• Salvar
Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica

em

  • 59,524 visualizações

 

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
59,524
Visualizações no SlideShare
57,547
Visualizações incorporadas
1,977

Actions

Curtidas
21
Downloads
0
Comentários
1

7 Incorporações 1,977

http://www.enfermagemvirtual.net 1751
http://residenciaenf.blogspot.com.br 170
http://www.abcdacardiologia.net 48
http://6965592459622253784_f81b55b672d63275cd8f9fd006942ad25b5cd0a5.blogspot.com 3
http://1311334461632189612_154d537453f369030a09cb872c777a9653109e04.blogspot.com 3
http://www.residenciaenf.blogspot.com.br 1
http://brasil-adventure.blogspot.com.br 1
Mais...

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
  • me enviar por email?
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica Presentation Transcript

  • 1. Cuidados de Enfermagem naAdministração de Fármacos emEmergência CardiológicaEnfª Residente Liane Lopes de SouzaPronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº LuizTavaresPrograma de Especialização em Cardiologia ModalidadeResidênciaAbril / 2013
  • 2. Objetivos• Conhecer as principais característicasfarmacológicas de medicamentos utilizados notratamento de doenças cardiovascular;• Identificar os principais fármacos anti-agregantesplaquetários, fibrinolíticos, vasodilatadores,catecolaminas e suas indicações clínicas.• Compreender os principais cuidados e problemasde enfermagem relacionados a terapêuticamedicamentosa.
  • 3. Introdução• A administração de medicamentos é uma dasatividades mais sérias e de maior responsabilidadeda enfermagem;• É necessária a aplicação de vários princípioscientíficos, de forma a prover a segurança dopaciente;(Silva BK, Silva JS, Gobbo AFF, Miasso AI; 2009)• Código de Ética da Enfermagem - Art. 30 -Administrar medicamentos sem conhecer a ação dadroga e sem certificar-se da possibilidade dos riscos.
  • 4. Antiagregantes Plaquetários•Aspirina;•Clopidogrel;
  • 5. Agregação Plaquetária• Mediada pelo ADP eserotonina• Mediada pelo ácidoaraquidônico• Pela ação de ativadoresextrínsecos.Vias de AgregaçãoPlaquetária ADPTromboxano A2
  • 6. Ácido AcetilsalicílicoAntiinflamatórionão esteróideInibidor daCicloxigenase
  • 7. Ácido Acetilsalicílico• Indicação:• Redução do risco de mortalidade em suspeita ouantecedentes de infarto agudo do miocárdio;• Reduzir o risco de primeiro infarto do miocárdio empessoas com fatores de risco cardiovasculares.• Reduzir o risco de morbidade e morte em pacientescom angina estável e instável;• Prevenção de acidente vascular cerebral e detromboembolismo após cirurgia vascular ouintervenções coronariana;
  • 8. Informações GeraisVia de administração: OralDose: 100mg/dia ou 300mg (dose de ataque)Meia-vida:20 min
  • 9. Contra-indicaçãoEfeitoscolaterais• Úlceras pépticas ativas.• Diátese hemorrágica.• Hipersensibilidade• História de asma induzida pelaadministração de salicilatos ou outrofármacos antiinflamatórios não-esteróides.• Último trimestre de gravidez.• Distúrbios Gastrointestinais;• Hemorragias Gastrointestinais;• Insuficiência Renal;
  • 10. ClopidogrelBloqueio do ADPInterferindo na ativação doGPIIb/IIIA
  • 11. Informações Gerais• Biodisponibilidade máxima ocorre quando sãoadministrados após as refeições.• Início de ação: após 2 horas• A ação persiste por 7 a 10 dias.• Prolonga o tempo de sangramento em 2 vezes.• Dose: 75mg diárias.
  • 12. IndicaçãoContra-indicaçãoEfeitos colateraisRedução dos eventosateroscleróticos (IAM,AVC)Hipersensibilidade,gestação e lactaçãoPrurido, náusea, dor esangramento GI, gastrite,constipação e diarréia,cefaléia, tontura, síncopee fraqueza.
  • 13. Cuidados de enfermagem:Antiagregantes Plaquetários Orais• Orientar a importância do uso da medicação.• Suspender 5 a 7 dias antes de intervençõescirúrgicas.• Cuidados para prevenção e sangramento.• Administração após uma refeição• Pode ser mastigado nos casos suspeitos de IAM.
  • 14. Fibrinolíticos• Tenecteplase
  • 15. Sistema FibrinolíticoInibidores dos ativadoresdo plasminogênioAntiplasmina alfa 2
  • 16. Tenecteplase (Metalyse): InformaçõesGerais• Frasco-ampola com 8.000U(40mg) + seringa précarregada com 8 ml de águapara injeção.• Meia vida: 11 a 20 min.• Via de administração: IV
  • 17. Cuidados• Manter em temperaturaambiente (15 °C a 30 °C).Protegido da luz.• A estabilidade química e físicada solução reconstituída foidemonstrada por 24 horas, sobtemperaturas entre 2ºC e 8ºC,e por 8 horas a 30ºC.• Durante e após aadministração deve manter opaciente monitorizado.• Administrada e bolus de 5 a 10segundos.• Não deve ser administrado poracesso venoso contendoglicose.
  • 18. IndicaçãoContra-indicaçãoEfeitosadversosTratamento trombolítico do infartoagudo do miocárdio.Complicações hemorrágicos, arritmias,tromboembolismos, hipersensibilidade.Idade avançada, sexofeminino, peso corporalbaixo, hipertensão,acidente cerebrovascularanterior e uso de alteplase(r-TPA)
  • 19. Vasodilatadores de Ação Direta• Classificação:• Venodilatadores(nitroglicerina)• Arteriolodilatadores(hidralazina)• Ação mista (Nitroprussiato desódio)RelaxamentoVascular evasodilataçãoReduz Pré-carga e Pós-CargaDiminuição daPA e dademanda de O2pelo miocárdioMusculatura lisavascular
  • 20. Nitroglicerina (TRIDIL ®)] ]Vasodilatador Predominantemente venoso
  • 21. Diluição em Solução fisiológica a 0,9% ouglicosada a 5%Início de Ação: 1-2 min.Nitroglicerina (TRIDIL ®)
  • 22. IndicaçãoContra-indicaçãoEfeitosadversos•Hipertensão pré-operatória•Controle da IC•IAM•Angina (que não respondem ànitroglicerina sublingual)•Indução de Hipotensão intra-operatóriaAlergia à nitroglicerina- Uso associado com inibidores defosfodiesterase-5 como sildenafil;- Traumatismo craniano;- Hipotensão e hipovolemia não corrigida;- Tamponamento pericárdico,cardiomiopatia restritiva ou pericarditeConstritiva.Cefaléia, hipotensão postural, arritmias,tontura, síncope, reações alérgicas
  • 23. Informações Gerais/Cuidados de Enfermagem• A nitroglicerina migra para o plástico(PVC);• Pode ocorrer grave hipotensão e choque mesmo em pequenasdoses/ Hipotensão postural.• Monitorização constante;• A infusão de TRIDIL e hemoderivados pela mesma via: hemólise;• Não pode ser misturada com qualquer outra medicação de qualquerespécie.• Em alguns pacientes a nitroglicerina interfere com o efeitoanticoagulante da Heparina
  • 24. NITROPUSSIATO DE SÓDIO• Metabolização – cianeto e tiacianato - Intoxicação•VasodilatadorMisto
  • 25. IndicaçãoContra-indicaçãoEfeitosadversos•Crises hipertensivas;• Reduzir as necessidades de oxigêniodo miocárdio;•Produzir hipotensão controlada duranteintervenções cirúrgicas;• Dissecção de aorta;• Hipertensão compensatória;• Cirurgias com inadequado fluxosanguíneo cerebral;• Hipersensibilidade.•Redução brusca da PA;•Arritmias; Rash cutâneo;•Metemoglobinemia;•Irritação no local da infusão;
  • 26. Cuidados de EnfermagemDiluição em glicosada a 5%Início de Ação: quase imadiatamenteValidade de SG – 24horasTempo de uso máximo: 3 diasVelocidade máxima de infusão:08µg/Kg/minJJ1 ml 1gota1000ml de SG 50µg 3µg500ml de SG 100µg 6µg250ml de SG 200µg 12µg2 ml25mg/ml
  • 27. Cuidados com a solução• Administração em BIC;• A solução para infusão, levemente marrom, deveser protegida da luz e usada imediatamente.• Descartar solução remanescente após o término dainfusão.• Não se deve interromper subitamente a infusão,mas no espaço de tempo de 10 e 30 minutos, paraevitar efeito rebote.
  • 28. Intoxicação• Sintomas :• Freqüência respiratóriaaumentada;• Vômitos; vertigem;• Elevação das concentraçõessangüíneas de lactato, e mesmoacidose;• Respiração curta com pulsoimperceptível;• Reflexo pupilar ausente; epupilas dilatadas.Tratamento:•Interromper infusão deNitroprussiato de sódio.•Hidroxicobalamina durante15 min (100mg em 100ml deSG)•Tiossulfato de Sódio por15min (12, 5g em 50ml de SG)
  • 29. Drogas Vasoativas• Substâncias que apresentamefeitos vasculares periféricos,pulmonares ou cardíacos,através de receptoressituados no endotéliovascular.• Atua em pequenas doses;• Resposta dose dependente;• Efeito rápido e curto;
  • 30. Drogas Vasoativas• Drogas Vasoativas – catecolaminas; aminas vasoativas oudrogas simpaticomiméticas.
  • 31. Drogas Vasoativas: Tipos de receptores
  • 32. Classificação das Catecolaminas
  • 33. DobutaminaApresentação: 250mg/20mlMeia vida: 2 minutosExcreção: RenalDiluição: Glicose 5%; Cloreto de Sódio 0,9%; Glicose 10%; Ringer Lactato;•Estabilidade após diluição: T. Ambiente (15° a 30°C): 24 horas.
  • 34. IndicaçãoContra-indicaçãoEfeitosadversos•Melhora a função ventricular e odesempenho cardíaco, em pacientes comdisfunção ventricular, diminuição novolume sistólico e no DC;• Por exemplo: choque cardiogênico einsuficiência cardíaca.•Recomendação: . É o agente inotrópico deescolha no paciente gravemente enfermo.• Estenose subaórtica idiopática;• Estado de Hipovolemia;•Aumento da freqüência cardíaca, pressãoarterial e atividade ectópica ventricular•Reações no Local da Infusão;• Náusea, cefaléia, dor anginosa, dor torácicainespecífica e respiração curta , erupção cutânea.•Leve redução das concentrações séricas depotássio.
  • 35. Cuidados de Enfermagem• Usar uma bomba de infusão• Administrar a dobutamina em veia de grosso calibre oudiretamente na circulação central.• Ao interromper a medicação, as doses devem serreduzidas gradualmente (a interrupção rápida pode causarhipotensão).• Cuidado para evitar extravasamento, que pode danificar ostecidos atingidos (NECROSE)
  • 36. Cuidados de Enfermagem• Monitorar continuamente a pressão arterial, oeletrocardiograma (ECG) e o fluxo urinário do paciente.• A dobutamina é incompatível com soluções alcalinas(não misturar com bicarbonato de sódio a 5%.)• A dobutamina é também incompatível com: succinatosódico de hidrocortisona; cefazolina; cefalotina neutra;penicilina e heparina sódica.• Quando administrada por tubos tipo Y, a dobutamina écompatível com dopamina, lidocaína, verapamil e cloretode potássio.
  • 37. AdrenalinaApresentação: 1 amp 1ml/1mgDiluição: SF0,9%, SG5%, SG10%.Dose: 0,5-1mg a cada 3-5 min IV (RCP); 0,1-0,5 mg acada 10-15 min SC (Ch.A)Estabilidade: 24 horas após a diluiçãoPossui efeito inotrópico positivo, cronotrópico positivo evasoconstrictor.
  • 38. IndicaçãoContra-indicaçãoEfeitosadversos•RCP•Choque cardiogênico e distributivo•Asma; Choque anafilático; Broncoespasmo• Hipertensão• Glaucoma• Trabalho de parto• Dilatação Cardíaca• Insuficiência coronariana•Hipertensão•Arritmias• Excitação, ansiedade, cefaléia, tremores,náuseas, taquipnéia• Aumento do consumo de oxigênio pelomiocárdio; isquemia esplâncnica.•Aumento da resistência vascular pulmonar
  • 39. Cuidados de Enfermagem• Atenção para as possíveis reações adversas• Monitorar PA, pulso, padrão respiratório, ECG, FC e débito urinário• Avaliar cuidadosamente a dose, a concentração e a via deadministração da droga• Observar possíveis interações medicamentosas (hipoglicemiantesorais, anestésicos, antidepressivos, anti-histamínicos, digitálicos,hormônios tireoidianos, etc.)
  • 40. NoradrenalinaApresentação: 1 amp 4ml/4mgDiluição: SF0,9%, SG5%, SG10%.Dose: 5 amp. Em 250 ml (concentração final: 0.04mg/mlEstabilidade: 24 horas após a diluiçãoAumento do volume sistólico, diminuição reflexa da FC eimportante vasoconstrição periférica, com aumento da PA.
  • 41. IndicaçãoContra-indicaçãoEfeitosadversos•Estabilização da PA devido hipotensãoaguda.•Primeira escolha em hipotensos que nãoresponderam à infusão de líquidos,especialmente quando a etiologia dahipotensão é o choque séptico.•Choque cardiogênico (Melhora do fluxocoronariano)• Hipotensão causada por hipovolemia•Lesões isquêmicas devidas à potente açãovasoconstritora e hipóxia tissular.•Bradicardia reflexa a doses elevadas• Ansiedade, cefaléia• Insuficiência Renal
  • 42. Cuidados de Enfermagem•Atenção para as possíveis reações adversas•Monitorar PA, pulso, padrão respiratório, ECG, FC e débitourinário•Administrado em veia central.•Avaliar cuidadosamente a dose, a concentração e a via deadministração da droga•Monitorizar a PA a cada 5 min. durante o ajuste da dose.•Avaliar constantemente a perfusão tissular periférica
  • 43. DopaminaApresentação: Ampolas 50mg/2ml ou 50mg/10mlDiluição: 5 ampolas diluída em 200 ml SG5%, SF0,9%Meia-vida: 2 minutosEstabilidade: 24hs
  • 44. Dopamina: Dose/EfeitoApresentação: Ampolas 50mg/2ml ou 50mg/10mlDiluição: 5 ampolas diluída em 200 ml SG5%, SF0,9%Início da ação: 5 minutos.Duração da ação: 10 minutos.Estabilidade: 24hsFármaco de Primeira escolha: Como vasopressor napresença de bradicardia ou quando se deseja um efeitoinotrópico associado.Proteção Renal: Nenhum estudo clínico evidenciouefeito de proteção renal com o uso de dopamina em doses“dopaminérgicas”
  • 45. IndicaçãoContra-indicaçãoEfeitosadversos•Estado de choque de qualquer natureza;•Taquicardia ventricular ousupraventricular.•Náuseas, vômitos, arritmias, dorprecordial, dispnéia, cefaléia evasoconstrição;•Lesões necróticas da pele;•hipertensão associada a superdosagem.
  • 46. Cuidados de Enfermagem• O produto é fotossensível;• Nunca utilizar em soluções alcalinas;• Deve ser administrado exclusivamente através de infusãointravenosa e em veia de grande calibre, preferencialmenteno braço;• É recomendável fazer-se a diluição imediatamente antes daadministração.• Deve ser administrado através de bomba de infusão;• A monitorização hemodinâmica é essencial;
  • 47. I.Ácido Acetilsalicílico ( ) Ativador recombinante do plasminogênioespecífico para fibrina.II. Noradrenalina ( ) A principal ação farmacológica é o relaxamentoda musculatura lisa.III. Tenecteplase ( ) Catecolamina com atividade no receptor alfa ebeta I. Frequentemente utilizado em situações dehipotensão aguda que não responderam à infusãode líquidos. Contribui na melhora do fluxocoronariano.IV. Nitroglicerina ( ) Catecolamina de escolha nos casos de RCP.V. Adrenalina ( ) Inibição da Cicloxigenase que, ao nível dasplaquetas, inibe a síntese de tromboxano A.VI. Clopidogrel ( ) Atua bloqueando irreversivelmente o receptorda adenosina di-fosfato, interferindo na aivação dosreceptores da glocoproteína IIb/IIIa.
  • 48. Relato de Caso• Você é enfermeiro de uma emergência cardiológica,acaba de admitir um paciente do sexo masculino, 63anos, com diagnóstica de insuficiência cardíaca echoque cardiogênico. Encontrava-se em uso deventuri a 50%, taquicárdica com bulhas rítmicas,freqüência cardíaca de 59bpm, estertorescrepitantes em bases de ambos os campospulmonares, pressão arterial de 80x50 mmHg. Foiprescrito dobutamina a 12 mcg/kg/min enoradrenalina 8 mcg/min.• Quais os cuidados necessários para garantir ainfusão da droga vasoativa com segurança?Sinais vitais; monitorização da perfusão periférica; Balanço hídrico;Acesso venoso; estabilidade da medicação;
  • 49. Referências1.Silva BK, Silva JS, Gobbo AFF, Miasso AI. Erros de medicação: condutas e propostas deprevenção na perspectiva da equipe de enfermagem. Acesso e utilização de fórmula infantil ealimentos entre crianças nascidas de mulheres com HIV/AIDS. Revista Eletrônica de Enfermagem[serial on line] 2007 Set-Dez; 9(3): 712-723 Available from: URL: http://www.fen.ufg.br/revista/v9/n3/v9n3a11htm2.FERREIRA, Cláudia Natália; SOUSA, Marinez de Oliveira; DUSSE, Luci Maria SantAna andCARVALHO, Maria das Graças. O  novo  modelo  da  cascata  de  coagulação  baseado  nas superfícies  celulares  e  suas  implicações. Rev.  Bras.  Hematol.  Hemoter. [online]. 2010, vol.32,n.5, pp. 416-421. ISSN 1516-8484.3.SMELTZER, SC. Brunner/Suddarth: tratado de enfermagem médico cirúrgica. 10thed. Rio deJaneiro: Guanabara Koogan; 2005.4. PORTO, CC. Exame Clínico - Bases para a Prática Médica. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2008.5.ANDRIS, DA.Coleção Praxis Enfermagem 4. SEMIOLOGIA- Bases para a Prática Assistencial.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006.6. PEDROSA, L. Doenças do coração: diagnóstico e tratamento. 1ª ed. Rio de Janeiro: Revinter;2011.
  • 50. Obrigada!