Como explicar o Bloco K e o eSocial para empresários

7.412 visualizações

Publicada em

Como explicar o Bloco K e o eSocial para empresários, da série SPED para empreendedores

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6.673
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como explicar o Bloco K e o eSocial para empresários

  1. 1. – Peter Drucker “Se você quer algo novo, você precisa parar de fazer algo velho”. © Roberto Dias Duarte
  2. 2. SPED: Uma visão empresarial Ser é mais importante que saber RobertoDiasDuarte © Roberto Dias Duarte
  3. 3. EFD ICMS/IPI EFD Contribuições eSocial Sped Contábil NF-e NFS-e CT-e MDF-e Escrituração Contábil Fiscal Brasil-ID NFC-e Sistema Público de Escrituração Digital
  4. 4. Dar o que não tem?
  5. 5. RobertoDiasDuarte Controlar na cabeça
  6. 6. RobertoDiasDuarte Gestão por planilhas
  7. 7. Bloco K
  8. 8. EFD-ICMS/IPI em 7 anos (arquivos recebidos) jan/2009 jul/2009 jan/2010 jul/2010 jan/2011 jul/2011 jan/2012 jan/2013 jan/2014 470.016 308.539 154.152 123.723 66.669 50.179 22.393 1.4880 Fonte:  Receita  Federal CONVÊNIO ICMS 143/2006
  9. 9. EFD ICMS/IPI: Saldo credor anterior diverge do saldo atual Em Minas Gerais: 28%
  10. 10. Controles: ficha técnica 2 ovos 1/4 cebola 1/2 pimentão 1/2 tomate 100 g queijo minas 50ml azeite pimenta e sal PRECISO CONTROLAR
  11. 11. Perdas "padrão" PRECISO CONTROLAR
  12. 12. Estoque de matéria-prima PRECISO CONTROLAR
  13. 13. Estoque de produto em processo PRECISO CONTROLAR
  14. 14. Estoque de produto final PRECISO CONTROLAR
  15. 15. Estoque de embalagens PRECISO CONTROLAR
  16. 16. Estoque de subproduto PRECISO CONTROLAR
  17. 17. Estoque de mercadoria para revenda PRECISO CONTROLAR
  18. 18. Insumos substitutos PRECISO CONTROLAR
  19. 19. Industrialização por terceiros: Itens Produzidos e Consumidos PRECISO CONTROLAR
  20. 20. Ordem de Produção Ajuda nos controles Ordem produção + produto + data abertura/encerramento Quantidade produzida PRECISO CONTROLAR
  21. 21. Quantidades consumidas Requisição de materiais Quantidade real Própria e por terceiros PRECISO CONTROLAR
  22. 22. Quantidades produzidas Reporte de produção Quantidade real Própria e por terceiros PRECISO CONTROLAR
  23. 23. Controles Entradas e saídas Estoques por CNPJ Mensal: quantitativo Anual: quantitativo e custos
  24. 24. Estoque negativo?
  25. 25. RobertoDiasDuarte CRONOGRAMA Art. 63. § 4º O livro de Registro de Controle de Produção e do Estoque será utilizado pelos estabelecimentos industriais ou a eles equiparados pela legislação federal e pelos atacadistas, podendo, a critério do Fisco, ser exigido de estabelecimento de contribuintes de outros setores, com as adaptações necessárias. CONVÊNIO S/Nº, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1970 Sistema Nacional Integrado de Informações Econômico-Fiscais
  26. 26. RobertoDiasDuarte CRONOGRAMA § 7º A escrituração do Livro de Registro de Controle da Produção e do Estoque, pelos contribuintes a ela obrigados nos termos do § 4º do art. 63 do Convênio S/N, de 15 de dezembro de 1970, será obrigatória na EFD a partir de: I - 1º de janeiro de 2015, para os contribuintes relacionados em protocolo ICMS celebrado entre as administrações tributárias das unidades federadas e a RFB; II - 1º de janeiro de 2016, para os demais contribuintes. AJUSTE SINIEF 2, DE 3 DE ABRIL DE 2009
  27. 27. RobertoDiasDuarte CRONOGRAMA a) a partir de 1º de janeiro de 2016, para as indústrias com faturamento anual igual ou superior a R$ 300.000.000,00 no ano de 2014, desde que classificados nas divisões 10 a 32 da CNAE ( INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO) ou habilitada ao Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado (Recof), independente do limite de faturamento; ADIAMENTO INFORMAL
  28. 28. RobertoDiasDuarte CRONOGRAMA b) a partir de 1º de janeiro de 2017, para as indústrias com faturamento anual igual ou superior a R$ 78.000.000,00 no ano de 2015, classificados nas divisões 10 a 32 da CNAE; c) a partir de 1º de janeiro de 2018, para as demais indústrias independente de faturamento e da atividade, para os equiparados a industriais, e para os atacadistas classificados nos grupos 462 a 469 da CNAE (COMÉRCIO ATACADISTA). ADIAMENTO INFORMAL
  29. 29. eSocial
  30. 30. Fraude$ Mais de R$ 1 bilhão em fraudes no Seguro Desemprego e Abono Salarial R$ 4 bilhões lançados de diferença (Folha x GFIP) 2,5 milhões de trabalhadores com vínculos extemporâneos incluídos no CNIS em 2012 R$ 2 bilhões levantados/recolhidos de FGTS sob ação fiscal Fonte: Receita Federal
  31. 31. 20% dos empregados domésticos filiados à previdência social Fonte: Receita Federal Número$
  32. 32. Despesa total com a justiça do trabalho: R$12 bilhões Fonte: CNJ/2012 Número$ 2,2 milhões de novos processos trabalhistas por ano
  33. 33. 250 mil empresas fiscalizadas por ano Fonte: Sistema Federal de Inspeção do Trabalho - SFIT/SIT/MTE e Relatórios específicos de fiscalização para erradicação do trabalho infantil e para erradicação do trabalho escravo. Autuaçõe$ 22% são autuadas
  34. 34. R$ 1,515 bi em 2013 297 mil multas Falta de pagamento do FGTS Descumprimento de jornada Falta de segurança e saúde
  35. 35. “Isso se deve à melhor atuação da fiscalização. Já estamos usando a fiscalização eletrônica, que vai simplificar enormemente a ação fiscal…”
  36. 36. Garantir direitos trabalhistas e previdenciários Simplificar o cumprimento das obrigações principais e acessórias, para redução de custos e da informalidade Aprimorar a qualidade de informações da seguridade social e das relações de trabalho
  37. 37. Eventos Trabalhistas
  38. 38. Rubricas
  39. 39. Rubricas
  40. 40. eventos www.esocial.gov.br
  41. 41. XML & Webservice eventos Sistema de gestão (ERP)
  42. 42. Contra cheque & carnê
  43. 43. Salários diferentes?
  44. 44. O que muda?
  45. 45. RobertoDiasDuarte CRONOGRAMA I – A transmissão dos eventos do empregador com faturamento no ano de 2014 acima de R$ 78 milhões reais: a)A partir da competência setembro de 2016 b)A partir da competência janeiro de 2017, obrigatoriedade da prestação de informação referente à tabela de ambientes de trabalho, comunicação de acidente de trabalho, monitoramento da saúde do trabalhador e condições ambientais do trabalho. II – A transmissão dos eventos para os demais obrigados ao eSocial deverá ocorrer a)A partir da competência janeiro de 2017 b)A partir da competência julho de 2017, obrigatoriedade da prestação de informação referente à tabela de ambientes de trabalho, comunicação de acidente de trabalho, monitoramento da saúde do trabalhador e condições ambientais do trabalho
  46. 46. RobertoDiasDuarteRobertoDiasDuarte Vendas Compras Estoque Produção Faturamento Entrega <evento> lorem ipsum lorem ipsum lorem ipsum lorem ipsum </evento> Empresa
  47. 47. RobertoDiasDuarte João Oreste Dalazen Ministro do Tribunal Superior do Trabalho “Hoje deixa muito a desejar.” “A CLT cumpriu um papel importantíssimo no período em que foi editada”
  48. 48. RobertoDiasDuarte “é excessivamente detalhista e confusa, o que gera insegurança jurídica, e, inevitavelmente, descumprimento, favorecendo o aumento de ações na Justiça" João Oreste Dalazen descumprimento confusa insegurança
  49. 49. facebook.com/imposticida contato@robertodiasduarte.com www.robertodiasduarte.com.br © Roberto Dias Duarte

×