A queda do socialismo

10.411 visualizações

Publicada em

1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Esse miseravel socialismo nos foi trazido no Leste Europeu em 1945 pelos criminosos traidores 'democratas' Roosevelt e Churchil, aliados ao assassino Stalin! E em Cuba o comunismo está sustentado pela Maçonaria Americana e Latinoamericana porque Fidel Castro deixou a Maçonaria livre em Cuba!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.411
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
187
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A queda do socialismo

  1. 1. A queda do Socialismo Real – Europa do Leste e URSS Prof a Eulália - 2010
  2. 2. Antecedentes 1- 1928- 1953 <ul><li>Ditadura stalinista – Planos qüinqüenais </li></ul><ul><li>Construção do “ socialismo real” = ditadura + burocratização do aparelho de Estado + maior poderio das Forças Armadas + força política da Nomenklatura + expansão do modelo soviético. </li></ul><ul><li>Política externa marcada pelas condicionantes da guerra fria  tensões Leste /Oeste. </li></ul><ul><li>Controle das regiões socialistas da Europa do Leste (exceto Iugoslávia) </li></ul><ul><li>Ruptura com China (que cria seu modelo e sua própria área de influência no extremo – oriente) </li></ul><ul><li>1953  morte de Stalin  “desestalinização” com Nikita Kruchev = ligeira abertura política. </li></ul>Prof a Eulália - 2010
  3. 3. 2- Anos 50 e 60 : <ul><li>Críticas à hegemonia soviética no leste europeu (Polônia, Hungria e Tchecoslováquia + Primavera de Praga em 1968) </li></ul><ul><li>Busca de melhores relações com o ocidente  início de negociações  limitação de produção de armamento nuclear de longo alcance – Planos SALT </li></ul><ul><li>Germes de questões econômicas graves  decréscimo da produtividade da URSS + excessivo centralismo do planejamento + corrupção da nomenklatura + burocratização das decisões + dificuldades de distribuição da produção e dos insumos à produção. </li></ul><ul><li>Leste europeu  abertura à entrada de K financeiro estrangeiro leva à dívida externa (do Estado) </li></ul>Prof a Eulália - 2010
  4. 4. <ul><li>CRISE ECONÔMICA GRAVE </li></ul>3- Anos 70 e 80: Prof a Eulália - 2010 POR QUE ?  decréscimo da produtividade + decréscimo da produção  drenagem de tecnologia e cérebros para setores militares e afins  produção agrícola e de bens de consumo insuficientes.  repartição excessiva da produção entre as regiões da URSS e Leste Europeu  prejuízos à produção por dificuldade de transporte e comunicação  manutenção de gastos militares  resguardo da fronteira sino-soviética ( apesar da diminuição das tensões da guerra fria)  peso dos subsídios dados às economias do leste europeu – com problemas – e à Cuba.  não aplicação prática da RTC SITUAÇÃO AGRAVADA PELA DESORDEM DA ECONOMIA MUNDIAL  CHOQUES DO PETRÓLEO DA SEGUNDA METADE DA DÉCADA DE 1970.
  5. 5. Prof a Eulália - 2010 <ul><li>CRISE POLÍTICA </li></ul>POR QUE ?  demandas nacionalistas nas diferentes repúblicas da URSS e na Europa do Leste.  demandas por abertura política  populações demandam por democracia  crítica ao autoritarismo e centralismo do Partido  manifestações constantes em Estados do leste europeu contra a hegemonia soviética.  demandas religiosas ( demandas de liberdade de culto e de prática religiosa, proibidas ou controladas pelo Estado)  infiltração dos ideais da Revolução Iraniana na franja sul da URSS, região com grande presença de muçulmanos.  demandas das populações por melhoria do padrão de vida  comparação com parâmetros ocidentais.  demandas por descentralização do planejamento econômico.
  6. 6. REFORMAS NÃO SURTEM EFEITO <ul><li>Problemas: </li></ul>Prof a Eulália - 2010 TENTATIVAS DE SOLUÇÃO Ascensão de Mikail Gorbatchev ao cargo de Secretário Geral do PCUS - 1985 Proposta de reformas  Perestroika e Glasnost (reformas econômicas e democratização político - administrativa) <ul><li>Falta de financiamento  Gorbatchev recebe o “não” do ocidente </li></ul><ul><li>Reformas não atendem verdadeiramente as demandas das populações pois ainda são “de cima para baixo” (criação de grupos políticos sem consulta à população) </li></ul><ul><li>Oposição das Forças Armadas  perda de importância face ao degelo da guerra fria. </li></ul><ul><li>Gorbatchev entre duas orientações: Nomenklatura e Forças Armadas consideram as reformas “excessivamente rápidas”. Radicais consideram “lentas demais”. </li></ul><ul><li>Descompasso entre reformas políticas e reformas econômicas. </li></ul>
  7. 7. Prof a Eulália - 2010 <ul><li>Crescimento das questões nacionalistas (mais de cem nacionalidades nas 15 repúblicas da URSS). </li></ul><ul><li>Recusa de determinadas regiões do Leste europeu de seguir os rumos ditados por Moscou: Polônia = ação do sindicato livre “Solidariedade” + libertação da Europa do Leste. </li></ul><ul><li>Projeto de reunificação da Alemanha - Queda do Muro de Berlim em 1989. </li></ul>Em 1991 são eleitos radicais para as prefeituras de Moscou e Petrogrado Boris Yeltsin eleito Secretário geral do PC Russo + seqüestro de Gorbatchev pelos opositores das reformas + desgaste do governo reformista + crescimento da ação popular Gorbatchev forçado a renunciar 25 de dezembro marca o fim oficial da URSS
  8. 8. União Soviética e desagregação do território- novas repúblicas 1-Armênia 2-Azerbaijão 3- Bielo-Rússia 4- Estônia 5- Cazaquistão 6- Geórgia 7- Quirquízia 8-Letônia 9-Lituania 10-Moldávia 11-Rússia 12-Tadjiquistão 13-Turcomenistão 14-Ucrânia 15-Uzbequistão

×