Semana do Turismo 
Centro Paula Souza | ETEC Aristóteles Ferreira 
Santos (SP), 30 de setembro de 2014 
Novos rumos para o...
Aristides Faria Lopes dos Santos
Ficha técnica do projeto 
• Título: Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista 
• Coordenador: Aristides Faria Lopes...
Ficha técnica do projeto 
• Objetivo: reunir informações e evidências atualizadas sobre a administração pública do 
turism...
Ficha técnica do projeto: MS Project
1ª fase do projeto: opinião pública 
• Realizou-se pesquisa de opinião pública divulgada por meio da internet, com foco em...
Opinião pública: origem e atuação 
9 
27 
4 
9 
6 
13 
8 
4 
Agenciamento Diversos Consultoria Docência Hotelaria Poder Pú...
Opinião pública: principais entraves 
8 
26 
14 14 
19 
6 
18 
12 
28 
11 
36 
3 
36
Avaliação objetiva (escala 0 a 5) 
Na escala a seguir, em termos 
gerais, avalie a administração 
pública do turismo de su...
Opinião pública: ações possíveis 
• Educação para o turismo 
– “Desenvolver programas de educação patrimonial e educação p...
Opinião pública: ações possíveis 
• Turismo receptivo 
– “Fiscalização sobre acesso, trânsito, permanência e estacionament...
Opinião pública: ações possíveis 
• Atrativos turísticos 
– “Execução de manutenção permanente e monitoramento das condiçõ...
Opinião pública: ações possíveis 
• Postos de informações (turísticas) 
– “Fortalecer os postos de informações, dotando-os...
2ª fase do projeto: visitas técnicas 
• Realizou-se visitas aos municípios da região com foco em atrativos turísticos e po...
Bertioga 
Canal de Bertioga: paisagem bucólica, mas 
falta sinalização e posto de informações 
Orla: a equipe verificou au...
Cubatão 
Parque Anilinas: carência de manutenção, o 
que expõe o usuário a riscos 
Parque Ecológico do Perequê: acesso pou...
Guarujá 
Praia de Pernambuco: problema de 
acessibilidade e língua negra 
Praia do Perequê: insegurança ao pedestre e 
fal...
Itanhaém 
Imediações da Cama de Anchieta: falta 
infraestrutura de apoio e conservação 
PIT: o posto de informações encont...
Mongaguá 
Poço das Antas: a área de lazer para crianças 
está completamente inadequada ao uso 
Poço das Antas: há obras no...
Peruíbe 
CITM: o centro de informações carece de 
manutenção e infraestrutura 
Parque Turístico: o parque está em completo...
Praia Grande 
Orla (Ocian): as condições são razoáveis, 
mas falta manutenção (prevenir acidentes) 
Orla (Ocian): em geral...
Santos 
Emissário: o parque carece de manutenção 
ou isolamento de algumas áreas 
Orquidário: o parque estava fechado (sem...
São Vicente 
Praça 22 de janeiro: na praça falta 
manutenção, segurança e atividades culturais 
Ipupiara: a estátua está c...
3ª fase do projeto: reuniões técnicas 
• Realizou-se reuniões técnicas e temáticas 
com profissionais do turismo atuantes ...
Desdobramentos 
• VI CLAIT: publicações científicas 
– Reflexiones sobre la conversión del potencial en producto turístico...
Muito obrigado!! 
• Contatos 
– www.facebook.com/agendapropositivadoturismo 
– aristidesfaria@rhemhospitalidade.com 
– www...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados - ETEC A. F. (Santos)

610 visualizações

Publicada em

A ETEC Aristóteles Ferreira, em Santos (SP), promoveu evento alusivo ao Dia Mundial do Turismo e Dia Nacional do Bacharel em Turismo, comemorado em 27 de setembro. A programação contou com a participação de Aristides Faria, Consultor e Palestrante da [RH em Hospitalidade]. Nessa ocasião, o palestrante apresentou o tema “O Turismólogo no processo de planejamento turístico: o caso da Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista”.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
610
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
129
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados - ETEC A. F. (Santos)

  1. 1. Semana do Turismo Centro Paula Souza | ETEC Aristóteles Ferreira Santos (SP), 30 de setembro de 2014 Novos rumos para o turismo regional Aristides Faria Lopes dos Santos
  2. 2. Aristides Faria Lopes dos Santos
  3. 3. Ficha técnica do projeto • Título: Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista • Coordenador: Aristides Faria Lopes dos Santos • Formação acadêmica: Bacharel em Turismo (Unisul, 2002), Especialista em Gestão de Recursos Humanos (UFSC, 2003), MBA em Gestão de Projetos (Unisantos, 2013) e Mestrado em Hospitalidade (UAM, 2013-2015). • Atuação profissional: Empresário, docente, consultor e palestrante. Possui experiência gerencial e operacional na iniciativa privada, poder público e terceiro setor. • Equipe do projeto: Tainá Rodrigues (Técnica de Turismo e Guia de Turismo/Embratur), Claudia Jorge (Guia de Turismo/Embratur) e Cristian Alves (Relações Públicas).
  4. 4. Ficha técnica do projeto • Objetivo: reunir informações e evidências atualizadas sobre a administração pública do turismo da região e propor ações governamentais para dinamizar o setor; • Estratégia: para alcançar o objetivo enunciado o trabalho foi ordenado em três fases concomitantes, a saber: – 1ª fase: Pesquisa de opinião pública via internet (em andamento); – 2ª fase: Visitas técnicas aos municípios da região; – 3ª fase: Reuniões técnicas com profissionais do setor (em andamento). • Metodologia: durante as visitas técnicas (estratégia metodológica de “observação participante”) realizou-se amplo registro fotográfico; • Duração do projeto: 64 dias (01/08 a 03/10/2014) • Relatório: essa apresentação é um recorte no projeto, ou seja, apenas uma parte do relatório final, que virá compor a Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista.
  5. 5. Ficha técnica do projeto: MS Project
  6. 6. 1ª fase do projeto: opinião pública • Realizou-se pesquisa de opinião pública divulgada por meio da internet, com foco em público formado por profissionais dos diversos segmentos do turismo, tais como hotelaria, agenciamento de viagens, Guias de Turismo, docentes e estudantes, entre outros; • A primeira etapa da campanha foi veiculada entre 10 de agosto e 25 de setembro de 2014 (ainda no ar), quando foi feita a presente tabulação; • O motivador desse processo foi o período eleitoral, então a meta é atingir 1.000 respostas válidas até o dia 31 de dezembro de 2014; • Em 1° de novembro desse ano a Agenda Propositiva do Turismo – fechada até aquela data – será entregue aos deputados estaduais eleitos pela região, em ato social em Santos (SP); • Até o momento, as informações sobre o projeto foram visualizadas por mais 80.000 pessoas... mas80responderam ao questionário!
  7. 7. Opinião pública: origem e atuação 9 27 4 9 6 13 8 4 Agenciamento Diversos Consultoria Docência Hotelaria Poder Público Guia de Turismo Estudantes 2 3 2 5 1 6 10 5 28 18 Cubatão Guarujá Interior Itanhaem Mongagua Peruíbe Praia Grande RMSP Santos São Vicente
  8. 8. Opinião pública: principais entraves 8 26 14 14 19 6 18 12 28 11 36 3 36
  9. 9. Avaliação objetiva (escala 0 a 5) Na escala a seguir, em termos gerais, avalie a administração pública do turismo de sua cidade. Na escala a seguir, em termos gerais, avalie o nível de articulação entre os municípios no que tange ao turismo.
  10. 10. Opinião pública: ações possíveis • Educação para o turismo – “Desenvolver programas de educação patrimonial e educação para o turismo, uma vez que todas as nove cidades têm atrativos e singularidades que muitas vezes os próprios moradores desconhecem”. • Regionalização do turismo – “Incentivar a circulação dos visitantes pela região, tanto usando o transporte público quanto serviços de traslado. Para tanto, além de investir na manutenção e qualificação de tais serviços públicos, os municípios têm de viabilizar a livre circulação de veículos de turismo que contratem agências de turismo receptivo sediadas na região”. • Ação governamental – “Orientar a atuação do poder público – local e estadual – em posição de incentivar o empresariado, mobilizando a iniciativa privada no sentido de planejar organização do setor de modo competitivo e coeso”. • Qualificação da mão de obra – “Promoção de cursos profissionalizantes por meio das ETECs e outras instituições da região sobre tópicos como “Atendimento”, “Copeiro”, “Garçom”, “Eventos”, “Hotelaria”, “Recepcionista” e mesmo “Empreendedorismo”, entre outros”.
  11. 11. Opinião pública: ações possíveis • Turismo receptivo – “Fiscalização sobre acesso, trânsito, permanência e estacionamento de ônibus e vans que chegam a região. Esses veículos devem ser acompanhados por um Guia de Turismo local, o que tende a proporcionar oportunidades de trabalho e renda aos profissionais locais ao longo de todo o ano”. • Eventos – “Apoio e realização de eventos (culturais, esportivos, religiosos, entre outros) quanto catalisadores de fluxos de visitantes para os principais pontos turísticos das cidades da região. Tal ação demanda articulação regional para não sobrepor períodos e datas de eventos, o que poderá consolidar uma agenda regional de eventos”. • Impacto econômico do turismo – “Estudo e monitoramento do “valor” do Turismo para a economia dos municípios da região e criação de condições favoráveis para o seu desenvolvimento. As entidades setoriais devem ser incentivadas a compartilhar dados sobre o desempenho econômico dos setores nos quais atuam”. • Cooperação – “Realização de reuniões periódicas e temáticas entre empresários e dirigentes do Turismo para a proposição de ações relacionadas a implementação de melhorias para as cidades e a região como um todo. Conseqüentemente, criação de foros locais e/ou temáticos para acompanhar a execução das ações propostas e aprovadas”.
  12. 12. Opinião pública: ações possíveis • Atrativos turísticos – “Execução de manutenção permanente e monitoramento das condições de uso de atrativos turísticos. Adequação de atrativos turísticos e parques ao uso público, prezando pela modernização das instalações e o provimento de condições plenas segurança, limpeza e lazer”. • Benchmark – “Pesquisar casos semelhantes e promover visitas técnicas consorciadas (prefeituras, centros de formação, entidades e empresariado) • Circuito turístico regional (auto-guiado) – “Consolidar atrativos turísticos locais e difundir informação e sinalização para a criação de um circuito turístico auto-guiado para visitantes que demandam a região em grupos particulares”. • Sazonalidade – “Fomentar segmentos como o Turismo Pedagógico, da Melhor Idade, das Viagens de Incentivo, de Feiras e Convenções e do Ecoturismo, por exemplo, para diminuir os impactos da sazonalidade sobre meios de hospedagem e outros serviços relacionados”.
  13. 13. Opinião pública: ações possíveis • Postos de informações (turísticas) – “Fortalecer os postos de informações, dotando-os de infraestrutura básica de comunicação (telefones, internet e televisão transmitindo vídeos institucionais e verdadeiramente informativos, por exemplo); viabilizando o compartilhamento do uso para mais de uma instituição como as guardas municipais ou secretarias de educação, saúde, esporte, assistência social, etc.; e incentivando os munícipes – transeuntes e comerciantes – a interagirem com o posto de informações, que podem ser úteis a diversos públicos além dos visitantes”. • Cocriação de uma estratégia competitiva – “Cocriação de uma estratégia competitiva regional, o que pode fortalecer os vínculos históricos e institucionais existentes, muito além que ligações partidárias e políticas o permitiriam. Os municípios têm de manter investimentos individuais e locais, mas levando em consideração as ações das demais cidades, fortalecendo uma identidade e marca regional”. • Parcerias Público-Privadas – “Estabelecimento de parcerias entre instituições públicas e privadas para a gestão e operação de serviços turísticos, administração de unidades de conservação, planejamento, organização e execução de eventos e ações promocionais institucionais e mesmo a efetiva realização de campanhas de divulgação da(s) cidade(s)”.
  14. 14. 2ª fase do projeto: visitas técnicas • Realizou-se visitas aos municípios da região com foco em atrativos turísticos e postos de informações turísticas; • Os itinerários foram planejados com base nas informações disponibilizadas pelas prefeituras locais em seus websites institucionais; • A equipe do projeto visitou diversos atrativos e consultou postos de informações para verificar as condições gerais de visitação, como faria um turista comum, independente da motivação de sua viagem; • Nesse documento, apresenta-se resumidamente questões pontuais identificadas em cada município. Limitou-se nessa ocasião os comentários a duas citações por cidade; • Essencialmente, ao longo do processo, a equipe do projeto se empenhou em identificar boas práticas de administração pública do turismo em cada cidade para compartilhar com os demais profissionais do setor.
  15. 15. Bertioga Canal de Bertioga: paisagem bucólica, mas falta sinalização e posto de informações Orla: a equipe verificou ausência de sinalização turística na cidade em geral
  16. 16. Cubatão Parque Anilinas: carência de manutenção, o que expõe o usuário a riscos Parque Ecológico do Perequê: acesso pouco convidativo e sem sinalização
  17. 17. Guarujá Praia de Pernambuco: problema de acessibilidade e língua negra Praia do Perequê: insegurança ao pedestre e falta de sinalização
  18. 18. Itanhaém Imediações da Cama de Anchieta: falta infraestrutura de apoio e conservação PIT: o posto de informações encontrava-se fechado e sem notificação para o turista
  19. 19. Mongaguá Poço das Antas: a área de lazer para crianças está completamente inadequada ao uso Poço das Antas: há obras no local que expõem os usuários a riscos
  20. 20. Peruíbe CITM: o centro de informações carece de manutenção e infraestrutura Parque Turístico: o parque está em completo abandono e sem isolamento da área
  21. 21. Praia Grande Orla (Ocian): as condições são razoáveis, mas falta manutenção (prevenir acidentes) Orla (Ocian): em geral, a orla possui boa infraestrutura, mas falta manutenção
  22. 22. Santos Emissário: o parque carece de manutenção ou isolamento de algumas áreas Orquidário: o parque estava fechado (sem notificação) e nas imediações havia entulho
  23. 23. São Vicente Praça 22 de janeiro: na praça falta manutenção, segurança e atividades culturais Ipupiara: a estátua está completamente destruída e os arredores abandonados
  24. 24. 3ª fase do projeto: reuniões técnicas • Realizou-se reuniões técnicas e temáticas com profissionais do turismo atuantes na região; • Esses encontros objetivaram analisar as visitas técnicas realizadas até o momento; • Foram diversos encontros, mas dois deles tiveram convite aberto e tema flexível; • A terceira reunião acontecerá em 1° de novembro, após as eleições, para entrega do documento final do projeto aos deputados estaduais eleitos pela região.
  25. 25. Desdobramentos • VI CLAIT: publicações científicas – Reflexiones sobre la conversión del potencial en producto turístico: análisis sobre la municipalidad de Cubatão, San Pablo, Brasil. – Análisis sobre el Programa de Revitalización y Desarrollo de la Región Central Histórica de Santos, San Pablo, Brasil (Alegra Centro). – Eventos y herramientas de comunicación social: análisis sobre la estrategia de promoción del Seminario de Hospitalidad de la costa paulista (San Pablo, Brasil) • Seminário de Hospitalidade do Litoral Paulista (SEHLIPA) – Santos, abril de 2015 – Tema central: Comunicação & Relações governamentais – Informações: www.sehlipa.com / http://sehlipa.blogspot.com • Banco de Projetos da ALESP – http://www.al.sp.gov.br/participe/banco-de-projetos/
  26. 26. Muito obrigado!! • Contatos – www.facebook.com/agendapropositivadoturismo – aristidesfaria@rhemhospitalidade.com – www.rhemhospitalidade.com – Foto: Área Continental de Santos (Por Aristides Faria)

×