Estudo do caso rock in rio

711 visualizações

Publicada em

rock in rio - rela

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo do caso rock in rio

  1. 1. Instituto Politécnico de Leiria 0 Escola Superior de Educação e Ciências Sociais de Leiria Comunicação Social e Educação Multimédia ROCK IN RIO - ESTUDO CASO RELAÇÕES PÚBLICAS Docente: Professor Paulo Faustino Discentes: Carina Andrade, Eduarda Pinto, Rita Carvalho. Leiria, Maio 2015
  2. 2. Instituto Politécnico de Leiria 1
  3. 3. Instituto Politécnico de Leiria 2 ROCK IN RIO - ESTUDO CASO RELAÇÕES PÚBLICAS Leiria, Maio 2015
  4. 4. Instituto Politécnico de Leiria 3 Índice Introdução ..................................................................................................................................... 4 O que é o Rock in Rio? ................................................................................................................. 5 Meio envolvente da organização................................................................................................... 5 Corpo do Caso- História da organização...................................................................................... 6 Projeto “Por um Mundo Melhor”.................................................................................................. 7 Meio Envolvente........................................................................................................................... 7 Análise Externa......................................................................................................................... 8 Análise Interna .......................................................................................................................... 9 Conclusão.................................................................................................................................... 10 Referencias Bibliográficas .......................................................................................................... 11
  5. 5. Instituto Politécnico de Leiria 4 Introdução No presente ano letivo foi-nos proposto a realização de um trabalho de caso no âmbito da unidade curricular Relações Públicas em Ciências Sociais, do 1º ano, da Licenciatura Comunicação Social e Educação Multimédia, da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais. Neste trabalho decidimos analisar uma organização, o Rock in Rio, assim como a sua história e as suas modificações com o decorrer do tempo. Determinamos abordar esta organização devido à sua notoriedade, o seu sucesso, a sua dimensão e a preocupação que demonstra ter com a sociedade. Este estudo do caso tem como objetivo perceber o surgimento do Rock in Rio e perceber as transformações que têm sofrido ao longo do tempo. Por consequência, tem o objetivo de compreender a sua relação com o meio envolvente. Este festival como todos outros, sofre mudanças e tem a necessidade de se ir adaptando à sociedade, esta relação com a sociedade torna-se essencial para a sua permanência no mercado.
  6. 6. Instituto Politécnico de Leiria 5 O que é o Rock in Rio? O Rock in Rio é um festival de música, criado em 1985, este festival foi ideia do empresário Roberto Medina e foi planificado primeiramente no Rio de Janeiro. O Rock in Rio é um evento conhecido a nível mundial e teve a sua primeira edição fora do Brasil, em 2004, em Portugal, quatro anos mais tarde, o Rock in Rio chegou a Madrid, sempre com a intenção de levar todos os estilos de música para os mais diversos públicos. Este evento promove a música e a sustentabilidade, e é um evento dirigido para o público em geral. Meio envolvente da organização Este festival tem uma organização com cerca de 30 anos, e tem como preocupação as variáveis ambientais e as práticas empresariais que são assuntos essenciais para o êxito deste festival e os seus negócios. Para que este evento seja bem-sucedido tem de se relacionar bem com o meio envolvente, este encontra-se dependente dele para que consiga adaptar-se às mudanças que vão aparecendo e a tudo o que possa ocorrer ao seu redor. O meio envolvente é muito importante para que esta organização tenha êxito, pois o meio envolvente é constituído por elementos ligados à organização que podem afetar a sua atividade a nível global, internacional, nacional e/ou local. Desta forma, o Rock in Rio tem sempre de pensar nas suas estratégias e nos seus objetivos, mas também, as limitações que advêm do meio envolvente e ambiente.
  7. 7. Instituto Politécnico de Leiria 6 Corpo do Caso – História da organização O Rock in Rio é um festival de música que é considerado como o sétimo melhor do mundo pelo site especializado festivalfling.com. Foi-lhe atribuído o nome Rock in Rio por ter sido no Rio de Janeiro o local onde originalmente foi organizado, e acabou por se tornar num dos eventos mais célebres mundialmente. Este festival teve origem no Brasil, foi criado pelo empresário Roberto Medina e foi realizado pela primeira vez de 11 a 20 de Janeiro de 1985, no Rio de Janeiro, mais precisamente em Jacarepaguá, local que ficou conhecido como “Cidade do Rock”. As grandes estrelas de música internacional normalmente não costumavam atuar na América do Sul, e a criação deste evento era a grande oportunidade do público conseguir assistir ao espectáculo dos seus artistas do Pop e dos Rock preferidos. Em 2004, o Rock in Rio chegou à Europa, mais precisamente a Portugal, sendo um evento de entretenimento em torno da responsabilidade social e sempre com o pensamento em construir um mundo melhor. Esta primeira edição em Portugal contou com nomes como Kings of Leon e Metallica, além de artistas portugueses e brasileiros. Quatro anos mais tarde foi a vez do Rock in Rio alcançar Madrid, onde nomes como Amy Winehouse, Lenny Kravitz e Shakira fizeram parte do evento que incentiva à sustentabilidade. Até hoje, o Rock in Rio conta com 6 edições no Brasil e em Portugal e com 4 em Madrid. Nas redes sociais, o número de seguidores não para de crescer, contanto com 10 milhões de seguidores e quase 10 milhões de visualizações nas páginas da internet. O Rock in Rio é uma mistura de emoções entre as pessoas que se traduz através da música como uma linguagem universal e única. Para além disto, o Rock in Rio dinamiza a economia, gera empregos, estimula o turismo, dá a conhecer a cidade onde é realizado para todo o mundo e divulga a música, não só internacional, como nacional.
  8. 8. Instituto Politécnico de Leiria 7 Projeto “Por um Mundo Melhor” O Rock in Rio promove a sustentabilidade através da música. Este projeto de sensibilização teve início na 3ª edição em 2001, no Rio de Janeiro. Tem como objetivo motivar as pessoas a melhorar a sua vida através de pequenas alterações diárias. Tudo começou com 3 minutos de silêncio, feitos por 98 milhões de pessoas. Estas pessoas reuniram-se para lutar por um mundo melhor, para lutar por projetos sociais. Desde esta edição, parte dos lucros do Rock in Rio são para projetos sociais. Até hoje, mais de 12 milhões de euros já foram investidos na plantação de 93 mil árvores, na construção de duas escolas, na instalação de 760 painéis solares em 38 escolas de Portugal, e em muitos outros projetos sociais. Este tornou-se o primeiro evento do continente americano com a certificação de evento sustentável, em 2013, e também o primeiro que garante a reciclagem e a valorização do lixo produzido. O projeto de voluntariado do Rock in Rio é outra forma de contribuir para o projeto “Por um Mundo Melhor”, pois é um trabalho de equipa de pessoas que se mostram disponíveis a trabalhar para o evento sem qualquer tipo remuneração, tendo também como vantagem poder participar naquele que é um dos mais famosos festivais de música do mundo. Até hoje, esta organização mantém o compromisso das boas práticas económicas, ambientais e sociais, que luta de forma a reduzir o impacto ambiental das suas ações Meio Envolvente Através da Análise SWOT (Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades), Threats (Ameaças), pode-se visualizar mais facilmente a análise interna e externa da organização.
  9. 9. Instituto Politécnico de Leiria 8  Análise Externa O ambiente externo desta organização, centra-se nas principais perspetivas de evolução do mercado em que se pretende atuar. A análise externa, consiste na identificação das ameaças e das oportunidades que estão no ambiente da empresa e as melhores maneiras de evitar e usufruir dessas situações. Sendo assim, obtém-se uma perspetiva exterior à organização, para o ambiente onde estão as oportunidades e as recomendações. A análise externa, corresponde ao estudo de diversos fatores e forças do ambiente, as relações entres eles ao longo do tempo e os seus potenciais efeitos sobre a empresa, baseando-se nas perceções das áreas em que as decisões estratégicas da organização deverão ser tomadas.  Oportunidades: É tudo aquilo que influencia positivamente a empresa, mas que a empresa não tem controlo sobre a atuação. Em relação ao Rock in Rio, pode-se identificar como oportunidades: - Cria um impacto positivo na economia e no turismo; - Alcançou mais de 10 milhões de seguidores nas redes sociais, que hoje em dia constituem um dos principais meios de divulgação de eventos, superando outros grandes festivais do mundo; - A Cidade do Rock disponibiliza diversas ações para a diversão para além dos concertos; - Tem uma visão para um mundo sustentável; - A diversidade de estilos de música, que reúne um maior numero de aderentes a este festival, visto que o público-alvo se torna mais abrangente; - O seu horário (à tarde e noite); - Cria empregos.  Ameaças: Ao contrário das oportunidades, as ameaças são forças externas ao ambiente da organização que influenciam negativamente o negócio. Uma ameaça deve sempre ser tratada com muita cautela, pois pode prejudicar a 5
  10. 10. Instituto Politécnico de Leiria 9 organização não apenas na sua estratégia, mas diretamente no seu resultado. Tendo em conta, o Rock in Rio pode-se identificar como ameaças: - A concorrência de outros festivais; - A possibilidade dos fatores climatéricos intervirem; - A diminuição do nível económico.  Análise Interna A análise interna consiste no ambiente interno da organização, a qual tem como finalidade colocar em evidência as forças e as fraquezas da empresa. Sendo assim, conseguem-se determiná-las mediante a posição no mercado. Nesta análise, tenta-se situar a organização em relação a outras do mesmo setor, sendo elas concorrentes.  Forças: A diferenciação conseguida pela organização, que proporciona uma vantagem operacional no ambiente empresarial, sendo esta uma variável controlável. As forças identificadas são: - A quantidade de patrocínios que contribuem para este evento; - A sua localização na capital do país; - O seu nome é reconhecido mundialmente; - Merchandising; - As famosas bandas nacionais e internacionais que atuam; - Sustentabilidade certificada; - Grande número de funcionários - Som com muita qualidade; - Abrange todas as idades e gostos, pois possui um cartaz muito diversificado.  Fraquezas: É uma situação inadequada da organização, que proporciona uma desvantagem operacional no ambiente empresarial (variável controlável). - Preço elevado dos bilhetes; - A grande multidão; - Não ser no verão como outros festivais, que impossibilita a ida de pessoas que estão a trabalhar ou estudar; - Grandes filas de espera.
  11. 11. Instituto Politécnico de Leiria 10 Conclusão Com este trabalho, concluímos que o Rock in Rio é um evento que desde a sua primeira edição cria impacto pela sua dimensão e pela grande adesão do público. O Rock in Rio começou a sua história em 1985, com o seu primeiro espetáculo no Brasil, desde esse momento tem conseguido chegar cada vez mais longe. É com o extraordinário cartaz que proporciona e com a sua vertente social e ambiental muito abrangente que tem conseguido superar-se a si mesmo. A preocupação com o ambiente que é uma das principais características deste festival, sendo uma das suas principais marcas que distingue de outros festivais. O preço dos bilhetes é cada vez mais um obstáculo para que as pessoas possam assistir ao espetáculo, derivado à crise mundial que se tem feito sentir, mas mesmo assim os espetáculos continuam a esgotar. O Rock in Rio aposta em novos mercados, através da internacionalização, o que indica uma grande ambição empresarial. Por fim, este evento acaba por ser um agente de comunicação.
  12. 12. Instituto Politécnico de Leiria 11 Referencias Bibliográficas “Sobre o Rock in Rio”, em http://rockinriolisboa.sapo.pt/sobre-o-rock-in-rio/ (consultado a 10 de Maio de 2015) “Plano estratégico da prefeitura do Rio de Janeiro”, em http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/2116763/4104304/planejamento_estrategico_13 16.pdf (consultado a 11 de Maio de 2015) “Rock in Rio Lisboa 2014”, em http://www.online24.pt/rock-in-rio-lisboa-2014/ (consultado a 6 de Maio de 2015) “Organização e gestão de eventos- Métodos e técnicas e a sua aplicação na actividade das empresas de eventos”, em http://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/1198/1/Monografia_Jo%C3%A3o%20Duartex.pd f ( consultado a 10 de Maio de 2015) “Contributo para modos de gestão de sustentabilidade de eventos”, em https://fenix.tecnico.ulisboa.pt/downloadFile/2589874577964/Disserta%C3%A7%C3% A3o%20Contributo%20para%20modos%20de%20gest%C3%A3o%20de%20sustentabi lidade%20de%20eventos.pdf (consultado a 6 de Maio de 2015) “Proposta de Plano Estratégico para uma produtora musical”, em http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/36741/000792614.pdf?sequence=1 (consultado a 10 de Maio de 2015)

×