EleiçõEs

514 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
514
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EleiçõEs

  1. 2. <ul><li>O voto é a última grande invenção da política, antiga de mais de dois séculos. Apesar disso, continua a ser o mais importante e o mais indispensável dos requisitos da Democracia. As eleições, contudo, não se esgotam com a manifestação das urnas. </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Realizaram-se um ano depois da revolução de “ 25 de Abril “de 1974. </li></ul><ul><li>Em 25 de Abril de 1975, os portugueses foram chamados a eleger livremente uma assembleia com poderes constituintes. </li></ul><ul><li>O objectivo era elaborar uma nova Constituição, que substituísse a de 1933 e criasse os mecanismos legais e democráticos que regulariam a vida portuguesa. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>12 de Novembro de 1976 </li></ul><ul><li>Primeiras eleições autárquicas de Portugal </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Os portugueses do sexo masculino, maiores ou emancipados, que saibam ler e escrever, domiciliados no Concelho há mais de 6 meses. </li></ul><ul><li>Os que não sabendo ler nem escrever, paguem ao Estado contribuições não inferiores a 100$00. </li></ul><ul><li>portugueses do sexo masculino, com curso especial, secundário ou superior. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Impresso em papel liso e não transparente. </li></ul><ul><li>Tem forma rectangular e dimensões apropriadas para conter a indicação de todas as candidaturas admitidas à votação. </li></ul><ul><li>Não pode ter rasuras ou emendas, nem mesmo em relação a candidaturas desistentes. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Após preenchimento do boletim era colocado numa urna selada. </li></ul><ul><li>No encerramento das votações esta era aberta para contagem de votos </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Era manual. </li></ul><ul><li>Depois , transmite-se os resultados via telefónica para os centros de totalização regionais e nacionais . </li></ul><ul><li>No final, imprime-se as actas de escrutínio. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>EM PORTUGAL O QUE ERA HÁ 30 ANOS ATRÁS AINDA O É HOJE. </li></ul><ul><li>O SISTEMA DE CONTAGEM DE VOTOS AINDA É MANUAL. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Os meios electrónicos tem pouco interesse em Portugal, já que a contagem dos votos tradicionais em papel termina em geral menos de 6 horas após encerradas as urnas. </li></ul><ul><li>A introdução generalizada de votação electrónica tem elevados custos, envolve uma organização logística complexa e levanta problemas de segurança informática e de garantia de secretismo do voto. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Método de Hondt </li></ul><ul><li>Sistema de maioria absoluta </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Em Portugal, as leis eleitorais da Assembleia da República, Assembleias Legislativas Regionais, Autarquias Locais e Parlamento Europeu seguem o sistema de representação proporcional e utilizam o método de Hondt. </li></ul>
  12. 13. <ul><li>o método da maioria absoluta, aquele que consegue a metade mais um entre todos os concorrentes. </li></ul><ul><li>Este método aplica-se na eleição do Presidente da República. </li></ul>
  13. 14. FIM
  14. 15. <ul><li>Rosa Gonçalves </li></ul><ul><li>Rui Soares </li></ul><ul><li>Sociedade Tecnologia e Ciência </li></ul>

×