ADJUVANTES FARMACOTÉCNICOS OU COADJUVANTES FARMACOTÉCNICOSADJUVANTES FARMACOTÉCNICOS OU COADJUVANTES FARMACOTÉCNICOS
Conce...
Antioxidantes verdadeiros: são substâncias químicas capazes de oxidar-se
previamente ao fármaco, resultando em produtos in...
Seqüestrantes ou quelantes: são substâncias químicas capazes de desativar
os metais em solução, através da quelação dos me...
CONSERVANTES OU PRESERVANTES:CONSERVANTES OU PRESERVANTES: são substâncias químicas dotadas de ação
antimicrobiana podendo...
Alterações mais comunsAlterações mais comuns
a) fermentação (estufamento do material de acondicionamento)
b) coloração est...
Diminuem a eficácia conservanteDiminuem a eficácia conservante
a) Íons metálicos: atuam como catalisadores de reações não ...
Conservantes de uso externoConservantes de uso externo
Imidazolidinil uréia:Imidazolidinil uréia:
amplo espectro se combin...
CorantesCorantes: são substâncias químicas puras ou compostos de origem
orgânica e inorgânicas destinadas a colorir ou int...
Características ideais de corantesCaracterísticas ideais de corantes
a) Não influir nas propriedades terapêuticas
b) Melho...
Corretivos de aroma e saborCorretivos de aroma e sabor
Conceito: São substâncias químicas ou compostos capazes de doar ou
...
Características principaisCaracterísticas principais
•Acesulfame potássico: dulçor (180-200), solúvel em água.
•Aspartame:...
Flavorizantes: conferem sabor e aroma às formulações.
a) Sucos de frutas concentrados
b) Hidrolatos: obtidos por destilaçã...
Pirulitos
Picolés
Pastilhas
Saliva artificial
Xaropes
Suspensões
Soluções
Géis orais
Enxaguatórios bucais
Mascarar sabor ...
Flavorizantes utilizados para mascarar alguns
sabores primários:
 Doce: baunilha, vanilina, tutti-frutti, uva, morango, f...
Sugestões de Flavorizantes por Classes
de Fármacos
 Antibióticos: cereja, abacaxi, laranja, framboesa, banana +
abacaxi, ...
Diluição de corantes
Sugestão de solução base para diluição de corantes
 Corante 0,10 – 10,00% (concentração variável)*
...
Alguns corantes naturais também podem ser utilizados,
tais como:
 Amarelo: curcuma e vitamina B2.
 Vermelho: carmim, col...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

4[1][1].adjuvantesfarmacotécnicos

837 visualizações

Publicada em

Farmacotecnic

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
837
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4[1][1].adjuvantesfarmacotécnicos

  1. 1. ADJUVANTES FARMACOTÉCNICOS OU COADJUVANTES FARMACOTÉCNICOSADJUVANTES FARMACOTÉCNICOS OU COADJUVANTES FARMACOTÉCNICOS Conceito: são substâncias química adicionadas às formulações com função de estabilizar e conservar o aspecto e características físico-químicas da forma farmacêutica. Estabilizantes físicos: conferem estabilidade física às preparações doando viscosidade ao meio (através de agentes espessantes usados em soluções, xaropes, emulsões, suspensões, e outras). Estabilizantes Químicos: conferem estabilidade química às preparações, poupando o fármaco de reações não desejáveis como oxidação, hidrólise, etc
  2. 2. Antioxidantes verdadeiros: são substâncias químicas capazes de oxidar-se previamente ao fármaco, resultando em produtos inertes e não corados. Podem ser: Hidrossolúveis: sulfitos, bissulfitos, metabissulfitos. São incompatíveis com carbonilas de aldeídos e ésteres. Concentração de uso : aprox. 0,01%. Lipossolúveis: a) Bultilhidroxianisol (BHA): sintético. Solúvel em etanol e gorduras. Incolor, inodoro e termoestável. Concentração de uso: a partir de 0,005%. b) Butilhidroxitolueno (BHT): sintético. Muito solúvel em óleos e solventes orgânicos. Concentração de uso 0,01 a 0,02%. c) Ésteres do ácido ascórbico: Boa solubilidade, mais usado, palmitato do ácido ascórbico. Concentração de uso aprox. 0,05% d) Ésteres do ácido gálhico: solubilidade variável. Porém são amargos e adstringentes. Concentração de uso 0,005% a 0,1%. e) Tocoferóis: comum em alimentos. Concentração variável, aprox. 0,05%.
  3. 3. Seqüestrantes ou quelantes: são substâncias químicas capazes de desativar os metais em solução, através da quelação dos mesmos, formando complexos solúveis. a) Agentes seqüestrantes inorgânicos: polifosfatos formam complexos com íons metálicos, utilizados em xampus. b) Agentes seqüestrantes orgânicos: ácido cítrico, ácido tartárico, glucônico, sais sódio do ácido etilenodiaminotetracético (Na2EDTA), usado em soluções aquosas na concentração de 0,01 a 0,05%; • ácido cítrico, atua sinergicamente com outros inativadores. • EDTA dissódico: sinérgico com α-tocoferol.
  4. 4. CONSERVANTES OU PRESERVANTES:CONSERVANTES OU PRESERVANTES: são substâncias químicas dotadas de ação antimicrobiana podendo ser bactericida, bacteriostático, fungicida e fungiostático, evitando alterações provenientes da proliferação microbiana. Características ideais de conservantesCaracterísticas ideais de conservantes a) possuir largo espectro de ação; b) ser eficiente e estável em ampla faixa de pH; c) ser compatível com outros componentes da formulação e material de acondicionamento; d) ter boa solubilidade em água; e) não alterar as propriedades organolépticas e físicas do produto como cor, sabor, odor, limpidez e viscosidade; f) ser efetivo em baixas concentrações; g) ser atóxico nas concentrações de uso; h) inativar rapidamente prováveis contaminantes do produto; i) possuir um adequado coeficiente de partilha O/A, permitindo que seja efetiva nas fases aquosas e oleosas do produto.
  5. 5. Alterações mais comunsAlterações mais comuns a) fermentação (estufamento do material de acondicionamento) b) coloração estranha c) odor desagradável d) turvação e) separação de fases f) decomposição de substâncias ativas Fatores que influenciam a atividade conservanteFatores que influenciam a atividade conservante a) Concentração b) Temperatura c) pH d) Outras matérias-primas Aumentam a eficácia conservanteAumentam a eficácia conservante a) Álcoois: etanol e isopropanol, em concentrações superior a 20%; b) Antioxidantes: BHT; c) EDTA: remoção de cátions essenciais para o crescimento microbiano; d) Polióis: como propilenoglicol, etilenoglicol, e glicerol, por aumentarem a solubilidade dos conservantes
  6. 6. Diminuem a eficácia conservanteDiminuem a eficácia conservante a) Íons metálicos: atuam como catalisadores de reações não desejáveis; b) Tensoativos não iônico, devido a uma incompatibilidade química entre Tween® e parabenos; c) Pigmentos, talcos, etc por adsorverem o sistema conservante Conservantes de uso oralConservantes de uso oral a) Etanol: 15-20% (proscrito) b) Glicerol: 20-40% (inadequado) c) Benzoato de sódio: 0,1 a 0,2% d) Ésteres do ácido p-hidroxibenzóido ou parabenos ou Nipas®: metilparabeno ou metil p-hidroxibenzóico ou Nipagin® M: 0,18% propilparabeno ou propil p –hidroxibenzóido ou Nipazol® :0,02% amplo espectro, incluindo Gram – baixa solubildade em água fria pH indicado: 3 a 8 inativado por tensoativos não iônicos adequado coeficiente de partilha fabricante: ChemSpecs
  7. 7. Conservantes de uso externoConservantes de uso externo Imidazolidinil uréia:Imidazolidinil uréia: amplo espectro se combinada com parabenos solúvel em água pH 3 a 9 concentração máxima: 0,6% não irritante cutâneo e ocular Formaldeído:Formaldeído: amplo espectro solúvel em água pH 3 a 10 concentração máxima: 0,2% reativo com gelatinas e proteínas em geral Álcool diclorobenzílico:Álcool diclorobenzílico: amplo espectro (fungos e leveduras) pouco solúvel em água pH 3 a 10 concentração máxima: 0,2% Cloreto de benzalcônioCloreto de benzalcônio (tensoativo catiônico) antibacteriano (G+) solúvel em água e álcool pH: 6 a 9 concentração máxima: 0,3% Diazolidinil uréiaDiazolidinil uréia amplo espectro (G -) muito solúvel em água pH 3 a 9 concentração máxima: 0,5%
  8. 8. CorantesCorantes: são substâncias químicas puras ou compostos de origem orgânica e inorgânicas destinadas a colorir ou intensificar a cor, obedecendo especificação de identidade e pureza estabelecidas pela legislação vigente. Campo de aplicação Coluna 1Coluna 1: corantes permitidos para todos os tipos de produtos Coluna 2Coluna 2:: corantes permitidos para todos os tipos de produtos, exceto àqueles que são aplicados na área dos olhos. Coluna 3Coluna 3: corantes permitidos exclusivamente em produtos que não entram em contato com mucosas. Coluna 4Coluna 4: corantes permitidos em produtos que tenham breve tempo de contanto com a pele e cabelos. Color index 14700 Ponceau SX 16255 Ponceau 3R 19140 Tartrazina Cor Vermelho Vermelho Amarelo 1 X X X 2 3 4
  9. 9. Características ideais de corantesCaracterísticas ideais de corantes a) Não influir nas propriedades terapêuticas b) Melhor a aceitação do produto c) Ser hidrossolúvel d) Corar em baixas concentrações e) Ser estável ao calor e luz f) Ser estável por longo tempo g) Ser estável em ampla faixa de pH h) Apresentar composição química definida i) Ser compatível com outros componentes j) Ser inodoro e insípido Emprego dos corantesEmprego dos corantes a) Em concordância com o produto, sabor, aroma e consumidor; b) A partir de solução estoque, evitando imperfeições de coloração.
  10. 10. Corretivos de aroma e saborCorretivos de aroma e sabor Conceito: São substâncias químicas ou compostos capazes de doar ou corrigir sabores e odores desagradáveis das formulações, permitindo que as mesmas sejam apresentadas e utilizadas pelos consumidores da forma mais agradável possível. Características ideais a) Não causar ojeriza b) Não correlacionar medicamentos a alimentos c) Obedecer um critério de escolha entre sabor, cor e aroma Tipos de corretivos Edulcorantes: conferem sabor adocicado às formulações a) Naturais: sacarose, glicose, frutose, manitol, sorbitol, xilitol, glicerol, xarope simples. b) Sintéticos: sacarina, ciclamato de sódio, aspartame., acesulfame potássico.
  11. 11. Características principaisCaracterísticas principais •Acesulfame potássico: dulçor (180-200), solúvel em água. •Aspartame: dulçor (180-200), pouco solúvel em água. •Ciclamato sódico (0,17%): dulçor (30), muito solúvel em água. •Sacarina sódica (0,075-0,6%):dulçor (300), solúvel em água. •Pó de Stévia (0,3%). Dulçor (30), solúvel em água. •Steviosídeo (0,3%). Dulçor (300), solúvel em água. •Sacarose (85%), dulçor (1), solúvel em água.
  12. 12. Flavorizantes: conferem sabor e aroma às formulações. a) Sucos de frutas concentrados b) Hidrolatos: obtidos por destilação na presença de água e óleos essenciais. Ex.: água destilada de canela, laranjeira, hortelã pimenta. c) Alcoolatos: obtidos por destilação na presença de etanol. Ex.: espírito de açafrão, melissa, terebintina. d) Tinturas e alcoolaturas: obtidos por maceração ou percolação de drogas secas e frescas. Ex.: alcoolatura de limão. e) Extratos: obtidos por diferentes processos extrativos seguida da concentração dos solventes. f) Elixires: soluções hidroalcóolicas edulcoradas. g) Essências: obtidas por destilação por arraste a vapor.
  13. 13. Pirulitos Picolés Pastilhas Saliva artificial Xaropes Suspensões Soluções Géis orais Enxaguatórios bucais Mascarar sabor salgado: uso de xarope de ácido cítrico, chocolate, amora, laranja e canela Mascarar sabor amargo (cloridrato de prometazina, cloridrato de difenidramina, sulfato de quinina): uso de xarope de chocolate, acácia, amora, alcaçuz, laranja. Mascarar sabor ácido: uso de xaropes de amora, cereja e abacaxi. Mascarar sabor óleo de fígado de bacalhau: usp de óleo de galtéria (salicitato de metila) , limão, laranja, anis ou combinações. Técnicas de mascaramento de sabor desagradáveisTécnicas de mascaramento de sabor desagradáveis
  14. 14. Flavorizantes utilizados para mascarar alguns sabores primários:  Doce: baunilha, vanilina, tutti-frutti, uva, morango, framboesa, amora, hortelã-pimenta.  Ácido/azedo: cítrico, limão, laranja, cereja, framboesa.  Salgado: amêndoas, xarope de canela, xarope de ácido cítrico, xarope de maple , xarope de laranja, xarope de alcaçuz, framboesa.  Amargo: anis, café, chocolate, chocolate-menta, menta, limão, laranja, xarope de cacau, xarope de alcaçuz, cravo.  Salino + amargo: xarope de canela, xarope de laranja, xarope de ácido cítrico.  Oleoso: menta, anis, hortelã (ex. correção do sabor de preparações com óleo mineral).  Metálico: morango, framboesa, cereja, uva.  Insípido: associar edulcorante + flavorizante, xarope de limão ou xarope simples com tintura ou essência de limão.
  15. 15. Sugestões de Flavorizantes por Classes de Fármacos  Antibióticos: cereja, abacaxi, laranja, framboesa, banana + abacaxi, banana + baunilha, côco + creme, morango, baunilha, limão-creme, cereja + creme, tutti-frutti, canela.  Antihistamínicos: cereja, canela, creme, uva, mel, pêssego + laranja, framboesa, baunilha, cacau.  Barbituratos: banana + abacaxi, banana + baunilha, canela + menta, groselha + morango, laranja.  Descongestionantes e expectorantes: anis, cereja, côco + creme, creme + menta + morango, groselha + pêssego, morango, limão, laranja, laranja + limão, abacaxi, laranja + pêssego, morango, framboesa, tangerina.  Eletrólitos: cereja, uva, framboesa
  16. 16. Diluição de corantes Sugestão de solução base para diluição de corantes  Corante 0,10 – 10,00% (concentração variável)*  Propilenoglicol 3,00%  Metilparabeno 0,15%  Propilparabeno 0,05%  Álcool etílico 10,00%  Água desmineralizada qsp100,00 mL
  17. 17. Alguns corantes naturais também podem ser utilizados, tais como:  Amarelo: curcuma e vitamina B2.  Vermelho: carmim, colchonilha.  Verde: clorofila.  Alaranjado: betacaroteno

×