[Songbook] bossa nova 1 [almir chediak]

1.337 visualizações

Publicada em

[Songbook] bossa nova 1 [almir chediak]

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
221
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[Songbook] bossa nova 1 [almir chediak]

  1. 1. Produzido por Produced by AImir Chediak 1 !$ LumiarEditora 2.aedic;áo revista e ampliada 2.ndedition. revised and enlargerd
  2. 2. Almir Chediak e sua Lumiar Editora lan<ram mais urna cole<raoda série Songbook, desta vez abordando a Bossa Nova. Sao textos, entrevistas e mais de 300 can<r6es,distribuídos em cinco volu- mes, constituindo o mais amplo e profundo traba- lho realizado sobre o tema. Na produ<raodesta obra, Almir contou com a participa<raodireta da maior parte dos autores, desde a escolha do reper- tório, passando pelas revis6es, e até mesmo na es- crita das partituras. Tom Jobim, Roberto Menescal, Carlos Lyra, Joao Donato, Oscar Castro Neves, Luiz Bonfá, Marcos Valle, Francis Hime, Edu Lobo, Luiz E<ra, Sérgio Ricardo, Johnny Alf e outros contribuíram decisivamentepara que o leitor tenha a disposi<rao um material, até entao, quase restrito aos próprios autores. Gra<rasa esse método de trabalho, foram atingidosos propósitos da série Songbook, de pas- sar ao leitor, com a maior fidelidade possível, a melodia, a harmonia, o ritmo e a poesia dos nossos compositores. o Almir Chediak and Lumiar Editora now release yet another collection in the series Songbook, this time dedicated to the Bossa Nova. It inc/udes texts, interviews and over 300 songs distributed throu- ghout, five volumes and constitutes the widest-ret ranging and most profund work ever carried out on this subject, The production of these volumes involved'the direct participation of a large number of composers and performers, from the choice of repertoire and revision of the material to the ac- tual writing óf music. Tom Jobim, Roberto Menescal, Carlos Lyra, Joáo Donato, Oscar Castro Neves, Luiz Bonfá, Marcos Valle, Francis Hime, Edu Lobo, Luiz E~a, Sérgio Ricardo, Johnny Alf and others all made de- cisive contributions so that the reader might have access to material, up until now, almost totally res- tricted to the composers themselves. Thanks to this work method, the aims ofthe Songbook series have been achievel, which are to hand no to the reader material that it the c/osest possible to the melody, harmony, rhythm and poetry of our composers. . Estenovo Songbook da Bossa Nova lan<rado por Almir Chediak vem prestar mais um servi<roa mú- sica popular brasileira. De minha parte, vale dizer, é a primeira vez que vejo minha obra (ritmos, melodias, letrase harmoniza<r6es)corretamente es- crita e impressa. o The Bossa Nova Songbook, released by Almir Chediak, lends great service to popular Brazilian music. As far as I am concerned, this is the first time thatI have seen my music (rhythms, melodies, lyrics and harmonizations) correctly written and printed. Carlos Lyra
  3. 3. Idealizado, produzido e editado por Created, produced and e edited by Almir Chediak Volume1 .62 músicas contendo melodia, letra e harmonia (acordes cifrados) para vioHio,guitarra, piano, órgáo e outros instrumentos. .62 songs containing melody, lyrics and harmony (numbered chords) for accoustic and electric guitar, piano, organ and other instruments. .Todos os acordes cifrados estáo represe ntados graficamente para violáo e guitarra. . ~~~!!..,~ ·All numbe,:edc~ords are represented graphicallyfor . ~~ti~~~~;~~D~~~...and electrzc gultar. l-, ,-S' un l..:,,' ' : . ' 4: .. i 1,1 lC_! ! ~, ~ RIO De:. ...J' _I~Q '" ~ LumiarEditora , ~ ... ,~~ Y¡. o. ' ~~ v -1 ~~~t~, 0A.. CARIOCP-, 1'.", i", ",..,"""""""",,,,,
  4. 4. So8&IJook D Boaa Nava Preciso aprender a ser só Marcos Valle e PauloSérgio Valle. . . .. 112 Razáo de viver Eumir Deodato e Paulo Sérgio Valle 114 Retrato em Branco e Preto Tom Jobim e Chico Buarque. .116 Samba de rei Pingarilho e Marcos Vasconcelos 118 Samba de urnanota só Tom Jobim e Newton Mendon~a ... 120 Sambaem prelúdioBaden Powell e ViniciusdeMoraes 112 Samba triste Baden Powell e Billy Blanco 119 SaudadefezumsambaCarlosLyraeViniciusdeMoraes ... 124 SÓem teus bra~os Tom Jobim 125 SÓtinha de ser voce Tom Jobim e Aloysio de Oliveira ... 126 Sonho de María Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle 128 Tem dó Baden Powell e Vinicius de Moraes 130 Ve Roberto Menescal e Lula Freire 132 Velhos tempos Carlos Lyra e Marino Pinto 134 Voce Roberto Menescal e Ronaldo Bóscoli 136 Voce e eu Carlos Lyra e Vinicius de Moraes 138 Vou por aí Baden Powell e Aloysio de Oliveira 140 Entrevistas em ingles English translations ofinterviews... 142 Índice dos autores Composers index ........................ 146 Vol.me 1 DedicatóriaDedication 8 Valeu a pena Almir Chediak 10 It was worthwhile/Almir Chediak 10 A Bossa NovalSérgio Cabral' 12 The Bossa NovalSérgio Cabral 14 Entrevistas lnterviews: Roberto Menescal 22 Aloysio de Oliveira ... .. . . . . . .. . .. .. 26 Nara Leáo 30 MÚSICAS SONGS A rá Joáo Donato e Caetano Veloso 35 AdrianaRoberto Menescal e Lula Freire 36 Água de beber Tom Jobim e Vinicius de Moraes 38 Ah!,seeu pudesseRobertoMenescal eRonaldo Bóscoli 40 AmanhecendoRoberto Menescal e Lula Freire 42 Até parece Carlos Lyra ... ... 44 Atrás da porta Francis Hime e Chico Buarque 46 Avarandado Caetano Veloso 48 Balan~oZona Sul Tito Madi 50 Batucada surgiu Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle 52 Bim bom Joáo Gilberto 53 Brigas nunca mais Tom Jobim e Vinicius de Moraes 54 Caminhos cruzados Tom Jobim e Newton Mendo~a 56 Can~áodo amor demais Tom Jobim e ViniciusdeMoraes 58 Carta ao Tom 74 Toquinho e Vinicius de Moraes 60 Ciúme Carlos Lyra ... 62 Com~ou de brincadeira Pacífico Mascarenhas 59 Consola~áoBaden Powell e Vinicius de Moraes 64 Deixa Baden Powell e Vinicius de Moraes 66 Demais Tom Jobim e Aloysio de Oliveira 68 Deus brasileiro Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle 70 Dindi Tom Jobim e Aloysio de Oliveira 72 Discussáo Tom Jobim e Newton Mendo~a 67 E vem o sol Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle 74 Enquanto a tristeza náo vem Sérgio Ricardo 76 Esse mundo é meu Sérgio Ricardo 78 Estrada do sol Tom Jobim e Dolores Duran 80 Euseique vouteamar TomJobim eViniciusde Moraes 82 Falando de amor Tom Jobim ... 84 Feio náo é bonito Carlos Lyra e Ruy Guerra 86 Folha de papel Sérgio Ricardo 88 Hó-bá-Iá-IáJoáo Gilberto 77 Imagem Luiz E~a e Aloysio de Oliveira 90 Influencia do jazz Carlos Lyra 92 Inútil paisagem Tom Jobim e Aloysio de Oliveira 94 María Ninguém Carlos Lyra 96 Mais que nada Jorge Benjor 98 Medita~áo Tom Jobim e Newton Mendo~a 100 Minha namorada Carlos Lyra e Vinicius de Moraes 102 Mocinho bonito Billy Blanco 104 Nós e o mar Roberto Menescal e Ronaldo Bóscoli 106 O astronauta Baden Powell e Vinicius de Moraes 95 O barquinho Roberto Menescal e Ronaldo Bóscoli 108 Poema azul Sérgio Ricardo 109 Pra que chorar Baden Powell e Vinicius de Moraes 110 Vol.me 2 Dedicatória Dedication O Em busca da perfei~áo/Sérgio Cabral O In search of perfectionlSérgio Cabral O Entrevistas lnterviews: Carlos Lyra O Caetano Veloso O MÚSICAS SONGS A noiva da cidade Francis Hime e Chico Buarque O Águas de m~o Tom Jobim O Amei tanto Baden Pawell e Vinicius de Moraes O Ana Luiza Tom Jobim O Apelo Baden Powell e Vinicius de Moraes O Ausencia de voce Sérgio Ricardo O Berimbau Baden Powell e Vinicius de Moraes O Bloco do eu sozinho Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle... O Bye, bye Brasil Roberto Menescal e Chico Buarque O Can«áo do amanhecer Edu Lobo e Vinicius de Moraes O Can~o que morre no ar Carlos Lyra e Ronaldo Bóscoli... O Chove chuva Jorge Benjor O Coisa mais linda Carlos Lyra e Vinicius de Moraes O De manhá Caetano Veloso O Desafinado Tom Jobim e Newton Mendo~a O Desejo do mar Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O Este seu olhar Tom Jobim O Eu e a brisa Johnny Alf O Eunáo existo sem voce TomJobim e Viniciusde Moraes O Eu vim da Bahia Gilberto Gil O Faz parte do meu show Cazuza e Renato Ladeira O Feitinha pro poeta Baden Powell e Lula Freire O Fim de ooite Tom Jobim e Newton Mendo~a O
  5. 5. Sougbook o BossaNava . Foi a noite Tom Jobim e Newton Mendonra O A volta Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli O Garota de Ipanema Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Alegria de viver Luiz Era e Fernanda Quinderé O Ilusáo a toa Johnny Alf O Amor de nada Marcos V€lllee Paulo Sérgio Valle O Lobo bobo Carlos Lyra e Ronaldo Boscoli O Arrastáo Edu Lobo e Vinicius de Mora~s O Lugar comum Joáo Donato e Gilberto Gil O Até quem sabe Joáo Donato e Lysias Enio O Manhá de carnaval Luiz Bonfá e Antonio Maria O Aula de matemática Tom Jobim e Marino Pinto O Marchadaquarta-feiradecinzasCarlosLvraeViniciusdeMaraes O Barravento Sérgio Ricardo O María Moita Carlos Lyra e Vinicius de Moraes O Bom de viver Almir Chediak e Moraes Moreira O Me perdoe, Maria Gilberto Gil O Borandá Edu Lobo O Minha Francis Hime e Ruy Guerra O Can<;áodo nosso amor Dalton e Silveira O Minha saudade Joáo Donato e Joáo Gilberto O Canto d~ OssanhaBaden Powell e Vinicius de Moraes O O negócio é amar Carlos Lyra e Dolores Duran O Canto tnste Edu Lobo e Vinicius de Moraes O O nosso amor Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Céu e mar Johnny Alf O O nosso olhar Sérgio Ricardo O Chora tua tristeza Oscar Castro Neves e Luvercy Fiorini .., O O que é amar Johnny Alf O C~ovendo na roseira Tom Jobim O O que tinha de ser Tom Jobim e Vinicius de Moraes O DIsaJohnny Alf e Mauricio Einhorn O Outra vez Tom Jobim O Domingo azul Billy Blanco O Por causa de voce Tom Jobim e Dolores Duran O Dorme profundo Marcos Valle e Pingarilho O Quando chegares Carlos Lyra O E nada ~ais Durval Ferreira e Lula Freire . O Rapaz de bem Johnny Alf O Ela é canoca Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Sabe voce Carlos Lyra e Vinicius de Moraes O Esperan<;aperdida Tom Jobim e Billy Blanco O Samba da ben<;áoBaden Powell e Vinicius de Moraes O Espere um pouco Ugo Marota e Vica Gifoni O Samba da pergunta Pingarilho e Marcos Vasconcelos O Esquecendo voce Tom Jobim O Samba do caríoca Carlos Lyra e Vinicius de Moraes O Fim de semana em Eldorado Johnny Alf O: Samba torto Tom Jobim e Aloysio de Oliveira O Gente Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O Se é tarde me perdoa Carlos Lyra e Ronaldo Boscoli O Insensatez Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Sem mais adeus Francis Hime e Vinicius de Moraes O Ligia Tom Jobim O SeuencantoMarcosValle,PingarilhoePauloSergioValle ... O Luiza Tom Jobim O SÓdan<;osambaTomJobim e Viniciusde Maraes O Mariado MaranháoCarlosLyrae NelsonLins e Barros '" O Só por amor Baden Powell e Vinicius de Moraes O Máxima culpa Sérgio Ricardo O Sonho de lugar Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O Menina Carlos Lyra . O Telefone Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli O Nós Johnny Alf O Terra de ninguém Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O O amor é chama Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O Tete Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli O O amor que acabou Chico Feitosa e Lula Freire O 1;r~ando em miúdos Francis Hime e Chico Buarque O O morro náo tem vez Tom Jobim e Vinicius de Moraes O UltImo canto Francis Hime e Ruy Guerra O O pato Neuza Teixeira e Jaime Silva O Vagamente Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli O Ole-Ola Chico Buarque de Holanda O Valsa rancho Francis Hime e Chico Buarque O Olhou pra mim Ed Lincoln e Silvio César O Zeláo Sérgio Ricardo O Passa por mim Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O ~n~vistas em ingles/English translations of interviews O PelasmasdoRecifeMarcosValle,NoveliePauloSérgioValle O Indlce dos autores/Composers index O Pernas Sérgio Ricardo O Por um amor maior Francis Hime e Ruv Guerra [j Poucadura<;áoPacíficoMascarenhas.~ O Praias desertas TomJobim e Vinicius de Moraes O Primavera Carlos Lyra e Vinicius de Moraes O Reza EduLobo e Ruy Guerra O Rio Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli O Samba de veráo Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O Só mesmo por amor Carlos Lyra O Também quem mandouCarlos Lvra e ViniciusdeMoraes .. .. O Temadobonecodepalha VeraBr'asileSivanCastelo Neto .. .' O Tem dó de mim Carlos Lyra O Tereza da praia Tom Jobim e Billy Blanco O Triste Tom Jobim .O Upa neguinho Edu Lobo e Vinicius de Moraes .C' Vivo sonhando Tom Jobim .O Wave Tom Jobim .0 Entrevistas em ingles English translations of interviews......O Índice dos autores Composers index ...0 Volame 3 Dedicatória Dedication O O jovem Vinicius/Sérgio Cabra O The young Vinicius/Sérgio Cabral O Entrevistas Interviews: Joáo Donato O Gilberto Gil O MÚSICAS SONGS A felicidade TomJobim e Vinicius de Moraes O A grande ausente Francis Hime e Paulo César Pinheiro ... O AmortedeumdeusdesalRobertoMenescaleRonaldoBoscoli .., O
  6. 6. Sougbook a Bossa Nava Por toda a minha vida Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Pouco me importa Francis Hime e Ruy Guerra O Pra dizer adeus Edu Lobo e Torquato Neto O Puladinho Sérgio Ricardo O Sabiá Tom Jobim e Chico Buarque O Samba de Orfeu/Luiz Bonfá e Antonio Maria O Santa Teresa Francis Hime e Olivia Hime O Se todos fossem iguais a voce Tom e de Vinicius O Seu Chopin desculpa Johnny Alf O Simples carinho Joáo Donato e Abel Silva O Tamanco no samba Orlando Divo e Elton Menezes O Tarde em Itapoá Toquinhp e Vinicius de Moraes O Tempo feliz Baden Powell e Vinicius de Moraes O Terceiro amor Francis Hime e Cacaso O Tristeza de nós dois Mauricio Einhorn. Durval Ferreira e O Bebeto O Última forma Baden Powell e Paulo César Pinheiro ro - Verbosdo amorJoáoDonatoe AbelSilva ., Viola enluarada Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle ~~ ~ntrevistas em ingles English translations of interviews. '!~4;1 ¡, lndice dos autores Composers index "/"'~ fIi I ~e Vol.me 5 ~~~~~.. ?,~r"" i ..,- ~ tJ!; ' 1; '0... ~ . ' . ".Jtt"' . . ..~ :r1~~ oo . 0'0 r.;.~ -. . 4'--'.. ["[O'" ~~'o ~fAI#t'~ '''~ . ...~.. grJJ '..- .. ~ ~ ... ~ o Q ~._'pi¡,'~--- ¿:.". . . .""/) a ;;,;. .~...~,.. .. .~¡JP,.. O ~ .~ :J;! IC "...3 ..~. O t:I . ifa#".~~..~.~~ Vol.me 4 Dedicatóna Dedication O Tom: revolu<;áocom beleza/Sérgio Cabral O Tom: revolution with beauty/Sérgio Cabral O Entrevistaslnterviews: Tom Jobim O Ronaldo Bóscoli O Sérgio Ricardo O Johnny Alf O MÚSICAS SONGS A meia luz Francis Hime e Ruy Guerra O A paz Joáo Donato e Gilberto Gil O A tarde Francis Hime e Olivia Hime O Ainda mais lindo Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O Alvorada Mauricio Einhorn. Arnaldo Costa e Lula Freire . O Amazonas Joáo Donato e Lysias Enio O Anoiteceu Francis Hime e Vinicius de Moraes O Anos dourados Tom Jobim e Chico Buarque O Bananeira Joáo Donato e Gilberto Gil O Batida diferente Durval Ferreira e Mauricio Einhorn O Beijo partido Toninho Horta O Bolinha de Sabáo Orlann Divo e Adilson Azevedo D Brisa do mar Joáo Donato e Abel Silva O Cade voce Joáo Donato e Chico Buarque O Candeias Edu Lobo O Cara Bonita Carlos Lyra O Cartáo de visita Carlos Lyra e Vinicius de Moraes O Chuva Dorival Ferreira e Pedro Camargo O Cora~áo vagabundo Caetano Veloso O Corcovado Tom Jobim O De onde vens Dori Caymmi e Nelson Motta O Dia de vitória Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle O Eh! Maria Joáo Donato e Gutemberg Guarabira O Embarca~áoFrancis Hime e Chico Buarque O Emorió Joáo Donato e Gilberto Gil O Erros de gramática Carlos Lyra e Marino Pinto O Essa passou Carlos Lyra e Chico Buarque O EstamosaíMauricioEinhorn.DurvalFerreiraeReginaWerneckO Estrada branca Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Eu preciso de voce Tom Jobim e Aloysio de Oliveira O Eu te amo Tom Jobim e Chico Buarque O Febril Gilberto Gil O Gaiolas abertas Joáo Donato e Martinho da Vila O Lamentio no morro Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Luiza Francis Hime e Chico Buarque O Máscara Francis Hime e Ruy Guerra O Minha desventura Carlos Lyra e Vinicius de Moraes O Mo~a flor Durval Ferreira e Lula Freire O Mundo velho Sérgio Ricardo O Naná Moacyr Santos e Mario Tel/es O No cordáo da saideira Edu Lobo O O cantador Dori Caymmi e Nelson Molta O O grande amor Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Pois é Tom Jobim e Chico Buarque O MúSICA~ ~~:.d . -;,~ A mulherdeca porto '. ~ lj/ e' icoBuarque .. .... Amor Certinho Rober. J! ~ T O Amor em paz Tom Joblm 'ICI de Moraes r::::... O Aos pés da santa cruz Marin Pint - Gon~alves ;... O Aqui ó! Toninho Horta e Fernando Brant. O Baiáozinho Eumir Deodato ~ . S( O Bate boca Tom Jobim ~ O Beatriz Edu Lobo e Chico Buarque O Bolinha de papel/Geraldo Pereira ............................ Bonita TomJobim .. ........ Bons amigos Toninho Horta e Ronaldo Bastos ............... Cai a tarde Tom Jobim O Caminho de Pedra Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Can~áodo olhar amado Chico Feitosa e Marino Pinto O Cansei de ilusóes Tito Madi O Chansong Tom Jobim O Chega de saudade Tom Jobim e Vinicius de Moraes O Chegan~aEdu Lobo e Oduvaldo Vianna Filho O Choro Bandido Edu Lobo e Chico Buarque O Chove lá fora Tito Madi O Cidade Vazia Baden Powell e Lula Freire O De palavra em palavra Miltinho. Maurício Tapajós e Paulo Cesar Pinheiro O ,
  7. 7. 'opyright das composi~óes musicais inseridas neste álbum estao indicados no final de cada música. .Music copyrigh/s are found al/he end of each song. O Capa/Cover: Bruno Liberati. O Composi~o gráfica dos acordes e letras com clfraslGrophic composilion of chord charts and Iyrics wilh chords: Mulfiformas O Composi~o gráfica das partituraslGraphic composilion of sheet music: Edu Mello e Souza. O Revisao de textolProofreading: Ana Lúcia Salazar, Paulo César Corgan e Gerdal. O Diagrama~oILayout: Fernando Pena. O Participaram da produ~o deste Songbookl50ngbook praduction assistants: Horondino Reis (Dininho), Marisa Gandelman, Alexandre de La Pena, Luciana Oliveira, Estevao Cooto Teixeira, Mussolini Alves, Maril Aviles, Monica BiUencoun, Argil, Claudia San toro. O VersáolEnglish transla/in: Garry e Elizabeth Hernington. O Revisao das partituraslM usir revision: Jan Guest 1990 O FotoslPhotos: . Conesia ManchetelCortesy Manchere. . AJ.B. Evandro Teixeira, Fernanda Mayrink, Delfin Vieira, Ronaldo Theobald, Moacyr Gomes, Luis Carlos, Almir Veiga, Beatriz Schiller, Antonio Teixeira, Claudio Krubusly, Zaca Feitosa, José Carlos Brasil. Albeno Ferreira e Odyr. . Frederico Mendes, Paulo Ricardo, Thereza Eugénia, Márcio R. M., Paulo Borges e Paulo Diniz. OBS.: - Pane das fotos de época foram cedidas pelos compositores e intérpretes. OB5.: Many olderph%s arefrom rhe singers' and songwrirers' personal files. O Composi~aolTypesetting: Rama Anes Gráficas. .Agradecimentosespeciaisaos compositores e intérpretes que colaboraram diretamente neste projeto, desde a escolha do repenório, pesquisa de fotos, revisóes ou até mesmo na escrita das próprias músicas, fazendo com que este Songbook se tornasse realidade. Special/hanks rorhesongwrirersand musicianswho helpedpu//his projec/ roge/her. They helped in choosing /he reperroire. researching ph%s. proofreading and musical nota/ion, /uming rhe Songbook idea in/o reality. . Direitos de edi~ao para o Brasil: Publishing righ/s for Brazi/: Lumiar Edi/ora. Av. Nossa Senhora de Copacabana. /95, sala 6/0 - Rio de Janeiro - Brasi/- Tel.: (021) 54/-9/49.
  8. 8. .Para Nara Leáo, mais do que .a musa da Bossa Nova, a doce guerreira de nossa música. To Nara Leáo, more than the muse ofthe Bossa Nova, thefairest and staunchest supporter of our music.
  9. 9. "" Valeua pena De urna conversa com Roberto Menescal, em 1986, nasceu a idéia da cria~áo de um songbook com as obras mais signifi- cativas da Bossa Nova, para atender, principal- mente, os músicos. Menescal sugeriu que eu reunisse, pelo menos, 100 can~óes, animando- me até com a perspectiva de repercussáo inter- nacional de urna obra dessa natureza. O número de músicas pareceu-me satisfatório e saí em campo para selecioná-Ias. Voltei a con- versar com Menescal e procurei também outros bossa-novistas ilustres, como Carlos Lyra, Sér- gio Ricardo, Nara Leáo, Aloysio de Oliveira, Marcos Valle, Francis Hime e outros. A lista de can~óes foi aumentando: de 100, cresceu para 132;depois, 156, passou para 184, deu um pulo para 206, aumentou para 228 e acabou che- gando a mais de 300, que tiveram que ser distri- buídas em cinco vo1umes.Na verdade, selecio- nei as músicas sem me preocupar com um limi- te. O queeu queria mesme era um songbookreu- nido o que há de mais significativo desse glorio- so capítulo da música popular brasileira, que é, sem dúvida. a Bossa Nova. A partir da sele~áomusical, foi dado início ao processo de organiza~áo das letras e das parti- turas, além das edi~óes das entrevistas e dos tex- tos de Sérgio Cabral. Sérgio e eu trabalhamos em conjunto na tarefa de definir o conteúdo dos quatro volumes, com a preocupa~áo também de oferecer urna série de informa~óes capazes de elucidar o leitor sobre a história da Bossa Nova e as circunstancias que proporcionaram a sua cria- ~áo e o seu desenvolvimento. Para atingir esse objetivo, as entrevistas com os próprios perso- nagens do movimento foram de fundamental im- portancia. O conteúdo deste Songbook é fruto de um ri- goroso trabalho que teve em vista a absoluta fi- de1idadeaobra dos compositores, em termosme- lódicos, rítmicos, harmónicos e poéticos. Nessa missáo, contei com a decisiva ajuda dos autores, come~andopela escolha do repertório e indo até as revisóes e a escrita das músicas. Por causa disso, o leitor observará que a can~áo Tema do boneco de palha está escrita de maneira di- ferente do que foi mostrado na sua mais famosa grava~áo, feita pela violonista Rosinha de Valen~a. É que Rosinha náo seguiu a risca a composi~áo original, esta, sim, reproduzida neste Songbook. Esta mesma situa~áo ocorreu, também, nas músicas lJalan~oZona Sul Maria Moita, ou mesmo em Chega de saudade, consa- grada na voz de.Joáo Gilberto, mas escrita para este Songbook a partir de urna grava~áo do pró- prio Tom. Vm dos momentos mais curiosos deste trabalho aconteceu na revisáo de Feio náo é bonito, quando descobrimos que havia urna
  10. 10. nota da melodia chocando-se com um determi- nado acorde. Ao invés de trocar o acorde, como sempre ocorre em casos assim, Carlinhos Lyra preferiu mante-Io, trocando a nota da melodia. E justificou a sua decisáo, acentuartdo que o acorde, naquela situa~áo, era mais importante, por transmitir exatamente a emo~áo contida na letra. Para quem, como eu, ama a Bossa Nova desde a infancia, sentindo-se atraído pela sua ri- queza melódica, rítmica, harmónica e poética- algo muito especial na música popular de todos os tempos -, este'Songbook representa, sobre- tudo, um trabalho fascinante. É urna grande emo~áo saber que, de agora em diante, por cau- sa desta obra, a Bossa Nova está preservada, do- cumentada e colocada a disposi~áo de quem queira compartilhar desta nossa grande inven- ~áo, reconhecida mundialmeQtecomo um tipo de música verdadeiramente brasileira. Os que pensam que a Bossa Nova foi um fe- nómeno que durou apenas de 1958 a 1962- a sua fase áurea -estranharáo, provavelrpente, a presen~a de músiCas produzidas bem depois, como Anos dourados, Faz parte do meu show, Bye, bye Brasil, Tema de amor por Gabriela e Febril. Mas estas can~óes provam a perenidade da Bossa Nova, ,urnalinguagem musical que náo se esgota em si mesma,~pois foi capaz de in- fIuenciar, direta ou indiretamente, inúmeroscri- adores surgidos a partir dos primeiros anos da década de 60. Acho mesmo que todas as inúsi- cas interpretadas por Joáo Gilberto ou compos- tas por Joáo Donato, Carlos Lyra, Menescal ou Tom Jobim, teráo, inevitavelmente, a marca da Bossa Nova, ainda que apresentadas em generos que váo desde o bolero a marchinha. Como é fácil imaginar, contei com a cola- bora~áo de muitas pessoas para que este-Song- bookse tomasse urna realidade. A essa gente, a minha imensa gratidáo. Almir Chediak
  11. 11. Itwa.)worthwhile T he idea of a songbook containing all the most significant works of the Bossa Nova, intended mainly for musicians, arosefrom a conversation with Roberto Menes- cal in 1986. Menescal suggested that 1got toge- ther about 100 songs and 1 became very excited at the idea of the possible international reper- cussions of such a book. The number of songs seemed reasonable to me, so1set out to select them. 1talked toMenes- cal again and also other wel/-known Bossa Nova musicians, such as Carlos Lyra, Sérgio Ricardo, Nara Ledo, Aloysio de Oliveira, Mar- cos Valle and Francis Hime, amongst others. The list of songs gradually grew larger. From 100 it grew to 132, then to 156, then 184, it suddenly jumped to 206, then 228 and finally reached 300, which had to be distributed throughoutfive volumes. To be honest, 1wasn't too concerned about a limit when 1 chose the songs. What 1 really wanted was a Songbook thatwould contain everything that was most sig- nificant in that glorious chapter of the history of Brazilian popular music, which is, without any doubt, the Bossa Nova. Having chosen the music, 1then started on the organization of the lyrics and the actual written music, as well as editing Sérgio Cabral's inter- views and texts. Sérgio and 1worked together in deciding on the content of thefour volumes. We were also concerned with information that would tell the reader about the history of the Bossa Nova and the circumstances that led to its creation and development. To do this, the inter- views with the leaders of the movement were fundamental. The contents of this Songbook are the result of rigorous work aimed at absolutefaithfulness to the works ofthe composers in terms of melody, harmony, rhythm and poetry. 1 was able to count of the decisive help of the composers in this respect, starting with the choice ofrepertoi- re, the revision of the material and even the ac- tual writing of the music. For this reason, the reader will notice that the song Tema do Boneco de Palha is written differently from what came out on the famous recording by guitarist Rosi- nha de Valen~a.At the time, Rosinha didn'tfol- low the composition exactly. Yet it is the origi- nal composition that y,ou willfind in the Song- book. This also applies to the songs Ba1an~o Zona Sul, Maria Moita, and even Chega de sau- dade, by Tom and Viniciu:s, made famous by lodo Gilberto, but written in this Songbook ac- cording to a recording made by Tom himseif. One of the most curious things that happened in
  12. 12. , , this work was in the revision of Maria Moita when we discovered that there was one note in the melody that clashed with a certain chord. Instead of changing the chord, as one would normallydo, CarlosLyrapreferred to keep itand change the note of the melody. His reason, he explained, was that, in this case, it was more important to accentuate the chord, as it thus transitted tyhe emotions of the lyrics exactly. For someone like myself, who has loved the Bossa Nova ever since 1 was a child and has always been attracted by its melodic, harmonic, rhythmicandpoetic richness- somethingthat is so special in thepopular music of any age -, this Songbook has, above all, providedfascina- ting work. It is exciting to think that, from now on, because of it, the Bossa Nova is preserved, documented and made available to whom so ever shares in this, our grat invention, which has been recognized worldwide as a type of mu- sic that is truly Brazilian. Those who think that the Bossa Nova was a phenomenon that lasted onlyfrom 1958 to 1962 - its golden age - will probably find it surpri- sing that some of the music was produced well after this, such as Anos dourados, Faz parte do meu show, Tema de amor por Gabriela and Fe- bril. These songs serve to prove the eternal re- novation ofthe Bossa Nova, a musicallanguage that is never exhausted, since it has influenced, directly or indirectly, innumerable composers who arose after thefirst years of the 60s. 1feel that all the music performed by lolio Gilberto, or composed by lolio Donato, Carlos Lyra or Tom lobim, among others, will inevitably bear the mark of the Bossa Nova, even if if they are presented in guises that varyfrom the Bolero to the Marchinha. As one canimagine, 1resorted lomany people to make this Songbook a reality. To thesepeople 1 owe my most profound gratitude.
  13. 13. S98 aDkDBoaa Ncwa Beco das Garrafas?), mas reduzir a Bos- sa Nova a essa influencia seria ficar longe da verdade. Tom Jobim, por exemplo, jamais confirmou essa in- fluencia em sua música, confessando que, na verdade, sua obra bebeu muito mais nas harmonias chopinianas do que ChamelD a ntinha lDásiea simpleslDente de sam.ba no jazz. Joáo Gilberto, um dos grandes líderes do movimento, pediu, cecta vez, que náo chamassema sua música de Bossa Nova, mas, simplesmente, de samba. O pianista e compositor Joáo Donato, em entrevista que me concedeu em 1977, afirmou que náo tinha nada com a Bossa Nova: Bossa Nova é ne- gócio de Tom Jobim, de Joáo Gilberto, todos meus amigos, mas eu náo gosto disso, nOO.Os caras querem que eu seja 18 Joio DooaID: um dos criadores, um dos papas, mas tudo isso é conversa fiada. Se pergun- tarem o que acho da Bossa Nova, digo que acho enjoada, meio lengo-Iengo, cheia de nhenhenhém. E o pfÓpriOCar- los Lyra tentou, na virada da década de 50 para 60, mudar o nome de Bossa Nova para sambalanro, mas náo foi bem sucedido. Foi ele, aliás, o primeiro a sair ~m campo para protestar contra a "Influencia do jazz" na Bossa Nova, com um samba ironicamente vestido de urna orquestra~áo francamente jazzís- tica. Queiram ou nOO,foram eles persona- gens fundamentais na cria~áo da Bossa Nova. Tom Jobim, Newton Mendonc;a, Carlos Lyra, Roberto Menescal, Oscar Castro Neves, Sérgio Ricardo e outros contribuíram com o enriquecimento da harmonia e com urna nova tendencia melódica, de caráter intimista. (O ve- terano cantor, radialista e violonista Paulo Tapajós me contou que, quando viu, pela pnmeira vez, Menescal tocar o seu violáo, num show realizado na sede do Fluminense. ficou táo confuso que pensou em deixar o instrumento de la- do. "Tudo o que aprendi náo vale mais nada", imaginou.) JoOOGilberto entrou
  14. 14. Scmgboo~ e Bossa Nava Sérgio Ricardo' o jeito revolacionário de cantar com o seujeito revolucionário de cantar e com a sua famosa batida do violáo. Viniciusde Moraes, Ronaldo Boscoli, a dupla Tom-Newton Mendon"a e o táo pouco lembrado letrista Carlos Lyra uenxugaram"a letra tradicional, tornan- do-a menos derramada e menos pala- vrosa, na forma e no conteúdo. Náo há quem, ao fazer um retrospecto da mú- sica popular brasileira, negue que, na segunda metade da década de 50, acon- teceu urna acentuada mudan"a de romo que, se náo conduziu a MPB inteira para outros caminhos, foi capaz de mar- car o panorama da época e de influen- ciar urnaextraordinária gera~o de cria- dores que viria a seguir e que pode ser considerada urna das mais importantes JoIuinyAlf de todos os tempos. Marcos Valle, Francis Hime, Edu Lobo, Chico Buar- que de Holanda, Caetano Veloso, Gil- berto Gil e Paulinho da Viola, que sur- giram na década de 60, podem ser apon- tados (preservando-se sempre o estilo e a forma~o de cada um) comoftlhos da Bossa Nova. Para urnacompreensáo correta do que foi o movimento, é preciso que se diga que a Bossa Nova náo chegou, na época, as paradas de sucesso. Urna con- sulta nas relac;óesdos discos mais ven- didos naqueles anos vai indicar que o consumidor de músicas preferia muito mais os boleros cantados por Anísio Silva e por Orlando Dias, os sambas- canc;óesdo repertório de Nelson Gon- "alves, as versóes de músicas estrangei- ras, etc. Mas isso demonstra apenas que, raramente, a sociedade de con- sumo e a realidade musical estáo no mesmo barco (ao receber o disco Chega de saudade, de Tom e Vinicius, com Joáo Gilberto, o entáo chefe do departa- mentode vendas da Odeon em Sáo Pau- lo, Oswaldo Gurzzoni, convoco u os vendedores, colocou o disco na vitrola e apresentou o cantor estreante:"Ou"am a merda que o Rio de Janeiro nos manda." E quebrou o disco, em segui- da). Sucesso comercial mesmo seria ob- tido nos Estados Unidos, onde músicas como Desafinado. Samba de urna nota só e Garota de Ipanernaforam vendidas aos milhóes. É por isso que Antonio Carlos Jobim fica aborrecido quando Iheperguntam sobre a influencia do jazz na Bossa Nova: - Se há influencia, a Bossa Nova in- fluenciou muito mais o jazz do que o jazz influenciou na Bossa Nova. Influenciou a música norte-americ~- na e mudou a música brasileira, acres- cento eu. Sergio Cabral 17
  15. 15. Songbook o Bossa Nava TheDo.).)aNova If you want to ascertain the exact day on which the Bossa Nova was born, you have many dates to choo- se from. For example, it could have been that day when critic and historian Lúcio Rangel introduced António Car- los lobim to Viniciusde Moraes in a bar in downtown Rio, which led to Jobim composing the music for Vinicius' play Orfeu da Conceic;áo.It could also have been the day when Tom Jobim called Aloysio de Oliveira, then artistic direc- tor for the Odeon recording company, to invite him to his house to meet a guy from Bahia who sang differently called loúo Gilberto. Or perhaps it was when loúo Gilberto himself played the guitar during the recording of Chega de Sau- dade by Elizeth Cardoso for the album Canc;áodo amor demais. You might also choose the day on which Tom lobim, in his notes on the record cover of Chega de saudade, introducedloúo Gilberto as a Bossa Nova (New Wave) Bahian o] 27. On the other hand, you might pin- pont the day on which Tom lobim and Newton Mendonr;a composed Desafi- nado, the words ofwhich said, "This is Bossa Nova. This is very natural." A youngmember 01 tlJe Sjnatra-Farney Fá-CJub Anyway, whichever day you choose, you won't be toofar from the truth, al- though it won't be the whole truth. The Bossa Nova was the result of a process that began in the 40s when composer and pianist Custódio Mesquita started to use certain forms in his Sambas- can~'oes which, until then, had only been used in erudite music and North- American jazz. At that time, the river was only a trickle, so to speak. Its hori- zons were broadened during the rest o] the 40s when the extraordinary guitar player Garoto (Anibal Augusto Sardi- nha) also went beyond the conventional limits of our music, both in his composi- tions and in his performances. Guitar player Norival Carlos Teixeira - Valzi- nho's off-key chords also surprised lis- teners. He took part in a group led by Garoto in the 40s, which has a most ex- pressive name- Bossa Clube, TheBos- sa Club. The river widened. Still in the 40s, singers such as Dick Farney and Frank Sinatra e Tom Jobim, 1967 Lúcio Alves and vocal groups like the Cariocas adopted styles and repertoi- rees that included elements that, up un- til then, had been exclusively American. In the 50s, ayoung member ofthe Si- natra-Farneyfan club set up by alumni ofthe Brazil-United States Institute, cal- led Alfredo José da Silva, amazed musi- cians and singers with his latest compo- sitions. By this time, he was no longer Alfredo losé da Silva, but Johnny Alf, one of the basic names of the pre-history of the Bossa Nova, especially for such songs as O que é amar (1952) and Ra- paz de bem (1953) and for the piano style in the nights of Copacabana and Tbe country was beginning to assert itself. his way of singing. Still at the beginning of the decade, the Samba-canr;úoDlias contas (Garoto) was one ofthe mostfre- quentlyplayed songs on the thenpower- fui Rádio Nacional. The melody was quite differentefrom the usual songs of the time and the lyrics had no rhyme. It was, without doubt, a harbinger ofwhat was to come. The maestro Lindolfo Ga- ya, whopdid thearrangementsfor many songs at the beginning ofthe Bossa No- va also thought that the young compo- sers ofthe 50s were highly influenced by the harmony and melodic development of the song Laura (Johny Mercer and David Raskin). Over the bed ofmusical novelties, it was no longer a stream that ran, but a river, in the years 1954,1955 and 1956, with the recordings of music by Tom Jobim and Carlos Lyra. In 1956, when singer Silvinha Teles recor- ded a r~cord in 78 rpm, with Menina (Carlos Lyra) on one side andFoi a Noi- te in Jobim and Newton Mendonr;a) in . the other, producer Aloysio de Oliveira, having recently arrivedfrom 17years in the United States, goty a surprise. Foi a noitewas not a Samba, nor a Samba- canr;úo,nor a Bailad. "1 could see that something new was being born", he la- ter revealed. It must be understood that, in 1956, Brazil was changing. It was the first year of luscelino Kubitschek's govern- ment and the presidential plan to make the country develop 50 years in 5 was in full swing. Architects Lúcio Costa and Oscar Niemeyer had been called in to plan and construct the new capital. Lar- ge international companies had been in- vited to instal the automobile industry and the country was entering a phase of 18
  16. 16. Songbook [J Bossa Nava Joáo Gilberto 18
  17. 17. SoDgbook [J Bossa Nava great self-assertion, with a growing economy,lull employment ami a moder- nizing cultural impetus that was to be rellected in the theater, the cinema. sports (we were wor/d soccer cham- pions lor the first time in 1958, Maria Ester Bueno won all the international tennis championships and Éder lolre deleated all his opponentes in the bo- xing ring) and even journalism, lor it was in the second half 01the 50s that the Jornal do Brasilled the most successlul editorial and printing relorm ever car- ried out by the Brazilian press. At the same time. a magazine called Senhor was widely acclaimedlor its modernity. Popular music, therelore, could not re- main aloollrom the atmosphere 01reno- vation, especially as it had at its dispo- sal the new technology 01 high fidelity sound and the lO-inch LP. The groups 01musicians and compo- sers who. in ever-increasing numbers. met in clubs in Copacabana. in shows, In tbe Bossa Nova, we' re aU bourgeois. in the Castro Neves' house and the apartments 01 Nara Leiio and pianist Bené Nunes (a great personallriend 01 Presidente Kubitschek) were socially and culturally differentIrom the bulk 01 the producers 01Brazilian popular mu- sic. Almost all 01their members lived in the South Zone 01Rio de laneiro. They belonged to the middle class (in the Bos- sa Nova, we're all bourgeois. Vinicius de Moraes once said). They had usually been to university.or wereon thepoint 01 entering. They knew about musical tech- niques (we cannotlorget that most olthe music at the time was pejoratively cal- led the product 01matchbox composers) and one 01their aims was to make Bra- zilian popular music as sophisticated as the music they heard on records impor- ted lrom the USo It certainly was not their intention to slavishly copy whate- ver come inlrom outside, but to use re- sources in our Samba that, in their opi- nion. would improve it greatly. As it was not a movement that had set rules. the Bossa Nova was the result 01indivi- dual contributionIrom each 01its mem- bers. Theyhad in common a desire to do something new and a conviction that what had been done belore. with the usual exceptions. Vas"square" There- r .. Carlos Lyra -- Roberto Menescal 20
  18. 18. Songbook o Bossa Nava Vinidus de Moraes e Tom Jobim fore, throughout the years, we find the most diverse interpretations of the mo- vement in interviews with the founding members themselves. There was a clear connection with jazz. (Who doesn't re- member the famous jam sessions in the Beco das Garrafas?). But to reduce the Bossa Nova to this influence alone would befar from the truth. Tom Jobim, JustcaU my music Samba. for example, has never confirmed this influence in his music. He confessed that, in fact, his works imbibed more from the harmonies ofChopin thatfrom jazz. Jodo Gilberto, one ofthe great le- aders of the movement, once requested that his music be called simply Samba and not Bossa Nova. Pianist and com- poser Jodo Donato, in a interview he gave me in 1977, said that he had no- thing to do with the Bossa Nova. ''The Bossa Nova is Tom Jobim, Jodo Gil- berto and all my friends. But 1 don' t like it. They want me to be one of the founders, one of the popes, but 11 that's all bullshit. /f they ask me what 1 think of the Bossa Nova, 1say / think it's sickly, it's rather boring. 1tjust goes on and on." Carlos Lyra himself tried at the end of the 50s, to change the name of the Bossa Nova to Sambalan's'o,but in vain. He was, in fact, the first one to protest openly about the influence of jazz in the Bossa Nova in an ironic Samba with afrankly jazz orchestration. However, whether they like it or not, they werefundamental characters in the creation of the Bossa Nova. TomJobim, Newton Mendon's'a, Carlos Lyra, Ro- berto Menescal, Oscar Castro Neves, Sérgio Ricardo and others contributed with enriched harmony and a new melo- dic tendency of a very intimate charac- ter. (Veteran singer, radio announcer and guitarplayer Paulo Tapajós told me that, when he first saw Menescal play his guitar, in a show at the headquarters of the Fluminense Soccer Club, he was so bewildered that he thought of giving up the instrumento "Everything J'd lear- ned didn' t mean anything anymore," he imagined.) Jodo Gilberto came in with his revolutionary way of singing and his famous guitar technique. Vinicius de Moraes, Ronaldo Boscoli, the duo Jo- bim-Newton Mendon's'aand the poorly- remembered lyricist Carlos Lyra tighte- ned up the traditional lyric forms and made them less wordy, both inform and in contento On looking back over Bra- zilian popular music, no one can deny that, during the second half of the de- cade of the 50s, a definite change of direction took place that, while it did not alter popular music' s trajectory completely, it did leave its mark on the times and influence the extraordinary generation of musicians that were tofol- low, which can be considered one ofthe most important of all. Marcos Valle, Francis Hime, Edu Lobo, Chico Buar- que, Caetano Veloso, Gilberto Gil and Paulinho da Viola, who all arose in the 60s, could be called (while upholding each one's own style and background) sons of the Bossa Nova. To understand correctly what the mo- vement was it must be said that the Bos- A definite change of direction took place sa Nova did not shoot into the hit para- des of the times. A glance at the lists of the best selling records at that time shows that the consumer of music much preferred the boleros sung by Anísio Silva and Orlando Dias, the Sambas- can's'óesof Nelson Gonralves and ver- sions offoreign music etc. But this only goes to show that rarely is the consumer society in the same boat as musical re- ality. When the then Head of the Sales Department of Odeon in Sdo Paulo, Os- waldo Guzzoni, received the record Chega de saudade, by Tom Jobim and Vinicius de Moraes, sung by Jodo Gil- berto, he called the salesmen, put the record on the record player and intro- duced the new singer with the words, "Just listen to the shit Rio de Janeiro has sent us". He then broke the record. Commercial success was to come in the United States, where songs such as De- safinado, The One Nota Samba and The Girl from lpanema, sold in their milli- ons. This is why Antonio Carlos Jobim gets annoyed when he is asked about the influence ofjazz on the Bossa Nova. "lf there is influence, the Bossa Nova in- fluenced jazz much more than jazz in- fluenced the Bossa Nova. 1 would add that it influenced American musfc and changed Brasilian mÚsic." Sergio CabraJ 21
  19. 19. SoDgbook o Bossa Nava EntrevistalRoberto Menescal ~ OntribUi~aOde Roberto Menes- cal para a música popular bra- ileira é tao intensa quanto deci- siva. Desde a academia de violao, que criou com Carlos Lyra, nao parou de produzir, seja como violonista, como compositor, como líder de conjunto ou como produtor de discos. Poucos pro- fissionais da música tiveram no Brasil urna atua~ao tiío rica e tao variada. Estudou teoria, harmonia e violao com Moacir Santos, teoria, harmonia e contraponto com GuetTaPeixe e, já em 1959, participava da sua primeira gra- va~ao, no long-play Garotos da Bossa Nova, lan~ado pela Odeon. Participou dos primeiros shows da Bossa Nova. Seu grande sucesso como compositor aconteceu em 1961, com O barquinho, em parceria com o letrista de quase to- das as suas músicas, Ronaldo Bóscoli. Compós também, com Ronaldo, entre outras, Rio. Telefone. Vagamente. Nós o mar e VoceoUmdos seus últimos su- Silvia Teles e Roberto Menescal. 1959. cessos foi Bye.Bye Brasil (letra de Chi- co Buarque de Holanda), feita para o filme do mesmo nome de Cacá Die- gues, com quem já havia trabalhado (como autor da trilha sonora) no filme Joaoo. afrancesa. Outro filme que teve músicas de Menescal foi Vai trabalhar. vagabundo, de Hugo Carvana. Com o seu conjunto acompanhou vários cantores e gravou dois discos na Elenco, A Bossa Nova de Roberto Me- nescal e seu sexteto e A nova bossa de Roberto Menescal. Na década de 70, assumiu a dire~aoartística da gravadora Philips, sendo o responsável pelo lan~a- mento de muitos nomes que se tornaram famosos na música popular brasileira. Foi ele, por exemplo, que uniu, pela primeira vez, em disco, Caetano Veloso e Chico Buarque de Holanda, gravado nwn show realizado na Bahia. De 1986 a 1989, atuou ao lado da cantora Nara Leao em apresenta~óes realizadas em todo o Brasil e no exterior. - ALMIR CHEDIAK - O que significou a Bossa Nova para voce? ROBERTO MENESCAL - A abertura de todas as portas profissionais e a possibilidade de partir para a sonhada carreira de músico e de compositor. Tenho a impressao de que, se nao fosse a Bossa Nova, tudo seria muito difícil, pois teria que lutar sozinho. Achávamos que o mundo razia a mesma coisa ALMIR - Como e quando ela nasceu? MENESCAL - Nao houve urna data certa. A Bossa Nova foi nascendo aos poucos e se formando. Tanto que a gente já estava com ela e nao havia nem esse nome de Bossa Nova. A gente nao se imaginava em gueto, pois se encontrava todas as noites e achava que o mundo fazia a mesma coisa. Na verdade, a nossa realidade ia apenas até onde a vista alcan~ava. ALMIR - E como voces .fe conheceram? MENESCAL - Havia um objetivo comum, que era o de fazer urna música com urna harmonia melhor e urna letra mais moderna. A harmonia foi a mola inicial. Era urna coisa assim: "Tem o Carlinhos Lyra no (colégio) Mallet Soares, que faz urna música como a gente está fazendo." Parti,atodo mundo atrás do Carlinhos Lyra: "Tem um tal de Bebeto, lá na Tijuca, que toca um contrabaixo assim assado." Vamos na Tijuca encontrar com Bcbeto. E a turma foi-se formando.Naopodehaverurnadata. Antes da gente. já havia o Johnny Alf. o Oonato. o Lúcio Alves. o Oick Farney. o Jobim. todo mundo fazendo um tipo de música que a gente gostava. ALMIR - E. aí. sllr~illJoáo Gilberto. MENESCAL - É verdade. Foi marcante. O Carlinhos Lyra já tinha uns sambas no novo estilo. mas a batida nao era definida. Quem inventou isso foi o Joiio. Ele tocou violao na grava<;aode C"e~a de .wlldalleda Elizeth Cardoso. Aquilo 22 , . " " ~ 11 ..,
  20. 20. Songbook o Bossa Nova e. I I I . .. 23
  21. 21. Songbook e Bossa Nava - foi um marco. Até entáo, eu tinha urna batida, o Durval Ferreira tinha outra, o Carlinhos fazia a sua, o Sérgio Ricardo tocaya piano ao seu jeito e o :rom tocaya diferente. Joáo chegou e definiu tudo. ALMIR - A Bossa Nova acabou mudando tudo. MENESCAL - primeiro, foi a harmonia. Abriu-se um leque de harmonias para a gente. O grupo ouvia música norte-americana, principalmente o jazz. Lembro-me do disco em que Julie London cantou Cry me a river, acompanhada pelo violáo do Bamey Kessel. Aquilo era um tratadode harmoniapra todojovem que tocaya violáo. Tirar aquela harmonia foi um desafio. Cada um que conseguia fazer igual a Bamey Kessel telefonava para o.outro. Enfim, com essa mudanc;ade harmonia, voce ia enriquecendo a melodia. Fotografei voce Da minha RoUeyflex ALMIR - Uma riqueza de progressóes harmonicas na Bossa Nova. MENESCAL - Claro. Entraram as quartas, as famosas quartas. Todo mundo falav.,anos acordes dissonantes que eram nada mais do que as nonas e as quartas. Junto com essa mudanc;a, veio a necessidade de urna letra nova. O Bóscoli mudou muita coisa nas letras. O Yinkius, a Dolores Duran, o Newton Mendonc;a- aliás, ótimo em "Fotografei voce na minha Rolleyflex". A atitude musical mudou, as roupas tilmbém mudaram. ALMIR - E que caminhos. na sua opiniáo. foram abertos? MENESCAL - Abriu, principalmente, para a juventude universitária. Ninguém na faculdade podia ser músico. Tinha que ser engenheiro, médico, etc. Yoce era músico ou era doutor. O que fizemos foi falar na linguagem deles. E a música comec;oua ganhar universitários, como o próprio Tom, ,o Carlinhos Lyra, o Edu, o lvan Líns e o Cl)ico, que vieram depois, e outros mais. ALMlR - Fale um pouco do Tdm Jobim. Roberto Menescal e Ronaldo Bóscoli MENESCAL - Sempre foi Omeu guru. Eu queria conhecer OTom e náo conseguia. Eu ia aos lugares e ele náo estava lá. Foi urna frustrac;áoque carreguei durante muito tempo. Um dia, veja voce, Tom bateu na minha porta. Eu estava dando aula naquela academiazinha que tinha com o Carlinhos Lyra e o Tom apareceu. Foi mais ou menos em 1958. Ele queria gravar a trilha do filme Orfeu do Carnaval e me procurou, dizendo ter sabido que eu tinha um estilo no violáo como o de Lúcio Alves. "Yoce pode ir?" Nem voltei para avisar o aluno. Estava com o violáo na máo e já saí com o Tom. ALMIR - Deve ter sido uma grande emoráo pra voceo MENESCAL - Era urna admirac;áo, assim, total. Aliás, com o Joáo Gilberto foi a mesma coisa. Estava em casa, nas bodas de prata dos meus pais, numa festa incrív~l, 200 pessoas, eu lá, de temo e gravata, atendendo as pessoas, quando chegou o Joáo, vestido de maneira esportiva. Foi logo perguntando: "Yoce tem um violáo aí?" Eu disse que tinha, mas perguntei pra:que. "Pra gente tocar um pouquinho." Yoce imagina que eu náo sabia que era o Joáo Gilberto? Mas ele tinha tal forc;aque falei: "Yem pra. cá." Fomos para um quarto que náo estava sendo usado na festa e, quando ele deu o primeiro acorde, perguntei: "Yoce é o Joáo Gilberto?" E ele: "Sou, como é que voce sabe?" Expliquei: "Porque o pessoal do Trío lrakitan fala muito de voce." ALMIR -/sso foi antes de voce conhecer o Tom? MENESCAL - Mais oUmenos na mesma época. Náo sei qual dos dois foi.o prímeiro. Aí, eu falei: "Joáo, espera eu tirar o paletó e vamos embora." Saí e fiquei fora de casa tres dias. Apresentei o Joáo a todo mundo que eu conhecia. Também tinha urna grande admirac;áopor eJe, a distancia. 24
  22. 22. Songbook [J Bossa Nava 'Flávio Ramos. Don Payne. Chico Feitosa. Luiz ~a. Roberto Menescal e Jorginho Guinle Já conhecia OHó-bá-lá-lá que os caras tocavam e contavam depois que O Joáo era um cara incrível e que eu tinha que conhece-lo. ALMIR - E o Vinicius de Moraes? MENESCAL - Com Vinicius foi diferente, po(que eu era um desportista e ele um boemio. Meu negócio era fazer pesca submarina o dia inteiro. A gente até que se encontrava, de vez em quando, e ele me tratava com carinho. Chegamos até a conversar sobre urna parceria que nunca saiu. Nós tínhamos tipos de vida diferentes. ALMIR - E o show do Carnegie Hall. comofoil MENESCAL - Foi urna experiencia engra<;ada.Falaram comigo, uns dez dias antes, tinha aquele negócio de passaporte, mas eu náo sabia direito o que era o Carnegie Hall. Cheguei lá, era aquela coisa imensa, onde se apresentam os grandes astros da música internacional. E me fizeram cantar, veja voceo Foi a primeira vez na minha vida que cantei em público. Aliás, minha carreira de cantor foi muito rápida. Come<;ouquando cantei O barquinho no Carnegie Hall e acabou ali mesmo. ALMIR - Qualfoi a sua primeira música gravada? MENESCAL - Foi urna música terrível. Chamava-se Jura de pombo. Nem gosto de falar muito dela. ALMIR - Seu grande sucessofoi O barq1,linho.nao é verdade? MENESCAL - Foi. Mas eu tive outras que também fizeram,sucesso, como Tete. Nós e o mar. Rio. Vagamente e outras. ALMIR - Na sua opiniao. quais foram os principais precursores da Bossa Nova? MENESCAL - Dick Farney, Lúcio Alves, Garoto, Johnny Alf e outros mais. O Tom Jobim também foi um precursor. Foi a noite foi um hino nacional pra gente. ALMIR - E o Joao Donato? MENESCAL - Esse também. O Joáo Donato tem aquele ritmo especial. Ele bate pé num ritmo e canta no outro. Na verdade, esses caras todos foram os degraus por onde nós subimos. Os degraus por onde nós subimos ALMIR- Cite dez can~'óes que nao podem faltar neste Songbook. MENESCAL - Do Tom, Garota de lpanema, sem dúvida, Desafinado. Chega de saudade. Dindi, tem muitas. Corcovado náo pode faltar. Do Carlinhos, Saudade fez um samba, que tem urna coisa rítmica muito legal, Voce e eu, urna por<;áo.O barquinho, é claro. Samba de verao é outra._ Música é o que náo falta. 26
  23. 23. Songbook o Bossa Nova aquelas músicas estranhas do Custódio Mesquita, muita coisa do Ary Barroso e do Garoto, além das interpreta<;óes de Dick Farney e do Lúcio Alves. O primeiro disco que fiz na Odeon foi aquele de Silvinha Teles cantando Foi a noite. Senti que, naquele momento, acontecia alguma coisa diferente na música popular brasileira. ALMIR - Vocefoi talvez a pessoa mais importante na aproxima~'áoentre os artistas da época. Só se dá valor depois de exportado ALOYSJO - Eu sou de capricórnio. Se voce ler alguma <;oisasobre os capricornianos, verá que sáo indivíduos que gostam de juntar as pessoas. Depois da grava<;áode Foi a noite , passei a me aproximar do Tom. Lembro-me até hoje do dia em que ele me mostrou Chega de saudade. Senti também que era algo diferente. ALMIR - O disco Chega de saudade estourouprimeiro em Sáo Paulo. ALOYSIO - lsso mesmo, gra<;asa um divulgador da Odeon, chamado Adair Lessa, que botou o disco debaixo do bra<;oe saiu divulgando nas emissoras de rádio. Tinha que haver umesfor<;oespecial, porque Joáo Gilberto era urna coisa nova. E urna coisa curiosa, o Joáo Gilberto. Quem o ouvia a primeira vez, geralmente, náo gostava. Tinha que se acostumar Quem O ouvia pela primeira vez náo gostava com ele. Aquele chefe de vendas,da Odeon, que quebrou o disco, me confessou, depois, que ficou arrependido da sua rea<;áo.E se tornou um grande fá do Joáo Gilberto. Tenho a impressáo de que passaram a dar mais valor a ele, no Brasil, depois que foi exportado. Aqui, é assim. SÓse dá valor as coisas depois que .sáo exportadas. ALMIR - Que caminhos abriu a Bossa Nova? ALOYSIO - Abriu caminho para as pessoas que náo teriam vez, se náo fosse esse movimento. Na época em que a Bossa Nova surgiu, apareceram compositores dos quais nunca havia ouvido falar. Para artistas como 4;.; :...:...,.."...:""'-> . <;;" ""~4-. a Carlos Lyra, Aloysio de Oliveira. Nara Leáo e Vinicius de Moraes. Rio. 1965. Johnny Alf, Lúcio Alves, Silvinha Teles, Dolores Duran e Agostinho dos Santos, por exemplo, o movimento foi R1uitoimportante. Havia um cantor antigo, afastado da vida artística, que foi muitQlembrado na época, por causa de sua maneira de cantar, o Mário Reis. ALMIR - Uma pessoa esquecida. mas mui(o importante. foi Newton Mendon~'a.voce náo acha? ALOYSIO - Exato.Masissojá aconteceu com várias pessoas. Da parceria Vadico- Noel Rosa, só se fala em Noel. ALMIR - O New!on. em parceria com Tom. fez grandes clássicos da Bossa Nova. como Desafinado, Samba de urna nota só, Medita<;áoe muitos outros. ALOYSIO - É verdade. Mas existem outras pessoas assim. Muito antes da Bossa Nova, houve um compositor muito importante, chamado Hekel Tavares. Hoje, ninguém fala dele. ALMIR - Com duas palavras: Tom. Vinicius e Joáo. ALOYSIO - Estáo interligados por uma.série de coisas. Sáo os tres nomes do Chef?ade saudade. E deixa um pézinho pra mim, porque fui eu que fiz o disco. ALMIR - E vocé como produtor? ALOYSIO - Eu tinha as armas na máo, compreende? Tinha a bdeon, que era urna gravadora importante. E tinha também o Au Bon Gourmet, o Zum-Zum, onde fazia os shows. Ou seja: fazia os discos na Odeon e os shows nas boates. ALMIR.~ E o Carnegie Hall? ALOYSIO - Aquilo foi o primeiro .resultado da exporta<;áoda Bossa Nova, promovida por um cavalheiro... sempre me esque<;odo nome dele... era disc-jóquei em Washington (nota do editor: era o disc-jóquei Felix Grant) que apareceu por aqui quando fiz aquele show com Vinicius, Tom, Joáo Gilberto e Os Cariocas no Au Bon Gourmet. Ele ia a boate todas as noites. Quando voltou para os Estados Unidos, saiu carregado de discos e come<;oua apresentá-Ios em seu programa. Daí em diante, o Stan Getz passou também a tocar, até que um produtor de discos, o Sidney Frey, lan<;ouum LP de Bossa Nova no Carnegie Hall, com a ajuda do nosso Ministério.das Rela<;óesExteriores. 28
  24. 24. Songbook o Bossa Nova Vinicius de Moraes, Tom Jobim, Joáo Gilberto e Os Cariocas (Quartera, Luiz Roberto, Severino Filho e Badeco), Au Bon Gourmet. agosto de 1962 Depois do show, OTom e o Joáo Gilberto ficaram por lá a incrementarem ainda mais a música brasileira na América do Norte. ALMIR - Voce considera a Bossa Nova um tipo de música exclusivamente carioca? ALOYSIO - Náo. O Baden Powell acrescentou um sabor africano. O Edu Lobo baseou-se em temas nordestinos. A Bossa Nova tem várias máscaras. Toda música tocada por Joáo Gilberto ou por Baden Powell passa a ser Bossa Nova de alguma maneira. ALMIR - Vocé considera o Johnny Alf um precursor? ALOYSIO - Estou certo de que ele nunca pensou nisso. Tocava a música dele sem pensar em mudar nada, em transformar o mundo. A Dolores também náo estava pensando nisso. O Tom Jobim nunca sentou no piano e disse: "You modificar isso tudo.'-' Cada um fez as suas obras. Depois que a ge.nteviu que elas estavam niódificando as coisas. ALMIR - Diga o nornede cinco músicas que náo podem faltar a este Songbook. . ALOYSIO - Noutro dia, estava dando urna entrevista a Rádio Jornal do Brasil e o cara me perguntou que música do Tomdeveria tocar. Escolhi urna que quase ninguém conhece, que até hoje náo tem letra. Mas é urna música com muito swing, porque o Tom é um cara cheio de swing. Aquela música sem letra mostrava isso. Entáo, a minha rela<;áopode ser a mais variada possível, dependendo do pretexto que a gente tem para indicar a música. Poderia indicar, por. exemplo, SÓdanro samba, apesar de, nesse caso, a letra do Yinicius náo ter importancia nenhuma. Desafinado, eu sei que náo pode faltar, pela sua constru<;áomelódica e harmónica, entendeu? De maneira que sáo muitas as músicas que náo podem faltar. A Bossa Nova tem várias máscaras ALMIR- Qual a import{mcia que vocé dá ti letra da música? ALOYSIO - Ela promove a populariza<;áoda obra. É urna questáo de comunica<;áo.Yoce poderia imaginar urna can<;áocarnavalesca sem letra? Seria impossível, pois o pessoal náo pode cantar o tempo todo lá-rá-rá-rá. O Tico-tico no fubá só passou a ser popular depois que a Carmem cantou com letra. A letra, por sinal, é minha, mas isso náo tem a menor importancia. O Carinhoso, do Pixinguinha, também náo tinha letra. Eu pedi ao Joáo de Barro para fazer urna letra, para fechar o primeiro ato de um show que foi feito no Teatro Municipal, em 1936, chamado "Parada das Maravilhas". Quem cantou foi a Heloísa Helena, urna mo<;ada sociedade que depois se tornou urna atriz bem conhecida. Mais tarde, o Orlando Silva gravou Carinhoso e foi aquele sucesso. ALMIR - Para terminar, gostaria que vocéfalasse dos intérpretes d(l Bossa Nova. ALOYSIO - Bem, já falamos de quase todos eles. Do Joáo Gilberto, que come,<ouessa coisa toda, da Silvinha Teles, da Dolores Duran,mas náo podemos esquecer de Nara Leáo, que foi importante como cantora e pelo trabalho que realizou. Tanto assim que sempre foi chamada de "musa da Bossa Nova". 29
  25. 25. Soaabook e Bossa Nava Entrevista I Nara Leao ~ OYSiOde Oliveira tem toda ra- zao: Nara Leao é urna pessoa uito importante na história da Bossa Nova. Desde as reunióes dos jo- vens compositores e instrumentistas em sua casa, a sua participa~aofoi decisiva, inclusive saindo na frente para estabele- cer o casamento da Bossa Nova com o samba tradiciona'l. Em seu primeiro disco, quando todos esperavam ouvi-Ia cantando. as músicas dos seus compa- nheiros de movimento, ela - a musa da Bossa Nova - surpreendeu o público com um antológicodisco em que figura- vam músicas de Zé Kéti e H. Rocha, Joao do Vale e Cartola, entre outros. .Épreciso destacar, porém, a sua con- tribui~aoao samba tradicional, nao peio simples fato de gravá-Io, mas.pela inter- preta~ao moderna, acrescentando um colorido que come~ava na participa~ao da cantora e passava pelo violao de Geraldo Vespar, comaqueleritmo mara- vilhoso e urnaharmonia perfeita, princi- palmente no sambaViz quefui por aí, de Zé Kétie H. Rocha. Aop~aode Nara por esse tipo de rep.ertóriofoi o resultado do proselitismo do compositor Carlos Lyra, na época empenhado numa fusao da Bossa Nova com a música brasileira tra- dicional. Ele próprio levou a sua prega- ~aoa prática, compondo o Samba da le- galidade7em parceria com Zé Kéti. Nara Leao foi urna das pessoas mais coerentes que já conheci. Fazia exata- mente o que pensava, sem se importar com os comentários alheios. No auge da sua carreira, largou tudo para estudar psicologia. Quando voltou a música, continuou. a fazer os seu s discos de acordo com o seu gosto e suas convic- ~óes.NumLP, voltoua surpreendercan- tando músicasde Roberto e Erasmo Car- los. Mais tarde, !nterpretoumúsicas nor- te-americanasda década 4e 40, com ver- sóes que ela mesma fez. Antes, dedicara um álbum duplo a Bossa Nova. Foi com essa firmeza queconstituiuurnadas mais fascinantes e respeitáveis carreiras da músicá popular brasileira. Nos últimos anos de sua vida, fez du- placom seu amigo de infancia, além de ~ompositor, arranjador e violonista, Ro- berto Menescal, um dos principais por- sonagens da história da Bossa Nova. A voz e o violao se harmonizavam, sua in. terpreta~ao era impecável, numa inte- Nara Leáo e Silvinha Teles, 1966. gra~ao total. Gravaram discos no Brasil e no exterior. Menescal foi testemunha privilegiada da luta que Nara travou, com todo o vigor, contra uina doen~ain- curável que a acometeu desde 1984.Mas ela trabalhou, cantou, viajou, viveu, en- fim, dando mais um exemplo de urnaex- traordinária personalidade que jamais será esquecida. A sua entrevista sobre a Bossa Nova foi concedida pouco antes de falecer. ALMIR CHEDIAK - O quefoi a Bossa Nova para vocé? NARA LEÁO - Foi importante para mim e para a humanidade, pois , mudou a música do mundo intéiro. E preciso destacar, em primeiro lugar, Joao Gilberto, porque ele mudou tudo, tudo, tudo. O Joao chegou até a ser o cantor que náo gritasse era desafinado chamado de desafinado , coisa que ele nao é. Na verdade, é afinadérrimo, a coisa mais afinada do mundo, mas as pessoas achavam que um cantor que nao gritasse era desafinado Talvez por causa da letra de Desafinado. Aliás, é preciso chamar a aten~aopara o Newton Mendon~a, que fez Desafinado, Samba de uma nota só e outras músicas com o Tom. O Newton era fantástico. E tem o Joao Gilberto, nao é? Agora mesmo, gravou aquela música (cantarola) "madame, lá rá rá"(nota do editor: Pra que dIscutir com madame?, de Janet de Almeida e Haroldo Barbosa), repetindo cinco, seis, sete, oito vezes, sempre mudando a harmonia. Reparou que ele muda o lugar dos acordes? A O violáo sozinho parece ama orq~estra maneira de cantar é fantástica, nao precisa de orquestra nenhuma. O violao, sozinho, parece urna orquestra. Com a boca, faz urna bateria, faz milhares de coisas. Entao, mudou tudo com Joao Gilberto, nao é? ALMIR - Joáo Gilberto mudou tudo isso. E, na letra. qualfoi a mudanfa com a Bossa Nova? NARA - A mudan~a da letra também foi importante. Havia urna parte substancial da nossa música em que as letras eram dramáticas, sentimentais, derramadas. A Bossa Nova veio com aquele negócio do amor, sorriso, flor, sol, céu, entendeu? Era urna coisa leve. ALMIR - A Bossa Nova continua viva? 30
  26. 26. Songbook [] Bossa Now r L Nara Leáo, 1982 . 31
  27. 27. ~ngbook a Bossa Nova NARA - Vivíssima. Aqui, voce sabe, tem aquele problema das rádios. É urna coisá que náo entendo, mas ela continua muito viva e muito nova. A gente houve Chopin há quantos anos? A música.quando é boa, a.gente ouve sempre, com prazer. E a Bossa Nova contribuiu muito com a nossa música tradicional.Voce reparou no violáo do Geraldinho Vespar em Diz quefui por aí? (cantarola) "S.e alguém perguntar por mimlDiz que fui por ar'. Antes da Bossa Nova, o samba náo tinha urna harmonia rica. ALMIR - O que voce achou do famoso espetáculo de Bossa Nova no Carnegie Hall? NARA - Eu náo fui, mas parece que foi um show muito mimo Apareceram algumas pessoas interessadas, mas foi urna bagun~a, pelo que ouvi falar. ALMIR - E afamosa influencia do jazz? NARA - Na harmonia, sim. Se bem que agora é a Bossa Nova que está influenciando o jazz. ALMIR - Voce gostava dos festivais? NARA - Apareceram bons compositores, como o Mílton Nascimento, por exemplo. Os primeiros festivais, principalmente, foram muito bons. A TV Record tinha. diariamente programas de música popular brasileira. Hoje, náo. Hoje, o cantor só vai 11televisáo para cantar o sucesso. Enfim, as coisas pioraram muito. Aliás, o Brasil piorou, náo é? Fiquei com a impressao de que descobri o BrasD ALMIR - Voce Levoumuitos anos sem graV(lrBossa Nova. mesmo sendo chamada de musa da Bossa Nova. NARA - Quando o CarlinhosLyra me apresentou a Zé Kéti, ao Joáo do Vale e ao Cartola, na casa dó Berié Nunes, percebi que eles estavam mais de acordo com a realidade brasileira, que náo era apenas ficar na praia tocando Bossa Nova. Com a ajuda do Carlinhos Lyra, fiquei com.a impressao de que descobri o Brasil. Acho que, antes disso, eu estava alienada. ALMIR - Quer dizer que o Carlinhosfoi o responsável por essa coisa toda. . NARA - Náo sei. A gente acaba... A verdade é que estava sentindo falta de.alguma coisa, que náo me sentia Nara Leáo e Joáo do Vale, t~atro Opíniáo, 1964 - jZé Keti, Nara Leáo e Nelson Cavaquinho, 1964 muito bem, entende? Já conhecia O Vianinha (nota do editor: o autor teatral e ator Oduvaldo Viana Filho, na época, um dos líderes do Centro de Cultura Popular - CPC - ao qual pertencia o compositor Carlos Lyra), o pessoal do Teatro de Arena. Eu já estava disponível para aquilo. No fundo, a gente pode procurar alguma coisa, mesmo sem ter.consciencia da procura, náo é verdade? ALMIR - Cite alguns momentos, na sua opiniao.muito importantes para a Bossa Nova. NARA - O show do Au Bon Gourmet, com Vinicius, Tom, Joáo Gilberto e Os.Cariocas, todos juntos. O primeiro disco do Joáo Gilberto foi outro capítulo importante. As músicas do Carlinhos Lyra, que sáo muho bonitas e muito ricas. Aliás, a primeira vez que entrei num estúdio para gravar foi num disco dele. ALMIR - A grava~ao das músicas de Tom Jobim por Frank Sinatra foi um desses momentos? NARA - Noutro dia, estava assistindo a um vídeo em que o Sinatra'.cantava em ingles e o Tom participava em portugues. Nós todos vibramos. Estava lindo. ALMIR - Algumas can~óes que nao podem faltar no Songbook da Bossa Nova. NARA ~ Desafinado,Sambade uma nota só, Chega de saudade. Voce e eu,. O barquinho, tem urna por~áo delas. ALMIR - Fale um pouco daquelas reunióes na sua casa. NARA - Todo mundo ia. O Joáo, o Tom, o VlniCius,o Carlinhos Lyra, a Silvinha Teles, o Menescal... Era um apartamento'amplo, na Avenida Atlantica, entre Santa Clara e Constante Ramos. Meu pai ficava jogando paquer com o Millar Femandes, Leon Eliachar e outros, 32
  28. 28. SoDgbook [J Bossa Nava - - ~--v Nara Leiio, Roberto Meoescal, Bebeto e Dori Cayrnrni, 1959 enquanto a gente ficava cantando e tocando violáo. De manhá, ele saía para trabalhar, dava um" oi" pra todo mundo e a reuniáo continuava. De vez em quando, eu fazia urna macarronada para o pessoal comer. ALMIR - Comofoi a história do seu primeiro disco? O Joao Gilberto me inibia de cantar Bossa Nova NARA- o Carlinhos Lyra me apresentou aos sambas e eu achei urna coisa muito interessante, entendeu? Eram sambas, mas tocados de maneira bossa-novista. Na época, eu achava que náo podia cantar urna coisa que .loáoGilberto já tinha cantado, porque eu acho que ele canta de urna maneira extraordinária. SÓtive coragem de fazer Bossa Nova quando fui para Paris e gravei um álbum duplo. O Joáo me inibia de cantar Bossa Nova. I I .~( - I Elizeth Cardoso, Nara Leiio e seu pai Jairo Leiio, 1958 33
  29. 29. .... (" ----. Luiz E<;ae Nara Leao, 1965 Joao do Vale, Nara Lea() e Chico Buarque - -------- Nara Leao e Bad.:n Powell, 1965 Edu Lobo, Aloysio de Oliveira e Nara Leao Luiz ~a, Edu Lobo, Nara Leao e VimclUs Moraes, 1965 Nara Leao e Joao do Vale, Teatro Opiniao. 1964 34 1; l Moacir Santos e Nara Leao J
  30. 30. Songbook o Bossa Nova Ara JOÁO DONATO E CAETANO VELOSO Dm7(9) 07(13) Fm7(9) Bb7(13) E7(13) E7(b13) Em7 A7(b9) F7M Fm6 D7(13) D7(b13) Dm7 A7M WI WIlm;.WI VI VI VE I Dm7(9)/ G7(13) / Dm7(9)/ G7(13) / Dm7(9)/ Corodecor Sombradesom decor Demalmequer Demalmequer debem Debemmediz Deme G7(13) / Dm7(9)/ G7(13) / Dm7(9)/ G7(13) / Dm7(9)/ dizendo assim Serei feliz Serei feliz de flor De flor em flor De samba em samba em som De vaie vem De G7(13) / Fm7(9)/ Bb7(13) / E7(13)E7(b13) Em7 A7(b9) F7M/ verdeverde ver Pé de capim Bico de pena pio De bem-te-vi Amanhecendo sim Perto de mim Perto da Fm6/ E7(13) E7(b13) Em7 A7(b9) D7(13) D7(b13) Dm7 G7(13) A7M/ cIaridadeDa manha A gramaa lama tudo É minha irma A rama o sapo o salto De urna ra Dm7(9) G7(l3) Dm7(9) G7(I3) Dm7(9) G7(13) Dm7(9) G7(13) Dm7(9) G7(I3) Dm7(9) G7(13) Fm7(9) Bb7(l3) Copyright by WARNER/CHAPPELL EDI<;ÓES MUSICAIS LIDA Rua General Rabelo, 43 -Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitosreseMldos. 35 E7(13) E7(b13) Em7 A7(b9) F7M Fm6 E7(I3) E7(b13) '-.-.1 Em7 A7(b9) D7(13) D7(b13) Dm7 G7(13) A7M ....-.1 ....-.1
  31. 31. Songbook o Bossa Nova Adriana ROBERTO MENESCAL E LULA FREIRE Cm7 Om7 Dm7 07 C7 F7M Em7 A7 IIIIIIIIC7M F#m7(I>S) Fm6 C/E El>7(9) DI>7M C6 AI>7M I m II I mm 11m;NI Cm7 l l l Deixa todo o mundo l Gm7 l l l l Cm7 Desperta de teu sono e vem, ll l l Dm7 vem OUVlr l l l G7 Cm7 l Tanto de ll ternura, l Gm7 l l l l Cm7 mas tanto de tristeza vai ver ll l l Gm7 vai sentir IIIC7 F7M l l l l Em7 Todo este mundo nao vale l l l A7 Dm7 l l l IC7M l l / I F#m7(bS) Todo o amor que vem com voce Mas l l l Fm6 </E /11 Eb7(9) Dm7 nao tenha medo da vida Que l l l eu estarei Db7M C6 l l l l Cm7 l l l l Gm7 l l / l Cm7 l comvoce Tanto de ternura, mas tanto de tristezavaiver l l Gm7 Cm7 l Mas nao ficará s6, l l Gm7 Cm7 l nem sÓficarei eu l l Gm7 Ab7M l l l E aTerra há de can-tar Um nome Gm7 Cm7 l l I que nas-ceu Gm7 Cm7llI Gm7 Cm7 / / / Adri-a-na, A-driana Cm7 Gm7 Cm7 G7 Cm7 Gm7 Cm7 38 - I Gm7 C7 F7M Em7 A7 Dm7 I I t '-........ -/' I I I I I ., ....-/ ..,.. - - ... . C7M F#m7(b5) Fm6 C/E Eb7(9)Dm7 Db7M v"- T U "--"
  32. 32. Ab7M Gm7 Cm7 Gm7 Cm7 Gm7 ... Copyright by ROBERTO MENESCAL e LULA PREIRE. Todos os dircitos reservados. 37
  33. 33. Songbook o Bossa Nava ~ Agua de beber TOM JOBIM E VINICIUS DE MORAES Bm7 C#7 F#7(b13) G7M Em7(9) A7(13) D7M(9) D~ D7(9) F#¡ B7 E7 IWIWIWI I I IIntrodu~o: Bm7 / C:fI:7 F:fI:7(J,13) Bm7 / C:fI:7 F:fI:7(b13) Bm7 / G7M / Bm7/F:fI:...7(J,S)/Bm7/ C:fI:7 F:fI:7(J,13) Bm7 / C:fI:7 F:fI:7(J,13) Bm7 / G7M / Bm7 / Bm7 / C:fI:7 / F:fI:7(J,13) Eu quis amar / Bm7 / E7(9) / Em7(9) mas tive medo E quis salvar / A7(13) / D7M(9) / Dt meu ea ra~o / C:fI:7 Mas o amor / F:fI:7(J,13) / Bm7 / 07(9) / C:fI:7 sabe um segredo O medo / F:fI:'~ pode matar / Bm7/ B7 o seucora~o / E7 Águade beber / Em7(9) / Bm7 / Água de beber camará B7 / E7 Água de beber / Em7(9) , / Bm7 / / / C:fI:7 / F:fI:7(J,13) / Bm7/E7(9) Aguade beber camará Eu nuncafiz coisatáo certa / Em7(9) / A7(13) / Entrei pra esco---la do D7M(9) / Dt / C:fI:7 / F:fI:7(b13) perdáo A minha ca-sa / Bm7 / 07(9) / C:fI:7 / F:fI:¡ / viveaberta Abri todas as portas do Bm7 cora~o / B7 / E7 / Em7(9) / Bm7 / B7 / E7/ Em7(9) / Bm7 / Águade beber Água de beber c.amará Águade beber Água de beber camará Introdu~o Bm7 .C#7 F#7(b13) Bm7 C#7 F#7(b13) Bm7 G7M Bm7 r 1~vez---' í 2~vez- F#m7(b5) Bm7 Voz ... C#7 F#7(b13) ~ Bm7 E7(9) 38 .0.
  34. 34. Songbook o Bossa Nava B7 .'i ~7M(9) D7(9) . C#7 r--v---~#7(b13) C#7 E7 ~ Em7(9) Copyright by JOBIM MUSIC. Copyright by TONGA EDITORA MUSICAL LTDA Av. Rebou~, 1700,conj. 3 - Siio Paulo - Brasil. Todos os direitos reservados. Bm7 Bm7 F#m7(bS) MI =-J DC. sem repeti~p 39
  35. 35. Songbook o Bossa Nova Ahl, se ea padesse ROBERTO MENESCAL E RONALDO BÓSCOLI Fm7 BI17(9) EI17M Cm7 Dm7 G7(13) I I 11.lmlGm7 C7(9) F7M Em7 A7 I II IID7(9) AI17M AI16 F7(#11) C7M E7M WI WI mi I I IFm7 / BI17(9) Ah!, se eu pudesse te buscar sorrindo / EI17M E lindo fosse odia, / Cm7 / Dm7 / como um dia foi E indo nesse lindo, feito pra nós G7(13) / Gm7 / C7(9) / Fm7 / Bb7(9) dois Pisando nisso tudo que se fez can~o Ah!, se eu pudesse te mostrar as flores / EI17M Que cantam sua cores / Cm7 / Dm7 / G7(i3) / Gm7 / C7(9) / pra manhá que nasce E cheiram no caminho como quem falasse As coisas mais bonitas pra manhá de sol F7M / Bb7(9) / Em7 / A7 / D7(9) / / Ah!, se eu pudesse, no flDl do caminho Achar nosso barquinho e levá-Io ao mar Ah!, se eu pudesse tanta poesia / Ab7M / Ab6 / Fm7 / Dm7 G7(13) C7M / Ah!, se eu pudesse, sempre, aquele dia Ah!, se eu pudesse te encontrar serena Eu juro, pegaria tua máo F7(#11) pequena / C7M / F7(#11) / E7M / / / E juntos vendo o mar Dizendo aquilo tudo, quase sem falar Eb7M Cm7 ,, , . Dm7 G7(13) ",--..... Gm7 C7(9) Eb7M Cm7 ~. 40
  36. 36. Songbook o Bossa Nava G7(13) --- Gm7 C7(9) F7M ~b7(9)- . D7(9) Ab7M A6 -- Fm7 Dm7 ,, , G7(13) C7M F7(#11) C7M F7(#11) E7M Copyright by WARNER/CHAPPELL EDI<;ÓES MUSICAIS LIDA Rua General Rabelo, 43 -Rio de Janeiro - Brasil. Todos os direitosreservados. 41
  37. 37. Songbook o Bossa Nava Amanhecendo. ROBERTO MENESCAL E LUlA FREIRE D7M Am7 Eb7(9) 07(9) G#m7(b5) Gm7 I I INI.I IC7(9) F#m7 B7(9) E7(13) Gm6 A7(13) D~ I I III INI C7(9) F#m7 / 87(9) aves vem voando pelo nosso amor / E7(13) / / / Gm6 / A7(13) Repara a poesia A vida é alegria / D~ Náo chores nunca mais / Am7 / D7M / Eb7(9) / D7M / Am7 / Vem vamos amar em paz, que odia traz Mil cores diferentes nesse amanhecer Encantos que sáo vistos só por D7M / Eb7(9) quem amou Descansa o teu olhar / Am7 D7(9) Odia G#m7 (175) está nascendo / Gm7 vem olhar o sol Asno meu e vem pro céu C7(9) F#m7 / 87 (9) aves vem voando pelo nosso amor / E7(13) / / / Gm6 / A7(13) Repara a poesia A vida é alegria / D~ Náo chores nunca mais / Am7 / D7M / Vem, vamos amar em paz Vem, Am7 / vamos amar em paz D7M ~Am7 D7M Am7 D7M 42 D7M / Am7 / D7M / Eb7(9) / D7M / Am7 Nas águas desse rio lindo para o mar Iremos navegando, sempre, sem parar E vendo tantas nuvens / D7M / Eb7 (9) / Am7 D7(9) G#m7(175) / Gm7 brancas no azul Esquece a madrugada triste que passou Odia está nascendo vem olbar o sol As
  38. 38. Songbook o Bossa Nova 07(9) C#m7(bS) Cm7 r . C7(9) F#m7 ~7(9) Fade out Copyright by ROBERTO MENESCAL e LUIA FREIRE. Todos os direitos rescmdos. 43 E7(13) Cm6 A7(13) 6 . 09 i r---.., . - - -r -r _ .. ,) --- I I I I . ._ Aa . . 06 Am7 D7M9
  39. 39. Songbooka Bossa Nava Até parece CARLOS LYRA Em7 A7 D~ F' 87(b9) F#m7(b5) G 87 I I WII I I I IE7(13) E7(b13) E7 Q#m7(1l) G7(#1l) F#7(13) F#7(b13) F#7 I111IIIIEm7 A7 O~ F' Em7 A7 ot B7«(,9) Até parece que ela vai de samba Parece que ela vai no balan~o do mar Em7 A7 ot Até parece que ela vai de samba B7«(,9) e que ela náo Em7 A7 F#m7(bS) B7«(,9) se cansa de sambar Em7 A7 ot F' Até parece que ela vai de samba Parece Em7 que ela vai no F#7 (13) F#7 (b13) F#7 B7«(,9) também Em7 A7 ot F' Até parece que ela vai de samba Parece Em7 A7 D~ que ela vai no balan~ do mar / B7«(,9) Em7 A7 ot B7«(,9) Até parece que ela vai de samba E que ela náo Em7 A7 F#m7(bS) B7«(,9) se cansa de sambar Em7 Até parece que A7 ot F' ela vai de samba Parece Em7 A7 ot B7«(,9) que ela vai no balan~ do mar Em7 A7 ot Até parece que ela vai de samba e que ela B7«(,9) náo Em7 A7 ot / G / B7 / E7(13) E7(b13) E7 se cansa de sambar Ela tem um balan~o Que balan~o que ela tem / Um balan~ que G#m7(1l) / G7(#1l) / F#7(13) F#7(b13) F#7 B7«(,9) . vem Que quando vai eu vou também ~ Em7 A7 Em7 A7 6 6 ¡;1 ~Vez 44 A7 ot B7«(,9) Em7 A7 ot B7«(,9) Em7 A7 ot / balano do mar Até parece que ela vai de samba e que ela náo se cansa de sambar Ela tem um G / B7 / E7(13) E7(b13) E7 / G:fI:m7(1l) / G7(#1l) / balan Que balan que ela tem Um balan que vem Que quando vai eu vou I .. e I I ..1 - . .- I I I ...... I I I -';1 - -,-- ; --- -- ':I11 - . ' -- ¡.., J1 , e} I I I .. I . I .-
  40. 40. ___G7(#1l) F#7(13) F#7(b13) -$- o~ Ao$Se-$--g Copyright by CARLOS LYRA. Todos os direitos reservados. 45 Songbooko BossaNova B7(b9) Ir 2 vez A7 -$-06 GEm7 _ 9 :m=.!.. I 1 l. I I I I I I I I I I ..J.- ¿ E7(13) E7(b13) E7 G#m7(11)
  41. 41. Songbook o Bossa Nova Atrás da porta FRANCIS HIME E CHICO BUARQUE F#m7 F#m/E D#m7(bS) GIt7(#1l) G#7 A7(#1l) G# ~(9) G#7(b9) C#~(9) C#7(b9) F#m(7M) A#m7(1l) F#m6/A G#~(b9) G#/F# A(add9)/E IIII WIWI a m DI Db7M Gb7M Cm7(1l) F7(#1l) Bbm7 Eb7(.~1) A#m7(bS) D#7(b9) I mi E lEVE II F#m7 / F#m/E / D#m7(b5) Quando olhastebem nos olhosmeus / G#7(#11) G#7 E o teu olhar era A7M(#11) / A7(#11) / G#~(9) de adeus juro que nao acreditei / G#7(b9) Eu te estranhei, / C#~(9) me debrucei / C#7(b9) / F#m(7M) / F#m7/ A#m7(11) Sobreoteucorpo e duvidei E / A7M(#11) me arrastei, A7(#11) e F#mYA / G#~(b9) te arranhei E me agarrei Go/F# A(add9VE / / / D#m7(b5) / nos teus cabelos ~os teus petos, teu pija ma G#7(#11) Nos teus pés, G#7 ao Db7M / pé da ca-ma Gb7M / Sem cari-nho, Cm7(11) / sem cober-ta F7(#11) No tapete / Bbm7/ Atrás da por-ta Eb7 (.r¡) Reclamei / F#mYA / G#7(b9) / C#~(9) baixi nho Dei / C#7(b9) pra maldizer / F#m(7M) o nossolar / F#m7 / A#m7(b5) Pra / D#7 (b9) sujar teu nome, F#mYA / G#~(b9) Go/F# A(add9VE / / / D#m7(bS) / te humilhar E me entregar a qualquer pre ;0 Te adorando pelo aves so G#~(b9) Pra mostrar Go/F# que inda C#m(7MVE C#nyE / D#m7(b5) sou tu a / G#~(b9) Até provar Go/F# queinda C#m(7MVE E~E7(b9) A7M(9) / A#~(9) A#7(b9) sou tu a Até mostrar que ainda F#7 (9) a 46
  42. 42. Songbook o Bossa Nava A7M(#11) A7(#lI) G#7(b9) C#7(b9) F#m(7M A#m7(l1)F#m7 A7M(#1l) A7(#11) F#m6/A F#m6/A G#7(b9) C#7(b9) F#m7 A#m7(b5) D#7(b9) ~ F#m6/ A G#/F# C#m(7M)/E C#!n/E D#m7(b5 G#/F# A7M(9)C#m(7M) E7(b9) F;!!2J- A#7(b9) ......... t. .. I . Copyright by CARA NOVA EDITORA MUSICAL LTDA Av. Reboucas, 1700,coaj. 2 -Sáo Paulo - Brasil. Todos os direitosreservados. 47 I ft & ,,&&&, ... 7TU.." LJ 1J.lUI'ü . '-"TT' TTUJ 'JTr' . -IL . . t. - - - - * . r . L , . . '-- 4! , I ....1 . ....1 I , ...1 - - , - ..1
  43. 43. Sougbook o Bossa Nava Avarandado CAETANO VELOSO A7M A6 Bm7 E7(9) AO D#m7 0#7 Cim7 E7(b9) Am7 D7(9) 07 Om6 F7(9) WI IJ I WI . mmmmBb7M Bm7(11) D#m7(bS) 0#7(b13) F#7(b9) B7(9) F7M I I _WI mlJI I A7M / A6 / Bm7/ / / E7(9) / / / AO / A7M/ A6 / / / D#m7 / G#7 Ca-da palmeira na estra--da Tem uma mo~ recosta--da Uma é minha namorada / C#m7 E7(b9) / A7M / / / Am7 / / / 07(9) / / G7/ / / Gm6 / / / E' essa estrada vai dar no mar Cada palma enluara--da Tem que estar quieta para-da F7(9) / / / Bb7M /E7(9) / Am7 / / / Bm7(1l) / E7(b9) / Am7 / / / Bm7(1l) Qual-quer can~o quase na---da Vai fazer o sol levantar Vai fazer o dia nascer / E7(f") / A7M / / / Bm7 / / / E7(9) / / / AO / A7M / A6 / / / D#m7(b5) Namorando a madruga-da Eu e minha namora-da Vamos andando na estrada / G#7(b13) / C#m7 / F#7(b9) / Bm7 / E7(b9) / C#m7 / F#7(b9) / Bm7 / Que vai dar no avaran---dado do ama-nhe-cer '. No avaran dado do E7(b9) / C#m7 / F#7(b9) / B7(9) / E7(9) / F7M / / / A7M ama-nhe-cer No avaran dado do ama-nhe-cer Marcha rancho A7M A6 Bm7 E7(9) A7M D#m7 G#7 r---.. C#m7 E7(b9) A7M 48
  44. 44. D7(9) G7 Gm6 F7(9) Bb7M E7(9) Am7. Bm7(11) E7(b9) ~ Bm7(1l) E7(b9) Bm7 A7M A6 1 3 I I 3- D#m7(b5) G#7(b13) . ~ C#m7 F#m7 Bm7 L 3 J E7(b9) -.,C#m7 F#7(b9) Bm7 E7(b9) F#7(b9) L.--3 1 E7(9) _ F7M A7M Copyright by MUSICLA VE EDITORA MUSICAL LIDA. Av. Rebou(jas, 1700 - Siio Paulo - Brasil. Todos os direitos reservados. l 49
  45. 45. Songbook D Bossa Nava Balan90 Zona Sal TITO MADI C7M(9) 07(13) Em7 F7M Om7 C7(9) F7M F6 Am7 D7(9) 07(b9) F#o C7M/0 A7(9) C~ I I NI I I Inl IC7M(9) / Balan~ toda Dm7(9) pra andar G7(13) C7M(9) Balan~ até / Dm7(9) falar G7(13) C7M(9) Balan~ tanto Dm7(9) quejá Em7 balan~oupra F7M Gm7 / C7(9) / F7M / F6 / C7M(9) meu cora~o Balance mesmo que é bom Do Leme até / Am7 / 07(9) o Leblon E vaijuntando / / / Dm7(9)/ G7(bCJ) umpunhadodegente Quesofrecomseu andar / C7M(9) / Dm7(9) G7(13) C7M(9) / Mas ande bem devagar Que é pra náo se Dm7(9) G7(13) C7M(9) Dm7(9) Em7 F7M Gm7 / C7(9) / F7M / / F:fI:0 C7M/G cansar Vai cami-nhando Balan, balan~do sem parar Balanceos cabelosseus Balance, cai, 1 A7(9) / 07(9) / Dm7(9) G7(13)ct mas náo cai E se cair, Vai caindo, caindo nos bra~os meus 50
  46. 46. D7(9) Dm7(9) G7(13) Copyright by EDITORA IMPORTADORA MUSICAL FERMATA DO B~IL LTDA Av. Ini.ranaa, 1123. S° andar - Sáo Paulo - BrasiL Todos os direitos reservados. 51 r2a vezDm7(9) G7(b9) I Em7 F7M Gm7 I . .'i - .. I . -J .; -!J I I I ..... - ....-. . - -"----'" C7(9) F7M _ F#P C7M/G A7(9)
  47. 47. Songbook o Bossa Nova Batucada surgiuMARCOS VALLE E PAULO SÉRGIO VALLE Dm7 G7 Gm7 Am7 C7(9) I I II IC7(b9) F7M F6 8177(13) Em7(9) A7(b13) IIIIEIIDm7 / G7 / Batucada Dm7 surgiu, / G7 / Nem um branco Dm7 ficou / G7 / Pois ser branco é Gm7 /Am7 ter cor E / Dm7 / G7 pouco amor. .. Canta o amor / Dm7 / G7 / que é mais branco Que o sorriso Dm7 / G7 / do negro Que nasceus6 Gm7 /Am7 / sem cor Cheio Dm7 / / / deamor. . . Gm7 E vai vivendo, / C7(9) C7(J,9) F7M /F6 vendo a vida termi-nar / Gm7 / Chorando tanto por B"7(13) quem nunca / Em7(9) /A7("13) /Dm7 / G7 / pode amar Mas a vida Dm7 se vai / G7 / E é preciso Dm7 sambar / G7 / Fazer samba Gm7 é viver, /Am7 e / Dm7 morrer . . . / G7 A batucadasurgiunáo / Dm7 / G7 / Dm7 nem um branco ficou A batucada surgiu nem um branco ficou Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7 G7 Copyright by MARCOS VALLE e PAULO SÉRGIO VALLE. Todos os direitos reservados. 52 .....l -'-.-7 "'-.--/ I fJ2 vez Am7 Am7 Dm7 Gm7 .. I I I m.. U,JJ -......;-- J' - "'-/ F7M F6 Gm7 Bb7(13) _1 _1 I I D.e. e -$--- - -, I A I > .. '-' -$-Am7 Dm7 G7 Dm7 '-' G7 Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7
  48. 48. Songbook o Bossa Nava Bim bom JOÁO GILBERTO Dm7 G7 C7M(9) Bm7 E7(b9) Am7 A7 Fm6 IIIIII11Introdu~áo: Dm7 G7 Dm7 G7 I Bm7 E7(b9) s6 isso O meu baiáo Am7 I Bm7 E7(b9) I Am7 I A7 I Dm7 I G7 I Dm7 G7 E náo tem mais nada náo O meu cora~áo pediu assim S6 bim bom Dm7 G7 bim bim bom bom Dm7 G7 Dm7 G7 C7M(9) I I I Dm7 G7 Dm7 G7 bim bom bim bim bom bim bom bim bom bim bim bom bom Dm7 G7 Dm7 bim bom bim G7 Bm7 IE7 (b9) bim bom bim bim IAm7 I Bm7 É s6 issoo meu E7(b9) Am7 baHío I Bm7 E7(b9) Am7 E náo tem mais nada náo I A7 I Dm7 I Fm6 I C7M(9) O meu cora~áo pediu assim S6 bim bom bim bom bim bim Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7 G7 ~ Bm7 E7(b9 ) ~" Am7 11 ~ vez r Dm7 G7 1 [ 2~ vez Dm7 -... Copyright by WARNER/CHAPPELL EDI<;ÓES MUSICAIS LIDA. Rua General Rabelo, 43 - Río de Janeiro - Brasil. Todos os direitos reservados. L 53 Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7 G7 C7M(9) III Dm7 G7 Dm7 Bim bom bim bim bom bom Bim bom bim bim bom bim bom Bim bom bim G7 Dm7 G7 Dm7 G7 Bm7 I E7(b9) I Am7 bim bom bom Bim bom bim bim bom bim bim É Dm7 G7 Dm7 G7 Dm7 G7 -...I .. Dm7 G7 C7M(9)
  49. 49. Songbook o Bossa Nava Brigas DaDca maisTOM JOBIM E VINICIUS DE MORAES A6 0#7 G7M F#7(b13) Bm7(9) Gm6 E7(13) WI WI I I I ti IC#m7 C' Bm7 F'(b13) F#m7 B7(9) WI I . I . IE7(#5) A7M A7(#5) D7M Dm6 E7 IIIIII E7(b9) E7(:fI:5) / A6 / G:fI:7 / G7M / F:fI:7(t>13) Mas depois fui eu quem dela precisou / Bm7(9) / Gm6 / Bm7(9) / E7(13) E ela entao me so--correu E o nosso amor / A7M / mostrouque veio A7(:fI:5) pra ficar / D7M Maisurnavez / Dm6 / C:fI:m7A7M Bm7E7 C:fI:m7A7M Bm7 E7 por toda vida Bom é mesmo amar em paz C:fI:m7 A7M Bm7 E7(t>9)A6 / Bri gas, nun-ca mais ~A6 r G#7 G7M ~ 1._ r--. F#7(b13) r .'i Bm7(9) ~ ~Gm6 ~Bm7(9) E7(13) r1~vez- I C#In? 3- 54 A6 / G#7 / G7M / F:fI:7(t>13) / Bm7(9) / Gm6 / Bm7(9) / E7(13) / Chegou, sorriu, venceu, depois chorou Entao fui eu quem con-solou sua tristeza C:fI:m7 / CO / Bm7 / F"(t>13) / F:fI:m7 / B7(9) / Bm7/ Na certeza de que o amor tem dessas fases , Eébom para fazermas as pazes
  50. 50. Songbook o Bossa Nova F#rn7 B7(9) ~ Copyright by JOBIM MUSIC. Copyright by TONGA EDITORA MUSICAL LIDA. Av. Rebou~. 1700, conj. 3 - Sáo Paulo - Brasil. Todos os direitos reservados. 55 r2a vezBm7 E7(#5) _ A7M A7(#5) D7M Dm6 I... .. I EfJ I I Ef 3 ¿ 3- -C#m7 A7M Bm7 E7 C#m7 A7M Bm7E7 C#m7 A7M Bm7 E7(b9) A6
  51. 51. SoJllbook [J Bossa Nava Caminhos cruzados TOM JOBIM E NEWTON MENDONc;A A7M A7 D~/A DmUA 0#7(15) Eni6/G F#7 IIIIWIIIF"t7(b13) F#m6 F'(b13) O#m7 C#7(9) D7M 0#7(13) C#7M(9) I I I I I I WtI mi F#7(b9) Gm6 D#m7(b5) Dm6 D~ D#O(b13) E7(13) mi I I I WI VR I A7M / A7 Quando um cora~o / DYA que está cansado / Dmy A / de sofrer A7M / A7 / DyA Encontra um cora~o também cansado / DmYA / A7M de sofrer / G#7(#5) / EmYG / / / F#7 / F#7(1713) / F#m6 / F'(1713) / A7M / A7 É tempo de se pensar Que o amor pode de repente chegar Quando existealguém / DYA / DmYA / A7M / A7 / G#m7 / C#7(9) / D7M / G#7(13) / que tem saudade de alguém E esse outro alguémnáo entender Deixeesse novo amor C#7M(9) / F#7(179) / F#m6 / Gm6 / F#m6 / F'(I713) / A7M chegar Mesmo que depois seja imprescindível chorar DYA / DmYA / A7M / A7 / D#m7(175) / Dm6 / V~ tentei raciocinar Nas coisas do amor que ninguém pode explicar / EmYG /F#7 / F#m6/ E7(13) / A7M vamostentar 56 um novoamor pode a saudadeapagar / A7 I Que tolo fui eu q.ueem váo / D#O(I713) Vem n6s dois A7M A7 ~ ~ A7M 56
  52. 52. Sougbook o Bossa Nava Em6/G ~ F#7 ~ F#7(b13) F#m6 f'O(b13) 3- A7M r A7 ~ " " D#m7(b5) Dm6 r l Copyright by JOBlM MUSIC e NEWTON MENDONc;:A. Todos os dircitos reservados. 57 G#m7 C#7(9) D7M ",--..., . C#7M(9) "..-.." ",--..., ¿ F#7(b9) F#m6 Gm6' F#m6 FO(b13) Em6/G F#7 F#m6 E7(13) A7M 3 3--
  53. 53. Songbook [J Bossa Nava Can9áo do amor demais TOM JOBIM E VINICIUS DE MORAES Em F*7 B7 E7 Am7 II11IIA*O Bm7 Em/B C F*m7(b5) Cm6 IIJIIIE Em / F#7 / B7 / Em / / / F#7 I Quero chorar porque te amei demais Quero morrer B7 / E~/ E7 / Am7 / A#o / Bm7 / / / A#o / / / porque me deste a vida Oh! meu amor será que nunca hei de ter paz Será que tudo que há em mim SÓquer Am7 / / / F#7 / B7 / Em / / F#7 / B7 / E~ / / E7 / Am7 sentirsaudade E já nem sei o que vaiser de mim Tudó me diz que amar será meu fim Que desespero / A#o / Eo/B / C / F#m7(bS)/ traz o amor Eu nem sabia o que era o amor Agora sei Cm6 / Em porque náo soufeliz F#7 B7 Em F#7 B7 Bm7 Em . CopyrightbyEDITORAMUSICALARAPUÁLIDA . Av. Ipiranga, 1123,5° andar -Sáo Paulo - Brasil. Todos os direitosreservados. 58 ¿ A#o Am7 L.-3---1 - L.-3---' Em/8 C F#m7(bS) Cm6 , ¿
  54. 54. Songbook o Bossa Nova Come90a de brincadeiraPAcíFICO MASCARENHAS Eb7M Bbm7 BbO Ab7M Ab6 Abm7 Abm6 Gm7 Gb7(13) Fm7 E7(.fl) Gbm7 E7M Bb7(13) Eb~ I I I ~I I I ;mI EI77M / 8bm7 Mais ou menos foi assim Vou contar 811° como é que foi AI77M Come~u AWi Abm7 Abm6 de brincadeira De uma insinua~o Gm7 dos amigos . / GI77(13) que queriam fazer tro~ / Fm7 / E7(.fl) / E de mentira inventaram o nosso amor AI77M Com~u / Abm7 / sem explica~oassim Gm7 / Gbm7 / Fm7 / E7M 8177(13) Sem haver sinceridade Sem ninguém saber O amor tinha chegado E a mentira sem querer EI1~ / / / virouverdade Ab7M Ab6 Fm7 Abm7 Gm7 Gbm7 Fm7 E7M Bb7(13) Copyright by PAcíFICO MASCARENHAS. Todos os direitos reservados. 59 Eb7M Bbm7 Bbo Abm7 Abm6 Gm7 Gb7(13)
  55. 55. __e Songbook o Bossa Nava Carta ao Tom 74 TOQUINHO E VINICIUS DE MORAES C7M G/B Am7 Ll/G D/F# Fm6 Gm7 IIIIIIIGm6 F7M Em7 D~(9) D7(9) Fm6/Ab 07(#5) III INI DII IF#m7(b5) A7c>f3) G~(9) 07(9) D7/A Ab6 c~ I vi I I IIII DII I C7M / o/B / Aro7 / CY'G I o/F# / Fm6 Rua Nascimentoe Silvacentoe sete VoceensinandopraEliseth ascanc;6esde "Canc;ao / Gm7 /Gm6 / do amor demais" o/F# / F7M Lembra que tempo feliz / Em7 / Aro7 Ah!, que saudade Ipanema era só / D~(9) / 00(9) felicidade Era como se o amor / Fmy A" doesse em paz /G7(#5)/ C7M / o/B / Aro7 / CY'G/ o/F# / Fm6 / Gm7/Gm6 Nossa famosa garota nem sabia A que ponto a cidade turvaria Esse Rio de amor que se perdeu / F#m7 (J,S) Mesmo / F7M / Em7 / A7(~f3) / 00(9) a tristeza da gente era maisbela E além dissosevia dajanela / G~(9) G7(9) Gm6 Um cantinhode céu e o Redentor /// F#m7 (J,5) É / F7M / Em7 meu amigo só resta urna certeza / A7(~r3) É preciso acabar / ~A com essa tristeza / AJ,6 É precisoinventar / C~ / de novo o amor C7M G/B Am7 C7/G D/F# Fm6 Gm6 r1 ~vez I D/F#Gm7 F7M Em7 80 ¡ .. .' ..r-... *"...- r -...... ... - L t T .. ...1 ..1 - .. ..1 ..1 ..1 ..1 ..1 r tJ ..... ..J- ../ ...,¡ . I . - - . -.. - .. --
  56. 56. Songbook [J Bossa Nova Aro7 07(9) 2/!-vez Fm6./AbG7(#s>l1 ~1(b5) .'i r ll! vez D7(9) 3 ---, r21!vez- I 07/A Ab6Gm6 ~ Copyright by TONGA EDITORA MUSICAL LTDA Av. Rebou~as, 1700,conj. 3 - Siío Paulo - Brasil. Todos os direitos reservados. 81 I I .. t. .1 .. .1 .. . I ... I I
  57. 57. Songbook o Bossa Nova Ciúme CARLOS LYRA D~ Cltm7 P#7(b13) Bm7 P#m7 B7(#9) E7(9) Em7(9) A7(13) D6/F# po Em7 A7 Q#m7(11) G7(#11) IIIIII11P#íM GO G#m7 Clt7(9) A7M A#o A7(#5) IIIIIII D~ / Tenho razáo C#m7 F#7("13) Bm7 Em proce-der assim / F#m7 De vez em quando B7(#9) E7(9) recla-mando / Em7(9) de quem anda A7(13) com DYF# F' Em7 A7 Dt / C#m7 F#7("13) voce Há coisasqueeunemposso ver Bm7/ F#m7 Como esse telefone B7(#9) E7(9) / Em7(9) azucri-nando S6 chamando A7(13) por Dt / G#m7(1l) G7(#1l) voce F#7M Esses GO G:fI:m7 seus parentes C#7 (9) que lhe F#7M GO G#m7 C#7(9) beijam tanto assim A7M A#o Bm7 E7(9) Em7 / A7(#5) / E essesseus amigosque s6 falammal de mim Dt / C#m7 Se eu zango Voce pega F#7("13) arir Bm7 / F#m7 Argumentando que eu B7(#9) já estou E7(9) ficando / Em7(9) A7(13) com ciúme de DYF# F' Em7 A7 Dt / C#m7 F#7("13) voce Ciúme eu náo tenho náo Bm7 O que eu / F#m7 B7(#9) quero é respeito Dá E7(9) / Em7(9) A7(13) um jeito senáo eu paro com D~ voce ~C#m7 F#7(b 13) Bm7 .'i F#m7 B7(#9) E7(9) r 1~vez I Em7(9) A7(13) D6/F# FO 62 .. .. ..--- - tJ .. I ... - I ... ....... - I I...
  58. 58. Songbook o Bossa Nava l I r2~ vez . I Em7(9)Em7 A7 A7(13) G#m7(1l) G7(#1l) .¡ I .. I .. run C#7(9) F#7M G#m7 C#7(9) A7M Bm7 Em7 E7(9) , ;; ~A7(#5). *,Ao~e tim Copyright by EDITORA DE MÚSICA LYRA LTDA Av. Angélica, :501/206 - 840 Paulo - Brasil. Todos os direitos reservados. 83
  59. 59. Songbook o Bossa Nova CODsola9áo BADEN POWELL E VINICIUS DE MORAES Dm7 Am7 Em7(b5) A7 IIIIDm7 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Am7 / Dm7 Melhor era tudo se acabar Melhor era tudo se acabar Se nao tivesse o amor / / / / / Am7 / Dm7// / / / Am7/ Dm7/ / / / / Am7 / Dm7 Se nao tivesse essa dor E se nao tivesse o sofrer E se nao tivesse o chorar / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Em7(b5) / A7/ Dm7 Melhor era tudo se acabar Melhor era tudo se acabar Eu amei, amei / / / / / / / Am7 / Dm7 / Em7(bS) / A7 / Dm7 / / / demais O que sofri por causa do amor Ninguém sofreu Eu chorei, perdi a paz Mas o / / / / Am7 / / / Dm7 que eu sei É que ninguém nunca teve mais Mais do que eu Am7 Dm7 Dm7 Am7 Dm7 84 Dm7 - - I -.. tJ I . _f" I . --- Am7 Dm7 - J'- - m7(b5) .. " .......
  60. 60. SoDgbook [] Bossa Nava A7 ~m7 Am7 A7 Dm7 ,.-.--.. Am7 Dm7 Copyright by BADEN POWELL. Copyright by TONGA EDITORA MUSICAL LTDA. Av. Rebou~as, 1700,conj. 3 - Siío Paulo - Brasil. Todos os direitos reservados. 65 .- r "'1 Ít .. . ,.-... :J ...... ..1... L.. .. I .
  61. 61. Sougbook o Bossa Nova Dei"a BADEN POWELL E VINICIUS DE MORAES Am7 F7M 07(9) C7M Gm7 C7(9) Dm7 IIIIII1E7(#9) E7(b9) Em7 B¡ B7 E7(b13) F#o IIJIIIII Am7 / / / F7M / G7(9) / C7M / Gm7 C7(9) F7M / / / Dm7 / E7(#9) / Am7 / / / Dei-xa Fale quem quiser falar meu bem Dei-xa Deixa Ocora~o falar também F7M / E7(b9) Porque ele tem / Am7 / / / Em7/ B¡ B7 Em7/ E7(1113)/ Am7/ / / F7M razáodemaisquandosequeixa Entáoa gente Deixa, deixa, dei-xa, dei-xa / G7(9) I C7M / Gm7 C7(9) Ninguém vive mais do que uma vez F7M / / / Dm7 / E7(#9) Dei-xa Diz que sim / Am7 pra náo dizer / / / talvez B7 / / / E7(b9) / / / Am7/ / / F#O/ / / E7(b9) Dei-xa A paixáo também existe Dei-xa / / / Am7/ Náo me deixes ficar triste Am7 F7M G7(9 C7M Gm7 C7(9) F7M Dm7 E7(#9) Am7 11~ vez- B7F7M E7(b9) Am7 ~ ...'-" "--"" --, r2~ vez- E7(b13) 11 Am7 B7 E7(b9) Am7 .!. . E7(b9) Am7 # Copyright by EDITORA MUSICAL ARAPUÁ LIDA. Av. Ipiranga, 1123, 5Qandar -Sáo Paulo - Brasil. Todos os direitos reservados. 66
  62. 62. Songbook o Bossa Nava Discassáo TOM JOBIM E NEWTON MENDONc;A C7M Eb' Dm7 D#' Em7 E7(#5) F7M IEIEIIIFm6 Gm7 A7(b13) D7(9) G¡(b9) Dm7(9) ct I I INI I mi I C7M IEtf> I Dm7 Se voce pretende sustentar I 0#° I Em7 I E7(b13) opiniáo E discutir por discutir I F7M I Fm6 S6 pra ganhar a discussáo Eu I Em7 I Ebo I Gm7 I A7(b13) Ihe él$seguro,pode crer Que quando Cala o cora~o I 07(9) I I I Om7 As vezes é melhor perder Do que ganhar, I voce vai ver G~(I~) I Em7 Já percebi I a confusáo I Om7 Vore quer ver I prevalecer I Em7 A opiniáo I sobre a razáo E7(b13) / F7M I Fm6 I Em7 I Ebo I Gm7 I A7(b13) Náo pode ser, náo Dode ser Pra que trocar o sim por náo Se o resultado é solidáo I 07(9) I GW~) / em vez de amor, uma saudade Vai ct I II dizer quem tem razáo C7M Dm7 D#P Em7 E7(b13) F7M ,.---.... ~m6 Em7 ~ Gm7 ~ ~7(b13) D7(9) ,.---.... Dm7 GJ(b9) Copyright by JOBIM MUSIC e NEWfON MENDON(:A. Todos os dircitos reservados. 67
  63. 63. Sougbook [] BossaNava Demais TOM JOBIM E ALOYSIO DE OUVEIRA G7M C7(.fl) Am7(9) F7(.~) Bm7 Em7 Am7 I 11 vlWI I mmI F#7(:I13) B:I7M A:I7(#1l) B7(13) B7(:I13) 11 mi mi I IE~(9) E7(:I9) D'1(9) A7(13) D7(:I9) G6 IJ E VI I WI I G7M / / / C7(.fl) / / / Am7(9) / / / F7(.fl) / / Todos a-cham que eu falodemais E que an--do bebendo demais I / Bm7 / Em7 / Am7 / Que essavida agita-da náo ser-ve 07(9) / F#m7(11) pra na--da Andar / B7 por aí / Am7(9) bar em bar, / 07(9) bar em bar / G7M Dizem até / / / C7(.fl) / / que ando rindo demais / Am7(9) / / / F7(.~) / / E que conto anedotas demais / Bm7 / Em7 Que náo largo o cigarro / Am7/ 07(9) / E dirijoomeucar-ro F#m7(11) / B7 / corren do Chegando Am7(9) / no mes-mo / Eb7M / / / Cm7/ Ninguémsabe é queissoaconte-ce / / Eli/M Porque vou passar / / / Cm7 / / minha vidaesquecen-do vote / Bm7 / / / Em7/ F#7(b13)/ Bm7 / Bli/M / Eli/M / AIi/(#l1) / G7M/ E a razáo porquevivo essesdi-as banais É porque andotriste Andotris-te demais É poris-so / / C7(.fl) / / que eu falo demais / Am7(9) / / / F7(.fl) / / E é por is-so que eu bebo demais / Bm7 / Em7 / Am7 / 07(9) / E a razáo porquevivo essavida agita--da B7(13) .demais / B7(b13) / E~(9) / E7(b9) / Am7 É porque / / / 07(9) meu amor por voce /D~(9)/ é imenso Bm7 O / / / / meu amor por vote / E7(b9)/ A7(13) / / / D~(9)/07(tIJ)1 G6 é táo grande É porque meu amor por vote é enorme demais 68
  64. 64. Songbook IJ Bossa Nava G7M Am7(9) .:! F7( :11) Bm7 Em7 Am7 D7(9) r---3 1 F#m7(11) B7 .~ F#7(b13) Bm7 Bb7M E~(9) E7(b9) Ami D7(9) Bm7 D7(b9) r--3---, G6Bm7 E7(b9) A7(13) Copyright by JOBIM MUSIC. Todos os direitos reservados. 69 c ..Z L--3-----J Ir2 vez D7(9) 7 9 Am7(9) .---3-. °i13) Eb7M r-3----1 . Am7(9) .-..- L..-3----' L..-3----' L..-3----' Eb7M .---3----1 Cm7 L..-3----' L.-3-J L--3-.J 9 Eb7M Ab7(#11) G7M C7(#1l).---3---, Am7(9) .---3---, '--'"L.-3-J 9 Em7 D7(9) F7(#1l) Bm7 r---3-, Am7 r---3--, B7(13) B7(b13)I
  65. 65. Songbooko Bossa Nova Deas brasileiro MARCOS VALLE E PAULO SÉRGIO VALLE 07M 06 Om7 C7(9) F7M F6 Fm7 Bb7(9) IRalmlRI Dm7(9) 07(13) Em7(9) A7(13) Cm7(9) F¡ F7 D¡(9) IIII IIII I I I I ti I Introdu~o: G7M G6 Gm7 C7(9) F7M F6 Fm7 Bb7(9) EIflM Ebt Em7 A7 Am7 / 07(179) / G7M Quem G6 Gm7 C7(9) F7M F6 nasceu na minha terra, Fm7 BIfl(9) Náo sabe o que Eb7M Ebt Em7 A7 Am7 /07(9) / G7M G6 é guerra Só quer, só tem amor Náo Gm7 C7(9) F7M F6 Fm7 BIfl(9) precisa ser alguém Nem mesmo ter EIflM Ebt Em7 A7 Am7/ 07(9) / Dm7(9) / G7(¡j) vintém, Ninguém lbe olba a cor ... Tem tanto samba / Em7(9) / A7(13) / Cm7(9) Também tem terreiro ... / F~ F7 Mesmoo seu Deus É Am7 / D~(9)/ também, brasileiro G7M G6 E quem, Gm7 nasceu C7(9) F7M F6 Fm7 BIfl(9) EIflM Ebt Am7 07(9) G6 / na minha terra É livre e é feliz E tem tudo o que quis ... G7M G6 Gm7 C7(9) F7M F6 Fm7 Bb7(9) Eb7M 70 Em7 A7 Am7 D7(b9) G7M G6 Gm7 C7(9) ...- I I . 'i .. I r '---" '---" -."---" F7M F6 Fm7 Bb7(9) Eb7M Eb6 Em7 A7 9 '---' "---" -
  66. 66. Copyright by MARCOS VALLE e PAULO SÉRGlO VALLE. Todos os direitos reservados. 71 Songbook o BossaNova G7(I3) Cm7(9) I - " ¡:__!..J - I .; 4 "--/ "--/ F7 Am7 Dl(9) G7M G6 Gm7 C7(9) . "--" F7M F6 Fm7 Bb7(9) Eb7M Eb Am7 D7(9) G6
  67. 67. Songbook o Bossa Nova Dindi TOM JOBIM E ALOYSIO DE OLIVEIRA A7M G7M F*7M D*m7 G#m7 at7(b9) IIIRIIEm7 A7(b9) D7M 07(13) D*m7(bS) G#7(b13) I 111 Iml IWI atm7 Am6 F*7 Bm7 Gm6 E7(b9) A7M / / G7M / / A7M / / G7M / / F#7M / / D#m7 / Céu, táo grande é o céu E bando de nu-veos que passam ligei-ras Pra onde elas váo Ah!, / G#m7 / / eu náo sei, C#7 (b9) / / náo sei... A7M/ / G7M / / A7M / / E o ven-to que fala nas fo-lha:.s Contando as hist6-rias que sáo de G7M / / F#7M / / D#m7 / / G#m7 / / C#7(b9) / / A7M / / / G7M / / / ninguém Mas que sáo minhas E de voce também Ah!, Dindi Se A7M/ / / Em7 / A7(b9)/ D7M/ / / G7(13)/ / / A7M/ / soubes-ses o bem que eu te que-ro O mundo seri-a, Dindi, tu-do, Dindi, lin-do, Dindi / G7(13) / / / A7M / / / G7M / / / A7M/ / / Em7 Ah!, Dindi Se um di-a vote for embo / A7(b9)/ D7M/ / / ,ra me leva conti-go, Dindi G7(13) / / / A7M/ / / D#m7(bS) / G#7(f,13) / C#m7 / Fi-ca, Dindi, o-lha, Dindi / / Am6/ / E as águas deste ri-o / onde C#m7 / Am6/ C#m7 / F#7 / Bm7/ / / Gm6/ / / Bm7/ Gm6/ Bm7/ E7(b9)/ váo eu náo sei A minhavidaintei-ra espere~ esperei A7M / / / G7M / / / A7M/ / / Em7 Por voce, Dindi, que é a coi-sa mais linda que exis / A7(b9) / D7M/ / / te Vote náo exis-te, Dindi, G7(13) / / / A7M/ / / G7M/ / / A7MI / / O-lha, Dindi, Adivi-nha,Dindi, dei-xa,Dindi, que eu te ado-re, Dindi. . . 72
  68. 68. Songbook o Bossa Nava A7M G7M A7M G7M F#7M , 3--, D#m7 G#m7 C#7(b9) A7M G7M 3-- 3 A7M G7M F#7M D#m7 G#m7 C#7(b9) C#m7 Am6 C#m7 Am6 C#m7 F#7(b13) Bm7 Copyright by JOBIM MUSIC. Todos os direitos reservados. 73 3 3-- -- $S A7M G7M A7M Em7 A7(b9) 1-3--' 1-3--' 1-3--' 1-3--'1-3--' D7M G7(13) A7M r1l!vezr2l!vez - r--3-. '" r--3-. ,--3-"1 G7(13) D#m7(b5)G#7(b13) , j,i !J: . - tJ I I I I I I I I I I 3----J L.--3--1 Gm6 Bm7 Gm6 Bm7 E7(b9) -3 . . 3 . _1 I I I I I I , .. Ao $S e ..- , I I , .. G7(13) A7M G7(13) A7M ,.....--3-1 -':1- ,.....--3--, ,.....--3-1 ,.....--3--, ,.....--3--,
  69. 69. Songbook e Bossa Nava Evemosol MARCOS VALLE E PAULO SÉRGIO VALLE D7M(9) F#¡ F#7(b5) F#7 Bm7 Fm7 Bb7(9) WII I I I I IEm7 AJO F#m7 B7(b9) A7(b5) A7 A7(b13) F7 I I I I WII IIB7(#11) Bb7M A¡ F#m7(b5) E7 A7 D6 ~I ~I VI I I I I D7M(9) / / / F#~ / F#7(bS) F#7 Bm7 / / Vemo dia nascendo, E eutaotriste, / Fm7 vouvendo, / BI17(9) / Em7 / o/G O sol que atrás / F#m7 / B7(bCJ)/ Em7 / A7(bS) A7 D7M(9) vaifazendo brilhar, E acordandoo amor. . . / / / F# ~ IF#7 (bS) F#7 Bm7 Comoé triste nascer, / / / Fm7 / BI77(9) Semalguémprá viver, Em7 / o/G / F#m7/ B7(bCJ)/ O dia mostrar tantoamor quehá Em7 / A7(1713) / F7 no sol que vem e vai, B7(#11) / B177M / / A~ / A7(1713)D7M(9) / / / F#~ / F#7(bS) F#7 Bm7 / / / Vai trazendo tanta luz, Subindo, indo . .. Este sol que brilhou E que agora Fm7 / BI17(9) / Em7 / o/G / F#m7(bS)/ B7(bCJ)/ se vai, E eu, sem ter ninguém E7 / A7 / D6 e eu, sem ter ninguém D7M(9) F#7(b5)F#7 Bm7 Fm7 Bb7(9) Em7 A/G r 1! vez F#m7 B7(b9) Em7 A7(b5) A7 r 2~vez F#m7 B7(b9) ... 74

×