O que significa uma “pausa”?Como pode ser uma pausa?Por que razão poderíamos precisar de umapausa?A pausa pode representar...
Após a leitura dos dez primeiros parágrafos,temos uma situação inusitada.Um homem sai todos os domingos de casa.Para quê?O...
Na paisagem mostrada ao longo do trajeto,até chegar ao local ainda desconhecidopor nós, ele vê barcos atracados, é umcais....
O personagem chega ao local, sobe asescadas e vai para um quarto pequeno, oque você imagina que vai aconteceragora?Ele son...
Seria interessante colocar para os alunos, se elesnão conseguiram levantar essa ideia nadiscussão, que o cais, os barcos a...
Lembrar o fato de que ele vive um embateaqui, qual seria essa luta travada?Há uma pausa entre o momento em que eleacorda d...
Nesse momento já podem ser respondidasnovamente as questões iniciais, porém,agora, com base no texto.A pausa significa o a...
Os devaneios, os sonhos podem serconsiderados uma fuga da realidade?É isso o que acontece com o personagem?Nossas desconfi...
A intertextualidade pode ser trabalhadacom uma crônica chamada “Aí pelas trêsda tarde” de Raduan Nassar.Lê-la para os alun...
Referências Bibliográficas:http://aopdofogao.blogspot.com.br/2012/01/pausa.htmlhttp://www.releituras.com/rnassar_tarde.asp...
Pausa rita
Pausa rita
Pausa rita
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pausa rita

201 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
201
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
48
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pausa rita

  1. 1. O que significa uma “pausa”?Como pode ser uma pausa?Por que razão poderíamos precisar de umapausa?A pausa pode representar várias situações,cite algumas.
  2. 2. Após a leitura dos dez primeiros parágrafos,temos uma situação inusitada.Um homem sai todos os domingos de casa.Para quê?O que será que ele faz na rua? Seria mesmopor razões de trabalho?O que faria um homem deixar o lar para irpra rua em pleno domingo?Será que a mulher desconfia pra onde elevai?
  3. 3. Na paisagem mostrada ao longo do trajeto,até chegar ao local ainda desconhecidopor nós, ele vê barcos atracados, é umcais.Você acha que isso terá alguma relaçãocom o que ele vai fazer?
  4. 4. O personagem chega ao local, sobe asescadas e vai para um quarto pequeno, oque você imagina que vai aconteceragora?Ele sonha com um índio, por que razãoquem aparece no sonho é um índio?
  5. 5. Seria interessante colocar para os alunos, se elesnão conseguiram levantar essa ideia nadiscussão, que o cais, os barcos atracadospodem representar o fato de ele se sentirassim, preso a alguma coisa, por exemplo, auma vida de rotina como aqueles barcos queforam criados para navegar e estão láatracados, presos ao porto.Ele vai até o lugar que agora já deduzimos seruma pensão, um hotel simples, dorme esonha com um índio galopando, arepresentação do “selvagem” que temliberdade de galopar por colinas, vales, masele, durante o sonho, fica perturbado eacorda suando porque o índio trespassou-ocom uma lança.
  6. 6. Lembrar o fato de que ele vive um embateaqui, qual seria essa luta travada?Há uma pausa entre o momento em que eleacorda do sonho, no texto, e o momento emque o despertador toca.Acorda de seus devaneios e encara a vidanovamente.Desce as escadas e indaga ao gerente quenão sabia se iria voltar e o outro respondeque ele sempre diz a mesma coisa e volta.Isso significa que há um embate no conscientedo personagem. Questionar os alunos qualseria esse embate e se tem relação com osonho?
  7. 7. Nesse momento já podem ser respondidasnovamente as questões iniciais, porém,agora, com base no texto.A pausa significa o afastamento da rotina, dacasa, da esposa...Parou no cais, nova pausa, observou, seguiupara casa.Voltando à rotina, encarando a vida.
  8. 8. Os devaneios, os sonhos podem serconsiderados uma fuga da realidade?É isso o que acontece com o personagem?Nossas desconfianças iniciais sobre a razãode suas saídas se concretizaram?Será que ele pensou em largar tudo e partirnum daqueles barcos?
  9. 9. A intertextualidade pode ser trabalhadacom uma crônica chamada “Aí pelas trêsda tarde” de Raduan Nassar.Lê-la para os alunos e questionar sobre arelação entre o conto e a crônica.A crônica também propõe uma pausa,porém, no meio do expediente detrabalho.O fato acontece na crônica comoacontece no conto?
  10. 10. Referências Bibliográficas:http://aopdofogao.blogspot.com.br/2012/01/pausa.htmlhttp://www.releituras.com/rnassar_tarde.aspRita de Cássia Fiacadori

×