Geografia dos Conflitos

78.311 visualizações

Publicada em

A apresentação procura demonstrar como a geografia e a geopolítica continuam vivas nas (re)definições de novos "espaços vitais" e pela dinâmica político-militar dos Territórios (territorializações, desterritorializações e reterritorializações) e por um fato essencialmente humano, a produção do espaço geográfico.

15 comentários
54 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
78.311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.021
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.550
Comentários
15
Gostaram
54
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia dos Conflitos

  1. 1. Geografia dos Conflitos Prof. Rogerio Silveira
  2. 2. 1º Parte Apresentação do Tema
  3. 3. Apresentação do Tema <ul><li>Fim da Guerra Fria: desconstrução da lógica bipolar; </li></ul><ul><li>Nova (DE$)Ordem Mundial (re)cria várias confrontações no mundo; </li></ul><ul><li>Lutas por afirmações de identidade nacional (língua, religião, etnia, etc); </li></ul><ul><li>Choque de interesses políticos/estratégicos; </li></ul><ul><li>Disputa por controle de recursos energéticos; </li></ul><ul><li>Terrorismo: o inimigo oculto </li></ul>
  4. 4. 2º Parte A Importância da Geografia
  5. 5. Por que a Geografia? <ul><li>Compreender </li></ul>Produção Organização Diferenciação Espaço
  6. 6. Por que a Geografia? <ul><li>“ A Geografia – Isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra.” - Yves Lacoste; </li></ul><ul><li>Geografia Política – relações da geografia com a política; </li></ul><ul><li>Caráter interdisciplinar; </li></ul><ul><li>Fenômenos atuantes nos espaços geográficos: geomorfologia, hidrografia, climatologia, demografia, economia, sociologia, etc; </li></ul><ul><li>Alia capacidade descritiva com analítica; </li></ul>
  7. 7. Ponderações sobre a geopolítica <ul><li>Aproximação entre a Geografia e o Estado; </li></ul><ul><li>Friedrich Ratzel (1844-1904) – Antropogeografia, leis da expansão espacial dos Estados. “Espaço é poder”; </li></ul><ul><li>Sueco Rudolf Kjéllen (1864-1922) pioneiro no termo -ciência que concebe o Estado como organismo geográfico ou como fenômeno no espaço; </li></ul><ul><li>Alemão Karl Haushofer (1869-1946) – consciência geográfica do Estado; </li></ul><ul><li>Britânico Halford J. Mackinder (1861-1947) – poder continental “Heartland”; </li></ul><ul><li>Estadunidense Nicholas J. Spykman (1893-1943) – poder marítimo; </li></ul><ul><li>Ela orienta e organiza a visão de mundo dos Estados. </li></ul>
  8. 8. Criança Geopolítica Observando O Nascimento De Um Novo Homem Salvador Dali -1943
  9. 9. 3º Parte Origens de Guerras e Conflitos
  10. 10. Guernica Pablo Picasso - 1937
  11. 11. Conflitos – uma herança humana <ul><li>Instintos do Homem </li></ul>Preservar e unir – Eróticos (Platão) Destruir e matar Amor e ódio / Atração e repulsão A História da Humanidade é uma História de Guerras
  12. 12. Eu estou a frente Eu sou o homem Eu sou o primeiro mamífero a usar calças Eu estou em paz com minha luxúria Eu posso matar pois em Deus eu confio, yeah! É a evolução, baby!! Eu sou uma besta Eu sou o homem Comprando ações no dia da quebra, yeah! No frouxo, eu sou um caminhão Todas as colinas rolantes, eu irei aplanar todas elas, yeah! É comportamento de rebanho, uh huh É a evolução baby!! Me admire, admire meu lar Admire meu filho, ele é meu clone Yeah yeah, yeah yeah Esta terra é minha, esta terra é livre Eu faço o que eu quiser, irresponsavelmente É a evolução, baby!! Eu sou um ladrão Eu sou um mentiroso Esta é minha igreja, eu canto no coro Aleluia, Aleluia Me admire, admire meu lar Admire minha música, aqui estão minhas roupas Porque nós conhecemos Apetite por banquete noturno Esses índios ignorantes não tem nada comigo Nada, por que? Porque é a evolução, baby! Eu estou a frente, Eu sou avançado, Eu sou o primeiro mamífero a fazer planos, yeah Eu rastejei pela terra, mas agora eu estou alto 2010, assista isso ir para o fogo É a evolução, baby! É a evolução, baby! Faça a evolução
  13. 13. Negação à Diferença Diferenças de Opinião Divergência de Interesses CONFLITO Causas de Conflitos
  14. 14. Guerra <ul><li>“ Quanto à guerra, que é a maior e mais pomposa das ações humanas, eu gostaria de saber se queremos usá-la para provar alguma prerrogativa nossa ou, ao contrário, para testemunhar nossa debilidade e imperfeição. Na verdade, parece que a ciência da destruição e do matar-se uns aos outros, correndo para a ruína e destruição da nossa própria espécie, não causa muita inveja aos animais, que não a possuem.” </li></ul><ul><li>Michel de Montaigne (1553-1592) </li></ul>&quot;A guerra é a origem de todas as coisas e de todas ela é soberana. A uns ela apresenta-os como deuses, a outros, como homens; de uns ela faz escravos de outros, homens livres.&quot; HERÁCLITO, Frag.53, Hipólito “ Si vis pacem, para bellum” Se queres paz, prepara-te para a guerra – expressão romana
  15. 15. Resolução de conflitos <ul><li>Uso da violência extrapolada </li></ul>Guerra
  16. 16. Categorias (origens) de conflitos <ul><li>Recursos Naturais </li></ul><ul><li>São conflitos que ocorrem pela disputa de territórios contendo recursos naturais importantes, como por exemplo, água, petróleo, ouro, diamantes, cobre, carvão, ferro, entre outros. Exemplos: Israel x Palestina – água; Rússia x Chechênia – petróleo. </li></ul><ul><li>Separatismo e nacionalismo </li></ul><ul><li>São conflitos que ocorrem quando um grupo étnico nacionalista procura constituir o seu próprio Estado-Nação. Exemplos: País Basco, Palestina, Curdistão. </li></ul><ul><li>Conflitos regionais </li></ul><ul><li>Chamados assim quando ocorrem em função da definição de fronteiras ou pela posse de territórios (aos quais se atribui um domínio histórico). Exemplo: Índia x Paquistão – que disputam a região da Caxemira, no noroeste indiano; Israel x Palestina – disputa por territórios. </li></ul><ul><li>Lutas em favor da democracia </li></ul><ul><li>São lutas resultantes de um ideal anti-colonialista, reivindicações democráticas ou de reconhecimento de identidades (indígena). Exemplo: EZLN (Exercito Zapatista de Libertação Nacional) em Chiapas, no México; </li></ul>
  17. 17. Categorias (origens) de conflitos <ul><li>Guerras revolucionárias ou conflitos fundamentalistas </li></ul><ul><li>Ocorrem quando grupos tentam impor sua própria ideologia ou visão de Mundo a todos os cidadãos. Exemplo: Os conflitos na Argélia entre fundamentalistas-religiosos que pretendem um Estado Islâmico e o Governo pró-ocidente, Revolução Islâmica no Irã. </li></ul><ul><li>Lutas étnicas ou religiosas </li></ul><ul><li>Ocorrem quando grupos de diferentes identidades, lutam pela posse de territórios. Nestes casos, etnia e religião ficam bastante &quot;próximas&quot; e a religião, muitas vezes, é o aspecto mais marcante da diferença. Por vezes caracteriza-se pela chamada &quot;limpeza étnica&quot;. Exemplo: Ruanda e Burundi (África) – entre as etnias tútsis e hútus; Os conflitos entre os croatas-católicos, bósnios-muçulmanos e os sérvios-cristãos ortodoxos na ex-Iugoslávia (Balcãs). </li></ul><ul><li>Conflitos irredentistas </li></ul><ul><li>Quando grupos étnico-nacionalistas pretendem estender as fronteiras do seu Estado para englobar um outro território dentro do qual vivem comunidades pertencentes ao seu grupo, ou seja, qualquer movimento que objetive a unificação de povos da mesma origem étnica, ainda que politicamente ou territorialmente separados. Exemplo: Projetos da Grande Sérvia, Irlanda do Norte (ULSTER), Guerra das Malvinas. </li></ul>
  18. 18. Tipos de Conflitos <ul><li>Guerra civil - conflito que envolve facções de uma mesma nação ou grupo. Posssui como objetivo a separação (fratricídio) ou a tomada do poder. Ex.: Guerra dos Farrapos (Brasil), Guerra Civil Americana (EUA). </li></ul><ul><li>Guerra parcial - considera-se o estado &quot;ideal&quot; de guerra, ou seja, uma guerra em que prevalece a diplomacia, a estratégia e a racionalidade, não havendo inspiração de ordem emocional ou moralista. </li></ul><ul><li>Guerra total - caracteriza-se por compreender uma nação inteira sob o objetivo de vencer uma guerra. Envolve a totalidade dos esforços bélicos, ideológicos, comerciais, etc., e inclui necessariamente um elemento subjetivo de paixão (ódio, por exemplo). Ex.: Nazismo, Intifada. </li></ul><ul><li>Guerra preventiva - ocorre quando uma nação, estando sob a ameaça de outra, não encontra alternativa senão a de tomar a iniciativa do conflito, fazendo isso como forma de defesa. São consideradas &quot;legais&quot;, de acordo com a ONU. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Guerra preemptiva - a nação antecipa agressivamente o conflito, sem que existam provas consistentes o bastante para o justificar. Ex.: invasão do Iraque, que culminou na queda de Saddam Hussein. </li></ul><ul><li>Guerra fria - nações digladiam-se através de corrida armamentista e tecnológica, espionagem ou guerras por procuração, sempre evitando o conflito direto, uma vez que este desencadearia uma situação sobre a qual ambas não teriam controle </li></ul><ul><li>Guerra biológica - envolve como tática de guerra o uso de agentes biológicos nocivos (vírus, bactérias, doenças, etc). Diz-se ironicamente que a conquista da América inaugurou a guerra biológica, pois os europeus trouxeram consigo doenças que dizimavam as populações nativas das Américas. </li></ul><ul><li>Guerra química - envolve a utilização de artefatos químicos, como gases venenosos, venenos ou de efeito moral. Ex.: Guerra do Irã e Iraque . </li></ul><ul><li>Guerra comercial - envolve a utilização de mecanismos tais como o embargo comercial e a imposição de barreiras alfandegárias. Ex.: Bloqueio continental promovido por Napoleão. </li></ul>Tipos de Conflitos
  20. 20. 4º Parte As Armas
  21. 21. Gastos militares retornam aos tempos da Guerra Fria
  22. 22. Gastos militares retornam aos tempos da Guerra Fria
  23. 23. Gastos militares retornam aos tempos da Guerra Fria
  24. 24. Evolução das despesas militares
  25. 25. Gastos militares retornam aos tempos da Guerra Fria
  26. 26. Maiores Exportadores de Armas
  27. 27. Maiores Fornecedores de Armas
  28. 30. Análise da distribuição geográficas dos principais conflitos armados da atualidade.
  29. 32. 5º Parte Exemplos de Conflitos Atuais
  30. 33. Terrorismo “ Atacar não significa apenas assaltar cidades muradas ou golpear um exército em ordem de batalha, deve também incluir o ato de assaltar o inimigo no seu equilíbrio mental.” Sun Tzu – A Arte da Guerra, séc. IV a.C. Formas de terrorismo <ul><li>De Estado </li></ul><ul><li>De grupos de pessoas com objetivo em comum </li></ul><ul><li>De um único indivíduo </li></ul>
  31. 34. Caxemira – Índia x Paquistão <ul><li>resquícios do imperialismo britânico; </li></ul><ul><li>divisão religiosa: hindus e islâmicos; </li></ul><ul><li>Caxemira: maioria islâmica, porém pertence à Índia, de maioria hindu; </li></ul><ul><li>Em 1998 ambos realizam testes nucleares – TEMOR ATÔMICO </li></ul>
  32. 35. Curdos – a maior nação sem Estado do planeta <ul><li>E tnia de origem milenar, possuíam automia até o séc. XVII; </li></ul><ul><li>Domínio do império Turco-otomano até a 1º Guerra Mundial; </li></ul><ul><li>Atualmente são mais de 28 milhões espalhados pela Turquia, Iraque, Síria e Irã; </li></ul><ul><li>Partido dos Trabalhadores do Curdistão – PKK – ações armadas na Turquia; </li></ul><ul><li>Curdos iraquianos – perseguições e ataques químicos de Saddan Hussein. </li></ul>Questão atual: lutar pela independência ou pela federação??
  33. 37. Chechênia – o uivar do lobo <ul><li>Cáucaso – caldeirão étnico, religioso, linguístico e cultural; </li></ul><ul><li>É uma região de relevo acidentado, conjunto montanhosos, vales fluviais e planaltos, localizada entre os mares Negro e Cáspio; </li></ul><ul><li>A compartimentação do relevo impõe toda orientação da infra-estrutura de transportes, comunicação e rede hidrográfica; </li></ul><ul><li>Transcaucásia (Azerbaijão, Armênia e Geórgia) e Ciscaucásia (8 repúblicas autônomas, entre elas: Chechênia, Ossétia do Norte e Daguestão); </li></ul><ul><li>Confronto entre duas “civilizações”: eslavo-ortodoxa e islâmica. </li></ul><ul><li>Após a fragmentação da URSS, essas regiões buscam a independência política de Moscou. </li></ul><ul><li>1994 – 1996: Moscou invade e ocupa a Chechênia </li></ul><ul><li>1999 – Ativistas islâmicos invadem o Daguestão: criar um Estado islâmico. </li></ul><ul><li>2000 – Moscou volta a invadir a Chechênia e chega a tomar Grosny </li></ul>
  34. 39. Chechênia – o uivar do lobo <ul><li>questão se coloca no controle das vias de recursos naturais: ÁGUA e PETRÓLEO; </li></ul><ul><li>Azerbaijão: grande produtor de petróleo, mas sem saída para mar aberto; </li></ul><ul><li>Necessidade de escoamento através de oleodutos para o Mar Negro ou Mediterrâneo; </li></ul><ul><li>Principais oleodutos existentes passam pela Chechênia: controle e arrecadação de impostos. </li></ul><ul><li>Conflito de interesses: Estados produtores X territórios atravesados por oleodutos X Transnacionais do Petróleo. </li></ul>
  35. 42. Israel e o muro da vergonha
  36. 44. Israel e o muro da vergonha <ul><li>Confinamento dos palestinos e controle de áreas férteis irrigadas; </li></ul><ul><li>Construção em território estrangeiro – ROUBO de terras palestinas; </li></ul><ul><li>Privação da liberdade de ir e vir; </li></ul><ul><li>Ato de subjulgar a população palestina; </li></ul><ul><li>Condenação da ONU – desrespeito de Israel (Ariel Sharon). </li></ul>
  37. 45. Considerações Finais <ul><li>Em nenhuma outra época da história se produziu tanto volume de riquezas como na atualidade; </li></ul><ul><li>Auge das desigualdades sociais e econômicas; </li></ul><ul><li>Valores éticos e morais são abandonados em nome da eficiência e competitividade; </li></ul><ul><li>Aumento sem precedentes da intolerância e violência em todas as partes do mundo. </li></ul>Humanidade muito distante de justiça social e paz duradoura...
  38. 46. Professor Rogerio Silveira www.rogeografo.blogspot.com [email_address]

×