Integração e orientação slides para Pronatec

441 visualizações

Publicada em

Slides elaborados para a disciplina Integração e Orientação Profissional exigidas nos cursos do Pronatec.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
441
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Integração e orientação slides para Pronatec

  1. 1. Integração e Orientação Profissional Célio Santiago
  2. 2. Conceito de Trabalho e Emprego • A maioria das pessoas associa as palavras trabalho e emprego como se fossem a mesma coisa, mas não são. Apesar de estarem ligadas, essas palavras possuem significados diferentes.
  3. 3. Conceito de Trabalho e Emprego • O trabalho é mais antigo que o emprego, o trabalho existe desde o momento que o homem começou a transformar a natureza e o ambiente ao seu redor, desde o momento que o homem começou a fazer utensílios e ferramentas.
  4. 4. Conceito de Trabalho e Emprego • O emprego é algo recente na história da humanidade. O emprego é um conceito que surgiu por volta da Revolução Industrial, é uma relação entre homens que vendem sua força de trabalho por algum valor, alguma remuneração, e homens que compram essa força de trabalho pagando algo em troca, algo como um salário.
  5. 5. Conceito de Trabalho e Emprego • Trabalho: De acordo com a definição do Dicionário do Pensamento Social do Século XX, trabalho é o esforço humano dotado de um propósito e envolve a transformação da natureza através do dispêndio de capacidades físicas e mentais.
  6. 6. Conceito de Trabalho e Emprego • Emprego: É a relação, estável, e mais ou menos duradoura, que existe entre quem organiza o trabalho e quem realiza o trabalho. É uma espécie de contrato no qual o possuidor dos meios de produção paga pelo trabalho de outros, que não são possuidores do meio de produção.
  7. 7. • Veja um pequeno vídeo sobre trabalho e emprego • Música “homem primata”
  8. 8. Responda • Trabalho e emprego são a mesma coisa? • Sim ( ) • Não ( )
  9. 9. • O emprego é mais antigo que o trabalho • Verdadeiro ( ) • Falso ( ) Responda
  10. 10. Responda • Como você acha que as pessoas faziam para possuir algo antes da invenção do dinheiro? • Barganha • Permuta • Dominando (lutas, guerras)
  11. 11. • O que é que envolve a transformação da natureza através do dispêndio de capacidades físicas e mentais? • TRABALHO Responda
  12. 12. Responda • O que é emprego?
  13. 13. O trabalho através dos tempos • Ao longo da história da humanidade, variando com o nível cultural e com a evolução de cada sociedade, o trabalho tem sido percebido de forma diferenciada.
  14. 14. O trabalho através dos tempos • No começo dos tempos, o trabalho era a luta constante para sobreviver. A necessidade de comer, de se abrigar era que determinava a necessidade de trabalhar.
  15. 15. O trabalho através dos tempos • A relação trabalhista que existia entre as pessoas era a relação escravizador-escravo. Podemos tomar três civilizações que influenciaram o Ocidente com sociedades escravistas, a egípcia, a grega e a romana.
  16. 16. O trabalho através dos tempos • Nessa época, todo o trabalho era feito por escravos. Havia artesãos, mas estes não tinham patrões definidos, tinham clientes que pagavam por seus serviços. Os artesãos poderiam ser comparados aos profissionais liberais de hoje, já que trabalhavam por conta própria sem ter patrões. Para os artesãos não existe a relação empregador-empregado, portanto não podemos falar que o artesão tinha um emprego, apesar de ter uma profissão.
  17. 17. O trabalho através dos tempos • Na Idade Média também não havia a noção de emprego. A relação trabalhista da época era a relação senhor-servo. A servidão é diferente da escravidão, já que os servos são ligeiramente mais livres que os escravos.
  18. 18. O trabalho através dos tempos • Um servo podia sair das terras do seu senhor e ir para onde quisesse, desde que não tivesse dívidas a pagar para o senhor das terras. Na servidão, o servo não trabalha para receber uma remuneração, mas para ter o direito de morar nas terras do seu senhor. Também não existe qualquer vínculo contratual entre os dois, mesmo porque senhor e servo eram analfabetos.
  19. 19. O trabalho através dos tempos • Na Idade Moderna as coisas começam a mudar. Nessa época, existiam várias empresas familiares que vendiam uma pequena produção artesanal, todos os membros da família trabalhavam juntos para vender produtos nos mercados; não podemos falar de emprego nesse caso.
  20. 20. O trabalho através dos tempos • Além das empresas familiares, havia oficinas com muitos aprendizes que recebiam moradia e alimentação em troca e, ocasionalmente, alguns trocados. É por essa época que começa a se esboçar o conceito de emprego.
  21. 21. O trabalho através dos tempos • Com o advento da Revolução Industrial, êxodo rural, concentração dos meios de produção, a maior parte da população não tinha nem ferramentas para trabalhar como os artesãos. Sendo assim, restava às pessoas oferecer seu trabalho como moeda de troca. É nessa época que a noção de emprego toma sua forma. O conceito de emprego é característico da Idade Contemporânea.
  22. 22. O trabalho através dos tempos • Hoje, século XXI, as mudanças que vêm ocorrendo graças à tecnologia, principalmente a tecnologia da computação-telecomunicação, estão modificando as relações econômicas entre empresas, empregados, governos, países, línguas, culturas e sociedades.
  23. 23. Importância do trabalho • O trabalho é essencial para o funcionamento das sociedades. O trabalho é responsável pela produção de alimentos e outros produtos de consumo da sociedade. Sendo assim, sempre existirá o trabalho.
  24. 24. Importância do trabalho • Enquanto existir uma sociedade, existirá trabalho, pois aquela não pode existir sem esta (o mesmo pode não ser verdadeiro em relação ao emprego).
  25. 25. Qualificação profissional • A qualificação profissional está ligada a tendências do mercado e o que este tem exigido dos trabalhadores, e não só a aquisição de um diploma.
  26. 26. Qualificação profissional • Ninguém dá emprego para quem não buscou estudar, mesmo que de forma gratuita, mas com a intenção de adquirir maiores conhecimentos e começar a por em prática os recursos aprendidos nos cursos que participou.
  27. 27. Qualificação profissional • Outra forma de buscar se destacar no mercado de trabalho é fazer pequenos cursos, paralelos, onde possa reforçar os conceitos universitários, ou mesmo na praticidade de um curso técnico. Para isso, o estudante pode procurar os órgãos que oferecem estágios, que costumam promover cursos gratuitos e de grande qualidade.
  28. 28. Qualificação profissional • Participar dos eventos propostos pelas universidades também é uma boa forma de comprovar seu interesse em se tornar um bom profissional. Busque se envolver com as palestras e mini cursos, cumprir com as famosas horas extras que são exigidas para a formação.
  29. 29. Qualificação profissional • Toda experiência é válida e conta como ponto na hora de se avaliar um currículo. Portanto, busque o máximo de conhecimentos possíveis, pois tudo aquilo que for registrado com diplomas e carga horária a mais, servirá como prova da capacidade, da qualificação do profissional.
  30. 30. Responda • Como e através de onde você pode adquirir conhecimentos através de estudos?
  31. 31. Atividade 1
  32. 32. Entrevista para Estágio e Emprego • Entrevista de estágio ou emprego, por natureza, tende a colocar o entrevistado em situação desconfortável perante o entrevistador. O seu diferencial pode começar aí!
  33. 33. Entrevista para Estágio e Emprego • A melhor postura a ser adotada - mesmo sob o risco de não ser contratado - é ser absolutamente autêntico. Na entrevista seja exatamente você, confie nos seus predicados pessoais, morais e intelectuais.
  34. 34. Entrevista para Estágio e Emprego • Seja simples e haja naturalmente, respeitando e se fazendo respeitar, não é difícil ser você mesmo, lembre-se que "vender" uma falsa imagem pode ser trabalhoso, artificial e não será bom para você nem para a Empresa que o irá contratar.
  35. 35. Dicas • Homem ou mulher devem vestir-se com sobriedade para uma entrevista de estágio; • Asseio e cuidados pessoais do tipo barba, cabelos e maquiagem bem cuidados somam pontos na sua primeira impressão, perfumes, se usados, devem ser discretos;
  36. 36. Dicas • Mantenha desligado o celular antes e durante a entrevista; • Mesmo sendo permitido, não fumar nas dependências da empresa; • Procure estar informado sobre as notícias do dia num jornal diário da sua cidade, é bastante comum elas fazerem parte da sua entrevista.
  37. 37. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • Fale sobre si. • Esta pergunta é quase obrigatória em uma entrevista de emprego e deverá ser muito bem praticada para uma resposta sucinta, direta e, acima de tudo, que valorize o seu perfil profissional.
  38. 38. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • Quais são seus objetivos a curto prazo? E a longo prazo? • Seja específico e tente aproximar, de alguma forma, os seus objetivos aos da própria empresa. Respostas como "ganhar bem" ou "aposentar-se" são totalmente proibidas.
  39. 39. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • O que o levou a enviar o seu curriculum a esta empresa? • Naturalmente, para responder a esta pergunta, é preciso fazer previamente uma pesquisa sobre a empresa. Vá ao site institucional, faça pesquisas usando mecanismos de busca, leia revistas da especialidade e converse com pessoas que trabalham ou já trabalharam lá.
  40. 40. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • Qual foi a decisão mais difícil que tomou até hoje? • O que é pretendido com esta questão, é que os candidatos sejam capazes de identificar uma situação em que tenham sido confrontados com um problema ou dúvida, e que tenham sido capazes de analisar alternativas e consequências e decidir da melhor forma.
  41. 41. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • O que procura num emprego? • As hipóteses de resposta são várias: desenvolvimento profissional e pessoal, desafios, envolvimento, participação num projeto ou organização de sucesso, contribuição para o sucesso da sua empresa, etc.
  42. 42. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • Você é capaz de trabalhar sob pressão e com prazos definidos? • Um "não" a esta pergunta pode destruir por completo as suas hipóteses de ser o candidato escolhido, demonstre-se capaz de trabalhar por prazos e dê exemplos de situações vividas em trabalhos anteriores.
  43. 43. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • Dê-nos um motivo para o escolhermos em vez dos outros candidatos. • O que se espera é que o candidato saiba "vender" o seu produto. Isto é, deverá focar-se nas suas capacidades e valorizar o seu perfil como o mais adequado para aquela função e a forma como poderá trazer benefícios e lucros para a empresa.
  44. 44. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • O que você faz no seu tempo livre? • Seja sincero, mas, sobretudo lembre-se que os seus hobbies e ocupações demonstram não só a capacidade de gerir o seu tempo, preocupações com o seu desenvolvimento pessoal e facilidade no relacionamento interpessoal.
  45. 45. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • Quais são as suas maiores qualidades? • Aponte aquelas características universalmente relacionadas com um bom profissional: proatividade, empenho, responsabilidade, entusiasmo, criatividade, persistência, dedicação, iniciativa, e competência.
  46. 46. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • E seus pontos negativos/defeitos? • Naturalmente que a resposta não poderá ser muito negativa, pois serão poucas as hipóteses para um profissional que diga ser desorganizado, desmotivado ou pouco cumpridor dos seus horários. Assim, o truque é responder partindo daquilo que normalmente é considerado uma qualidade, mas agravando-o de forma a parecer um "defeito". Ou seja, exigente demais, perfeccionista, muito auto-crítico, persistente demais, etc.
  47. 47. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • Que avaliação faz da sua última (ou atual) experiência profissional? • Não se queixe e, em caso algum, critique a empresa e respectivos colaboradores. Diga sempre alguma coisa positiva, ou o ambiente de trabalho ou o produto/serviço da empresa. Se começar a apontar defeitos ao seu emprego anterior correrá o risco de o entrevistador achar que o mesmo pode acontecer no futuro relativamente aquela empresa.
  48. 48. Perguntas Mais Frequentes Numa Entrevista • Até hoje, quais foram as experiências profissionais que lhe deram maior satisfação? • Seja qual for a sua escolha, justifique bem os motivos. Tente mencionar as mais recentes e que sejam mais adequadas aos seus objetivos profissionais.
  49. 49. Vídeos • Entrevista de emprego (JH) • Entrevista de emprego 2 (JH) • Entrevista estágio - Justus
  50. 50. Mais vídeos • Entrevista de emprego • Entrevista estagiário 1 • Entrevista estagiário 2
  51. 51. Empreendedorismo • O empreendedor tem um novo olhar sobre o mundo à medida que presencia a evolução. Valoriza suas experiências, valoriza seu valor, tomando decisões e decisões acertadas. Abre novas trilhas, explora novos conhecimentos, define objetivos e dá o primeiro passo.
  52. 52. Empreendedorismo • Hoje, fala-se do “Capital Intelectual” que nada mais é do que: conhecimento, experiência, especialização. Ferramentas ou estratégias utilizadas para se ter sucesso e ser competitivo. A mão de obra passa a ser cabeça-de-obra.
  53. 53. Empreendedorismo • É o conhecimento e a capacidade gerando novas ideias. O foco está nas pessoas. Assim, o perfil do profissional de sucesso que lidera suas concepções e suas atitudes está em pessoas que conseguem harmonizar esforços individuais ou coletivos e que criam algo novo e criativo.
  54. 54. Qualidades pessoais de um empreendedor a) iniciativa; b) visão; c) coragem; d) firmeza; e) decisão; f) atitude de respeito humano; g) capacidade de organização e direção.
  55. 55. Empreendedorismo • O empreendedor deve focalizar o aprendizado nos quatros pilares da educação: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser, e com isso, ser capaz de tomar a decisão certa frente à concorrência existente.
  56. 56. Empreendedorismo • Buscam-se profissionais que desenvolveram novas habilidades e competências, com coragem de arriscar-se e de aceitar novos valores, descobrindo e transpondo seus limites. O futuro é cheio de incertezas, por isso, é preciso refletir sobre: habilidades pessoais e profissionais; criatividade; memória; comunicação; como enfrentar este século.
  57. 57. Empreendedorismo • Conquista-se a autonomia profissional quando se é perseverante, determinado, aprendiz, flexível e quando se tem: • Positividade • Organização • Criatividade • Inovação • Foco
  58. 58. Empreendedorismo • Essas qualidades ajudam a vencer a competitividade dos tempos modernos. Pela experiência pode-se afirmar que a maioria das pessoas, se estimuladas, podem desenvolver habilidades empreendedoras.
  59. 59. Empreendedorismo • Ouve-se e fala-se que o empreendedor precisa ter visão. • Ser visionário é imaginar cenários futuros, utilizando-se de imagens mentais. Ter visão é perceber possibilidades dentro do que parece ser impossível.
  60. 60. Diferenças • o Empreendedor, que transforma a situação mais trivial em uma oportunidade excepcional, é visionário, sonhador; o fogo que alimenta o futuro; vive no futuro, nunca no passado e raramente no presente; nos negócios é o inovador, o grande estrategista, o criador de novos métodos para penetrar nos novos mercados;
  61. 61. Diferenças • o Administrador, que é pragmático, vive no passado, almeja ordem, cria esquemas extremamente organizados para tudo;
  62. 62. Diferenças • o Técnico, que é o executor, adora consertar coisas, vive no presente, fica satisfeito no controle do fluxo de trabalho e é um individualista determinado.
  63. 63. Decisões • Os processos de decisão nem sempre são simples, objetivos e eficientes como deveriam ser, pois se a intuição está de um lado; a análise racional está do outro.
  64. 64. Estilos de decisão • Intuitivo: tenta projetar o futuro, com perspectiva ao médio e do longo prazo, imaginando o impacto dessa ação. • O planejador: situa-se onde está e para onde se deseja ir, com planejamento e tendo um processo de acompanhamento, adequando à realidade sempre que for necessário.
  65. 65. Estilos de decisão • O perspicaz: diz que além da percepção é necessário conhecimento. • O objetivo: sabe qual o problema a ser resolvido. • O cobrador: tem certeza das informações, vê a importância de medir e corrigir quando o resultado não foi o decidido.
  66. 66. Estilos de decisão • O mão–na–massa: envolve-se pessoal e diretamente, acredita em grupos para estudos multidiciplinares. • O meticuloso: junta opiniões de amigos, especialistas, funcionários, tentando se convencer da solução a encontrar. • O estrategista: decide cumprir sua estratégia de crescimento, tendo percepção do que resolver. Diagnostica o problema para encontrar a solução e sua resolução com eficácia.
  67. 67. • A decisão é de cada um. Interagir, refletir, deixar a cada um o momento de uma descoberta e desenvolvendo habilidades específicas para o sucesso da sua escolha é de responsabilidade única e exclusiva.
  68. 68. Sustentabilidade • Quando falamos em sustentabilidade no contexto corporativo, este conceito deve estar embutido na estratégia das companhias. • Elas precisam compreender que provocam impactos socioambientais e que necessitam, de alguma maneira, criar medidas para eliminar ou minimizar estes efeitos.
  69. 69. Sustentabilidade • É necessário buscar um equilíbrio de resultados econômico/financeiros com respeito ao meio ambiente e promoção do desenvolvimento social.
  70. 70. Sustentabilidade • Existem diversos caminhos para uma empresa desenvolver uma cultura sustentável. O primeiro passo em comum é romper algumas barreiras e inserir o compromisso ambiental na estratégia da companhia. Em segundo, é determinante um porta-voz no ambiente de trabalho que passe a mensagem e engaje os demais colaboradores nesta causa.
  71. 71. Sustentabilidade • Se as empresas estão reagindo e se reformulando pró-sustentabilidade é porque respondem também à pressão da sociedade. Elas entenderam que se os recursos naturais ficarem escassos e se as mudanças climáticas se intensificarem, o planeta e, por consequência, os negócios, irão se prejudicar. O aumento do interesse do público em geral no tema também aumentou, refletindo na cultura e nos valores, principalmente, das grandes companhias.
  72. 72. Inteligência Emocional • No início dos anos 90 as empresas utilizavam como critério na contratação de profissionais os aspectos técnicos. Nessa época eram contratados os alunos com melhores notas, com currículos recheados de cursos técnicos, ou seja, os que tinham o maior QI (Coeficiente de Inteligência).
  73. 73. Inteligência Emocional • Depois o psicólogo Daniel Goleman constatou que as pessoas que obtinham grande sucesso pessoal e profissional se devia a fatores relacionados a competências comportamentais e não ao conhecimento técnico. As pessoas de sucesso tinham algo em comum: espírito de liderança, eram muito motivadas e proativas, tinham uma boa comunicação, eram inovadoras, sabiam focar e perseguir objetivos, trabalhar em equipe e se relacionavam bem com seus pares. Ele chamou esses comportamentos de inteligência emocional.
  74. 74. Inteligência Emocional • Inteligência emocional é a capacidade de identificar sentimentos próprios e dos outros, de motivar a si mesmo e de gerenciar bem as emoções dentro de si e no relacionamento com os outros.
  75. 75. Inteligência Emocional • As características da inteligência emocional que podem ser desenvolvidas: • Autoconhecimento • Autocontrole • Automotivação • Empatia • Sociabilidade
  76. 76. Inteligência Emocional • As pessoas que dominam essas características têm mais facilidade de identificar soluções para os problemas do dia-a-dia e, portanto se tornam mais seguras e tomam decisões com mais facilidade. Isso contribui para uma vida mais feliz.
  77. 77. Inteligência Social • Em 2006, o conceito da Inteligência Emocional se expande para as relações interpessoais, mostrando que ser inteligente socialmente é usar todos os recursos da inteligência emocional nas relações interpessoais, de forma a perceber e interpretar os sinais não verbais do comportamento humano, e agir com "inteligência social" para obter um melhor resultado desta interação e alcançar objetivos sociais mais satisfatórios.
  78. 78. Inteligência Social • Os aspectos relevantes da inteligência social seriam: • Empatia; • Captação de sinais não verbais do comportamento humano; • Harmonia nas relações interpessoais; • Respeito às emoções e sentimentos alheios; • Equilíbrio entre competitividade no trabalho e qualidade de vida.
  79. 79. Inteligência Profissional • O somatório destas competências, "Inteligência Emocional", "Inteligência Social" e "Competência Técnica" conjugados e direcionados para um melhor desempenho profissional poderia ser chamado de "Inteligência Profissional".
  80. 80. Inteligência Profissional • As principais características da inteligência profissional são: • Desenvolver competência técnica em setores essenciais de suas funções profissionais; • Desenvolver sua inteligência social para conquistar o apoio de colaboradores no desempenho de suas funções; • Desenvolver sua inteligência emocional para otimizar seu próprio desempenho profissional.
  81. 81. • Pessoas com inteligência profissional apresentam as seguintes características: • estabilizadas emocionalmente; • motivadas; • boa comunicação interpessoal; • bom relacionamento interpessoal, • dispensam atenção e interesse aos colegas de trabalho;
  82. 82. • esforçam-se por trabalhar em equipe; • espírito de iniciativa e liderança; • conseguem perceber as reações não verbais de colegas de trabalho; • têm objetivos pessoais e profissionais definidos; • têm um plano de gestão de carreira; • têm um plano de marketing pessoal; • orientam sua carreira profissional com se fossem uma empresa;
  83. 83. • A inteligência profissional é uma nova maneira de pensar nossa condição profissional. É uma forma inteligente de se utilizar o raciocínio, competências adquiridas, habilidades natas, força interior e capacidade de nos relacionarmos com a sociedade de maneira organizada e com planejamento, para alcançar objetivos profissionais.
  84. 84. • Teste da Inteligência Emocional
  85. 85. • 41 a 50 pontos = Sua INTELIGÊNCIA EMOCIONAL é bastante alta. Você não deve ter dificuldades para fazer amigos, e nem de relacionar-se com os outros de forma bem harmoniosa e produtiva.
  86. 86. • 31 a 40 pontos = Sua INTELIGÊNCIA EMOCIONAL é bastante desenvolvida , mas se você aprender a observar atentamente as pessoas poderá desenvolvê-la ainda mais.
  87. 87. • 21 a 30 pontos = Sua INTELIGÊNCIA EMOCIONAL precisa "deslanchar" . Converse um pouco mais consigo mesmo, ouça o que os outros dizem com sinceridade de você. Treine seus sentimentos de empatia e aprenda a observar com mais respeito os defeitos de outras pessoas.
  88. 88. • 11 a 29 pontos = Seu grau de empatia e relacionamentos não é bom. Procure ouvir mais e falar menos. Saiba gostar até mesmo de particularidades que outras pessoas apresentam e que você critica.
  89. 89. • 10 pontos ou menos = Sua INTELIGÊNCIA EMOCIONAL é bastante baixa. Procure compartilhar mais seus sentimentos e idéias Acredite que melhorar seus relacionamentos não é difícil, mas exige trabalho persistente, e muita disponibilidade para o outro. Procure aprender com todas as experiências , mesmo que sejam negativas, evitando repetir situações que promovam frustrações.
  90. 90. Fim •Avaliação da disciplina •Auto avaliação

×