SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SUSTENTÁVEL PARA A            ACESSIBILIDADE DA PESSOA CEGA AOS LIVROS.               ...
Segundo Damasceno apud Amorim et all (2000, p. 4), “a Tecnologia daInformação [...] é utilizada como Tecnologia Assistiva,...
scanner de alta velocidade de digitalização, síntese de voz natural e funcionalidade altamenteprecisa de texto em áudio e ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Solução de ti sustentável para a acessibilidade da pessoa cega aos livros

651 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
651
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Solução de ti sustentável para a acessibilidade da pessoa cega aos livros

  1. 1. SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SUSTENTÁVEL PARA A ACESSIBILIDADE DA PESSOA CEGA AOS LIVROS. João Batista Pontes Butrago Maria Iugoslávia da Costa Paiva Ricardo Fernandes de AlbuquerqueINTRODUÇÃO Este resumo expandido mostra um estudo bibliográfico a fim de apresentarsugestões de como facilitar o acesso da pessoa cega aos livros que não possuem edição escritaem braille através de recursos disponíveis no mercado, levando em conta o aspecto financeiroe a sustentabilidade. Outra preocupação foi realizar uma analise sobre o uso das tecnologiasda informática disponíveis a fim de garantir o direito da pessoa cega como cidadão, apropriar-se do conhecimento dinâmico atual. Em bibliotecas públicas ou de universidades a disponibilidade de livros escritosem braille é muito restrita ou inexiste. Com o avanço da informática surgiram equipamentos,softwares e recursos computacionais para ajudar a pessoa cega a se desenvolver de formaindependente. Diante deste contexto levantamos o seguinte problema: Como tornar acessívele viável para pessoa cega a leitura de livros não disponíveis em braille considerando asustentabilidade? Observamos que são poucas ações que garantem ao cego o acesso aoconhecimento, o que nos motivou a realizar um estudo bibliográfico a fim de apresentarsugestões de como facilitar o acesso da pessoa cega aos livros que não possuem edição embraille através de recursos disponíveis no mercado, levando em conta o aspecto financeiro e asustentabilidade. O conceito de sustentabilidade ultimamente tornou-se um princípio segundo oqual o uso dos recursos naturais para satisfação de necessidades atuais não pode comprometera satisfação das necessidades das gerações futuras. Fazendo uma análise da problemática dasustentabilidade chega-se ao termo “Tecnologia da Informação” que, para Rezende apud Beal(2001, p.1), “[...] serve para designar o conjunto de recursos tecnológicos e computacionaispara a geração e uso da informação”. A informação tornou-se um elemento essencial na vida das pessoas e ocomputador, automatizou rotinas que levariam um tempo maior para serem realizadas. Nestecenário, surgem recursos tecnológicos de fundamental importância ao acesso do computadorpara pessoas com deficiência visual, através dos softwares de voz e ampliadores de telas.
  2. 2. Segundo Damasceno apud Amorim et all (2000, p. 4), “a Tecnologia daInformação [...] é utilizada como Tecnologia Assistiva, conceito que designa toda e qualquerferramenta ou recurso utilizado com a finalidade de proporcionar uma maior independência eautonomia a pessoa portadora de deficiência”. Ter acesso às informações acompanhando omovimento em seu entorno social faz-se cada vez mais uma exigência da contemporaneidade.Uma Tecnologia Assistiva sustentável para cegos Um cego possui características pertinentes a qualquer outra pessoa e ser punidopelo seu limite orgânico é no mínimo desumano. Com as possibilidades proporcionadas pelosrecursos tecnológicos, um novo perfil poderá ser delineado, considerando que a alfabetizaçãoe as ferramentas permitirão ao cego além da garantia dos seus direitos como cidadão,apropriar-se do conhecimento dinâmico atual. Os livros e publicações que possuem a versão em braille ou formato MP3(MPEG-1/2 Audio Layer 3), são de grande valia para a cego que busca informação econhecimento. Mas, alem desses recursos no Brasil serem insignificantes, as editorasinvestem timidamente nesse mercado devido os altos custos de impressão e à pirataria quetraz grandes prejuizos. Pensando nisso, o estudo a seguir elaborado por nós apresenta umasugestão possível, mas não única, que amenizará a dificuldade enfrentada por um cego que,por exemplo, pretenda ingressar na universidade para ali permanecer durante cinco anos até asua conclusão. Iremos considerar o seguinte caso hipotético: João vai cursar Administração deEmpresas com 50 (cinquenta) disciplinas em sua grade curricular. Em cada uma, além denotas de aula, João adotará um livro como bibliografia de pesquisa e terá que imprimi-lo embraille. Se cada livro possuir em média 400 paginas, gastar-se-á cerca de 2.000 folhas depapel (Sulfit A4 150g), pois para cada pagina impressa em tinta consomem-se em média cincofolhas na impressão em braille. Ao final do curso terá sido gasto pelo menos 20.000 folhasque, ao custo de R$ 102,00/mil, totalizará um gasto de R$ 2.040,00. Agrega-se o preço deuma impressora braille que gira em torno de R$ 1.000,00. Com o BookReader, um scanner totalmente projetado para ser utilizado pelapessoa cega, à vida acadêmica de João será muito mais fácil garantindo-lhe acessibilidade,vida independente e inclusão social. Outro foco importante é a sustentabilidade, pois dispensaa impressão contribuindo de forma significativa para a preservação da fauna e flora de nossoplaneta. Financeiramente viável (em média R$ 4.000,00), esse equipamento contempla
  3. 3. scanner de alta velocidade de digitalização, síntese de voz natural e funcionalidade altamenteprecisa de texto em áudio e de OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres). Segundo o site http://plustek.com/br/ da empresa Plustek, fabricante do produto,para criar um arquivo em áudio, o usuário simplesmente coloca um livro ou documento sobreo vidro de exposição para digitalização e com um toque no botão, o texto é transformado emarquivo de áudio que pode ser salvo em MP3 e outros formatos. Projetado para digitalizaçãode livros o (SEE™ Elemento de Eliminação de Sombra), elimina sombras de lombada delivro e distorções de texto. Sobre o aspecto legal, a reprodução feita por uma pessoa com deficiência visualnão constitui crime de pirataria segundo a Lei de Direito Autoral (nº 9610/98), Capítulo IV,Artigo 46, de 19 de fevereiro de 1998.CONCLUSÃO Após as análises e reflexões, compreendemos as dificuldades que a pessoa cega sedepara durante o processo de formação contínua, tendo em vista que além da falta deacessibilidade à informação escrita, os equipamentos e novas tecnologias possuem um customuito elevado. Diante disso, constatamos que as instituições públicas ou privadas podem e devemcriar um ambiente acessível e independente. Quanto aos nossos governantes, estes precisam“vigiar” o cumprimento das garantias do cidadão com deficiência e criar incentivos para apesquisa e desenvolvimento de novos equipamentos, softwares e recursos computacionais.REFERÊNCIASAMORIM, Eliã S. dos S. ET all. Educação de cegos mediada pela tecnologia. Disponível emwww.educação.salvador.ba.gov.br. Acessado em 25/09/2012.BEAL, Adriana. Introdução à gestão de tecnologia da informação. Maio/2011. Disponível emwww.2beal.org. Acessado em 16/09/2012.PLANALTO FEDERAL. Lei de direito autoral (nº 9610/98). Disponível em: www.planalto.gov.br.Acessado em 19/10/2012.PLUSTEK. Características do BookReader V200. Disponível em: www.plustek.com/br. Acessadoem 20/09/2012.

×