Gestão de TI em hospitais

1.129 visualizações

Publicada em

Apresentação de artigo no 8º CONTECSI, na USP, em 2011.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.129
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão de TI em hospitais

  1. 1. ANÁLISE COMPARATIVA DA AVALIAÇÃO DA GESTÃO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS BRASILEIROS, MEXICANO E PORTUGUÊS<br />
  2. 2. SUMÁRIO<br />Apresentando o trabalho<br />Quem participou<br />Caracterização dos hospitais<br />Recursos humanos<br />Gestão estratégica do hospital<br />Pesquisa e desenvolvimento – P&D<br />Investimento em inovação tecnológica<br />Equipamentos e demais recursos de TI<br />Comércio Eletrônico<br />Telemedicina<br /> Encerrando<br />
  3. 3. APRESENTANDO O TRABALHO (1/2)<br />
  4. 4. APRESENTANDO O TRABALHO (2/2)<br />
  5. 5. QUEM PARTICIPOU<br />UAEM<br />UTAD<br />
  6. 6. CARACTERIZAÇÃO DOS HOSPITAIS<br />64 hospitais pesquisados,<br />47.872 funcionários em atividade e 10.826 leitos ativos<br />
  7. 7. RECURSOS HUMANOS<br />Indicador de produtividade: funcionário x leito (1/2)<br />
  8. 8. RECURSOS HUMANOS<br />Qualificação tecnológica do pessoal (2/2)<br />?<br />
  9. 9. Gestão estratégica do hospital<br />
  10. 10. PESQUISA E DESEN-VOLVIMENTO – P&D(1/2)<br />A maioria dos dirigentes entrevistados teve dificuldade em compreender os quesitos referentes à pesquisa & desenvolvimento.<br />Das respostas válidas obteve-se que as atividades de pesquisa e desenvolvimento se dão de forma ocasional em 49% dos hospitais e contínuas em 31% dos hospitais (incluídos os universitários). Os demais 20% não responderam o quesito.<br />
  11. 11. PESQUISA E DESEN-VOLVIMENTO – P&D(2/2)<br />Qual a importância da pesquisa & desenvolvimento?<br />53%<br />
  12. 12. INVESTIMENTO EM INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (1/2)<br />
  13. 13. INVESTIMENTO EM INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (2/2)<br />
  14. 14. EQUIPAMENTOS E DEMAIS RECURSOS DE TI (1/2)<br />Os hospitais de porte especial têm em média 653 computadores, dos quais 617 conectados à Internet por meio de rede local (LAN). Enquanto os de grande porte apresentaram em média 230 computadores, dos quais 185 conectados à Internet por meio de LAN. <br />A impressora laser é a preferida no momento de aquisição (53%) entre os hospitais pesquisados<br />
  15. 15. EQUIPAMENTOS E DEMAIS RECURSOS DE TI (2/2)<br />
  16. 16. Comércio Eletrônico<br />Como grande parte dos hospitais pesquisados são filantrópicos, públicos ou universitários estatais, não faz sentido falar de comércio de serviços em unidades de atendimento gratuito. <br />Mesmo nas organizações privadas a maior barreira para venda de serviços na Internet refere-se à dificuldade em adaptar os produtos à venda neste canal<br />Os dirigentes hospitalares ENTREVISTADOS veem o portal como a única solução de Internet para o ramo.<br />
  17. 17. Telemedicina (1/3)<br />
  18. 18. Telemedicina (2/3)<br />No Brasil os que a utilizam dividem-se nas especialidades médica de cardiologia, medicina intensiva, neurologia, radiologia, patologia, vídeo-endoscopia, ginecologia, medicina de emergência, dermatologia e oncologia. <br />O uso mais comum desta tecnologia se dá em diagnósticos, gerenciamento de doenças crônicas e segunda opinião médica. <br />
  19. 19. Telemedicina (3/3)<br />A utilização de Conexão IP foi única reportada<br />Destaque positivo para Santa Catarina onde os hospitais que usam a Telemedicina integram-se ao LABTELEMED (www.telemedicina.ufsc.br) da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Santa Catarina, possibilitando a interação entre o profissional no hospital com professores e alunos na faculdade<br />
  20. 20. Em campo foram relatados problemas de exclusão de hospitais da amostragem da investigação por conta do nível crítico de desconhecimento dos entrevistados em relação ao tema (TI e SI). <br />O estudo mostrou que depois de oito anos da implantação da Política Nacional de Informação e Informática em Saúde (PNIIS) pelo Ministério da Saúde do Brasil não se conhece o programa, nem mesmo nos hospitais públicos brasileiros.<br />Concluindo parcialmente (1/2)<br />
  21. 21. O volume de dados produzidos, por vários meios, nas organizações hospitalares é muito grande. Entretanto, o emprego desses dados raramente se dá na tomada de decisão ou na formação de diagnóstico. <br />Como principal desdobramento é necessário ampliar o escopo da pesquisa, visando identificar razões do fraco uso do comércio eletrônico, da Telemedicina e de softwares integrados de gestão nos hospitais brasileiros. <br />Concluindo parcialmente (2/2)<br />
  22. 22. Agradecemos a atenção<br />

×