soldadura por arco eletrico

198 visualizações

Publicada em

espero que gostem do trabalho :))

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
198
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

soldadura por arco eletrico

  1. 1. Ruben Nobre nº10 2ER2
  2. 2. Índice 1.Introdução 2.Desenvolvimento 2.1. Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho 2.2. O que é o arco eléctrico e em que consiste 2.3. Princípios básicos da soldadura 2.4. Fatores da Soldabilidade 2.5. Preparação das peças / Como preparar 2.6. Materiais Usados 2.7. Quais os tipos de peças que se podem soldar 2.8. Vantagens e desvantagens da soldadura por arco elétrico 2.9. O que é um chanfro / Porque nem sempre chanframos 2.10. Os três tipos de ensaios da soldadura (Inspeção visual, Líquidos penetrantes e raio-x) 2.11. Materiais ferrosos e não ferrosos 3.Conclusão 4.Biblíografia
  3. 3. 1.Introdução -O arco elétrico é a fonte de calor mais utilizada na soldagem por fusão de materiais metálicos, apresentando uma combinação ótima de características que incluem uma concentração adequada de energia para a fusão localizada do metal de base, facilidade de controle, baixo custo relativo do equipamento e um nível aceitável de riscos à saúde dos seus operadores. -Como consequência, os processos de soldagem a arco possuem atualmente uma grande importância industrial, sendo utilizados na fabricação dos mais variados componentes e estruturas metálicas e na recuperação de um grande número de peças danificadas ou desgastadas. Este trabalho vai apresentar uma ideia geral das características e das funçõesdo arco elétrico. Uma das primeiras revisões de física do arco aplicada à soldagem foi feita por Spraragen e Lengyel (1943), seguida pelas revisões de Jackson (1960) e, mais recentemente, Lancaster (1986, 1987a e 1987b). Diversos artigos, como por exemplo os de Gilette e Breymeier (1951) e Quigley (1977), discutem técnicas experimentais para estudo do arco. Inúmeros trabalhos, embora não ligados diretamente à soldagem, são relevantes, por exemplos as revisões de Guile (1971 e 1984) e de Jones e Fang (1980).
  4. 4. 2.1. Higiene Saúde e Segurança no Trabalho Para já para realizar este trabalho não é preciso tantos cuidados como é lógico, mas para poder aplicar o que este trabalho fala é preciso ter bastante atenção e cuidado, no que falo também no 2.6 (Materiais usados) é preciso essencialmente a bata, óculos protectores e luvas. Higiene Saúde e segurança no trabalho é um conjuntode ciências e tecnologias que tem o objetivo de promover a proteção dos trabalhadores no seu local de trabalho, visando a redução de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. É umas das áreas da segurança de trabalho e saúde ocupacionais, cujo objetivo é identificar, avaliar e controlar situações de risco, proporcionando um ambiente de trabalho mais seguro e saudável para as pessoas.
  5. 5. 2.2. O que é o arco eléctrico e em que consiste A ideia de soldagem a arco eletrico, às vezes chamado de soldagem electrogénica foi proposto no início do século XIX pelo ciêntista Inglês, Humphrey Davy, mas, em 1885, dois pesquisadores russos foram capazes de soldar com eletrodos de carbono. Quatro anos mais tarde, foi patenteado um processo de soldadura de vareta de metal. No entanto, este procedimento não demorou importância na indústria até o sueco Alejandro Fontecha inventado em 1904, o eletrodo revestido. A sua utilização generalizada começou por volta de 1950. Se for aplicada uma tensão eléctrica elevada (U) entre os dois eléctrodos, que estão colocados entre si a uma pequena distância, salta do ar um arco eléctrico entre os dois eléctrodos. Desenvolve-se assim uma elevada temperatura que pode ser usada por exemplo nos ferros de soldar por pontos.
  6. 6. 2.3. Principios básicos da soldadura Conceitua-se soldagem como o processo de fabricação, do grupo dos processos de união (soldagem, fixação mecânica "parafusagem" e colagem), que visa a união, o revestimento e/ou a manutenção de materiais (metálicos, cerâmicos, poliméricos ou combinação destes), em escala atômica, com ou sem aplicação (isolada ou conjunta) de calor e pressão. Neste caso, sempre que a ideia se refira à operação (planejamento, preparação, execução e inspeção), o termo correto a ser empregado é “soldagem”. Por fim, o uso adequado do termo solda se aplica ao resultado final da operação de soldagem "o depósito" (por exemplo, o metal de solda mais a zona termicamente afetada) . A soldagem é um processo que visa a união localizada de materiais, similares ou não, de forma permanente, baseada na ação de forças em escala atómica semelhantes às existentes no interior do material e é a forma mais importante de união permanente de peças usadas industrialmente. Existem basicamente dois grandes grupos de processos de soldagem. O primeiro se baseia no uso de calor, aquecimento e fusão parcial das partes a serem unidas, e é processo de soldagem por fusão. O segundo baseia-se na deformação localizada das partes a serem unidas, que pode ser auxiliada pelo aquecimento dessas até uma temperatura inferior à temperatura de fusão, conhecido como processo de soldagem por pressão ou processo de soldagem no estado sólido.

×