Fisiologia vegetal e animal 11

527 visualizações

Publicada em

bio

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
527
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fisiologia vegetal e animal 11

  1. 1. Fisiologia Vegetal e Animal Preparado por Rémi RAKOTONDRADONA Traduzido para Português por Benjamim BANDEIRA African Virtual university UniversitéVirtuelleAfricaine Universidade Virtual Africana
  2. 2. Nota Este documento foi publicado sob Licença Creative Commons 2,5 de paternidade (a menos restritiva). http://en.wikipedia.org/wiki/Creative_Commons Atribuição http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/ Licença (abreviado "cc-by”), Versão 2.5.
  3. 3. Índice de Conteúdos Fisiologia vegetal e animal______________________________________ 4 Pré requisito _________________________________________________ 4 Tempo______________________________________________________ 4 Materiais didácticos____________________________________________ 4 Justificação__________________________________________________ 4 Conteúdo ___________________________________________________ 5 Resumo ____________________________________________________ 5 Representação gráfica _________________________________________ 5 Objectivos gerais _____________________________________________ 6 Objectivos específicos _________________________________________ 6 Actividades de ensino e aprendizagem ____________________________ 9 Actividades de aprendizagem ___________________________________ 13 Conceitos chave (glossário) ____________________________________ 64 Leituras obrigatórias__________________________________________ 66 Links recursos multimédia _____________________________________ 70 Links úteis__________________________________________________ 73 Síntese do Módulo ___________________________________________ 80 Avaliação somativa___________________________________________ 81 Referências bibliográficas______________________________________ 88 Ficha de avaliação ___________________________________________ 90 Autor do Módulo _____________________________________________ 91
  4. 4. Introdução Este Módulo é um curso à distância de nível universitário, do 3° ano, particularmente destinado aos professores dos liceus e colégios de África que querem não somente aperfeiçoar-se, como também utilizar as Novas Tecnologias de Comunicação (TIC’s) nas suas metodologias de ensino. O curso destina-se igualmente aos estudantes que têm ambição de se tornarem professores, de forma a capacitá-los a fazerem grandes progressos e a abrirem-se para a globalização do ensino. Este módulo é memorável e a sua actualização será efectuada regularmente pelo seu autor, em acordo com a administração da UVA.
  5. 5. I Fisiologia Vegetal e Animal Por Remi RAKOTONDRADONA II. Pré-requisito ou condições de acesso ao curso São requisitos para frequentar o curso sobre a fisiologia vegetal e animal:  ter frequentado cursos sobre a biologia animal e vegetal;  o domínio da estrutura e do funcionamento das células animais e vegetais;  o conhecimento sobre o que é um aparelho (conjunto de órgãos que concorrem para a mesma função);  a compreensão da noção de hormona. III. Carga horária 120 horas divididas em palestras, cursos e avaliação. 20 horas para as tarefas de leitura de 20 tutoriais horas e 20 horas para ligações de consulta e de recursos 20 horas para trabalhar no projecto 40 horas para a avaliação formativa e sumativa IV. Material didáctico http://www.fotosearch.fr/PHC006/73013870/ - CD Rom - computador e seus periféricos - Softwares de simulação
  6. 6. V. Justificação do Módulo Este curso é um Módulo da aula de Biologia de nível universitário, destinado aos estudantes do 3° ano. Tem como objectivos fazer compreender, em termos físicos e bioquímicos, os mecanismos que intervêm nos organismos vivos, desde o nível celular, animal, à plantas inteiras. Assim, a Fisiologia Vegetal e Animal estuda os mecanismos que intervêm nos organismos dos seres vivos. Para melhor explicar esses mecanismos, a fisiologia apresenta-se subdividida em diferentes partes, pois muitas funções exigem a actividade coordenada de muitos tecidos e órgãos. O domínio dos conteúdos de ensino e métodos de estudo propostos neste Módulo deverá permitir que os estudantes compreendam os factos da vida, incluindo a agricultura e a medicina e poderá permitir que os estudantes apliquem os seus conhecimentos em diversas áreas de actividades. VI. Conteúdo 6.1. Resumo O Módulo de Fisiologia Vegetal e Animal estuda a vida das plantas e dos animais nas suas dimensões funcionais, tendo em conta os aspectos estruturais, a relação entre estrutura e função das plantas e animais. A função depende fortemente da estrutura, porque, às vezes, é preciso entender a ultra-estrutura e as propriedades químicas de uma unidade celular, a fim de destacar esta relação. A primeira parte do Módulo trata da nutrição mineral e carbono (Unidade 1) e do crescimento e desenvolvimento das plantas (Unidade 2), enquanto a segunda parte, trata da fisiologia dos principais sistemas ou aparelhos do organismo animal (Unidade 3) e da fisiologia comparativa entre o animal e fisiologia vegetal (Unidade 4).
  7. 7. Este Módulo oferece actividades de leitura, sem descorar o seu espírito de investigação e curiosidade em ler muitos outros documentos. No final, propõe-se uma avaliação formativa que permita ao estudante fazer uma reflexão sobre a sua progressão e lacunas na aquisição do conhecimento. O Módulo é dividido em quatro unidades Unidade 1: Nutrição Mineral e de Carbono Unidade2: Crescimento e Desenvolvimento da Planta Unidade 3: Funções fisiológicas dos animais Unidade 4: Comparação entre a Fisiologia Vegetal e Fisiologia Animal 6.2. Representação gráfica VII. Objectivos gerais 1. Objectivos gerais do Conteúdo (Saber)  saber as noções básicas de fisiologia vegetal e fisiologia animal;  compreender a diferença entre as funções fisiológicas da planta e dos animais; 2. Objectivo Geral do método (saber fazer)  dominar as etapas do processo experimental de investigação e resolução de problemas; 3. Objectivo Geral da atitude e clarificação de valores (saber estar)  garantir o respeito à vida na sua integridade; VIII. Objectivos específicos por unidade didáctica Unidade 1: nutrição mineral e de carbono 1.1. Objectivos específicos de conhecimentos (saber) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:
  8. 8.  definir os conceitos de osmose, gradiente equilíbrio osmótico, pressão osmótica, meio de cultura, a retenção da capacidade, força de sucção;  rever princípios que determinam as exigências nutricionais das plantas;  descrever um método de estabelecimento de uma solução nutritiva. 1.2. Objectivos específicos de método(saber fazer) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  formular uma hipótese de pesquisa sobre a necessidade de elementos minerais das plantas;  realizar uma experiência para determinar as exigências nutritivas de plantas;  interpretar os resultados da experiência;  explicar o funcionamento de um sistema fisiológico;  resolver um problema;  comparar diferentes meios de nutrientes. 1.3. Objectivos específicos de atitude e de clarificação de valores (saber estar) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  amar as plantas;  conservar as plantas. Unidade 2: Crescimento e desenvolvimento da Planta 2.1. Objectivos específicos de conhecimento (Saber) No final da realização da segunda unidade de aprendizagem, o aluno deve ser capaz de:  enumerar os diferentes tipos de reprodução vegetativa;  enumerar as diferentes etapas de reprodução sexuada das plantas;  enumerar os diferentes factores de crescimento das plantas;  definir as noções importantes como a germinação, o meristema a dupla fecundação, a vernalização, o fotoperiodismo, o fitocromo e a fitohormona. 2.2. Objectivos específicos do método (Saber fazer) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:
  9. 9.  descrever alguns modos de reprodução vegetativa;  medir o crescimento de alguns órgãos da planta;  realizar experiências sobre a germinação, o desenvolvimento do aparelho vegetativo e do aparelho reprodutivo;  utilizar os meios de colaboração. 2.3. Objectivos específicos de atitude e de clarificação de valores (Saber estar)  garantir a conservação e a biodiversidade vegetal;  contribuir para o desenvolvimento agrícola. Unidade 3: Funções fisiológicas dos animais 3.1. Objectivos específicos de conhecimento(saber) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  definir as noções de hormona, de regulação, de metabolismo;  rever os mecanismos de funcionamento do controlo hormonal;  rever o papel dos aparelhos. 3.2. Objectivos específicos do método(saber fazer) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  encontrar informações sobre conceitos básicos de funções fisiológicas, nomeadamente a regulação hormonal, o metabolismo celular;  trabalhar em parceria num projecto de resolução de problemas;  elaborar um relatório reflexivo sobre a sua aprendizagem;  esquematizar as fases de um feed-back. Unidade 4: Comparação entre a Fisiologia Vegetal e Animal 4.1. Objectivos específicos de conhecimentos (saber) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  identificar as características distintivas da Fisiologia Animal e Fisiologia Vegetal.
  10. 10. 4.2. Objectivos específicos do método (saber fazer) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  estabelecer critérios de comparação;  fornecer um quadro comparativo. 4.3. Objectivos específicos de atitude e de clarificação de valores (saber estar) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  sensibilizar os outros sobre a necessidade de respeitar a integridade dos animais e vegetais;  participar em acções de protecção da vida.
  11. 11. IX. Actividades de ensino e aprendizagem: 9.1. Avaliação diagnóstica O teste proposto permitir-vos-á saber qual é o nível de conhecimentos básicos que têm para suportar o curso. As questões a avaliar no presente teste diagnóstico foram objecto de aprendizagem nos cursos ou níveis anteriores de ensino. I. Assinale com X a resposta correcta. 1. A membrana de celulose da célula vegetal é permeável aos elementos minerais._____ Falso _____Verdadeiro 2. Todas as células vegetais têm plastos. ___Falso ____Verdadeiro 3. A luz pode influenciar o crescimento vegetal. ____Falso ____Verdadeiro II. Emparelhe a hormona seguinte à glândula que a segrega. 1. Hipófise a) Estrogénio 2. Medula supra-renal b) Folículo estimulador de hormonas 3. Pâncreas c) Androgénio 4. Ovário d) Insulina 5. Testículo e) Adrenalina III. Preencha as caixas no diagrama do sistema nervoso dos vertebrados, com as seguintes expressões: - sistema nervoso parassimpático - sistema nervoso central - neurónios sensoriais - sistema vegetativo - medula espinal - sistema nervoso simpático - cérebro - sistema periférico neurónios efectores
  12. 12. - sistema somático. IV. Assinale com X a resposta correcta. 1. O fungo alimenta-se a partir de: minerais que ela retira do solo; substâncias orgânicas que ela mesma fabrica; substâncias orgânicas que ela retira do solo; substâncias minerais do qual ele tira do ar. 2. A Energia para a célula animal é fabricada pelo: núcleo; ribossoma; mitocôndria, centríolo 3. As glândulas endócrinas são tecidos: acumuladores e reservatórios de hormonas; que funcionam graças à hormonas segregadas algures; secretores de hormonas; secretores de suco. V. Assinale com X todas as opções correctas.
  13. 13. 1. O crescimento das plantas é influenciado pela: luz; seiva; gravidade; temperatura; suporte. VI. Anotações Soluções da Avaliação Diagnostica I. 1. Verdadeiro 2. Falso 3. Verdadeiro II. 1. b) hipófise -. folículo estimulante de hormonas 2. e) medula supra-renal - adrenalina 3. d) pâncreas - insulina
  14. 14. 4. a) ovário - estrogénio 8. c) testículo - androgénio III. Diagrama IV. 1. O fungo se alimenta de matéria orgânica de que ele retira do solo 2. A Energia necessária para a célula animal é produzida pela mitocôndria 3. As glândulas endócrinas são os tecidos secretores de hormonas IV. 1. O crescimento da planta é influenciado pela luz, temperatura, gravidade e o suporte IV. Anotação
  15. 15. X. Actividades de Aprendizagem Unidade I Características gerais da nutrição de plantas Introdução A compreensão da nutrição das plantas é baseada no conhecimento da estrutura e função de células vegetais. De facto, as células formam a base da vida vegetal. Em 1855, o russo Rudolf Virchow dizia "Omnis cellula e cellula", ou seja, todas as células provêm de células. A célula contém toda a informação necessária à continuidade da vida. É no núcleo que se encontra o ADN que contém o código para a síntese de proteínas. Além disso, somente as células das plantas são capazes de assumir a função autotrófica que
  16. 16. permite a transformação do mineral em matéria orgânica. Estas são as clorofilas verdes contidas nos plastídeos das células de plantas que conferem às plantas a propriedade de ser não só autotrófica, mas também fonte definitiva de alimento básico de todos os outros seres vivos no nosso planeta. A nutrição de plantas pode ser dividida em nutrição mineral e nutrição de carbono. Quando os nutrientes são extraídos do solo, como é o caso da água, elementos macro e oligoelementos, estamos perante uma nutrição mineral. Quando a planta usa o carbono da atmosfera a nutrição é de carbono. Estes dois modos de alimentação das plantas requerem mudanças estruturais e específicas funções fisiológicas claramente bem distintas. Para dominar estes conceitos de aprendizagem sobre os modos de nutrição das plantas será necessário que o estudante faça uma revisão bibliográfica, ou seja, que leia. Actividade de Aprendizagem I Foto Claude/Sarr Necessidades nutricionais das plantas Resumo da actividade de aprendizagem Esta actividade de aprendizagem refere-se à produção de alimentos baseados em plantas, sua absorção e assimilação.
  17. 17. Como qualquer ser vivo, a planta deve comer e beber e fá-lo simultaneamente. Todos os nutrientes devem ser dissolvidos em água. O estudante tem antes, como primeira actividade, identificar todos os elementos nutritivos e, em seguida, indicar o seu papel no metabolismo e desenvolvimento das plantas. Tal pesquisa foi já feita por investigadores eminentes mas, o papel do estudante é, então, rever esses trabalhos e, na medida do possível, repetir a experiência para confirmar ou rejeitar os resultados do seu trabalho. Além disso, o estudante é convidado para as tarefas de leitura, actividades individuais e em grupo, realização de uma auto-avaliação que o permitirá reflectir sobre a sua progressão na aprendizagem. 1.1. Objectivos específicos da actividade 1.1.1. Objectivos específicos de conhecimentos (saber) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  definir os conceitos de osmose, equilíbrio osmótico de gradiente de pressão osmótica, do meio de cultura, a capacidade de retenção, força de sucção, macro e oligoelementos, o ciclo da matéria;  rever certos princípios para determinação das necessidades nutritivas das plantas;  descrever um método de preparação de uma solução nutritiva;  citar as grandes figuras que fizeram evoluir a nutrição das plantas e as disciplinas envolvidas. 1.1.2. Objectivos específico do método (saber fazer) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  formular uma hipótese de pesquisa sobre as necessidades elementos minerais de plantas;  realizar um experiência para determinar as necessidades nutritivas das plantas;  interpretar os resultados da experiência;  explicar o funcionamento de um sistema fisiológico;
  18. 18.  resolver um problema;  comparar diferentes meios nutritivos. Conceitos-chave Autotrofia: modo de nutrição de um ser vivo que, a partir de um ambiente puramente mineral, é capaz de produzir suas próprias substâncias orgânicas para o seu crescimento e desenvolvimento. 2. Seiva bruta: líquido que contém minerais dissolvidos, absorvido pelas raízes das plantas e transportado através do xilema para a folha. 3. Seiva elaborada: líquido que contém substâncias orgânicas produzidas pelas folhas e distribuído pelo floema para os órgãos. 4. Macroelementos: substâncias minerais exigidas pelas plantas para sua nutrição em quantidades relativamente grandes. 5. Oligoelementos: minerais exigidos pelas plantas para sua nutrição em quantidade infinitesimal. 6 Fertilizantes: substâncias minerais ou orgânicas para melhorar a quantidade de nutrientes no solo. 7. Estrumação: técnica de melhoria da estrutura e textura de um solo cultivável pela adição de substâncias minerais ou orgânicas. 8. Fertilização: técnica de enriquecimento do solo através do fornecimento de substâncias minerais ou orgânicas para melhorar tanto a estrutura, como a quantidade de nutrientes no solo.
  19. 19. 9. Fotossíntese: produção de substâncias orgânicas a partir de substâncias inorgânicas (água, CO2) pelas plantas, utilizando a energia luminosa. Palavras-chave a energia da luz Seiva Macro e oligoelementos Solução nutritiva Fertilizantes Humificação Amonização Nitrificação Grande e pequeno ciclo do azoto Clorofila Fotossíntese Lista de fontes pertinentes Leitura 1: A nutrição mineral de plantas Referência completa: Extraído do curso Rémi Rakotondradona Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este curso aborda as características gerais da nutrição das plantas. Dá muitas informações sobre os nutrientes e seu metabolismo dentro da célula. A explicação de alguns métodos de determinação é anunciada de forma difusa. Justificação A leitura deste documento far-lhe-á aprofundar as características gerais sobre como as plantas se alimentam e as disciplinas envolvidas. Servirá como base sólida para dar-lhe informações que lhe vão ajudar a confirmar ou refutar a hipótese de pesquisa.
  20. 20. Leitura 2: A nutrição de carbono Referência completa: Extraído do curso Rémi Rakotondradona Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este documento apresenta-lhe inicialmente o ciclo da matéria ilustrada de azoto e de carbono. Em seguida, a fotossíntese é explicada nomeadamente, os trabalhos na fase clara e na fase escura e seus diversos produtos. O “modus operandi” da enzima, na absorção de dióxido de carbono é apresentado como uma condição importante para a realização da fotossíntese, resultando na classificação de plantas, C3, C4 e CAM. Justificação Este documento vai ajudar o estudante na sua epistemologia e na escrita de fórmulas. Em particular, o ciclo de Calvin & Benson e de Hatch & Slack, respectivamente, para a fotossíntese C3 e C4, é fácil de compreender e reter os conhecimentos.
  21. 21. Lista de recursos adequados Recurso # 1 Referência completa: Vídeo: A fisiologia vegetal e animal, pela UVA e Rémi Rakotondradona Resumo Esta secção apresenta informações sobre o autor, o seu diploma e seus deveres, e o Módulo de fisiologia. Justificação Esta secção é muito útil para compreender o seu formador e o Módulo que vos é proposto a seguir. Lista de links úteis e apropriados Link # I:
  22. 22. Referência completa: http://www.snv.jussieu.fr/bmedia/sommaires/pv.htm Resumo Este site da Universidade Pierre e Marie Curie (França) oferece-lhe uma variedade de tópicos que lidam com a fisiologia vegetal: movimento de crescimento da planta, gravitropismo. Oferece-lhe também trabalhos práticos. Justificação Este site ser-vos-á útil para informações complementares sobre a fisiologia das plantas. Descrição detalhada da actividade de aprendizagem O estudo das características gerais da nutrição das plantas incide principalmente sobre as características de seu alimento, sua composição e metabolismo. Trata-se, nomeadamente da concepção, das soluções nutritivas e dos fertilizantes e sua testagem nas plantas. Nesta parte, far-se-á uma revisão da história de soluções nutritivas desde Julius Sachs, em 1860, até aos dias de hoje com a de Hoagland, em 1933. Este estudo é um pretexto para abordar a questão da resolução do problema da transformação da seiva bruta mineral em seiva elaborada orgânica pelas plantas. As plantas são os únicos seres vivos capazes de assumir esta grande tarefa de autotrofismo utilizando as ferramentas da fotossíntese. Os principais conceitos serão objecto de esclarecimentos. Problema Uma única disciplina, como é o caso da fisiologia, pode estudar todas as características de nutrição das plantas? Hipótese
  23. 23. Várias disciplinas são necessárias no conhecimento das características de nutrição de plantas. Trata-se de confirmar ou refutar esta hipótese, através de pesquisas bibliográficas, via Internet e através do trabalho colaborativo. Os estudantes terão três leituras obrigatórias a fazer. Outros recursos e links estão disponíveis, mas certamente existem outras fontes de informação. Estão programados três trabalhos práticos, caso os beneficiários disponham de um laboratório. De contrário, irão consultar os tutores. Os beneficiários da formação irão comunicar-se através de vários canais: fórum, chat, e-mail, etc. A avaliação formativa é prevista para o fim da aprendizagem para avaliar o desempenho dos estudantes. A participação no fórum, no chat, e a frequência na biblioteca, vai ser anotada. Cada um deverá redigir um relatório reflexivo segundo uma estrutura concebida por quem projectou o curso, ou um tutor. Actividade de aprendizagem Esta actividade compreende 6 grandes partes: 1. Leituras obrigatórias; 2. Pesquisas na Internet; 3. Trabalhos práticos no laboratório; 4. Tutorias à distância; 5. Produção de um relatório conjunto sobre as características da nutrição de plantas e a fotossíntese; 6. Produção de um relatório reflexivo. O capítulo focaliza as características gerais da nutrição de plantas.
  24. 24. Tarefa 1. Leituras obrigatórias e pesquisas na Internet Os textos disponibilizados representam as duas leituras exigidas. O estudante deve consultar todos os links ou recursos recomendados no Módulo. Poderá também procurar outros. Quando terminar a sua leitura, o estudante deve fazer um resumo de 300 palavras que deve enviar para os outros membros do seu grupo por e-mail. Deverá também depositar um exemplar na biblioteca posta à disposição na plataforma. É importante que disponibilize também todos os documentos relevantes para os seus colegas e consulte os documentos disponibilizados pelos outros membros. Tarefa 2. Trabalhos práticos Os estudantes farão três trabalhos práticos sobre a nutrição de plantas num laboratório, se eles o tiverem. TP 1: Características de plantas cultivadas num meio mínimo, em comparação com as plantas cultivadas numa solução nutritiva (Sachs, Knop, Rolling ou Hoagland); medir o crescimento diário e crescimento total e tiragem de fotografias. TP2: Extracção de pigmentos de clorofila e pigmentos acessórios. TP3: Experiência viável para a escola para mostrar aos alunos que durante a fotossíntese, as plantas absorvem CO2 e liberam O2. Um guia de procedimentos estará disponível, no momento da vinda do tutor do curso, após a discussão com o autor do curso. Onde não há laboratório, as tutorias virtuais serão reforçados. Tarefa 3. Tutorias Um guia estará disponível para os estudantes para a realização desta actividade. Essas actividades podem ser realizadas à distância ou em presença quando isso for possível.
  25. 25. As actividades consistem em ver as fotos de ilustração do curso, fazer esquemas, para fazer placas por unidade de produção de materiais didácticos e resolver exercícios de auto-avaliação. Tarefa 4. Pesquisas na Internet As leituras propostas devem ser complementadas por uma pesquisa na Internet, especificamente nos sites que recomendamos, pois apresentam informações sobre a unidade. No entanto, é desejável que o estudante, ele mesmo faça pesquisas pessoais a fim de aprofundar a sua aprendizagem. Tarefa 5. Produção de um relatório conjunto sobre as características gerais da nutrição de plantas É necessário fazer a síntese de informações obtidas sobre o tema. Trata-se de preparar um relatório final sobre a unidade, mas também para constituir uma documentação pessoal que será útil para a unidade que se segue. Tarefa 6. Produzir um relatório reflexivo É necessário fazer uma auto-avaliação através de exercícios individuais ou em grupo, antes de realizar a sério os testes formativos. A auto-avaliação consiste em ver as fotos de ilustração do curso, fazer esquemas, para fazer placas por unidade de produção de materiais didácticos e resolver exercícios. Avaliação formativa Exercício 1 - Assinale com X a resposta correcta (0,5) A seiva bruta contém apenas substâncias minerais dissolvidas ___Verdadeiro ___Falso Exercício 2 - Assinale com X a resposta correcta (1,5) Os elementos nutritivos das plantas são formados de: a) dois grupos de elementos ___ b) três grupos de elementos ___
  26. 26. c) um grupo de elementos ___ Exercício 3 - Escolha a resposta correcta, assinalando-a com X (1,5) O método de determinação do azoto é o de: a) Dumas Liebig ___ b) Kjeldhal ___ c) Knop ___ Exercício 4 - Exercício com setas (1,5 pontos) Ligue, por setas, os elementos da esquerda e seu correspondente à direita. Fertilizantes de substância orgânica ou inorgânica (textura do solo) Estrume da orgânico ou inorgânico (textura e estruturado solo) Fertilização de substância orgânica ou inorgânica (estrutura solo) Exercício 5 - Exercícios de preenchimento (1 ponto) Preencha os espaços vazios com as palavras abaixo indicadas: montmorilonita - ilita - caulinita –argila Os minerais _____________ são agrupados em classes, das quais os mais conhecidos são: _____________ pobres em sílica, com poder de inchamento e com fraca capacidade de absorção de iões e bases; _____________ o mais rico em sílica, tem um afastamento variável, portanto, susceptível de inchar na água e com forte poder de fixação de íões e catiões; _____________ de caracteres intermediários entre as duas classes anteriores. Exercício 6 - Exercícios de preenchimento (1 ponto) Preencha os espaços vazios com as palavras abaixo indicadas: cloroplastina - grupo prostético –clorofila
  27. 27. A ____________ é o ____________________ heteroproteina chamada de ______________. Exercício 7 - Selecione a resposta correta (1 ponto) Na experiência de Emerson sobre a alga verde Chlorella, o comprimento de onda pode ter uma alta absorção de CO2 e uma grande liberação de O2 e é de: a) 425 nm b) 490 nm c) 425 nm + 490 nm d) 680 nm + 700 nm Exercício 8 - Exercício de rearranjo com ligações por setas (2 pontos) O primeiro produto desta fotossíntese é: Fotossíntese C3 AOA Fotossíntese C4 APG Fotossíntese CAM AOA Soluções da Avaliação Formativa Exercício 1. Verdadeiro Exercício 2. b) - três grupos de elementos Exercício 3. b) - Kjeldhal Exercício 4. Fertilizante Contribuição de substância orgânica ou inorgânica (textura do solo) a Estrume de orgânicos ou inorgânicos (estrutura do solo) Fertilização Contribuição de substâncias orgânica ou inorgânica (textura e estruturado solo)
  28. 28. Exercício 5. Os minerais de argilosos são agrupados em classes, os mais conhecidos são: ilita pobres em sílica, com poder de inchamento e com fraca capacidade de absorção de iões e bases; montmorilonita o mais rico em sílica, tem um afastamento variável, portanto, susceptivel de inchar na presença de água e com forte poder de fixação de iões e catiões; caulinita de caracteres intermediários entre as duas classes anteriores. Exercício 6. Preencha os espaços vazios com palavras que estão disponíveis: cloroplastina - grupo prostético - Clorofila A clorofila é o grupo prostético duma heteroproteína chamada cloroplastina. Exercício 7. d) 680 nm + 700 nm Exercício 8. Fotossíntese C3 APG Fotossíntese C4 AOA Fotossíntese CAM AOA Comentário Pedagógico Estes exercícios têm por objectivo testar os vossos conhecimentos em relação à esta actividade sobre as características gerais das plantas. Diferentes espécies de perguntas que se referem ao conjunto do curso foram feitas a fim de avaliar o conhecimento geral. O estudante deve, por conseguinte, ter um cuidado específico em relação às respostas que der. Para cada conjunto de perguntas, duas tentativas são autorizadas. No entanto, apenas uma será contabilizada na média das duas notas. Se o seu desempenho se situa entre: - 30% e 50%, repita o teste - 50% e 75% de sucesso, isso significa que o seu conhecimento é bastante amplo na área. Este teste estará disponível durante duas semanas.
  29. 29. Unidade 2 Crescimento e desenvolvimento da planta Introdução A segunda unidade trata do crescimento e do desenvolvimento das plantas. Biologicamente, há algumas nuances no significado destas palavras. O processo de crescimento resulta de dois fenómenos complementares, a multiplicação celular ou meresis e o aumento do seu tamanho ou auxesis. O desenvolvimento é uma transformação progressiva que conduz a um ser vivo, uma célula única; ovo a um indivíduo, ou seja, as células sofrem uma diferenciação. A noção de crescimento implica uma quantidade mensurável mas, o desenvolvimento é uma noção de qualidade não mensurável. Entretanto, muitas vezes os dois termos são considerados sinónimos pelos professores. Os conhecimentos obtidos na primeira unidade sobre a nutrição de plantas permitirão que compreenda melhor as noções de crescimento e de desenvolvimento de plantas. Na verdade, pesquisas serão feitas sobre as relações existentes entre a nutrição e o crescimento das plantas. Em outras palavras, trata-se de fazer o uso dos conceitos anteriores. Nas plantas, o crescimento não acontece sempre de uma maneira contínua pois, depende das condições climáticas. Em países de clima temperado, o crescimento é máximo na Primavera e no Verão, mas nas regiões tropicais, será durante as estações de chuvas. O crescimento das plantas também é influenciado por vários factores tropicais e hormonais.
  30. 30. Actividade de aprendizagem 2 Projecto de pesquisa colaborativa sobre fitohormonas 2. Objectivos específicos 2.1. Objectivos específicos do conhecimento (Saber). No final da aprendizagem da unidade 2, os formandos devem ser capazes de:  enumerar os diferentes meios de reprodução vegetativa;  enumerar as diferentes etapas da reprodução sexuada das plantas;  enumerar os diferentes factores do crescimento das plantas;  definir os conceitos importantes como a germinação, o meristema, dupla fecundação, vernalização, fotoperiodismo, fitocromo e fitohormona. 2.2. Objectivos específicos de métodos (Saber fazer) No final da aprendizagem da unidade 2, o aluno será capaz de:  descrever os modos de reprodução vegetativa;  medir o crescimento da raiz;  usar as ferramentas de colaboração;  realizar experiências sobre a germinação, desenvolvimento do aparelho vegetativo e do aparelho reprodutivo. 2.3. Objectivos específicos de atitude e de clarificação de valores (Saber estar) No final da aprendizagem da unidade 2, o aluno será capaz de:  garantir a conservação da biodiversidade vegetal;  contribuir no desenvolvimento agrícola. Resumo da actividade de aprendizagem
  31. 31. As explicações da germinação das plantas começam com base na heterotrofia, isto é, o uso das reservas nutritivas contidas nas sementes para o crescimento e desenvolvimento do embrião para alcançar a sua Autotrofia. Pela passagem do aparelho vegetativo ao reprodutivo, o educando irá executar tarefas que, não só o permitirão compreender a diferença entre o conceito de crescimento e de desenvolvimento, mas também compreender o efeito da fitohormona à sua escolha, quer seja de crescimento, quer seja do desenvolvimento de dois fenómenos por cada vez. O estudante irá utilizar as ferramentas de colaboração síncrona ou assíncrona e redigirá um relatório pessoal sobre o assunto. Neste caso predominará o método dedutivo.
  32. 32. Conceitos-chave Crescimento: aumento de massa e de tamanho de uma célula, de um tecido, de um órgão ou de um organismo. Desenvolvimento: aperfeiçoamento progressivo das células, tecidos e de órgãos, para formar um organismo completo. Reprodução vegetativa: crescimento da parte vegetativa da planta. Reprodução sexuada: crescimento e desenvolvimento de uma planta após a dupla fecundação. Germinação: crescimento e desenvolvimento do embrião. Diferenciação celular: é o processo e os resultados das modificações celulares aquando da transformação, do desenvolvimento e da maturação celular. Aparelho vegetativo: órgãos agregados para assumir a função clorofilina. Aparelho reprodutivo: órgãos agrupados para assumir a função de reprodução sexuada. Dupla fecundação: fecundação do núcleo principal (n) e do núcleo secundário (2n) contidos no saco embrionário pelo núcleo reprodutivo (n) do grão de pólen. Fruta: o produto do desenvolvimento do ovário após a fecundação. Factores de crescimento: estímulos capazes de alterar a velocidade de crescimento de uma planta. Trabalho Colaborativo: é uma actividade na qual os formandos realizam, em conjunto, um trabalho recorrendo à ferramentas de comunicação à distância. Palavra chave Estacaria Diferenciação celular Aparelho vegetativo e reprodutivo Dupla fecundação Vernalização
  33. 33. Fotoperiodismo Planta de dia curto e de dia longo Fitocromo Fitohormona Trabalho colaborativo
  34. 34. Lista de fontes relevantes Lista de leituras apropriadas Leitura 1: Propagação vegetativa Referência completa: excerto do curso de Rémi RAKOTONDRADONA Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este excerto do curso trata da tendência da autoreprodução das plantas. Contém muitas informações sobre os diferentes modos de reprodução assexuadas das plantas. A leitura deste documento pode certamente, ajudar os estudantes a praticar algumas técnicas de propagação vegetativa. Justificativa A leitura deste documento far-vos-á melhor compreender os vários modos de reprodução vegetativa das plantas, mas também dominar as técnicas de sua utilização na vida quotidiana. Além disso, aconselho-vos vivamente a praticar estas técnicas no vosso quintal ou jardim. Leitura # 2. Reprodução sexuada das Angiospérmicas Referência completa: excerto do curso de Rémi RAKOTONDRADONA Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este documento apresenta a fisiologia de germinação até a maturação dos frutos. Neste documento, identificarão, nomeadamente, os trabalhos, os autores e as correntes teóricas, entre outros, para além dos princípios da geotropismo, do Fototropismo e as leis da formação dos órgãos. Justificativa
  35. 35. Este documento, primeiro, ajudará o estudante a compreender a epistemologia do crescimento das angiospérmicas. Os dados contidos no documento permitir-lhe-ão facilmente resumir, através de um esquema, o ciclo biológico de plantas com flores. Leitura # 3. Factores de crescimento das plantas. Referência completa: excerto do curso de Rémi RAKOTONDRADONA Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este excerto do curso trata de vários factores internos e externos do crescimento das plantas. Os efeitos desses factores sobre a planta são profundamente abordados. Justificativa A leitura deste documento ajudará os estudantes a melhor entender o papel principal de cada factor como a vernalização, fotoperiodismo e os fitocromos sobre o crescimento e o desenvolvimento da planta. É um documento indispensável para os vossos trabalhos de investigação durante esta aprendizagem. Recursos Recurso #1
  36. 36. Referência completa: http://www.johnkyrk.com/photosynthesis.fr.html Resumo Este site oferece uma animação sobre a fotossíntese. Ele mostra como os fotões atravessam a clorofila e a maneira como ele é excitado e como, por processos bioquímicos, o resultado se traduz numa substância orgânica. Ele também destaca o papel da ATP neste processo. Justificativa Esta animação é interessante, pois com a série de imagens apresentadas, o estudante rapidamente pode compreender o processo da fotossíntese. Recomenda-se, portanto que o estudante visite este site. Recurso #2
  37. 37. Referência completa: http://fr.wikipedia.org/wiki/Croissancev%C3%A9g%C3%A9tale (Site visitado a 26mars2008, 18: 52) Resumo Este site oferece diversos aspectos do crescimento de plantas. Mas é sobretudo importante observar muitos links referentes a outros elementos para melhor entender o crescimento. Justificativa Este site está em constante evolução. Os temas propostos no permitem navegar facilmente de um sujeito para outro.
  38. 38. Lista de links úteis apropriados Links # 1 Referência completa: http://www.snv.jussieu.fr/bmedia/cell/index.htm Resumo Este site da Universidade Pierre e Marie Curie (Paris) fornece informações muito interessantes sobre o crescimento da planta. O estudante poderá encontrar, nomeadamente, os capítulos sobre a cinética da acção a curto prazo, da Auxina e o pH ácido, o papel dos ATPases membranares, as hipóteses sobre a regulação do crescimento, entre outros. Justificativa Este site fornece informações adicionais que não são necessariamente desenvolvidas nos outros documentos. Os estudantes devem visitar este site que lhes dará uma grande contribuição.
  39. 39. Links # 2 Referência completa: http://www.inrp.fr/Acces/biotic/morpho/html/demarche.htm Resumo Este site oferece um conjunto de demarches pedagógicos para compreender a questão do crescimento da planta através de duas partes principais: a diversidade morfológica das plantas e processos biológicos que controlam o fenótipo da planta. Ele oferece várias referências sobre textos (Meristema) ou imagens (divisão celular). Justificativa A abordagem pedagógica proposta no presente texto, bem como as informações que são apresentadas justificam, em grande medida, que os estudantes visitem este site.
  40. 40. Links # 3 Referência completa http://www2.unil.ch/lpc/images/docu04/illustr_hormones.htm Resumo Este site da Universidade de Lausane apresenta o papel das hormonas no crescimento das plantas, nomeadamente da Auxina, citoquinina, giberelinas, etileno, ácido abscísico. Ele também descreve os tropismos, os movimentos e a orientação no espaço na floração e na reprodução sexuada e tantos outros temas. Justificativa O manancial de informação fornecida por este site sobre o crescimento e o desenvolvimento das plantas permitirá tomar uma série muito grande de conhecimento sobre este tópico. Recomenda-se que o estudante visite absolutamente este site. Descrição detalhada da aprendizagem Esta actividade sobre o crescimento e o desenvolvimento das plantas concentra-se mais nas fitohormonas e baseia-se nas pesquisas e partilha de informações. As leituras, recursos e links estão à disposição dos estudantes congregados em grupos de 4 a 5 indivíduos. Trata-se de fazer uma consulta,
  41. 41. a fim de ter uma ideia clara sobre as diversas fitohormonas através da sua fórmula, da sua síntese e suas propriedades fisiológicas. Cada grupo trabalhará sobre uma fitohormona e vai insistir sobre aspectos morfológicos e fisiológicos dos órgãos formados após a acção das fitohormonas. Esta actividade terá que incentivar a aquisição de competências de investigação colaborativa. Cada estudante terá que executar várias tarefas cujos resultados serão compartilhados como parte de um trabalho colaborativo. Tarefa 1: Pesquisa sobre várias fitohormonas Tarefa 2: Resumo de 300 palavras, para cada fitohormona, de cada grupo Tarefa 3: Compartilha por e-mail ou usando o Fórum, ou bate-papo ou listas de distribuição Tarefa 4: Publicação comum em duas páginas Tarefa 5: Produção de um relatório reflexivo Actividades de aprendizagem 2 A presente actividade de aprendizagem, articulada em torno da investigação colaborativa, é organizada em cinco tarefas que permitirão alcançar os objectivos preconizados. Tarefa 1: Leituras e pesquisas  Leia os recursos à sua disposição sobre a propagação vegetativa, o crescimento e o desenvolvimento e factores de crescimento de plantas.  Procure e proponha cada três sites relevantes que possa compartilhar com outros membros do seu grupo. Isto é importante pois, destaca-se
  42. 42. o facto de que o estudante não se limita apenas nas nossas propostas, mas demonstra vontade de querer aprender mais. Tarefa 2: resumo  Elabore um resumo de 300 palavras por cada fitohormona e ilustre com algumas imagens adequadas à sua escolha. Tarefa 3: Compartilha de produções  Envie os resumos aos outros membros do grupo para observações, sugestões e recomendações.  Compartilhe esta lista para fazer um esboço de produção de uma publicação sobre as várias fitohormonas. Tarefa 4: Publicação conjunta de vinte páginas  O acordo sobre o plano permite propor uma publicação.  A produção conjunta é revista e corrigida por cada membro do grupo.
  43. 43. Tarefa 5: Produção de um relatório reflexivo Cada membro do grupo deve desenvolver um relatório reflexivo, incluindo entre outros os seguintes pontos:  O que aprendi sobre a concepção e o desenvolvimento de um trabalho colaborativo?  Como é que eu aprendi?  Oque é que me ajudou na minha aprendizagem?  Quanto tempo levei a realizar esta actividade?  Estou satisfeito com a minha participação nesta produção colectiva?  Com as minhas novas competências o que vai mudar nas minhas actividades profissionais?  Como devo transmitir essas competências aos meus alunos?  Quais foram as dificuldades que eu tive? Avaliação formativa Exercícios de aplicação e de concentração Exercício 1: Assinale com X a resposta correcta. a) O processo de estacaria consiste em enterrar um fragmento de planta que não possua raízes mas que deva regenerá-las. Verdadeiro falso (0,5 ponto) b) O objectivo do enxerto é propagar um órgão aéreo interessante sobre os pés selvagens. Verdadeiro falso (0,5 ponto) c) A mergulhia somente se desenvolve com plantas que tenham hastes rampantes no solo. Verdadeiro falso (0,5 ponto) Exercício 2: Pergunta de múltipla escolha.
  44. 44. Seleccione a resposta correcta. (1,5 pontos) A floração pode ocorrer somente após a: - maturidade da floração - transformação do meristema vegetativa em meristema floral - indução floral
  45. 45. Exercício 3: Perguntas de múltipla escolha. Seleccione a resposta correcta. (1,5 pontos) A vernalização é uma técnica: - de abaixamento temporária da temperatura da cultura - de transformação duma planta anual para uma Planta bienal - do aumento temporário da temperatura da cultura Exercício 4: Exercícios de preenchimento (3 pontos) Preencha adequadamente os espaços usando as palavras ou expressões indicadas: geotropismo, fotoperiodismo, período crítico positivo, número de dias de exposição, superior, inferior, fitocromo, matéria nutritiva 4 1 – As plantas de dias curtos podem florescer somente se o valor da duração do hemeroperíodo for .......................... ao valor do........................... respeitando o valor do mínimo trófico e do número mínimo dos dias de exposição. 4. 2 – As Plantas de dia longo podem somente florescer se o valor da duração do hemeroperíodo for .......................... ao valor do........................... respeitando o valor do mínimo trófico e do número mínimo dos dias de exposição. 4. 3-No momento do ................................., os pigmentos fotoreceptores são os .................. que são sensíveis apenas a luz vermelha clara e ao vermelho longínquo. 4. 4 - O que faz com que as raízes das plantas sejam enterradas no solo é, inicialmente, em obediência à lei do ..........................., vem à procura de ............................... As raízes são, portanto, de geotropismo ......................... Exercício 5: .Relatório (3 pontos) Elabore um relatório de pesquisa com 1500 palavras sobre a formação de flores e de frutos.
  46. 46. Exercício 6: Tabela de comparação (3 pontos) Construa uma tabela comparativa de fitohormonas. Para destacar as diferenças, use os seguintes critérios: nome vernacular, fórmula desenvolvida, função principal, precursor e modo de acção.
  47. 47. Exercício 7: Reacção química (2,5 pontos) Utilizando os produtos químicos seguintes, indique as várias etapas da via principal da biossíntese de Auxina: triptofano, indol-acetaldeído, ácido indol-acético, ácido indol-pirúvico. Questão 8: Desenvolvimento de um padrão cíclico (2,5 pontos) Faça o esquema do ciclo biológico do crescimento e do desenvolvimento das plantas com flores. Insira a lista de palavras ou grupo de palavras seguintes, de acordo com a sua localização correcta no ciclo. Várias palavras podem ocupar o mesmo espaço Flor Planta Fruto Semente Desenvolvimento embrionário Desenvolvimento reprodutivo Crescimento vegetativo n 2n 3n Questão 9: Representação esquemática (4,5 pontos) Elabore uma representação esquemática de uma experiência realizada por Joachim Haemmerling em 1963 com a algas marinhas A. mediterrranea e a. A crenulata mostrando convincentemente o papel desempenhado pelo núcleo da célula na diferenciação celular. Soluções da avaliação formativa Exercício 1: a) A estacaria consiste em meter na terra um fragmento da planta que não possui raízes e que as deve regenerar. Verdadeiro b) O objectivo do enxerto é de propagar órgãos aéreos interessantes sobre os pés selvagens. Verdadeiro c) A mergulhia só se pode desenvolver com plantas contendo hastes rampantes no solo. Falso
  48. 48. Exercício 2: Escolha múltipla A floração somente pode ocorrer após l a transformação do meristema vegetativo em meristema floral Exercício 3: múltipla escolha A vernalização é uma técnica: de abaixamento temporário da temperatura da cultura Exercício 4: Exercícios de preenchimento 4.1. - As plantas de dia curto podem florescer apenas se o valor da duração do hemeroperíodo for inferior ao valor do período crítico, respeitando ao mesmo tempo o valor do mínimo trófico e o do número mínimo de dias de exposição. 4. 2 – As Plantas de dia longo podem somente florescer se o valor da duração do hemeropériodo for superior. ao valor do período critico, respeitando o valor do mínimo trófico e do número mínimo dos dias de exposição. 4. 3-No momento do fotoperiodismo os pigmentos fotoreceptores são os fitocromos que são sensíveis apenas a luz vermelha clara e ao vermelho longínquo. 4. 4 - O que faz com que as raízes das plantas sejam enterradas no solo é, inicialmente, em obediência à lei do geotropismo, vem à procura de matérias nutritivas. As raízes são, portanto, de geotropismo positivo Exercício 5: Relatório Cada um faz uma produção com base na sua capacidade de encontrar informações justas Exercicio 6: Tabela de comparação de fitohormonas Nome vernacular Formula desenvolvida Função principal Precursor Modo de acção
  49. 49. Auxina Acido indol-acético Crescimento das células Triptofano Auxesis Giberelina GA3 Gigantismo Acido mevalónico Deslocação dos entrenós Citoquinina Acido Furfurilico Divisão celular Acido mevalónico Parte integrante de ARNt Etileno CH2=CH2 Maturação dos frutos Metionina Síntese de enzimas liticas Exercício 7: Reacções químicas Biossíntese de Auxina Precursor: triptofano Desaminação de triptofano e obtenção de: ácido indol-piruvico Descarboxilação do ácido indol-pirúvico e obtenção de: indol- acetaldéido Oxidação de indol-acetaldeído e r finalmente a obtenção da Auxina: ácido indol-acético
  50. 50. Exercício 8: Representação cíclica do ciclo biológico de plantas com flores Exercício 9: Representação esquemática dos resultados da experiência de j. Haemmerling
  51. 51. Comentário pedagógico Estes exercícios têm por objectivo testar o conhecimento do estudante em relação a esta actividade de aprendizagem sobre o crescimento e o desenvolvimento das plantas. As perguntas têm a ver com o a vista geral dos conteúdos do curso com o objectivo de avaliar o conhecimento geral adquirido pelos estudantes. Por isso, o estudante deve ter uma atenção específica às respostas dadas. Se o seu desempenho for: - entre 30% e 50%, deverá retomar a realização do teste - entre 50% e 75% de sucesso, isso significará que os conhecimentos são suficientemente amplos nesta área de formação.
  52. 52. Unidade 3 As funções fisiológicas dos animais Introdução As funções fisiológicas dos animais abrangem vários aspectos dos quais se destacam, entre outros, o funcionamento dos diferentes órgãos (respiratórios reprodutores, excretor, digestivo, circulatório), do sistema nervoso, mas também da regulação do ambiente interno e questões de imunologia. As questões do crescimento e do desenvolvimento são também da Fisiologia. As funções fisiológicas são possibilitadas através da combinação de mecanismos químicos e físicos. A Fisiologia estuda também os disfuncionamentos observados que levam a distúrbios e à doenças. Em síntese, a fisiologia animal é um tema muito vasto de conhecimento, por isso não será possível estudá-la em profundidade neste documento. No entanto, esta unidade ambiciona fornecer para o estudante uma aprendizagem de pacotes de conhecimentos teóricos e práticos, bem como ajudar-lhe a desenvolver as competências de operar transferências em diversos factos da vida.
  53. 53. Actividade de aprendizagem 3 Apropriação do conceito e trabalho colaborativo Resumo da actividade Esta actividade de aprendizagem centrada no domínio das funções fisiológicas dos animais pelos estudantes tem vários objectivos de domínio de conceitos científicos fundamentais que concorrem para a apropriação dos saberes. A actividade é baseada num trabalho individual e num trabalho em grupo alternadamente implementados. Concebido segundo uma abordagem socioconstructivista, a actividade de aprendizagem está organizada em torno de uma abordagem pedagógica que convida os estudantes a construírem seus próprios conhecimentos com a realização de várias tarefas compreendendo, nomeadamente, leituras, pesquisas documentais, exercícios de auto-avaliação e a produção de um trabalho reflexivo. 3. Objectivos específicos 3.1. Objectivos específicos do conhecimento (saber) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de:  definir os conceitos de hormonas, regulação, metabolismo;  recordar os mecanismos de funcionamento do controle hormonal. 3.2. Objectivos específicos do método (saber fazer) No final da aprendizagem, o formando será capaz de:  procurar informações sobre os conceitos fundamentais da função fisiológica, nomeadamente, a regulação hormonal, o metabolismo celular;  trabalhar em colaboração com os seus pares num projecto de resolução de problemas;  elaborar um relatório reflexivo sobre a sua aprendizagem.
  54. 54. Conceitos-chave Hormona: Substância química produzida pelas células, tecidos ou um órgão e transportada pelo sangue que tem acção sobre um ou mais outros órgãos. Regulação: reacções químicas de construção (Anabolismo) e desintegração (Catabolismo) através das quais a célula transforma e utiliza a energia para se manter, crescer e renovar-se. Factores de crescimento: elementos endógenos (genéticos, endócrinos) e exógenos (ambiente, emocional...) que iniciam e mantêm os processos de transformações morfológicas e funcionais que permitem aos animais crescerem, desenvolverem e alcançarem uma maturidade fisiológica. Trabalho colaborativo: actividade na qual os formandos realizam em conjunto um trabalho por meio de ferramentas de comunicação à distância. Resolução de problemas: abordagem pedagógica que se baseia na implementação de itens para resolver um determinado problema envolvendo um trabalho pessoal ou de equipa orientado fortemente no construtivismo, isto é, centrado na aprendizagem. Palavras-chave Homeostase Glândula, endócrina, exócrina, paracrina Hormona Retrocontrolo negativo Regulação Factores de crescimento Rim Néfron Hipófise Ambiente interno
  55. 55. Leituras obrigatorias Leitura # 1: Homeostase Referência completa: Excerto do curso de Rémi RAKOTONDRADONA Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este texto que lida com a Homeostase, aborda primeiro o fenómeno de retroacção (feedback), nomeadamente as etapas e as diferentes componentes do sistema, em seguida, o rim e o sistema endócrino. Ele se concentra sobre as glândulas endócrinas e o mecanismo de controle hormonal. Justificação O texto define a noção de equilíbrio (Homeostase) e oferece boas informações sobre o mecanismo de controle hormonal. A leitura deste texto é imperativa para compreender muito facilmente os conhecimentos relativos à regulação hormonal. Este documento dar-lhe-á prazer de obter mais informações. Leitura # 2 Referência completa: m. Leclerc: Homeostase. http://www.Cafe.Rapidus.NET/mleclerc/biologie/homeostasie.htm Resumo Este documento busca as noções de retroacção (feedback) (As retroacções negativas e retroacções positivas). As informações contidas na memória
  56. 56. indica o autor: memória genética, memória imunológica, memória, nervosa e memória cultural. Ele termina com a noção de comunicação. Justificativa Este documento rico de ilustrações simples é uma boa ferramenta para compreensão e fazer compreender as noções básicas de feedback. Este documento é de leitura obrigatória. Leitura # 3 Referência completa: http://mon.univ-montp2.fr/L2L3ETM/document/Mireille_LAVIGNE-REBILLARD/ L2S3_Hom%C3%A9ostasie_et_syst%C3%A8mes_de_r%C3 %A9gulation.pdf Lavigne-Rebillard: Homeostase e sistemas de regulação Universidade de Montpellier II Resumo Este texto aborda, por sua vez a Homeostase, sistemas de regulação (nervoso e endócrino), as analogias e diferenças entre estes dois sistemas antes de passar pelos exemplos de regulação. A título ilustrativo, trata da regulação e termina pela interdependência dos sistemas sistema nervoso e endócrino Justificativa O texto contém muitas ilustrações, tornando-o muito fácil de compreender. Constitui, sem dúvida, um complemento indispensável aos outros textos. A maneira de abordar a regulação também é bastante original.
  57. 57. Recursos Recurso # 1 Referência: ROUX, Jean paul: O trabalho em grupo na escola. http://www.Cahiers-pedagogiques.com/IMG/PDF/Roux.pdf Resumo Este documento aplica-se a todos os professores, milita pela abordagem socioconstructivista e discute os benefícios do trabalho em grupo pelos estudantes. Ele discute a importância do trabalho colaborativo sobre o progresso individual dos estudantes e descreve os princípios que organizam os dispositivos de aprendizagem do tipo socioconstructivista. Justificativa Este documento ajudará aos estudantes a equiparem-se moral e pedagogicamente para se engajarem num trabalho de grupo. Ele fornece exemplos para ilustrar situações reais e exploráveis. Links úteis Link # 1 Referência completa: http://fr.wikibooks.org/wiki/Les_principales_voies_du_m_%C3%A9tabolis me (Site visitado a 02/04/07 as 12.35 H)
  58. 58. Resumo O texto discute o destino dos nutrientes antes de definir o conceito de energia. Uma boa parte é dedicada ao metabolismo dos hidratos de carbono, aminoácidos e dos lípidos e. A questão das enzimas e coenzimas é também desenvolvida. Justificativa Este documento escrito num estilo simples é muito interessante para uma dotação rápida do conceito de metabolismo. Muitos links são estabelecidos como referindo-se à outras noções
  59. 59. Link # 2 Referência completa: Metabolismo Laurent DELEPINE (Jan de 2001): http://webiologie.free.fr/cellules/metabolisme/reactions.html Resumo O documento introduzido sobre o metabolismo antes de abordar os temas permite compreender melhor as reacções enzimáticas, a glicólise anaeróbica, ciclo de Krebs e a cadeia respiratória. Vários esquemas ilustrativos das reacções metabólicas são integrados no texto, o que torna mais fácil a sua compreensão. Justificação Este texto ajudar a familiarizar-se com os mecanismos das reacções bioquímicas que ocorrem durante o metabolismo. Ele irá ajudá-lo também na apropriação de certos conceitos essenciais para a compreensão do metabolismo.
  60. 60. Link # 3 Referência completa Resumo Este texto, após ter definido o sistema endócrino, passa em revista as várias glândulas endócrinas: a hipófise com o controle das secreções, as glândulas supra-renais, medulasuprarenal, corticosuprarenal, tiróide, ovários, etc. assim como outros tecidos, com função endócrina, tal como a placenta, os rins, o coração. Ele também discute a regulação hormonal, o ciclo endocrinianos, os distúrbios do sistema endócrino. Justificativa Este documento é muito importante para a compreensão da endocrinologia. Ele irá ajudá-lo a entender as relações hormonais e a importância da regulação hormonal durante o funcionamento normal do organismo.
  61. 61. Descrição detalhada da actividade O Objectivo da actividade visa a produção de um mapa (ou campo) de conceitos fundamentais da fisiologia animal. A abordagem conceptual é muito usada no ensino para ajudar os formandos a apropriarem-se dos conceitos. Desta maneira os formandos terão que ler vários documentos fornecidos ou propostos, bem como aqueles que eles encontrarem ao fazer pesquisas e elaborar resumos que deverão ser partilhados com os seus pares. Depois deverão comunicam-se entre eles por meio de ferramentas síncronas ou assíncronas (fórum, e-mail, chat) disponibilizadas na plataforma. Assim, o trabalho individual alterna-se com as actividades dos grupos que são os momentos de interacção e de síntese, mas também momentos de fortes apoios mútuos, de partilha de métodos e de pontos de vista. Detalhes da actividade Tarefa 1. Leitura de documentos. Leia obrigatoriamente os três textos fornecidos neste documento. Recomenda-se também que leia os textos de informação complementar sugeridos. Tarefa 2. Em cada pequeno resumo de 300 palavras, retire dez conceitos- -chave. Para cada conceito-chave, tente encontrar três a cinco palavras que melhor te permitam compreender o texto (estas palavras podem estar ou não no texto). Tarefa 3. Procure na Internet cinco documentos que tratam do tema e coloque-os na biblioteca da plataforma. Recupere os documentos arquivados
  62. 62. por seus colegas e leia. Para os documentos propostos pelos seus pares, faça simplesmente realce às palavras que considera importantes. Tarefa 5. No Fórum, deposite pelo menos uma pergunta e uma contribuição sobre um aspecto do tema (preocupação, pedido de ajuda para alguma dificuldade...). Tarefa 6. Análise individual da produção dos colegas e comparação com a sua própria produção. Proposta de uma síntese dum mapa conceptual melhorada a partir da vossa produção inicial e tendo em conta as outras produções. Tarefa 7. Realização de um mapa conceptual consensual sobre os conceitos de ambiente interno e metabolismo depois de uma discussão síncrona e assíncrona. Tarefa 8. Desenvolvimento de um relatório individual reflexivo. Para isso, o estudante poderá tentar responder às seguintes perguntas: - O que aprendi no plano conceptual e técnico? - O que aprendi na organização individual e no trabalho colectivo? - Como aprendi? - O que me ajudou na minha aprendizagem? - Quanto tempo durou a actividade? - Estarei satisfeito com a minha participação nesta produção colectiva? - O que as novas competências vão mudar na minha actividade profissionais (na minha escolha, na utilização e integração de meios informáticos)? - Que dificuldades tive? - Como irei transmitir essas competências aos meus alunos? Avaliação formativa Atenção. Para responder a estas perguntas, será necessário não só fazer as leituras obrigatórias, mas também aquelas que são sugeridas nos recursos.
  63. 63. Questões de verdadeiro ou Falso. Assinale a resposta correcta. 1. As duas partes da Hipófise provêm de duas regiões embrionárias distintas. Verdadeiro falso (0,5 pontos) 2. A somatotrofina é secretada pela hipófise. Verdadeiro falso (0,5 pontos) 3. A placenta é uma malha para função endócrina. Verdadeiro falso (0,5 pontos) 4. O ATP é necessário durante a contracção muscular. Verdadeiro falso (0,5 pontos) 5. O metabolismo inclui dois tipos de reacções. Verdadeiro falso (0,5 pontos) Perguntas de escolha múltipla 6 A Hormona do crescimento é segregada durante a noite por picos de: (1 ponto) - uma hora de máximo; - duas horas no máximo; - três horas no máximo; - quatro horas de máximo. 7. A Vasopressina afecta: (1 ponto) - o rim. - artérias - o coração
  64. 64. 8. Todos as reacções celulares da cadeia respiratória celular se produzem: (1 ponto) - membrana externa da mitocôndria - espaço matricial - membrana interna da mitocôndria - espaço intermembranar 9. Volte a ligar as vias metabólicas no lugar da produção. (1,5 ponto) - glicólise - ciclo do ácido cítrico - via das pentoses fosfatos citoplasma - gluconogénese - degradação e síntese de glicogénio mitocôndria - degradação e síntese dos ácidos gordos 10. Perguntas de emparelhamento. Ligue as substâncias aos valores caloríficos médios. (1 ponto) Glúcído 9,3 kcal / g Proteína 4. 1 kcal / g Lípidos 5,7 kcal / g 11. Coloque os seguintes elementos no diagrama seguinte representando o ciclo de Calvin. (3 pontos) 3CO2 - 3ATP - Redução do CO2 - 6ADP + 6P -6G3P - NADPH + H+ - Glucose - 6APG - 3ADP + 3P - Regeneração do RubiP - 6ATP - 5G3P - Fixação de CO2 - NADP+ 6ADPG 3RibuP
  65. 65. Soluções da avaliação formativa 1. Verdadeiro: na verdade a Hipófise anterior se desenvolve, no embrião a partir da ectoderme; a Hipófise posterior, deriva dos tecidos nervosos embrionários. 2. Falso: Pois é secretado pelo Hipotálamo. A somatotrofina, com a Somatostatina, exercem um controle sobre a secreção. 2. Verdadeiro 3. Verdadeiro 5. Verdadeiro (Anabolismo e Catabolismo) Perguntas de escolha múltipla 6. A Hormona de crescimento é segregada durante a noite por picos de duas horas de máximo. 7. A Vasopressina afecta os rins. 8. Todas as reacções celulares da cadeia respiratória ocorre na membrana interna da mitocôndria. 9. Religue as vias metabólicas, no lugar da fabricação
  66. 66. Citoplasma: Glicólise, via das pentoses fosfatos, gluconogénese, degradação e síntese de glicogénio Mitocôndria: ciclo do ácido cítrico, degradação e síntese do ácido gordo 10. Perguntas de emparelhamento Ligue as substâncias aos valores calorificos médios Glúcidos (4,1 kcal / g) Proteínas (5,7 kcal / g) Lípidos (9,3 kcal / g) 11. Colocar nos lugares os seguintes elementos no diagrama seguinte representando o ciclo de Calvin Comentário pedagógico Este teste foi submetido para testar o seu conhecimento. Dois testes são permitidos. A média dos resultados representa a sua pontuação final. Unit 4 Comparação da fisiologia vegetal e a fisiologia animal Introdução A quarta unidade irá fazer a comparação entre Fisiologia Vegetal e a Fisiologia Animal para melhor compreender-se que o princípio da base da vida é o mesmo no reino vegetal e no reino animal. No entanto, algumas modalidades de aplicação são diferentes. As células precisam recuperar a energia para poderem sobreviver e cada um dos dois reinos tem a sua forma de agir para satisfazer as suas necessidades básicas.
  67. 67. Para aprofundar esta comparação, o domínio das duas disciplinas é essencial, ou seja, as unidades de aprendizagem precedentes devem ser revistas. Em primeiro lugar, estudou-se a nutrição e o crescimento das plantas onde se destacaram as seguintes conteúdos: - as plantas não só absorvem elementos dissolvidos; - as plantas podem viver num ambiente mínimo; - as plantas são autotróficas; - sua reprodução pode ser de forma vegetativa ou sexuada; - coexiste o número diplóide e triplóide. Em seguida, as funções fisiológicas dos animais abrangem vários aspectos. Ela é, entre outras o funcionamento de diferentes órgãos e sistemas, mas as funções fisiológicas são tornadas possíveis através da combinação de mecanismos químicos e físicos. Um modo de vida mais evoluído se desenha no mundo dos animais permitindo-os melhor sobrevivência da sua vida movimentada. Actividade de aprendizagem 4 Actividade de aprendizagem paralela às funções fisiológicas das plantas e animais Resumo da actividade A actividade de aprendizagem tem como objectivo melhorar e reforçar o domínio das funções fisiológicas vegetais e animais pelos estudantes. Mas, desta vez, os estudantes em conjunto farão comparações. As funções fisiológicas com a mesma finalidade adaptam-se bem à esta abordagem. Tal é o caso da respiração celular animal e da fotossíntese, cujo objectivo é recuperar o ATP. É também o caso do funcionamento dos pelos absorventes das plantas e vilosidades intestinais dos animais, cujo objectivo é alimentar as células. São apenas dois exemplos entre tantos outros e será o estudante quem irá de descobri-los e mostrá-los.
  68. 68. Após tais estudos, o estudante vai recapitular os resultados da sua pesquisa num quadro comparativo. Esta actividade de aprendizagem é organizada em volta de um processo pedagógico que convida os estudantes a construírem os seus próprios conhecimentos realizando diversas tarefas que compreendem, designadamente, leituras, pesquisas documentais, exercícios de auto-avaliação e a produção de um trabalho reflexivo. Objectivos específicos Objectivos específicos do conhecimento (saber) No final da aprendizagem, o aluno será capaz de: - definir a fotossíntese, o conceito de respiração celular, glicólise; - distinguir a fisiologia vegetal da fisiologia animal; - fazer o recolhimento por componentes do esquema do ciclo de Krebs. Objectivos específicos do método (saber fazer) No final da aprendizagem, o aluno será capazes de: - estudar simultaneamente duas lições relativamente distantes; - comparar as funções fisiológicas da planta e do animal; - colaborar com colegas num projecto de resolução de problemas; - elaborar um relatório reflexivo sobre a sua aprendizagem. Conceitos-chave Respiração celular. Um processo bioquímico que permite às células recuperar energia a partir das moléculas orgânicas como os glúcidos para assegurar a sua sobrevivência. Fotossíntese. Designa as reacções químicas de captura da energia luminosa sob a forma de energia química para produzir um composto orgânico.
  69. 69. Vilosidades intestinais. A parede do intestino rugoso é forrado por mucosa que apresenta recessos abrangidos de expansões microscópicas em dedos de luva chamadas vilosidades; cada vilosidade é constituída por um pequeno tubo de tecido epitelial, o qual contorna um pequeno vaso linfático de numerosos capilares. Pêlo absorvente. São células superficiais das extremidades da raiz possuindo prolongamentos do seu citoplasma, extremamente longos e de vários centímetros. Trabalho colaborativo. É uma actividade na qual os estudantes realizam juntos um trabalho, recorrendo a ferramentas de comunicação à distância. Resolução de problema. É um procedimento pedagógico que assenta na aplicação de elementos que permitem solucionar um dado problema e, que implica um trabalho individual ou em equipa com orientação fortemente construtivista, ou seja, centrada na aprendizagem. Palavras-chave Respiração celular Mitocôndria Ciclo de Krebs Digestão Fundus Antro pilórico Bolo alimentar Quimo Quilo Micelos Leituras obrigatórias Leitura 1: Respiração celular
  70. 70. Referência completa: Extracto de cursos de Rakotondradona Rémi Universidade de Antananarivo Resumo O texto trata da respiração celular que compreende a glicólise I, a glicólise II e o ciclo de Krebs. Os locais na célula onde se desenrolam as reacções são bem especificados. Justificação Este documento é bastante original na medida em que mostra e explica, de duas maneiras diferentes, as etapas das diversas reacções da respiração celular. A primeira abordagem consiste na vista geral deste fenómeno e o segundo explica os detalhes das reacções. Leitura 2: Função digestiva Referência completa: Extracto de cursos de Rakotondradona Rémi Universidade de Antananarivo Resumo Este curso explica as diversas etapas da digestão que vão da boca até ao jejuno. Além disso as funções de absorção são igualmente detalhadas. Justificação Este curso reforça o domínio da fisiologia animal pelos estudantes, pois os conceitos já estudados nas unidades precedentes são outra vez aqui explicados e ilustrados. Tal é o caso do conceito de retrocontrolo negativo com secreção da saliva na boca, secreção do HCl no estómago e a manutenção da taxa glicemia no sangue.
  71. 71. Recursos Recurso # 1 Resumo Esta sessão dá informações relativas ao autor, seu diploma, suas funções e o módulo de fisiologia. Justificação Este recurso é muito importante para melhor compreender a utilidade da unidade 4. Recurso 2 Referência completa: Gilles Furelaud Animação célula vegetal animal célula http://www.SNV.Jussieu.fr/vie/dossiers/AnVeg/CellAnCellVeg2.html Resumo Trata-se de uma animação que mostra, a partir de um modelo de célula, quais são os elementos constitutivos da célula animal e da célula vegetal. Mostra também o que diferencia, no plano anatómico, a célula animal da célula vegetal. Justificação
  72. 72. Esta animação simplificada dá uma ideia bastante precisa das unidades estruturais e funcionais que são as células animais e vegetais.
  73. 73. Links úteis Link # 1 Referência completa: http://fr.wikibooks.org/wiki/Les_principales_voies_du_mC3%A9tabolisme (Site visitado a 02/ 04/07 as 12.35h) Resumo O texto aborda a evolução dos nutrimentos antes de definir o conceito de energia. Uma boa parte é consagrada ao metabolismo dos glúcidos, aminoácidos e lípidos. A questão das enzimas e coenzimas também é aqui desenvolvida. Justificação Este documento escrito num estilo simples é extremamente interessante para uma apropriação rápida do conceito de metabolismo. Numerosas relações também são estabelecidas. Descrição da actividade detalhada O objectivo da actividade é realizar um estudo comparativo entre duas funções fisiológicas, uma animal e outra vegetal. É também mostrar a semelhança do princípio básico destas duas funções e ao mesmo tempo destacar as diferenças no funcionamento.
  74. 74. Inicialmente, todos os estudantes vão partilhar a leitura 1 e 2 e comparar, respectivamente, com a fotossíntese e a nutrição das plantas. Seguidamente, os estudantes vão trabalhar em grupos e descobrir uma função fisiológica vegetal que pode ser comparada com uma função fisiológica animal. Para esse efeito, os estudantes terão de ler vários documentos, fazer pesquisas, exercitar-se na elaboração de resumos, trocar os resumos com os seus pares através dos instrumentos assíncronos (fórum, correio) ou sincrónicos (chat) postos à sua disposição na plataforma. Detalhe de actividade Tarefa 1. Leitura de documentos. Leia obrigatoriamente os documentos e os textos fornecidos com informações complementares. Tarefa 2. Para cada texto, o estudante deve fazer um pequeno resumo de 300 palavras no máximo e uma lista de conceitos-chave. Em cada conceito-chave deverá tentar identificar as palavras-chave que o permitirão compreender o texto. Tarefa 3. Após a leitura, compara a respiração celular e a fotossíntese, e a comparação da função digestiva com a nutrição das plantas. Nesta actividade, o essencial é estabelecer um quadro de comparação de 3 colunas onde indica o objecto de comparação em relação a fisiologia vegetal e a fisiologia animal. Tarefa 4. Os estudantes devem colocar o quadro de comparação na biblioteca da plataforma. Deverão também recuperar os quadros colocados por outros colegas e lerem. Tarefa 5. Analise individualmente as produções dos colegas e compare com a sua própria produção. Proponha uma síntese de um quadro de comparação melhorado, tendo em conta as suas produções anteriores. Tarefa 6. No fórum, coloque pelo menos uma questão e uma contribuição sobre um dos aspectos comparados.
  75. 75. Tarefa 7. Realização de um trabalho de grupo relativo à uma função fisiológica vegetal comparável à uma função fisiológica animal após discussão assíncrona e sincrónica
  76. 76. Tarefa 8. Elaboração de um relatório reflexivo individual. Para tal, poderá tentar responder às seguintes questões: - O que aprendi? - Como aprendi? - O que me ajudou na minha aprendizagem? - Quanto durou a actividade? - Estou satisfeito com a participação nesta produção colectiva? - O que estas novas competências vão mudar nas minha actividade profissional (na minha escola, utilização e integração de meios informáticos)? - Que dificuldades tive? - Como poderei transmitir essas competências para meus alunos? Avaliação formativa Questão Falso/verdadeiro Assinale a resposta correcta 1. São reacções endotérmicas consumindo ATP durante a Glicólise I. Verdadeiro Falso (0,5 pontos) 2. São reacções endotérmicas produzindo ATP o que ocorre durante a Glicólise II. Verdadeiro Falso (0,5 pontos) 3 O ciclo de Krebs é uma sequência de reacções que ocorrem na membrana da mitocôndria. Verdadeiro Falso (0,5 pontos) 4. O metabolismo compreende dois tipos de reacções. Verdadeiro Falso (0,5 pontos)
  77. 77. 5. O ciclo de Krebs permite obter 36 ATP a partir duma molécula de glicose Verdadeiro Falso (0,5 pontos) Questões de múltipla escolha Assinale a resposta correcta, com X. 6. Dentro do estómago as camadas de células são em numero de: (1 ponto) dois três quatro cinco 7. A Insulina age sobre: (1 ponto) glicose peptídeo lípido 8. Todos as reacções da cadeia respiratória celular ocorre em: (ponto 1) membrana externa da mitocôndria espaço de matricial membrana interna da mitocôndria espaço inter-membranar 9. A função absorvente ocorre em: (1,5 ponto) estômago. boca jejuno duodeno íleo Esófago 10. Questões de emparelhamento. (1 ponto) Religue os órgãos aos valores médios do seu pH.
  78. 78. Boca 3 Estômago 7,4 Duodeno 8 Soluções de avaliação formativa 1. Verdadeiro 2. Falso: porque é exotérmica 3. Falso: ocorre na matriz mitocondrial 4. Verdadeiro 5. Verdadeiro Questões de múltipla escolha 6. Dentro do estómago as camadas das células gástricas são em número de: (1 ponto) -quatro: mucosa, sub-mucosa, muscular e serosa 7. Insulina sobre a: (1 ponto) - glicose 8. Todos as reacções da cadeia respiratória celular ocorre no: (ponto 1) - espaço Matricial 9. A função de absorção ocorre no: (1,5 ponto) - jejuno 10 Questões de emparelhamento (1 ponto) Religue os órgãos aos valores médios de seu pH Boca 7,4 Estômago 3 Duodeno 8 Comentário pedagógico
  79. 79. Este teste foi submetido para testar os vossos conhecimentos. São permitidos dois ensaios. A média dos resultados obtidos representa a vossa nota final.
  80. 80. XI. lista compilada de conceitos chaves Fertilização: Técnica de melhoramento da estrutura e da textura do solo cultivável por introdução de substâncias minerais ou orgânicas. Órgão reprodutivo: é o conjunto de órgãos agregados para assumirem a função de reprodução sexuada. Órgão vegetativo: é o conjunto de órgãos que garantem o crescimento. Autotrofia: modo de nutrição de um ser vivo que, a partir de um meio puramente mineral, é capaz de fabricar as suas próprias substâncias orgânicas para assegurar o seu crescimento e desenvolvimento. Crescimento: aumento de massa em tamanho de uma célula, de um tecido, de um órgão ou de um organismo. Desenvolvimento: Aperfeiçoamento progressivo de células, tecidos e de órgãos para formar um organismo completo. Diferenciação celular: é o processo e os resultados das modificações celulares durante a transformação, desenvolvimento e maturação celular. Dupla fecundação: fecundação do núcleo principal (n) e do núcleo secundário (2n) contidos no saco embrionário pelo núcleo reprodutivo (n) do grão de pólen. Adubos: Entrada de substâncias minerais ou orgânicas para melhorar a quantidade de nutrientes no solo. Factores de crescimento. São elementos endógenos (genéticos, endócrinas) e exógenos (ambiente, emocional...) que iniciam e mantém os processos de
  81. 81. transformações morfológicas e funcionais e que permitem aos animais crescerem, desenvolverem-se e atingirem uma maturidade fisiológica. Fruto: produto do desenvolvimento do ovário após a fecundação. Estrumação: Técnica de enriquecimento do solo por introdução de substâncias minerais ou orgânicas para melhorar, por vezes, a estrutura e a quantidade de substâncias nutritivas no solo. Germinação: Recuperação do crescimento e do desenvolvimento do embrião após um período de repouso vegetativo chamado de dormência. Hormona: Substância química produzida por células, tecido ou um órgão e transportada pelo sangue, que age sobre um ou muitos outros órgãos. Macroelemento: Substâncias minerais necessárias para as plantas relativamente em grandes quantidades para sua nutrição. Micronutriente: substâncias minerais solicitadas por plantas em quantidades infinitesimais para sua nutrição. Fotossíntese: É o processo que permite às plantas produzirem substâncias orgânicas a partir de substâncias minerais (água, CO2) usando a energia luminosa. Pêlos absorventes. São células superficiais das extremidades da raiz possuindo prolongamentos do seu citoplasma extremamente longos com vários centímetros e servindo para retirar do solo água e substâncias minerais dissolvidas. Regulação: Designa as reacções químicas de construção (Anabolismo) e desintegração (Catabolismo) através das quais a célula transforma e utiliza a energia para se manter, crescer e renovar-se.
  82. 82. Reprodução vegetativa: é um modo de reprodução da planta por fragmentação ou por brotamento. Reprodução sexuada: é o processo e o resultado pelo qual uma espécie se perpetua através da fusão de gâmetas masculinos e femininas, dando nascença a um ovo. Resolução de problemas: é um processo pedagógico de resolução de um problema através de um trabalho individual ou em grupo com orientação fortemente construtivista, ou seja, centrado na aprendizagem. Respiração celular. Um processo bioquímico permitindo às células recuperar a energia a partir de moléculas orgânicas como glúcidos para garantir a sua sobrevivência. Seiva bruta: líquido contendo substâncias minerais dissolvidas, absorvidas pelas raízes da planta e transportadas pelo xilema para as folhas. Seiva elaborada: líquido contendo substâncias orgânicas produzidas pelas folhas e distribuídas pelo floema aos órgãos. Trabalho colaborativo. É uma actividade na qual o estudante realiza, em grupo, um trabalho recorrendo às ferramentas de comunicação à distância. Vilosidades intestinais: São as reentrâncias na forma de dedos de luvas da mucosa e do tecido conjuntivo subjacente que forra a parede do intestino graniza-a e confere à este a possibilidade de amplificar os processos de absorção por aumento da superfície de trocas da célula.
  83. 83. XII. Lista compilada de leituras obrigatórias Leitura # 1: Nutrição mineral das Plantas Referência completa: Excerto do curso de Rémi Rakotondradona Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este curso aborda as características gerais da nutrição vegetal. Contém muitas informações sobre os elementos nutricionais assim como seu metabolismo na célula. A explicação de alguns métodos de determinação. é anunciado de maneira difusa. Justificação A leitura deste documento colocará o estudante na essência das características gerais da maneira como as plantas se nutrem e das disciplinas que intervêm. Servirá como ponto de partida para pesquisas de outras informações que ajudarão a confirmar ou a refutar a hipótese de pesquisa. Leitura # 2: Nutrição de carbono Referência completa: Excerto do curso de Rémi Rakotondradona Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este documento apresenta primeiro o ciclo da matéria, ilustrado pelo do azoto e do carbono. Em seguida, a fotossíntese é explicada com os trabalhos sobre a fase luminosa e a fase escura e os seus diversos produtos. O modo de funcionamento da enzima de absorção do dióxido de carbono é mostrado como condição
  84. 84. importante do desempenho da fotossíntese resultando na categorização das plantas em C3 C4 e CAM. Justificativa Este documento irá ajudar o educando na epistemologia e na escrita de fórmulas. Em particular, o ciclo de Calvin & Benson e deHatch & Slack, respectivamente para a fotossíntese C3 e a fotossíntese C4, que é fácil de entender e lembrar. Leitura # 3: Propagação vegetativa Referência completa: Excerto do curso de Rémi RAKOTONDRADONA Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este extracto do curso ocupa-se da tendência da auto-reprodução das plantas. Ele contém muitas informações sobre os diferentes modos de reprodução assexuada de plantas. A leitura deste documento, pode certamente, ajudar a praticar algumas técnicas de propagação vegetativa. Justificação A leitura deste documento ajudará a compreender melhor os vários modos de reprodução vegetativa das plantas, mas também a dominar as técnicas da sua utilização na vida quotidiana. Além disso, é aconselhável praticarem no vosso jardim ou quintal. Leitura # 4. Reprodução sexuada das Angiospérmicas Referência completa: excerto do curso de Rémi RAKOTONDRADONA Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo
  85. 85. Este documento apresenta a fisiologia da germinação até à maturação dos frutos. Nele encontrará nomeadamente trabalhos, autores e as correntes teóricas, entre outros, os princípios do geotropismo, do fototropismo e das leis de formação dos órgãos. Justificação Este documento ajuda em primeiro ao educando compreender a epistemologia do crescimento das angiospérmicas. Os dados contidos no documento permitirão resumir facilmente por um esquema o ciclo biológico das plantas com flores. Leitura # 5. Factores de crescimento das plantas. Referência completa: excerto do curso de Rémi RAKOTONDRADONA Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este extracto do curso trata de vários factores internos e externos do crescimento das plantas. Os efeitos desses factores sobre a planta são amplamente desenvolvidos. Justificação A leitura deste documento vai ajudar-lhe a melhor entender o papel principal de cada factor como a vernalização, fotoperiodismo e fitohormonas no crescimento e desenvolvimento da planta. É um documento indispensável para trabalhos de pesquisa durante esta aprendizagem. Leitura # 6: Homeostase
  86. 86. Referência completa: Excerto do curso de Rémi RAKOTONDRADONA Universidade de Antananarivo (Madagáscar) Resumo Este texto aborda a Homeostase. Primeiro fala do fenómeno da retroacção (feedback), incluindo as etapas e os diferentes componentes do sistema. Em seguida, o rim e o sistema endócrino. A sua essência é sobre as glândulas endócrinas e o mecanismo de regulação hormonal. Justificação O texto define o conceito de equilíbrio (Homeostase) e oferece boas informações sobre o mecanismo da regulação hormonal. A sua leitura constitui um imperativo para compreender muito facilmente os conhecimentos relativos à regulação hormonal. Ele lhe dará o gosto para obter mais informações. Leitura # 7 Referência completa: M. Leclerc : Homéostasie. http://www.cafe.rapidus.net/mleclerc/biologie/homeostasie.htm Resumo Este documento incita sobre as noções de retroacção (feedback): As retroacções negativas e as retroacções positivas. As informações estão contidas nas memórias indicam o autor: memória genética, memória imunológica, memória nervosa e memória cultural. Termina pelo conceito de comunicação. Justificação
  87. 87. Este documento rico em ilustrações simples é um bom instrumento para compreender e fazer compreender as noções de feedback. A ler obrigatoriamente. Leitura # 8 Referência completa: Lavigne-Rebillard : Homeostase e sistemas de regulação Universidade de Montpellier II http://mon.univ-montp2. fr/L2L3ETM/document/Mireille_LAVIGNEREBILLAR D/ L2S3_Hom%C3%A9ostasie_et_syst%C3%A8mes_de_r%C3%A 9gulation.pdf Resumo Este texto aborda alternadamente a homeostase, os sistemas de regulação (nervosos e endócrino), as analogias e diferenças entre estes dois sistemas antes de se incidir sobre os exemplos de regulação. A título ilustrativo, trata da regulação da pressão arterial e termina pela interdependência dos sistemas nervoso e endócrino. Justificação O texto contém muitas ilustrações, o que facilita muito a compreensão. Constitui certamente um complemento indispensável aos outros textos. A maneira de abordar a regulação é também bastante original. Leitura 9: Respiração celular Referência completa: Extracto de cursos de Rakotondradona Rémi Universidade de Antananarivo
  88. 88. Resumo: O texto trata da respiração celular que compreende a glicólise I, a glicólise II e o ciclo de Krebs. Os locais na célula onde se desenrolam as reacções são bem especificados. Justificação Este documento é bastante original na medida em que mostra e explica de duas maneiras diferentes as etapas das diversas reacções da respiração celular. A primeira abordagem consiste numa vista geral deste fenómeno e o segundo explica os detalhes das reacções.
  89. 89. Leitura #10: Função digestiva Referência completa: Extracto do curso de Rakotondradona Rémi Universidade de Antananarivo Resumo Este curso explica as diversas etapas da digestão que vão da boca até ao jejuno. Além disso as funções de absorção são igualmente detalhadas. Justificação Este curso reforça o domínio da fisiologia animal educandos(as) pois não somente os conceitos já estudadas nas unidades precedentes são outra vez aqui explicados e ilustrado. É o caso do conceito de retrocontrolo negativo com secreção da saliva na boca, a secreção do HCl no estómago e a manutenção da taxa glicemia no sangue.
  90. 90. XII. Lista compilada de recursos multimédia Recurso # 1 Referência completa : Vídeo : A fisiologia vegetal e animal por UVA e Rakotondradona Rémi Resumo Esta sessão vos dá informações relativas ao autor, seu diploma e as suas funções e o módulo de fisiologia. Justificação Esta sessão é muito útil para melhor conhecer o vosso formador e o módulo que vos propõe seguir. Recurso #2 Referência completa: http://www.johnkyrk.com/photosynthesis.fr.html Resumo Este sítio propõe uma animação sobre a fotossíntese. Mostra como os fotões atravessam a clorofila e a maneira como esta é excitada e como por
  91. 91. processos bioquímicos, o resultado se traduz numa síntese orgânica. Destaca também o papel do ATP neste processo. Justificação Esta animação é interessante porque com a série de imagens apresentadas, poderá compreender muito rapidamente o processo da fotossíntese. Um site a visitar.
  92. 92. Recurso #3 Referência completa : http://fr.wikipedia.org/wiki/Croissance_v%C3%A9g%C3%A9tale (Site visitado a 14/04/07 as 17h35) Resumo Este site propõe diversos aspectos do crescimento das plantas. Mas é sobretudo importante notar as numerosas relações que retornam à outros elementos que permitem efectivamente compreender o crescimento. Justificação Este site está em constante evolução. Os temas propostos permitem navegar na Internet facilmente, saindo de um assunto para outro. Recurso # 4 Referência : ROUX, Jean paul: O trabalho em grupo na escola. http://www.cahiers-pedagogiques.com/IMG/pdf/Roux.pdf Resumo
  93. 93. Este documento que se dirige a todos professores, cinge-se nas diligências socioconstructivista e aborda largamente os benefícios do trabalho em grupo dos alunos. Aborda a importância do trabalho em grupo sobre os progressos individuais dos alunos e descreve os princípios que organizam os dispositivos de aprendizagem de tipo socioconstructivista. Justificação Este documento ajudá-los-á a armarem-se moral e pedagogicamente o engajamento em trabalhos de grupo. Propõe exemplos para ilustrar situações vividas e exploráveis.
  94. 94. Recurso # 5 Referência completa : Gilles Furelaud Animação célula animal célula vegetal http://www.snv.jussieu.fr/vie/dossiers/AnVeg/CellAnCellVeg2.html Resumo Trata-se de uma animação que mostra, a partir de um modelo de célula, os elementos constitutivos da célula animal e a célula vegetal. Mostra também o que diferencia no plano anatómico a célula animal da célula vegetal. Justificação Esta animação simplificada dá ideia bastante precisa das unidades estruturais e funcionais que são as células animais e vegetais.
  95. 95. XIV. Lista compilada de links úteis Link # I Referência completa : http://www.snv.jussieu.fr/bmedia/sommaires/pv.htm Resumo Este site da universidade Pierre et Marie Curie (França) propõe um conjunto de temas que tratam da fisiologia vegetal: movimento das plantas, crescimento, gravitropismo. Propõe igualmente trabalhos práticos. Justificação Este site ser-vos -á útil para informações complementares sobre a fisiologia vegetal.
  96. 96. Link # 2 Referência completa : http://www.snv.jussieu.fr/bmedia/cell/index.htm Resumo Este sítio da universidade Pierre et Marie Curie (Paris) propõe informações muito interessantes sobre o crescimento da planta. Nele encontrará nomeadamente capítulos sobre a cinética da acção a curto prazo da auxina e o pH ácido, o papel das ATPases das membranas, as hipóteses sobre a regulação do crescimento, entre outros. Justificação Este site fornece-vos informações complementares que não são necessariamente desenvolvidas nos outros documentos. Deverão indispensavelmente visitar este site que vos será de um grande contributo.
  97. 97. Link # 3 http://www.inrp.fr/Acces/biotic/morpho/html/demarche.htm Resumo Este sítio propõe um conjunto de demarches pedagógicos para apreender a questão do crescimento da planta através de duas grandes partes: a diversidade morfológica dos vegetais e os processos biológicos que controlam o fenótipo da planta. Propõe vários envios sobre textos (meristema) ou imagens (divisão celular). Justificação A abordagem pedagógica proposta neste texto bem como as informações que são apresentadas, justificam largamente que visite este site.
  98. 98. Link # 4 Referência completa: http://www2.unil.ch/lpc/images/docu04/illustr_hormones.htm Resumo Este sítio da Universidade de Lausana apresenta o papel das hormonas no crescimento das plantas, nomeadamente da auxina, as citoquininas, as giberelinas, o etileno, o ácido abscisico… Descreve também os tropismos, os movimentos e a orientação no espaço, a floração e a reprodução sexuada e tanto outros temas. Justificação A fonte de informação fornecida por este site sobre o crescimento e o desenvolvimento das plantas permitir-vos -á abraçar um grande leque de conhecimentos sobre este tema. Um site a visitar indispensavelmente.
  99. 99. Link # 5 Referência completa : http://fr.wikibooks.org/wiki/Les_principales_voies_du_m%C3%A9tabolis me (Site visitado a: 02 /04/07 as 12 h 35) Resumo O texto aborda a evolução dos nutrimentos antes de definir o conceito de energia. Uma boa parte é consagrada ao metabolismo dos glúcidos, os aminoácidos e os lípidos. A pergunta das enzimas e coenzimas também é desenvolvida. Justificação Este documento está escrito num estilo simples é extremamente interessante para uma apropriação rápida do conceito de metabolismo. Numerosas relações também são estabelecidas que retornam a outros conceitos
  100. 100. Link # 6 Referência completa : Metabolismo Laurent DELEPINE (Jan 2001) : http://webiologie.free.fr/cellules/metabolisme/reactions.html Resumo Os documentos introduzidos sobre o metabolismo antes de abordar os temas que permitem compreender melhor, nomeadamente, as reacções enzimáticas, Glicólise anaeróbica, ciclo de Krebs e a cadeia respiratória. Vários diagramas ilustrativos das reacções metabólicas são integrados no texto o que torna mais fácil a compreensão. Justificativa
  101. 101. Este texto ajudar-lhe-á a familiarizar-se com os mecanismos das reacções bioquímicas que decorrem durante o metabolismo. Vai também ajudar-lhe a apropriar-se de alguns conceitos essenciais para compreensão do metabolismo.
  102. 102. Link # 7. Referência completa Resumo Este texto, depois de ter definido o sistema endócrino, passa em revista as várias glândulas endócrinas: a hipófise com o controle das secreções, as glândulas supra-renais, medula-suprarenal, corticosuprarenal, tiróide, ovários, etc. assim como outros tecidos, com função endócrina como a placenta, rins, coração. Ele aborda, entre outros, a regulação hormonal, ciclo endócrino, os problemas do sistema endócrino. Justificativa Este documento é muito importante para a compreensão da endocrinologia. Ele irá ajudá-lhe bastante a entender as relações hormonais e a importância da regulação hormonal no funcionamento normal do organismo.
  103. 103. XV. Resumo do módulo O módulo "fisiologia vegetal e animal" estuda a vida das plantas e dos animais na sua dimensão funcional, tendo em conta os aspectos estruturais. A primeira parte do módulo aborda a nutrição de carbono e mineral (Unidade 1) e o crescimento e desenvolvimento das plantas (Unidade 2). Após esta primeira parte, os educandos (as) compreenderam que os vegetais são primeiro autotróficos, ou seja, que a partir de um meio puramente inorgânico são capazes de fabricar suas próprias substâncias orgânicas para garantir o seu crescimento e desenvolvimento. Essa capacidade é devido à fotossíntese, processo que usa a energia luminosa. Em seguida alimentam-se de substâncias inorgânicas dissolvidas, não têm órgãos para digerir as grandes moléculas No modo de reprodução, as plantas são antes doptados de uma reprodução vegetativa. A sua reprodução sexuada é caracterizada por dupla fecundação dando um fruto com uma semente diplóide e uma polpa triplóide. No fim, desta primeira parte, os educandos terão não somente adquirido o saber, saber fazer e saber estar no diferente mundo vegetal mas, também a faculdade de realizar em conjunto trabalhos, recorrendo às ferramentas de comunicação à distância. Quanto à segunda parte, trata da fisiologia dos principais sistemas ou órgãos do organismo animal (Unidade 3) e o estudo comparativo entre a fisiologia animal e a fisiologia vegetal (Unidade 4). No início desta segunda parte, os educandos perceberam imediatamente que o princípio de base da vida das plantas e animais é semelhante mas, o seu modo de vida é diferente. Em seguida, os educandos constataram que o modo de vida dos animais é mais evoluído que o das plantas. Os animais desenvolveram a homeostase, que consiste em manter seu ambiente interno constante, não obstante as mudanças das condições do meio externo. A homeostase é possível graças aos diversos sistemas de controlo características do mundo animal.
  104. 104. Este módulo ajudou-lhe a ter domínio na disciplina de Fisiologia através do realce às semelhanças e diferenças entre o mundo vegetal e o mundo animal. Além disso, este módulo levou-lhe à iniciação de uma abordagem pedagógica que assente na implementação de elementos para solucionar um dado problema, que implica um trabalho individual ou em equipa, orientado principalmente no construtivismo, ou seja, centrado na aprendizagem. Para terminar, uma avaliação sumativa foi dada para permitir-vos reflectir sobre os sucessos e lacunas do vosso conhecimento sobre a Fisiologia.

×