ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E DOS DESPORTOS-SECD
14º DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO CULTURA E DES...
CARLOS HENRIQUE SILVA DE OLIVEIRA
LUIZ FERNANDO NUNES SILVA
O USO DE FOGUETES DE GARRAFAS PET NA DETERMINAÇÃO DO ÂNGULO
DE...
SUMÁRIO
 RESUMO..............................................................................................04
 INTRODU...
1. RESUMO
O presente trabalho tem como objetivo relatar o desenvolvimento de uma
atividade experimental, realizada por nós...
2. INTRODUÇÃO
Nosso projeto surgiu da necessidade que percebemos ao participar da IX MOBFOG
(mostra brasileira de foguetes...
3. OBJETIVOS
Geral: O objetivo do projeto é estabelece através desta atividade experimental um
padrão ideal para lançament...
4. JUSTIFICATIVA
O projeto surgiu a partir de uma curiosidade: seria possível determinar um modelo para
lançamentos de fog...
5. CONTEXTO DO PROJETO
O projeto foi realizado na Escola Estadual Zenon de Sousa, localizada na cidade
de Umarizal/RN. O p...
6. FOGUETES
6.1 HISTÓRIAS DOS FOGUETES
De acordo com os escritores Nogueira e Filho “enquanto os irmãos Wright, Santos
Dou...
uma construção idêntica ao V-2, será também o criador futuramente do R-7 que apesar
de ter fracassado nas mãos de Sergei, ...
6. FUNCIONAMENTOS DOS FOGUETES
Quanto ao tipo de combustível usado, existem três tipos de foguete:
Foguete de combustível ...
7. FUNDAMENTOS TEÓRICOS
Num foguete produzido com garrafa PET, podemos notar tanto os fenômenos da física
quanto da químic...
8. DESCRIÇÃO DO EXPERIMENTO
8.1 CONSTRUÇÃO DOS FOGUETES
O experimento do foguete de garrafa pet, consistiu na construção d...
Figura 01. Partes do foguete
Figura 02. Medidas das aletas.
As aletas foram feitas recortes de plásticos de pastas escolar...
Figura 04. Foguete pronto
MATERIAL PARA CONTRUÇÃO DO FOGUETE
06 cartolinas
04 garrafas PET
01 pacote de bexigas (lisas 6.5...
A base de lançamento é uma das partes fundamentais do projeto, ela que irá
garantir o controle do lançamento do foguete, o...
Figura 09. Gatilho de segurança. Figura 10. Base montada
Após o foguete estar pressurizado liberamos o gatilho de seguranç...
10. METODOLOGIA
Usamos como metodologia para obter os resultados propostos em nosso projeto,
a seguinte forma: de início e...
11. RESULTADOS
Analisando a tabela abaixo podemos perceber que o ângulo de 45º obteve um
melhor alcance quando fizemos uso...
e uma distância média de 47m. A parábola de cor azul está representando o grau de 35º
que obteve uma média 47m de distânci...
12. CONCLUSÃO
Através da análise dos resultados de cada lançamento e a comparação das médias
obtidas por cada ângulo podem...
REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO
Coleção Explorando o Ensino- ASTRONÁUTICA. v12, 2009. Autores diversos
Física Mecânica, 1º ano. ...
ANEXOS
Material usado na montagem dos foguetes
FASE DE LANÇAMENTOS DOS FOGUETES
O USO DE FOGUETES DE GARRAFAS PET NA DETERMINAÇÃO DO ÂNGULO DE ALCANCE MÁXIMO NO LANÇAMENTO OBLIQUO
O USO DE FOGUETES DE GARRAFAS PET NA DETERMINAÇÃO DO ÂNGULO DE ALCANCE MÁXIMO NO LANÇAMENTO OBLIQUO
O USO DE FOGUETES DE GARRAFAS PET NA DETERMINAÇÃO DO ÂNGULO DE ALCANCE MÁXIMO NO LANÇAMENTO OBLIQUO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O USO DE FOGUETES DE GARRAFAS PET NA DETERMINAÇÃO DO ÂNGULO DE ALCANCE MÁXIMO NO LANÇAMENTO OBLIQUO

1.447 visualizações

Publicada em

projeto cientifico

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.447
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O USO DE FOGUETES DE GARRAFAS PET NA DETERMINAÇÃO DO ÂNGULO DE ALCANCE MÁXIMO NO LANÇAMENTO OBLIQUO

  1. 1. ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E DOS DESPORTOS-SECD 14º DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO CULTURA E DESPORTOS- DIRED ESCOLA ESTADUAL ZENON DE SOUSA- UMARIZAL/RN RELATÓRIO DE PESQUISA O USO DE FOGUETES DE GARRAFAS PET NA DETERMINAÇÃO DO ÂNGULO DE ALCANCE MÁXIMO NO LANÇAMENTO OBLIQUO UMARIZAL-RN 2015
  2. 2. CARLOS HENRIQUE SILVA DE OLIVEIRA LUIZ FERNANDO NUNES SILVA O USO DE FOGUETES DE GARRAFAS PET NA DETERMINAÇÃO DO ÂNGULO DE ALCANCE MÁXIMO NO LANÇAMENTO OBLIQUO TRABALHO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DESTINADA A IMOVIC (I movimento de incentivo as ciência) COMO REQUISITO PARCIAL PARA A PARTICIPAÇÃO DE OUTRAS FEIRAS Orientador: Professor Francisco Roberlânio da Silva Lima UMARIZAL-RN 2015
  3. 3. SUMÁRIO  RESUMO..............................................................................................04  INTRODUÇÃO....................................................................................05  OBJETIVOS.........................................................................................06  JUSTIFICATIVA.................................................................................07  CONTEXTO DO PROJETO................................................................08  FOGUETES..........................................................................................09 Historias dos foguetes...........................................................................09 O foguete...............................................................................................10 Funcionamento dos foguetes..................................................................11  FUNDAMENTOS TEORICOS............................................................12  DESCRIÇÃO DO ESPERIMENTO.....................................................13 Construção dos foguetes.........................................................................13  BASE DE LANCHAMENTO E MONTAGEM...................................15 Materiais usados para construção da base dos lançamentos....................17  METODOLOGIA..................................................................................19  RESULTADOS......................................................................................19 Tabela de lançamentos dos foguetes.......................................................19 Gráfico com as medias dos lançamentos.................................................20  CONCLUSÕES......................................................................................21  REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS...................................................22  ANEXOS................................................................................................23
  4. 4. 1. RESUMO O presente trabalho tem como objetivo relatar o desenvolvimento de uma atividade experimental, realizada por nós Carlos Henrique Silva de Oliveira Luiz Fernando Nunes Silva, alunos sob a orientação do professor de Artes Francisco Roberlânio da Silva Lima, da E.E. Zenon de Sousa de Umarizal/RN. Apresentaremos a seguir as etapas estabelecidas desde a criação de tal projeto, seu desenvolvimento, e nas considerações finais é apresentado o resultado do experimento. Procuramos através de este experimento determinar um ângulo modelo para lançamentos de foguetes com garrafas PET de forma que se obtenham melhores distâncias. Observar se existe alguma relação entre a quantidade de ml e o alcance atingido. Determinar uma média de alcance que cada um dos ângulos trabalhados. Há 09 anos surgia a MOBFOG, (Mostra Brasileira de Lançamentos de Foguetes) a qual é organizada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), seu intuito é levar para as escolas o ensino da astronomia e nesse caso específico os foguetes. Contudo, podemos ver nos meios de comunicação diversas escolas e pessoas avulsas soltando foguetes cada qual à sua maneira. Alguns seguem à regras pré-determinadas mas sempre os resultados vistos nos vídeos são de alcances bem variáveis ou sem qualquer cuidado no manuseio do material e alguns lançamentos até de forma desastrosas podemos ver. Já que o objetivo principal era estabelecer um ângulo modelo para atingir os maiores alcances, optamos pela seguinte metodologia. Escolhemos 04 ângulos diferentes para nossos testes, sendo que para cada um lançamos 03 foguetes com quantidades de ml diferentes para a partir daí obter um resultado mais preciso, com a média das distâncias. Após todos os lançamentos fizemos os cálculos necessários para determinar as alturas atingidas e as médias também. Nosso objetivo é que esse projeto venha servir de orientação para outros professores e alunos que pretendem ter alcances maiores e com a segurança necessária. Palavras-Chave: Foguete. Garrafa PET. Ângulo.
  5. 5. 2. INTRODUÇÃO Nosso projeto surgiu da necessidade que percebemos ao participar da IX MOBFOG (mostra brasileira de foguetes), ao pesquisarmos materiais na internet notamos a falta de preparo e cuidado em diversos vídeos no youtube nos lançamentos. Até mesmo sites onde existe alguns passo-a-passo, sentimos a ausência de dados sobre qual ângulo ideal para obter melhores alcances. O que acabavam por fim cada qual escolhendo usando ângulo pré-estabelecido ou mesmo escolhendo de forma aleatória. mas, será mesmo que aqueles erma os mais propícios para tal proposta? Partindo dessa necessidade que surgiu nosso questionamento se seria possível com o uso de foguetes de garrafa PET estabelecer o angulo padrão de alcance máximo? A proposta aqui apresentada conta com informações resultantes de nossas experiências e visamos com isso auxiliar professores e alunos que participam anualmente da MOBFOG, novos participantes e amadores avulsos amantes dos foguetes. Esperamos que nossa contribuição seja significativa no meio escolar e que as informações aqui descritas possam contribuir com melhores desempenhos nos lançamentos.
  6. 6. 3. OBJETIVOS Geral: O objetivo do projeto é estabelece através desta atividade experimental um padrão ideal para lançamentos com foguetes produzidos com garrafas pet, tendo como base conceitos da física fundamentados na terceira lei de Newton. Específicos: observar se existe alguma relação entre a quantidade de ml e o alcance atingido. Determinar uma média de alcance que cada um dos ângulos trabalhados.
  7. 7. 4. JUSTIFICATIVA O projeto surgiu a partir de uma curiosidade: seria possível determinar um modelo para lançamentos de foguetes produzidos com garrafas pet? Esse questionamento veio justamente pelo fato de termos participado da IX MOBFOG 2015 (Mostra Brasileira de Lançamentos de Foguetes) a qual é organizada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). A MOBFOG orientava usarmos 45º para lançamentos por ser este aparentemente, o melhor ângulo para lançamentos oblíquos. Decidimos então pesquisarmos na internet e notamos que Existem diversos vídeos, sites e blogs orientando o uso dos 45º também para lançamentos dos foguetes, mas notamos que haviam variações nos alcances atingidos pelos foguetes. Daí surgiu o nosso questionamento. Além do mais o projeto irá contribuir para que mais alunos sejam agraciados com tal resultado alcançando assim melhores distancias em seus lançamentos haja vista que terão uma compreensão melhor de como agir e padrão para se orientarem em seus lançamentos de foguetes.
  8. 8. 5. CONTEXTO DO PROJETO O projeto foi realizado na Escola Estadual Zenon de Sousa, localizada na cidade de Umarizal/RN. O projeto surgiu logo após participarmos de um experimento durante a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica-OBA e a Mostra Brasileira de Foguetes-MOBFOG que acontecem todos os anos a nível nacional, a qual é realizada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), a MOBFOG, propõe anualmente como desafio para as escolas participantes, produzirem e lançarem o mais distante possível, foguetes produzidos com garrafas pet pelos alunos A MOBFOG propõe anualmente uma competição de foguetes para os alunos do ensino fundamental e médio, os melhores resultados de cada categoria são enviados para a comissão organizadora da MOBFOG, que seleciona os melhores resultados do Brasil para participar da Jornada de Foguetes.
  9. 9. 6. FOGUETES 6.1 HISTÓRIAS DOS FOGUETES De acordo com os escritores Nogueira e Filho “enquanto os irmãos Wright, Santos Doumont e vários outros pioneiros desafiavam a gravidade, o russo Kostantin Tsiolkovsky (1857-1935), outro fã de Verne, desenvolveu a teoria de que os foguetes poderiam chegar ao espeço." (NOGUEIRA, SALVADOR E FILHO, JOSÉ NOGUEIRA PESSOA, 2009). Na verdade, a história dos foguetes teria começado bem antes dos Santos Domount e seu 14-bis ou até mesmo dos irmãos Wright, teria surgido na China em 1232 durante uma batalha contra o povo mongol. Os chineses teriam se defendido usando "Flechas de fogo voador" que seriam os tais foguetes. Ilustrações do século XIII mostram modelos do foguete. No século 20, na pequena vila de Ijevskoe nasceu Tsiolkolvsky. Autodidata amante da astronáutica, tornou-se membro da comunidade científica russa mesmo nunca cursado uma faculdade. Ele já mencionava o uso do hidrogênio e do oxigênio líquidos como o uso de combustível para foguetes. Provando estar à frente da época. Mas por não ter como comprovar na prática muitos duvidaram. Porém, muitos anos depois Robert Hutchin Goddard (1882-1945) iria demonstrar sua admiração e curiosidade pela astronáutica, trazendo uma grande contribuição ao publicar “A method reaching extreme altitudes" (um método para atingir altitudes extremas). Tsiolkolvsky inclusive chegou a lançar seu primeiro foguete a combustível líquido que apesar de ter subido somente 12,5m mostrou que futuramente seria possível sim. Wernher Magnus Maximillian Von Braun (1912-1977) foi o criador do famoso V-2. Foguete utilizado pelos alemães para atacar Londres no final da segunda guerra mundial com vários bombardeios. Ao cessar a guerra, Von Braun e vários outros cientistas foram repatriados indo trabalhar no exército americano. Sergei Pavlovich Korolev (1907-1966) nasceu em Zythomyr,atualmente Ucrânia. ele "inspecionou pessoalmente na Alemanha, os materiais confiscados pelo Exército Vermelho sobre o V-2 de Von Braunn, e trabalhou com vários pesquisadores alemães capturados para estabelecer a liderança russa nessa tecnologia."(NOGUEIRA, SALVADOR E FILHO, JOSÉ NOGUEIRA PESSOA, 2009) Após conseguir recriar
  10. 10. uma construção idêntica ao V-2, será também o criador futuramente do R-7 que apesar de ter fracassado nas mãos de Sergei, os soviéticos adotaram esse modelo e com ele lançaram o primeiro satélite artificial da Terra, o Sputnik 1. Começava a partir de então a chamada Era Espacial. o Sputnik vai causar um grande impacto dar um novo rumo aos futuros projetistas de foguetes pois agora abandoariam o estudo balístico e entrariam num acordo. "A história da Guerra Fria ganhou um novo capítulo. Mais do que nunca, as superpotências rivais precisavam conversar e se entender sobre as regras básicas das novas atividades espaciais, que então eram totalmente militarizadas." (Revista de História, 2007) Vai surgir então o Copuos, sigla em inglês para "Uso Pacífico do Espaço". Por isso, criarão em 1959 pelos americanos e soviéticos na Organização das Nações Unidas. Desde essa data o Brasil faz parte até hoje. 6. O FOGUETE O que são foguetes? Foguetes é uma forma de veículos destinados ao transporte de cargas como satélites e pessoas ao espaço. Modelos mais conhecidos são aqueles cuja função é a sondagem, ou seja, são aqueles que enviam satélites ao espaço para a coleta de informações. Mas também existentes alguns destinados ao envio de pessoas ao espaço também como o caso do astronauta russo Yuri Gagarin.
  11. 11. 6. FUNCIONAMENTOS DOS FOGUETES Quanto ao tipo de combustível usado, existem três tipos de foguete: Foguete de combustível líquido - Neste tipo de combustível o propelente e o oxidante permanecem armazenados em tanques fora da câmara de combustão, durante o lançamento eles são bombeados e misturados na câmara onde entram em combustão dando a força de empuxo necessária; Foguete de combustível sólido - Tanto o propelente e oxidante, estão já misturados na própria câmara de combustão em estado sólido. Desta forma o propelete é queimado de dentro para fora, ao longo de todo o seu comprimento. “Podem ser armazenados por vários anos. Em contrapartida, são menos eficientes que os líquidos, e uma vez iniciada a combustão, não há como interrompê-la."(BOAS, DANTON JOSÉ FORTES VILAS E FILHO, JOSÉ BEZERRA PESSOA,2007) Foguete de combustível híbrido - O propelente e oxidante permanecem em câmaras separadas e em estados diferentes: líquido/sólido ou gasoso/sólido. Atualmente encontra-se em estado de testes em países como EUA e Brasil. Os foguetes possuem um formato cilíndrico para diminuir o atrito com o ar. O motor que impulsiona o foguete fica na parte traseira, é lá que os gases são expelidos.
  12. 12. 7. FUNDAMENTOS TEÓRICOS Num foguete produzido com garrafa PET, podemos notar tanto os fenômenos da física quanto da química atuando juntas. Para nossa pesquisa usamos como base teórica, a Lei da ação e reação, que está exemplificada na 3ª Lei de Newton. Resnick explica essa lei com as seguintes palavras: “A cada ação, sempre se opõe uma reação igual, ou seja, as ações mútuas de dois corpos, um sobre o outro, são sempre iguais e dirigidas para partes contrárias” (RESNICK & HALLIDAY, 1984). Imaginemos uma bexiga fechada cheia de ar. A pressão fica em todas as direções unifromente. Quando Liberamos o ar que está preso no balão, ele se move em sentido contrário ao ar expelido. A essa expulsão do ar, chamamos de "ação" e o movimento oposto da bexiga chamamos de "reação." No foguete, os gases saem pela tubeira, é lá que ocorre a combustão dos propelentes. a força que impulsiona o foguete a subir recebe o nome de empuxo. A intensidade resultante da força do empuxo depende de vários fatores. “Os gases geram uma força de empuxo “(ação)” que desloca o foguete em sentido contrário ("reação").” (BOAS, DANTON JOSÉ FORTES VILAS E FILHO, JOSÉ BEZERRA PESSOA, 2007) Portanto: “as forças de ação e reação são sempre aplicadas em corpos distintos.”(BONJORNO, JOSÉ ROBERTO,2015) Há uma interação entre esses dois corpos acontecendo ao mesmo tempo e para lados opostos.
  13. 13. 8. DESCRIÇÃO DO EXPERIMENTO 8.1 CONSTRUÇÃO DOS FOGUETES O experimento do foguete de garrafa pet, consistiu na construção de 03 foguetes de tamanhos variados, todos utilizando garrafas descartáveis de refrigerante. Os foguetes 01 e 02 são idênticos em sua estrutura, usamos garrafas PETs de 2l para a construção dos tais. Uma garrafa é cortada a 15 cm a partir do bico e fixada com fita adesiva no fundo da outra garrafa, a qual está inteira. A outra garrafa não sofre alterações, ela serve como um tanque onde a água junto com o ar inserido por uma bomba de pneu de bicicleta faz com que a pressão dentro da garrafa aumente e expulse o líquido para fora e assim sirva como propulsão para o voo do foguete. A estabilidade do foguete é garantida com o uso de aletas (asetas) laterais no foguete. 03 aletas para o foguete 01 e 05 aletas no foguete 02. Por fim incluímos um bico feito de cartolina e revestido com fita adesiva no nariz do foguete. O que faz nosso foguete voar é a força chamada empuxo. É essa força que empurra o ar pressurizado empurra a água para fora o que faz a garrafa ter uma reação no sentido contrário.
  14. 14. Figura 01. Partes do foguete Figura 02. Medidas das aletas. As aletas foram feitas recortes de plásticos de pastas escolares por ser mais resistente a queda que o papelão e não molhar. Medimos o diâmetro das garrafas para calcular a que distância ficariam as aletas entre si, depois as fixamos com fita adesiva ao foguete. Figura 03. Peso no bico do foguete. Para que nosso foguete tivesse uma estabilidade durante o voo, colocamos uma pequena bexiga cheia com uma colher rasa de areia.
  15. 15. Figura 04. Foguete pronto MATERIAL PARA CONTRUÇÃO DO FOGUETE 06 cartolinas 04 garrafas PET 01 pacote de bexigas (lisas 6.5) 9. BASE DE LANÇAMENTO E MONTAGEM Uma das partes peças fundamentais para que tenhamos segurança durante os lançamentos é a base. É ela que dará sustentabilidade aos nossos foguetes bem como a precisão necessária em cada um. Para obter tal segurança e resultados precisos, a base estará fixada em uma tábua de madeira e esta presa ao solo por pesos que podem ser 02 paralelepípedos. a base possui uma trava de segurança que serve para liberar o foguete somente quando puxamos tal trava garantindo tempo necessário para irmos a um local seguro bem como para que pegue maior pressão para um voo maior. Figura 05. Canos para base Figura 06. Conectores da base
  16. 16. A base de lançamento é uma das partes fundamentais do projeto, ela que irá garantir o controle do lançamento do foguete, ou seja, ela deve ser projetada para lançar o foguete no momento desejado. A base deve conter as garras que irão manter o foguete preso a ela pelo tempo necessário, uma inclinação que favoreça o maior alcance do foguete na horizontal e um dispositivo de segurança para eliminar combustível de dentro do recipiente de reação caso algo de errado ocorra. O formato da base pode variar, mas deve conter os aspectos citados acima. Na imagem abaixo é apresentado um a base construída no projeto. Usamos o modelo da MOBFOG A base foi construída com cinco canos de pvc marrons de 20 mm de diâmetro, sendo dois pedaços de 20 cm, um pedaço de 25 cm e dois pedaços de 10 cm de comprimento, como mostra a figura 05. Nós conectamos os canos entre si usando dois “caps”, dois “joelhos ou cotovelos” e um “te”, como mostra a figura 06. Os pedaços de 10 cm são conectados num “te” e nos “joelhos”. Os dois pedaços de 20 cm foram conectados nestes “joelhos” e tapados com os caps. O pedaço de 25 cm, ou tubo de lançamento, foi conectado primeiro no “te”, este, depois, colado nos pedaços de 10 cm, inclinado de 45 graus em relação à base. Colocamos cola na parte interna das conexões. Isso facilitou a entrada dos canos nas conexões além de colá-las firmemente O que prende o foguete a base são as abraçadeiras. São elas que impedem do foguete sair antes do momento. Ver figura abaixo: Figura 07.local de encaixe do foguete Figura 08. Válvula de segurança Igualmente importante para a nossa base é a válvula de segurança. Em caso de falha no lançamento, basta abortar usando a válvula. (figura 08)
  17. 17. Figura 09. Gatilho de segurança. Figura 10. Base montada Após o foguete estar pressurizado liberamos o gatilho de segurança que solta o foguete da base. (figura 09) 9.1 MATERIAL USADO PARA CONTRUÇÃO DA BASE DE LANÇAMENTO 03 canos de pvc de 20cm e 4 mm, 02 canos de pvc de 10cm e 4 mm 01 cano de pvc de 25cm e 4 mm 02 joelhos de quatro mm 01 “te” de quatro mm 01 cola de cano 01 serra 01 furadeira 01 um pedaço de fitilho 01 pedaço de barbante 01 pedaço de cano de 20 01 pedaço de câmara de ar 01 cap de pneu de bicicleta 01 caneta piloto 10 braçadeiras 01 anel de balão (bocal)
  18. 18. 10. METODOLOGIA Usamos como metodologia para obter os resultados propostos em nosso projeto, a seguinte forma: de início estabelecemos 04 ângulos distintos para usarmos como referencias. Os ângulos escolhidos foram: 35º, 45º, 55º e 65º. Em cada um destes, fizemos três lançamentos com quantidades distintas de água. As medidas usadas foram 200ml,300ml e 400ml. De início testamos com quantidades bem maiores como 600 ml, contudo, ficou muito pesado e obtivemos uma distância e altura muito inferiores. O mesmo aconteceu ao utilizarmos apenas 100 ml. Então decidimos utilizar as medidas citadas anteriormente. Usamos como medidor uma outra garrafa previamente marcada, e para calcular as distancias obtidas, usamos uma trena. Cada lançamento foi gravado com nossos celulares para depois calcular os segundos de cada voo. MATERIAL PARA OS LANÇAMENTOS 02 Foguetes de garrafas PET 01 Base de lançamento 01 Bomba de ar de bicicleta 01 Transferidor 01 Cronometro 01 trena 02 óculos de proteção 02 pares de luvas 01 medidor de litro 01 funil 01 balde de 5l 01 fita isolante 02 fitas adesivas 02 tesouras 01 régua 01 transferidor
  19. 19. 11. RESULTADOS Analisando a tabela abaixo podemos perceber que o ângulo de 45º obteve um melhor alcance quando fizemos uso de 200ml e que seu maior alcance foi de 55m. O ângulo de 65º obteve um alcance de até 48m quando utilizamos 200ml também. Podemos notar que os ângulos de 55º e 35º tiveram melhores distâncias ao utilizarmos a medida de 400ml para os lançamentos, sendo que o primeiro atingiu 35m e o segundo 47m. 11.1 TABELAS DOS LANÇAMENTOS DOS FOGUETES Logo abaixo temos um gráfico onde podemos notar a média de cada um. O ângulo de 55º que esta representada na parábola de cor roxa teve uma altitude acima dos 10m e uma média de alcance de 35m de distância. Apesar da boa altitude alcançada, ele teve uma distância bem inferior aos demais. A seguir temos o ângulo de 65º representado na cor verde. Foi o que teve uma melhor altitude atingindo acima dos 20m
  20. 20. e uma distância média de 47m. A parábola de cor azul está representando o grau de 35º que obteve uma média 47m de distância e altura acima dos 8m. Já o ângulo de 45º representado na cor vermelha apesar da sua baixa altitude em relação aos demais lançamentos, foi o de melhor resultado de alcance conseguindo uma média de 55m. 11.2 GRÁFICO COM AS MÉDIAS DOS LANÇAMENTOS
  21. 21. 12. CONCLUSÃO Através da análise dos resultados de cada lançamento e a comparação das médias obtidas por cada ângulo podemos concluir que sim é possível determinar um ângulo que possa ser usado como padrão para melhores alcances em lançamentos oblíquos, e que é o ângulo de 45º. Também notamos que as melhores quantidades de ml para lançamentos são 200ml e 400ml.
  22. 22. REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO Coleção Explorando o Ensino- ASTRONÁUTICA. v12, 2009. Autores diversos Física Mecânica, 1º ano. 2ºed.2015. Autores diversos RESNICK, Robert; HALLIDAY, David. Física: 1. 4º ed., Rio de Janeiro: LTC – Livros técnicos e científicos editora, 1984. http://www.unisalesiano.edu.br/simposio2011/publicado/artigo0096.pdf Acessado em 15.06.2015 http://www.ppgec.unb.br/images/sampledata/dissertacoes/2009/proposicao/valeria_c_l_ silva.pdf Acessado em 15.06.2015 file:///C:/Users/Roberlanio/Downloads/18-51-1-PB.pdf Acessado em 16.06.2015 http://www.professorgomes.com.br/arquivos/Leis%20de%20Newton%20e%20Suas%2 0Aplicacoes.pdf Acessado em 16.06.2015 http://www.revistadehistoria.com.br/secao/reportagem/50-anos-da-era-espacial acessado em 18.07.2015
  23. 23. ANEXOS Material usado na montagem dos foguetes
  24. 24. FASE DE LANÇAMENTOS DOS FOGUETES

×