Tornar se um bom pastor

646 visualizações

Publicada em

Treinamento para Mestres Familiares SUD

Publicada em: Espiritual
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
646
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
148
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tornar se um bom pastor

  1. 1. • Os pastores vigiam contra os inimigos que possam atacar as Ovelhas; • Defendem-nas quando necessário; • Cuidam das Ovelhas feridas; • Procuram e salvam as Ovelhas perdidas ou que caíram em alguma “armadilha”
  2. 2. “Um pastor cuida das ovelhas. Nas historias das escrituras , as ovelhas estão em perigo e precisam de proteção e alimento. O Salvador adverte-nos que precisamos cuidar das ovelhas tal como Ele, que deu a vida por elas. Elas são suas. Não podemos aproximar-nos do padrão que Ele estabeleceu, como mercenários, cuidarmos apenas das ovelhas apenas quando isso for conveniente e recebermos uma recompensa (…) Os membros da Igreja são as ovelhas. Elas são Dele, e fomos chamados por Ele para cuidarmos delas. Temos de fazer mais do que apenas avisá-las do perigo. Precisamos alimentá-las.” Elder Henry B. Eyring, Liahona, Julho 2001
  3. 3. “Esta noite quero falar ao Sacerdócio de Deus, em suas atribuições de Pastores do Senhor. O Elder Bruce R. McConkie Declarou: “Qualquer que sirva em alguma posição na Igreja, na qual seja responsável pelo bem estar espiritual ou físico de qualquer dos filhos do Senhor, é um pastor dessas ovelhas. O Senhor responsabiliza Seus pastores pela segurança (significando Salvação) de Suas ovelhas” [Mormon Doctrine, 1966, Pg.710] Um portador do sacerdócio tem esta grande responsabilidade, seja pai, avô, mestre familiar, Pres. do Quórum de Elders, Bispo, Pres. de Estaca, ou tenha outro chamado na Igreja.” Elder James E. Faust, Liahona, Julho 1995
  4. 4. Para tornar-nos Bons Pastores:
  5. 5. Tudo depende - do principio ao fim – de nossos desejos. Eles moldam o padrão de nossos pensamentos. Nossos desejos precedem portanto nossas ações e estão no amago de nossa alma. Elder Neal A Maxwell, Out. 1995 Mateus 22:35-40 “O principio do Amor é a essência básica do Evangelho de Jesus Cristo. Sem o Amor a Deus e o Amor ao próximo há poucas razões para se recomendar o Evangelho Como um modo de Vida.” Gordon B Hinckley ,Ensign, Mar. 1984
  6. 6. Responsabilidades dos Mestres Familiares • Visitam a casa de todos os membros – D&C 20:51 • Zelam por eles – D&C 20:53 • Admoestam , explicam, exortam e ensinam – D&C 20:59 • Visitam as famílias pelo menos 1 vez/mês; • Prestam-lhes Serviço; • Representam o Senhor; • Informam-se dos interesses e necessidades da família; • Ajudam os pais a providenciar a Bênção, o Batismo, e Confirmação dos filhos, bem como o recebimento do Sacerdócio na idade exata; • Oferecem ajuda quando existe Desemprego, Doença ou Solidão; • Ajudam a fortalecer a Fé no Pai Celestial e em Jesus Cristo e a fazer e guardar os Convénios Sagrados; • Marcam suas visitas em horários convenientes para a Familia e lembram-se que são convidados dos membros que visitam. • Apresentam um relatório mensal (Man. Adm. Igreja - Vol. 2 - Pag. 45)
  7. 7. Regra de Ouro do Evangelho “Portanto tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a Lei e os Profetas” Mateus 7:12 Esta regra necessita ser aplicada transversalmente em todas as áreas de liderança / serviço em que estivermos envolvidos
  8. 8. A regra de Ouro exige que:  Vejamos os outros como eles podem vir a tornar-se;  Tratemos as pessoas com bondade e respeito;  Honremos o arbítrio daqueles a quem servimos / lideramos;  Tenhamos um sentimento de empatia  Sejamos bons ouvintes e acatemos conselhos (sejamos ensináveis);  Sejamos um exemplo de retidão pessoal, ensinando por meio do exemplo;  Inspiremos e motivemos;  Confiemos e sejamos confiáveis;  Devemos guardar Sigilo das situações que nos forem relatadas  Devemos compreender as necessidades das pessoas a quem servimos  Devemos atender às necessidades manifestadas pelas pessoas
  9. 9. Precisamos não apenas fazer o certo. Precisamos também agir pelos motivos certos. As escrituras frequentemente indicam a atitude mental adequada, com as palavras pleno propósito de coração ou real intenção. Se não agirmos pelos motivos certos nossas ações não serão contadas como justas. Não há bênçãos para ações supostamente boas que são realizadas pelos motivos errados.” Elder Dallin H. Oaks, Pure in Heart, 1988, pp. 15, 33
  10. 10. OTestemunho do Dever, de nosso Profeta Presidente Thomas S. Monson
  11. 11. OTestemunho do Dever, de nosso Profeta Presidente Thomas S. Monson
  12. 12. OTestemunho do Dever, de nosso Profeta Presidente Thomas S. Monson
  13. 13. RETER & RESGATAR

×