O mito da caverna e nossa                  sociedadeUma curiosa parábola sobre motivação e inovação.
O mito da caverna e nossa sociedade       Imaginemos uma caverna separada do mundo externo por um muro alto. Entre omuro e...
O mito da caverna e nossa sociedade        O texto original é do filósofo grego Platão, mas não se assuste se você achá-lo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O mito da caverna e nossa atual sociedade

15.296 visualizações

Publicada em

Uma breve e interessante parábola sobre a motivação e o rompimento de barreiras que levam uma pessoa a nunca evoluir e inovar.


Mais conteúdo em:
www.revolutia.com.br

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.296
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
55
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O mito da caverna e nossa atual sociedade

  1. 1. O mito da caverna e nossa sociedadeUma curiosa parábola sobre motivação e inovação.
  2. 2. O mito da caverna e nossa sociedade Imaginemos uma caverna separada do mundo externo por um muro alto. Entre omuro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa um fino feixe de luz exterior,deixando a caverna na obscuridade quase completa. Desde o nascimento, geração apósgeração, seres humanos encontram-se ali, de costas para a entrada, acorrentados sem podermover a cabeça nem se locomover, forçados a olhar apenas a parede do fundo, vivendo semnunca ter visto o mundo exterior nem a luz do sol, sem jamais ter efetivamente visto uns aosoutros nem a si mesmos, mas apenas as sombras dos outros e de si mesmos porque estãono escuro e imobilizados. Abaixo do muro, do lado de dentro da caverna, há um fogo que ilumina vagamente ointerior sombrio e faz com que as coisas que se passam do lado de fora sejam projetadascomo sombras nas paredes do fundo da caverna. Do lado de fora, pessoas passamconversando e carregando nos ombros figuras ou imagens de homens, mulheres e animaiscujas sombras também são projetadas na parede da caverna, como num teatro defantoches. Os prisioneiros julgam que as sombras de coisas e pessoas, os sons de suas falas eas imagens que transportam nos ombros são as próprias coisas externas, e que os artefatosprojetados são seres vivos que se movem e falam. Um dos prisioneiros, inconformado com a condição em que se encontra, decideabandoná-la e fabrica um instrumento com o qual quebra os grilhões. De inicio, move acabeça, depois o corpo todo; a seguir, avança na direção do muro e o escala. Enfrentando osobstáculos de um caminho íngreme e difícil, sai da caverna. No primeiro instante, ficatotalmente cego pela luminosidade do sol, com a qual seus olhos não estão acostumados.Enche-se de dor por causa dos movimentos que seu corpo realiza pela primeira vez e peloofuscamento de seus olhos sob a luz externa, muito mais forte do que o fraco brilho do fogoque havia no interior da caverna. Sente-se dividido entre a incredulidade e odeslumbramento. Ao permanecer no exterior o prisioneiro, aos poucos se habitua a luz e começa a vero mundo. Encanta-se, tem a felicidade de ver as próprias coisas, descobrindo que estiveraprisioneiro a vida toda e que em sua prisão vira apenas sombras. Doravante, desejará ficarlonge da caverna para sempre e lutará com todas as forças para jamais regressar a ela. Noentanto não pode deixar de lastimar a sorte dos outros prisioneiros e por fim, toma a difícildecisão de regressar ao subterrâneo sombrio para contar aos demais o que viu e convencê-los a se libertarem também. Só que os demais prisioneiros zombam dele, não acreditando em suas palavras e, senão conseguem silenciá-lo com suas caçoadas, tentam fazê-lo espancando-o. Se mesmoassim ele teima em afirmar o que viu e os convida a sair da caverna, certamente acabam pormatá-lo. Mas quem sabe alguns podem ouvi-lo e, contra a vontade dos demais, tambémdecidir sair da caverna rumo à realidade? *** Reciclável O mito da caverna e nossa sociedade Por favor, recicle. Página 2 de 3
  3. 3. O mito da caverna e nossa sociedade O texto original é do filósofo grego Platão, mas não se assuste se você achá-lo tãoatual. Vale compará-lo com a nossa vida pessoal ou profissional. Até quando as pessoas vãose fechar em cavernas e ignorar a realidade ao seu redor? Por mais difícil que seja, sempre vale a pena nos libertarmos e desbravarmos omundo! Fabiana Navas dos Reis Fabiana é gestora de soluções da Revolutia Consultoria e Gerenciadora, é especialista em qualidade no atendimento e call center, publica artigos voltados para empreendedorismo e qualidade no atendimento em diversos portais e ainda atua como editora do portal de empreendedorismo A Guerrilha Empreendedora (www.aguerrilha.com.br). Sobre a Revolutia A Revolutia é uma consultoria e gerenciadora focada em estratégia para pequenas e médias empresas. Através de soluções e projetos customizados para cada cliente, a Revolutia busca atingir os objetivos envolvendo as áreas de Estratégia, Gerenciamento de Projetos, Marketing, Finanças, Qualidade, Mapeamento de Processos, Tecnologia da Informação e Treinamentos. Saiba mais em: www.revolutia.com.br Este material foi produzido pela Revolutia e é licenciado para uso e distribuição livre desde que citada sua fonte e não haja fins comerciais. Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Todas as marcas citadas são propriedade e responsabilidade de seus respectivos proprietários. Reciclável O mito da caverna e nossa sociedade Por favor, recicle. Página 3 de 3

×