Palestra: Segurança da Informação no Mundo Pós-SPED

1.125 visualizações

Publicada em

Palestra: Segurança da Informação no Mundo Pós-SPED - CRC/PR

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.125
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
95
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra: Segurança da Informação no Mundo Pós-SPED

  1. 1. FRAUDES NO MUNDO PÓS-SPED prof. Roberto Dias com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada. Esta obra foi licenciada Duarte Photographer: Reutersterça-feira, 13 de setembro de 11
  2. 2. FRAUDES NO MUNDO PÓS-SPED prof. Roberto Dias com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada. Esta obra foi licenciada Duarte Photographer: Reutersterça-feira, 13 de setembro de 11
  3. 3. COM LICENÇA, SOU O ROBERTO prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  4. 4. COM LICENÇA, SOU O ROBERTO “Conheço apenas minha ignorância” prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  5. 5. ONDE VIVO? prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  6. 6. ONDE VIVO? @robertoduarte www.robertodiasduarte.com.br prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  7. 7. O QUE EU FAÇO? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  8. 8. O QUE EU FAÇO? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  9. 9. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  10. 10. POR QUE ESTOU AQUI? 1.O QUE É FRAUDE? 2.O QUE É SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO? 3.POR QUE PRECISO SABER ESSAS COISAS? 4.O QUE DEVO FAZER? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  11. 11. PARA COMEÇAR: VOCÊ ARRISCARIA? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  12. 12. PARA COMEÇAR: VOCÊ ARRISCARIA? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  13. 13. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  14. 14. ENTÃO, O QUE É FRAUDE? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  15. 15. O QUE É FRAUDE? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  16. 16. O QUE É FRAUDE? É um esquema ilícito ou de má fé criado para obter ganhos pessoais. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  17. 17. SÓ HÁ FRAUDE, SE EXITE GOLPISTA... Ineficiência das leis; incerteza da pena; incerteza jurídica; existência de oportunidades; pouca fiscalização. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  18. 18. SÓ HÁ GOLPISTA, PORQUE EXITE VÍTIMA... Pouca informação e divulgação preventivas; ignorância e ingenuidade; ganância; o desrespeito às leis é considerado comportamento “normal”. prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  19. 19. E... QUANTO PIOR A GESTÃO, MAIS FRAUDES! percepção do problema como não prioritário; despreparo das autoridades e empresários; falta coordenação de ações contra fraudadores; pouca clareza nas leis. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  20. 20. MAS PRINCIPALMENTE PORQUE... o desrespeito às leis é considerado comportamento “normal”. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  21. 21. MAS PRINCIPALMENTE PORQUE... o desrespeito às leis é considerado comportamento “normal”. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  22. 22. VÍTIMA OU GOLPISTA? prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  23. 23. VÍTIMA OU GOLPISTA? prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  24. 24. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  25. 25. O QUE É SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  26. 26. AMEAÇA? prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  27. 27. AMEAÇA? Causa potencial de um incidente, que caso se concretize pode resultar em dano prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  28. 28. VULNERABILIDADE? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  29. 29. VULNERABILIDADE? Falha (ou conjunto) que pode ser explorada por ameaças prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  30. 30. INCIDENTE? Evento que comprometa a operação do negócio ou cause dano aos ativos da organização prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  31. 31. INCIDENTE? Evento que comprometa a operação do negócio ou cause dano aos ativos da organização prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  32. 32. IMPACTO? Resultados de incidentes prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  33. 33. ENTENDEU? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  34. 34. ENTENDEU? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  35. 35. ANÁLISE DE RISCO prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  36. 36. ANÁLISE DE RISCO Transfere Mitiga Impacto Aceita Reduz Probabilidades prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  37. 37. ATIVO DIGITAL? “Um ativo intangível é um ativo não monetário identificável sem substância física ou, então, o ágio pago por expectativa de rentabilidade futura (goodwill)” Fonte: http://www.cpc.org.br prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  38. 38. ASSINATURA DIGITAL prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  39. 39. ASSINATURA DIGITAL É um método de autenticação de informação digital Não é Assinatura Digitalizada! Não é Assinatura Eletrônica! prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  40. 40. CASO REAL prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  41. 41. CASO REAL prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  42. 42. CARIMBO DO TEMPO prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  43. 43. CARIMBO DO TEMPO prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  44. 44. MP 2.200 - AGOSTO/2001 prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  45. 45. MP 2.200 - AGOSTO/2001 “As declarações constantes dos documentos em forma eletrônica produzidos com a utilização de processo de certificação disponibilizado pela ICP-Brasil presumem-se verdadeiros em relação aos signatários” (Artigo 10o § 1o) prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  46. 46. ATRIBUTOS DO ATIVO DIGITAL prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  47. 47. ATRIBUTOS DO ATIVO DIGITAL Integridade Autenticidade Não repúdio Confindencialidade Disponibilidade Auditabilidade prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  48. 48. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SERVE PARA... prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  49. 49. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SERVE PARA... Proteção do ativo informacional, através de: Orientações Normas Procedimentos Políticas Tecnologias prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  50. 50. prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  51. 51. POR QUE PRECISO SABER ESSAS COISAS? prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  52. 52. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI CT-e CF-e EFD/CIAP Brasil-id CC-e EFD PIS/COFINS Siniav EFD/FOLHA NF-e SPED Contábil NFS-e EFD Contábil CF-e CC-e Cliente NF-e NFS-e CF-e CC-eterça-feira, 13 de setembro de 11
  53. 53. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI CT-e NF-e: 650mil CF-e Brasil-id EFD/CIAP emissores CC-e EFD PIS/COFINS Siniav EFD/FOLHA 3 bilhões emitidas NFS-e: 450 NF-e SPED Contábil municípios NFS-e EFD Contábil CF-e CC-e Cliente NF-e NFS-e CF-e CC-eterça-feira, 13 de setembro de 11
  54. 54. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI CT-e NF-e: 650mil CF-e CT-e: 28milhões Brasil-id EFD/CIAP emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA 3 bilhões emitidas NFS-e: 450 NF-e SPED Contábil municípios NFS-e EFD Contábil CF-e CC-e Cliente NF-e NFS-e CF-e CC-eterça-feira, 13 de setembro de 11
  55. 55. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI EFD/CIAP ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? CC-e Cliente NF-e NFS-e CF-e CC-eterça-feira, 13 de setembro de 11
  56. 56. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI EFD/CIAP ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? CC-e EFD PIS/COFINS em 2012: Cliente 178mil PJ Lucro Real + 1.370 mil PJ Lucro NF-e Presumido NFS-e CF-e CC-eterça-feira, 13 de setembro de 11
  57. 57. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI EFD/CIAP ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? ECD: 178mil Lucro CC-e Real EFD PIS/COFINS em 2012: Cliente FCONT: 178mil Lucro 178mil PJ Lucro Real Real + 1.370 mil PJ Lucro NF-e Presumido NFS-e CF-e CC-eterça-feira, 13 de setembro de 11
  58. 58. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI EFD/CIAP ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? ECD: 178mil Lucro CC-e Real EFD PIS/COFINS em 2012: Cliente FCONT: 178mil Lucro 178mil PJ Lucro Real Real + 1.370 mil PJ Lucro Presumido Quem recebe NF-e NFS-e NF-e e NFS-e? CF-e CC-eterça-feira, 13 de setembro de 11
  59. 59. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI EFD/CIAP ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? ECD: 178mil Lucro CC-e Real EFD PIS/COFINS em 2012: Cliente FCONT: 178mil Lucro 178mil PJ Lucro Real Real + 1.370 mil PJ Lucro Presumido Quem recebe NF-e NFS-e NF-e e NFS-e? CF-e CC-e EFD SOCIAL: 2012terça-feira, 13 de setembro de 11
  60. 60. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI EFD/CIAP ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? ECD: 178mil Lucro CC-e Real EFD PIS/COFINS em 2012: Cliente FCONT: 178mil Lucro P/3: Produção: ???? 178mil PJ Lucro Real Real + 1.370 mil PJ Lucro Presumido Quem recebe NF-e NFS-e NF-e e NFS-e? CF-e CC-e EFD SOCIAL: 2012terça-feira, 13 de setembro de 11
  61. 61. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI EFD/CIAP ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 Brasil-ID: ? NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? ECD: 178mil Lucro CC-e Real EFD PIS/COFINS em 2012: Cliente FCONT: 178mil Lucro P/3: Produção: ???? 178mil PJ Lucro Real Real + 1.370 mil PJ Lucro Presumido Quem recebe NF-e NFS-e NF-e e NFS-e? CF-e CC-e EFD SOCIAL: 2012terça-feira, 13 de setembro de 11
  62. 62. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI EFD/CIAP ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais CF-e: ? emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 Brasil-ID: ? NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? ECD: 178mil Lucro CC-e Real EFD PIS/COFINS em 2012: Cliente FCONT: 178mil Lucro P/3: Produção: ???? 178mil PJ Lucro Real Real + 1.370 mil PJ Lucro Presumido Quem recebe NF-e NFS-e NF-e e NFS-e? CF-e CC-e EFD SOCIAL: 2012terça-feira, 13 de setembro de 11
  63. 63. ECOSSISTEMA FISCAL NF-e NFS-e EFD ICMS/IPI NF-e: 650mil CF-e CT-e DEC:EFD/CIAP ICMS/IPI ? EFD CT-e: 28milhões Brasil-id emissores CC-e EFD PIS/COFINS emitidos Siniav EFD/FOLHA mil estab. atual:159 3 bilhões 2012: demais CF-e: ? emitidas 2014: Al, AP, AM, ES, NFS-e: 450 Brasil-ID: ? NF-e MA, MS,SPED Contábil PR, PI, RS, RJ, municípios NFS-e RR, EFD Contábil SP e SE CF-e DF e PE: ????? ECD: 178mil Lucro CC-e Real EFD PIS/COFINS em 2012: Cliente FCONT: 178mil Lucro P/3: Produção: ???? 178mil PJ Lucro Real Real + 1.370 mil PJ Lucro Presumido Quem recebe NF-e NFS-e NF-e e NFS-e? CF-e CC-e EFD SOCIAL: 2012terça-feira, 13 de setembro de 11
  64. 64. TODOS CONHECEM A NOTA ELETRÔNICA? “Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, (...) Sua validade jurídica é garantida pela assinatura digital do remetente (garantia de autoria e de integridade) e pela recepção, pelo Fisco, do documento eletrônico, antes da ocorrência do fato gerador.” prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  65. 65. DOCUMENTO FISCAL DIGITAL prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  66. 66. DOCUMENTO FISCAL DIGITAL prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  67. 67. terça-feira, 13 de setembro de 11
  68. 68. terça-feira, 13 de setembro de 11
  69. 69. ALGUMAS VULNERABILIDADES NO MUNDO DO PÓS-SPED prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  70. 70. ESTAMOS CONFERINDO O ARQUIVO XML DA NF-E? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  71. 71. ESTAMOS CONFERINDO O ARQUIVO XML DA NF-E? Cláusula décima § 1º O destinatário deverá verificar a validade e autenticidade da NF-e e a existência de Autorização de Uso da NF-e. Ajuste SINIEF 07/2005 prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  72. 72. prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  73. 73. prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  74. 74. NOTA AUTORIZADA NÃO ME LIVRA DO "PASSIVO FISCAL" prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  75. 75. prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  76. 76. Cláusula quarta Ainda que formalmente regular, não será considerado documento fiscal idôneo a NF-e que tiver sido emitida ou utilizada com dolo, fraude, simulação ou erro, que possibilite, mesmo que a terceiro, o não -pagam ento do impos to o u qualquer outra vantagem indevida. Ajuste SINIEF 07/2005 prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  77. 77. SÓ POSSO CANCELAR NF-E SE NÃO HOUVE FATO GERADOR prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  78. 78. prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  79. 79. ATO COTEPE/ICMS Nº 33 /2008 Efeitos a partir de 01.01.12: Art. 1º Poderá o emitente solicitar o cancelamento da NF-e, em prazo não superior a 24 horas, contado do momento e m q u e fo i co n ce d i d a a re s p e ct i va Autorização de Uso da NF-e, desde que não tenha ocorrido a circulação da mercadoria ou a prestação de serviço e observadas às demais normas constantes do AJUSTE SINIEF 07/05, de 5 de outubro de 2005.  prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  80. 80. TENHO QUE ENVIAR O ARQUIVO XML AO DESTINATÁRIO E AO TRANSPORTADOR prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  81. 81. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  82. 82. Cláusula Sétima § 7º O emitente da NF-e deverá, obrigatoriamente, encaminhar ou disponibilizar download do arquivo da NF-e e seu respectivo Protocolo de Autor ização de Uso ao destinatário e ao transportador contratado, imediatamente após o recebimento da autorização de uso da NF-e. Ajuste SINIEF 07/2005 prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  83. 83. TENHO QUE GUARDAR O ARQUIVO XMLprof. Roberto Dias Duarte prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  84. 84. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  85. 85. Cláusula décima O emitente e o destinatário deverão manter a NF-e em arquivo digital, sob sua guarda e responsabilidade, pelo prazo estabelecido na legislação tributária, mesmo que fora da empresa, devendo ser d isp o n ibi l izado para a Adm in is tração Tr ibutár i a quando solicitado. (...) § 2º Caso o destinatário não seja contribuinte credenciado para a emissão de NF-e, alternativamente ao disposto no “caput”, o destinatário deverá manter em arquivo o DANFE relativo a NF-e da operação, devendo ser apresentado à administração tributária, quando solicitado. § 3º O emitente de NF-e deverá guardar pelo prazo estabelecido na legislação tributária o DANFE que acompanhou o retorno de mercadoria não recebida pelo destinatário e que contenha o motivo da recusa em seu verso. Ajuste SINIEF 07/2005 prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  86. 86. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  87. 87. Carta de correção não altera dados fiscais... CONVÊNIO S/Nº, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1970 § 1º-A Fica permitida a utilização de carta de correção, para regularização de erro ocorrido na emissão de documento fiscal, desde que o erro não esteja relacionado com: I - as variáveis que determinam o valor do imposto tais como: base de cálculo, alíquota, diferença de preço, quantidade, valor da operação ou da prestação; II - a correção de dados cadastrais que implique mudança do remetente ou do destinatário; III - a data de emissão ou de saída. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  88. 88. TROCA DE IDENTIDADES prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  89. 89. TROCA DE IDENTIDADES prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  90. 90. prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  91. 91. ENTÃO, O QUE DEVO FAZER? prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  92. 92. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  93. 93. Qual a causa das vulnerabilidades? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  94. 94. prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  95. 95. E as consequências? prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  96. 96. VAMOS FAZER O BÁSICO? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  97. 97. QUEM É O DONO DA BOLA? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  98. 98. QUEM É O DONO DA BOLA? Quem é o responsável pela gestão da informação? Quem definiu? políticas de segurança políticas de backup políticas de contingência prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  99. 99. TERMO DE COMPROMISSO prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  100. 100. TERMO DE COMPROMISSO Formaliza responsabilidades: Sigilo de informações Cumprimento de normas de segurança Conduta ética prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  101. 101. AUTENTICAÇÃO INDIVIDUAL Identifica as pessoas: Senha; Cartão ou token; Biometria; Certificado Digital. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  102. 102. “EMPRÉSTIMO” DE SENHA prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  103. 103. “EMPRÉSTIMO” DE SENHA prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  104. 104. CÓPIAS DE SEGURANÇA Qual a política definida? Qual a cópia mais antiga? Os arquivos das estações têm cópias? Os servidores têm cópias? Onde são armazenadas? Em que tipo de mídia? prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  105. 105. SOFTWARE HOMOLOGADO Itens de verificação: manutenção treinamento suporte condições comerciais capacidade do fabricante tendências prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  106. 106. USO DE ANTIVÍRUS Prevenção além do software: Anexos Executável? No way! Download? Só de sites confiáveis Backup, sempre Educação prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  107. 107. CORREIO ELETRÔNICO Pishing Notícias falsas Propostas “irresistíveis” Comunicados falsos prof. prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  108. 108. ENGENHARIA SOCIAL Obtenção de informações através de contatos falsos prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  109. 109. ENFIM, VAMOS ENCARAR O PARADIGMA DO SÉCULO XXI Conhecimento Comportamento Tecnologia prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  110. 110. MENSAGEM FINAL SOBRE SEGURANÇA prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  111. 111. MENSAGEM FINAL SOBRE SEGURANÇA prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  112. 112. TODO O CONTEÚDO ESTÁ DISPONÍVEL EM: www.robertodiasduarte.com.br prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11
  113. 113. TODO O CONTEÚDO ESTÁ DISPONÍVEL EM: www.robertodiasduarte.com.br prof. Roberto Dias Duarteterça-feira, 13 de setembro de 11

×