Drogas

456 visualizações

Publicada em

Uso de drogas e suas consequências para a saúde.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
456
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Drogas

  1. 1. A ARMADILHA DAS DROGASA ARMADILHA DAS DROGAS Dr. Rubens Mário Mazzini Rodrigues, MDDr. Rubens Mário Mazzini Rodrigues, MD Médico PsiquiatraMédico Psiquiatra
  2. 2. DEFINIÇÕESDEFINIÇÕES  Segundo a OMSSegundo a OMS (Organização Mundial(Organização Mundial de Saúde), DROGA éde Saúde), DROGA é toda substância que,toda substância que, após ingerida, podeapós ingerida, pode modificar uma ou maismodificar uma ou mais funções do indivíduo.funções do indivíduo.  Psicotrópico é umaPsicotrópico é uma droga capaz de alterardroga capaz de alterar as funções mentais poras funções mentais por sua ação no sistemasua ação no sistema
  3. 3. CLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO Lewin, 1928Lewin, 1928  ExcitantiaExcitantia == EXCITANTES Cafeína,EXCITANTES Cafeína, Nicotina, Cocaína, AnfetaminaNicotina, Cocaína, Anfetamina  InebriantiaInebriantia == INEBRIANTES Álcool,INEBRIANTES Álcool, Éter, Clorofórmio, Tolueno (colas)Éter, Clorofórmio, Tolueno (colas)  PhantasticaPhantastica == ALUCINÓGENOS Maconha,ALUCINÓGENOS Maconha, Haxixe, Mescalina, LSD, AtropinaHaxixe, Mescalina, LSD, Atropina  EuphoricaEuphorica == EUFORIZANTES Ópio,EUFORIZANTES Ópio, Morfina, Codeína, Heroína, MeperidinaMorfina, Codeína, Heroína, Meperidina  HypnoticaHypnotica == HIPNÓTICOS Barbitúricos,HIPNÓTICOS Barbitúricos, BenzodiazepínicosBenzodiazepínicos
  4. 4. TIPOS DE DROGASTIPOS DE DROGAS  AnalgésicosAnalgésicos  Narcótico-Narcótico- analgésicosanalgésicos  TranquilizantesTranquilizantes  Hipnótico-Hipnótico- sedativossedativos  EstimulantesEstimulantes  AnorexígenosAnorexígenos  NarcóticosNarcóticos  EuforizantesEuforizantes  EstimulantesEstimulantes  AlucinógenosAlucinógenos  PsicodislépticPsicodisléptic osos  EntorpecentesEntorpecentes  EstupefacientEstupefacient LÍCITASLÍCITAS ILÍCITASILÍCITAS
  5. 5. DROGAS MAIS COMUNSDROGAS MAIS COMUNS  ÁLCOOLÁLCOOL  NICOTINANICOTINA  CAFEÍNACAFEÍNA  DIAZEPINASDIAZEPINAS  ANFETAMINASANFETAMINAS  BARBITÚRICOSBARBITÚRICOS  ANALGÉSICOSANALGÉSICOS  ANABOLIZANTESANABOLIZANTES  CANABISCANABIS  COCAÍNACOCAÍNA && CRACKCRACK  INALANTES (colas)INALANTES (colas)  LANÇA-PERFUMELANÇA-PERFUME  LSDLSD  HEROÍNAHEROÍNA  OPIÁCEOSOPIÁCEOS  EXTASEEXTASE
  6. 6. Efeitos AlmejadosEfeitos Almejados  Analgesia (entorpecimento)Analgesia (entorpecimento)  Alívio da ansiedade, tensão e insôniaAlívio da ansiedade, tensão e insônia  Aumento do nível de energia, sensaçãoAumento do nível de energia, sensação de força e poder (anti-depressivo)de força e poder (anti-depressivo)  Aumento da intensidade dasAumento da intensidade das experiências sensoriaisexperiências sensoriais  Alcançar estados de embriagues,Alcançar estados de embriagues, euforia, atordoamento, elação.euforia, atordoamento, elação.
  7. 7. DEPENDÊNCIADEPENDÊNCIA  DEPENDÊNCIA QUÍMICADEPENDÊNCIA QUÍMICA Pressão física para uso da drogaPressão física para uso da droga devido à habituação do sistemadevido à habituação do sistema nervoso aos efeitos da mesmanervoso aos efeitos da mesma  DEPENDÊNCIA PSÍQUICADEPENDÊNCIA PSÍQUICA Pressão psicológica da busca dosPressão psicológica da busca dos estados alterados para alívio dasestados alterados para alívio das tensões existenciais e necessidadestensões existenciais e necessidades insatisfeitas.insatisfeitas.
  8. 8. MECANISMO DE AÇÃOMECANISMO DE AÇÃO
  9. 9. DROGAS MAIS COMUNS (EUA)DROGAS MAIS COMUNS (EUA)
  10. 10. Uso nas Escolas de PoA (2005)Uso nas Escolas de PoA (2005)
  11. 11. NICOTINA (Tabaco)NICOTINA (Tabaco) FORMA DE USO:FORMA DE USO: Fumo de tabaco na forma de cigarros ouFumo de tabaco na forma de cigarros ou cachimbo ou em forma de rolo paracachimbo ou em forma de rolo para mascar.mascar. EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Estimulação psico-motora, aumento daEstimulação psico-motora, aumento da atenção, memória e concentração, insônia,atenção, memória e concentração, insônia, irritabilidade.irritabilidade. EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Taquicardia, hipertensão, vasoconstrição,Taquicardia, hipertensão, vasoconstrição, tosse,tosse, tontura, náusea, ação cancerígena,tontura, náusea, ação cancerígena, aterosclerose,aterosclerose,
  12. 12. ÁLCOOL ETÍLICOÁLCOOL ETÍLICO FORMA DE USO:FORMA DE USO: Ingestão na forma de bebidas alcoólicas,Ingestão na forma de bebidas alcoólicas, puro oupuro ou em outras misturas.em outras misturas. EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: dose dependente (mgdose dependente (mg %)%) Euforia (30), incoordenação (50), excitaçãoEuforia (30), incoordenação (50), excitação (150),(150), Tontura e irritação (250), Estupor (300),Tontura e irritação (250), Estupor (300), anestesia (400), coma e morte (500).anestesia (400), coma e morte (500). Limite permitido (80mg% = 2 copos deLimite permitido (80mg% = 2 copos de cerveja)cerveja) EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Hipotensão / hipertensão, perda do equilíbrio,Hipotensão / hipertensão, perda do equilíbrio, reflexos diminuídos, ação tóxica sobre oreflexos diminuídos, ação tóxica sobre o fígadofígado
  13. 13. INALANTESINALANTES (Éter, Clorofórmio, Tolueno, Loló)(Éter, Clorofórmio, Tolueno, Loló) FORMA DEFORMA DE USO:USO: Aspiração /Aspiração / inalação.inalação. EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Euforia, riso fácil e incontrolável e imotivado,Euforia, riso fácil e incontrolável e imotivado, perturbação da percepção e atenção,perturbação da percepção e atenção, alucinações.alucinações. EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Taquicardia, lesão pulmonar eTaquicardia, lesão pulmonar e hepática,convulsões,hepática,convulsões, arritimias cardícas, parada cárdio-repiratória,arritimias cardícas, parada cárdio-repiratória, decoordenação motora, perda de memória.decoordenação motora, perda de memória.
  14. 14. INALANTESINALANTES
  15. 15. GRUPO DE RISCOGRUPO DE RISCO
  16. 16. CANNABIS SATIVA (THC)CANNABIS SATIVA (THC) Maconha – Cânhamo – Marijuana - HaxixeMaconha – Cânhamo – Marijuana - Haxixe FORMA DE USO:FORMA DE USO: Fumo de maconha ou haxixe na formaFumo de maconha ou haxixe na forma dede cigarros (baseado, pacau, charão) oucigarros (baseado, pacau, charão) ou cachimbo.cachimbo.EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Sensação de bem-Sensação de bem- estar, fala lenta, alucinose, diminuição daestar, fala lenta, alucinose, diminuição da capacidade de concentração e memória,capacidade de concentração e memória, síndrome amotivacionalsíndrome amotivacional, diminuição da libido,, diminuição da libido, alteração da percepção do tempo, medo,alteração da percepção do tempo, medo, despersonalização.despersonalização.EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Xerostomia (boca seca), aumento do apetite,Xerostomia (boca seca), aumento do apetite, quedaqueda dos níveis de testosterona e do número dedos níveis de testosterona e do número de esperma-esperma-
  17. 17. GRUPO DE RISCOGRUPO DE RISCO
  18. 18. QUESTÃO SOCIAL?QUESTÃO SOCIAL?
  19. 19. CASO DE POLÍCIA?CASO DE POLÍCIA?
  20. 20. CULTIVO DOMÉSTICOCULTIVO DOMÉSTICO
  21. 21. BICHO DE 7 CABEÇAS?BICHO DE 7 CABEÇAS?
  22. 22. Efeitos sobre o CérebroEfeitos sobre o Cérebro
  23. 23. Efeitos sobre o CérebroEfeitos sobre o Cérebro
  24. 24. A FALSA VERDADEA FALSA VERDADE Em agosto de 2002 aEm agosto de 2002 a revista Superinteressanterevista Superinteressante publicou um artigopublicou um artigo lamentável fazendo umalamentável fazendo uma apologia da maconhaapologia da maconha minimizando suaminimizando sua gravidade egravidade e conseqüências para aconseqüências para a saúde dos jovens.saúde dos jovens.
  25. 25. A “VERDADE” DA SUPERA “VERDADE” DA SUPER A verdade sobre a maconhaA verdade sobre a maconha A proibição da cannabis pode ter mais a verA proibição da cannabis pode ter mais a ver com interesses morais, políticos ecom interesses morais, políticos e econômicos do que com argumentoseconômicos do que com argumentos científicos. Saiba mais sobre os efeitos delacientíficos. Saiba mais sobre os efeitos dela e sua influência na história da civilização.e sua influência na história da civilização. Por que a maconha é proibida? Porque faz mal àPor que a maconha é proibida? Porque faz mal à saúde. Será mesmo? Então, por que o bacon não ésaúde. Será mesmo? Então, por que o bacon não é proibido? Ou as anfetaminas? E, diga-se deproibido? Ou as anfetaminas? E, diga-se de passagem, nenhum mal sério à saúde foipassagem, nenhum mal sério à saúde foi comprovado para o uso esporádico de maconha.comprovado para o uso esporádico de maconha.
  26. 26. A VERDADE VERDADEIRAA VERDADE VERDADEIRA  A maconha é pior que o cigarro. A longo prazo é dez vezesA maconha é pior que o cigarro. A longo prazo é dez vezes mais cancerígena que o tabaco.mais cancerígena que o tabaco.  A maconha tem 60% de substâncias altamente cancerígenasA maconha tem 60% de substâncias altamente cancerígenas a mais que o tabaco, tais como o benzantreceno e oa mais que o tabaco, tais como o benzantreceno e o benzopireno.benzopireno.  A maconha pode causar as mesmas doenças provocadasA maconha pode causar as mesmas doenças provocadas pelo tabaco, além de infecções generalizadas.pelo tabaco, além de infecções generalizadas.  Seu uso prolongado pode ocasionar a sindromeSeu uso prolongado pode ocasionar a sindrome amotivacional - a anulação da personalidade. A síndromeamotivacional - a anulação da personalidade. A síndrome amotivacional consiste na falta de motivação para efetuaramotivacional consiste na falta de motivação para efetuar qualquer tarefa, desejos e anseios pessoais.qualquer tarefa, desejos e anseios pessoais.  Uma pessoa que tenha problemas cardíacos pode ter umUma pessoa que tenha problemas cardíacos pode ter um acidente cárdio vascular fatal - quando não suportaracidente cárdio vascular fatal - quando não suportar alteração excessiva dos batimentos cardíacos, provocadaalteração excessiva dos batimentos cardíacos, provocada pelo THC - Tetrahidrocanabiol - substância ativa dapelo THC - Tetrahidrocanabiol - substância ativa da maconha.maconha.  O THC atinge linfócitos, dimimuindo a imunidade.O THC atinge linfócitos, dimimuindo a imunidade.
  27. 27. A VERDADE VERDADEIRAA VERDADE VERDADEIRA  O THC em altas doses e longos períodos de uso, podeO THC em altas doses e longos períodos de uso, pode apresentar disturbios mentais tais como: dificuldade deapresentar disturbios mentais tais como: dificuldade de concentração, perda de memória e prejuízo da habilidadeconcentração, perda de memória e prejuízo da habilidade matemática.matemática.  O THC impede a síntese do DNA, que é material genéticoO THC impede a síntese do DNA, que é material genético essencial para o metabolismo e reprodução celular.essencial para o metabolismo e reprodução celular.  O THC interfere diretamente na produção, transmissão eO THC interfere diretamente na produção, transmissão e armazenamento de neurotransmissores - que sãoarmazenamento de neurotransmissores - que são mensageiros químicos dos impulsos nervosos entremensageiros químicos dos impulsos nervosos entre bilhões de células nervosas.bilhões de células nervosas.  A maconha vicia e provoca dependência psíquica - aA maconha vicia e provoca dependência psíquica - a dependência psíquica dificilmente mata, mas pode trazerdependência psíquica dificilmente mata, mas pode trazer sofrimentos tão intensos quanto a dependência física.sofrimentos tão intensos quanto a dependência física. Com base num levantamento, feito para saber quantos seCom base num levantamento, feito para saber quantos se viciam após experimentarem drogas, ficou constatado queviciam após experimentarem drogas, ficou constatado que 50% dos que provaram maconha ficaram viciados.50% dos que provaram maconha ficaram viciados.
  28. 28. A VERDADE VERDADEIRAA VERDADE VERDADEIRA  A maconha provoca lentificação das ondas cerebrais.A maconha provoca lentificação das ondas cerebrais.  A maconha diminui o mecanismo de rastreamento visual.A maconha diminui o mecanismo de rastreamento visual.  A maconha aumenta o tempo de resposta a um estímuloA maconha aumenta o tempo de resposta a um estímulo recebido (diminui os reflexos).recebido (diminui os reflexos).  A maconha prejudica a noção de tempo e de espaço.A maconha prejudica a noção de tempo e de espaço.  A maconha prejudica a noção de velocidade.A maconha prejudica a noção de velocidade.  A maconha pode produzir ilusões, alucinações e delírios.A maconha pode produzir ilusões, alucinações e delírios.  A maconha pode provocar ginecomastia no rapazA maconha pode provocar ginecomastia no rapaz (desenvolvimento dos mamilos, próximos ao nível(desenvolvimento dos mamilos, próximos ao nível feminino).feminino).  A maconha leva à diminuição da capacidade de manterA maconha leva à diminuição da capacidade de manter relacionamentos afetivos e à diminuição da capacidaderelacionamentos afetivos e à diminuição da capacidade de estudo e trabalho.de estudo e trabalho.  O uso prolongado causa diminuição de espermatozóides.O uso prolongado causa diminuição de espermatozóides. Na mulher causa alterações hormonais que pode chegarNa mulher causa alterações hormonais que pode chegar até a inibição da ovulação.até a inibição da ovulação.
  29. 29. A TRISTE REALIDADEA TRISTE REALIDADE
  30. 30. COCAÍNA e CRACKCOCAÍNA e CRACK Erythroxilon cocaErythroxilon coca FORMA DE USO:FORMA DE USO: Pó: Aspiração, fricçãoPó: Aspiração, fricção gengival, diluído e injetado. Alcalóide (Crack):gengival, diluído e injetado. Alcalóide (Crack): fumo em cachimbo. Folhas e pasta de cocafumo em cachimbo. Folhas e pasta de coca (basuco).(basuco). EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Euforia, sensação aumento do poder eEuforia, sensação aumento do poder e vitalidade,vitalidade, excitação, alteração comportamental, confusãoexcitação, alteração comportamental, confusão de idéias, delírios, transtorno dede idéias, delírios, transtorno de personalidade.personalidade.EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Taquicardia, midríase, hipoestesia, hipertensão,Taquicardia, midríase, hipoestesia, hipertensão, vômitos, diarréia, hipotermia, suor frio,vômitos, diarréia, hipotermia, suor frio, depressão do centro respiratório, parada cardio-depressão do centro respiratório, parada cardio- respiratória.respiratória.
  31. 31. COCAÍNA E CRACKCOCAÍNA E CRACK
  32. 32. Efeitos da Cocaína no cérebroEfeitos da Cocaína no cérebro
  33. 33. Efeitos da CocaínaEfeitos da Cocaína
  34. 34. MIDRÍASEMIDRÍASE
  35. 35. TABELA DE PREÇOSTABELA DE PREÇOS
  36. 36. LSDLSD (("Lysergic Saure Diethylamide”"Lysergic Saure Diethylamide”)) FORMA DE USO:FORMA DE USO: Ingetão direta, através da mucosa sub-lingual.Ingetão direta, através da mucosa sub-lingual. EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Pertubações motoras, psico sensoriais ePertubações motoras, psico sensoriais e psíquicos, podendo gerar até um estado depsíquicos, podendo gerar até um estado de pânico ou desencadear uma psicose do tipopânico ou desencadear uma psicose do tipo EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Alucinações (viagem) que variam de pessoaAlucinações (viagem) que variam de pessoa para pessoa, delírios, percepção falsa dapara pessoa, delírios, percepção falsa da realidade (estado semelhante ao sonho).realidade (estado semelhante ao sonho).
  37. 37. LSDLSD
  38. 38. HEROÍNAHEROÍNA (Diacetilmorfina)(Diacetilmorfina) Papaver somniferumPapaver somniferum = Papoula= Papoula FORMA DE USO:FORMA DE USO: Injeção do alcalóide diluído em água.Injeção do alcalóide diluído em água. EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Bradiquicardia, miose, queda da pressãoBradiquicardia, miose, queda da pressão arterial e da temperatura, depressão do centroarterial e da temperatura, depressão do centro respiratório, cianose, parada cárdio respiratória,respiratório, cianose, parada cárdio respiratória, cólica renal.cólica renal. EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Elação, euforia, sensação de prazer eElação, euforia, sensação de prazer e felicidade intensa, sensação semelhante aofelicidade intensa, sensação semelhante ao orgasmo, torpor.orgasmo, torpor.
  39. 39. ANFETAMINASANFETAMINAS (Anorexígenos = Hipofagin, Inibex, etc)(Anorexígenos = Hipofagin, Inibex, etc) FORMA DE USO:FORMA DE USO: Comprimidos ou ampolas.Comprimidos ou ampolas. EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Diminuição do apetite, perda de peso,Diminuição do apetite, perda de peso, taquicardia, arritmias cardíacas, tremor fino,taquicardia, arritmias cardíacas, tremor fino, suor frio, febre, hipertensão arterial,suor frio, febre, hipertensão arterial, convulsões.convulsões. EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Euforia,iperatividade, irritabilidade, tensão,Euforia,iperatividade, irritabilidade, tensão, ansiedade, reação maníaca, psicose.ansiedade, reação maníaca, psicose.
  40. 40. TRANQUILIZANTESTRANQUILIZANTES Benzodiazepínicos = Lexotan, Valium, Frontal, etc...Benzodiazepínicos = Lexotan, Valium, Frontal, etc... FORMA DE USOFORMA DE USO:: Comprimidos e ampolas.Comprimidos e ampolas. EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Relaxamento muscular, diminuição daRelaxamento muscular, diminuição da coordenação motora, diminuição da memória ecoordenação motora, diminuição da memória e concentração.concentração. EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Alívio da ansiedade, sedação, sonolência,Alívio da ansiedade, sedação, sonolência, sensação de bem-estar.sensação de bem-estar.
  41. 41. ANTI-COLINÉRGICOSANTI-COLINÉRGICOS Atropina, Artane, AkinetonAtropina, Artane, Akineton FORMA DE USO:FORMA DE USO: Mastigação, infusões (chás)Mastigação, infusões (chás) Comprimidos.Comprimidos. EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Tadiquicardia, boca seca, midríase,Tadiquicardia, boca seca, midríase, constipação, retensão urinária, hipertermia,constipação, retensão urinária, hipertermia, vermelhidão, convulsões.vermelhidão, convulsões. EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Delírios, alucinações, medo, pânico.Delírios, alucinações, medo, pânico.
  42. 42. ECSTASY (ÊXTASE)ECSTASY (ÊXTASE) Metilenodioximetanfetamina (MDMA)Metilenodioximetanfetamina (MDMA) FORMA DE USO:FORMA DE USO: Ingestão em forma de comprimido.Ingestão em forma de comprimido. EFEITOS FÍSICOS:EFEITOS FÍSICOS: Aumento da freqüência cardíaca e da pressãoAumento da freqüência cardíaca e da pressão arterial, boca seca, náusea, sudorese,arterial, boca seca, náusea, sudorese, diminuição do apetite, atenção dispersa,diminuição do apetite, atenção dispersa, contratura da mandíbula, aumento do sentido docontratura da mandíbula, aumento do sentido do tato.tato. EFEITOS PSÍQUICOS:EFEITOS PSÍQUICOS: Euforia, sensação de prazer e felicidadeEuforia, sensação de prazer e felicidade intensa, excitação sexual, paranóia,intensa, excitação sexual, paranóia, nervosismo, insônia.nervosismo, insônia.
  43. 43. FORMAS DE APRESENTAÇÃOFORMAS DE APRESENTAÇÃO
  44. 44. Tipo de Relação com a drogaTipo de Relação com a droga  AbstinênciaAbstinência  Uso eventualUso eventual  Uso regularUso regular  Abuso eventualAbuso eventual  Abuso regularAbuso regular  Dependência = drogadiçãoDependência = drogadição Uso NocivoUso Nocivo
  45. 45. DROGADICTO / DROGADIÇÃODROGADICTO / DROGADIÇÃO Adicto. [Adicto. [Do latimDo latim AddictuAddictu.].] 1. Afeiçoado, dedicado, apegado1. Afeiçoado, dedicado, apegado 2. Adjunto, adstrito, dependente2. Adjunto, adstrito, dependente DrogadictoDrogadicto. [espanhol] Adicto a drogas. [espanhol] Adicto a drogas DrogaddicciónDrogaddicción. [espanhol] dependência de drogas. [espanhol] dependência de drogas DrogadiçãoDrogadição. [do espanhol]. [do espanhol] drogadiccióndrogadicción No latimNo latim addictuaddictu tinha também conotação de escravotinha também conotação de escravo Em desuso: drogado, toxicômano, viciadoEm desuso: drogado, toxicômano, viciado
  46. 46. Comportamento AdictoComportamento Adicto  Adição ao trabalho -Adição ao trabalho - WorkaholicWorkaholic  Adição ao Sexo -Adição ao Sexo - SexaholicSexaholic  Adição à Internet -Adição à Internet - NetaholicNetaholic  Adição o Jogo -Adição o Jogo - Jogo PatológicoJogo Patológico  Adição à comida -Adição à comida - BulimiaBulimia  Adição ao consumo –Adição ao consumo – ShopaholicShopaholic  Adicto à religiãoAdicto à religião -- GodholicGodholic  Paixão, dinheiro, poder, exercício,Paixão, dinheiro, poder, exercício, roubo ...roubo ...
  47. 47. Síndrome de AbstinênciaSíndrome de Abstinência Sintomas mais freqüentesSintomas mais freqüentes  InsôniaInsônia  AnsiedadeAnsiedade  SudoreseSudorese  TremoresTremores  Inapetência ouInapetência ou bulimiabulimia  DiarréiaDiarréia  Hipertensão e/ouHipertensão e/ou  HipotensãoHipotensão posturalpostural  InquietudeInquietude  Náuseas eNáuseas e vômitosvômitos  CólicasCólicas abdominaisabdominais  PesadelosPesadelos  DelírioDelírio  DesorientaçãoDesorientação  AlucinaçõesAlucinações  ConvulsõesConvulsões
  48. 48. MOTIVAÇÕESMOTIVAÇÕES  Fenômeno CulturalFenômeno Cultural  Estado de Alteração da ConsciênciaEstado de Alteração da Consciência  Procura de TranscendênciaProcura de Transcendência  Busca de Prazer e bem-estarBusca de Prazer e bem-estar  Busca de Beleza e FelicidadeBusca de Beleza e Felicidade  Manejo da Angústia ExistencialManejo da Angústia Existencial  Compensação das FrustraçõesCompensação das Frustrações  Ausência de PerspectivaAusência de Perspectiva
  49. 49. Pirâmide de NecessidadesPirâmide de Necessidades MaslowMaslow FISIOLÓGICAS SEGURANÇA AFETIVAS (AUTO-ESTIMA) ESTRUTURA PODER REALIZAÇÃO ESPIRITUAIS
  50. 50. Círculo Vicioso da DrogaCírculo Vicioso da Droga SATISFAÇÃO =SATISFAÇÃO = INSATISFAÇÃOINSATISFAÇÃO == DROGAS SOLUÇÃO? NECESSIDADE ARTIFICIAL FALSA SATISFAÇÃO PROPAGANDA TRANQUILIDADE, PAZ, SERENIDADE ANSIEDADE, DEPRESSÃO, SUICÍDIO
  51. 51. ASPECTOS SOCIO-CULTURAISASPECTOS SOCIO-CULTURAIS  O que está levando a sociedade atual a umaO que está levando a sociedade atual a uma utilização excessiva de drogas?utilização excessiva de drogas?  Racionalismo e Materialismo exacerbadosRacionalismo e Materialismo exacerbados  Normatização, massificação, homogeinizaçãoNormatização, massificação, homogeinização  Contradições da sociedade comtemporâneaContradições da sociedade comtemporânea  Transformação rápida de valoresTransformação rápida de valores  A Droga como fator de evasãoA Droga como fator de evasão  Drogadição como sintoma de doença socialDrogadição como sintoma de doença social
  52. 52. Outros sintomas de doença socialOutros sintomas de doença social  Afrouxamento dos laços familiaresAfrouxamento dos laços familiares  Dupla mensagem / duplo vínculoDupla mensagem / duplo vínculo  Violência e criminalidadeViolência e criminalidade  Corrupção, Inversão de valoresCorrupção, Inversão de valores  Consumismo, Cultura do supérfluoConsumismo, Cultura do supérfluo  Valores instáveis, Competição não-Valores instáveis, Competição não- éticaética  Medicalização da vidaMedicalização da vida  Falta de sentido, desvalorização daFalta de sentido, desvalorização da vidavida
  53. 53. ““Para que se possaPara que se possa desdrogardesdrogar aa sociedade moderna, são necessáriassociedade moderna, são necessárias mudanças estruturais e qualitativas.mudanças estruturais e qualitativas. A drogadição é um sintoma, que daA drogadição é um sintoma, que da mesma forma que a febre, denuncia quemesma forma que a febre, denuncia que algo no organismo não está funcionandoalgo no organismo não está funcionando bem.”bem.” BaudrillardBaudrillard
  54. 54. Tropa de EliteTropa de Elite
  55. 55. ASPECTOS BIOLÓGICOSASPECTOS BIOLÓGICOS  ConstituiçãoConstituição predispostapredisposta  Fator HereditárioFator Hereditário  Coomorbidades:Coomorbidades: Transtornos do Humor (Depressão eTranstornos do Humor (Depressão e TBH)TBH)  Transtornos de AnsiedadeTranstornos de Ansiedade  Transtornos de PersonalidadeTranstornos de Personalidade  Transtornos de CondutaTranstornos de Conduta  EsquizofreniaEsquizofrenia
  56. 56. As Drogas nas EscolasAs Drogas nas Escolas  Solventes - 12,8% (Belo Horizonte 27,5%)Solventes - 12,8% (Belo Horizonte 27,5%)  Tranqüilizantes - 10,4% * (S.Paulo 6,3%)Tranqüilizantes - 10,4% * (S.Paulo 6,3%)  Maconha - 6,4% * (S.Paulo 4,7%)Maconha - 6,4% * (S.Paulo 4,7%)  Anfetaminas - 6,4% * (S.Paulo 5,9%)Anfetaminas - 6,4% * (S.Paulo 5,9%)  Barbitúricos - 3,0% (S.Paulo 3,6%)Barbitúricos - 3,0% (S.Paulo 3,6%)  Anti-colinérgicos - 1,7% (S.Paulo 2,5%)Anti-colinérgicos - 1,7% (S.Paulo 2,5%)  Xaropes - 1,6% (Belém 2,7%)Xaropes - 1,6% (Belém 2,7%)  Cocaína - 1,2% (S.Paulo 1,9%)Cocaína - 1,2% (S.Paulo 1,9%) Fonte: CEBRIDFonte: CEBRID
  57. 57. TRATAMENTOTRATAMENTO  Modelo PsiquiátricoModelo Psiquiátrico  Modelo ComportamentalModelo Comportamental  Modelo ReligiosoModelo Religioso  Modelo RelacionalModelo Relacional  Grupos de Auto-ajudaGrupos de Auto-ajuda  Comunidades TerapêuticasComunidades Terapêuticas
  58. 58. PREVENÇÃOPREVENÇÃO  Estratégia dissuasivaEstratégia dissuasiva  Modelo Jurídico-moralModelo Jurídico-moral  Estratégia informativaEstratégia informativa  Modelo Médico - Saúde x doençaModelo Médico - Saúde x doença  Estratégia educativaEstratégia educativa  Modelo SocioculturalModelo Sociocultural  Estratégia IntegradaEstratégia Integrada  Modelo Psicos-socialModelo Psicos-social
  59. 59. ASPECTOS LEGAISASPECTOS LEGAIS Lei 6368Lei 6368 de 1976 ( sem emenda até hoje)de 1976 ( sem emenda até hoje) - Artigo 12 - tráfico de 3 a 15 anos- Artigo 12 - tráfico de 3 a 15 anos - Artigo 16 - usuário de 6 a 2 anos- Artigo 16 - usuário de 6 a 2 anos - Artigo 19 dependentes - 2 anos- Artigo 19 dependentes - 2 anos (tratamento c/ acompanhamento(tratamento c/ acompanhamento judicial)judicial) Descriminalização:Descriminalização: A Lei da descriminalização queA Lei da descriminalização que tramitava pelo Congresso foi retiradatramitava pelo Congresso foi retirada
  60. 60. Sinais e Sintomas indicativosSinais e Sintomas indicativos  Mudança de atividade, normalmente deMudança de atividade, normalmente de interesse competitivos para passividade einteresse competitivos para passividade e retraimento.retraimento.  Aumento nos atritos com outras pessoas,Aumento nos atritos com outras pessoas, irritabilidade, mau humor.irritabilidade, mau humor.  Hipersensibilidade a pequenas críticas.Hipersensibilidade a pequenas críticas.  Mudanças abruptas de humor, explosões deMudanças abruptas de humor, explosões de raiva sem motivo e uso de palavras abusivas.raiva sem motivo e uso de palavras abusivas.  Paranóia vaga.Paranóia vaga.  Negligência à aparência pessoal.Negligência à aparência pessoal.
  61. 61. Sinais e Sintomas indicativosSinais e Sintomas indicativos  Recusa na execução de tarefas.Recusa na execução de tarefas.  Significante enfraquecimento no desempenhoSignificante enfraquecimento no desempenho escolar.escolar.  Apatia, diminuição da energia, síndrome deApatia, diminuição da energia, síndrome de desinteresse (maconha).desinteresse (maconha).  Alteração do apetite (aumento ou diminuição)Alteração do apetite (aumento ou diminuição)  Perda ou ganho de peso.Perda ou ganho de peso.  Pensamento desordenado ou fragmentado,Pensamento desordenado ou fragmentado, perda da memória.perda da memória.  Rosto pálido, movimento impreciso do olhos,Rosto pálido, movimento impreciso do olhos, corrimento nasal (cocaína).corrimento nasal (cocaína).
  62. 62. Sinais e Sintomas indicativosSinais e Sintomas indicativos  Afastamento da família e amigos habituais,Afastamento da família e amigos habituais, maior indiferença quanto aos sentimentos domaior indiferença quanto aos sentimentos do outros.outros.  Novo grupo de amigos, os quais se recusamNovo grupo de amigos, os quais se recusam a se identificarem.a se identificarem.  Segredos acerca de dinheiro,Segredos acerca de dinheiro, desaparecimento de dinheiro e objetos dedesaparecimento de dinheiro e objetos de valor da casa.valor da casa.  Insônia (estimulantes) ou hipersôniaInsônia (estimulantes) ou hipersônia (maconha).(maconha).  Sinais de picadas nos braços, camisa deSinais de picadas nos braços, camisa de manga comprida sempre (drogas injetáveis).manga comprida sempre (drogas injetáveis).
  63. 63. Como lidar com o problemaComo lidar com o problema Estágio InicialEstágio Inicial  Encarar o problema de frente.Encarar o problema de frente.  Não esperar que “o tempo vaiNão esperar que “o tempo vai resolver”.resolver”.  Combater a doença e não a vítima.Combater a doença e não a vítima.  Não utilizar ameaças, evitar juízoNão utilizar ameaças, evitar juízo moral.moral.  Compreender a complexidade doCompreender a complexidade do fenômeno.fenômeno.  Abrir-se ao diálogo, aproximar-se.Abrir-se ao diálogo, aproximar-se.  Atacar as causas, não asAtacar as causas, não as
  64. 64. Como lidar com o problemaComo lidar com o problema Estágio AvançadoEstágio Avançado  Favorecer relações de confiança.Favorecer relações de confiança.  Propiciar condições para a auto-ajuda.Propiciar condições para a auto-ajuda.  Oferecer (indicar) alternativas de tratamento.Oferecer (indicar) alternativas de tratamento.  Incentivar o diálogo.Incentivar o diálogo.  Disponibilidade afetiva.Disponibilidade afetiva.  Não condenar, não rejeitar, não humilhar.Não condenar, não rejeitar, não humilhar.  Criar oportunidades de reintegração social.Criar oportunidades de reintegração social.  Evitar situações que favoreçam o acesso.Evitar situações que favoreçam o acesso.  Buscar orientação profissional especializada.Buscar orientação profissional especializada.
  65. 65. Onde obter informação?Onde obter informação?  SISP - Serviço de Informações sobreSISP - Serviço de Informações sobre Substâncias PsicoativasSubstâncias Psicoativas  VIVAVIVAVOZVOZ – 0800 510 0015– 0800 510 0015  Intenet -Intenet - http://psicoativas.fffcmpa.edu.brhttp://psicoativas.fffcmpa.edu.br  CEBRIDCEBRID –– Centro Brasileiro de InformaçõesCentro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicassobre Drogas Psicotrópicas  http://www.cebrid.epm.brhttp://www.cebrid.epm.br  ABEAD – Associação Brasileira de EstudosABEAD – Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogasdo Álcool e Outras Drogas  http://www.abead.com.brhttp://www.abead.com.br  SENAD – Secretaria Nacional AntidrogasSENAD – Secretaria Nacional Antidrogas  http://www.senad.gov.brhttp://www.senad.gov.br  UCD – União Contra as DrogasUCD – União Contra as Drogas  http://www.ucd.org.brhttp://www.ucd.org.br
  66. 66. Mensagem FinalMensagem Final  A toxicomania é um fenômenoA toxicomania é um fenômeno complexo, cuja abordagemcomplexo, cuja abordagem resisteresiste a propostas reducionistas.a propostas reducionistas.  As estratégias de tratamentoAs estratégias de tratamento tomadas isoladamente sãotomadas isoladamente são limitadas.limitadas.  Há necessidade de umaHá necessidade de uma abordagemabordagem ampla e integrada, que leve emampla e integrada, que leve em
  67. 67. Comunidade Terapêutica ReviveComunidade Terapêutica Revive Tratamento das Dependências QuímicasTratamento das Dependências Químicas
  68. 68. Comunidade Terapêutica ReviveComunidade Terapêutica Revive Tratamento das Dependências QuímicasTratamento das Dependências Químicas
  69. 69. Comunidade Terapêutica ReviveComunidade Terapêutica Revive Tratamento das Dependências QuímicasTratamento das Dependências Químicas
  70. 70. Comunidade Terapêutica ReviveComunidade Terapêutica Revive Tratamento das Dependências QuímicasTratamento das Dependências Químicas
  71. 71. Comunidade Terapêutica ReviveComunidade Terapêutica Revive Tratamento das Dependências QuímicasTratamento das Dependências Químicas
  72. 72. Comunidade Terapêutica ReviveComunidade Terapêutica Revive Tratamento das Dependências QuímicasTratamento das Dependências Químicas
  73. 73. PsicoterapiaPsicoterapia IndividualIndividual Grupos deGrupos de EstudoEstudo Programas deProgramas de QualidadeQualidade de Vidade Vida PalestrasPalestras WorkshopsWorkshops DebatesDebates EstresseEstresse TabagismoTabagismo Atividade FísicaAtividade Física Peso CertoPeso Certo
  74. 74. Níveis de DesenvolvimentoNíveis de Desenvolvimento Nível Pessoal Alfabetização Emocional Nível Intra-pessoal Controle Emocional Nível Interpessoal Expressão Emocional Nível Social Integração Emocional Nível Transpessoal Transcendência
  75. 75. www.yatros.com.brwww.yatros.com.br rmmrodri@yatros.com.brrmmrodri@yatros.com.br
  76. 76. Obrigado pela atenção!Obrigado pela atenção!

×