nossa bandeira deveria conter a frase invertida: “Progresso e Ordem”. No sentido Progresso e depois Ordem. Depois da bagunça da criação, é necessário ter uma fase mais calma de consolidação. Todos os cientistas sabem disso. De tempos em tempos, até eles criam vergonha e arrumam o laboratório. Vocês mães já deram um basta nos seus filhos, ou arruma este quarto ou não sai no sábado. Progresso primeiro, ordem depois faz mais sentido do ponto de vista operacional. Quem coloca a sociedade em ordem não são os economistas, os sociológos, os intelectuais, como nos querem fazer acreditar. Quem coloca ordem na bagunça são os administradores, advo-gados, contadores, jornalistas, historiadores e professores. 47
  80. 80. A Missão do Administrador São eles que ajudam a consolidar os “progressos” feitos pelos cientistas, empreendedores, criadores, engenheiros, sedimentando-os em leis, sistemas, procedimentos e lições para que o restante da sociedade possa imitá-los. Nossa missão neste caso é dupla. Ajudar aqueles que são pro-gressistas a colocar suas ideias em prática, e depois colocar tudo em ordem e divulgar as inovações replicando-as em novas filiais ou empresas. Até os progressistas mais revolucionários precisam, periodica-mente, de um governo mais conservador, para que asmudanças se tornem consagradas, sedimentadas e difundidas. Sem dúvida, quem gera o progresso são os criadores, os ino-vadores, as pequenas empresas e os pequenos empresários, os artistas que quebram paradigmas, os que destroem a “ordem” e a visão reinante, os que se arriscam e mostram o exemplo. A desordem dessa fase precisa de uma pausa para respirar e de membros da sociedade preocupados em consolidar as conquistas geradas. Nosso erro fundamental, portanto, foi inverter o processo. A ordem sucede ao progresso. Esta é a nossa missão. 48
  81. 81. 10 Administrando Pessoas Estranhas Administrar Filhos e Parentes é Muito Mais Fácil Observando o crescimento da renda no mundo, vemos um enorme ponto de inflexão em 1910, quando o crescimento se torna explosivo. A riqueza crescia lentamente desde 1980 com a industrialização, mas subitamente dá um salto quântico, que começa a resolver definitivamente o problema da pobreza no mundo. Veja o Gráfico abaixo, que mostra o tamanho médio de uma empresametalúrgica, uma das poucas que temos dados de mais de 500 anos. Elaborei-a com os poucos dados que temos, portanto ela é bem imprecisa mas erros para mais ou para menos de 20% não afetam a conclusão. 49
  82. 82. A Missão do Administrador Agora, compare com o crescimento da Renda do Mundo no mesmo período. 50
  83. 83. Stephen Kanitz Em 2020, a renda média do mundo está estimada em US$ 20.000, por ano. Contra US$ 400, em 1800. O livro A Riqueza das Nações, que propunha a divisão do tra-balho, não surtiu o aumento de riqueza proposto. Ficamos com crescimento lento por mais 200 anos, emboramel-hor do que zero. Faltou algo muito importante, que Adam Smith não percebeu. As empresas da época de Adam Smith eram quase todas famil-iares. A divisão do trabalho era sempre entre irmãos, vizinhos ou gente do bairro. Predominava a Teoria da Gestão e seus “cargos de confiança”, que prevalecem até hoje na Gestão Governamental e Familiar. Só se encontrava gente de confiança entre familiares, e mesmo assim olhe lá para os genros, e as empresas familiares se man-tiveram “médias e pequenas”. Colocar uma pessoa estranha para cuidar de uma parte vital da empresa, nem pensar. Com o surgimento da Administração Profissional, que começou em 1911, as empresas explodiram de tamanho. Corre-lação quase perfeita com o crescimento do PIB. Em vez de dar ordens e mandar em trabalhador por trabalhador, criamos cargos e funções. E mais importante é que passamos a contratar não mais par-entes e amigos e sim pessoas “estranhas”, mas capazes de tocar independentemente aquela função. Funções não são mais dadas a familiares oumembros domesmo partido político, mas para gerentes previamente treinados que não se conhecem, estranhos entre si. 51
  84. 84. A Missão do Administrador Isto permitiu, pela primeira vez na história, que empresas com 10.000 funcionários, com mais de 400 gerentes e administradores trabalharem em harmonia apesar de não se conhecerem. Administrar pessoas estranhas entre si se tornou uma ciência a parte, e ocupa uma parcela considerável da ciência da Adminis-tração, Recursos Humanos, Psicologia Industrial,Motivação, Lid-erança, Organização, Incentivos e Remuneração do Trabalho. É esta mudança de paradigma que permitiu economias de escala. Empresas puderam criar subsidiárias em outros países, sem ter que deslocar expatriados para comandar estas filiais, podendo contratar administradores locais, e expandir as tecnologias desen-volvidas na matriz. Não foi a “divisão do trabalho” de Adam Smith que revolucio-nou o mundo, foram as economias de escala quando descobrimos como pessoas estranhas entre si poderiam trabalhar com objetivos comuns e em harmonia. É difícil a adoção da tecnologia brasileira por outros países, porque a maioria das nossas empresas continuam familiares e dependem de car-gos de confiança, o que impede a expansão para o resto do mundo. Veja abaixo o estrago feito pela Lei do Economista 7988 de 1945, que determinou o fechamento de todas as Faculdades de Admin-istração deste país, que durou 50 anos. A função do administrador é justamente esta. Permitir pessoas estranhas entre si trabalhar harmoniosamente, sem suspeitas, sem dossiês, sem arapongas, sem as intrigas famil-iares que sabemos existir em muitas pequenas empresas. A sua função, futuro administrador, é criar uma empresa onde pessoas estranhas possam produzir em harmonia, fiéis aos clientes 52
  85. 85. Stephen Kanitz e aos fornecedores e que saibam colocar de lado as suas diferenças em prol do bem comum. Por não termos dado a devida atenção para a Ciência da Adminis-tração, não incluímos pessoas estranhas, mantivemos a exclusão social, que outros países abandonaram. O gráfico acima mostra claramente o atraso da América Latina, fruto da Lei do Economista, 7988/45 que determinou o fechamento em 1946 de todas as Faculdades de Administração deste país, proibindo assim a formação de futuros professores de administração, pesquisas em administração, que comprometem o nosso ensino de Administração até hoje. Portanto, esta talvez seja a nossa maior missão. Ajudar pessoas estranhas entre si, trabalharem conjuntamente 53
  86. 86. A Missão do Administrador para um objetivo comum, em harmonia, com valores comuns compartilhados, semeando assim o respeitomútuo, paz nomundo e o aumento da produção. 54
  87. 87. 11 Administrando Pessoas Muito Estranhas E Bota Estranhas Nisso Como vimos no capítulo anterior, uma das difíceis tarefas da Administração é criar um ambiente de trabalho onde pessoas de culturas diferentes, personalidades diferentes, níveis educa-cionais diferentes, irão trabalhar em relativa harmonia. Mas o problema hoje é ainda mais complicado do que isto. Eu tenho uma casa num condomínio perto da praia que tem um acesso exclusivo, um direito de passagem ao mar. Para que banhistas estranhos ao condomínio não entrem pela porta estreita, colocamos um aviso. “Proibido a Entrada de Pessoas Estranhas.” 55
  88. 88. A Missão do Administrador Meus dois filhos pequenos rolaram de rir quando viram aquele cartaz. “Quer dizer que o Paulinho (filho do vizinho) nunca mais poderá entrar?” Para eles, estranho era sinônimo de esquisito e não de pessoas desconhecidas. Hoje, fora das Empresas Familiares e Governos, cargos admin-istrativos não são mais dados a familiares ou membros do mesmo partido, mas a gerentes treinados em administração, que nem se conhecem, estranhos entre si. Mas Administração vai muito além disto. Quanto se contrata 10.000 funcionários, não somente eles são desconhecidos entre si, mas entre eles há muitas pessoas estra-nhas, muito estranhas. No sentido que os meus filhos usaram. Usando a famosa curva normal, provavelmente temos numa 56
  89. 89. Stephen Kanitz destas empresas 400 pessoas muito, mais muito estranhas mesmo, que dificilmente seriam contratadas em empresas com Gestão familiar. São os Nerds, os Gênios, os perfeccionistas, e assim por diante. Não conheço nenhum escritório de Advocacia, Medicina ou Engenharia que já tenha contratado pessoas com tatuagem na testa, gravata cor de rosa, um ex-presidiário, por exemplo, algo muito comum em empresas com mais de 10.000 funcionários. As grandes empresas, por sua vez, têm Nerds no departamento de TI que poderiam encher um hospício, com todo respeito. Eles podem ser pessoas que jamais seriam contratadas como vendedores ou advogados, mas numa empresa moderna eles se encaixam sem muitos problemas. Seus departamentos de RH sabem que não existe este homem perfeito que os filósofos almejam. Muito do fracasso do socialismo reside no fato deles gastarem fortunas com cursos de ética, consciência social, teoria política, cidadania, no afã de criar toda uma população ética e perfeita, para assim poder eliminar a corrupção, a preguiça, etc. Administradores aceitam as pessoas como elas são, sabemos que não se muda uma pessoa com teorias, ensino de cidadania ou doutrinação.Oque podemos fazer é incentivar o que a pessoa tem de diferente e de bom num clima de harmonia. Criamos centenas de eventos corporativos para que todos pos-sam se conhecer, e centenas de cursos de treinamento onde as qualidades possam ser aprimoradas e não os defeitos. Temos psicólogos nos nossos departamentos de RH que sabem os defeitos e as idiossincrasias de cada funcionário, os acompan-hamos psicologicamente, e nunca despedimos os mais estranhos. 57
  90. 90. A Missão do Administrador Sempre damos uma segunda chance, mudamos o funcionário de departamento ou mudamos de função. Quem é o psicólogo que cuida de você na Universidade Pública? Isto mesmo, quem o Diretor da Faculdade, na aula de intro-dução ao curso, indicou como Terapeuta da Faculdade para que vocês pudessem discutir os N problemas que o ensino traz para um jovem moderno? Justamente numa fase da vida que você mais precisa? Quem numa Universidade Pública está encarregado de zelar pela sua carreira? Quem numa Universidade Pública encontra com você de tem-pos em tempos para avaliar como está seu desempenho, e que fal-has precisam ser corrigidas? Obviamente elas não são administradas dentro dos preceitos da Ciência da Administração. Os últimos quatro Ministros de Educação do Brasil eram Econ-omistas, isto mesmo, sem nenhum conhecimento de Pedagogia nem Administração. E ninguém entrou em greve por isto, a UNE nunca abriu a boca, os DCEs e Centro Acadêmicos idem. Faculdades no Brasil não são administradas por admin-istradores, e sim por professores, sociólogos e cientistas políticos, que ainda acham que todo mundo pode se tornar perfeito. Administradores trabalham com o que se tem, não com uma utopia teórica inatingível. Portanto, vocês estudantes de Administração, lembrem-se que as pessoas muito estranhas deste país dependem de você. Vocês têm uma bela missão a cumprir. 58
  91. 91. 12 Administrando Com Desconfiança Ninguém é Santo Neste Mundo Infelizmente, por falta de uma cultura Administrativa, o Brasil nunca desenvolveu a meritocracia, que é um sistema de seleção e promoção das pessoas mais capazes e treinadas para as funções de comando que irão exercer na comunidade. Impera no Brasil o Nepotismo, o Paternalismo, o Favoritismo, em todas as esferas. Nas Universidades Públicas, onde deveria prevalecer o Con-curso Público, é incrível o número de filhos de professores que também são professores públicos. Sem falar nas “Indicações”, onde os Gestores com um gesto de seu indicador apontam o amigo que irá ocupar um cargo impor-tante, no governo ou nas empresas não meritocráticas. Em vez de Meritocracia, usamos um termo que é Cargo de Confiança. 59
  92. 92. A Missão do Administrador Isto ocorre a cada quatro anos, amplamente divulgado pelos jornais, quando presidentes e governadores precisam preencher centenas de “cargos de confiança” que compõem um governo. O número exato de cargos varia de Estado para Estado. Para o governo federal eu já ouvi estimativas que variavam de 2.000 a 20.000 cargos a ser preenchidos. O problema é que a maioria dos políticos não conhece um número suficiente de pessoas em quem realmente possa confiar. Por isso, as primeiras pessoas convidadas são normalmente amigos e parentes de irrestrita confiança. Mas logo o desespero é tal que até genros, normalmente vistos com certa suspeita na escala familiar, são convidados para partici-par da equipe de governo. Não vou citar nomes, mas vocês saberão de alguns. Não que amigos e parentes não possam ser pessoas compe-tentes, mas a base de escolha é muito pequena para que a média seja qualificada. Imaginem criar uma seleção nacional de futebol dessa maneira, entre amigos e parentes. Você apostaria no seu sucesso? O mesmo ocorre com nossas equipes de governo. Você apos-taria no sucesso de um governo assim constituído? Mas o número é limitado, e eu sei e você sabe que o governo acaba sendo lotado por pessoas de confiança de amigos, pessoas até desconhecidas do Presidente da República, o indicador-mor do Brasil. A primeira decepção de cada novo governo e a primeira crítica que a imprensa lhe faz ocorrem por ocasião do anúncio da equipe e dos parentes contratados. O pior é que a imprensa até insinua em alguns relatos, que par- 60
  93. 93. Stephen Kanitz entes foram contratados para que todos se tornem ricos, o que pelos salários atuais do setor público é praticamente impossível. Não, não é a ganância e vontade de ficar rico às nossas custas. Isto existe também sem dúvida, mas o grande problema é este meme que se infiltrou na cultura do Brasil que precisamos de fato ter cargos de confiança. Você, honestamente, vê outra alternativa? Pois há, é uma das missões do Administrador. O erro que a maioria dos políticos eleitos comete é descon-hecer uma das leis básicas da administração: Todo cargo, seja público, seja privado, é de total e irrestrita desconfiança. Infelizmente todo colaborador, por mais amigo que seja, precisa ser tratado com certa dose de desconfiança. Os maiores desfalques em empresas familiares são cometidos por parentes, onde não escapam nem filhos, muito menos genros. 61
  94. 94. A Missão do Administrador Bons amigos então, nem se fala. De onde surgiu este mito de que amigo do peito e parente não roubam? Essa prática não é exclusiva de nossos políticos. A maioria de nossas empresas contrata diretores da mesma maneira, tanto que são chamadas de empresas “familiares”. A saída para esse dilema é outra. Em vez de contratar um amigo do peito, selecione o melhor e mais qualificado profissional possível para o cargo, independente de conhecê-lo ou não. Em seguida, cerque o contratado de controles gerenciais, fiscal-ização interna, auditoria externa, o que for necessário para man-ter o pessoal na linha. As multinacionais não trazem mais um presidente de confiança do exterior como faziam antigamente. Contratam brasileiros, sejam eles amigos dos acionistas ou não. Dois brasileiros, Alain Belda Fernandez e Henrique de Cam-pos Meirelles, foram presidentes da matriz americana das multi-nacionais em que trabalhavam, o equivalente a contratar um americano para cuidar de nossa dívida interna. Infelizmente no Brasil, o melhor administrador financeiro do país tem poucas chances de ser Ministro da Fazenda, se já não for amigo do presidente bem antes de sua eleição. Cargo de confiança é simplesmente um conceito anacrônico, algo do passado pré-gerencial, da era do Gestor. Num mundo competitivo, todos os cargos, incluindo os do governo, precisam ser de total e irrestrita competência, e não de confiança. A rigor, num mundo globalizado, onde temos de dominar alguns segmentos da economia mundial, deveríamos estar con-tratando os melhores do mundo. 62
  95. 95. Stephen Kanitz Pelo menos algum dia vamos começar timidamente con-tratando os melhores brasileiros desde o início. PS – Se você, amigo ou parente de político, for convidado para um cargo de confiança nos próximos três meses sem ter pelo menos vinte anos de experiência na área, a nação encarecida-mente implora: recuse delicadamente. Publicado na Revista Veja, Editora Abril, na edição 1560, nº 33, de 19 de agosto de 1998, página 22 63
  96. 96. 13 Administrar é Saber Delegar - II E Ficar Observando Administração é possivelmente a única profissão onde o sonho é não ter poder. Administração é possivelmente a única profissão onde o sonho é delegar o poder de mando para outros. Administração é possivelmente a única profissão onde o sonho é não fazer nada, e não fazer tudo, centralizar tudo, mandar em tudo. Nosso sonho é perder poder, e saber delegar. Vocês já viram charges com um/a executivo/a reclinado na cadeira com os pés na mesa? 64
  97. 97. Stephen Kanitz Nenhuma outra profissão ousaria ser pego numa posição destas, seria considerado motivo para demissão na certa. Para o administrador e administradora isto é um momento de orgulho, de sucesso profissional. As coisas estão funcionando sem papai e mamãe tendo de controlar a rapaziada. Sucesso para um bom administrador é quando delegamos tudo, quando a empresa anda sozinha, quando não precisa mais da gente, quando nos tornamos dispensáveis. Compare essa atitude com a conhecida atitude de Fidel Castro, Hugo Chávez, Stalin onde o objetivo era controlar tudo. Administrar é conseguir criar um sistema autossustentável onde pessoas estranhas e desconhecidas conseguem trabalhar juntas em relativa harmonia, sem supervisão. Por isto delegamos. Por isto, você não encontra Ditador administrador, admin-istrador centralizador de tudo, administrador que quer assinar tudo que precisa ser assinado numa empresa. Queremos uma empresa que mais dia menos dia não mais pre- 65
  98. 98. A Missão do Administrador cisará de nós, por isto precisamos delegar e criar organizações autossustentáveis. Claro que nem sempre isto ocorre, sempre surgem imprevistos. Por isso, nossos pés não ficam muito tempo em cima da mesa, mas mostra uma atitude profissional de dar poder aos outros, e não acumular poder para si. Para mim é tão óbvio que uma sociedade livre só é possível em organizações descentralizadas onde todos participam das decisões. Por que então a nossa sociedade brasileira exclui a visão do administrador/a como faz há mais de 60 anos? Sua missão é mostrar o erro da sociedade, dos formadores de opinião, dos intelectuais, e mostrar que o administrador não será uma ameaça aos status quo deles, mas um complemento que deve-ria ser bem-vindo e não atacado. 66
  99. 99. 14 Será Que o Problema é Este Mesmo? Um dos maiores choques de minha vida foi na noite anterior ao meu primeiro dia de pós-graduação em administração. Havia sido um dos quatro brasileiros escolhidos naquele ano, e todos nós acreditávamos, ingenuamente, que o difícil fora ter entrado em Harvard, e que o mestrado em si seria sopa. Ledo engano. Tínhamos de resolver naquela noite três estudos de caso de oitenta páginas cada um. O estudo de caso era uma novidade para mim. 67
  100. 100. A Missão do Administrador Lá não há aulas de inauguração, na qual o professor diz quem ele é e o que ensinará durante o ano, matando assim o primeiro dia de aula. Essas informações podem ser dadas antes. Aliás, a carta em que me avisaram que fora aceito como aluno veio acompanhada de dois livros para ser lidos antes do início das aulas. O primeiro caso a ser resolvido naquela noite era de marketing, em que a empresa gastava boas somas em propaganda, mas as ven-das caíam ano após ano. Havia comentários detalhados de cada diretor da companhia, um culpando o outro, e o caso terminava com uma análise do presidente sobre a situação. O caso terminava ali, e ponto final. Foi quando percebi que estava faltando algo. Algo que nunca tinha me ocorrido nos dezoito anos de estudos no Brasil. 68

×