Ecdizoários

2.271 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.271
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
287
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ecdizoários

  1. 2. Carlos Floriani
  2. 3. <ul><li>Os  nematódeos  ou  nemátodos   são considerados o grupo de  metazoários  mais abundante na  biosfera , com estimativa de constituírem até 80% de todos os metazoários, com mais de 20.000 espécies já descritas, de um número estimado em mais de 1 milhão de espécies atuais , que incluem muitas formas parasitas de plantas e animais. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Os nematódeos de vida livre são pequenos, geralmente menores do que 2,5 mm de comprimento e têm o  corpo  construído no mesmo plano fundamental, um cilindro quase perfeito, nu, delgado e alongado. O animal é essencialmente um tubo dentro de outro tubo: o tubo externo é a parede corpórea, constituída, externamente, por uma cutícula  complexa e, internamente, por uma camada de músculos longitudinais. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>O tubo interno é o trato digestivo, que é terminal na extremidade anterior mas subterminal posteriormente. Entre a parede e o tubo digestivo há a cavidade corpórea ou pseudoceloma , preenchida por líquido, que funciona como um &quot;esqueleto hidrostático&quot;, além de favorecer a distribuição de nutrientes e recolher excretas , e na qual se encontram os órgãos reprodutores. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>A epiderme é sincicial, ou seja, formada por uma massa celular multinucleada e produz uma cutícula depositada externamente a ela. A cutícula é acelular, lisa, resistente e oferece proteção para o animal; em algumas formas, ela apresenta projeções que ajudam na locomoção. A cutícula tem de ser mudada para o animal crescer, um processo denominado ecdise - que coloca este filo no grupo dos Ecdysozoa, juntamente com os artrópodes e outros filos. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Seus músculos são exclusivamente longitudinais, dispostos no sentido do comprimento do corpo. Isso faz com que a sua capacidade de locomoção seja mais limitada que a dos platelmintos. Os músculos são ativados pelas cadeias nervosas, que se encontram ao longo de todo o corpo do animal, uma na região ventral e outra na dorsal. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Ao contrário de outros animais, em que os nervos se ramificam para os músculos, nos nematódeos são os músculos que se ramificam para atingirem os cordões nervosos. Estes cordões ligam-se a um anel à volta da faringe e possuem vários gânglios adicionais perto da extremidade anterior, mas sem formar um verdadeiro cérebro. Nessa região encontram-se órgãos sensoriais reduzidos. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Os  tubos digestores  dos nematelmintos é completo, ou seja, possui um orifício de entrada de alimentos (a boca) e um outro orifício de saída de dejetos (o ânus) - são enterozoários completos. </li></ul><ul><li>Na boca, podem ser encontradas placas cortantes semelhantes a dentes, com as quais os nematelmintos podem perfurar os tecidos de outros seres vivos. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>A faringe é musculosa e serve para esmagar os alimentos e também para os dirigir para o intestino, que não possui qualquer musculatura. O alimento é completamente digerido pelas enzimas que atuam sobre ele no interior do tubo digestivo, e os nutrientes são passados para a cavidade do corpo para serem distribuídos pelas células. </li></ul><ul><li>Muitos nematelmintos de vida livre são carnívoros e se alimentam de pequenos animais ou de corpos de animais mortos. Os parasitas intestinais recebem o alimento já parcialmente digerido pelo hospedeiro. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Assim como os platelmintos, os nematelmintos são avasculares (não possuem sistema circulatório). A cavidade corporal (o pseudoceloma) contém um líquido, e a contínua movimentação desse líquido, propiciada pela contração da musculatura longitudinal do corpo, permite uma relativa distribuição de materiais entre algumas partes do corpo. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Eles não possuem órgãos respiratórios. As trocas gasosas acontecem na superfície corporal, por difusão. Os nematelmintos de vida livre são aeróbicos e obtêm o oxigênio no meio onde vivem. Os parasitas são geralmente anaeróbicos e fazem fermentação. Dessa forma não requerem oxigênio e a maioria não elimina CO 2 , porque realizam a fermentação láctica, que não libera esse gás. </li></ul>
  12. 13. <ul><li>Os resíduos metabólicos são excretados a partir do líquido que ocupa o pseudoceloma, por meio de dois tubos longitudinais ligados por um menor, transversal. A distribuição desses tubos, no corpo, dá a eles o nome de tubos em &quot;H&quot;. Os dois ramos longitudinais do sistema se abrem em orifícios próximos da boca. </li></ul>
  13. 15. <ul><li>A maioria das espécies são dióicas, (realizam fecundação interna), ocorrendo em algumas nítido dimorfismo sexual: normalmente os machos são menores que as fêmeas, apresentam espinhos copulatórios e possuem a cauda encurvada. </li></ul><ul><li>Na cópula, os machos depositam os seus espermatozóides no poro genital das fêmeas. Os machos não possuem poro genital, e a saída dos espermatozóides ocorre pela cloaca. </li></ul><ul><li>Também são características exclusivas dos nematódeos a ausência de células ciliadas e os espermatozóides amebóides, sem flagelo, deslocando-se por pseudópodos. </li></ul>
  14. 16. <ul><li>A fecundação acontece dentro do corpo da fêmea (fecundação interna). Depois de fecundado, o zigoto se desenvolve dentro de um ovo com a casca resistente. Muitas espécies eliminam os ovos fecundados para o ambiente, onde as primeiras divisões se processam e o ovo se torna embrionado. </li></ul><ul><li>O ciclo evolutivo pode ser direto ou indireto, dependendo da formação de larvas por dentro ou fora dos ovos. </li></ul>
  15. 17. Luis Gustavo
  16. 18. <ul><li>Muitas vezes, não percebemos a presença daqueles animais com corpos de formas estranhas e cores variadas, que vivem ao nosso redor, voam sobre nossas cabeças ou aqueles que se locomovem próximo dos nossos pés. A maioria desses seres é formada por animais artrópodes. </li></ul><ul><li>Esse grupo inclui animais como aranha, mosca, siri, lacraia, piolho-de-cobra, camarão, escorpião, abelha, entre inúmeros outros. O grupo dos artrópodes é tão bem adaptado aos diferentes ambientes que, atualmente, representa mais de 70% das espécies animais conhecidas. </li></ul>
  17. 19. <ul><li>A principal característica que diferencia os artrópodes dos demais invertebrados são as  patas articuladas . Foi essa característica que deu o nome ao grupo, pois a expressão patas articuladas vem do grego:  artro , que significa &quot;articulação&quot;, e  podos , &quot;patas&quot;. </li></ul><ul><li>As patas articuladas permitem que o animal possa realizar vários movimentos diferentes, muitos deles bem definidos e elaborados. Além de uma locomoção muito eficiente, as patas articuladas apresentam outras vantagens para o animal, pois auxiliam na sua defesa e na captura de alimento. No dia-a-dia, é fácil observar nas formigas, por exemplo, a atividade que essas patas permitem. </li></ul>
  18. 20. <ul><li>Além das patas articuladas, outra característica importante dos artrópodes é a presença de um reforço externo: o  exoesqueleto . Ele é resistente, impermeável e é constituído de sais de  quitina , que é um tipo de &quot;açúcar&quot;. </li></ul><ul><li>O exoesqueleto reveste e protege o corpo desses animais de muitos perigos externos e também evita que eles percam água. É uma importante adaptação ao ambiente terrestre. </li></ul><ul><li>Embora ofereça proteção, o exoesqueleto limita o tamanho do animal, pois não acompanha o crescimento do corpo. Quando esse exoesqueleto fica pequeno, ocorre a muda. Nesse fenômeno, o exoesqueleto antigo se desprende do corpo do animal e é trocado pelo novo, que já está formado. </li></ul><ul><li>Até se tornarem adultos, os artrópodes podem fazer essa troca várias vezes. Por isso, podemos encontrar exoesqueletos de artrópodes soltos em árvores. </li></ul>
  19. 21. <ul><li>Inseto saindo do seu exoesqueleto antigo. </li></ul>
  20. 22. <ul><li>Vários artrópodes são carnívoros, mas há também os herbívoros, que se alimentam de diferentes partes das plantas. </li></ul><ul><li>O sistema digestório dos artrópodes é completo, e os resíduos alimentares, isto é, as fezes, são eliminados pelos ânus. </li></ul>
  21. 23. <ul><li>A circulação dos artrópodes é aberta, isto é, o &quot;sangue&quot; não circula apenas dentro dos vasos, mas banha espaços do corpo do animal. Esse &quot;sangue&quot; é incolor ou ligeiramente azulado e não transporta gases, apenas os nutrientes. </li></ul>
  22. 24. <ul><li>Nas diversas classes de artrópodes, o tipo de respiração varia. </li></ul><ul><li>Muitos artrópodes são terrestres, como os insetos, diplópodes e quilópodes, e respiram retirando oxigênio do ambiente por estruturas denominadas  traquéias . </li></ul><ul><li>A traquéia está ligada a fibras musculares que se contraem e estimulam o ar a entrar pelos espiráculos da traquéia. </li></ul><ul><li>Os artrópodes aquáticos, como os crustáceos, podem ter respiração branquial. As  brânquias  são estruturas que retiram oxigênio dissolvido na água para a respiração animal. Estão presentes em grande parte dos invertebrados aquáticos e nos peixes. Os micro crustáceos (crustáceos muito pequenos) fazem respiração cutânea, isto é, respiram pela pele. </li></ul>
  23. 26. <ul><li>Na maioria dos artrópodes, o sexo são separados e a fecundação é interna, isto é, o macho lança os gametas masculinos dentro do corpo da fêmea. </li></ul><ul><li>O  desenvolvimento pode ser direto : os filhotes já nascem semelhantes aos pais, como é o caso de muitos aracnídeos, e portanto esses animais não passam por metamorfose. </li></ul>
  24. 28. <ul><li>No  desenvolvimento indireto , como ocorre com grande parte dos insetos, o animal que sai do ovo passa por uma metamorfose antes de atingir a vida adulta. </li></ul>
  25. 30. <ul><li>A  metamorfose  pode ser completa ou incompleta. Na metamorfose completa, o animal passa pelas fases de larva, pupa e adulto - isso ocorre, por exemplo, nas borboletas e moscas. Na metamorfose incompleta, não há a fase de larva ou a de pupa - é o que ocorre, por exemplo, com as baratas e os gafanhotos. </li></ul>
  26. 31. <ul><li>Os artrópodes são subdivididos em classes de acordo com alguns critérios, como a  divisão do corpo  e o  número de apêndices  apresentados (por exemplo: número de patas, antenas etc.). </li></ul><ul><li>Entre as classes de artrópodes, podemos citar:  crustáceos ,  aracnídeos ,  quilópodes ,   diplópodes  e insetos . </li></ul>
  27. 32. <ul><li>A maioria dos crustáceos é marinha, ou seja, vive nos mares e oceanos. Algumas espécies, porém, têm seu habitat na água doce, e outras, ainda, são terrestres, como o tatuzinho-de-jardim. Podemos citar como exemplos de crustáceos mais conhecidos: Camarão, lagosta, siri, caranguejo e craca. O tamanho desses animais varia bastante de uma espécie para outra. </li></ul><ul><li>O corpo dos crustáceos, é dividido em  cefalotórax , parte do corpo formada por cabeça e tórax fundidos, e abdome. </li></ul>
  28. 34. <ul><li>A classe dos aracnídeos inclui aranhas, escorpiões e carrapatos. Algumas espécies peçonhentas de aranhas e escorpiões podem causar a morte, principalmente de crianças pequenas. O número de acidentes envolvendo o veneno desses animais é grande no Brasil. </li></ul><ul><li>O corpo dos aracnídeos é dividido em  cefalotórax  e  abdome . </li></ul>
  29. 36. <ul><li>Quilópode é uma palavra de origem grega que significa &quot;aquela que tem mil patas&quot; ( quilo  significa &quot;mil&quot;, e  podos  &quot;patas&quot;). Esse grupo é representado pela  lacraia  e pela  centopéia . </li></ul><ul><li>O corpo dos quilópodes é formado por uma  cabeça  e  muitos segmentos . Em cada um desses segmentos, existe um par de pernas. Esses animais têm um par de antenas longas na cabeça. </li></ul><ul><li>O veneno das lacraias não costuma ser mortal para o ser humano mas causam muita dor. </li></ul>
  30. 38. <ul><li>Um representante desse grupo é o  piolho-de-cobra , conhecido também como embuá ou gongolo. O corpo dos diplópodes possui  uma cabeça  com uma par de antenas curtas e tem também  vários segmentos . </li></ul><ul><li>Os diplópodes gostam de lugares escuros e terra úmida. Vivem embaixo de pedras e folhas mortas ou dentro de troncos de árvores apodrecidos. Assim como os quilópodes, eles procuram sombra e umidade. </li></ul>
  31. 40. <ul><li>Os principais representantes dessa classe são os artrópodes que encontram com mais facilidade no dia-a-dia; por exemplo: formiga, barata, mosquito, borboleta, mosca, besouro, joaninha, abelha, gafanhoto, entre muitos outros. </li></ul><ul><li>A classe dos artrópodes com maior variedade e número de espécies é a dos insetos. Com grande capacidade reprodutiva, os insetos formam a  única classe de invertebrados com representantes dotados de asas , o que contribui para o sucesso na ocupação de todos os ambientes do planeta exceto as águas oceânicas mais profundas. </li></ul>
  32. 43. Gustavo
  33. 44. <ul><li>Os equinodermos são os seres do filo Echinodermata (do grego echinos, espinho + derma, pele + ata). Este filo surgiu no período Cambriano recente e contêm cerca de 7.000 espécies viventes e 13.000 extintas. São animais exclusivamente marinhos e bentônico, sendo que alguns crinóides vivem fixos ao substrato rochoso. Seus representantes incluem as estrelas do mar, ofiuróides, ouriço do mar, pepino do mar e os crinóides. </li></ul>
  34. 45. <ul><li>Os equinodermos apresenta um conjunto de características únicas ausentes nos outros filos, entre as quais destaca-se simetria radial pentameral, ou seja o corpo geralmente é dividido em cinco partes dispostas ao redor do eixo central. </li></ul><ul><li>Uma das características mais marcantes dos equinodermos é a presença de um complexo sistema de lâminas, canais e válvulas, denominado sistema aquífero ou ambulacrário (do latim  ambulare : caminhar). Este sistema relaciona-se com a locomoção, respiração, circulação, excreção e até mesmo com a percepção do animal.  </li></ul>
  35. 46. <ul><li>Desempenha funções de locomoção, fixação e captura de alimentos. Além disso, auxilia na respiração e excreção. Ele consiste em canais cheios de água marinha, que penetram no corpo por uma placa perfurada denominada madreporito, e se comunicam com os pés ambulacrais, presentes na superfície do corpo. A pressão exercida na água pelos pés ambulacrais permite a locomoção, fixação e captura de alimentos destes animais. </li></ul>
  36. 47. <ul><li>É completo, com digestão extracelular. O sistema circulatório pode ser ausente ou reduzido, dependendo da espécie, sendo as substâncias predominantemente distribuídas via celoma.  </li></ul>
  37. 48. <ul><li>A respiração é branquial, próximas à boca. Não há sistema excretor: as excreções são lançadas diretamente no sistema hidrovascular.  </li></ul>
  38. 49. <ul><li>É sexuada, isto é, reprodução com a participação de gametas. Os animais, liberam os gametas na água. Após a fecundação, há o desenvolvimento de um ou mais tipos de larva, até que atinjam a idade adulta. Possuem excelente capacidade de regeneração.  </li></ul>
  39. 50. <ul><li>Quando a cauda de uma lagartixa é cortada, em poucos dias cresce uma nova cauda, regenerando-se. Isso também acontece quando uma estrela-do-mar perde um dos braços. </li></ul><ul><li>Esse fenômeno de regeneração de parte do corpo representa uma vantagem para esses animais, quando atacados ou em iminente perigo, &quot;entregam&quot; parte do seu corpo para o predador, enquanto procuram se esconder. </li></ul>
  40. 51. <ul><li>Se o disco central estiver intacto, há espécies de estrela-do-mar que conseguem se locomover e se alimentar com apenas um dos braços, enquanto ocorre o processo de regeneração através de divisões celulares. O pepino-do-mar, em situação extrema de perigo, deixa parte de suas vísceras (órgãos internos). Isso é vantajoso, pois distrai os predadores e lhe dá tempo de escapar. </li></ul>
  41. 53. <ul><li>CLASSE STELLEROIDEA:  Compreende os indivíduos que apresentam corpo com braços. </li></ul>
  42. 54. <ul><li>Representada pelas estrelas-do-mar, habitantes de costas marinhas, praias e rochas. Possuem, geralmente, cinco braços, sendo que estes não partem de um disco central. São carnívoras e necrófagas. </li></ul>
  43. 55. <ul><li>Representada pelas serpentes-do-mar: animais noturnos que, durante o dia, se enterram no substrato ou se escondem sob pedras ou plantas. São parecidos com as estrelas-do-mar, mas seus braços são mais longos, esguios e articulados, e partem do disco central. São raspadores e necrófagos. </li></ul>
  44. 56. <ul><li>Representada pelos pepinos-do-mar, indivíduos de corpo alongado e mole, em razão da ausência de carapaça. Vivem, geralmente, enterrados. São comensais e parasitas de algumas espécies de anelídeos, caranguejos e peixes. </li></ul>
  45. 57. <ul><li>Animais de corpo arredondado, sem braços, com espinhos móveis e delgados: bolacha-de-praia e ouriço-do-mar. As Bolachas-de-praia se alimentam de partículas orgânicas; os ouriços, de plantas marinhas e partículas orgânicas, e vivem em fendas de rochas circundadas pela água do mar. Possuem menor capacidade de regeneração. </li></ul>
  46. 58. <ul><li>Representada pelos lírios-do-mar, animais de braços ramificados e bastante brilhantes. Vivem em locais mais profundos, inclusive na região abissal, fixados por pedúnculo ao solo ou a recifes. Alimentam-se de plâncton microscópico e detritos . </li></ul>
  47. 59. Gabriel Ribeiro
  48. 60. <ul><li>O  Filo dos Cordados , do latim  Chordata , compreende um grande grupo de animais que, em alguma fase da vida compartilham características morfológicas (como a  notocorda ) que indicam a existência de um ancestral comum. São triblásticos (possuem os três  folhetos germinativos ),  deuterostômios  (o blastóporo dá origem ao ânus) e celomados. Este grupo abriga cerca de 40 mil espécies que ocupam os mais variados habitats. As características que os distinguem dos demais animais são as seguintes: </li></ul>
  49. 61. <ul><li>Notocorda : é uma estrutura de sustentação, de posição dorsal e longitudinal, localizado entre o tubo neural e o tubo digestório, correspondente a um bastonete maciço e flexível. É a primeira estrutura de sustentação de um cordado. Ocorre em todos os cordados em alguma fase da vida, podendo persistir na fase adulta, como nos protocordados, exceto nos tunicados. Nos animais que ela não persiste, é substituída pela  coluna vertebral . </li></ul>
  50. 63. <ul><li>Fendas branquiais na faringe : São estruturas embrionárias, podendo permanecer na fase adulta, e até desaparecer na fase embrionária. Nos cordados aquáticos ela persistem na fase adulta e têm função respiratória. Nos cordados terrestres elas desaparecem para que da faringe possa surgir a traquéia, estrutura respiratória destes animais. </li></ul>
  51. 65. <ul><li>Sistema nervoso dorsal : Como o nome já diz, o tubo nervoso ocupa a posição dorsal, e localiza-se logo acima da notocorda. Deriva-se da invaginação da  ectoderme  dorsal do  embrião . O tubo nervoso dorsal é bem desenvolvido nos adultos, mas pode ser reduzido em alguns protocordados. Os animais não-cordados possuem um sistema nervoso mais simples, do tipo ganglionar e ocupa a posição ventral no corpo e esta é uma característica que distingue os cordados dos demais animais. </li></ul>
  52. 67. <ul><li>Cauda pós-anal : É uma cauda que se estende além do ânus. </li></ul><ul><li>No grupo dos cordados ainda há animais invertebrados, como o anfioxo. Os tunicados e os cefalocordados ainda são filtradores. </li></ul>
  53. 68. <ul><li>Urochordata ou Tunicata : Possui uma túnica que envolve o animal Cephalochordata  (anfioxo): anfi: dois, ambos, oxi: pontiagudo Vertebrata ou Craniata : embora nem todos apresentem  vértebras verdadeiras . </li></ul>

×