O IMPRESSOO IMPRESSO
GoiÂnia, MarÇo de 2014
a noTÍcia eM suas MÃos
Jornal
Número 30 | Ano 4 | preço: R$ 3,00 | www.jornalo...
2 Goiânia, março de 2014
O IMpresso
JornalOpinião
Fique por dentro
F G PROMOÇÕES E PUBLICIDADE LTDA
CNPJ 03.814.308/0001-6...
3Goiânia, março de 2014
O IMpresso
Jornal
Veja o que é mais importante na sua declaração do IR
Imagens/Divulgação
Da redaç...
4 Goiânia, março de 2014
O IMpresso
JornalCidades
CARNAQUENTE 2014 !! Um
evento totalmente diferenciado
Rio Quente
faceboo...
5Goiânia, março de 2014
O IMpresso
Jornal
Caldas Novas
Carnaval da Família sem registro
de ocorrências policiais graves
Di...
6 Goiânia, março de 2014
O IMpresso
JornalEstado
Cresce população
feminina em Goiás
Polícia lança campanha
permanente cont...
7Goiânia, março de 2014
O IMpresso
Jornal
Jogadores que você não vai lembrar
que defenderam o Brasil em Copas
Arouca se re...
8 Goiânia, março de 2014
O IMpresso
Jornal
Cachoeira da Cascatinha no Parque Estadual da Serra de Caldas
Especial
O Govern...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

30a edição jornal o impresso-

294 visualizações

Publicada em

Projeto e diagramação do Jornal O Impresso que já está em sua 30a edição.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
294
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

30a edição jornal o impresso-

  1. 1. O IMPRESSOO IMPRESSO GoiÂnia, MarÇo de 2014 a noTÍcia eM suas MÃos Jornal Número 30 | Ano 4 | preço: R$ 3,00 | www.jornaloimpresso.com.br Futebol Caldas Novas Turismo Imposto de Renda Jogadores que você não vai lembrar que defenderam o Brasil em Copas Carnaval da Família sem registro de ocorrências policiais graves As opções que Goiás tem a oferecer ESPORTES 7 ESPECIAL 8 CIDADES 5 ArquivoLeandroLopes/SecomCaldasNova A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad/2012) mostrou que a participação fe- minina na população de Goiás cresceu quase 0,3%, se comparada aos dados de dez anos atrás. Nesse período, foram acrescidas em torno de 500 mil mulheres, perfazendo hoje aproximada- mente 3,2 milhões de goianas, que representam 50,8% da população do estado. Cresce população feminina em Goiás O que é mais importante na sua declaração Este ano, três grandes novidades prometem agilizar a entrega da declaração. A primeira é a possibilidade de fazer a declaração pré-preenchida, que dispensará a digitação de grande parte dos dados. Reprodução ESTADO 6 GERAL 3
  2. 2. 2 Goiânia, março de 2014 O IMpresso JornalOpinião Fique por dentro F G PROMOÇÕES E PUBLICIDADE LTDA CNPJ 03.814.308/0001-69 - INSC. MUNC. 188.034-9 www.jornaloimpresso.com.br Fale com a redação: Fone - (62) 3091-2184 Fax: 3091-2195 Tiragem: 5.000 exemplares Sede: Rua Renato Camilo, 121 - Bairro Santa Cruz - Bela Vista de Goiás - Go CEP: 75.240-000 Central de Comercialização: Rua 94-A Nº112 Setor Sul Goiania -GO O Jornal O Impresso se reserva no direito de não aceitar material publicitário que infrinja as leis e a ética jornalística. Informações, comentários e opiniões contidos em artigos, colunas ou matérias assinadas são de responsabilidade de quem os assina, não tendo, necessariamente, o endosso da direção. Glênio Isaac - Diretor Executivo Breno Isaac - Gerente de Marketing Flávia Guedes - Gerente Comercial Manuela Queiroz - Diretora de Jornalismo Érika Sandra - Diretora de Arte (compassoarte@gmail.com) Os erros das homenagens no Dia Internacional da Mulher Getty Images Mesmo que a presença das mulheres tenha aumentado no mercado de trabalho, persiste o senso comum de que a vida doméstica deve ficar por conta delas Giovanna Tavares/iG São Paulo - Flores, chocolates e mensagens são presentes ino- fensivos. Mas, oferecidos sem reflexão, reforçam um ideal que destoa do real objetivo da data: a busca pela igualdade A história se repete todo ano. No Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, a oferta de bombons, rosas ver- melhas, perfumes e outros pre- sentes considerados “femininos” aumenta consideravelmente. Porém, mais do que uma data comercial, o Dia Internacional da Mulhernasceucomoumprotesto contra a opressão feminina, pro- posto em 1910 por Clara Zétkin e Rosa de Luxemburgo, na 2ª Con- ferência Internacional de Mulhe- res Socialistas, em Copenhague. “A data representa a luta das mulheres por igualdade social, política e no mercado de traba- lho, mas acabou sendo comer- cializada e banalizada. Muitas vezes, as propagandas veicu- ladas nesse dia acabam sendo extremamente depreciativas e abafam a discussão da desi- gualdade de gêneros”, atenta Lourdes Bandeira, socióloga da Universidade de Brasília e Se- cretária-Executiva da Secretaria de Política para as Mulheres. Gentileza ou machismo? A linha que separa o que é gentil do que é machista nas ho- menagens no Dia Internacional da Mulher se torna tênue à me- dida em que muitas das mensa- gens e presentes direcionados às mulheres acabam reforçando estereótipos ou comemorando uma situação de igualdade e em- poderamento que, na realidade, ainda não existe por completo. “A gentileza, a delicadeza e a generosidade podem acontecer aqualquermomento,nãoneces- sariamente dia 8 de março e não sóparaasmulheres,masissonão pode tomar o lugar da discussão de que ainda temos muitas rei- vindicações pela frente. Não são atos negativos, exceto quando nos discriminam e reforçam um padrão único de mulher”, com- pleta Lourdes Bandeira. Exemplos de discriminação e sugestões de presentes que pas- sam longe da gentileza são, por exemplo, as homenagens que tentam enaltecer qualidades tidas como obrigatoriamente femininas: delicadeza, esmero, beleza,fragilidade,vaidade,entre outras, que acabam padronizan- do as mulheres dentro de um ideal que precisa ser quebrado. “Mesmo sem maldade, a pes- soa pode acabar contribuindo para esvaziar o sentido da data. É importante retomar a importân- cia da luta pelos nossos direitos, justamente para conscientizar as pessoas de que ela não existe para dar flores e presentes, nem para homenagear a beleza e a fe- minilidade”, acredita Aline Valek, escritora e feminista. Rosas,chocolateseperfumes, por exemplo, são apenas presen- tes e não precisam ser encarados como atitudes machistas, mas não estão isentos da culpa. “Na verdade, o presente é um ato in- consequente. Não vou recusar rosasechocolates,masaquestão é que sempre caem no clichê de nos parabenizar por sermos mu- lheres. Nas propagandas, a nossa luta se resume a encontrar a cha- ve no meio da bolsa, a suportar a TPMeandardesaltoalto”,afirma Lola Aronovich. No fundo, os presentes e ho- menagens carregam uma inten- çãosubjetiva.“Aodarumaescova de cabelos, por exemplo, você está colocando a mulher em um estereótipo: a mulher feminina precisa ter o cabelo bem cuida- do”, ilustra Lourdes Bandeira. Segundo ela, vale ainda outro exemplo, o de presentear a mu- lher com eletrodomésticos. “Re- mete ao estereótipo da dona de casa”, completa. Fica ainda pior quando a tentativa das propa- gandas ou mensagens é colocar a mulher no papel de heroína: mesmo sendo bem-sucedida profissionalmente, ela não deve “deixar de lado os cuidados com a casa, família e beleza”. Celebrar e lutar Aos poucos, alguns aspectos da desigualdade entre mulheres e homens vão sendo descons- truídos para dar lugar a uma sociedade com mais oportuni- dades e direitos iguais. O Dia Internacional da Mulher repre- senta a luta por essa descons- trução, que não acontece em apenas um dia do ano, e sim ao longo dele. É uma data para recordar que ainda existe um longo caminho pela frente, mas também para celebrar as con- quistas adquiridas até então. Embora existam conquistas e avanços para comemorar, mui- tas coisas ainda precisam mudar paraqueo8demarçoseja,exclu- sivamente,umdiadecelebração. Uma delas, de extrema urgência, é o feminicídio – pelo menos 15 mulheres são mortas por dia no Brasil vítimas de companheiros ou ex-companheiros, de acordo comosdadosdoInstitutodePes- quisa Econômica Aplica. “Ainda estamos numa situa- ção péssima, ganhamos salários inferiores em relação aos ho- mens,namesmaprofissãoecom o mesmo grau de escolaridade, foraoutrassituaçõesdedesigual- dade. Por isso, é importante que seja um dia de reivindicações, para exigir que nossos direitos sejam respeitados”, ressalta Lola Aronovich, professora universi- tária e ativista feminista. “Nós precisamos discutir to- dos os dias a violência, a dife- rença salarial, por que a mídia ainda nos estereotipa, porque a sensualização e a objetificação sempre nos atinge e nos desqua- lifica. Nesse dia, discussão deve ter ainda mais força”, alerta Lour- des Bandeira. O que percebo, felizmente, é que está havendo uma melhora, independente da condição socioeconômica das mulheres. Elas estão se engajan- do cada vez mais para derrubar essaculturacompletamentedes- qualificadora”, completa.
  3. 3. 3Goiânia, março de 2014 O IMpresso Jornal Veja o que é mais importante na sua declaração do IR Imagens/Divulgação Da redação com agências. Vai até 30 de abril a data final para en- tregar a declaração do Imposto de Renda (ano-base 2013). A Receita Federal abriu o prazo na quinta-feira (6). Para baixar o programa gerador de decla- rações (PGD) – exclusivo para computadores de mesa e note- books – basta acessar o site da Receita Federal. Este ano, três grandes no- vidades prometem agilizar a entrega da declaração. A pri- meira é a possibilidade de fazer a declaração pré-preenchida, que dispensará a digitação de grande parte dos dados. A segunda é a criação do aplicativo m-PGD, que possibi- litará a entrega por meio de ta- blets e smartphones; e a tercei- ra é a inserção automática dos Chegou a hora de os contribuintes prestarem contas com a Receita. Confira como escapar da malha fina dados no programa – como pelo comprovante eletrônico de ren- dimentos das fontes pagadoras. A Receita Federal espera re- ceber em torno de 27 milhões de declarações este ano. Em 2013, 26 milhões de contribuintes prestaram contas ao Fisco – 711 mil caíram na malha fina, nú- mero 17,7% maior que em 2010. O consultor tributário da IOB Folhamatic EBS, empresa do grupo Sage, Daniel Oliveira de Paula, explica que o contri- buinte assalariado pode provi- denciar seus comprovantes de rendimentos, fornecidos pelas fontes pagadoras. As empresas são obrigadas a entregar os in- formes até o dia 28 de fevereiro. “Há também os documen- tos emitidos pelas instituições financeiras para as aplicações e os recibos para uti- lizar as deduções do imposto, como de despesas médicas e com planos de saúde, além dos recibos dos gas- tos com instrução”, lembra o consultor. Se o contribuinte alienou (vendeu ou comprou) um bem de valor como veículo ou imóvel em 2013, tam- bém deve ter em mãos os documentos com os dados e valores destas transações. Para aumentar as chances de ter uma resti- tuição maior, dependerá de vários fatores, como o modelo de declaração esco- lhido. Como nos outros anos, será possível escolher pelo desconto simplificado de 20%, ou pela declaração completa, que permite deduzir despesas com saúde, educação e plano de previdência privada no mo- delo PGBL (Plano Vida Gerador de Benefício Livre). “Esta opção é compensa- tória para a pessoa que tem bastante despesas, como com dependentes e pensão alimen- tícia. Isso acaba aumentando o valor da restituição se for o caso [de receber a compensação]”, explica Oliveira de Paula. Um dos erros mais comuns ao preencher a declaração do Imposto de Renda, de acordo com o CEO do Portal Declare- Fácil, Vicente Sevilha Junior, é deixar de somar todos os rendi- mentos tributáveis para consi- derar o limite de isenção, que é de R$ 1.787,77 por mês em 2013. É frequente, diz Sevilha, que o contribuinte com mais de uma aposentadoria decla- re este limite em duplicidade, como se houvesse isenção para cada benefício quando, na ver- dade, é um limite de isenção para cada declarante. Estão obrigados a declarar este ano todas as pessoas físicas que, no acumulado de 2013, receberam rendimentos supe- riores a R$ 25.661,70. O valor é 4,5% maior que no ano passado. Também deve declarar quem recebeu, em 2013, rendimen- tos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40 mil. A declaração do IRPF 2014 é obrigatória para quem obteve, em qualquer mês de 2013, ga- nho de capital (lucro) na venda de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou fez operações em bolsas de valo- res, de mercadorias, de futuros e assemelhadas. Também declara quem ad- quiriu posse ou propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil. A declaração deve ser preenchida ainda pelos que passaram à condição de resi- dente no Brasil, em qualquer mês do ano passado, e que es- tavam nesta condição em 31 de dezembro de 2013. A regra ainda vale para quem optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital obtido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja des- tinado à aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias a partir do contrato de venda. Quem obteve, no ano pas- sado, receita bruta superior a R$ 128.308 de atividade rural também deve declarar. Geral
  4. 4. 4 Goiânia, março de 2014 O IMpresso JornalCidades CARNAQUENTE 2014 !! Um evento totalmente diferenciado Rio Quente facebook.com/prefeituraderio- quente - Antes da Banda Doce Menina subir ao palco, a Com- panhia de Dança de Rio Quen- te e integrantes da Academia Arena Fitness deram um show a parte. Vestidos a caráter e valorizando a cultura local e nacional, os dançarinos em ritmo sincronizado encanta- ram o público. A Banda Doce Menina co- meçou o Show por volta da 23h30, com um repertório voltado principalmente para o Aché , a Cantora Leila Maga- lhães e o vocalista Rafael Capri e demais integrantes, mantive- ram o entusiasmo do público do início ao fim. A animação ficou por conta da apresentadora Felícia, reco- nhecida no mundo do entrete- nimentoporcontagiarecativar o público. Num clima bem des- contraído, a animadora falou da importância de aproveitar o carnaval de Rio Quente de maneira responsável. Os participantes ficaram satisfeitos e admirados com a organização do evento. Além da estrutura impecável e cam- panhas com distribuição de preservativos e ações de cons- cientização ambiental, eles contaram com uma segurança totalmente reforçada. Homens da Polícia Militar, seguranças particulares, 16 brigadistas e uma unidade do SAMU fica- ram apostos durante todo o evento. Segundo a Polícia Mi- litar, nenhuma ocorrência foi registrada no primeiro dia do evento. Essa é mais uma pro- va de que o município de Rio Quente é realmente uma cida- de tranquila, lugar de descanso para aqueles que buscam di- versão consciente e paz. Milhares de pessoas partici- param do primeiro dia do“Car- naquente”, que contou com a presença de toda a comuni- dade. As crianças roubaram a cena durante o desfile dos blo- cos de carnaval, que saiu do Colégio Estadual Água Quente e seguiu até a Praça dos Ipês onde se encontrou com o Colé- gio Municipal Lourenço Batista e seguiram juntos para o local de suas apresentações. OS temas das apresenta- ções foram, o futebol e preven- ção da dengue. Também teve apresentação da Fanfarra Rio Quente (Gerson) e de Caldas Novas (Luizão). Além dos visitantes e moradores de Rio Quente, também compareceram ao evento, autoridades polí- ticas como o Prefeito, os Secretários Municipais e os Vereadores. O“Carnaquente”continuaa todo vapor, hoje à noite haverá show da Banda Doce Menina, DJ Franco, Grupo de Dança da Academia Arena Fitness, Funk com marchinha de carnaval com MC Gustavo além de ou- tras atrações. Todososdiasadiversãoserá garantida, com praça de ali- mentação, estrutura de primei- ra e segurança para os foliões com a presença dos Brigadistas Municipais, equipe dos segu- ranças Municipais e SAMU. Todas as apresentações serão abertas ao público. A noite do primeiro dia do CARNAQUENTE foi emocionante. Mais uma vez a administração mostrou que é possível realizar eventos de forma criativa e responsável. Fotos: Jerry Arts Photo Design Espetáculo mantiveram o entusiasmo do público do início ao fim Crianças roubaram a cena durante o desfile dos blocos de carnal
  5. 5. 5Goiânia, março de 2014 O IMpresso Jornal Caldas Novas Carnaval da Família sem registro de ocorrências policiais graves Dia Internacional da Mulher em Caldas Novas Prefeitura de Caldas Novas e Emater promovem cursos e palestras para produtores rurais Leandro Lopes/Secom Caldas Nova SECOM - Caldas Novas - A aber- tura das festividades aconteceu sexta-feira, 28 de fevereiro, com a presença do prefeito Evandro Magal (PP), o vice-prefeito Marco Aurélio Palmerston (PSDB), o Co- mandantedo26ºBatalhãodaPM, Tenente Coronel Wesley Siqueira Borges, vereadores e secretários municipais. Quando as autorida- des apresentaram o reforço poli- cialparaoperíododeCarnaval. Em Caldas Novas, o policia- mento era composto por mais de 200soldadosepraças,comoapoio tático do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (GRAER), Rondas Ostensivas Metropolitanas (RO- TAM), Grupo de Patrulhamento Tático (GPT), Grupo de Interven- ção Rápida Ostensiva (GIRO), Ca- valaria da Polícia Militar de Goiás, Comando de Operações de Divi- Aproximadamente 150 mil turistas visitaram Caldas Novas durante o Carnaval, segundo informações da Secretaria Municipal de Turismo Prefeito Evandro Magal, cantor Frank Aguiar, deputada federal Magda Mofatto sas, Tropa de Choque e Batalhão de Trânsito da Polícia Militar. E também cadetes da Academia da PolíciaMilitar. O encerramento do even- to aconteceu na segunda-feira, 3 de março, no Centro Munici- pal de Eventos, com um grande showcomocantordeforró,Frank Aguiar, e a dupla sertaneja Gui- lherme e Santiago, que preparou um repertório especial para o últi- mo dia de Carnaval da cidade das ÁguasQuentes. OprefeitoEvandroMagaldisse que o Carnaval da Família supe- rou as expectativas do executivo municipal. “Esse é um resultado da união de esforços entre as au- toridades locais, a comunidade, e oGovernadorMarconiPerillo,que nosofereceutodoosuporteneces- sário. Caldas Novas contou com o melhor aparato policial do Estado para garantir a segurança dos mo- radores e visitantes”, ressaltou o prefeitoEvandroMagal. O vice-prefeito, Marco Aurélio Palmerston(PSDB),acreditaqueo planejamentofoiresponsávelpelo sucesso do evento. “A prefeitura, com o apoio da deputada federal MagdaMofatto(PR),buscoutodas as parcerias necessárias para que Caldas Novas tivesse um dos me- lhorescarnavaisdeGoiás. Destaque nacional em reportagens da TV Globo Osshows,oseventospromovi- dospelaprefeituramunicipal,eaté festas particulares, foram noticia- dosemreportagensdaTVGlobo. A TV Globo exibiu a animação e folia da cidade das Águas Quen- tes em chamadas ao vivo em rede nacional. No último ano, a emis- sora também registrou a primei- ra edição do Carnaval da Família, dando destaque ao grande núme- ro de turistas que havia visitado o municípionaqueleperíodo. O prefeito Evandro Magal res- saltou que a organização do Car- naval da Família foi modelo para outros municípios. “A TV Globo e outras emissoras importantes mostraram o trabalho realizado pela prefeitura e pelo Governo de Goiásparagarantirosucessodeste evento. A segurança foi reforçada, a prestação dos serviços públicos intensificada, para fazermos um dosmelhorescarnavaisdoEstado”. Cidades AprefeituradeCaldasNovas realizou programação com ati- vidades para comemorar o Dia Internacional da Mulher. A data foi lembrada com fai- xas, mensagens em emissoras de rádio, outdoors e também a distribuição de rosas para as mulheres no dia 8 de março. A programação contou com oficinas de beleza, programas de prevenção à doenças, entre outras atividades. A organização é composta pela Secretaria Municipal de Comunicação e Eventos, Secre- taria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, Secreta- ria Municipal da Melhor Idade, Secretaria Municipal de Ação Social, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Habitação, Secretaria Munici- pal de Meio Ambiente, Secre- taria Municipal de Esporte e Lazer e Superintendência Mu- nicipal de Trânsito. A prefeitura ofereceu um dia de beleza para as mulheres do município com corte de cabelo, depilação, maquiagem, inscri- çõesparacasamentocomunitá- rio e prestação de informações sobreoprogramaBolsaFamília. A prefeitura de Caldas No- vas e a Emater (Agência Goiana de Assistência Técnica, Exten- são Rural e Pesquisa Agrope- cuária) promoveram cursos e palestras gratuitamente para produtores rurais. Os eventos aconteceram de 21 a 28 de fe- vereiro, no Centro Municipal de Convenções. A programação contou com curso de piscicultura, curso de processamento de soja, e palestra sobre a impor- tância do Cadastro Ambiental Rural (CAR). As oficinas de capacitação foram realizadas com o apoio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, e Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Cláudio Godoy, Secretário Municipal de Agricultura, afir- mou que os cursos são uma forma de auxiliar o homem do campo. “Todas as palestras e oficinas de capacitação foram ministradas por técnicos capa- citados, com uma linguagem muito clara e objetiva. As pes- soas que participaram tiveram oportunidade de tirar dúvidas para aperfeiçoar técnicas de cultivo e manejo”, relata o Se- cretário Cláudio Godoy. Os cursos realizados pela Emater fazem parte da sema- na tecnológica que é realizada pelo órgão todos os anos. Em Caldas Novas, o encerramento dos eventos aconteceu na últi- ma sexta-feira, 28 de fevereiro, com a realização de uma pa- lestra para tirar dúvidas sobre o Cadastro Ambiental Rural.
  6. 6. 6 Goiânia, março de 2014 O IMpresso JornalEstado Cresce população feminina em Goiás Polícia lança campanha permanente contra violência à mulher Reprodução Reconstrução da GO-156 O governador Marconi Pe- rillo inaugurou nesta sexta- -feira, dia 7, a reconstrução da GO-156, no trecho que liga Nazário a Palmeiras de Goiás. Com mais de 50 quilômetros de extensão, a obra custou R$ 11,5 milhões. Também foi inaugurada a reforma do Co- légio Estadual Major Getulino Artiaga e da Escola Estadual Santos Dumont. A previsão para esta sexta-feira é inaugu- rar 180 quilômetros de trechos rodoviários reconstruídos. Em discurso, Perillo res- saltou que, até o final deste ano, seis mil quilômetros de rodovias serão reconstruídos. Até o momento, o governo já investiu R$ 4 bilhões em reconstrução e construção de rodovias; R$ 6 bilhões em saneamento, redes de esgo- to, habitação, e nas áreas de saúde e segurança; e R$ 130 milhões em reformas de 1.050 escolas estaduais. Goiás agora. A Pesquisa Na- cional por Amostra de Domi- cílios (Pnad/2012) mostrou que a participação feminina na população de Goiás cresceu quase 0,3%, se comparada aos dados de dez anos atrás. Nes- se período, foram acrescidas em torno de 500 mil mulheres, perfazendo hoje aproximada- mente 3,2 milhões de goianas, que representam 50,8% da po- pulação do estado. Segundoapesquisa,dos594 congressistas nacionais, menos de 11% são do sexo feminino. São 54 parlamentares mulheres num universo de mais de 100 milhões de vozes femininas. Em Goiás, há apenas duas mu- lheres dentre os 17 deputados estaduais, muito pouco quando se lembra que faz mais de 60 anos que a primeira mulher, Berenice Artiaga, se elegeu de- putada para a casa de leis goia- na, nos idos de 1951. Destaca- -se que entre os três senadores goianos há uma mulher. Observa-se também o ama- durecimento da mulher goia- na: em 2002, 56% das goianas tinham menos de 30 anos; o quadro se inverte em 2012, em que 54% têm 30 anos ou mais. Em 2002, ainda, o grupo de maior representatividade era o de 15 a 19 anos; em 2012, o grupo com mais mulheres era o de 30 a 34 anos. Outro fato que chama atenção é o au- mento do número de mulheres com mais de 70 anos. Esse gru- po cresceu mais de 90% no pe- ríodo em análise (o maior cres- cimento dentre todos), saindo de uma representatividade em torno de 3% para mais de 5% do total de mulheres. Outro fator que se alterou na década 2002/2012 foi o nú- mero de mulheres por ano de estudo. Em 2002, no Estado de Goiás48%dasmulherestinham apenas até cinco anos de es- tudo. Esse percentual diminui bastante em dez anos, descen- do para pouco mais de 32%. Em relação ao grupo com 11 ou mais anos de estudo, houve avanço de 23% em 2002 para 39,6% em 2012, evidenciando o avanço da qualificação femi- nina no estado. Somente para efeito de comparação, mesmo comumaevoluçãosignificativa, a maioria dos homens (36,5%) tem até cinco anos de estudos; os com 11 anos ou mais de es- tudo somam 32,5% (segundo a Pnad/2012). Dos 6.054 analfabetos tra- balhando em Goiás em 2012, apenas 12% eram do sexo femi- nino. No universo desse gênero (sem considerar aqueles com escolarização incompleta), as analfabetas representam me- nos de 0,2%, enquanto que as com curso superior somam mais de 30%. É interessante perceber que apesar da maior qualificação das mulheres, isto não resulta em melhor remuneração. Na faixa de remuneração dos que ganham entre 10 e 20 salários mínimos, apenas 20% são mu- lheres, havendo, inclusive, um recuo de oito pontos percen- tuais nessa faixa. No grupo dos que recebem mais de 20 salá- riosmínimos,nota-se,poroutro lado, um acréscimo na partici- pação feminina: em 2012 elas eram cerca de 26%, frente aos 20% de 2002. Pesquisa divulgada pelo Instituto Mauro Borges da Secretaria de Gestão e Planejamento divulga perfil da população feminina em Goiás e mostra o crescimento, nos últimos dez anos, do número de mulheres no Estado Violência contra a mulher – É preciso apelar contra o silêncio. Comessesloganfoilançadanesta sexta-feira, dia 7, a nova campa- nha permanente da Delegacia Especializada no Atendimento às Mulheres (Deam) de Goiânia. O objetivo é estimular as vítimas a denunciar as violências sofridas. Desde o início do ano, 120 agres- sores foram presos na capital, em flagrante ou por mandado de pri- são,porviolênciacontraamulher. A delegada titular da Deam, Ana Elisa Gomes, revela que o número é relevante e mostra às vítimas que as denúncias ge- ram resultados. “Nós temos nú- meros positivos que mostram que os agressores são punidos sim. É difícil falar hoje em im- punidade quando se fala em Lei Maria da Penha”, afirma. No entanto, ela avalia que ainda é necessário maior rigor na puni- ção aos agressores. Menos ocorrências No comparativo com o mes- mo período do ano passado, ja- neiro e fevereiro, houve redução de cerca de 20% no registro de ocorrências do tipo. Ana Elisa Gomes afirma que toda redução de criminalidade é positiva, mas aPolíciaCivilestáalertaparaque essa diminuição não signifique que as vítimas não estejam de- nunciando. Por causa disso, a campanha tem como um dos focos a frase: Não se cale. Nos últimos anos houve au- mento de oito para 27 delegacias especializadasnocombateàesse tipo de crime. O delegado geral da Polícia Civil, João Carlos Gor- ski, destaca a importância dessa melhor estruturação. “Nós am- pliamos muito no ano passado. E foi uma cobertura a nível de Estado.Todas as localidades ago- ra têm delegacia [especializada]”. Elepontuaaindaqueomedodos companheiros,oreceiodequeos filhos sejam penalizados e o fato de algumas serem dependentes financeiramente dos parceiros, ainda amedrontam as vítimas. Atendimento A Deam de Goiânia funciona 24horas.Casoavítimanãopossa comparecer na delegacia no dia do fato, ela pode ligar e agendar o atendimento. Para denunciar, basta ligar no telefone 197. Na capital a denúncia também pode serfeitapelosnúmeros(62)3201- 2801 ou (62) 3201-2802. Inauguração A Polícia Civil inaugura ofi- cialmente neste sábado, dia 8, às 10 horas, a Delegacia da Mulher de Goianésia, na Rua 29, nº 374, Centro, ao lado do INSS. Na oca- sião serão distribuídos cinco mil panfletos, rosas e chocolates em comemoraçãoaoDiaInternacio- nal da Mulher.
  7. 7. 7Goiânia, março de 2014 O IMpresso Jornal Jogadores que você não vai lembrar que defenderam o Brasil em Copas Arouca se revolta após ouvir gritos racistas de torcedores em Mogi Mirim Esporte Volante do Santos foi cha- mado de“macaco” e ainda ten- tou identificar os agressores. “Espero que alguém possa to- mar uma providência porque isso é lamentável”, afirmou Um episódio lamentável manchou a goleada que o San- tos aplicou sobre o Mogi Mi- rim na noite desta quinta-fei- ra, pelo Campeonato Paulista. Enquanto concedia entrevista aos repórteres no gramado do Estádio Romildo Ferreira, tor- cedores ofenderam o volan- te Arouca com gritos racistas, chamando-o de “macaco”. “Isso aí é bom nem dar ou- vido a essas pessoas... Pessoas, não. Nem sei se pode chamar isso de pessoa”, respondeu o jogador, que fez o quarto gol do Santos na partida. “É uma situação difícil, mas acontece não só no meio do futebol. Espero que alguém possa tomar uma providên- cia porque isso é lamentável”, completou Arouca, visivel- mente desconcertado e revol- tado com a situação. Ele ainda tentou identificar os agresso- res antes de ir para o vestiário. Segundo relatos de repór- teres que estavam no campo no momento em que Arouca foi ofendido, havia policiais próximos aos torcedores que fizeram a ofensa, mas nenhu- ma ação foi tomada. O técnico Oswaldo de Oli- veira preferiu não comentar o episódio. “Minha resposta para isso é o silêncio. Não farei mais nada.” 1970 - Dadá Maravilha estava no grupo convocado por Zagallo, mas não entrou em nenhum jogo da campa- nha do tri. 1974 - Leivinha foi titular nos jogos da primeira fase, mas foi para o banco e não jogou os últimos quatro jo- gos. 1986 - Silas jogou menos de 20 minutos nas oitavas de final contra a Polônia e Valdo (direita) não entrou em ne- nhum jogo. 1990 - Bismarck não foi aproveitado em nenhum jogo pelo técnico Sebastião Laza- roni. 1994 - O zagueiro Ricardo Rocha começou como titular, mas se machucou na estreia contra a Rússia e não jogou mais. 1994 - Ronaldão foi con- Disputar uma Copa nem sempre garante a eternidade para os jogadores de futebol na memória da torcida. Relembre alguns cujas participações em mundiais foram quase esquecidas. vocado por Parreira, mas não jogou na campanha do tetra. 1994 - O atacante Paulo Sérgio jogou por 15 minu- tos contra Camarões e por 7 contra a Suécia na fase de grupos. 1994 - O goleiro Gilmar Rinaldi também não atuou nos Estados Unidos 1998 - O lateral direito Zé Carlos garantiu vaga na Copa de última hora e jogou a semifinal contra a Holanda porque Cafu estava suspenso. 1998 - Giovanni começou como titular, mas foi substi- tuído no intervalo do jogo de estreia contra a Escócia e não jogou mais. 1998 - O volante Doriva jogou por pouco mais de 20 minutos contra Marrocos na segunda rodada da fase de grupos. 1998 - Com Taffarel como titular absoluto no gol, Carlos Germano não teve chance de jogar. 1998 - Gonçalves foi ti- tular no terceiro jogo da fase de grupos contra a Noruega e entrou nas oitavas contra o Chile. 1998 - Já André Cruz não teve qualquer chance de entrar em campo durante a competição. 2002 - Juninho Paulis- ta foi titular nos quatro pri- meiros jogos e depois voltou nos minutos finais da decisão contra a Alemanha. 2002 - O zagueiro Ander- son Polga foi titular na segun- da rodada contra a China e na terceira contra a Costa Rica. 2002 - O lateral-direito Belletti jogou por cerca de 5 minutos na semifinal contra a Turquia. 2006 - Hoje titular abso- luto, Fred entrou aos 43 do se- gundo tempo contra a Austrá- lia na fase de grupos e marcou um gol. 2006 - Cicinho foi titular na terceira rodada da fase de grupos contra o Japão e jogou 15 minutos no jogo da elimina- ção contra a França. 2006 - O zagueiro Cris não jogou nem por um minuto no Mundial da Alemanha. 2010 - Julio Cesar foi ti- tular com Dunga e não deu chances aos reservas Doni e Gomes no gol. 2010 - Titular na final de 2002, o volante Kleberson jogou apenas dez minutos nas oitavas de final contra o Chile. Foto: 2010 - Josué substituiu Fe- lipe Melo e jogou o segundo tempo da partida contra Por- tugal na fase de grupos. 2010 - Julio Baptista jogou apenas contra Portugal, quan- do foi titular. 2010 - Nilmar foi titular contra Portugal e entrou nos minutos finais contra Coreia do Norte, Chile e Holanda. 2010 - Grafite jogou ape- nas 5 minutos na Copa, no jogo contra Portugal ainda na fase de grupos. Dadá Maravilha Silas Juninho Paulista Fotos: arquivo
  8. 8. 8 Goiânia, março de 2014 O IMpresso Jornal Cachoeira da Cascatinha no Parque Estadual da Serra de Caldas Especial O Governo de Goiás e o Detran têm feito mais pelo trânsito do nosso Estado. Com a Balada Responsável, realizada em parceria com a Polícia Militar, o número de acidentes em Goiânia teve uma redução de 20%. Foram mais de 590 mil condutores abordados e conscientizados do risco de combinar álcool e direção. Soma-se a Balada Responsável outra iniciativa do Governo de Goiás e do Detran: a redução de IPVA para condutores que não cometeram infração e não se envolveram em acidente, no período de um ano. Trata-se do maior programa de educação no trânsito já realizado no país, com mais de 300 mil condutores beneficiados em 2013. O turismo que Goiás tem a oferecer viajeaqui. A exceção é o Parque Nacional da Chapada dos Vea- deiros, em Alto Paraíso de Goiás, distante 420 quilômetros e cujo clima esotérico é mantido pelo isolamento – são apenas 6 mil habitantes num território de 2,6 mil quilômetros quadrados – e um impressionante conjunto de formações geológicas. As duas únicas trilhas abertas a visita- ção só podem ser percorridas na companhia de guias credencia- dos. Caminhar por elas em dire- ção a rios, cachoeiras, mirantes e cânions revela também a riqueza da flora, com dezenas de tipos Com a capital, Goiânia, bem no meio de seu território, fica fácil, a partir dela e num raio de 200 quilômetros, alcançar as principais atrações do estado de Goiás de orquídeas, buritis, babaçu, copaíba e aroeira. O Vale da Lua, fora da área do parque, é um dos pontos altos do passeio, com ro- chas cinzas entre as quais cintila as águas do Rio São Miguel, for- mandopiscinasnaturais.Ocená- rioésurpreendente–talcomofez Neil Armstrong, parece que você está andando em crateras da lua. Bem mais perto de Goiânia – 125 quilômetros – e já em ritmo de aventura e agitação, Pirenópolis viverepletadeturistasnosfinsde semana, especialmente vindos de Brasília e da própria capital do estado. A Festa do Divino e as Cavalhadas,quarentadiasdepois da Páscoa, são eventos famosos na cidade, com apresentações de grupos folclóricos e queimas de fogos. A atração mais procurada na região é o Santuário de Vida Silvestre Vagafogo, reserva eco- lógica com áreas para rapel – do alto de um jatobá! – e uma brin- cadeira conhecida como salto do primata, na qual o participante se lança de uma árvore para um trapézio. Parece simples quando se observa outra pessoa fazendo, mas, quando chega a sua vez, o frio na barriga é inevitável, mes- mo com todos os apetrechos de segurança na cintura. Bem mais tranquilas são as atividades nas vizinhas Caldas Novas e Rio Quente, onde as águas quentes que brotam do solo deram origem à maior es- tância hidrotermal do mundo. O públicotambémébemdiferente, claro. Famílias com crianças e especialmentepessoascommais de 60 anos são os que mais apro- veitam a diversão e as proprie- dades terapêuticas desse líquido preciosoqueenchepiscinasees- corre em toboáguas dos anima- dos parques aquáticos e resorts. Definitivamente democrático no quesitoturismo,Goiástemainda o circuito histórico da charmosa cidade que leva o nome do esta- do e que um dia foi sua capital. Faça um passeio pelos casarões coloniais do Centro, passando pela Casa da poetisa Cora Co- ralina, e não deixe de provar os famosos doces caseiros produ- zidos ali. Cora Coralina, aliás, era também uma doceira de mão cheia e muitas de suas receitas foram passadas para vizinhas e amigas. A visita guiada à casa da escritora começa justamente na cozinha, com os tachos de cobre queelausavaparafazerosdoces. Arquivo

×