Curso Oratória Universidade Corporativa

441 visualizações

Publicada em

Curso de Oratória Universidade Corporativa - Aula de Secretariado - Prof. Leonardo Quintiliano

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • CONHEÇA TAMBÉM: - 10 Dicas Para Falar Em Público, visualizado + 70 mil vezes! Apresentação: https://goo.gl/mQewCW Conheça o livro: https://goo.gl/eh4jmv - 13 Dicas Para Falar em Público Apresentação: https://goo.gl/wgyRc6 - Falar em Público - Sua Audiência Se Importa Apresentação: https://goo.gl/QiapNF
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
441
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso Oratória Universidade Corporativa

  1. 1. Oficina de Oratória XIII EnaPET – Campinas (SP) Lucas Barbosa Pelissari 15/07/08
  2. 2. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 2 Sumário 1. Gêneros de oratória; 2. Cérebro triúnico; 3. Características de um bom orador; 4. Perguntas; 5. Maiores erros; 6. Feedback.
  3. 3. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 3 • Enquanto falamos, o que queremos? • Qual o seu objetivo? • Qual a função de um orador? O que é dar uma palestra?
  4. 4. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 4 1. Gêneros de oratória • Pedagógica – esquema lógico (conhecimento); • Política – entusiasmo, persuasão; • Forense – narração, demonstração, provas; • Religiosa ou sacra – tom pacífico e constante.
  5. 5. 15/07 5 NEOCÓRTEX ESTRATÉGIAS LÍMBICO ESTADO RÉPTIL RELACIONAMENTO PALAVRAS 7% SONS 38% CORPO 55% Irracional Inconsciente A comunicação é 93% não verbal! 2. Cérebro Triúnico Teoria Funcional - Dr. Paul MacLean (1976)
  6. 6. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 6 3. Características de um bom orador 3.1. Espontaneidade; 3.2. Apresentação; 3.3. Tempo; 3.4. Linguagem; 3.5. Postura e aparência; 3.6. Preparo; 3.7. Técnicas; 3.8. Prática.
  7. 7. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 7 3.1. Espontaneidade • Antes de tudo: saber conversar; • Autocrítica: não se leve muito a sério! • Porém... – Não se torne um comunicador de suas imperfeições; – Somente autocríticas necessárias; – Autocrítica ≠ charminho; – Cuidado para não comprometer sua imagem!
  8. 8. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 8 3.1. Espontaneidade Acabe com vícios de linguagem em fim de frases: • Né?, Tá?, Ok?, Entende?, Percebe?, Fui claro?; • 1º passo: tenha consciência da existência; • 2º passo: elimine afirmações com tom de pergunta.
  9. 9. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 9 3.1. Espontaneidade Acabe com vícios de linguagem em início de frases: • Ããããã, Ééééé, Hummm, Bommm, Bemmm; • Causas: – Esqueceu o que dizer; – Sabe o que dizer, mas não encontra uma maneira; • 1º passo: tenha consciência da existência e da causa; • 2º passo: esforce-se para pensar em silêncio.
  10. 10. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 10 3.1. Espontaneidade • Continue falando depressa: – Fale com boa dicção; – Faça pausas no fim do raciocínio; – Repita informações importantes com palavras diferentes; • Continue falando devagar: – Em pausas, continue olhando para os ouvintes; – Volte a falar com mais ênfase; – Use pausas apropriadas, eliminando o “ãããã”.
  11. 11. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 11 3.1. Espontaneidade • Ponha ritmo na fala; • Não inicie contando piadas nem pedindo desculpas; • Saia da mesmice; • Não confie em sua memória, leve suas anotações; • Você acha ou tem certeza? – Situações diplomáticas: use “acho”, “penso”, etc; – Ao transmitir informações: não use “acho”.
  12. 12. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 12 3.1. Espontaneidade • Fale com envolvimento; • Escolha bem os argumentos, mas não se apaixone por um deles; • Utilize as técnicas, mas seja você mesmo; platéia conteúdo orador
  13. 13. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 13 3.1. Espontaneidade – Enfrente o medo Motivos do medo de falar em público: • Falta de conhecimento sobre o assunto; • Falta de prática; • Falta de auto-conhecimento.
  14. 14. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 14 3.1. Espontaneidade – Enfrente o medo • Não demonstre insegurança e instabilidade! • Saiba exatamente o que vai dizer no início; • Não tenha pressa para começar; • Antes de falar, quando já estiver no ambiente, não fique pensando no que vai dizer; • Mostre suas qualidades e não ressalte seus defeitos.
  15. 15. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 15 3.1. Espontaneidade – Enfrente o medo • Se estiver muito nervoso, apóie as mãos; • PRÁTICA E PREPARO! Treine antes com pessoas próximas; • Não se desespere com brancos: – “Na verdade, o que eu quero dizer é...” – “Voltarei ao assunto mais à frente.” – Nunca diga “Esqueci, me desculpem.”
  16. 16. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 16 3.2. Apresentação e recursos • Lembre-se: toda comunicação é 93% não verbal; • Três objetivos principais: – Destacar informações importantes; – Facilitar o acompanhamento do raciocínio; – Possibilitar a lembrança por tempo mais prolongado.
  17. 17. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 17 3.2. Apresentação e recursos • Todo slide informativo deve ter um título; • Letras legíveis e texto justificado; • Slides padronizados; • Estatísticas aproximadas; • Máximo três tamanhos de letras diferentes; • Sumário e rodapé: apresentações formais (ABNT).
  18. 18. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 18 3.2. Apresentação e recursos • Roteiro – palavras ou frases curtas; • Tópicos com ponto e vírgula no final; • Frases que ocupam mais de duas linha apenas em casos extremos; • Máximo de 8 linhas em cada slide! Porém... ORGANIZAÇÃO!
  19. 19. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 19 3.2. Apresentação e recursos • Cores diferentes para destaque: máximo de 4 cores; • Use apenas uma idéia em cada slide; • Em slides informativos, máximo uma ilustração; • Cuidado com gráficos, tabelas e fluxogramas; • Retire tudo o que prejudicar a compreensão; • Animações padronizadas.
  20. 20. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 20 Exemplos • Exemplo 1; • Exemplo 2; • Exemplo 3; • Exemplo 4; • Exemplo 5.
  21. 21. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 21 3.2. Apresentação – planejamento • Organizar a seqüência do raciocínio; • Quatro etapas: – Introdução (Motivação); – Informação; – Treinamento; – Auto – descoberta.
  22. 22. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 22 Formatando a apresentação 1. MOTIVAÇÃO / DISCUSSÃO POR QUÊ? • Relevância e razões; • Analisar situações sob vários pontos de vista; • Envolva e motive as pessoas; • Vencer o nervosismo. 2. INFORMAÇÃO O QUÊ? 3. TREINAMENTO COMO? • Uso prático das teorias; • Reflexão e exercícios aos expectadores. 4. AUTO - DESCOBERTA COMO SERIA SE? • O que pode ser feito; • Conclusões e estudos futuros; • Os espectadores tirarão conclusões; • Perguntas. • Informação e sínteses; • Idéias e teorias lógicas; • Referências.
  23. 23. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 23 Referências • “Qualquer citação de texto integral ou de idéias de textos de terceiros devem ser referenciadas” (ABNT); • Localização: – Nota de rodapé; – Fim de texto; – Lista de referências; – Em figuras, gráficos, fluxogramas ou tabelas.
  24. 24. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 24 3.3. Administração do tempo • Introdução (1/4 do tempo total): – Cumprimentar e atrair a platéia; – Breve apresentação; – Introduzir o tema; • Informação e treinamento (2/4 do tempo total); • Auto – descoberta (1/4 do tempo total): – Conclusões e trabalhos futuros; – Referências e Agradecimentos; – Encerramento; – Perguntas.
  25. 25. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 25 3.4. Qual linguagem utilizar? • Principal objetivo: rápido entendimento; • Descubra como é seu vocabulário; • Não use palavras vulgares e gírias, a não ser com muita experiência e segurança; • Cuidado com o vocabulário rebuscado; • Evite os extremos do estrangeirismo.
  26. 26. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 26 3.4. Qual linguagem utilizar? Reserve o vocabulário técnico para pessoas do ramo: • “Direito Consuetudinário”; • “Momento fletor”; • “Prosencéfalo cortical inferior”; • “Eixos centrais principais de inércia”.
  27. 27. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 27 3.4. Qual linguagem utilizar? Considere o nível intelectual dos ouvintes: • Grupo 1: nível médio para baixo (inculto) – Não use pensamentos abstratos; – Redobre os esforços para ajudá-los a compreender; – Se levantar reflexões, dê as conclusões; – Informações claras, ilustrações e metáforas.
  28. 28. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 28 3.4. Qual linguagem utilizar? • Grupo 2: nível médio para cima – É possível usar raciocínios abstratos e complexos; – Se levantar reflexões, deixe que concluam.
  29. 29. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 29 3.4. Qual linguagem utilizar? Avalie o conhecimento dos ouvintes: • Nunca tome por base somente o seu conhecimento; • A maneira como irá abordar o tema é essencial; • Grupos heterogêneos: fale como se o nível de conhecimento fosse mediano.
  30. 30. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 30 3.4. Qual linguagem utilizar? Avalie a faixa etária dos ouvintes: • Platéia predominantemente jovem: informações em forma de planos e perspectivas futuras; • Platéia predominantemente idosa: recorra aos fatos do passado e recorra à experiência dos ouvintes.
  31. 31. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 31 3.5. Postura e aparência • Sua aparência reflete sua imagem! • Ao decidir que roupa usar, leve em conta: – Atividade profissional dos ouvintes; – Época; – Formalidade (em dúvida, vista-se formalmente); – Seu estilo (sinta-se à vontade).
  32. 32. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 32 3.5. Postura e aparência • Lembre-se: toda comunicação é 93% não verbal; • Não fale o tempo todo com as mãos nos bolsos ou braços cruzados; • Certos hábitos desviam a atenção da platéia: Estralar os dedos, coçar a cabeça, olhar para cima.
  33. 33. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 33 3.5. Postura e aparência Caneta ou outro objeto na mão: • Apresentação sem objetos = apresentação eficiente; Porém.. Se lhe der segurança, use, mas... • Analise o contexto: – Utilizando quadro, utilize recurso para escrever; – Utilizando slides, utilize laser; – Sentado à mesa, utilize caneta esferográfica; – Nunca use objetos fora do contexto.
  34. 34. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 34 3.5. Postura e aparência • Boa feição – sorriso; • Economize movimentos: – Os gestos devem acompanhar a fala; – Os gestos devem ser feitos acima da cintura; – Alterne a posição de descanso dos braços.
  35. 35. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 35 3.5. Postura e aparência • Pernas nem muito abertas nem muito fechadas; • Os dois pés devem apoiar-se totalmente no chão; • Não fique parado o tempo todo, mas não ande de um lado para o outro sem objetivos...
  36. 36. 15/07 36 3.5. Postura e aparência Âncora de palco – lado direito da platéia • Dificuldade de visão do público; • Em caso de insegurança, deixe a apresentação no lado esquerdo e fique do lado direito; • Utilizado para chamar a atenção ou dar uma bronca.
  37. 37. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 37 Âncora de palco • Lado esquerdo da platéia: – Facilidade de visão do público; – Contar uma história ou uma piada, com segurança; • Centro: – Informações importantes e decisivas; – Deixar a apresentação como plano de fundo; • Demonstre confiança no andar, na postura, nos gestos e na fala.
  38. 38. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 38 platéia texto ator 3.5. Postura e aparência
  39. 39. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 39 3.6. Conhecimento e preparo • Demonstre segurança e ganhe credibilidade; • Demonstre conhecimento e ganhe credibilidade: – Conheça bem o assunto e prepare-se; – Fale como se tudo viesse de sua experiência e estudo. • Seja coerente e não fale só por falar; • Não minta, não invente informações!
  40. 40. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 40 3.7. Técnicas de oratória Em assuntos polêmicos: • Mudar a opinião de quem pensa o contrário; • Não dê opiniões logo no início; • Identifique as opiniões comuns e utilize-as para ganhar segurança e desarmar os ouvintes.
  41. 41. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 41 Início da apresentação Principais objetivos: • Limpar o raciocínio da platéia; • Atrair a platéia; • Esclarecer o assunto.
  42. 42. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 42 Início da apresentação 1.Cumprimento: atrair a platéia • Forte, sincero e seguro “Bom dia a cada um de vocês.”; • Não diga “Bom dia a todos.”; • Inicie somente quando tiver a atenção de toda a platéia.
  43. 43. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 43 Início da apresentação 2. Apresentação pessoal: • Breve – no máximo dois itens do seu currículo; 3. Apresentação e introdução do tema: • Esclareça bem qual é o assunto; • Diga o tema da apresentação apontando para a tela; • Apresente o problema, motivando.
  44. 44. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 44 Início da apresentação O que não dizer: • Pedir desculpas (nervosismo ou problemas físicos); • Contar piadas; • Tomar partido sobre assuntos polêmicos; • Dizer frases muito usadas; No início da apresentação, o corpo humano recebe a maior descarga de adrenalina.
  45. 45. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 45 Conclusão e encerramento 1.Avise que vai encerrar – aumento da concentração; 2.Recapitulação: pontos mais importantes ou epílogo; 3.Conclusões; 4.Trabalhos futuros; 5.Referências; 6.Agradecimentos; 7.Encerramento.
  46. 46. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 46 Conclusão e encerramento • Encerre se estiver certo de que transmitiu de todas as informações; • O bom encerramento é posterior à boa conclusão; • Não diga “Era isso que eu tinha para dizer a vocês, obrigado.” ou “É isso.”; • Não encerre com perguntas.
  47. 47. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 47 Formas de encerramento • Levantar uma reflexão; • Fazer uma citação; • Elogiar os ouvintes; • Contar um fato histórico; • Aproveitar um fato bem-humorado; • Pedir para alguns ouvintes ressaltarem pontos que acharam importantes.
  48. 48. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 48 3.7. Técnicas de oratória Seja bem-humorado: • Não significa ser bobo da corte ou vulgar; • Em caso de dúvida, seja menos engraçado do que poderia; • Preserve sua imagem. VULGARIDADE HUMOR REGIÃO DE RISCO
  49. 49. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 49 3.7. Técnicas de oratória • Demonstre que está brincando; • Conte histórias (poucas, curtas e desconhecidas); • Cuidado ao usar o “nós”; • Use o silêncio para chamar a atenção; • Nunca se desespere.
  50. 50. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 50 3.7. Técnicas de oratória Mantenha os ouvintes acordados: • Não foque apenas no conteúdo; • Não fique só contando histórias e piadas; • Divida a palestra em blocos distintos. (conteúdo – slides – história ou piada)
  51. 51. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 51 3.7. Técnicas de oratória • Pronuncie bem as palavras; • Olhe para os ouvintes; • Ajude o ouvinte a entender a mensagem (fazer ilustrações, usar metáforas e exemplos);
  52. 52. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 52 3.7. Técnicas de oratória Para ler em público: • Olhe para os ouvintes durante as pausas; (Marque a linha com o dedo polegar) • Segure o papel na altura correta; • Faça poucos gestos; (Se for muito inexperiente, não gesticule;) • Marque o texto; • Faça comentários.
  53. 53. Você tem domínio do assunto? SIM NÃO PERGUNTAS SOMENTE NO FIM Há mais de cem pessoas? SIM PERGUNTAS SOMENTE NO FIM NÃO Seu tempo é determinado e reduzido? SIM NÃO PERGUNTAS SOMENTE NO FIM Os ouvintes possuem baixo nível intelectual? PERGUNTAS SOMENTE NO FIM SIMPERGUNTAS DURANTE A APRESENTAÇÃO NÃO 4. Perguntas – Início, meio ou fim?
  54. 54. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 54 • Iniciar com insegurança; • Tentar imitar outros oradores; • Preparar-se pouco; • Falar sem gosto ou conhecimento pelo assunto; • Deixar de reconhecer que falar em público é uma habilidade adquirida; • Encerrar a apresentação com uma pergunta. 5. Maiores erros
  55. 55. 55 3 PONTOS POSITIVOS: • Abrir o inconsciente; • Não alucinógenos; • De preferência, relacionado com a identidade. FEEDBACK: • O que precisa melhorar; • Não usar mas, porém, entretanto; • De preferência, relacionado com o comportamento. PONTO POSITIVO: • Apanhado geral; • Orientação para o futuro; • Alucinógeno; • De preferência, relacionado com a identidade. 6. Feedback Sanduíche
  56. 56. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 56 • POLITO, Reinaldo. Superdicas Para Falar Bem. 1 edição, São Paulo:Saraiva, 2005, 135 p.; • POLITO, Reinaldo. Seja um Ótimo Orador. 9 edição, São Paulo:Saraiva, 2005, 223 p.; • Curso – Técnicas de Apresentação – Raphael Lobo; • FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. 35 edição, São Paulo: Paz e Terra, 2007, 148 p. Referências bibliográficas
  57. 57. 15/07 Oficina de Oratória XIII ENAPET 57 “A inteligência humana evolui desde o nível mais primitivo da existência até as trocas e experiências simbólicas.” (Jean Piaget) lucas.pelissari@ufpr.br marcios.dias@yahoo.com.br pet@cesec.ufpr.br www.cesec.ufpr.br/pet

×