Aula uromeeting 2011 pdf

1.165 visualizações

Publicada em

Apresentação: Ambulatório da Saúde do Homem de Paulínia

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula uromeeting 2011 pdf

  1. 1. AMBULATÓRIO DA SAÚDE DO HOMEM PAULÍNIA - SP Departamento
de
Urologia Dr.
João
Carlos
C.
Alonso Dr.
Fabiano
André
Simões Dr.
Leonardo
Oliveira
Reis 

Dr.
Ronald
Finamor
Rejowski Enf.
Magali
V.
Codogno
Maciel 1
  2. 2. • Sem
Conflito
de
Interesses
com Indústria
FarmacêuJca 2
  3. 3. Introdução








Focos
principais• Promoção
da
saúde
masculina
• Atenção
especial
ao
rastreamento
de
doenças
 prevalentes
na
população
masculina• Aumento
da
expectaJva
de
vida
da
população
 brasileira 3
  4. 4. Dados
IBGE• A
expectaJva
de
vida
da
população
brasileira
aumentou

seis
 anos
entre
1991
e
2007:
 ‐
67
anos
em
1991

 ‐
72,6
anos
em
2007• 2010:
Somos
15
milhões
de
idosos
(>
65
anos)
no
Brasil
 Em
2025:
previsão
de
32
milhões
de
idosos!!• 2020:
4
milhões
pessoas
com
mais
de
80
anosDestes,
1,5
milhão
(37,5
%)
homens!http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_impressao.php?id_noticia=1275 4
  5. 5. Ainda
segundo
o
IBGE • Os
homens
vivem,
em
média,
68,5
anos 
 As
mulheres
=
76,1
anosA
expectaJva
de
vida
masculina
é,
em
média,
7,6
anos
menor! Por quê? http://blogs.expectativa-de-vida-no-brasil/ 5
  6. 6. • Comportamento
masculino– Centralidade
que
o
trabalho
ocupa– IdenLdade
do
homem
como
provedor– “Machismo”– Desinteresse– Falta
de
informação• Consequências – Diminuição
da
longevidade – Redução
da
vida
economicamente
aJva – Crescentes
custos
ao
sistema
de
saúde 6
  7. 7. “Para
cada
dólar
aplicado
em
prevenção, economizam‐se
outros
cinco
dólares,
que seriam
gastos
no
tratamento
de
doenças”Fonte:
OMS
–
Organização
Mundial
da
Saúde
hep://pt.shvoong.com/medicine‐and‐health/1728905‐preven%C3%A7%C3%A3o‐%C3%A0s‐novas‐abordagens/ 7
  8. 8. Ambulatório
da
Saúde
do
Homem
 Paulínia
‐
SP 8
  9. 9. Paulínia
‐
SP • 118
km
da
Capital • 18
km
de
Campinas • Emancipação
em
fevereiro
de
1964 • População
(2010):
82.150
habitantes 
 
 • Urbanização:
98,99% • Maior
polo
petroquímico
da
América
LaJna • SéJma
maior
renda
per
capita
do
Brasilhttp://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=353650 9
  10. 10. Ambulatório
da
Saúde
do
Homem
 Paulínia
‐
SP• Estrutura• ObjeJvos• Abordagem• Seguimento• Medicações
uJlizadas• Divulgação• Dados
EstalsJcos 10
  11. 11. Estrutura• Recursos
Humanos– quatro
urologistas
e
um
membro
da
equipe
de
enfermagem,
 realizando
atendimento
simultâneo– geriatra,
cardiologista,
psicólogo,
assistente
social (em
implantação)• Materiais
e
Metodologia– fichas
de
quesJonários
padronizadas
de
acordo
com
a
faixa
 etária
para
todos
os
pacientes– armazenamento
de
dados• Capacidade

inicial – 100
(cem)
pacientes
∕
mês 11
  12. 12. Obje@vos• Atendimento
e
seguimento
de
toda
a
população
masculina,
 dos
13
anos
(após
alta
da
pediatria)
até
o
homem
senil,

 priorizando
o
homem
em
primeira
consulta
urológica.• Origem:
Unidades
Básicas
de
Saúde,
encaminhamentos
de
 pediatras
e
de
clínicos,
demanda
espontânea 12
  13. 13. • Criar
uma
referência
para
a
população
masculina,• Gerar
atendimento
e
informações
com
qualidade
quanto
à
 prevenção
de
doenças,
• Diminuir
demanda
no
ambulatório
de
Urologia
Geral,• Promover
redução
de
custos
ao
sistema
de
saúde
do
 município. 13
  14. 14. Abordagem





Enfermeira:• Todos
os
pacientes
preenchem
ficha
de
quesJonários
de
 acordo
com
a
faixa
etária• Coleta
de
exames
laboratoriais





Médico:• Anamnese
detalhada
e
exame
ssico

para
a
coleta
de
dados
 visando
avaliação
da
saúde
geral• A
faixa
etária
determina
o
foco
da
abordagem
médica,
e
os
 14
  15. 15. 15
  16. 16. 16
  17. 17. Dos
13
aos
45
anos• Avaliação
anatômica
da
genitália
(fimose,
hipospádia,
freio
 curto,
varicocele,
hidrocele,
micropênis,
tortuosidade
 peniana,
desenvolvimento
sexual)• Aconselhamento
sexual
(aJvidade
sexual,
masturbação,
 doenças
sexualmente
transmissíveis
–
DST’s)
• Disfunção
sexual
(ejaculação
rápida) 17
  18. 18. • Métodos
anJconcepcionais
e
planejamento
familiar• Atenção
a
doenças
prevalentes
nesta
faixa
etária• Exames
colhidos
de
maneira
seriada:
hemograma,
perfil
 lipídico,
glicemia
de
jejum,
roJna
de
urina
e
sorologias
para
 DST’s
(se
já
iniciada
aJvidade
sexual) 18
  19. 19. Acima
dos
45
anos• Avaliação
anatômica
da
genitália
(fimose,
hipospádia,
freio
 curto,
varicocele,
hidrocele,
tortuosidade
peniana)• Aconselhamento
sexual
(aJvidade
sexual,
doenças
 sexualmente
transmissíveis
–
DST’s)
• Disfunções
sexuais
(eréteis
e
ejaculatórias) 19
  20. 20. • 
Planejamento
familiar• Avaliação
prostáJca
e
de
outras
doenças
lpicas
desta
faixa
 etária• São
colhidos
exames
de
maneira
seriada:
Hemograma,
perfil
 lipídico,
glicemia
de
jejum,
roJna
de
urina,
perfil
hormonal
e
 PSA 20
  21. 21. Seguimento• Consultas
com
retornos
programados• Monitorização
periódica
e
planejada,
gerando
dados
que
 permitem
adequar
intervenções
à
políLca
de
saúde
 masculina
do
Município 21
  22. 22. Medicações

u@lizadas• 
Alfa‐bloqueadores:

Doxazosina











































Tamsulosina• Inibidores
de
5
alfa‐redutase:
Dutasterida





























































Finasterida• Inibidores
da
fosfodiesterase
Lpo
V• AnLcolinérgicos• Inibidores
seleLvos
de
recaptação
de
serotonina
• Outras
medicações
padronizadas
pela
Prefeitura 22
  23. 23. Divulgação• Caminhada
contra
o
Câncer• Palestras
na
Prefeitura,
Polícia
Militar,
Corpo
de
Bombeiros,
 Guarda
Municipal,
Empresas• Educação
conJnuada
e
periódica
aos
profissionais
de
saúde
 nas
Unidades
Básicas
(UBS)
–
Diversos
temas.• Divulgação
em
meios
de
comunicação
(
rádio,
jornais,
carro

 de
som,
faixas,
folders,
etc). 23
  24. 24. PalestrasGuarda
Municipal
de
Paulínia 24
  25. 25. Palestras 25
  26. 26. Caminhada
contra
o
Câncer 26
  27. 27. Caminhada
contra
o
Câncer 27
  28. 28. Dados
Esta;s<cos Ambulatório
da
Saúde
do
Homem
• Início
do
atendimento:
28/07/2010• Homens
de
13
–
45
anos:
162• Homens
>
45
anos:
255• Total
de
atendimentos
(casos
novos):
417 28
  29. 29. EstalsJca
Geral 29
  30. 30. 
Saúde
do
Homem
13
a
45
anos
 30
  31. 31. Ejaculação
13
–
45
anos 31
  32. 32. Homens
>
45
anos 32
  33. 33. Ejaculação
‐
Homem
>
45
anos 33
  34. 34. Orientação
sexual/
DST 34
  35. 35. • Ambulatório
da
Saúde
do
Homem Próstata 35
  36. 36. Próstata
–
HPB (>
45
anos)LUTS
Leve


 59LUTS
Moderado
 96LUTS
Grave
 29AssintomáJcos
 71Total
 
 255 36
  37. 37. 
Protocolo

Próstata HPBHomens
>
45
anos

=

exame
ssico,
PSA,
IPSSCritérios
de
PSA
nls
→
Toque
nl
→
IPSS
<
17
→
retorno
anualCritérios
de
PSA
nls→
Toque
nl
→
IPSS
>
17
→
Alfa‐bloqueador
ou
inibidor 
5
alfa‐redutase
(próstata
>
30g)
































































































PosiJva

→
Tratamento
CaPCritérios
de
PSA
ou
Toque
Alterados

→
Biópsia
→


NegaJva
→
(IPSS
>
17)
→







 
 Alfabloqueador
ou
inibidor
de
5
alfa‐redutase
(próstata
>
30g)
 37
  38. 38. Neoplasia
de
Próstata Biópsias
2010Presença
Neoplasia 51Ausência
Neoplasia 133Total 184 38
  39. 39. Neoplasia
de
Próstata 39
  40. 40. Neoplasia
de
Próstata PSA
2,5
–
4,0ng/dl 40
  41. 41. 
Protocolo
‐
Próstata Controle
de
NeoplasiaHomens

45
‐
75
anos
(primeira
consulta)PSA
<
2,5
→
Toque
nl
→IPSS
<
17
→
Retorno
anualPSA
<
2,5
→
Toque
nl
→
IPSS
>
17
→
Alfabloqueador
ou
inibidor 
 
 
 
 

5
alfa‐redutase
(se
próstata
>
30g)






















































































PosiJva
→
Tratamento
CaPPSA
>2,5
ou
Toque
alterado

→
Biópsia








































































































































































NegaJva



(IPSS
>
17)




























 
 
 
 
 
 
 Alfabloqueador
ou
inibidor 
 
 
 
 
 5
alfa‐redutase
(se
próstata
>
30g

 
 
 
 
 
 
 e/ou
antecedente
familiar,
 41
  42. 42. CONCLUSÕES• Ampliação
do
atendimento
médico
à
população
masculina – Acolhimento
direcionado
à
população
masculina
pelo
Sistema
 Municipal
de
Saúde – Foco
nas
doenças
mais
prevalentes,
de
acordo
com
a
faixa
etária – Redução,
de
forma
significaJva,
no
diagnósJco
tardio
de
tumores
de
 próstata• 
Criação
de
fluxo
na
rede
de
saúde
municipal
para
a
promoção
da
saúde
 masculina,
em
consonância
com
a
políJca
nacional
de
Saúde
do
Homem 42
  43. 43. “
O
verdadeiro
conhecimento
vem
de
dentro.
 Mais
inteligente
é
aquele
que
sabe
que
não
 sabe.”












Sócrates
(470‐399
a.C.)
























www.saudedohomempaulinia.blogspot.com 43

×