Rota Estática
Vetor de Distância
Link State
Rodrigo Rovere
www.ciscoredes.com.br
Setembro/2014
Video Aula 1
1
www.ciscoredes.com.br
2
- O que pensamos sobre o roteador?
- Qual a funcionalidade desse equipamento?
- Determinar o melho...
www.ciscoredes.com.br
3
- Tipos de cabos para WAN
- Conectividade com CSU/DSU
- Conexão LAN
- Direto
- Cross Over
- Cabo D...
www.ciscoredes.com.br
4
- Encaminhar pacotes de uma interface para outra interface
- Cada interface do roteador pode ser c...
www.ciscoredes.com.br
5
R1(config-if)#int fa0/1
R1(config-if)#ip address 172.16.3.2 255.255.255.0
172.16.3.0 overlaps with...
www.ciscoredes.com.br
6
- Debug da interface física
- Desabilitar
- Habilitar
- Log de status
- Física
- Lógica
www.ciscoredes.com.br
7
- Status da interface
- Primeiro status ( camada física )
- Segundo status ( camada enlace )
- Pos...
www.ciscoredes.com.br
8
- Analisar a rede de destino
- Como o pacote será encaminhado?
- Iremos ter descarte de pacote?
- ...
www.ciscoredes.com.br
9
Princípio 1: Todos os roteadores tomam suas decisões sozinhos com base nas
informações presentes e...
www.ciscoredes.com.br
10
- Rede de destino
- Máscara da rede de destino
- IP Address próximo salto ou interface física de ...
www.ciscoredes.com.br
11
- IP Address próximo salto
- Pesquisa recursiva
- Distância Administrativa 1
- Interface física d...
www.ciscoredes.com.br
12
R1(config)#ip route 192.168.2.0 255.255.255.0 fastethernet 0/1 172.16.2.2
- Rota estática com Eth...
www.ciscoredes.com.br
13
- CDP ( Cisco Discovery Protocol )
- Protocolo proprietário da Cisco
- Protocolo com duas versões...
www.ciscoredes.com.br
14
- Validação da conectividade
- CDP ( Cisco Discovery Protocol )
- Detalhamento:
- Hardware
- Soft...
www.ciscoredes.com.br
15
- Validação de configuração
- CDP ( Cisco Discovery Protocol )
- Pode ser habilitado/desabilitado...
www.ciscoredes.com.br
16
- Rede com diversos roteadores
- Podemos configurar rota estática?
- O que poderiamos recomendar?...
www.ciscoredes.com.br
17
- Rede são divulgadas como vetor de distância
- Métrica contagem de saltos
- Vetor de distância n...
www.ciscoredes.com.br
18
- Atualizações periódicas
- A tabela é enviada periodicamente e envia a tabela de roteamento inte...
www.ciscoredes.com.br
19
Vantagens Desvantagens
Implementação e manutenção simples. O nível
de conhecimento exigido para i...
www.ciscoredes.com.br
20
- Análise da tabela de topologia
- Quantidade de saltos
- Interfaces de saída
www.ciscoredes.com.br
21
- Temporizador inválido:
 Atualização não foi recebida dentro de 180 segundos a rede será marcad...
www.ciscoredes.com.br
22
- Atualizações disparadas
- Quando são enviadas as atualizações:
 Uma interface alterar seu esta...
www.ciscoredes.com.br
23
- Contagem para o infinito ( 16 )
- Inserção do valor com quantidade máxima de saltos
- TTL ( Tim...
www.ciscoredes.com.br
24
- Protocolo avalia o estado do link
- Protocolo de caminho mais curto
- Criado através do algorit...
www.ciscoredes.com.br
25
- Algoritmo Dikjstra
- Custos disponivéis por link
- Agregação dos custos
- Decisão baseado no me...
www.ciscoredes.com.br
26
- Processo Link State
www.ciscoredes.com.br
27
- O endereço IP da interface e a
máscara de sub-rede.
- O tipo de rede, como Ethernet
(difusão) o...
www.ciscoredes.com.br
28
2) Cada roteador é responsável por dizer “olá” a seus vizinhos em
redes diretamente conectadas.
-...
www.ciscoredes.com.br
29
3) Cada roteador cria um pacote link-state que contém o estado de cada link
diretamente conectado...
www.ciscoredes.com.br
30
4) Cada roteador inunda o LSP em todos os vizinhos, que armazenam todos
os LSPs recebidos em um b...
www.ciscoredes.com.br
31
5) Cada roteador usa o banco de dados para criar um mapa completo da topologia
e computa o melhor...
www.ciscoredes.com.br
32
- Vantagens
www.ciscoredes.com.br
33
- Roteamento Estático
- Comandos:
- Validação:
- show ip interface brief
- show cdp neighbors
- s...
www.ciscoredes.com.br
34
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rota Estática / Link State / Vetor de Distância

1.469 visualizações

Publicada em

Nesta vídeo aula eu trago os conceitos sobre funcionamento de rota estática e porque temos que entender sobre a comutação de pacote no roteador. Baseado nesse conceito explico sobre os protocolos Vetor de Distância e Link State utilizado pelos protocolos IGP.
Visite www.ciscoredes.com.br

Publicada em: Tecnologia
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Gostei Prof Rovere.. Me lembro bem quando fiz o curso
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.469
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rota Estática / Link State / Vetor de Distância

  1. 1. Rota Estática Vetor de Distância Link State Rodrigo Rovere www.ciscoredes.com.br Setembro/2014 Video Aula 1 1
  2. 2. www.ciscoredes.com.br 2 - O que pensamos sobre o roteador? - Qual a funcionalidade desse equipamento? - Determinar o melhor caminho para enviar pacotes - Encaminhar os pacotes - Você poderia mencionar? Somente isso. - Ele interconecta diversas tecnologias - Frame-Relay - MPLS - Conecta diversos meios físicos - Ethernet - BNC - Fibra
  3. 3. www.ciscoredes.com.br 3 - Tipos de cabos para WAN - Conectividade com CSU/DSU - Conexão LAN - Direto - Cross Over - Cabo DTE / DCE - Smart Serial - DTE Serial
  4. 4. www.ciscoredes.com.br 4 - Encaminhar pacotes de uma interface para outra interface - Cada interface do roteador pode ser configurada com um IP - Mudança do status da interface - Automaticamente sobe para tabela de roteamento - Visualização da rede diretamente conectada - Dica: - Observe a legenda da tabela de roteamento
  5. 5. www.ciscoredes.com.br 5 R1(config-if)#int fa0/1 R1(config-if)#ip address 172.16.3.2 255.255.255.0 172.16.3.0 overlaps with FastEthernet0/0 R1(config-if)# - Endereço de Camada 2 - MAC Address ( BIA )
  6. 6. www.ciscoredes.com.br 6 - Debug da interface física - Desabilitar - Habilitar - Log de status - Física - Lógica
  7. 7. www.ciscoredes.com.br 7 - Status da interface - Primeiro status ( camada física ) - Segundo status ( camada enlace ) - Possíveis status: - admin down / down - down / down - up / down - up / up
  8. 8. www.ciscoredes.com.br 8 - Analisar a rede de destino - Como o pacote será encaminhado? - Iremos ter descarte de pacote? - Porque? - Reconhecimento das redes
  9. 9. www.ciscoredes.com.br 9 Princípio 1: Todos os roteadores tomam suas decisões sozinhos com base nas informações presentes em sua própria tabela de roteamento. Princípio 2: O fato de um roteador ter determinadas informações em sua tabela de roteamento não significa que todos os roteadores tenham as mesmas informações. Princípio 3: As informações de roteamento sobre um caminho de uma rede para outra não fornecem informações de roteamento sobre o caminho inverso ou de retorno. - Princípio de tabela de roteamento
  10. 10. www.ciscoredes.com.br 10 - Rede de destino - Máscara da rede de destino - IP Address próximo salto ou interface física de saída
  11. 11. www.ciscoredes.com.br 11 - IP Address próximo salto - Pesquisa recursiva - Distância Administrativa 1 - Interface física de saída - Distância administrativa 0
  12. 12. www.ciscoredes.com.br 12 R1(config)#ip route 192.168.2.0 255.255.255.0 fastethernet 0/1 172.16.2.2 - Rota estática com Ethernet - Definir interface física - Definir o IP próximo salto - Porquê? - Devido a não executar a resolução de tabela ARP - Não encaminha broadcast
  13. 13. www.ciscoredes.com.br 13 - CDP ( Cisco Discovery Protocol ) - Protocolo proprietário da Cisco - Protocolo com duas versões - Protocolo de camada 2 - Funciona em roteadores / switches - Mapeamento de conectividade - Facilidade na interpretação da rede - Habilitado por default - Segurança *
  14. 14. www.ciscoredes.com.br 14 - Validação da conectividade - CDP ( Cisco Discovery Protocol ) - Detalhamento: - Hardware - Software - Endereço IP - Dominío - Versão
  15. 15. www.ciscoredes.com.br 15 - Validação de configuração - CDP ( Cisco Discovery Protocol ) - Pode ser habilitado/desabilitado globalmente - Pode ser habilitado/desabiliado por interface - Segurança
  16. 16. www.ciscoredes.com.br 16 - Rede com diversos roteadores - Podemos configurar rota estática? - O que poderiamos recomendar? - Protocolo de roteamento?
  17. 17. www.ciscoredes.com.br 17 - Rede são divulgadas como vetor de distância - Métrica contagem de saltos - Vetor de distância não tem conhecimento do caminho inteiro. - O que ele reconhece? - Apenas conhece direção ou interface para comutar o pacote - Distância até a rede de destino
  18. 18. www.ciscoredes.com.br 18 - Atualizações periódicas - A tabela é enviada periodicamente e envia a tabela de roteamento inteira - Consome mais largura de banda - Recursos de CPU - Se não houver nenhuma alteração nas redes ele continua enviando as tabelas - As atualizações enviadas a cada 30 segundos para o RIP - Para o IGRP a cada 90 segundos - Atualizações via broadcast * - Os protocolos que utilizam-se do vetor de distância: - RIPV1 - RIPV2 - EIGRP
  19. 19. www.ciscoredes.com.br 19 Vantagens Desvantagens Implementação e manutenção simples. O nível de conhecimento exigido para implementar e manter uam rede com o protocolo do vetor de distância não é alto. Convergência lenta. O uso de atualizações periódicas pode causar convergência mais lentas. Requisitos de recursos baixo. Os protocolos do vetor de distância normalmente não precisam de grande quantidades de memórias e de uma CPU muito avançada Escabilidade limitada. A convergência lenta pode limitar o tamanho da rede porque redes maiores demandam uma resposta mais rápida Loops de roteamento. Os loops de roteamento podem ocorrer quando as tabelas de roteamento são inconsistentes.
  20. 20. www.ciscoredes.com.br 20 - Análise da tabela de topologia - Quantidade de saltos - Interfaces de saída
  21. 21. www.ciscoredes.com.br 21 - Temporizador inválido:  Atualização não foi recebida dentro de 180 segundos a rede será marcada como inválida colocando a métrica de 16 ( inválido ) - Temporizador de descarga:  Temporizador definido com 240 segundos, após finalização desse tempo a rota e removida da tabela - Temporizador hold-down:  Temporizador estabiliza as informações durante o período em que a topologia está convergindo com novas informações
  22. 22. www.ciscoredes.com.br 22 - Atualizações disparadas - Quando são enviadas as atualizações:  Uma interface alterar seu estado (ativada ou desativada)  Uma rota tiver entrado (ou saído) do estado "inalcançável"  Uma rota é instalada na tabela de roteamento
  23. 23. www.ciscoredes.com.br 23 - Contagem para o infinito ( 16 ) - Inserção do valor com quantidade máxima de saltos - TTL ( Time to Live )
  24. 24. www.ciscoredes.com.br 24 - Protocolo avalia o estado do link - Protocolo de caminho mais curto - Criado através do algoritmo SPF ( shortest path first ) - Criação completa da topologia - Exige mais processamento e memória do equipamento - Database construído baseado no algoritmo - Convergência mais rápida
  25. 25. www.ciscoredes.com.br 25 - Algoritmo Dikjstra - Custos disponivéis por link - Agregação dos custos - Decisão baseado no menor custo - Conhecimento toda rede R1
  26. 26. www.ciscoredes.com.br 26 - Processo Link State
  27. 27. www.ciscoredes.com.br 27 - O endereço IP da interface e a máscara de sub-rede. - O tipo de rede, como Ethernet (difusão) ou link serial ponto a ponto. - O custo do link. - Qualquer roteador vizinho nesse link. 1) Cada roteador obtém informações da redes diretamente conectadas
  28. 28. www.ciscoredes.com.br 28 2) Cada roteador é responsável por dizer “olá” a seus vizinhos em redes diretamente conectadas. - R1 notifica seus vizinhos ( Hello ) - Descoberta de vizinhos - Todos os vizinhos respondem com o mesmo pacote, pois estão utilizando Link State
  29. 29. www.ciscoredes.com.br 29 3) Cada roteador cria um pacote link-state que contém o estado de cada link diretamente conectado. - Estabelecida a adjacência - Cria os pacotes LSP - Envia as informações do seus links
  30. 30. www.ciscoredes.com.br 30 4) Cada roteador inunda o LSP em todos os vizinhos, que armazenam todos os LSPs recebidos em um banco de dados. - LSP inunda na inicialização do equipamento - Se houver mudanças na topologia
  31. 31. www.ciscoredes.com.br 31 5) Cada roteador usa o banco de dados para criar um mapa completo da topologia e computa o melhor caminho para cada rede de destino.
  32. 32. www.ciscoredes.com.br 32 - Vantagens
  33. 33. www.ciscoredes.com.br 33 - Roteamento Estático - Comandos: - Validação: - show ip interface brief - show cdp neighbors - show cdp neighbor detail - show ip route - Configuração: - ip route [ rede destino ] [ sub-rede ] [ interface ] - ip route [ rede destino ] [ sub-rede ] [ ip next-hop ] - interface [ slot / module ] - ip address [ rede ] [ máscara ] - shutdown / no shutdown
  34. 34. www.ciscoredes.com.br 34

×