1---- morfológica: A

membrana celular é uma camada com apenas 7,5 a 10 nm de espessura, constituída por lípidos
intercala...
5 O retículo endoplasmático, ou ergastoplasma, é um organelo exclusivo de células eucariontes.1 Formado a partir da invagi...
11----As células sintetizam um grande número de diferentes macromoléculas. O complexo de Golgi é parte integrante na modif...
17----Um exemplo de doença causada por mau-funcionamento dos lisossomos é
a doença de Tay-Sachs. A falta de um tipo de enz...
Camila (salvo automaticamente)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Camila (salvo automaticamente)

350 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
350
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Camila (salvo automaticamente)

  1. 1. 1---- morfológica: A membrana celular é uma camada com apenas 7,5 a 10 nm de espessura, constituída por lípidos intercalados com proteínas que define os limites de cada célula. Funciona como uma barreira de permeabilidade que permite à célula manter um meio químico apropriado para os seus processos metabólicos, regular o volume citoplasmático e transferir informação sob a forma de sinais químicos e eléctricos. Fisiológicos: As membranas que revestem os vários organelos (núcleo, mitocôndria, retículo endoplasmático, lisossomas e aparelho de Golgi) permitem a compartimentalização funcional da célula, com possibilidade de limitar processos bioquímicas a certos locais. 2---Apesar das particularidades individuais, todas as membranas biológicas são formadas por uma dupla camada fosfolípidica e por proteínas unidas por ligações covalentes e que se comportam, A maioria dos lípidos e das proteínas movem-se livremente no plano da membrana. Em alguns casos, há restrição deste movimento de forma a permitir à célula a realização de algumas funções em partes selectivas da sua membrana. É o caso da sequestração de receptores de acetilcolina ao nível da placa motora das células musculares esqueléticas. 3- Basicamente o glicocalix é a primeira estrutura que encontramos, sem precisar penetrar na célula. Ele pode ser comparado a uma "malha de lã", que protege a célula das agessões físicas e químicas do meio externo. Mas também mantem um microambiente adequado ao redor de cada célula, pois retem nutrientes e enzimas importantes para a célula, Em células tumorais há alteração do glicocálice. então, elas perdem a propriedade de "inibição por contato". Ou seja, as células vão se dividindo e formando um tumor.. O glicocalix é formado, basicamente, por carboidratos e está presente na maioria das células animais Funções: reconhecimento entre células, reconhecimento de moléculas (como hormonios e fatores do crescimento); união das células com MEC (matriz); proteção agressão física e química; atrair Na+ (o que causa diferença de polaridade entre o meio externo e interno da célula). 4--- O transporte mediado classifica-se, sob o ponto de vista termodinâmico, em activo e passivo. As principais diferenças são a bidireccionalidade do transporte passivo e o gasto energético do transporte activo. As proteínas de transporte podem ser divididas em 2 grupos principais: canais e transportadores. Quadro I - Características diferenciais entre canais e transportadores. CANAIS TRANSPORTADORES CANAIS TRANSPORTADORES Constituição Tubo ou poro formado por uma ou mais proteínas membranares intrínsecas, geralmente com um local de abertura ou encerramento do canal. Proteínas transmembranares que se submetem a um ciclo de ligação ao soluto a transportar e a uma alteração conformacional. Taxa de transferência Elevada (vários milhões a centenas de milhão de iões por segundo). Baixa (algumas centenas de milhar de moléculas por segundo). Tipo de transporte Passivo (segundo o gradiente de concentração). Activo ou passivo.
  2. 2. 5 O retículo endoplasmático, ou ergastoplasma, é um organelo exclusivo de células eucariontes.1 Formado a partir da invaginação da membrana plasmática,1 é constituído por uma rede de túbulos e vesículas achatados e interconectados, que comunicam com oenvoltório nuclear (carioteca). Foi descoberto em 1945 pelo citologista belga Albert Claude. A microscopia eletrônica revelou a presença, no interior do citoplasma, de um retículo de membranas lipoprotéicas que foi denominado retículo endoplasmático (RE). 6-- O retículo endoplasmático rugoso (RER), também designado retículo endoplasmático granuloso ou ergastoplasma (do grego ergozomai, que significa "elaborar", "sintetizar"), é formado por sistemas de vesículas achatadas com ribossomosaderidos à membrana, o que lhe confere aspecto granular. Participa da síntese de proteínas, que serão enviadas para o exterior da célula. Esse tipo de retículo é muito desenvolvido em células com funçôes secretoras. São os casos, por exemplo, das células do pâncreas, que secretam enzimas digestivas, das células caliciformes da parede do intestino, que secretam muco, e das células secretoras tipo II,nos alveolos pulmonares,que produzem lipoproteina surfactante . O retículo endoplasmático liso (REL), também chamado retículo endoplasmático agranular, é formado por sistemas de túbulos cilíndricos e sem ribossomos aderidos à membrana. Participa principalmente da síntese de esteróides, fosfolipídeos e outros lipídeos. O REL tem, como uma de suas principais funções, a desintoxicação do organismo,atuando na degradação do etanol ingerido em bebidas alcoólicas, assim como a degradação de medicamentos ingeridos pelo organismo como antibióticos e barbitúricos(substâncias anestésicas). Esse tipo de retículo é abundante principalmente em células do fígado, das gônadas e pâncreas. O retículo endoplasmático liso é composto por uma rede tridimensional de túbulos e cisternas interconectados, que vai desde a membrana nuclear (a cisterna do RE é contínua com a cisterna perinuclear) até a membrana plasmática. 7--- Graças aos ribossomos aderidos a suas membranas,o reticulo endoplasmático rugoso atua na produção de certas proteínas celulares como o colágeno, que é uma proteína produzida pelo RER do fibroblasto.A presença de polirribossomas no RER possibilita sua função: síntese de proteínas. Por isto ele é tão desenvolvido em células com intensa síntese protéica, destinada à exportação ou a organelas com membrana. Além disso, o RER também participa de modificações pós-traducionais protéicas: sulfatação, pregueamento e glicosilação. 8--- Conforme a demanda de alguns órgãos, essa estrutura pode ser mais ou menos desenvolvida. As células que formam o fígado possuem grande concentração de retículo liso, secretando substâncias que realizam a desintoxicação do organismo. Já o retículo granuloso é mais encontrado, por exemplo, nas células do pâncreas, sintetizando e secretando a insulina e o glucagon para regulação do teor de glicose na corrente sanguínea. 9--Em biologia celular, aparelho de Golgi, complexo de Golgi, dictiossoma, golgiossomo ou complexo golgiense é uma organelaencontrada em quase todas as células eucarióticas. O nome é uma homenagem ao italiano Camilo Golgi, que foi o seu descobridor. É formado por dobras de membranas e vesículas, e sua função primordial é o processamento de proteínas ribossomáticas e a sua distribuição por entre essas vesículas. Funciona, portanto, como uma espécie de sistema central de distribuição na célula, atuando como centro de armazenamento, transformação, empacotamento e remessa de substâncias. O complexo Golgiense é responsável também pela formação dos lisossomos, da lamela média dos vegetais e do acrossomo doespermatozoide, do glicocalix e está ligado à síntese de polissacarídeos. Acredita-se, ainda, que a organela seja responsável por alguns processos póstraducionais, tais como adicionar sinalizadores às proteínas, que as direcionam para os locais da célula onde atuarão. O complexo de Golgi tem origem no retículo endoplasmático de quem recebe membranas e substâncias para maturação através da face CIS, sendo responsável especialmente pela glicosilação terminal de suas secreções. Enzimas presentes nas cisternas e membranas dos 3 a 8 sáculos empilhados que compõem sua estrutura realizam, além da glicosilação, a sulfatação de substâncias, o que favorece sua desidratação e compactação na maturação dos grânulos secretórios em seu trajeto até o local de exocitose. Algumas de suas enzimas podem ser usadas como marcadoras para a organela, como a tiaminopirofostatase, que revela as cisternas medianas, a fosfatase ácida, marcadora para as cisternas TRANS e para a TGN, além do ósmio, usado no preparo do material para a microscopia eletrônica, e que, freqüentemente, se deposita com intensidade nas cisternas CIS do complexo. 10----
  3. 3. 11----As células sintetizam um grande número de diferentes macromoléculas. O complexo de Golgi é parte integrante na modificação, classificação e empacotamento dessas macromoléculas para que possam ser devidamente secretadas, num processo conhecido como exocitose, ou então para que sejam usada dentro da célula. Ele modifica principalmente proteínas vindas do retículo endoplasmático rugoso, mas também está envolvido no transporte de lipídios pela célula e na formação de lisossomos. Dessa forma, o complexo de Golgi pode ser comparado a uma central de correios, na qual os "pacotes" são enviados a diferentes destinos no interior da célula. As enzimas dentro das cisternas são capazes de modificar as proteínas por adição de hidratos de carbono (glicosilação) e fosfatos(fosforilação). Para realizar esta tarefa, o complexo de Golgi "importa" substâncias, tais como açúcares de nucleotídeos a partir docitosol. Estas modificações podem também formar um sequência de sinal que determina o destino final da proteína. Por exemplo, o aparelho de Golgi adiciona uma marcador de manose-6-fosfato para proteínas destinadas aos lisossomos. O complexo de Golgi desempenha ainda um importante papel na síntese de proteoglicanos, que são moléculas presentes na matriz extracelular dos animais. Também é o local principal da síntese de carboidratos. Isto inclui a produção de glicosaminoglicanos, polissacarídeos de cadeias longas não-ramificadas que a organela liga em seguida a uma proteína sintetizada no retículo endoplasmático para formar os proteoglicanos. O aparelho de Golgi atua como centro de armazenamento, transformação, empacotamento e remessa de substâncias na célula. Muitas das substâncias que passam pelo aparelho de Golgi serão eliminadas da célula, indo atuar em diferentes partes do organismo. É o que ocorre, por exemplo, com as enzimas digestivas produzidas e eliminadas pelas células de diversos órgãos (estômago, intestino, pâncreas etc.). Outras substâncias, tais como o muco que lubrifica as superfícies internas do nosso corpo, também são processadas e eliminadas pelo aparelho de Golgi. Assim, o principal papel dessa estrutura citoplasmática é a eliminação de substâncias que atuam fora da célula, processo genericamente denominado secreção celular 12--- 13--Lisossomos (português brasileiro) ou lisossomas (português europeu) citoplasmáticas sãoorganelas celulares que têm como função a degradação de partículas vindas do meio extra-celular, assim como a reciclagem de outras organelas e componentes celulares envelhecidos. Seu objetivo é cumprido através da digestão intracelular controlada demacromoléculas (como, por exemplo, proteínas, ácidos nucléicos, polissacarídeos, elipídios), catalisada por cerca de 50 enzimas hidrolíticas, entre as quais se encontramproteases, nucleases, glicosidases, lipases, fosfolipases, fosfatases, e sulfatases. Todas essas enzimas possuem atividade ótima em pH ácido (aproximadamente 5,0) o qual é mantido com eficiência no interior do lisossomo. Em função disto, o conteúdo do citosol é 14--- Os lisossomos são vesículas revestidas por membranas lipoproteicas, especializados na digestão intracelular. Para isso apresentam em seu interior hidrolases acidas, enzimas que catalisam reações de hidrólise. As enzimas são produzidas no ergastoplasma, transferidas para as bolsas do complexo de Golgi e armazenadas nos lisossomos primários que são vesículas membranosas. Uma das propriedades importante dos lisossomos é a estabilidade na célula viva pois estão envolvidas por membrana e a digestão ocorre em seu interior. A maioria de suas enzimas age em meio ácido, com ph em torno de 5, que é mantido pela bomba de hidrogênio propelida por ATP na membrana do lisossomo. 15--- Essas moléculas juntamente ao retículo endoplasmático rugoso realizam o processo de transcrição de uma proteína. Finalizada a síntese, essas proteínas são transportadas em vesículas (pequenas bolsas) que se dissociam do retículo com destino ao complexo de Golgi. Nesse local as proteínas irão passar por transformações (maturação), havendo acréscimo de grupamentos químicos (fosforilação) nas extremidades dos filamentos protéicos, caracterizando o seu potencial enzimático. Após esse estágio as enzimas formadas são empacotadas em vesículas que se desprendem do aparelho golgiense, constituindo o lisossomo. A este estado de pré-formação dá-se o nome de lisossomo primário e quando em ação funcional propriamente dita, formado: o vacúolo digestivo, o vacúolo autofágico e corpo residual, recebem a denominação de secundário. Quanto ao aspecto interno da vesícula lisossômica, esta possui um pH por volta de 5, um potencial hidrogeniônico ácido em virtude do conteúdo, visto que as enzimas são chamadas de hidrolases ácidas. Durante o processo digestivo, os lisossomos podem tanto asociar-se a fogossomos quanto a pinossomos (denominação que condiz com a consistência das substâncias ou partículas engolfadas), formando o vacúolo digestivo. À medida que a digestão se processa, as moléculas necessárias ao metabolismo da célula atravessam a membrana do vacúolo dispersando-se pelo hialoplasma. O material não digerido constitui o corpo residual, eliminado por exocitose (clasmocitose ou defecação celular). 16---- Os lisossomos são também responsáveis pela autofagia, ou seja, a digestão gradual de componentes da própria célula. O primeiro passo da autofagia é um mecanismo de envolvimento da organela a ser digerida por uma membrana derivada do retículo endoplasmático, formando então uma vesícula denominada autofagossomo. Esse autofagossomo, de maneira análoga ao fagossomo, se funde ao lisossomo ocorrendo então a digestão de seu conteúdo. lembrando que o lisossomo é uma organela pertencente a uma célula!
  4. 4. 17----Um exemplo de doença causada por mau-funcionamento dos lisossomos é a doença de Tay-Sachs. A falta de um tipo de enzima nessas estruturas torna a pessoa incapaz de digerir e reaproveitar uma substância presente na própria membrana plasmática. O acúmulo dessa substância leva a um retardo mental grave, com morte prematura. Os lisossomos surgem como se fossem pequenos brotos liberados do sistema golgiense, isto é, não apresentam capacidade de replicação autônoma, como acontece com os cloroplastos ou as mitocôndrias. Assim sendo não constituem, de fato, estruturas transmissíveis de pais para filhos. No entanto, as enzimas contidas nos lisossomos são codificadas por genes que estão presentes nos cromossomos, lá no núcleo das células. E estes sim, são transmitidos pelas gerações, sendo por isso, uma doença hereditárIO 18--- 19--- Os microtúbulos são os mais espessos, os mais grossos, possuindo 25 nanômetros de espessura. São formados por proteínas , as tubulinas, que por sua vez se dividem em α (alfa) e β (beta), e em duas subunidades, então quando duas dessas subunidades se ligam formam uma tubulina. E quando varias tubulinas se ligam, a parte alfa de uma com a parte beta da outra, formam protofilamentos, e treze desses protofilamentos unidos, formam um microtúbulo. Vale lembrar também que, além das tubulinas α (alfa) e β (beta), existe as γ-tubulina (gamatubulinas) que possuem papel fundamental na formação dos microtubulos, pois são como "moldes em forma de anel" por onde a polimerização das outras tubulinas se orientam. Os microfilamentos são formados por várias moléculas de uma proteína globular denominada actina. Juntamente com outra proteína, denominada miosina, os microfilamentos compõem as principais estruturas do mecanismo contrátil da célula: são eles os responsáveis pela contração e distensão das células musculares. Além disso, participam de outros processos, tais como movimentos citoplasmáticos (cicloses) e movimentos amebóides. Cicloses são correntes citoplasmáticos capazes de deslocar organelas como mitocôndrias, vacúolos digestivos e cloroplastos. Em alguns casos, como na ameba, a movimentação do citoplasma altera a forma da célula, podendo provocar seu deslocamento. Por essa razão esse processo recebe o nome de movimento amebóide. Nos movimentos amebóides o deslocamento ocorre pela formação de projeções citoplasmáticas que recebem o nome de pseudópodes ( pseudo = falsos; podes = pés ) A ciclose ou movimentação de organelas no citoplasma ocorre devido à presença de certos microfilamentos.Estes são polímeros lineares,não remificados,formados por várias unidades de actina. 20- microtúbulos~> são formados pela proteína globular tubulina e partem do centrossomo. FUNÇÃO~> suporte estrutural da célula,formação dos fusos meiótico e mitótico nas divisões celulares e formação de centríolos,cílios e flagelos. Microfilamentos ~> formados pela proteína globular actina. Concentram-se no citoplasma,próximos à membrana plasm. FUNÇÃO~> suporte para estruturas como as microvilosidades,participam da movimentação dentro do citoplasma e do processo de separação das células na divisão celular. Também formam,junto com a proteína miosina,os principais componentes contráteis das células musculares 21- Composto por 3 tipos de filamentos protéicos 1. Microfilamentos (filamentos de actina) 7 nm  2. Filamentos Intermediários 10 nm  3. Microtúbulos 25 nm  22-

×