EQUIPE APRESENTA O TRABALHO DO CEMAEE NAS EMEIs

729 visualizações

Publicada em

EQUIPE APRESENTA O TRABALHO DO CEMAEE NAS EMEIs

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
729
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
193
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EQUIPE APRESENTA O TRABALHO DO CEMAEE NAS EMEIs

  1. 1. Endereço: Avenida Pedro de Toledo,788 Telefone: 3453- 1206 CEMAEE CENTRO ESCOLA MUNICIPAL DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO “Profa. Yvone Gonçalves”
  2. 2. O CEMAEE foi criado pela Lei Municipal nº 7546 de 18 de setembro de 2013. O projeto homenageia a ex-diretora de escola da Rede Municipal de Ensino, professora Yvone Gonçalves. A organização técnico- administrativa  abrange os setores: Direção, Supervisão, Coordenação, Pedagógico, Apoio e Atendimento Educacional Especializado e Operacional. CEMAEE
  3. 3. Equipe do CEMAEE  Diretora substituta: Rosemeire Frazon  Supervisor de Atendimento: Gilson Cardoso  Auxiliar de Direção: Ligia Tessari Prado  Auxiliar de escrita: Sérgio  Serviços Gerais: Moisés  2 estagiárias de pedagogia: Gracieli e Jacira  1 professora de Educação Infantil: Érika Pedroso  2 professoras de EMEF: Adriana Belizário e Sabrina Alves Dias  1 fisioterapeuta: Adriana Prado  1 assistente social: Alline Camilo  3 psicopedagogas: Gisele , Maria Cristina e Kátia Liberato  6 fonoaudiólogas: Cristiane Silvado, Marília Piazzi Seno, Roberta Vieira, Leiliana Moreira e Juliana Bonato  2 terapeutas ocupacionais: Cibele e Juliana Pavan  4 psicólogas: Patrícia, Márcia, Luciana e Tânia Paula.  11 professoras de Educação Especial (AEE)  19 professoras do ensino regular com carga suplementar atuando na Educação Especial (AEE)
  4. 4. Público Alvo Em consonância com a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva o  público alvo são os alunos da rede municipal de ensino (do berçário à EJA) com:  Deficiência; Transtornos globais de desenvolvimento ;  Altas habilidades/superdotação; Alunos com Adequação Curricular.
  5. 5. Objetivo Proporcionar recursos e serviços educacionais e terapêuticos, numa perspectiva inclusiva, organizados institucionalmente a fim de apoiar, complementar e suplementar o ensino regular, favorecendo não apenas o acesso, mas também a permanência do aluno centrando a atenção nas capacidades, habilidades e potencialidades desse público alvo.
  6. 6. Porta de Entrada A solicitação para triagem, avaliação, atendimento, visita, observação e apoio à equipe escolar é realizada por meio de um protocolo específico. Nos casos de encaminhamento para atendimentos o protocolo é direcionado à supervisão para uma análise da queixa escolar e das prioridades de atendimento. Por meio de uma avaliação interdisciplinar a equipe determina todos os recursos e meios necessários para o favorecimento do processo de inclusão escolar da criança.
  7. 7. PROTOCOLO DE SOLICITAÇÃO ESCOLAR
  8. 8. ATENDIMENTO TERAPÊUTICO 1. Triagem; 2. Anamnese; 3. Avaliação interdisciplinar; 4. Planejamento; 5. Atendimento (individual e/ou em grupo); 6. Reuniões de discussão de casos; 7. Reuniões de Supervisão (Formação); 8. Devolutiva semestral para as escolas;
  9. 9. APOIO EDUCACIONAL Visitas da equipe às escolas com a finalidade de:  Observação do aluno em contexto educacional;  Reunião com professores, diretores, coordenadores e responsáveis pelo aluno para orientações referente: o Elaboração de plano de ação individual; o Acompanhamento de alunos em processo de inclusão;  Realização de Palestras em reuniões de pais, reuniões pedagógicas, HEC’s e outros encontros que se fizerem necessários;  Estudo, planejamento e viabilização de ações de acessibilidade no ambiente escolar; Braille/ LIBRAS/ Sistema FM  Promoção de Encontros entre EMEI e EMEF, viabilizando transição de alunos com deficiência do Infantil II para o 1º. ano;  Análise de documentos para cadastro na PRODESP;  Levantamento e encaminhamento para a Secretaria Municipal de Educação  de solicitações de: Intérprete de Libras, cuidadores, recursos de acessibilidade, materiais pedagógicos específicos para alunos com deficiência, bem como órteses e próteses que serão reencaminhados para a Secretaria Municipal de Saúde.
  10. 10. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO - AEE O município possui 14 salas de Recursos Multifuncionais sendo uma para estimulação de alunos da Educação Infantil (EMEI Raio de Sol). O CEMAEE é responsável por: Encaminhamentos de alunos para atendimento no AEE; Reuniões para organização dos atendimentos e formação continuada; Encontros entre AEE e equipe do CEMAEE para discussão de casos; Visitas Escolares para supervisão do AEE;  Subsidio ao trabalho das professoras de Educação Especial.
  11. 11. ADEQUAÇÃO CURRICULAR INDIVIDUALIZADA Reuniões bimestrais com coordenadores e professores para inserção de alunos na Adequação Curricular Individualizada. *A Adequação Curricular é oferecida a partir do 3º. Ano do Ensino Fundamental. Orientação bimestral para elaboração do plano individual de Adequação curricular (documento Oficial).
  12. 12. CUIDADORES São 114 cuidadores terceirizados com o objetivo de favorecer a inclusão do aluno com deficiência oferecendo apoio na locomoção, na higiene e na alimentação. O CEMAEE (Lígia) é responsável por: Solicitar cuidadores de acordo com a demanda e intensidade de apoio do aluno; Supervisionar o desempenho do cuidador com a criança.
  13. 13. OUTRAS AÇÕES...  Visitas e atendimento domiciliar;  Reuniões terapêuticas e de equipe;  Cursos e palestras;  Captação de projetos e parcerias;  Participação nas reuniões pedagógicas de EMEI e EMEF, cursos e reuniões promovidos pela SME;  Participação em congressos, seminários relacionados com a educação especial;  Gerenciamento dos recursos, materiais e equipamentos destinados à educação especial do município;  Articulação com outros setores do município ;  Parceria com a Diretoria Estadual de Ensino em relação aos cursos na área de Educação Especial e com as professoras de salas de recursos que atendem os alunos deficientes da rede municipal;  Parceria com o Espaço Potencial para acompanhamento dos alunos da rede que no contraturno frequentam essa associação;  Parceria com a APAE e  Participação na Rede de apoio.

×