Trens Turísticos e o Potencial Sabarense Nos Trilhos do Turismo e da Cultura Kiko Vieira
A Volta do Trem <ul><li>Em 2001, O Governo de Itamar Franco assina convênio com o Ministério dos Transportes e com a Vale ...
Malha Ferroviária <ul><li>O Brasil detém a décima maior malha ferroviária do mundo que, infelizmente, está dilapidada pela...
Brasileiros de trem na Europa <ul><li>Agências de viagem e de turismo no Brasil venderam quase 130 mil pacotes turísticos ...
Trilhos do Turismo e da Cultura <ul><li>O Trem é muito mais agregador com vasto campo de transporte de passageiros social ...
Viabilidade <ul><li>Primeiro passo é a constituição de empresa para operar o sistema de Trem de Passageiro, de Segunda a S...
Ocupação <ul><li>Cada vagão de passageiros tem o número de 60 lugares sentados.  </li></ul><ul><li>A composição tem seis c...
Tarifa <ul><li>Estudos da época apontavam a tarifa do trem de passageiros seria de R$1,00, ida e volta, e do trem turístic...
Alcance social <ul><li>O ganho social e econômico com a volta do trem social e turístico seria o baixo custo da tarifa, a ...
Apoio <ul><li>Hoje, o Governo de Minas Gerais mostra-se timidamente  em desenvolver ações para a volta do trem de passagei...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trens turísticos e o potencial sabarense2

1.142 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.142
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
42
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Uma proposta de modelo de desenvolvimento sustentável do Trem Turístico na RMBH
  • Trens turísticos e o potencial sabarense2

    1. 1. Trens Turísticos e o Potencial Sabarense Nos Trilhos do Turismo e da Cultura Kiko Vieira
    2. 2. A Volta do Trem <ul><li>Em 2001, O Governo de Itamar Franco assina convênio com o Ministério dos Transportes e com a Vale do Rio Doce para implantação do Trem de Ouro </li></ul><ul><li>Verba destinada de R$10 Milhões </li></ul><ul><li>Trajeto de Belo Horizonte a Ouro Preto, passando por Sabará </li></ul><ul><li>Percurso de 147 quilômetros </li></ul><ul><li>Obra de transposição e de duplicação do trecho da linha ferroviária entre o Horto/Bairro São Geraldo/General Carneiro(17km) de responsabilidade da Vale. </li></ul><ul><li>Em 2003 uma ação do Ministério Público Federal para execução da Obra de Transposição foi acatada pela Vale em 2005, com aprovação do projeto e verba, que só agora em 2011 acontece. </li></ul><ul><li>Em 2003 estudos do Ministério dos Transportes por meio da Secretaria Nacional de Transporte Ferroviário apontavam investimentos da ordem de 04 milhões de dólares, hoje recursos próximos de 06 milhões de reais, se o trecho Estação do Horto/Sabará/Rio Acima não estivesse sofrido a dilapidação com roubo e desmanche da linha férrea(trilhos, chapas, dormentes, parafusos, estações ferroviárias). Material vendido a ferros velhos e indústrias de ferro-gusa. </li></ul><ul><li>O Programa de revitalização da ferrovia no Brasil criado em 2003 pelo Governo Federal, em parceria com a iniciativa privada, previa investimentos da ordem de R$12 bilhões. São quatro eixos de investimentos entre eles o de transporte social(de passageiros) e para fins turísticos. </li></ul><ul><li>Ainda em 2003, aconteceu o ‘Primeiro Encontro Trem Ecologia em Movimento’ para a volta do Trem de Passageiros, com origem em Sabará por meio da Prefeitura, Associação dos Engenheiros Ferroviários do Centro-Oeste, Comissão Temática de Transportes do Crea/MG, do Sindicato dos Engenheiros de Minas Gerais, do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Metroviárias de Belo Horizonte, Contagem, Betim – Sindimetro/BH </li></ul><ul><li>Em 2004, Estudos do Ministério do Transporte e do BNDES mostraram a viabilidade técnica e econômica para a volta dos trens de passageiros e de turismo nas ferrovias e ramais da Região Metropolitana de Belo Horizonte – Belo Horizonte/Ouro Preto-Mariana, São Lourenço-Passa Quatro, Barão de Cocais-Santa Bárbara, Pirapora-Sete Lagoas. </li></ul><ul><li>Em 25 de Junho de 2005 é criada a Associação Trens de Minas – Astrem – com origem em Sabará e que agregou diversos movimentos e associações em Minas Gerais para a volta do Trem de Passageiros e Turísticos </li></ul>
    3. 3. Malha Ferroviária <ul><li>O Brasil detém a décima maior malha ferroviária do mundo que, infelizmente, está dilapidada pela falta de compromisso e respeito da União e dos concessionários das linhas da antiga Rede Ferroviária Federal S/A com o patrimônio material, imaterial e histórico da ferrovia brasileira e em Minas Gerais. </li></ul><ul><li>Na América Latina, o país perde para a Argentina que é oitava colocada no ranking mundial de malha ferroviária. Se comparar a utilização média por ano passageiro(Km/ano) aqui no Brasil a taxa caminha para o negativo de apenas 0,6 contra 42 nos Estados Unidos, 405 na China, 141 na Rússia, 67 na França, país com dimensões menores do que o estado de Minas Gerais, 241 no Japão que tem o tamanho do estado de São Paulo, 11 na Argentina. </li></ul>
    4. 4. Brasileiros de trem na Europa <ul><li>Agências de viagem e de turismo no Brasil venderam quase 130 mil pacotes turísticos a brasileiros com destino à Europa. </li></ul><ul><li>Anualmente, esse índice de venda de pacotes turísticos aumenta em torno de 30%, em média. </li></ul><ul><li>Os brasileiros optam por viagens de trens, por serem um atrativo diferenciado e terem mais segurança do que automóveis, por exemplo. Também para apreciar a paisagem e os costumes culturais, religiosos, artísticos, entre outros atrativos europeus. </li></ul>
    5. 5. Trilhos do Turismo e da Cultura <ul><li>O Trem é muito mais agregador com vasto campo de transporte de passageiros social ou turístico, histórico, cultural, com víeis para o ecoturismo, o turismo de aventuras. </li></ul><ul><li>Existe espaço comum para os trens de carga e de passageiros sem um atropelar o outro. </li></ul>
    6. 6. Viabilidade <ul><li>Primeiro passo é a constituição de empresa para operar o sistema de Trem de Passageiro, de Segunda a Sexta-feira, e Trem Turístico aos sábados, domingos e feriados. </li></ul><ul><li>Portaria do Ministério do Transporte determina que a empresa operadora do sistema seja uma Oscip. </li></ul><ul><li>Obter a concessão do transporte ferroviário de passageiros no trecho que é de segurança nacional, Ramal 1, que vai de Belo Horizonte ao Rio de Janeiro. </li></ul><ul><li>Formar um consórcio com as Prefeituras do entorno do trecho ferroviário por meio de associação e aquisição de cotas pagas anualmente. </li></ul><ul><li>Aquisição de material rodante( duas locomotivas G12, seis carros de passageiros(aço carbono) mais três de reservas, pátio de manutenção, contratação de pessoal. </li></ul><ul><li>Agregar a agricultura, a pecuária, o hortifrutigranjeiro para comércio dos produtos oriundos das famílias agricultoras das regiões rurais de cada município. Em Sabará podemos citar como exemplo Pompéu, Ravena e Palmital. </li></ul><ul><li>Criar por meio das Secretarias de Turismo, Cultura e Esporte a indústria Turística e Cultural com incentivo ao empresariado, qualificação de mão-de-obra, melhoria da prestação de serviço, agregação das manifestações artísticas, culturais como artesanato, festas populares (Carnaval, festivais, religiosas, musicais, entre outras com apelo turísticos. </li></ul><ul><li>Recuperação e reconstrução do acervo histórico ferroviário como estações, linha férrea, paradas de embarque e desembarque de passageiros. </li></ul><ul><li>Com o crescimento do Movimento e a criação da Associação Trens de Minas(Astrem) o percurso Belo Horizonte/ Rio Acima foi até Itabirito, depois à Ouro Preto-Mariana-Miguel Burnier. </li></ul><ul><li>Elaboração de projetos de incentivos culturais, turísticos e esportivos para captação de recursos nos governos federal, estadual, municipal e empresas privadas. </li></ul><ul><li>Envelopamento(Plotagem) de vagões, ações de marketing institucional, merchandising, publicidade, etc. </li></ul><ul><li>Sabará seria privilegiada com dois ramais turísticos e de passageiros. O primeiro trecho com destino até Miguel Burnier e o segundo até o Pompéu/Cuiabá, posteriormente chegando à Caeté. </li></ul><ul><li>A geração de empregos diretos ultrapassaria a casa de 100 trabalhadores, além de se criar centenas ou superaria a casa do milhar de empregos indiretos na região em cidades do entorno da linha férrea. </li></ul>
    7. 7. Ocupação <ul><li>Cada vagão de passageiros tem o número de 60 lugares sentados. </li></ul><ul><li>A composição tem seis carros totalizando 360 vagas. Que os passageiros do trem turístico somente viajam sentados e a taxa de ocupação considerada fosse de 90% dos lugares ofertados, seriam 324 lugares vendidos </li></ul><ul><li>O trem social teria a ocupação de 90 passageiros, sendo 30 em pé e 60 sentados </li></ul><ul><li>A estimativa é de transportar anualmente 197.100 pessoas no trem social. </li></ul><ul><li>E aproximadamente 30 mil turistas seriam transportados nos fins de semana e feriados. </li></ul>
    8. 8. Tarifa <ul><li>Estudos da época apontavam a tarifa do trem de passageiros seria de R$1,00, ida e volta, e do trem turístico R$25,00, que subsidiaria a tarifa social que teria o custo zero. </li></ul><ul><li>São dois pares de viagem, um de ida para Belo Horizonte, outro de volta de Belo Horizonte para a cidade de origem, no caso de Trem de Passageiros. </li></ul><ul><li>Para o Trem Turístico seria uma saída de Belo Horizonte e um retorno para a capital mineira. </li></ul>
    9. 9. Alcance social <ul><li>O ganho social e econômico com a volta do trem social e turístico seria o baixo custo da tarifa, a possibilidade de cidadãos buscarem empregos e renda nas cidades do entorno da linha ferroviária da região metropolitana de Belo Horizonte. </li></ul><ul><li>Viabilizar o acesso de crianças e adolescentes de Rio Acima e Raposos aos cursos profissionalizantes do Senai/Sesi em Sabará e Belo Horizonte. </li></ul><ul><li>Geração de renda para os munícipes e cidades com o fomento do turismo e despesas realizadas pelos turistas. </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do artesanato e produtos hortifrutigranjeiros orgânicos produzidos para venda aos turistas. </li></ul><ul><li>Geração do mercado para empresas de turismo e empreendedores culturais </li></ul><ul><li>Público alvo: Turistas brasileiros e estrangeiros, terceira idade, casais, famílias, e a comunidade do mundo arco-iris, potenciais consumidores e de bom poder aquisitivo. </li></ul>
    10. 10. Apoio <ul><li>Hoje, o Governo de Minas Gerais mostra-se timidamente em desenvolver ações para a volta do trem de passageiros. </li></ul><ul><li>Há interesse em agendar uma reunião com integrantes da Astrem para o retorno das atividades dessa Oscip que seria operadora do Trem de passageiro e turístico. </li></ul><ul><li>O governo federal também manifesta intenção em incrementar projetos para colocar o trem social nos trilhos, novamente. </li></ul><ul><li>Kiko Vieira </li></ul><ul><li>Jornalista Pós-Graduação </li></ul><ul><li>Empresário em Comunicação Social </li></ul><ul><li>Consultor </li></ul><ul><li>Especialista em gestão e desenvolvimento em projetos culturais e esportivos </li></ul><ul><li>Membro e Fundador da Astrem </li></ul><ul><li>Ex-diretor da Fundação Clóvis Salgado- Palácio das Artes – cargo(simultâneo) Chefe de Gabinete, Superintendente de Comunicação Social, Ouvidor, Marketing institucional , de captação de recursos e patrocinadores para os projetos culturais. </li></ul><ul><li>E-mail – [email_address] </li></ul><ul><li>Mobile: (31)8754.5054 </li></ul>

    ×