O jornalismo comunitário aula 3

996 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
996
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O jornalismo comunitário aula 3

  1. 1. O JORNALISMO COMUNITÁRIO AULA 3 – OFICINA DE TEXTO III
  2. 2. O ENGAJAMENTO SOCIAL E POLÍTICO• O jornalismo comunitário tanto quanto o jornalismo alternativo apresentam-se na atualidade como um caminho para profissionais trabalhares mais livremente, não sendo obrigados a seguirem a linha ideológica da empresa jornalística. Essa forma de jornalismo dá ao profissional a liberdade perdida com a industrialização da notícia.• Para Eco (1984) quem controla os meios de comunicação controla o país, portanto, é nítido que o jornalismo não pertence aos jornalistas, mas sim aos patrões que são os donos dos jornais e que acabam na maioria das vezes por dar a palavra final e defenderem a elite e não o povo.
  3. 3. O ENGAJAMENTO SOCIAL E POLÍTICO• Portanto, o jornalismo comunitário apresenta-se como um espaço para o debate de questões de interesses diferentes dos grandes veículos de comunicação e o profissional quando atua nessa área acaba por ter a oportunidade de debater assuntos de interesse da comunidade, mas que não teria espaço na grande imprensa, sendo assim, ele pode discutir e aprofundar o fato.• O jornalismo comunitário divide uma linha tênue entre o jornalista e o militante de uma causa, portanto, grande parte dos profissionais envolvidos com esses veículos de comunicação também atua na luta por uma causa
  4. 4. Informação com ênfase em problemas locais• As pautas do jornalismo comunitário diferem-se das pautas dos grandes veículos de comunicação, pois no jornalismo comunitário as questões são discutidas no micro e não no macro. Temas que muitas vezes só interessam àquela comunidade e não teriam espaço em outros tipos de veículos de comunicação que tenham por princípio a comunidade. Isso se deve ao fato que o jornalismo comunitário geralmente está ligado a uma zona geográfica delimitada e na maioria dos casos não é muito grande, portanto, a cobertura dos fatos gera em cima de acontecimentos da região e faz com que a população se veja refletida nos acontecimentos locais• No jornalismo comunitário o mais importante é a contextualização do fato, ou seja, ele não traz só a notícia, mas diz o porque e como isso aconteceu. Além disso, o enfoque não busca mostrar as coisas ruins do lugar mas sim valorizar a cultura local.
  5. 5. Jornalismo e comunidade: via de mão dupla• Portanto, torna-se necessário que o jornal para atender a determinada comunidade e ser reconhecido por ela pautem as questões de interesse dela, valorizando a cultura local e as particularidades da região.• Entretanto, isso só não é o suficiente, um jornal para ser na sua essência comunitário precisa ter a participação da comunidade. Seria interessante se o jornal comunitário fosse feito totalmente pelos moradores da região, entretanto, como afirma Peruzzo (1998), esse nível de participação é muito difícil de ser alcançado. Mas para a construção da verdadeira comunicação comunitária ele deve ser perseguido a todo custo, incentivando os membros da comunidade a interagir o máximo possível na produção do jornal, para que eles deixem de ser somente receptores da mensagem e cheguem a ser os produtores dela.
  6. 6. FONTE• FREITAS, V. O papel social do jornalismo comunitário: Um estudo do Jornal Cantareira. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/freitas-viviane- papel-social-do-jornalismo-comunitario.pdf

×