Projeto de intervenção

381 visualizações

Publicada em

Projeto de Intervenção

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
381
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto de intervenção

  1. 1. MARIA ELIANE SOUZA DE OLIVEIRA ROSÂNGELA JOSÉ DE SOUZA SANDRO MANOEL DO NASCIMENTO PROJETO DE INTERVENÇÃO DE BEM COM A VIDA KIDS RECIFE 2014
  2. 2. 1 1. INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA Sociedade Assistencial SARAVIDA, instituição localizada em Recife-PE, que trata dependentes químicos de álcool, crack e outras drogas. Organização não governamental sem fins lucrativos, filantrópica, mantida por doações de pessoas físicas e jurídicas. A instituição tem parcerias com hospitais e Comunidades Terapêuticas. Existe uma parceria entre as lideranças da instituição e as lideranças das entidades parceiras. Há uma relação de ajuda mutua entre as pessoas que vivem no território, trazendo acolhimento, tratamento e ressocialização de usuário com a sociedade. A problemática do uso das drogas é uma constante no território de intervenção. O nosso P I tratará diretamente a problemática do uso das drogas, na perspectiva de traçar uma abordagem direta na vida dos filhos de dependentes buscando prevenção, informação das causas e consequências, trazendo um tratamento mais específico para o usuário. Existem em nosso território diversos atores sociais interessados em debater o assunto do nosso projeto de intervenção, como exemplo: Liderança Comunitária e Lideres Religiosos, Professores, entre outros. Já foi lançado o convite para debatermos a problemática: prevenção, informação, acolhimento, causas e consequências do consumo de drogas. O problema escolhido foi um projeto de intervenção que aborde as crianças filhas de usuários que buscam tratamento nas instituições. Devemos realizar uma intervenção que vise à prevenção do uso das drogas na vida dessas crianças. As crianças filhas e filhos de usuários estão suscetíveis ao uso de drogas pelo ambiente social que vivenciam diariamente.
  3. 3. 2 2. PÚBLICO ALVO O grupo que o nosso Projeto de Intervenção alcançará, serão crianças filhos e filhas de usuários. Crianças de 7 a 12 anos, de ambos os sexos, no período escolar do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, situação financeira de média e baixa renda, condições de moradia precária a razoável. O nosso público alvo está diretamente ligado a problemática do uso das drogas, pois são filhos (as) de dependentes químicos. A estimativa de público para o Projeto é de 30 crianças.
  4. 4. 3 3. JUSTIFICATIVA DO PROJETO Crianças filhas (os) de usuários de drogas têm a maior possibilidade de se envolver com as drogas, pois o ambiente social onde as mesmas vivem não oferece a estas crianças alternativas. Por isso à importância de trazer a informação necessária para a prevenção contra este envolvimento. A ideia deste projeto surgiu na minha experiência de estágio supervisionado em uma instituição que trata de dependentes químicos. Os dependentes traziam para a instituição os seus filhos, pois não tinham uma pessoa ou um local onde deixar estas crianças. É sabido que nos dias atuais é muito comum o envolvimento de crianças com o submundo das drogas, desde muito novas elas se envolvem com essas substâncias psicoativas. Isso se deve em muitos casos a influência de seus pais. Com este envolvimento elas perdem a sua infância, oportunidades de crescer e se tornarem pessoas que possam contribuir para uma sociedade melhor. A resolução deste problema que o nosso P I irá abordar é importante para toda a sociedade. Os benefícios para as crianças serão inúmeros, oportunidade para crescer sem se envolver com as drogas, oportunidade de aprender a ler e escrever, oportunidade de serem agentes multiplicadores daquilo que foi ensinado. E por último, oportunidade de serem crianças.
  5. 5. 4 4. OBJETIVOS 4.1 OBJETIVO GERAL  Promover o acolhimento aos filhos (as) dos dependentes químicos que vem acompanhando os seus pais, buscando prevenir e reduzir o risco dos filhos (as) de dependentes químicos também se tornarem usuários de drogas. 4.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Acolher as crianças que vem com seus pais para o tratamento;  Propiciar melhoria na qualidade de vida, através de dinâmicas e brincadeiras.  Oferecer aos filhos de dependentes um tratamento psicossocial.
  6. 6. 5 5. REFERÊNCIAL TEÓRICO A principal referência teórica que subsidia nosso projeto é o Estatuto da Criança e Adolescente, e o texto do psicólogo e Sociólogo Político Célio Vanderlei Moraes, que trata da vulnerabilidade da criança e adolescente em função do próprio processo de desenvolvimento. A escolha do público-alvo que são as crianças que acompanham seus pais ao tratamento de dependência química, surgiu da busca de elucidar um problema que acontece em várias instituições que trabalha com dependência química e como forma de contribuir no desenvolvimento pessoal, social. Como afirma o psicólogo Célio Vanderlei, os pais comprometidos com o uso das drogas iniciam involuntariamente e as vezes voluntariamente seus filhos nessa prática. O nosso projeto procurar ajudar no desenvolvimento da criança que se encontra vulnerável a essa rede de tráfico e conduzi-los ao seio sócio-familiar de forma coerente e transparente com todos.
  7. 7. 6 6. METODOLOGIA 6.1 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES Objetivos Específicos Procedimentos de intervenção - ações previstas Resultados esperados 1. Acolher as crianças 1. Saudações de boas vindas com técnicas de acolhimento. 1. Que as crianças tenham o sentimento de que estão sendo acolhidas. 2. Conversa sobre o uso de substancias químicas no seu cotidiano. 2. Que as crianças possam conhecer como substancias químicas no seu cotidiano. Ex: Cigarro, bebidas, remédios e produtos de limpeza 3. Confecção de Cartazes e Mural 3. Que através de fotos possam diferenciar substancias químicas. 2. Propiciar dinâmicas e brincadeiras 1. Técnicas de limites e regras sociais 1. Desenvolver a autonomia sem ultrapassar seus limites. 2. Brincadeiras Reflexivas 2. Refletir de maneira recreativa sobre temas como: amizade, companheirismo, carinho e auto-estima.
  8. 8. 7 3. Conversas sobre o exercício da cidadania 3. Que possam conhecer os equipamentos públicos do bairro que moram. Ex: Posto de Saúde, Escolas, mercados, etc. 3. Oferecer apoio psicossocial 1. Apoiar a criança de forma que venha contribuir no tratamento de seus pais. 1. Que possam demonstrar amor, cuidado e interesse por seus pais. 2. Valorização da auto-estima 2. Que possam reconhece-se como criança 3. Valorização da fala de cada um desenvolvendo a escuta. 3. Que possam se sentir valorizados através do diálogo e da escuta.
  9. 9. 8 7. VIABILIDADE DO PROJETO 7.1 CRONOGRAMA Objetivos Específicos Ações Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 Data Prevista Início: Fim: JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO 1. JANEIRO A MARÇO DE 2015 1. ATIVIDADES RECREATIVAS X X X 2. PALESTRAS EDUCATIVAS X X X 3. RODA DE DIÁLOGO X X X 2. ABRIL A JUNHO DE 2015 1. ATIVIDADES EDUCATIVAS X X X 2. RODA DE DIÁLOGO X X X 3. ATIVIDADES RECREATIVAS - EDUCATIVAS X X X Objetivos Específicos Ações Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 Data Prevista Início: Fim: JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO 2. JANEIRO A MARÇO DE 2015 4. ATIVIDADES RECREATIVAS X X X 5. PALESTRAS EDUCATIVAS X X X 6. RODA DE DIÁLOGO X X X 3. ABRIL A JUNHO DE 2015 4. ATIVIDADES EDUCATIVAS X X X 5. RODA DE DIÁLOGO X X X 6. ATIVIDADES RECREATIVAS - EDUCATIVAS X X X
  10. 10. 9 7.2 RECURSOS Recursos Humanos Responsabilidades/ação a desenvolver Vinculo com o Projeto Recreador Atividades recreativas Voluntário Assistente Social Palestras com temas diversos, e acompanhamento social Voluntário Pedagogo Atividades educativas Voluntário Psicólogo Acompanhamento psicológico por meio de dinâmicas e técnicas, como roda de diálogo. Voluntário Recursos Materiais Material Valor Unidade Valor Mensal Valor Total Finalidade Mês 01 Mês 02 Mês 03 Mês 04 Mês 05 Mês 06 Cadernos de 10 mt. 30 * * * * * R$ 11,90 * R$ 357,00 Atividades educativas Lápis grafite 30 * * 30 * * R$ 0,50 * R$ 30,00 Atividades educativas Borracha 30 * * 30 * * R$ 0,50 * R$ 30,00 Atividades educativas Apontador 30 * * 30 * * R$ 2,00 * R$ 120,00 Atividades educativas Lápis de cor (cx) 30 * * 30 * * R$ 4,00 * R$ 240,00 Atividades educativas Giz de cera (cx) 30 * * 30 * * R$ 4,00 * R$ 240,00 Atividades educativas Cola 30 * * 30 * * R$ 2,50 * R$ 150,00 Atividades educativas Tinta gauche (kit) 30 * * 30 * * R$ 4,50 * R$ 270,00 Atividades educativas Pincéis (unid) 30 * * 30 * * R$ 4,90 * R$ 294,00 Atividades educativas Papel ofício (resma) 02 * * 02 * * R$ 13,90 * R$ 55,60 Atividades educativas Cartolina (unid) 30 * * 30 * * R$ 0,50 * R$ 30,00 Atividades educativas Livros (unid) Diversos * R$ 1.000,00 Atividades educativas Bola de futebol (unid) 03 * * * * * R$ 59,99 * R$ 359,94 Atividades recreativas Bola de vôlei (unid) 03 * * * * * R$ 69,99 * R$ 419,94 Atividades recreativas Jogos e brinquedos *** * * R$ 1.000,00 Atividades educativas Aparelho de TV R$ 899,00 * R$ 899,00 Palestras Aparelho de DVD R$ 300,00 * R$ 300,00 Palestras Aparelho de som R$ 500,00 * R$ 500,00 Palestras Total geral R$ 6.295,48
  11. 11. 10 7.3 ORÇAMENTO Recursos Materiais Material Valor Unidade Valor Mensal Valor Total Finalidade Mês 01 Mês 02 Mês 03 Mês 04 Mês 05 Mês 06 Cadernos de 10 mt. 30 * * * * * R$ 11,90 * R$ 357,00 Atividades educativas Lápis grafite 30 * * 30 * * R$ 0,50 * R$ 30,00 Atividades educativas Borracha 30 * * 30 * * R$ 0,50 * R$ 30,00 Atividades educativas Apontador 30 * * 30 * * R$ 2,00 * R$ 120,00 Atividades educativas Lápis de cor (cx) 30 * * 30 * * R$ 4,00 * R$ 240,00 Atividades educativas Giz de cera (cx) 30 * * 30 * * R$ 4,00 * R$ 240,00 Atividades educativas Cola 30 * * 30 * * R$ 2,50 * R$ 150,00 Atividades educativas Tinta gauche (kit) 30 * * 30 * * R$ 4,50 * R$ 270,00 Atividades educativas Pincéis (unid) 30 * * 30 * * R$ 4,90 * R$ 294,00 Atividades educativas Papel ofício (resma) 02 * * 02 * * R$ 13,90 * R$ 55,60 Atividades educativas Cartolina (unid) 30 * * 30 * * R$ 0,50 * R$ 30,00 Atividades educativas Livros (unid) Diversos * R$ 1.000,00 Atividades educativas Bola de futebol (unid) 03 * * * * * R$ 59,99 * R$ 359,94 Atividades recreativas Bola de vôlei (unid) 03 * * * * * R$ 69,99 * R$ 419,94 Atividades recreativas Jogos e brinquedos *** * * R$ 1.000,00 Atividades educativas Aparelho de TV R$ 899,00 * R$ 899,00 Palestras Aparelho de DVD R$ 300,00 * R$ 300,00 Palestras Aparelho de som R$ 500,00 * R$ 500,00 Palestras Total geral R$ 6.295,48
  12. 12. 11 7.4 PARCERIAS Parceiro Tipo de contribuição Viabilidade CONSELHO TUTELAR DO MUNICÍPIO ESCOLA QUE PROTEGE - SECRETARIA DE EDUCAÇÃO - PCR PALESTRAS/ BRINQUEDOTECA Possibilidade de obtenção de recursos materiais e humanos sem custo. PROJETO CÍRCULOS POPULARES - SECRETARIA DE ESPORTE E LAZER - PCR ATIVIDADES RECREATIVAS E ESPORTIVAS Possibilidade de obtenção de recursos materiais e humanos sem custo. ONG'S MATERIAL DIDÁTICO/BRINQUEDOS Possibilidade de obtenção de recursos materiais e humanos sem custo.
  13. 13. 12 REFERÊNCIAS BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei Federal nº 8069, de 13 de julho de 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 20 de novembro de 2014. Brasil. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. Prevenção dos problemas relacionados ao uso de drogas: capacitação para conselheiros e lideranças comunitárias / Ministério da Justiça, Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. – 6 ed. – Brasilia, DF: SENAD- MJ/NUTE-UFSC, 2014. Schneider, Daniela Ribeiro. Caderno de orientação para o projeto de intervenção: curso de prevenção dos problemas relacionados ao uso de drogas: capacitação para conselheiros e lideranças comunitárias / Daniela Ribeiro Schneider, Patricia Maia Von Flach. – 1 ed. – Brasília, DF: SENAD-MJ/NUTE-UFSC, 2014.

×