InFORMe   publICItáRIO                         SPED          cOntribuiçõES           uma nOva EtaPa cOmEça aQui           ...
i n form e   p u b l ici t á rio                                   SPED   Outro   nome.   novas   obrigações    Antes deno...
i n form e   p u b l ici t á rio                                     SPED    “A EFD-Contribuições fez o    Fisco trocar o ...
InFORMe    publICItáRIO                                    SPED   aponta, ainda, uma vantagem: a oportunidade             ...
i n form e   p u b l ici t á rio                                     SPED                                                 ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revista EXAME - maio 2012 - Especial SPED

1.458 visualizações

Publicada em

Revista EXAME - maio 2012 - Especial SPED

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.458
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista EXAME - maio 2012 - Especial SPED

  1. 1. InFORMe publICItáRIO SPED cOntribuiçõES uma nOva EtaPa cOmEça aQui este ano mais de 1,3 milhão de empresas serão integradas ao Sped, avançado sistema de escrituração digital que visa combater a sonegação e racionalizar os processos contábeis
  2. 2. i n form e p u b l ici t á rio SPED Outro nome. novas obrigações Antes denominada EFD-PIS/ 150 000 empresas do lucro real em dois anos. Finalmente, eis o surgimento em tempo recorde do Cofins, a EFD-Contribuições Sped Contábil mais complexo e detalhado, a EFD- deixa de ser uma Contribuições, originalmente denominada EFD-PIS/ Cofins. “Esses três componentes do sistema têm escrituração para virar cumprido os objetivos iniciais”, comenta o professor uma obrigação contábil Roberto Dias Duarte, autor de livros e um dos mais requisitados especialistas no assunto. A té o fim deste ano, as 150 000 pessoas Outra obrigação jurídicas sujeitas à tributação com base no A EFD-Contribuições deve gerar grande lucro real deverão se multiplicar quase nove impacto para as empresas. “O objetivo é vezes com o ingresso de mais 1,3 milhão de empresas, estruturar uma escrituração que não era feita a maioria organizações de micro ou pequeno porte adequadamente pelas empresas, quando era que optaram pelo lucro presumido. Este é mais um feita. Diferente dos outros subprojetos do SPED, movimento decisivo da implantação do projeto SPED agora é uma nova obrigatoriedade”, explica – Sistema Público de Escrituração Digital, que nasceu o empresário e especialista em tributação José com a meta de combater a concorrência desleal e Adriano Pinto. Isso implicou a escrituração ser racionalizar as obrigações acessórias. feita a partir de documentos fiscais e provocou Os números dessa iniciativa impressionam. um tsunâmi nos processos adotados. “Antes, a Iniciado em 2005, o SPED hoje abrange 800 000 escrituração se baseava nas receitas, em uma empresas emissoras e milhões de receptores de visão essencialmente contábil; agora, muitas documentos fiscais digitais. O SPED Fiscal, surgido empresas transferiram a responsabilidade pela no ano seguinte, pretende incluir até 2014 cerca de geração do arquivo para a área fiscal”, afirma 1,5 milhão de empresas contribuintes de ICMS e José Maria Chapina Alcazar, presidente do IPI, um número que não leva em conta os optantes Sescon-SP, sindicato das empresas de serviços pelo Simples, ainda não incluídos pela maioria contábeis. “A EFD-Contribuições permitiu deslocar dos estados. O SPED Contábil, por sua vez, incluiu para a tecnologia o trabalho manual de análise
  3. 3. i n form e p u b l ici t á rio SPED “A EFD-Contribuições fez o Fisco trocar o trabalho manual pelo refino e análise da documentação” Jorge Campos, profissional fiscal e tributário e qualidade dos dados, deixando para o Fiscal o refino e a análise da documentação de referência”, complementa o moderador de redes sociais sobre SPED Jorge Campos, experiente profissional da área fiscal e tributária. “Este é o maior desafio do SPED, pela quantidade de empresas que ingressarão pela primeira vez no ambiente da escrituração digital”, diz Mauro Negrune, especialista em soluções de tecnologia de informação, inclusive as aplicadas ao SPED. transparentes à fiscalização”, conclui o especialista e Nova mecânica empresário Fabio Rodrigues de Oliveira. “Se o SPED como um todo traz grandes impactos para as empresas brasileiras, a EFD-Contribuições Benefícios é considerada a etapa mais complexa do sistema Como ocorre com os demais subprojetos do até agora”, destaca Chapina. “A EFD-Contribuições SPED, este é um modelo em que todos ganham. foi criada para unificar, racionalizar, agilizar o Para o Fisco, o maior benefício é a transparência da processo creditório do PIS e da COFINS, além de apuração e a drástica redução da sonegação fiscal trazer a principal fonte de arrecadação federal e fraudes, pois há maior eficiência da administração para o universo SPED”, comemora Jorge Campos. tributária, graças à padronização e consistência das A nova mecânica deve revolucionar procedimentos, informações. “Anteriormente, cada empresa fazia da como explica Diógenes Andrade, empresário forma que melhor entendia, e, em muitas das vezes, especializado em soluções fiscais: “O formato quando questionadas pelo Fisco, não conseguiam anterior tornava muito difícil para o Fisco conferir os comprovar a apuração”, completa José Adriano. lançamentos. Com a nova obrigação, as empresas Já as empresas ganham em agilização, deixam de entregar um demonstrativo e fazem, isso simplificação dos processos e consequente redução sim, uma escrituração”. Chapina também destaca de custos, como o fim do armazenamento de que o cenário exige grande detalhamento das documentos. O melhor controle na escrituração informações. Isso se traduz em alinhamento da área de informações também permitirá ao contribuinte tributária com a tecnologia da empresa, adoção uma base de dados mais consolidada e consistente de controles internos de gestão, necessidade de com a sua operação. Jorge Campos lembra auditoria das informações, entre outros desafios. que o principal ganho para as organizações foi Sem falar da adaptação e do acompanhamento a possibilidade de rever a sua sistemática de contínuo das constantes mudanças das exigências apropriação de créditos, corrigir processos internos fiscais. “O impacto maior é o contribuinte ficar bem e otimizar a recuperação de créditos relacionados mais exposto à fiscalização. Equívocos tornaram-se às contribuições do PIS e da Cofins. Chapina
  4. 4. InFORMe publICItáRIO SPED aponta, ainda, uma vantagem: a oportunidade Além da capacitação dos profissionais por de profissionalização que as empresas brasileiras meio de cursos presenciais ou online, o projeto ganham diante da qualidade das informações Sped introduziu no mercado um grande número exigidas a partir de agora. Mauro negrune destaca de empresas desenvolvedoras de soluções fiscais também o novo papel dos escritórios contábeis e de auditorias digitais. Jorge Campos recomenda tradicionais mediante o surgimento do Sped: cuidado na contratação. “nem todas fazem as “eles viverão uma nova realidade e terão que auditorias e os cruzamentos adequados para garantir modernizar-se e oferecer serviços mais complexos”. o ‘sono dos justos’ ao responsável pelas informações. Há consultorias com limitações de mão de obra, o tEcnOlOgiaS DE aPOiO que pode levar a um apagão da contabilidade.” para atender aos requisitos de um sistema inédito e complexo, o contribuinte precisa contar agora cuiDaDOS ESPEciaiS com a sofisticação de mecanismos de controle e de “não é possível atender satisfatoriamente às assessoria especializada que evitem não só incorrer exigências do Fisco sem a utilização de boas normas em erros como também explorar as possibilidades de de contabilidade e a adoção de controles internos otimização de seus recursos. desde 2006, quando de gestão.” O alerta é de Chapina, que lembra que o Sped começou, as empresas têm se preparado de a simples assinatura, validação e envio do arquivo formas diferentes. Algumas se estruturaram para a da eFd-Contribuições ao sistema não garante nova demanda, enquanto outras preferiram esperar que esteja tudo certo, ou que a empresa não terá para ver como ficava. O mercado de fornecedores, passivos tributários. para evitar problemas fiscais, por sua vez, reagiu com oferta de soluções que as áreas tributárias e de tecnologia da informação vão da prevenção à aderência às novas regras. das empresas devem estar em constante sintonia. “As empresas e os escritórios de contabilidade Há, ainda, um difícil caminho a percorrer não têm hoje um leque enorme de opções de mercado, só em controles como na interpretação das regras. que disponibilizam desde informações, capacitação, É que a legislação que cobre o assunto é confusa, auditoria, consultoria, validação de dados antes complexa e instável. Roberto dias duarte afirma do envio ao Fisco até soluções especializadas que há um verdadeiro cipoal de leis. ele cita uma em Sped”, afirma José Adriano. coletânea da própria Receita Federal que indica a linha DE ObrigatOriEDaDE no resumo dos projetos do Sped, estão eCd (Sped Contábil), eFd (escrituração Fiscal digital) ICMS/IpI, nF-e etc., com o ano em que foram instituídos e empresas incluídas. A eFd-Contribuições é exceção pelo prazo muito curto para 1,5 milhão de empresas se adaptarem 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 ECD (SPED Contábil) INSTITUÍDA 11 800 141 500 156 900 EFD ICMS/IPI INSTITUÍDA 30 000 159 000 1,5 mi NF-e INSTITUÍDA 500 2 500 15 000 445 000 700 000 EFD-Contribuições INSTITUÍDA 1,5 mi CT-e INSTITUÍDO MT MA NACIONAL FCONT INSTITUÍDO 6 000 150 000 e-LALUR INSTITUÍDO 150 000 EFD-Social PREVISÃO Fonte: Roberto Dias Duarte, com dados da RFB e SEFAZ
  5. 5. i n form e p u b l ici t á rio SPED organizações que processam a contabilidade das “Este é o maior desafio micro e pequenas empresas se adaptarem. É irreal do SPED, pelo número de e ilógico”, reclama Duarte. empresas pela primeira vez em escrituração digital” O caminho das pedras Mauro Negrune, especialista em soluções de TI Para atender à legislação e assegurar a integração digital entre empresas e organizações contábeis, Roberto Dias Duarte recomenda observar três itens existência até julho de 2010 de nada menos que fundamentais. O primeiro deles é tecnologia: as sessenta leis, três medidas provisórias, sessenta empresas precisam implantar sistemas de controle decretos presidenciais, quatro portarias, sessenta e gestão que permitam ao Fisco auditar o cálculo instruções normativas, 38 da Receita Federal e 38 realizado para cada contribuição, seguindo assim atos declaratórios. Já em 2011, foram publicados mais princípios de governança corporativa. O segundo são de 500 atos normativos sobre Cofins e, em 2012, os processos, evitando que as informações enviadas às foram mais de 45 novas normas. “Certamente, o autoridades sejam inexatas, incoerentes ou inexistentes. número é bem maior que este, pois até a autoridade Finalmente, o terceiro fator refere-se ao comportamento. fiscal já desistiu de atualizar o documento. Há, ainda, Como nesse modelo todos os funcionários são uma quantidade incalculável de soluções de consulta, responsáveis por algum tipo de informação fiscal soluções de divergência e disputas judiciais sobre o – faturamento, entrada de mercadorias, cadastro tema”, ele conclui. Somem-se a este contexto situações de clientes, produtos e fornecedores, apuração dos de imunidades, isenções, suspensão de incidência, tributos, controle financeiro –, eles precisam ter a regimes especiais para tratamento diferenciado a percepção de que uma informação digitada errada alguns setores, entre outros fatores, como incidência pode gerar penalidades graves. cumulativa ou não. Há também a obrigatoriedade de apresentação do Demonstrativo de Apuração Desafios de Contribuições Sociais (Dacon), uma declaração “Se por um lado temos um movimento do Fisco em que as empresas informam à Receita Federal rumo à inteligência eletrônica – tão irreversível quanto dados consolidados sobre a apuração do PIS a fotografia digital, mídias sociais, e-books, convergência e da Cofins com base na folha de salários. de mídias e mobilidade, por outro há uma complexidade Diante de tantas regras e relatórios, a apuração crescente no sistema tributário, acompanhada de detalhada e o pagamento das contribuições uma volatilidade quântica das regras que compõem exigem bastante cuidado, a fim de evitar este intrincado sistema”, resume Dias Duarte. É dele pesadas multas causadas por erros ou atrasos também a previsão do que se espera pela frente. na entrega dos relatórios. “Na prática, estamos Neste caminho sem volta, é uma questão de tempo automatizando processos fiscais e tributários que até que todas as empresas adotem tecnologias de ainda não estão definidos, nem mesmo pelas apoio à gestão. Para esse gigantesco sistema que autoridades fiscais. O nível de precisão exigido integra tanto áreas internas quanto empresas, a pela EFD-Contribuições é inexequível a partir segurança dos documentos fiscais é vital. Diante de da tecnologia de gestão empresarial atualmente tanta volatilidade nas regras tributárias, as soluções disponível. Além disso, todos os projetos anteriores utilizarão, imprescindivelmente, tecnologia de nuvem. do SPED tiveram um prazo razoável. A exceção é “Seria uma insanidade imaginar atualizações quase a EFD-Contribuições.” Instituida em julho de 2010, diárias em uma base instalada de 6 milhões de usuários obriga todas as empresas a aderir em apenas de sistemas estabelecidos em organizações distribuídas dois anos. “O principal problema é o prazo para por mais de 5 000 municípios, conclui Dias Duarte.

×