Centro Ecológico                                                     01Apresentação                                       ...
CENTRO ECOLÓGICOO Centro Ecológico é uma ONG que atua desde         formação de novas redes de produção e1985 estimulando ...
APRESENTAÇÃOO presente texto foi organizado a partir de duas   Ao escrevermos um texto de cunho técnico nãocartilhas já ex...
RECURSOS NATURAIS1. SOL, ÁGUA E NUTRIENTES                          Outro exemplo é quando deixamos que a                 ...
COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA                     2. INDICADORES BIOLÓGICOS Componentes (volume)         Porcentagem (%)        ...
sua própria espécie. É a análise de qual papel   modificando. As espécies de plantas irão seque determinada espécie vegeta...
Dentre as muitas evidências práticas que            Afinal, a forma que a natureza tem de sefundamentam este conceito, uma...
PLANTAS INDICADORAS             NOME                      NOME CIENTÍFICO                             O QUE INDICAM       ...
3. CONTROLE BIOLÓGICO -PREDADORES E PARASITASNa agricultura, se chama de equilíbrio biológico   O controle biológico do fu...
4. CONTROLE FISIOLÓGICO -                         Essas plantas maltratadas têm, na sua seiva, osTROFOBIOSE               ...
- Por que estes fatores interferem na             Depois de ser praticamente desmanchado, oresistência?                   ...
TROFOBIOSE                   aminoácido                      1                                             3              ...
- Mas, o que determina que uma planta              Como resultado, teremos uma determinadatenha maior ou menor quantidade ...
Nas folhas velhas também há decomposição           Umidadenormal das proteínas, para que os produtos e      Falta ou exces...
h. Tratos Culturais                                 etc) ou por outros organismos que estão livres                        ...
Fungicidas como Zineb, Maneb e Dithane       Todos os grandes problemas com insetos ecausam viroses (doenças) e provocam a...
- Como se pode ajudar o bomfuncionamento das plantas para protege-las de ataques?Vimos antes que plantas tratadas com maté...
c. A matéria orgânica melhora a resistência das    proteossíntese aumenta. Os micronutrientesplantas porque aumenta a popu...
A vida do solo - sua atividade biológica, junto     - É possível produzir sem adubos químicoscom a vegetação, formam um co...
- Como se faz para ter nitrôgênio                   Se necessário, o fósforo pode ser usado comosuficiente para a cultura?...
A tabela seguinte apresenta o conteúdo médiode elementos químicos (nutrientes) quecompõem as plantas, segundo um russocham...
Como podemos ver, quando se aduba com NPK             e doenças dos quais já falamos.(nitrogênio, fósforo e potássio), mai...
- E o que a análise do solo nos diz, em             das espécies comuns de fungo de solo, oagricultura ecológica?         ...
- É preciso corrigir o solo?                        Quer dizer, torna o solo adequado para as                             ...
- O que são propriedades químicas?                A adição de matéria orgânica ao solo é a chave                          ...
6.1. ADUBOS VERDES / ERVASA forma mais eficiente de adição de matériaorgânica ao solo, do ponto de vista energético ede us...
- Têm alguns exemplos práticos de adubos           Há diferentes maneiras de se utilizar o esterco.verdes?                ...
O esterco de porco é relativamente rico em                 Mas não podemos repetir o equívoco de muitoszinco. O esterco de...
Se, por outro lado, estamos sob baixas              Há duas maneiras de fazer uma fermentaçãotemperaturas e com uma terra ...
Não há limites de tamanho do tanque onde se        6.3 COMPOSTOfaz o biofertilizante.                                     ...
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02

1.584 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.584
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
141
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cartilhaagriculturaecologica 090730095229-phpapp02

  1. 1. Centro Ecológico 01Apresentação 021. Sol, Água e Nutrientes 032. Indicadores Biológicos 043. Controle Biológico - Predadores e Parasitas 044. Controle Fisiológico - Trofobiose 095. Solo 176. Adubos Orgânicos 23 6.1 Adubos Verdes/ Ervas 25 6.2 Estercos 26 6.3 Composto 29 6.4 Vermicomposto 31 6.5 Biofertilizantes Enriquecidos 33 6.5.1 Biofertilizantes Enriquecidos Líquidos 38 6.5.2 Biofertilizantes Sólidos, Adubos fermentados tipo Bokashi 417. Caldas Nutricionais e Fitoprotetoras 45 7.1 Calda Bordalesa 45 7.2 Calda Cúprica EEC 45 7.3 Calda Sufocálcica 478. Manejo de Videira, Pessegueiro e Tomateiro: Experiência na Região da Serra Gaúcha 51 8.1 Cultura de Videira 51 8.1.1 Ecologia 51 8.1.2 Localização do Parreiral 51 8.1.3 Variedades 51 8.2 Cultura do Pessegueiro 60 8.2.1 Localização e Escolha do Terreno 60 8.2.2 Manejo de Solo e Adubação 60 8.2.3Tratos Culturais 62 8.2.4 Manejo de Insetos e Doenças 62 8.3 Cultura do Tomateiro 66 8.3.1 Variedades 66 8.3.2 Manejo de Solo e Adubação 66 8.3.3 Tratos Culturais: Condução e espaçamento 68 8.3.4 Manejo de Insetos e Doenças 699. Conclusão 7110. Bibliografia 71
  2. 2. CENTRO ECOLÓGICOO Centro Ecológico é uma ONG que atua desde formação de novas redes de produção e1985 estimulando a produção e o consumo de consumo, à capacitação de técnicos emprodutos ecológicos. agricultura ecológica, à formulação de políticas públicas para uma agricultura sustentável e àAcreditamos que desta forma estamos luta contra a utilização de transgênicos.contribuindo para uma outra sociedade, maisjusta, fraterna e respeitosa com o meio- O Centro Ecológico concentra hoje sua atuaçãoambiente. em duas regiões agroecológicas distintas:O manejo ecológico dos sistemas produtivos é A Serra Gaúcha e o Litoral Norte do RS e Sul deo principal eixo de trabalho do Centro SC. Cada uma destas regiões possuiEcológico, onde incluímos um forte características sócio-ambientais diferenciadas,componente de resgate e manejo da o que tem contribuído para alimentar umbiodiversidade agrícola e alimentar. esforço permanente de reflexão sobre os princípios da agricultura ecológica e sua formaPara além do aspecto técnico-produtivo, de operacionalização em contextostambém trabalhamos com o estímulo à específicos.organização de produtores e consumidores, àTemos dois escritórios à disposição para quaisquer informações: LITORAL NORTE IPÊ-SERRA Rua Padre Jorge s/ n° Caixa Postal 21 95.568-970 Dom Pedro deAlcântara RS 95.240-000 Ipê RS Fone/fax: 0xx(51) 664 0220 Fone/fax: 0xx (54) 504 55 73 e.mail: centro.litoral@terra.com.br e.mail: c.ecologico@terra.com.br 1
  3. 3. APRESENTAÇÃOO presente texto foi organizado a partir de duas Ao escrevermos um texto de cunho técnico nãocartilhas já existentes: Trofobiose - Novos queremos reduzir a Agricultura EcológicaCaminhos para uma Agricultura Sadia, apenas aos seus aspectos produtivos.publicado em conjunto pelo Centro Ecológico e Queremos, sim, enfatizar a importância de nospela Fundação Gaia, e Biofertilizantes (in)formarmos para efetuarmos as escolhasEnriquecidos, redigida pela equipe do Centro que nos levarão a construir a sociedade maisEcológico. A estes textos se somaram outros justa e harmônica que desejamos.materiais, elaborados para uso nos cursos deformação que o Centro Ecológico realiza. Sabemos todos que muitas de nossas escolhas, mesmo as mais simples, possuemO que aqui nos propomos é instrumentalizar um cunho político, colaboram no desenho deagricultoras, agricultores e demais uma determinada forma de organização social.interessados na prática da Agricultura Assim, escolher entre a uréia e o biofertilizanteEcológica. para fornecer o nitrogênio que meu cultivo necessita é uma decisão que vai além doNele iremos abordar alguns elementos básicos técnico-agronômico e abarca tambémpara que o nosso entendimento sobre a dimensões ambientais e políticas. E nesteagricultura e seus processos possa ser livreto abordamos os princípios básicos que nosorientado com bases mais sustentáveis. permitem optar por tecnologias limpas, baratas e independentes do complexo industrial queUm conhecido romancista francês disse certa hoje comprime a agricultura.feita que "a verdadeira viagem dodescobrimento não consiste em vislumbrar Muito se tem dito que estamos hoje em umanovas paisagens, mas sim em ter novos olhos". encruzilhada civilizatória. O caminho queDisto se tratam estes apontamentos. A iremos tomar nesta encruzilhada depende depaisagem é a mesma: solo, sol, chuva, nossas opções cotidianas. Devemos assumirnutrientes, plantas, insetos, fungos. O que aqui nossas responsabilidades na construção de umpropomos é um novo olhar, um novo enfoque. mundo mais justo, tanto social quantoNão é apenas sol e água, mas energia que ambientalmente. Aqui, modestamente, desde oincide em nosso agroecossistema. Não mais ponto de vista técnico-agronômico, esperamospragas, mas indicadores de manejo. Não mais estar contribuindo para isto.inços, ou ervas daninhas, mas plantas que nosfalam da sucessão vegetal e possuem acapacidade de repor matéria orgânica emnossos solos. 2
  4. 4. RECURSOS NATURAIS1. SOL, ÁGUA E NUTRIENTES Outro exemplo é quando deixamos que a vegetação que vem por si no nosso pomar seExiste na China um provérbio muito antigo que desenvolva. Não é preciso ter medo dadiz: "A Agricultura é a arte de cultivar o sol". competição das ervas daninhas ou inços.Esta é uma maneira diferente de se referir a um A partir da germinação de uma sementedos processos básicos responsáveis pela qualquer começa a funcionar uma verdadeiramanutenção da vida no planeta: a fotossíntese. fábrica de adubo, onde o combustível é barato e abundante, e o resultado só traz riqueza. É- E o que é a fotossíntese? possível aproveitar o carbono e oxigênio queÉ um processo tão presente no dia a dia da estão no ar e o hidrogênio que está na água.agricultura que quase não paramos para refletir A planta também faz parcerias com a vida quena sua importância. tem no solo, melhorando a absorção deTodas as plantas têm a capacidade de nitrogênio e de outros minerais, bem como étransformar a energia da luz do sol em energia possível aumentar o teor de matéria orgânicapara a sua sobrevivência, bem como para a do solo, etc...sobrevivência de todos os seres que vivem naTerra. A fotossíntese é o processo pelo qual as - Precisa de alguma outra forma deplantas produzem matéria orgânica a partir de energia?substâncias que estão no ar. Para fazer isto, a Para que este processo aconteça, outra formaparte verde da planta aproveita a energia que de energia que deve estar presente é a água.está na luz do sol. E como a luz do sol é um Nos ecossistemas onde a água e o sol chegamrecurso natural, renovável e abundante, deve em grande quantidade, como é o caso no sul doser utilizado da maneira mais intensa possível. Brasil, é muito importante manter o solo coberto por plantas. Elas serão as responsáveis por- Como se pode utilizar ao máximo a luz fazer com que esta energia gere vida e nãodo sol? destruição. Todos sabemos os malefícios que oPara aumentar a capacidade das plantas de sol e a chuva podem causar a um soloaproveitar a luz do sol, elas têm que ter descoberto.condições ótimas de funcionamento. O que são Toda a forma de energia gera trabalho ou geraestas condições ótimas vamos ver mais destruição. A energia do sol e da água podeadiante. Também temos que investir na tanto fazer nosso cultivo crescer (trabalho)possibilidade de outras espécies trabalharem quanto provocar erosão e compactação no solocaptando a energia de sol. Esta energia, (destruição). Por excelência, a planta captura acaptada na forma de matéria orgânica e de energia do sol e a da água.minerais, será colocada à disposição de nossocultivo comercial. - E isso basta para uma planta crescer? Claro que não. Ela também precisa de- Na prática, o que é isto? nutrientes para o seu desenvolvimento.A adubação verde, por exemplo, é isto. Todas Nutrientes que são encontrados no ar, na águaas vantagens da adubação verde têm origem na e no solo. O que vem do ar e da água chega acapacidade que as plantas têm de capturar ser 95-98% da planta (oxigênio, carbono,energia da luz do sol. hidrogênio, nitrogênio e enxofre). Só 2-5% vêm do solo. 3
  5. 5. COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA 2. INDICADORES BIOLÓGICOS Componentes (volume) Porcentagem (%) A combinação dos fatores ambientais com a Nitrogênio 78,110 ação do homem determina quais as plantas (a flora) e quais os animais (a fauna) que vão Oxigênio 20,953 existir numa área. Assim, estas espécies Gás Carbônico 0,033 vegetais ou animais são indicadoras das condições daquele ambiente. Hidrogênio 0,00005 Total 99,09605 - Para que serve um indicador? Como a própria palavra já diz, um indicador estáEstes três fatores diretos, sol, água e nutrientes mostrando alguma coisa. Podemos aprender aformam o que se chama de trio ambiental ler na natureza o que ela está querendo nosbásico. mostrar. E ela dá várias pistas pra gente. É só querer enxergar.A partir destes três, há outros fatores indiretos Algumas das pistas são as doenças e asque influenciam o desenvolvimento das pragas. O que elas estão indicando? Isto vamosplantas. Entre eles estão a latitude (se é mais ao ver mais adiante, mas, com certeza, nãosul ou mais ao norte do Brasil, por exemplo), a aparecem só porque deu vontade nelas.altitude (se é na baixada ou na serra), a Outra pista são as ervas invasoras.nebulosidade, os ventos, a umidade do ar, aquantidade de ar no solo, etc... - Porque as ervas invasoras são, ao mesmo tempo, plantas indicadoras?- Como se pode aproveitar da melhorforma possível estes recursos naturais - o As plantas podem e devem ser vistas como umsol, a água e os nutrientes? recurso natural barato e amplamente disponível para os agricultores. Tanto aquelas que sãoO jeito mais eficiente é tendo bastante vida no semeadas pelos agricultores quanto as quesolo. Quanto mais vida, mais fertilidade. Quanto nascem espontaneamente. É necessáriomais fertilidade, maior garantia de saúde para entendermos o papel que a vegetaçãoas plantas. E quanto mais saúde, maior "espontânea" desempenha em nosso solo,produtividade. para que deixemos de enxergar um inço ou erva daninha e passemos a considerar como umAssim, um princípio básico em agricultura recurso, que está à nossa disposição. E que,ecológica é de que o solo é um organismo vivo. com um manejo adequado, se torna bastanteTodo o manejo que se fizer neste organismo útil.solo tem que ser para aumentar esta vida.Deixando o solo coberto o maior tempo possível Em um ecossistema natural todo ser vivo, sejao agricultor estará aproveitando a energia, farta ele vegetal ou animal, tem um papel ae de graça, que chega na sua propriedade. Com desempenhar (um serviço a prestar) para aisso pode evitar ter que recorrer à energia do comunidade da qual faz parte. Além de,petróleo, comprada na forma de adubo químico obviamente, contribuir para a manutenção de(NPK). 4
  6. 6. sua própria espécie. É a análise de qual papel modificando. As espécies de plantas irão seque determinada espécie vegetal desempenha, sucedendo umas às outras com um objetivono nicho ecológico no qual momentaneamente bem definido: permitir que a vida se instale cadaestá se sobressaindo, que nos leva ao conceito vez mais neste ambiente. Cada planta, oude plantas indicadoras. Se as encararmos conjunto de plantas, além de nos informar ocomo daninhas e buscarmos sua erradicação, estágio de maturidade em que este ambiente seestaremos perdendo uma preciosa fonte de encontra (por isto plantas indicadoras), preparainformações, que nos auxiliariam nas tomadas as condições para que este processo tenhade decisão em relação ao nosso manejo. Se, ao continuidade, permitindo o surgimento decontrário, as vemos como indicadoras, outras espécies que trarão suas contribuições apoderemos utilizar não só as informações que esta "caminhada".ela nos trazem, como também manejarmos suapresença. Desta forma permitiremos que elas - Na prática, como é que se vê isto?cumpram sua função para a comunidadevegetal da qual fazem parte. Um solo dominado por gramíneas estoloníferas como a milhã (Digitaria sanguinalis), porNa verdade, o chamado inço é apenas uma exemplo, encontra-se numa fase que apresentaplanta que desponta no local e no momento que estrutura física deficiente, ou seja, não é umnão nos interessa. Mesmo uma planta de milho solo solto. À medida que as plantas e,ou feijão pode se comportar como inço em especialmente, suas raízes se decompõem, háalgumas ocasiões. O que importa, então, não é uma incorporação significativa de matériaeliminá-los, mas sim manejá-los para que orgânica no solo, melhoradora da estrutura.apareçam em momentos que nos tragam maisbenefícios do que prejuízos. Um outro exemplo, já clássico, é o da nabiça (Raphanus raphanistrum), que é uma erva- Dá para explicar melhor a função das indicadora de falta de disponibilidade de boro eervas? manganês no solo. Ela tem uma maior capacidade de extrair estes minerais do solo,Para entender bem a função que os inços têm a quando comparada à maioria das outrascumprir, é importante compreender o conceito plantas. Sendo assim, seu papel na sucessãode sucessão vegetal. vegetal é o de tornar estes elementos disponíveis quando encerra seu ciclo, para queDesde quando uma rocha começa a se a sucessão possa seguir seu curso até chegar àdesmanchar para se tornar solo, surge uma vegetação clímax.colonização de plantas que irá acompanhartodo o processo de "envelhecimento" deste A guanxuma (Sida rombifolia), indicadora desolo, até que ele atinja seu máximo grau de solo compactado e que possui uma raizdesenvolvimento, quando então estará pivotante agressiva, capaz de fazer exatamentecolonizado pela vegetação clímax, o trabalho de descompactação.característica do ambiente, formando umafloresta. Durante todo este processo de Assim, as ervas ao mesmo tempo em que"envelhecimento" do conjunto solo-planta, a indicam um problema, são a própria soluçãocolonização vegetal estará continuamente se natural para superar determinada situação. 5
  7. 7. Dentre as muitas evidências práticas que Afinal, a forma que a natureza tem de sefundamentam este conceito, uma é proteger de nossas agressões ao solo é colocarparticularmente interessante. Quando um plantas cada vez mais difíceis de seremagricultor abandona um solo para pousio, o erradicadas.comum é que este esteja degradado, em maiorou menor grau. Nestas circunstâncias podemos Se capinarmos insistentemente um solo ondeencontrar uma vegetação dominante de, por aparecem predominantemente beldroegas,exemplo, milhã e guanxuma. Passados três ou irão aparecer guanxumas.quatro anos deste abandono, não será maispossível ver estas duas espécies sobre o solo. Se seguirmos com um manejo de eliminar asPode nos dar a impressão de que se acabaram plantas, possivelmente aparecerá milhã.as sementes. Porém, quando o agricultor,depois de 10, 15 ou 30 anos, voltar a cultivar Sempre vem uma planta com maior capacidadeeste solo, usando práticas como fogo e aração, de proteger o solo, e conseqüentemente, maisem 2 ou 3 anos, a guanxuma e a milhã voltam a difícil de ser erradicada.predominar. Além destas vantagens específicas e queEm outras palavras, uma determinada espécie dizem respeito ao papel que a planta tem anão depende da quantidade de sementes que desempenhar na sucessão vegetal, todas astêm no solo para aparecer com maior ou menor plantas têm capacidade de aproveitar parte daintensidade. São os fatores do solo e do clima energia do sol e da chuva que caem em nossa(fatores edafoclimáticos) que determinam qual terra, ou em nosso agroecossistema.espécie irá predominar naquele momento. Osolo possui um banco de sementes e são as Assim, se um "inço", em determinado momentocondições de umidade, vento, luminosidade, e local não está competindo com a cultura, edisponibilidade de nutrientes, etc, que irão ainda auxilia no aproveitamento da energia quepropiciar o surgimento desta ou daquela incide gratuitamente em nossas terras,espécie. estamos tendo mais benefícios do que prejuízos com sua presença e não há porque- Então, como é que fica a capina? pensar na sua erradicação.É impossível que o agricultor consiga atingir seu Portanto o controle das ervas é feito não por suaobjetivo de deixar sua lavoura limpa ou eliminação sistemática por meios mecânicos,"desinçada". Solo que não vem vegetação é um mas sim através das mudanças na qualidade dodeserto e isto nós não queremos para nossas ambiente - no caso o solo - que propiciam oterras. À medida em que tentamos limpar a aparecimento de espécies menos agressivas eterra estamos, na verdade, impedindo que o menos competidoras com a cultura comercial.solo avance em seu processo de sucessãovegetal e, com isto, dando as condições Já tem gente estudando o que as plantas sãonecessárias para que plantas cada vez mais capazes de nos dizer a respeito do solo aondedifíceis de serem manejadas apareçam. aparecem, como as que estão na lista a seguir. 6
  8. 8. PLANTAS INDICADORAS NOME NOME CIENTÍFICO O QUE INDICAM Solo argiloso, pH baixo, falta de cálcio Azedinha Oxalis oxyptera e/ou molibdênio. Desequilíbrio de nitrogênio c/ cobre, Amendoim brabo Euphorbia heterophylla ausência de molibdênio. Solo bem estruturado, com umidade Beldroega Portulaca oleracea e matéria orgânica. Solo anaeróbico, com nutrientes Capim arroz Echinochloa crusgallii “reduzidos” a substâncias tóxicas. Solo muito exausto, com nível de Cabelo de porco Carex ssp cálcio extremamente baixo. Capim amoroso ou Cenchrus ciliatus Solo depauperado e muito duro, carrapicho pobre em cálcio. Planta de pastagens degradadas Caraguatá Eryngium ciliatum e com húmus ácido. Solos que retêm água estagnada na Carqueja Baccharis spp estação chuvosa, pobres em molibdênio. Presença de nitrogênio livre Caruru Amaranthus ssp (matéria orgânica). Cravo brabo Tagetes minuta Solo infestado de nematóides. Dente de leão Taraxum officinalis Presença de boro. Fazendeiro ou Solos cultivados com nitrogênio suficiente, Galinsoga parviflora picão branco faltando cobre ou outros micronutrientes. Guanxuma ou malva Sida ssp Solos muito compactados. Língua de vaca Rumex ssp Excesso de nitrogênio livre, terra fresca. Camada estagnante em 40 a 50 cm de Maria mole ou berneira Senecio brasiliensis profundidade, falta potássio. Mamona Ricinus communis Solo arejado, deficiente em potássio. Nabisco ou nabo brabo Raphanus raphanistrum Solos carentes em boro e manganês. Papuã Brachiaria plantaginea Solo com laje superficial e falta de zinco. Picão preto Bidens pilosa Solos de média fertilidade. Samambaia Pteridium aquilinum Excesso de alumínio tóxico. Solos ácidos, adensados, mal drenados, Tiririca Cyperus rotundus possível deficiência de magnésio. Excesso de nitrogênio livre, carência Urtiga Urtiga urens em cobre.* Adaptado de Ana Primavesi, in Agricultura Sustentável, Nobel; São Paulo -1992. 7
  9. 9. 3. CONTROLE BIOLÓGICO -PREDADORES E PARASITASNa agricultura, se chama de equilíbrio biológico O controle biológico do futuro corre o risco deo controle que predadores e parasitas fazem no ser seres vivos criados ou manipuladoscrescimento da população dos insetos, ácaros, geneticamente pelo homem, capazes de senematóides, fungos, bactérias e vírus. reproduzirem, totalmente alheios ao ambiente natural e, portanto, fora do sistema de auto-Podemos citar, como exemplos, os casos de: regulação desenvolvido com a evolução das espécies, durante milhares de anos.- pulgão ("praga"), que é comido pela joaninha(predador). Dá bem para imaginar as conseqüências deste risco de perda de controle!-lagarta-da-soja ("praga"), que é infectada peloBaculovirus (parasita). - É apenas a morte dos inimigos naturais que causa o aumento de "pragas" eEsse equilíbrio é importante para manter, num "doenças" nas lavouras?nível que não cause dano econômico, aspopulações de insetos e doenças que podem Não, existem outros fatores que podemser prejudiciais. determinar um aumento descontrolado dessas populações de pragas e doenças.Há muitas espécies que são predadoras ouparasitas das pragas e doenças que atacam os Várias das correntes que trabalham comcultivos agrícolas. agricultura sem o uso de químicos atribuem suas experiências de não terem problemas deSão insetos, ácaros, nematóides, fungos, "pragas ou doenças" ao equilíbrio dasbactérias e vírus. populações de predadores e parasitas.Animais maiores também são muitíssimoimportantes, entre eles: aves, morcegos, tatus, E, quando os problemas eventualmentecobras, rãs, sapos e aranhas. ocorrem, são controlados com "venenos naturais", como fumo, piretro, etc... Só há umaAté os dias de hoje, os controles biológicos substituição do agente que controla o distúrbio.vendidos pelas empresas multinacionais, comoo Bacillus thuringiensis (nome comercial Ao invés de um químico sintético se usa umDIPEL) e o Baculovirus, são organismos produto natural. É como se mudássemos o queencontrados na natureza, que foram está dentro do pacote, sem mudar o pacote.selecionados e reproduzidos em laboratórios. Mas, no controle de pragas e doenças, tambémAgora, com as possibilidades geradas pela é muito importante o que acontece por dentroengenharia genética, se abre uma outra da planta. A isto damos o nome de controleperspectiva. fisiológico. 8
  10. 10. 4. CONTROLE FISIOLÓGICO - Essas plantas maltratadas têm, na sua seiva, osTROFOBIOSE produtos livres que os insetos e doenças precisam para se alimentar e viver.O assunto é bastante complexo, mas o seuprincípio é simples e de fácil compreensão. Podemos trocar o nome de pragas e doenças para indicadores biológicos de mau manejo.A palavra Trofobiose foi usada pelo Insetos, ácaros, nematóides, fungos, bactériaspesquisador francês Francis Chaboussou para e vírus são a conseqüência e não a causa dodar nome a sua idéia de que não é qualquer problema. Lembram que já falamos disto naplanta que é atacada por pragas e doenças. parte de indicadores biológicos?Ou seja, a planta precisa é servir de alimentoadequado à praga ou doença para ser atacada. - E como é que se pode tratar bem as plantas?- Como funciona o controle fisiológico? Uma regra geral é que plantas tratadas comTrofobiose parece um palavrão. Mas não é! matéria orgânica são bem menos atacadas por insetos e doenças.Trofo - quer dizer alimentoBiose - quer dizer existência de vida Mas há outras coisas. Todos os fatores que interferem no nível do metabolismo da planta,Portanto, trofobiose quer dizer: todo e ou seja, no seu funcionamento interno, podemqualquer ser vivo só sobrevive se houver diminuir ou aumentar sua resistência. Paraalimento adequado disponível para ele. tratar bem, temos que ter um manejo que aumente a resistência.Em outras palavras: A planta ou parte da plantacultivada só será atacada por um inseto, ácaro, Vamos listar estes fatores e depois olhar cadanematóide ou microorganismo (fungos ou um com mais detalhe.bactérias), quando tiver na sua seiva,exatamente o alimento que eles precisam. Este FATORES QUE INTERFEREM NOalimento é constituído, principalmente, por METABOLISMO DA PLANTAaminoácidos, que são substâncias simples e a. Espécie ou variedade de planta (genética)se desmancham facilmente (solúveis). Paraque a planta tenha uma quantidade maior de b. Idade da planta (ou idade da parte da planta)aminoácidos, basta tratá-la de maneira errada. c. Solo d. Clima (luz, temperatura, umidade, vento)Quer dizer, um vegetal saudável, bem e. Adubos orgânicosalimentado, dificilmente será atacado por f. Adubos minerais de baixa solubilidade"pragas" e "doenças". As ditas "pragas" e g. Tratamentos nutricionais"doenças" morrem de fome numa planta sadia. h. Tratos culturais - capina, podas i. EnxertiaAs pragas e doenças só atacam as plantas que j. Adubos químicos (NPK)foram maltratadas de alguma forma. k. Agrotóxicos 9
  11. 11. - Por que estes fatores interferem na Depois de ser praticamente desmanchado, oresistência? alimento, já na forma de aminoácidos, vai para o intestino, é absorvido no sangue e vai ser usadoTodos esses fatores estão ligados à formação para construir outras proteínas, como pele,(síntese) de proteínas - à proteossíntese ou à cabelos, unhas, etc...decomposição delas - a proteólise. O homem tem uma diversidade muito grande dePara se entender melhor, podemos imaginar enzimas que o fazem capaz de digerirque cada proteína é como uma corrente e os diferentes alimentos.aminoácidos são as argolas que formam estacorrente. Ou, que cada proteína é como a Mas, por exemplo, não tem enzimas queparede de uma construção e os aminoácidos conseguem digerir feno ou serragem. Istosão os seus tijolos. significa que se comer tanto feno quanto serragem, vai encher o estômago, mas morrer- Mas o que as proteínas e os aminoácidos de fome.têm a ver com a resistência das plantas aoataque de insetos, ácaros, nematóides ou Segunda: Agora são insetos, nematóides,doenças? ácaros, fungos, bactérias e vírus que estão se alimentando.Para melhor entendimento, vamos compararduas situações: Estes seres, ao contrário do homem, têm uma variedade muito pequena de enzimasPrimeira: Um homem alimenta-se com um digestivas, o que reduz sua possibilidade depedaço de carne, que é composto basicamente aproveitar completamente moléculas grandesde proteínas e gorduras. (complexas) como as proteínas.O primeiro passo é mastigar, para triturar e Eles só são capazes de cortar algumas argolasmisturar com a saliva e, assim, iniciar o das correntes ou retirar alguns tijolos dasprocesso de digestão. paredes.A seguir, o líquido do estômago fica Portanto, para terem uma nutrição satisfatória,encarregado de continuar o trabalho de eles devem encontrar o alimento já na suadecompor estas proteínas. forma simples como, por exemplo, aminoácidos. Senão, acontece o mesmo queTanto na saliva quanto no estômago, quem se no homem quando ingere feno ou serragem -encarrega de fazer a digestão são as enzimas. morrem de fome.Elas são como ferramentas de muitosdiferentes tipos, capazes de separar as argolas Uma proteína é composta por uma seqüênciadas correntes de proteínas ou destruir a massa de aminoácidos. As plantas vivas juntamque une os tijolos das paredes da construção. aminoácidos para formar as proteínas. 10
  12. 12. TROFOBIOSE aminoácido 1 3 5 6 2 4 Para que os aminoácidos se juntem e formem proteínas são necessárias as enzimas. As enzimas precisam de uma nutrição balanceada e completa para atuarem. aminoácido 2 aminoácido 1 A seiva transporta proteínas e aminoácidos, açúcares e nitratos para os pontos de crescimento da planta. Proteínas Nitrato e Açúcares SEIVA Porém, o uso de agrotóxicos, a adubação desequilibrada e a falta de boas condições para planta atrapalham este mecanismo. SEIVAQuando isto acontece, a seiva fica carregada de aminoácidos livres, açúcares e nitratos. Este são os alimentos preferenciais de fungos, bactérias, ácaros e nematóides. SEIVA 11
  13. 13. - Mas, o que determina que uma planta Como resultado, teremos uma determinadatenha maior ou menor quantidade de planta que só parece ser, mas que na realidadesubstâncias simples, como os aminoácidos, não é e que, portanto, não funciona como deve.circulando na seiva? Como já vimos, a proteossíntese depende de muitos fatores que influenciam o metabolismoIsto está relacionado com a formação de das plantas, ou seja, a sua resistência.proteínas - quanto mais intensa for aproteossíntese, menor será a sobra de Por outro lado, a proteólise ou decomposiçãoaminoácidos livres, açúcares e minerais das proteínas provoca um excesso desolúveis. Além disto, a formação eficiente de substâncias solúveis na seiva, fazendo comproteínas aumenta o nível de respiração e de que a planta torne-se um alimento adequadofotossíntese da planta, melhorando todo o para insetos, ácaros, nematóides, fungos,funcionamento da planta. bactérias e vírus.Vamos fazer outra comparação, para entender - Vamos ver mais em detalhe os fatoresmelhor o que é a formação das proteínas - a que influenciam a proteossíntese ou aproteossíntese. proteólise das plantas?Podemos imaginar, por exemplo, que a planta é a. Espécie ou variedade da plantauma unidade montadora de carros. A adaptação genética da planta ao local dePara montar um carro é necessário estarem cultivo (que determina a maior capacidade dedisponíveis nas esteiras de montagem, entre absorver nutrientes pelas raízes e maioroutras coisas: 5 rodas, 5 pneus, 3 bancos, 1 capacidade de fotossíntese das folhas, pormotor, 1 suspensão, 1 direção, 1 pára-brisa exemplo) aumenta o seu poder dedianteiro e um traseiro, e assim por diante. Se proteossíntese. Se a variedade não for bemfaltarem algumas das peças ou se, por adaptada, o funcionamento da planta ficaexemplo, a esteira que leva rodas tiver prejudicado. É o que acontece quando sevelocidade muito mais rápida do que a que leva cultivam espécies mais de frio já perto do verão.o motor, o carro terá alguns tipos de peças Ou espécies da baixada cultivadas na serra.sobrando e outras faltando. O produto final ficaparecendo um carro, mas na verdade seu b. Idade da planta ou de parte da plantafuncionamento e composição estãoprejudicados. Não são como deveriam ser! Plantas na fase de brotação e floração têm, naturalmente, maior atividade de proteólise.Assim, podemos comparar as peças para Durante seu ciclo, a planta armazena reservasmontar o carro aos minerais que a planta para os períodos de necessidade, como é onecessita para seu funcionamento. Se faltarem caso da época de reprodução. Nesta fase asalguns minerais ou se a absorção for proteínas da reserva são decompostas, paradesequilibrada (rápida demais, no caso de que possam se deslocar e formar as brotaçõesadubos químicos solúveis/NPK), o e flores novas. É um período em que,funcionamento da montadora fica prejudicado - naturalmente, a planta vai estar mais sensível ea proteossíntese fica prejudicada. frágil. 12
  14. 14. Nas folhas velhas também há decomposição Umidadenormal das proteínas, para que os produtos e Falta ou excesso de umidade causamminerais possam se deslocar e serem desequilíbrios nas plantas, ou seja, pioram oreaproveitados para as folhas mais novas. funcionamento da montadora, diminuindo aConseqüentemente, folhas velhas são mais proteossíntese ou provocando a proteólise. Aatacadas que as maduras. água é um dos fatores que movimentam a entrada de nutrientes nas plantas.As folhas bem jovens também são maissensíveis do que as maduras. A carga de e. Adubos orgânicosnutrientes que elas recebem é muito grande e o"motor" para aproveitar o que chega ainda é A matéria orgânica aplicada ao solo aumenta ainsuficiente, acumulando substâncias solúveis proteossíntese nas plantas, pelos seusque servem de alimento a pragas e doenças. compostos orgânicos e pela sua diversidadeUm bom exemplo disso é um pé de laranjeira. em macro e micronutrientes. Esse fator vai serAs folhas bem de baixo, mais velhas, em geral detalhado adiante, pela sua importânciaapresentam mais doenças. As do meio, são fundamental.verde-escuras, saudáveis enquanto as bemjovens, em geral, são atacadas por pulgões. f. Adubos minerais de baixa solubilidadec. Solo Esses produtos, como fosfatos naturais, calcário e restos de mineração, em quantidadesA boa fertilidade de um solo, que é dada por moderadas, aumentam a proteossíntese nascondições físicas adequadas (solo solto), boa plantas.diversidade de nutrientes e muita atividade dosmicrorganismos, aumenta o poder de absorção Isto ocorre porque se tornam gradativamentee de escolha de alimentos pelas plantas, disponíveis para a absorção pelas raízes efavorecendo a proteossíntese. estimulam o seu crescimento, aumentando aAo contrário, solos fracos, muito trabalhados, sua capacidade de buscar água e nutrientes dogastos, compactados, diminuem a capacidade solo. Eles não prejudicam a macro e microvidadas plantas de escolher e de absorver do solo, ao contrário dos adubos químicosnutrientes, prejudicando a proteossíntese e solúveis concentrados.facilitando o acúmulo de substâncias solúveis.Este aspecto é tão importante que vamos falar g. Tratamentos nutricionaisde novo sobre ele, mais adiante Esses produtos, como cinzas, biofertilizantes ed. Clima soro de leite exercem uma ação benéfica sobre o metabolismo das plantas, aumentando a Luminosidade proteossíntese. Isto ocorre devido àsA falta de sol diminui a atividade de substâncias orgânicas e à diversidade defotossíntese, prejudicando a síntese de micronutrientes que eles têm.proteínas. Portanto, quando há vários diasnublados, podemos esperar problemas nas Vamos falar bem mais deste assunto, na parteplantas. de biofertilizantes enriquecidos. 13
  15. 15. h. Tratos Culturais etc) ou por outros organismos que estão livres no solo. E atrapalham a liberação de fósforo eCapinas, lavrações e gradeações com corte de muitos outros minerais, que é feita pelasraízes e podas mal feitas, prejudicam o micorrizas. As micorrizas são fungos benéficosmetabolismo normal das plantas, que têm que que estão nas raízes das plantas.curar o estrago, aumentando a proteólise.Como no caso da brotação e floração, a planta Tanto as bactérias quanto as micorrizas quetem que decompor suas reservas, levar até o estão nas raízes das plantas fazem uma troca.ferimento e refazer as estruturas que foram Elas recebem comida da planta (carboidratos) edanificadas pelo corte da capina ou da poda. dão em troca o nitrogênio, o fósforo, o boro, o zinco, o manganês, e muitos outros minerais.i. Enxertia k. AgrotóxicosOnde o porta-enxerto e o enxerto se encostam,naturalmente se forma um filtro para os A aplicação de agrotóxicos diminui anutrientes que estão na seiva da planta. Isto proteossíntese de duas formas. A primeira, dequer dizer que nem tudo o que a raiz absorve forma direta, pelo seu efeito sobre a planta. Achega até à copa. Têm coisas que ficam retidas segunda, de forma indireta, pelo seu efeitopelo caminho. sobre o solo.Em plantas enxertadas, nem sempre basta o Todos os agrotóxicos são capazes de entrar nasolo estar ótimo. Às vezes é preciso planta pelas folhas, raízes, frutos, sementes,compensar este filtro com pulverizações galhos ou troncos.foliares periódicas. Eles podem diminuir a respiração, aj. Adubos químicos (NPK) transpiração e a fotossíntese da planta, afetando a proteossíntese, prejudicando aEsses produtos, como uréia, NPK, cloreto de resistência das plantas.potássio e superfosfatos, diminuem aproteossíntese, porque alteram o Como os adubos químicos, os agrotóxicosfuncionamento das plantas. Eles têm produtos também destroem a vida útil do solo,tóxicos na sua fórmula e têm concentrações prejudicando a disponibilidade de nutrientesexageradas de nutrientes, que causam para as plantas. Esses produtos matamproblemas no crescimento das plantas. minhocas, besouros e outros pequenos organismos altamente benéficos para aOs adubos químicos solúveis, que são ácidos e agricultura.salinos, destroem a vida útil do solo,prejudicando todos os processos de retirada de Os agrotóxicos aumentam o poder de ação enutrientes tais como o fósforo, cálcio, potássio, reprodução de insetos que sobrevivem a umanitrogênio e outros. Também acabam com a pulverização, além de aumentar a resistênciafixação do nitrogênio do ar, que é feita pelas genética desses insetos contra o veneno.bactérias ( Rhizobium) das raízes das Destroem, também, os chamados inimigosleguminosas (feijão, soja, trevo, vagem, ervilha, naturais (os controles biológicos). 14
  16. 16. Fungicidas como Zineb, Maneb e Dithane Todos os grandes problemas com insetos ecausam viroses (doenças) e provocam ataque microorganismos nas lavouras começaramde ácaros em várias plantas, depois do após a invenção e utilização dos agrotóxicos etratamento. adubos concentrados.Além disto, qualquer fungicida mata as Antes disso, as plantações, em todo o mundo,micorrizas. eram muito mais sadias. A agricultura moderna, ao invés de ajudar o funcionamento da planta, só atrapalha. PLANTA SADIA a éi Ur tó xi co (EQUILIBRADA) ro ag PK N PROTEÍNAS COMPLEXAS PLANTA DOENTE (DESEQUILIBRADA) AMINOÁCIDOS SOLÚVEIS 15
  17. 17. - Como se pode ajudar o bomfuncionamento das plantas para protege-las de ataques?Vimos antes que plantas tratadas com matériaorgânica são bem menos atacadas por insetose doenças.A adubação do solo com matéria orgânica é amelhor maneira de se estimular aproteossíntese nas plantas e, com isso,aumentar a sua resistência ao ataque Em solo grumoso as Em solo compactadode insetos, ácaros, nematóides e raízes desenvolvem- existem menosmicroorganismos. se melhor e a água raízes e a água não fica bem distribuida, se inflitra deixando a- Por que a matéria orgânica melhora a conservando a planta exposta aresistência das plantas? temperatura do solo temperatura de até amena (24º C), 56º C.a. A matéria orgânica melhora a resistência das mesmo sob sol forte.plantas porque aumenta bastante a capacidadedo solo em armazenar água, diminuindo os Fonte: Guia Rural Abril (1996)efeitos das secas. (desenho acima) b. A matéria orgânica melhora a resistência das plantas porque aumenta a população de minhocas, besouros, fungos benéficos, bactérias benéficas e vários outros organismosRestos Vegetais úteis, que estão livres no solo. homogênea 16
  18. 18. c. A matéria orgânica melhora a resistência das proteossíntese aumenta. Os micronutrientesplantas porque aumenta a população dos são fundamentais para a proteossíntese, tantoorganismos úteis que vivem associados às por fazerem parte das enzimas quanto porraízes das plantas. serem ativadores delas. E as enzimas são as ferramentas que regulam o metabolismo daEntre estes organismos estão as bactérias planta.fixadoras de nitrogênio (Rhizobium) que vivemajudando e sendo ajudadas (em simbiose) f. A matéria orgânica melhora a resistência daspelas plantas chamadas leguminosas (que plantas porque é fundamental na estruturaçãoproduzem vagens, como a soja e feijão). Elas do solo, devido à formação de grumos. Istorecebem comida (carboidratos) das plantas e, aumenta a penetração das raízes e aem troca dão o nitrogênio. quantidade de ar no solo.Outro tipo de organismos são as micorrizas g. A matéria orgânica melhora a resistência das(mico quer dizer fungo, e riza quer dizer raiz). plantas porque existem nela substâncias deSão, portanto, fungos que vivem grudados nas crescimento, que aumentam a respiração e araízes e são capazes de liberar vários minerais fotossíntese nas plantas (os fitohormônios).do solo, fazendo com que as plantas possamusá-los. A presença de micorrizas, por exemplo, 5. SOLOpode aumentar o crescimento das raízes dasplantas e a absorção de nutrientes, bem como a O solo é o recurso natural mais à mão para serresistência ao estresse hídrico. Já foram manejado pelo homem, tanto no sentido demedidos no café (Coffea arabica) aumentos de melhorar quanto de degradar. Já vimos que ematé 300% na absorçåo de zinco, de cobre e de agricultura ecológica o solo é encarado comomanganês. E, na soja ( Glycine max ), um organismo vivo.incrementos de 700% na absorção de zinco, Como qualquer outro organismo vivo, o solo300% na de cobre e 200% na de manganês. necessita de alimentação em quantidade,Elas recebem comida (carboidratos) das qualidade e regularidade adequadas. E deplantas e, em troca liberam no solo muitos estabilidade para poder desempenhar suasoutros nutrientes. atividades da forma mais eficiente possível. A vida do solo é traduzida por milhares de seresd. A matéria orgânica melhora a resistência das vivos de inúmeras espécies, que significamplantas porque aumenta significativamente a centenas de quilos por hectare. É em partecapacidade das raízes de absorver minerais do desconhecida e pouco valorizada, porque asolo, quando se compara aos solos que não visão atual de solos é praticamente baseada emforam tratados com ela. seus aspectos químicos. A intensidade da atividade biológica do solo ée. A matéria orgânica melhora a resistência das fator determinante na sua fertilidade. Temosplantas porque possui, na sua constituição, os que dar alimento ao solo para que ele possamacro e micronutrientes em quantidades bem alimentar as plantas. Portanto, podemosequilibradas, que as plantas absorvem inclusive falar em fertilização dosconforme sua necessidade, escolhendo a microorganismos. Este grupo de seres vivos doqualidade e a quantidade. Com isso, o nível de solo é de uma diversidade extraordinária. 17
  19. 19. A vida do solo - sua atividade biológica, junto - É possível produzir sem adubos químicoscom a vegetação, formam um conjunto que (NPK)?processa sem parar os recursos naturaisbásicos disponíveis: sol, água e nutrientes. É Quando se fala em produzir sem adubosum reciclar permanente de carbono, de químicos, diversas questões aparecem comhidrogênio, de oxigênio e de nitrogênio, freqüência:somados aos minerais encontrados nadecomposição da rocha-matriz do solo. - há fornecimento suficiente de nitrogênio, fósforo, potássio e de outros nutrientes- Que tipos de microorganismos vivem no necessários?solo? - qual quantidade deve ser usada? Com que freqüência? - é possível ter resultados emA decomposição do material orgânico ocorre grandes áreas?em diferentes níveis, feita por diferentes grupos - comprar a matéria orgânica de fora dade seres vivos, que num primeiro momento propriedade não é também uma forma detrituram o material, para posteriormente dependência e de desequilíbrio energético?fazerem a decomposição.A quantidade e o número de espécies que Na realidade, quando secamos uma planta atéhabitam o solo, variam muito de região para que vire cinza, vemos que a maior parte delaregião, de acordo com o clima e o manejo feito. vem do sol, do ar, e da água. Apenas de 2 a 5% vêm de material retirado do solo, mas é daí queUm pesquisador chamado Janick mediu os elas obtêm a grande diversidade dos elementosseres vivos (a flora e pedofauna) de um solo importantes para sua resistência a ataque deagrícola, em clima frio (temperado), nos pragas e doenças. Também não se podeprimeiros 30 cm de profundidade. Ele obteve as esquecer que quase metade das plantas são asseguintes quantidades médias de quilos em raízes, que em sua grande maioriacada hectare: permanecem no solo, incorporando matéria orgânica numa profundidade que nenhum PESO MÉDIO DOS ORGANISMOS VIVOS NO SOLO equipamento agrícola consegue fazer. Bactérias 500 a 1000 Kg Um exemplo bem prático do que falamos antes Fungos 1500 a 2000 Kg é o caso da produção de 100.000 quilos de batatas. O que realmente sai do solo é mínimo, Actinomicetos 800 a 1500 Kg se comparado ao total produzido. Protozoários 200 a 400 Kg INSUMOS NECESSÁRIOS PARA PRODUZIR 100 TONELADAS DE BATATAS Algas 250 a 300 Kg Água 95 500 Kg Nematóides 25 a 50 Kg Fotossíntese 4 450 Kg Minhocas, outros (+ ou -) 800 Kg Minerais do solo 50 Kg vermes e insetos TOTAL 4075 a 6050 Kg TOTAL 100 000 Kg 18
  20. 20. - Como se faz para ter nitrôgênio Se necessário, o fósforo pode ser usado comosuficiente para a cultura? corrretivo nos primeiros anos da conversão para agricultura ecológica, até que a atividadeA natureza tem vários mecanismos de repor o biológica do organismo vivo solo estejanitrogênio para as formas de vida que adequada. As principais fontes de fósforodependem dele e para o solo. A questão, utilizadas podem ser o fosfato natural de Araxánovamente, é parar as atividades que diminuem ou a farinha de ossos. O importante é que tenhaou eliminam a eficiência destes mecanismos de a menor solubilidade possível.auto-regulação. E estimular o aproveitamentodo nitrogênio que está disponível no ar - O que acontece no caso dos(atmosfera). micronutrientes?Há estudos que falam na quantidade de 7 Os micronutrientes dependem basicamente dat/ha/ano de microrganismos mortos no solo, o ação dos microrganismos do solo para seque resulta numa quantia de 100 kg de tornarem assimiláveis pelas plantas.nitrogênio orgânico/ha/ano, 40% dos quaisseriam assimiláveis pelas plantas. Por isso, as carências de micronutrientes sãoEm regiões com chuvas, o efeito dos raios tão freqüentes na agricultura moderna. Oscontribui com até 50 kg de nitrogênio/ha/ano. A solos assim cultivados já quase não recebemestes valores se soma a fixação do nitrogênio matéria orgânica, que é o alimento dosatmosférico pelos fixadores de vida livre no solo microorganismos. E recebem muitosou associados às raízes, que pode chegar a 400 agrotóxicos, que os matam.kg de nitrogênio/ha/ano. Por estas razões não Caso haja necessidade de complementação dese observam deficiências de nitrogênio em minerais, as cinzas, o pó de basalto, o fosfatosistemas naturais ou na agricultura que segue natural, o calcário e a farinha de ossos podemà derrubada de matas. ser usados como fonte.- E como se lida com o problema da É importante entender que o solo é capaz deaparente falta de fósforo? fornecer muitos destes micronutrientes. Mas isto tem relação direta com a intensidade daEm geral, o fósforo contido no solo está pouco atividade biológica que depende, por sua vez,disponível para as plantas, por estar da disponibilidade de matéria orgânica.imobilizado. Mesmo quando se adiciona fosfatosolubilizado (superfosfatos) ao solo, uma boa - Falando em diversidade, de quantosparte dele fica numa forma que a planta não minerais diferentes é formada umapode assimilar. Mas, o mais importante não é planta?esta quantidade disponível em si, e sim o fluxode reposição que o solo é capaz de ter. Pouca gente tem idéia de quantos nutrientesAí, é fundamental o trabalho das micorrizas e de diferentes a planta precisa para poder funcionaroutros arganismos do solo. Outra vez, o bem. Lembram daquele exemplo da planta serprocesso depende da matéria orgânica, vista como uma montadora de carro? Se faltamespecialmente de adubos verdes. E de não se ou sobram peças (nutrientes) o funcionamentousar produtos tóxicos. não vai ser o melhor que a planta pode ter. 19
  21. 21. A tabela seguinte apresenta o conteúdo médiode elementos químicos (nutrientes) quecompõem as plantas, segundo um russochamado Vinográdov. CONTEÚDO MÉDIO DE ELEMENTOS QUÍMICOS DAS PLANTAS EM % DE MATÉRIA VERDE -4 1. Oxigênio 70 20. Cobre 2 x 10 2. Carbono 18 21. Titânio 1 x 10-4 -4 3. Hidrogênio 10 22. Vanádio 1 x 10 4. Cálcio 0,3 23. Boro 1 x 10 -4 5. Potássio 0,3 24. Bário n x 10-4 6. Nitrogênio 0,3 25. Estrôncio n x 10-4 7. Silício 0,15 26. Zircônio n x 10-4 8. Magnésio 0,07 27. Níquel 5 x 10-5 9. Fósforo 0,07 28. Arsênico 3 x 10-5 10. Enxofre 0,05 29. Cobalto 2 x 10-5 11. Alumínio 0,02 30. Flúor 1 x 10-5 12. Sódio 0,02 31. Lítio 1 x 10-5 13. Ferro 0,02 32. Iodo 1 x 10-5 14. Cloro 0,01 33. Chumbo n x 10-5 -3 15. Manganês 1 x 10 34. Cádmio 1 x 10-6 -4 16. Cromo 5 x 10 35. Césio n x 10-6 -4 17. Rubídio 5 x 10 36. Selênio 1 x 10-7 18. Zinco 3 x 10 -4 37. Mercúrio n x 10-7 19. Molibdênio 3 x 10 -4 38. Rádio n x 10-4 20
  22. 22. Como podemos ver, quando se aduba com NPK e doenças dos quais já falamos.(nitrogênio, fósforo e potássio), mais um poucode correção com calcário (que tem cálcio e Do mesmo modo que as ervas são indicadorasmagnésio) e um ou outro micronutriente, ainda do tipo de solo, as doenças e insetos mostramfalta muita coisa para se poder dizer que a dificuldades que as plantas estão tendo.planta está bem alimentada. Na tabela a seguir vemos problemasE daí, surgem muitos dos problemas de pragas associados à carência de nutrientes. DEFICIÊNCIA DE CULTURA DOENÇA OU INSETO QUE APARECE parreira cochonilhas tomate podridão apical CÁLCIO tomateiro morango virose "vira-cabeça" podridão feijoeiro mosca-branca (Bemisa tabaci) vírus dourado cevada míldio (Erysiphe graminis) trigo ferrugem (Puccinia graminis tritici e Puccinia glumarum) . míldio (Erysiphe cichoracearum) girassol míldio (Botrytis sp.) BORO couve-flor milho lagarta do cartucho (Spodoptera sp.) podridão-seca-da-espiga (Diploida zea) . sarna (Streptomyces scabiei) batata oidium melancia sarna (Streptomyces scabiei) batata-doce arroz brusone (Piricularia oryzae) trigo COBRE cafeeiro ferrugem (Puccinia graminis tritici) ferrugem (Hemileia vastatrix) tomateiro MAGNÉSIO acácia infecções bacterianas besouro serrador (Oncideres impluviata) aveia infecções bacterianas MANGANÊS trigo ferrugem (Puccinia graminis tritici) MOLIBDÊNIO algodoeiro lagarta rosada (Platyedra gossypiella) + FÓSFORO baixa resistência MOLIBDÊNIO alfafa seringueira Oidium hevea e Phytophthora sp. ZINCO milho broca do colmo (Elasmopalpus lignosellus) (Ana Maria Primavesi - Curso de solos / 1989 e manejo Ecológico de Pragas e Doenças) 21
  23. 23. - E o que a análise do solo nos diz, em das espécies comuns de fungo de solo, oagricultura ecológica? Aspergillus niger.Em agricultura ecológica, o resultado da análise As análises, feitas em solos de origemquímica de um solo não nos diz, corretamente, vulcânica, deram aos seguintes resultados:a disponibilidade de nutrientes neste solo. ppm de P ppm de P Solo HorizonteÉ que o solo é um organismo vivo, com ciclos de Bray Kurtz Aspergillus nigeratividade biológicos e químicos bastante Arrayán A 3,3 708intensos e acelerados. Ou seja, ele varia no Callipuli A 3,1 50espaço e no tempo. Quando retiramos umaamostra e analisamos, estamos trabalhando Temuco A 3,8 726com solo isolado de todos os componentes Padre las Casas A 4,3 606químicos e biológicos que o estavaminfluenciando. É como se tirássemos umafotografia de um carro em movimento. Temos No resultado desta análise, se um técnico vê umapenas um retrato, bastante fora de foco, de teor de fósforo de 3,3 ou 4,3 ppm, eleuma realidade extremamente dinâmica. recomenda imediatamente a adição de adubo fosfatado. Agora, se o resultado, no mesmoAs análises dão um retrato, por baixo, da solo, for 708 ou 606 ppm, então a situação équantidade real de minerais presentes em um outra, ainda mais quando se pensa num solodeterminado solo, tanto no que se refere à biologicamente ativo onde, além do Aspergillusdiversidade quanto às quantidades. niger, agem inúmeras espécies capazes deNormalmente, se mede as quantidades de tornar os minerais disponíveis para as plantas.nutrientes não levando em consideração o queé liberado pela própria matéria orgânica ou - Como é esta parte do solo onde as raízesatravés da atividade biológica do solo. Os testes se concentram?revelam apenas o que está imediatamentedisponível para a planta. E os componentes não Ela se chama rizosfera - o local em torno dasdisponíveis ou insolúveis são em muitíssima raízes. Numa camada muitas vezes nãomaior quantidade. É esta riqueza de nutrientes superior a 30cm se encontra 80% da atividadeque é imobilizada pelos fertilizantes químicos, biológica de um solo, em climas como o nosso.mas é tornada disponível pelos fertilizantes À medida que nos aprofundamos no solo,orgânicos, devido à atividade biológica que diminui o oxigênio e, conseqüentemente, asdesencadeiam. formas de vida que decompõem (oxidam) a matéria orgânica e que mantêm o fluxo cíclico eComo um exemplo prático, um trabalho constante dos nutrientes. As raízes grandes,realizado no Chile, procurou determinar que extraem a água, aprofundam-se no solo e,extratores de fósforo para análises de solos em ao final do ciclo de vida da planta, enterramlaboratórios. Foram testados dois extratores. O grandes quantidades de carbono, deixandoprimeiro, através de um método químico novos canais abertos para que as plantas quechamado Bray Kurtz. E o segundo, por um crescerem a seguir tenham mais facilidade emmétodo biológico, empregando apenas uma expandir suas raízes. 22
  24. 24. - É preciso corrigir o solo? Quer dizer, torna o solo adequado para as plantas desenvolverem bem, no pH 6 a 7.A sociedade atual tem exigências que nemsempre são compatíveis com o ecossistema em O calcário, portanto, é utilizado em pequenasque vivem as comunidades de seres humanos. doses, de cerca de 300 a 800 kg por ha/ano,A produção agrícola é, claramente, um exemplo quando necessário, como fonte de cálcio para adisto: o homem moderno quer consumir planta.produtos cuja época ou local de cultivo não sãocompatíveis com a sua demanda. Surge então 6. ADUBOS ORGÂNICOSa necessidade de se introduzir artifícios nomanejo do agrossistema. Os efeitos da adição de matéria orgânica aosUm destes artifícios é o uso dos chamados solos são positivos em praticamente todos os"corretivos de solo", que permitem cultivar aspectos. Para ficar melhor de entender, se dizterras consideradas inadequadas à maioria das que um solo tem três tipos de característicasvariedades atuais de plantas cultivadas. Na (propriedades) diferentes, as físicas, asrealidade o que chamamos de correção é tornar químicas e as biológicas.o solo adaptado à cultura que queremos. E nãoadaptar o cultivo ao solo, como seria mais - E o que são as propriedades físicas?racional do ponto de vista ecológico. Esteprocedimento, se pensarmos em termos As propriedades físicas são aquelas queglobais, compromete a sustentabilidade do determinam, por exemplo, se o solo é solto,sistema, já que implica em trazer material não aerado, ou se é compactado. Se a água penetrarenovável de algum outro local, que se traduz bem ou se escorre, quando chove.num gasto maior de energia. ; Efeitos da matéria orgânica sobre asNas nossas condições, no Sul do Brasil, de propriedades físicas do solosolos naturalmente bastante ácidos, quando sefala em "correção" basicamente se pensa em 01. Diminui a densidade;calcário, para neutralizar o alumínio. 02. Melhora a estrutura - é um agentePrecisamos fornecer o cálcio, que tem no cimentante;calcário, para os cultivos, mas não se trata de 03. Torna o solo mais friável;detonar o solo, adicionando toneladas por 04. Aumenta a capacidade de retençãohectare, que eleva o pH mas traz uma brutal de água;mortalidade aos microrganismos do solo. Na 05. Aumenta a infiltração da água;agricultura ecológica, a elevação do pH, a fim 06. Facilita a drenagem;de reduzir a toxicidade do alumínio e tornar os 07. Aumenta a circulação de ar no solo;outros minerais mais disponíveis para as 08. Reduz a variação da temperaturaplantas, é conseguida através da incorporação do solo;de matéria orgânica fresca ao sistema agrícola, 09. Amortiza o impacto direto das gotasespecialmente na forma de adubos verdes. A de chuva;matéria orgânica é tão especial que se o solo for 10. Aumenta a absorção de nutrientes;alcalino (pH maior que 7), ela baixa o pH até a 11. Aumenta a superfície específica.neutralidade. 23
  25. 25. - O que são propriedades químicas? A adição de matéria orgânica ao solo é a chave para ativar todo o sistema. Um dos princípiosAs propriedades químicas do solo mostram a básicos da agricultura ecológica é queacidez (pH), a quantidade e diversidade de adubamos o solo, para o solo poder adubarnutrientes, se a planta pode absorver bem estes nossos cultivos.minerais, etc. A fim de poder manter a diversidade das populações de microrganismos, a regra geral é Efeitos da matéria orgânica sobre as 1) garantir a melhor cobertura possível, propriedades químicas do solo evitando solo pelado e 2) uma rotação/sucessão variada de cultivos/ervas. 01. Aumenta a capacidade de troca catiônica; 02. Aumenta disponibilidade de nutrientes; 03. Aumenta a adsorção de cátions; 04. Eleva ou diminui o pH; 05. Complexa o alumínio tóxico; 06. Controla a presença de elementos tóxicos como ferro, manganês e metais pesados, pela capacidade de fixar, quelar ou complexar estes elementos; 07. Recupera solos salinos; 08. Aumenta o poder tampão do solo; 09. Fixa o nitrogênio do ar; 10. Fornece substâncias estimulantes de crescimento.- E o que são as propriedades biológicas?As propriedades biológicas do solo têm a vercom a vida que existe nele. Efeitos da matéria orgânica sobre as propriedades biológicas do solo 01. Aumenta a atividade de microorganismos; 02. Aumenta a atividade de micorrizas; 03. Aumenta a atividade das bactérias Rhizobium; 04. Aumenta a atividade de minhocas. 24
  26. 26. 6.1. ADUBOS VERDES / ERVASA forma mais eficiente de adição de matériaorgânica ao solo, do ponto de vista energético ede uso dos recursos naturais, é a adubaçãoverde: com uma pequena semente, sol, água,ar e solo há produção de uma quantidadeenorme de massa verde. Ela está tanto nasuperfície quanto incorporada de formaprofunda no perfil do solo, a partir dadecomposição das raízes.Uma série de plantas, semeadas ou queaparecem por si podem adicionar materialorgânico ao solo, trazendo grandes vantagens.Na foto ao lado uma plantação de ervilhaca eaveia preta. A seguir tabela com as principaisplantas usadas como adubação verde e decobertura. Plantas usadas como adubação verde e de cobertura Produção de Kg de Nitrogênio na Espécie Kg sementes / ha matéria seca / ha Biomassa (Kg / ha) Aveia preta 75 4.600 70 Aveia preta + ervilhaca 50 / 30 5.000 - Centeio 70 8.480 68 Ervilhaca 80 3500 106 Nabo forrageiro 15 - 20 3500 106 Crotalaria juncea 40 9.933 60 Feijão de porco 150 - 180 7.100 180 Feijão guandu 50 13.788 250 Mucuna preta 60 - 80 7.287 210 Milheto 60 9.939 - Fonte: Adaptado de ASPTA,1992. 25
  27. 27. - Têm alguns exemplos práticos de adubos Há diferentes maneiras de se utilizar o esterco.verdes? São as condições e a realidade de cada propriedade, solo e cultura que irão determinarNo Rio Grande do Sul, por exemplo, podemos qual a mais adequada a cada caso. O queno inverno cultivar aveia preta (Avena strigosa) observamos é que geralmente os agricultorese ervilhacas (Vicia spp.), que são roçadas e não têm dado a devida importância ao seuincorporadas muito superficialmente, aproveitamento, desperdiçando uma preciosapreparando para a cultura de verão. Se for fonte de energia, que depois terá que serusado o sistema de cultivo mínimo ou, no caso reposta na forma de adubo industrializado.de pomares, o material é deixado em cobertura. Os estercos são utilizados na forma líquida ouNo verão, são usadas as espécies adventícias, sólida. Fresco ou pré-digerido, como compostocomo picão (Bidens pillosa), guanxuma (Sida ou vermicomposto. A melhor opção vaispp.) e carurú (Amaranthus spp.), por exemplo. depender do tipo do esterco, das instalações eOu se faz consórcios, caso do milho com equipamentos do agricultor e do cultivo em quemucuna-preta (Sthizolobium atterinum) ou vai ser empregado.feijão miúdo (Vigna unguiculata), ou decucurbitáceas (morangas e abóboras) com - Que diferença há entre os estercos?guandú (Cajanus cajan). Existem diferenças entre os estercos,No caso de adubação verde para olerícolas, os dependendo de sua origem e da alimentaçãoagricultores optam por aplicar em torno 60 % da fornecida aos animais. Um animal adulto retémadubação, principalmente os estercos, sobre a cerca de 25% do que come. Este dado mostra aadubação verde com o objetivo de promover um importância da alimentação paramaior desenvolvimento da adubação verde e determinarmos a maior ou menor riqueza docom isso realizando uma espécie de esterco."compostagem" a campo do próprio esterco.Deste modo, após o manejo da adubação verde Cada esterco possui algumas característicasela disponibiliza de forma gradual os nutrientes próprias, e estas informações nos auxiliam apara a cultura, esta prática tem sido mais otimizar seu aproveitamento.utilizada na cultura do tomate. Mas ela tambémpode ser empregada no manejo da fertilidade O de gado, mais rico em fibras, é interessanteem plantas perenes, como é o caso das para hortaliças que possam sofrer "doenças defrutíferas. solo" porque ajuda a desenvolver uma flora microbiana no solo, antagonista a estes fungos.6.2. ESTERCOS Estudos indicam que quando a matéria orgânica fornecida ao solo é rica em celuloseO esterco é a fonte de matéria orgânica mais (como é o caso do esterco de gado) há umlembrada quando se fala em adubos orgânicos. maior desenvolvimento de fungos comoÉ um dos recursos naturais que o agricultor tem Trichoderma viride e Streptomyces spp, quea sua disposição e sua utilização deve ser a são antagonistas a Fusarium, Rizoctonia emais otimizada possível. Phytophtora. 26
  28. 28. O esterco de porco é relativamente rico em Mas não podemos repetir o equívoco de muitoszinco. O esterco de aves - muito rico em e valorizar o esterco apenas pelo seu teor denitrogênio prontamente assimilável - pode NPK. Micronutrientes, ácidos orgânicos,trazer problemas para as culturas mais aminoácidos, e todas as vantagens já citadassensíveis e é sempre recomendado fazer algum para a matéria orgânica são tão ou maistipo de pré-decomposição. importantes que seu teor de NPK. Materiais fertilizantes contidos no esterco e na urina de algumas espécies (em kg / cabeça / ano) Componente Eqüinos Bovinos Suínos Ovinos Água 5 785 13 145 1 324 541 Matéria Seca 1 715 2 039 176 199 Total 7 500 15 184 1 500 740 Nitrogênio 58 78,9 7,5 6,7 Fósforo (P2O5) 23 20,6 5,3 4,3 Potássio (K20) 40 93,6 5,7 6,2 Cálcio e Magnésio 30 3,0 8,8 (CaO + MgO) 35,9Por esta tabela algumas contas interessantes - Como usar o esterco?podem ser feitas. A utilização do esterco tem uma relação diretaPor exemplo, chega-se à conclusão que uma com a temperatura do ambiente e com o nívelvaca pode fornecer vinte sacos da formulação de atividade da vida de um solo.NPK 8-2-9 por ano. Se considerarmos que estaformulação tem baixo teor de fósforo, podemos Isto vale tanto para as quantidades quanto paraacrescentar 4 sacos de fosfato natural e, então, a forma como este esterco pode ser utilizado.teremos um adubo fórmula 8-7-9. Se temos um ambiente com altas temperaturas e um solo com boa atividade biológica, não háAinda nesta linha de raciocínio, um cavalo nos necessidade de que este esterco passe por umdaria vinte sacos de um adubo NPK 6-2-4 e um processo de decomposição antes de ir ao solo.porco, dois sacos de uma formulação 7-5-6,por ano. Estas condições são suficientes para permitirSó por estas contas já seria muito vantajoso uma digestão deste material no próprio solo,utilizar ao máximo o esterco que dispomos na antes que ele tenha contato com as raízes daspropriedade. plantas. 27
  29. 29. Se, por outro lado, estamos sob baixas Há duas maneiras de fazer uma fermentaçãotemperaturas e com uma terra sem vida, então aeróbica. Uma é forçando a incorporação de aré interessante que o esterco seja previamente no líquido, remexendo ou por ventilação. Outradecomposto, antes de ir ao campo. Assim, é construindo um tanque com uma grandeadicionaremos à terra não só um produto mais superfície em relação ao volume, paraestabilizado como também inocularemos aumentar o contato da mistura com o ar.microrganismos úteis para sua recuperação. Aqui, iremos nos referir ao biofertilizante comoEntre os extremos, temos vários níveis de sendo oriundo de uma fermentaçãograduação. Solos vivos em baixa temperatura. anaeróbica. Ainda que, a nível prático sempreSolos em recuperação. Temperaturas teremos os dois tipos de bactérias atuando aointermediárias. São diferentes realidades que mesmo tempo, com uma eventualnão permitem ter uma receita única. O predominância de uma sobre a outra, emimportante é refletirmos sobre estes princípios e função da maior ou menor presença de ar. Nãotermos condições de encontrar a melhor podemos esquecer que estas reaçõessolução para a nossa realidade. acontecem em escalas microscópicas e microsítios que podem se apresentar com maisA seguir vamos ver algumas maneiras de se ou menos ar do que o resto do ambiente.manejar o esterco, para obter dele o melhorresultado possível. Os biofertilizantes podem ser feitos com qualquer tipo de matéria orgânica fresca. Na- Dá para usar o esterco ao natural? maioria das vezes se utiliza esterco, mas também pode-se usar somente restos vegetais.Como foi dito acima, o uso do esterco fresco O esterco bovino é o que apresenta mais fácildepende basicamente do nível de vida que está fermentação, por já vir inoculado com umapresente em um solo. Depende de qual vai ser a bactéria decompositora muito eficiente. Emcapacidade deste solo de digerir e colocar à biofertilizantes feitos com este material sedisposição de nosso cultivo um adubo de utiliza uma parte de esterco para 1,5 a 2 partesqualidade. de água, em uma mistura homogênea.De qualquer maneira, não se espalha esterco Dependendo do tipo de manejo que o agricultorfresco sobre o solo nu, mas sim sobre a for dar a este fermentado, é conveniente se tervegetação que tem nele antes do preparo. um tanque de mistura antes do material serDepois, é roçar a vegetação, esperar murchar e colocado no tanque de fermentação.iniciar o preparo do solo. Ocorre com o esterco oque chamamos de compostagem de superfície. No caso de utilizarmos outro tipo de esterco ou material vegetal é interessante adicionarmos- Como se prepara e se usa o esterco um pouco de esterco de gado para inocularmoslíquido? nossa mistura com estas bactérias eficientes.O esterco líquido pode ter tido um processo de Em todos os casos, é convenientefermentação aeróbica (na presença de acrescentarmos soro de leite ou caldo de canaoxigênio) ou anaeróbica (na ausência de para darmos condições da bactéria seoxigênio). desenvolver com maior velocidade. 28
  30. 30. Não há limites de tamanho do tanque onde se 6.3 COMPOSTOfaz o biofertilizante. Composto orgânico é o nome que geralmenteO biofertilizante pode ser enriquecido com se dá ao adubo obtido a partir de palhadas,alguns minerais, oriundos de cinzas ou rochas restos de culturas, estercos, lixo doméstico oufinamente moídas. Estes minerais irão, além de qualquer outra fonte de matéria orgânica,melhorar o produto final, favorecer a uma tratada da maneira especial.fermentação mais eficiente. Grande e sofisticado ou pequeno e simples, oPodem ser utilizados tanto no solo, trazendo princípio básico do composto é a transformaçãotodas as vantagens que já foram enumeradas dos restos orgânicos por microrganismospara a matéria orgânica, como em (bactérias, actinomicetos, fungos epulverizações foliares, diluídos de 2 a 10%. protozoários), dando como produto final umaNeste último caso são muito eficientes para o matéria orgânica mais digerida ou estabilizada.controle de diversas enfermidades, por Esta estabilização traz vantagens epropiciar a planta um funcionamento mais desvantagens, como veremos adiante.harmônico e equilibrado. - O que precisa para montar uma pilha deUtilizadas no solo, as quantidades variam composto?muito, mas como referência indicamos de 10 a20 metros cúbicos por hectare. Precisa, basicamente, de três ingredientes:- Como se pode preparar esterco líquido a. Matéria orgânica adequada (relaçãopara fazer adubação de cobertura? média de 30 partes de carbono para 1 parte de nitrogênio). Materiais muito pobres emA família Bernardi, em Ipê, RS, utiliza uma nitrogênio e ricos em carbono, como a casca deadubação de cobertura em tomate com a arroz, por exemplo, levam muito tempo para seseguinte formulação, feita num tonel de 200 decompor. Materiais com muito nitrogênio elitros: pouco carbono, como folhas verdes, se. decompõem mais rapidamente, mas há uma - 100 litros de água. perda considerável deste nutriente. Na - 70 litros de esterco produção do composto, procura-se misturar o. resíduo pobre com o rico em nitrogênio, para - 5 kg de esterco fresco de galinha poedeira. que tenhamos uma decomposição rápida e com - 1 kg de açúcar pouca perda de nitrogênio...Depois de misturado tudo de uma só vez, se b. Água. Por se tratar de uma atividade feitaespera uma semana. É usado a 50%, colocado por microrganismos, é necessário que ono solo com regador sem crivo, junto aos pés de material seja umedecido. A água deve ser natomate. O açúcar serve como energia inicial, medida certa. Seu excesso pode provocar umapara melhor desenvolvimento da flora lavagem do material, empobrecendo-o, além debacteriana, e o esterco de galinha entra para diminuir a oxigenação e aumentar o tempo deaumentar o teor de nitrogênio. decomposição. 29

×