Opinião Reflexiva
Uma conversa sobre poéticas artísticas,
discussão de pensamentos sociais e políticos e
novas possibilida...
● Qual é sua poética em arte?
→ Em quem consiste esta poética, quais as
bases que tem tomado para criar seu
pensamento?
→ ...
Lascaux, lascô e fudeu...
Qual continente fica o Egito???
O ideal do ocidente
O império antes da Europa
O início da Europa
A Europa medieval
O Renascimento europeu
A influência da religião na arte por
mais de mil anos
O ideal da nobreza
E viva o sufrágio universal
e o naufrágio do homem
Até aí tá fácil, né?!
● Todos concordamos que as imagens vistas são bem familiares a
nós?
● Tem algum período que se famil...
Tá bom;
vamos fazer um teste?
Leandro Joaquim, Vista da Lagoa do Boqueirão e Aqueduto de Santa Teresa,
1790
óleo sobre tela, 86x105 cm, Museu Histórico ...
Jean-Baptiste Debret,
Retrato de El-Rei Dom João VI, 1817
óleo sobre tela, 60x42
Museu Nacional de Belas Artes
Retrato do Intrépido
Marinheiro Simão, carvoeiro
do vapor Pernambucana, 1853
Louis Thérier
Simão, o Herói do Vapor Pernanbucana,
1853.
Litografia
José Correia de Lima
● O retrato do primeiro herói negro em 1853:
● O Rio de Janeiro; Sua História, Monumentos, Homens Not...
Pedro Américo, A Batalha de Avahy, 1877
óleo sobre tela 6x11m
Museu Nacional de Belas Artes
Pedro AMÉRICO, Paz e Concórdia, 1895
40x62cm
Museu de Arte de São Paulo - MASP
Modesto Brocos, Redenção de Cã,
1895
óleo sobre tela, 199x166cm
Museu Nacional de Belas Artes
Modesto Brocos
● Talvez a obra seja um marco no processo de miscigenação e eugenia traduzida pelo
espanhol Modesto Brocos....
Anita Malfatti
●
Principal figura do movimento de arte moderna e da semana de 22 (1922).
● Uma das maiores promessas da va...
● E foi assim que Monteiro Lobato deu fim a carreira de Anita Malfatti; a
elite paulistana recusou seus trabalhos depois d...
● E houve mais críticas de Monteiro Lobato;
“Teorizam aquilo com grande dispêndio de palavreado técnico, descobrem
na tela...
Vicente do Rego Monteiro, Atirador de Arcos, 1925
óleo sobre tela, 65x81cm
Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, Recife
E aí; você acredita em que tipo de
arte?
● Isso não é um bombardeio sobre suas poéticas
artísticas!
● Isso não é uma trans...
Cultura elitizada e hegemônica x
Cultura da periferia e de resistência.
● O quadro inalcançável do museu e o tão fácil muro de pular do grafite.
● Clamamos por Tarsílas, Oswalds, Di Cavalcantis,...
Pensamento; "Opinião Reflexiva, ou Elitização do Pensamento em Arte?"
Pensamento; "Opinião Reflexiva, ou Elitização do Pensamento em Arte?"
Pensamento; "Opinião Reflexiva, ou Elitização do Pensamento em Arte?"
Pensamento; "Opinião Reflexiva, ou Elitização do Pensamento em Arte?"
Pensamento; "Opinião Reflexiva, ou Elitização do Pensamento em Arte?"
Pensamento; "Opinião Reflexiva, ou Elitização do Pensamento em Arte?"
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pensamento; "Opinião Reflexiva, ou Elitização do Pensamento em Arte?"

333 visualizações

Publicada em

Um papo no Cafofo do Artista sobre pensamento, política, sociedade e os novos suportes em arte. Mais em https://www.youtube.com/watch?v=0GAxtfEB3hA&list=UUfxDDkznGCzR-Ydk6MqaerQ

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pensamento; "Opinião Reflexiva, ou Elitização do Pensamento em Arte?"

  1. 1. Opinião Reflexiva Uma conversa sobre poéticas artísticas, discussão de pensamentos sociais e políticos e novas possibilidades na arte
  2. 2. ● Qual é sua poética em arte? → Em quem consiste esta poética, quais as bases que tem tomado para criar seu pensamento? → Quais suas referências históricas diante de um quadro em constante mudança tecnológica? → Sua arte deve se prestar a que? → Como tem visto a arte atualmente?
  3. 3. Lascaux, lascô e fudeu...
  4. 4. Qual continente fica o Egito???
  5. 5. O ideal do ocidente
  6. 6. O império antes da Europa
  7. 7. O início da Europa
  8. 8. A Europa medieval
  9. 9. O Renascimento europeu
  10. 10. A influência da religião na arte por mais de mil anos
  11. 11. O ideal da nobreza
  12. 12. E viva o sufrágio universal e o naufrágio do homem
  13. 13. Até aí tá fácil, né?! ● Todos concordamos que as imagens vistas são bem familiares a nós? ● Tem algum período que se familiarize e beba de sua poética? ● O que houve no oriente? ● A África (estou falando do continente, sim, o mesmo continente onde está o Egito) subsaariana ocorreu o que além da escravidão? ● Você acredita que a universidade formou uma opinião ampla sua ou restringiu sua visão a um eurocentrismo?
  14. 14. Tá bom; vamos fazer um teste?
  15. 15. Leandro Joaquim, Vista da Lagoa do Boqueirão e Aqueduto de Santa Teresa, 1790 óleo sobre tela, 86x105 cm, Museu Histórico Nacional ● Retrato do cotidiano? Ou uma propaganda do governo mostrando uma obra pública? ● Os arcos da Lapa existem até hoje, porém numa paisagem diferente, mais modernizada. ● Alto/esquerdo da tela podemos reparar o convento (a religião ocupa um lugar importante na cena, o alto, como falado anteriormente da obra de Pedro Américo, Tiradentes Esquartejado, 1893. ● Centro da composição temos os arcos, a obra de engenharia da época. ● Logo abaixo a lagoa do Boqueirão e pessoas que se divertem nela. ● Parece haver grande harmonia entre os personagens da cena.
  16. 16. Jean-Baptiste Debret, Retrato de El-Rei Dom João VI, 1817 óleo sobre tela, 60x42 Museu Nacional de Belas Artes
  17. 17. Retrato do Intrépido Marinheiro Simão, carvoeiro do vapor Pernambucana, 1853
  18. 18. Louis Thérier Simão, o Herói do Vapor Pernanbucana, 1853. Litografia
  19. 19. José Correia de Lima ● O retrato do primeiro herói negro em 1853: ● O Rio de Janeiro; Sua História, Monumentos, Homens Notáveis, Usos e Curiosidades, Moreira de Azevedo, 1877: “Naufragando em 09 de outubro de 1853 o vapor Pernambucana ao sul da Laguna, morreram 28 pessoas, salvaram-se 42, e destas 13 deveram sua vida ao intrépido marinheiro Simão, que treze vezes transpôs a nado as ondas, venceu insuperáveis perigos, expôs-se à morte conseguindo arrancar das profundezas do mar, entre outros, um cego, um militar que tinha uma perna a menos...”
  20. 20. Pedro Américo, A Batalha de Avahy, 1877 óleo sobre tela 6x11m Museu Nacional de Belas Artes
  21. 21. Pedro AMÉRICO, Paz e Concórdia, 1895 40x62cm Museu de Arte de São Paulo - MASP
  22. 22. Modesto Brocos, Redenção de Cã, 1895 óleo sobre tela, 199x166cm Museu Nacional de Belas Artes
  23. 23. Modesto Brocos ● Talvez a obra seja um marco no processo de miscigenação e eugenia traduzida pelo espanhol Modesto Brocos. ● 1859 – Charlles Darwin lança seu livro; Origem da Espécies, onde ele trata da questão da seleção natural (ambiente seleciona espécies mais adaptadas) ● Surge a teoria (ATENÇÃO!!! Não é uma teoria criada por Darwin) Darwinismo social; → Defende a superioridade da raça branca europeia → A raça branca é a portadora do conhecimento e esta deverá levá-lo às raças inferiores; negros e índios → Defende que grupos populacionais mais desenvolvidos devem dominar grupos populacionais menos desenvolvidos, ou socialmente inferiores → Defende ainda como “fardo” do europeu levar cultura aos selvagens
  24. 24. Anita Malfatti ● Principal figura do movimento de arte moderna e da semana de 22 (1922). ● Uma das maiores promessas da vanguarda de arte no Brasil, trazia da Europa uma vasta bagagem do aprendizado alemão. ● 1918 – expões trabalhos na rua Libero Badaró junto com amigos americanos; trazia um ar de novidade internacional e com isso Monteiro Lobato, um crítico de arte da época emite a seguinte crítica no jornal O Estado de São Paulo; “A respeito da exposição Malfatti” “Há duas espécies de artistas. Uma composta dos que veem normalmente as coisas(..) A outra espécie é formada pelos que veem anormalmente a natureza e interpretam-na à luz de teorias efêmeras, sob a sugestão estrábica de escolas rebeldes, surgidas cá e lá como furúnculos da cultura excessiva. (...) Embora eles se deem como novos, precursores de uma arte a vir, nada é mais velho do que a arte anormal ou teratológica: nasceu com a paranoia e com a mistificação.(...) Essas considerações são provocadas pela exposição da senhora. Malfatti onde se notam acentuadíssimas tendências para uma atitude estética forçada no sentido das extravagâncias de Picasso e companhia”.
  25. 25. ● E foi assim que Monteiro Lobato deu fim a carreira de Anita Malfatti; a elite paulistana recusou seus trabalhos depois de dada a crítica. ● O nacionalismo exacerbado de Monteiro Lobato não permitiu que ele visse além de estrangeirismos na obra de Malfatti, para ele, Anita não trazia o novo “brasileiríssimo” e sim modismos da velha Europa. ● Para Lobato a obra deveria prestar-se ao senso histórico, ao nacionalismo e ir além de sua plástica, a obra deveria ter premissas ideológicas. Pouco depois o mesmo Monteiro Lobato fora acusado até de nazista devido ao seu extremo nacionalismo. ● Devemos lembrar que na Europa os movimentos do cubismo, futurismo e expressionismo sofriam com as críticas em sua maioria.
  26. 26. ● E houve mais críticas de Monteiro Lobato; “Teorizam aquilo com grande dispêndio de palavreado técnico, descobrem na tela intenções inacessíveis ao vulgo, justificam-nas com independência de interpretação do artista; a conclusão é que o público é uma besta e eles, os entendidos, um grupo genial de iniciados nas transcendências sublimes duma Estética Superior.” ● E quanto ao público que visita a exposição segue a crítica; “Nenhuma impressão de prazer ou de beleza denunciam as caras; em todas se lê o desapontamento de quem está incerto, duvidoso de si próprio e dos outros, incapaz de raciocinar e muito desconfiado de que o mistificaram grosseiramente.” ● Quanto a Anita; sua expressão era a estranheza, a opressão e a vergonha; traços característicos do expressionismo e nos perguntamos diante do quadro; - E é amarelo por quê? Por que, meu deus? - é amarelo porque assim o é e será e pessoas erradas são assim. “É a humanidade exilada de sua condição humana.” - Rafael Cardoso, Arte Brasileira em 25 quadros, Record, pag. 179.
  27. 27. Vicente do Rego Monteiro, Atirador de Arcos, 1925 óleo sobre tela, 65x81cm Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, Recife
  28. 28. E aí; você acredita em que tipo de arte? ● Isso não é um bombardeio sobre suas poéticas artísticas! ● Isso não é uma transformação sobre seu jeito de ver política! ● Isso não é um jeito de dar uma nó em sua cabeça! ● Afinal; em que arte acredita. Na que se pendura na parede ou enfeita o centro de uma sala/galeria?
  29. 29. Cultura elitizada e hegemônica x Cultura da periferia e de resistência.
  30. 30. ● O quadro inalcançável do museu e o tão fácil muro de pular do grafite. ● Clamamos por Tarsílas, Oswalds, Di Cavalcantis, Portinaris; nós ou a elite. A periferia continua a produzir seus grafites, sambas e movimentos culturais; quem parou foi a elite. Passamos pela imbecilização da elite? ● A cultura de massa que tanto falamos; parte do povo ou da elite dominadora de mídias que massifica isso ao povo? ● Cynara Menezes, autora do blog Socialista Morena; “...Com a diferença de que, para eles, não será só uma paixão intelectual. Sentiram na pele o que estão falando. Escreverão com as vísceras. E é essa, para mim, a melhor definição de arte, sempre: aquela que vem das vísceras.”

×