XIII - FÓSSEIS

2.259 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.259
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
90
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
107
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

XIII - FÓSSEIS

  1. 1. XIII – OS FÓSSEIS ESCOLA FERREIRA CASTRO 13/14 PROFª SANDRA NASCIMENTO 1
  2. 2. Fósseis  As rochas constituem o "livro" onde se escreve a história da Terra; os fósseis são as "palavras", muitas vezes frases incompletas, e, por isso, é fundamental saber interpretá-las. Profª Sandra Nascimento 2
  3. 3. O que são fósseis? 3  restos de seres vivos, ou os vestígios da sua actividade (tais como pegadas, ovos, etc.), que viveu em determinado momento da História da Terra e que se encontram preservados nos estratos das rochas sedimentares. Profª Sandra Nascimento
  4. 4. Fósseis 4 Fósseis Somatofósseis Esqueleto de dinossauro Trilobite mineralizada Icnofósseis Marca de pegadas Ovos Profª Sandra Nascimento
  5. 5. Fósseis 5  Somatofóssil – resto do corpo dos seres vivos.  Icnofóssil – vestígios da atividade dos seres vivos. Profª Sandra Nascimento
  6. 6. Paleontologia/Paleontólogo  Paleontologia: ciência que estuda os fósseis.  Paleontólogo: cientista que estuda os fósseis. Profª Sandra Nascimento 6
  7. 7. O que é a fossilização?  É o conjunto de fenómenos físicos e químicos que permitem a formação de um fóssil. Profª Sandra Nascimento 7
  8. 8. De que depende a fossilização?  A fossilização depende:  Tipo de ser vivo;  Quantidade de oxigénio;  Ambiente onde os seres vivem. Profª Sandra Nascimento 8
  9. 9. 9
  10. 10. Fossilização 10 Profª Sandra Nascimento
  11. 11. Fossilização 11  O soterramento rápido do cadáver, o que acontece mais facilmente em ambiente aquático e calmo.  O soterramento do cadáver por sedimentos finos. Impede a destruição ou predação do cadáver Protegem o cadáver dos predadores e da decomposição. Fixam com mais detalhe as formas do organismo. Profª Sandra Nascimento
  12. 12. Fossilização 12  A temperatura ambiente ser baixa.  A existência de partes duras no organismo . São as mais fáceis de fossilizar Dificulta a decomposição do cadáver Profª Sandra Nascimento
  13. 13. Tipos de fossilização Mineralização Moldagem Conservação Profª Sandra Nascimento 13
  14. 14. Tipos de fossilização Profª Sandra Nascimento 14 Moldagem Mineralização Conservação
  15. 15. Mineralização 15  A matéria orgânica é substituída por matéria mineral. É frequente a manutenção da forma e detalhe do organismo inicial.  É o processo mais comum de fossilização.  Os fósseis mais comuns apresentam apenas partes duras. Profª Sandra Nascimento
  16. 16. Moldagem  Os seres vivos ou os vestígios são cobertos por sedimentos. Após a degradação dos tecidos, resta o molde.  Este pode ser externo (molde exterior de uma carapaça) ou interno (molde do interior de uma carapaça). Profª Sandra Nascimento 16 Profª Sandra Nascimento
  17. 17. Moldagem 17 Molde interno Molde externo Profª Sandra Nascimento
  18. 18. Conservação 18  Muitos tecidos do organismo, incluindo os mais moles, podem ser conservados no gelo ou no âmbar. Profª Sandra NascimentoProfª Sandra Nascimento
  19. 19. Resumindo Profª Sandra Nascimento 19 Faz corresponder as letras da coluna I às frases da Coluna II. Coluna I A. Conservação B. Moldagem C. Mineralização Coluna II 1. Impregnação das partes esqueléticas (conchas, ossos) dos organismos com sais minerais transportados pelos fluídos que circulam nas rochas sedimentares. 2. Reprodução pelo sedimento fino das características morfológicas internas (molde interno) e externas (molde externo) das partes esqueléticas do organismo. 3. Preservação parcial ou total de um ser vivo, que ocorre muito rapidamente num meio sem oxigénio, como, por exemplo, gelo ou resina.
  20. 20. Marcas e vestígios Profª Sandra Nascimento 20  As pegadas, tocas, ninhos e copólitos (excrementos fossilizados) permitem estudar o comportamento dos seres vivos primitivos.  Para além de serem vestígios, as pegadas dos dinossáurios também correspondem a moldes das suas pegadas.  As marcas ou vestígios também são conhecidos por icnofósseis. Profª Sandra Nascimento
  21. 21. Marcas e vestígios Profª Sandra Nascimento 21 Profª Sandra Nascimento
  22. 22. Fósseis Vivos 22  Existem alguns casos de organismos que se mantiveram quase inalterados durante muitos milhões de anos, uma vez que as suas formas fossilizadas são praticamente idênticas a seres vivos atuais.  A estes seres, que não sofreram grandes transformações ao longo dos tempos, dá-se o nome de fósseis vivos. Profª Sandra Nascimento
  23. 23. Fósseis de ambiente ou fácies  Os fósseis que permitem obter informações sobre os paleoambientes designam-se por fósseis de fácies ou fósseis de ambiente. Estes organismos viveram em ambientes com condições muito específicas. Os corais são um bom exemplo de fósseis de fácies. Profª Sandra Nascimento 23
  24. 24. Fósseis de idade Profª Sandra Nascimento 24  Os fósseis que permitem datar rochas designam-se por fósseis de idade: Profª Sandra Nascimento Existiram durante intervalos de tempo relativamente curtos na história da Terra Existiram em grande número Tiveram uma ampla distribuição geográfica
  25. 25. Fósseis de idade 25 Profª Sandra Nascimento Amonite - Mesozoico Trilobite - Paleozoico

×