Manual de Boas Práticas do Uso de Multimídia - Canal Futura - V.3

580 visualizações

Publicada em

Este manual foi desenvolvido para o Canal Futura com o objetivo de ajudar os profissionais, dos diversos departamentos, a utilizar de forma produtiva os ativos multimídia do canal em suas plataformas online.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
580
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual de Boas Práticas do Uso de Multimídia - Canal Futura - V.3

  1. 1. Manual de Boas Práticas de uso de Multimídia Canal Futura ManualiMPRESSAO.indd 1 13/02/2014 14:26:21
  2. 2. SOBRE O MANUAL DE BOAS PRÁTICAS Este manual tem como objetivo orientar o uso de conteúdo multimídia no Portal Futura, visando aumentar a relevância do Canal Futura nos meios digitais, considerando as tendências sociais, comportamentais e tecnológicas. Nas próximas páginas será demonstrado como adequar os conteúdos, aproveitando as características de cada tipo de mídia. ManualiMPRESSAO.indd 2 13/02/2014 14:26:21
  3. 3. SUMÁRIO: . USO DE IMAGENS . USO DE IMAGENS - nome do arquivo - uso de atributos alt e title - dimensões do arquivo . USO DE ÁUDIO . USO DE PDFS E EBOOKS . USO DE VÍDEOS - título - tags - miniaturas - uso de anotações - otimização do canal . COMO ATINGIR OS PÚBLICOS ALVO - Youtube Analytics - Visualizações - Envolvimento . RESUMO 4 13 19 25 41 53 ManualiMPRESSAO.indd 3 13/02/2014 14:26:21
  4. 4. USO DE IMAGENS ManualiMPRESSAO.indd 4 13/02/2014 14:26:22
  5. 5. 03 Atualmente o Google é o maior mecanismo de buscas do mundo. Não es- tar indexado em seus resultados é como não existir na Internet. Com informações fornecidas pelo próprio Google (http://goo.gl/1VNs0H), este manual visa melhorar o posicionamento dos conteúdos do Futura nos re- sultados de busca. Desse modo, é possível gerar crescimento no número de visitantes e de visualizações. É possível agregar valor estratégico às imagens do portal, em vez de usá- -las como simples ilustrações. Para isso, é preciso tomar alguns cuidados. NOME DO ARQUIVO O nome do arquivo é parte fundamental da imagem. Elas não devem ter um título genérico como “DSC-001.05092013.jpg”, mas nomes que descrevam o conteúdo da imagem. Todos os fragmentos de texto associados às imagens ajudam o Google a identificá-las da melhor forma nas buscas. ManualiMPRESSAO.indd 5 13/02/2014 14:26:22
  6. 6. 04 Exemplo: em uma busca pelo termo “Canal Futura” temos como resulta- do arquivos diversos, alguns com o logo do Canal descritos do seguinte modo: - Futura.jpg - canal-futura.jpg - futura.gif - Futura_3D_40cm_150.jpg - logo_futura.jpg - Futura%255B1%255D.jpg - Futura-34.jpg - 1301633_300.jpg - 25e4e938f8a93a8e7b8dfa65df62b6ac.png - logo-canal-futura.jpg - hqdefault.jpg - Canal-Futura.jpg Idealmente, as imagens devem ter nomes descritivos Ao adicionar uma imagem ao Portal Futura, o sistema criará um link para ela, que receberá parte do nome do arquivo original. Por isso, utilize palavras-chave, sem acentos, que ajudem a entender do que se trata aquela figura. Se for utilizar mais de uma palavra, utilize hífen ( - ) em vez de underline. Exemplo: “logo-canal-futura- -15-anos.png” TAGS ALT E TITLE Não é apenas o título que é importante na otimização de imagens. É fun- damental que os atributos ALT e TITLE estejam adequadamente configurados. <img src=”http://www.brandonsbaseballcards.com/img/2008-world-series- baseball.jpg” alt=”2008 Signed World Series Baseball” /> Acima, exemplo do atributo ALT aplicado a uma imagem ManualiMPRESSAO.indd 6 13/02/2014 14:26:23
  7. 7. 05 O atributo “alt” permite especificar um texto alternativo para a imagem, caso ela não possa ser exibida por alguma razão. 2008 Signed World Series Baseball Pictured above is a baseball signed by the winning team of the 2008 World Series. This is a great collectible for all fans. Acima, uma imagem que não carregou com o atributo ALT ajustado corretamente. Todas as imagens podem ter um nome de arquivo e atributo “alt” (alterna- tivo) únicos. Por exemplo, se uma imagem tem o nome de arquivo “logo-canal- -futura-15-anos.png”, e ela está em uma página que fala sobre o aniversário do Canal, pode-se usar como ALT um texto como “Logo Comemorativo dos 15 anos do Canal Futura”. POR QUE UTILIZAR ESTE ATRIBUTO? Se um usuário estiver visualizando o site em um navegador que não su- porta imagens ou utilizando tecnologias alternativas como leitor de telas (para deficientes visuais), o conteúdo do atributo ALT fornecerá informações sobre a imagem. Caso você esteja usando uma imagem como link, o texto alternativo será tratado de maneira similar ao texto âncora de um link de texto. No entanto, não ManualiMPRESSAO.indd 7 13/02/2014 14:26:23
  8. 8. 06 é recomendado utilizar muitos links de imagens na navegação de seu site, onde o uso de texto é possível. Otimizar o nome da imagem e o atributo “ALT” torna mais fácil para mecanismos de pesquisa de imagens compreender seus arqui- vos. O ideal é que os nomes no atributo ALT seja curto e descritivo. O que se deve evitar: • utilizar nomes genéricos como “imagem1.jpg”, “foto.gif”, “1.jpg” quando possível • escrever nomes extremamente longos • preencher o atributo “ALT” com palavras-chave demais ou copiar e colar frases inteiras • atributos “ALT” excessivamente longos que podem ser considerados spam • utilizar apenas imagens como links de navegação O complemento do ALT é o TITLE. Através dele podemos usar quantos ca- racteres forem necessários para descrever a imagem – embora não seja aconse- lhável escrever textos longos. O Title é o título daquela foto, uma descrição mais detalhada, diferente do title, que é um texto alternativo à imagem (ou a própria imagem em texto). Use-o com palavras-chave, sem exageros. É o title também que gera o “tooltip”, a caixinha que aparece quando se pousa o mouse em cima de uma imagem. Exemplo de Tooltip gerado a partir do TITLE ManualiMPRESSAO.indd 8 13/02/2014 14:26:24
  9. 9. Exemplo: Nome do arquivo: logo-canal-futura-15-anos.png ALT: Logo Comemorativo dos 15 anos do Canal Futura TITLE: O Canal Futura está comemorando 15 anos e você é nosso convidado! A inserção de conteúdo logo abaixo e acima de sua imagem contendo pa- lavras-chave relacionadas a suas tags ALT e TITLE é de grande importância para uma maior relevância entre imagem, conteúdo na página e ranking na busca por imagens. DIMENSÕES DO ARQUIVO É fundamental usar tamanhos de imagem que garantam qualidade na visualização e sejam de rápido carregamento, pois, em geral, o usuário não espera por uma imagem que não carrega. É preciso lembrar que a qualidade e velocidade das conexões no Brasil ainda são pequenas. Sendo assim, mantenha a máxima qualidade possível com o menor tamanho possível. Além disso, dê preferência aos formatos padrão: jpg, gif, bmp e png. Proporção: As imagens usadas no novo Portal Futura terão variações de proporção e, com isso, a forma como ocorre o corte das imagens pode variar. Sendo assim, é importante que se atente aos possíveis cortes das imagens que estiverem fora das proporções adequadas. 07 ManualiMPRESSAO.indd 9 13/02/2014 14:26:24
  10. 10. RECORTE DE IMAGENS FORA DA PROPORÇÃO RECORTE DE IMAGENS DENTRO DA PROPORÇÃO 08 ManualiMPRESSAO.indd 10 13/02/2014 14:26:25
  11. 11. Conforme pode ser visto na última imagem, se a figura estiver dentro das proporções adequadas, ela será automaticamente redimensionada, em vez de ser cortada. No caso do WordPress, a tela de mídia é apresentada como a imagem abaixo: Na tela acima, podemos ver o campo “Título”, onde devemos colocar o texto que aparecerá na tag “TITLE”. Abaixo deste campo, temos o “Texto Alter- nativo” (Tag “ALT”). 09 ManualiMPRESSAO.indd 11 13/02/2014 14:26:25
  12. 12. 10 FONTES: http://www.seomaster.com.br/blog/post/otimizacao-de-imagens http://www.agenciamestre.com/seo/otimizacao-de-imagens-qual-me- lhor-caminho-seguir http://pt.wix.com/blog/2013/03/seo-para-imagens-o-que-e-isso/ http://imasters.com.br/analytics/7-dicas-para-otimizar-as-imagens-do- -seu-site-e-ganhar-mais-trafego/ https://static.googleusercontent.com/external_content/untrusted_dlcp/ www.google.com/pt-BR//intl/pt-BR/webmasters/docs/guia-otimizacao-para- -mecanismos-de-pesquisa-pt-br.pdf ManualiMPRESSAO.indd 12 13/02/2014 14:26:25
  13. 13. USO DE AÚDIO ManualiMPRESSAO.indd 13 13/02/2014 14:26:25
  14. 14. Seguindo um padrão, é possível publicar podcasts, entrevistas, leituras e outros aquivos em formato de áudio no novo site Futura. Sugere-se o uso da plataforma SoundCloud, por ser uma plataforma de compartilhamento de áudio já consolidada e que permite compartilhamento so- cial. O serviço permite comentários sobre o conteúdo, que geram buzz e permi- tem interagir com o público, compreendendo o feedback dos usuários e fazendo ajustes de conteúdo. No Soundcloud é possível fazer uploads de arquivos de áudio, que ficam disponíveis globalmente e permitem a criação de uma grande plataforma de dis- tribuição de conteúdo em áudio. Os visitantes podem fazer comentários e gerar valor agregado ao conteúdo através da possibilidade de comentários com links. Acima, tela do Soundcloud. Também é possível uma ampla gama de interações junto ao público: • Curtir: O Soundcloud permite ao visitante “curtir” o conteúdo e, depen- dendo das configurações do usuário, essa ação se reflete na timeline do seu Facebook, ajudando a aumentar o alcance do conteúdo. 12 ManualiMPRESSAO.indd 14 13/02/2014 14:26:26
  15. 15. • Repost: Os usuários podem “compartilhar” o conteúdo em suas próprias contas, fazendo a repostagem do mesmo. • Add to Set: Os usuários podem “guardar” as postagens em listas, facili- tando a organização e a filtragem destes conteúdo por parte dos usuários, per- mitindo, por exemplo, que organizem os áudios por temas. • Share: Permite que os usuários compartilhem o áudio em outras redes sociais, como Facebook, Google+ e Twitter. Além disso, permite que os usuários embedem o áudio em seus próprios sites ou blogs, permitindo que o material possa ser ainda mais compartilhado. • Metadados: Ao “subir” um áudio, diversar opções de metadados serão apresentadas, possibilitando um bom trabalho de otimização do conteúdo, rela- tivo às palavras chave do Portal Futura. 13 ManualiMPRESSAO.indd 15 13/02/2014 14:26:26
  16. 16. • Download: É possível permitir (ou não) que o usuário baixe o áudio para ouví-lo offline. Esse recurso pode ser utilizado, por exemplo, para permitir que educadores que estão em localidades onde o acesso à internet é precário pos- sam baixar os programas para usar em sala de aula. • Title: Aqui, deve ser colocado o título do arquivo de áudio. Lembre-se de que este título será usado pelos seus visitantes para identificar o conteúdo, ser- virá de base para a indexação no Google (conforme figura abaixo) e permitirá que outras pessoas encontrem o conteúdo com facilidade. Este título deve ser cativante, aderente ao conteúdo e chamar a atenção. Um bom título pode atrair milhares de ouvintes para seu episódio. • Permalink: O permalink é a URL do arquivo. Ela é tão importante quanto o nome do arquivo em si e deve respeitar as mesmas diretrizes dos arquivos de imagem: - Os nomes devem conter palavras chaves relevantes para o arquivo Ex.: http://soundcloud.com/canalfutura/alergias-alimentares-como-tratar-jor- nal-futura - As palavras chaves tem que vir antes do branding - Primeiro palavras relacio- nadas ao conteúdo, depois ao programa em que ele foi exibido ou produzido, como no exemplo acima 14 ManualiMPRESSAO.indd 16 13/02/2014 14:26:26
  17. 17. - As palavras não devem conter acentos e devem ser separadas por traços. O tamanho total da URL não deve ultrapassar 150 caracteres. • Image: Uma “capa” para o episódio. Recomenda-se que seja uma ima- gem relevante, criada exclusivamente para cada arquivo único, como no exem- plo abaixo: • Description: A Descrição do arquivo. Aqui deve-se usar todas as palavras chave relevantes para o arquivo. Aqui pode-se, inclusive, criar descrições com padrões de “assinatura”, que irá variar de programa para programa, de episódio para episódio. • Type: Tipo de arquivo. Podcast, entrevista, vinheta, etc. • Genre: Gênero. Geralmente usado com música. • Tags: As tags são palavras chave usadas para qualificar ou organizar me- lhor os conteúdos. Elas são responsáveis pela taxonomia do conteúdo e devem ser descritivas e capazes de definir com o máximo de detalhes o conteúdo. • Metadados adicionais: Caso o áudio seja parte de uma obra musical, ainda pode-se informar de qual álbum ela faz parte, qual é a data de lança- mento, além de outros dados exclusivos para faixas de áudio. Além disso, se o podcast fizer parte de um conjunto maior, que inclua, por exemplo, um vídeo no Youtube, o link pode ser colocado aqui e o vídeo será anexado à página do áudio. • Selected License: Aqui pode-se definir as atribuições de licença do con- teúdo postado. Pode-se reservar todos os direitos da obra ou liberá-la pela licen- ça Creative Commons, por exemplo. 15 ManualiMPRESSAO.indd 17 13/02/2014 14:26:26
  18. 18. 16 ManualiMPRESSAO.indd 18 13/02/2014 14:26:27
  19. 19. USO DE PDF’S E EBOOK’S ManualiMPRESSAO.indd 19 13/02/2014 14:26:27
  20. 20. Esta parte do manual de boas práticas tem como objetivo orientar a pu- blicação, edição e otimização de conteúdos em formato PDF e eBooks no site Futura. Os mecanismos de busca podem indexar arquivos PDF da mesma forma que fazem com páginas HTML. Isso pode ajudar a melhorar o posicionamento do site através destes aquivos, de forma a produzir melhores resultados na busca. USE PDF’S BASEADOS EM TEXTO (STREAMLINED) Os mecanismos de busca entendem o texto de forma muito mais simples do que as imagens. Sendo assim, as palavras do arquivo PDF devem ser texto copiável (texto plano - streamlined) e não imagens de palavras. Isso pode aju- dar a melhorar o posicionamento da página onde estiver postado. AJUSTE CORRETAMENTE O TÍTULO E AS TAGS DO SEU PDF As tags de identificação de arquivos são importantes índices de posiciona- mento no Google. É importante que no documento PDF, assim como nos demais arquivos de mídia, o título seja adequadamente ajustado, assim como as tags, para aumentar a capacidade de indexação do documento. Praticamente todos os programas de criação de PDFs suportam estas funcionalidades. Lembre-se: Utili- ze corretamente suas palavras chave e otimize os títulos dos seus documentos. 18 ManualiMPRESSAO.indd 20 13/02/2014 14:26:27
  21. 21. UTILIZE CORRETAMENTE RECURSOS NOME DE ARQUIVO E URL Normalmente, o nome do arquivo PDF torna-se parte da URL. Sendo as- sim, dê ao arquivo PDF um nome rico em palavras chave, fácil de lembrar e de entender. Em geral os mecanismos de busca usam o nome do arquivo/URL como fragmento quando o título não está preenchido. Além disso, alguns criadores de conteúdo mantém os arquivos com um nome padrão. Sendo assim, otimize o arquivo com um título e um nome de arquivo descritivo. Veja o exemplo abaixo: O nome do arquivo não diz nada sobre seu conteú- do, a descrição do arquivo não foi adequadamente criada e não é possível saver do que se trata antes de abrí-lo. TRABALHE O SEO DE FORMA INTELIGENTE Mantenha seus títulos, tags e nomes de arquivo/URL descritivos e semân- ticos. Além de ajudar os buscadores a encontrar estes conteúdos, é uma boa prática de SEO. Usar esses recursos de SEO em arquivos PDF podem ajudar o conteúdo a ter muito mais visitas e downloads. Essas boas práticas incluem: • Links internos no site que conduz à página onde é possível fazer o down- load do PDF. Também é uma boa prática criar links DENTRO do arquivo PDF para páginas do Portal Futura, caso ela seja relevante para o conteúdo. Isso ajudará a construir de forma mais sólida a relação entre os conteúdos e facilita para que o usuário não tenha que copiar todos os links do PDF para acessar outras páginas do Portal • Boa seleção de palavras chave • Palavras chave no corpo do PDF 19 ManualiMPRESSAO.indd 21 13/02/2014 14:26:27
  22. 22. • Otimização das Imagens do PDF (nota: é possível configurar atributos ALT para as imagens em muitas ferramentas de edição de PDFs) • Otimização HUMANA (Quem faz bom conteúdo, faz bom SEO) MANTENHA SEU ARQUIVO LEVE Arquivos “pesados” demoram para carregar e para serem baixados. isso afeta negativamente experiência do usuário e a indexação dos mecanismos de busca. A Adobe (e várias ferramentas de produção de PDF) possue a função de “Otimização de PDF” que permite que se reduza o tamanho final dos arquivos. Para saber mais sobre como otimizar conteúdo em PDF, clique neste link. EVITE CONTEÚDO DUPLICADO Ter versões HTML e PDF do mesmo conteúdo pode ser uma escolha sábia em algumas situações. Mesmo assim, é importante que se tome medidas para evitar problemas com conteúdo duplicado. É importante ter em mente que, caso você resolva atualizar o PDF, é importante usar o mesmo nome e colocar o arquivo no mesmo lugar do anterior. Isso evita que se mude a URL (o que cau- saria erros nos links que apontassem para este arquivo) AJUSTE AS DEMAIS INFORMAÇÕES DO PDF Agora que título, nome do arquivo e URL já foram ajustados, é interessante ajustar também os outros atributos do arquivo, como Autor, Assunto, e palavras chave. Referências indicam que o campo “Assunto” nas propriedades do PDF se tornam o Meta Description do arquivo quando ele é exibido no buscador. 20 ManualiMPRESSAO.indd 22 13/02/2014 14:26:28
  23. 23. NÃO SALVE O SEU ARQUIVO PDF COMO A ÚLTIMA VERSÃO DO ACROBAT Muitos leitores não possuem a última versão do Acrobat Reader, e nem sem- pre seu usuário vai se sentir motivado o suficiente para baixar e instalar o leitor mais recente. Sendo assim, é melhor salvar o arquivo sempre numa versão an- terior do formato, garantindo assim que você atingirá mais leitores. PROTEJA SEUS ARQUIVOS CONTRA ESCRITA NÃO AUTORIZADA Se você não proteger seu arquivo, corre o risco de seu arquivo ser modi- ficado maliciosamente e redistribuído, através de canais não oficiais, fazendo com que as pessoas baixem o conteúdo pela credibilidade no Futura, mas sejam infectados por mecanismos maliciosos que podem causar prejuízos à imagem da empresa. Resumindo: • Sempre use PDF´s baseados em texto (streamlined) • Ajuste o título do PDF nas propriedades do Documento • Coloque um nome de arquivo/URL que seja amigável do ponto de vista de SEO • Pense sempre em fazer SEO, mesmo dentro do PDF • Mantenha o arquivo LEVE • Evite conteúdo duplicado • Ajuste as outras propriedades do PDF • Não salve seu arquivo PDF com a última versão do ACROBAT • Proteja seus documentos contra escrita para evitar alterações não oficiais 21 ManualiMPRESSAO.indd 23 13/02/2014 14:26:28
  24. 24. Fontes: http://www.lunametrics.com/blog/2013/01/10/seo-pdfs/ http://blog.hubspot.com/blog/tabid/6307/bid/28898/How-to-Optimize-a- -PDF-for-Search.aspx http://acrobatusers.com/tutorials/how-to-optimize-a-pdf-file-for-seo http://www.searchenginejournal.com/8-tips-to-make-your-pdf-page-seo- -friendly-by/59975/ 22 ManualiMPRESSAO.indd 24 13/02/2014 14:26:28
  25. 25. USO DE VÍDEOS (YOUTUBE)* ManualiMPRESSAO.indd 25 13/02/2014 14:26:28
  26. 26. *Informações fornecidas pela equipe de conteúdo do Youtube (https://www.youtube.com/ yt/playbook/pt-BR/optimization.html), visando aumentar as visualizações e melhorar a indexa- ção do material multimídia lá postado. O YouTube é o segundo maior mecanismo de pesquisa do mundo. Ele se utiliza de “metadados” para indexar os seus vídeos: sem eles seria muito mais difícil encontrar qualquer coisa dentro do Youtube. Esses metadados são a “em- balagem” dos vídeos, e são usados pelo site para localizar qualquer coisa. Sendo assim, quanto mais estes metadados estiverem de acordo com sua estratégia de publicação, mais fácil as pessoas encontrarão o seu conteúdo. Os metadados, que incluem o título, as tags e a descrição do vídeo, são fundamentais para indexar os vídeos de forma apropriada. Caso os metadados estejam corretos e otmizados, isso irá maximizar sua presença na pesquisa, na promoção, nos vídeos sugeridos e na veiculação de anúncios. O uso adequado de palavras chave na descrição relacionadas ao conteúdo do vídeo aumenta a probabilidade de que o vídeo seja localizado pelos usuários, e, com isso, gera aumento de tráfego oriundo da pesquisa, mais visualizações, etc. TÍTULO O Título é a isca do vídeo. Ele é um dos metadados mais significativos. Através dele, os usuários farão seu primeiro “julgamento” sobre a relevância do conteúdo do vídeo. Por isso, é importante que ele seja atraente. O título deve representar seu conteúdo com precisão. As palavras-chave devem vir primeiro, e o branding depois (Ex: O título “Jornal Futura 23/09/2013 - Alergia Alimentar” poderia ser otimizado para “Saiba mais sobre Alergia Ali- mentar - Jornal Futura - Canal Futura - 20130923.01”) - Obs: O formato de data utilizado aqui ajuda o usuário a encontrar as outras partes do vídeo com facilida- de, mas também pode-se usar o formato padrão “23/09/2013 – Parte 01” Deve-se evitar títulos que não deixem claro do que se trata o vídeo. Títulos 24 ManualiMPRESSAO.indd 26 13/02/2014 14:26:29
  27. 27. como “Jornal Futura” não ajudam a atrair o público porque não informam. Se o título do vídeo não informa, ou informa de forma dúbia ou equivocada, trará desistências nos primeiros segundos do vídeo e impactará negativamente o tempo de exibição do vídeo. TAGS As tags são palavras-chave descritivas que ajudam os usuários a encontrar um vídeo. São como etiquetas para ampliar o poder do título e facilitar ainda mais sua descoberta em meio a tantos conteúdos. É importante ter conjuntos- -padrão de tags que sejam adequadas ao canal, às diversas playlists e aos pro- gramas individuais. No exemplo o Jornal Futura usado anteriormente, poderíamos ter as se- guintes tags: canal futura, jornalismo, jornal futura, alimentos, saúde, alimentação, doenças, alergias e quaisquer outras tags que consigam des- crever de forma global o que o vídeo tem para apresentar. Quanto mais tags relevantes, mais fácil para o espectador encontrar conteúdo útil para ele. Cada tag deve ter no máximo 30 caracteres, e a quantidade total de tags tam- bém é contada pelos caracteres que cada uma ocupa, tendo um limite de 500 caracteres (incluindo separadores). É importante que sejam usadas tags gerais e específicas. Deve-se usar tan- tas tags quantas forem suficientes para descrever com precisão o conteúdo dos vídeos. Recomenda-se acompanhar as tendências (google.com/trends) e alterar as tags de acordo com elas para atrair mais visualizações. Por exemplo, se o as- sunto “dietas com frutas” estiver em alta. e houver conteúdo relacionado, pode- ria-se inserir estas tags para melhorar a visibilidade dos vídeos. As tags podem ser alteradas sem prejuízo do posicionamento do vídeo. É boa prática, também, incluir palavras-chave do título do vídeo nas tags. Atualizar os metadados de vídeos antigos é uma boa prática para aumentar as visualizações, mesmo que o vídeo tenha sido publicado há muito tempo. 25 ManualiMPRESSAO.indd 27 13/02/2014 14:26:29
  28. 28. DESCRIÇÃO Nos resultados de pesquisa, apenas as primeiras frases da descrição apa- recerão (ou acima da dobra na página de exibição), então, é preciso atenção especial. É importante manter um padrão para todas as descrições de vídeo a fim de manter a consistência. Idealmente, a descrição de um vídeo deve descrever com precisão seu vídeo em uma ou duas frases concisas. Depois, é importante que haja uma descrição do canal, com um link para o perfil do Canal. Também é fundamental que na descrição haja um “call-to-action” que incentive as pessoas a assinar o canal. Também é bastante efetivo colocar um link para a lista de reprodução relaciona- da e incluir links para o Portal Futura, assim como para as redes sociais do canal. Dicas relacionadas à descrição do vídeo: • Dê destaque especial aos links para os outros canais digitais do Futura. Além disso, é bastante efetivo citar outros usuários que possam ter participado do vídeo. • É interessante incluir o cronograma de lançamentos do canal. • Se o conteúdo for longo, inclua links para códigos de tempo no vídeo faci- litando aos espectadores encontrar partes-chave do conteúdo. OTIMIZAÇÃO DE MINIATURAS As miniaturas são as “fotos publicitárias” do vídeo. O objetivo é que elas comuniquem ido que se trata o conteúdo. As miniaturas são um valioso recurso para a captação de novas visualizações. Pode ser o caso de criar novas miniaturas, personalizadas, com artes espe- cíficas, para ajudar a destacar determinados programas aos quais se queira dar destaque. Essas miniaturas personalizadas podem ajudar a aumentar as visua- lizações e compartilhamentos. 26 ManualiMPRESSAO.indd 28 13/02/2014 14:26:29
  29. 29. Crie miniaturas personalizadas de alta qualidade para seus vídeos que representem precisamente o conteúdo. Miniaturas funcionam como pe- quenos anúncios para seus vídeos, atraindo espectadores para o conteúdo e induzindo-os a clicar nele. Elabore e atualize as miniaturas personalizadas de vídeos novos. Atualize as miniaturas de vídeos arquivados , Tráfego de pesquisa, Visualizações, Tráfego de vídeo sugerido Miniaturas aparecem em tamanhos e formatos diferentes em toda a plataforma, assim como fora dela. Você deve ter uma imagem forte e vibrante para a exibição, não importa o tamanho. Diretrizes visuais: • Claro, em foco, alta resolução (640 px x 360 px mín., 16:9 taxa de pro- porção) • Com brilho, contraste alto • Closes fechados de rostos • Imagens visualmente atraentes • Bem focadas, com boa composição • O objeto à frente se destaca do plano de fundo Boa aparência em tama- nhos pequenos e grandes • Representa o conteúdo com precisão Diretrizes Gerais • Ao filmar, tire fotos que se tornarão ótimas miniaturas • Sempre envie as miniaturas personalizadas com o arquivo de vídeo • A miniatura não deve ser sexualmente provocativa • Envie miniaturas de alta definição para que apareçam nítidas e precisas onde quer que os espectadores as vejam. 27 ManualiMPRESSAO.indd 29 13/02/2014 14:26:29
  30. 30. Exemplos de veiculações da “Página de exibição” • Vídeos sugeridos: gerados por algoritmos pelo YouTube • Tela final do vídeo: gerado por algoritmos pelo YouTube • Respostas em vídeo: gerado pelo criador • Painel deslizante de listas de reprodução: ao assistir no modo lista de re- produção, os vídeos aparecem ao lado do player de vídeo VEICULAÇÕES “PÁGINA DO CANAL” As listas de reprodução são mostradas na coluna da direita e na guia de ví- deos. As miniaturas da guia “Vídeos em destaque” são muito maiores do que em qualquer outra área do site. VEICULAÇÃO “VÍDEO SUGERIDO” As miniaturas aparecem na coluna da direita, onde vídeos adicionais são recomendados. O GUIA E O FEED DE CANAIS O ícone do canal aparece em destaque no guia. As miniaturas aparecem nos feeds de inscritos quando novos vídeos são enviados ou listas de reprodução são criadas. 28 ManualiMPRESSAO.indd 30 13/02/2014 14:26:29
  31. 31. PESQUISA A miniatura do vídeo, os primeiros 60 caracteres de seus títulos e aproximadamente 140 caracteres de suas descrições aparecem nos re- sultados da pesquisa. MÓVEL Principalmente por miniatura de acordo com o espaço limitado. USO DE ANOTAÇÕES Use anotações em seus vídeos para aumentar a visualização, o envolvimen- to e os inscritos. As anotações são uma exclusividade do YouTube. Elas podem direcionar espectadores para mais conteúdo, aumentar as ações da comunidade em seus vídeos e atrair novos inscritos. Adicione anotações relevantes e úteis para to- dos os seus vídeos após o envio. Use as anotações em vídeos de arquivo para direcionar o tráfego a novas iniciativas ou conteúdo. O uso de anotações defi- nidas estrategicamente pode aumentar significativamente o envolvimento dos espectadores com o conteúdo, o número de inscrições no canal e o número de visualizações por vídeo. DETALHES As anotações são textos clicáveis sobrepostos em vídeos do YouTube. Elas podem ser usadas para estimular o engajamento, fornecer mais informações e ajudar na navegação.Seja criativo! As anotações podem ser usadas para: Pedir aos espectadores para marcar “gostei”, adicionar como favorito ou compartilhar um vídeo. 29 ManualiMPRESSAO.indd 31 13/02/2014 14:26:29
  32. 32. • Fazer uma pergunta específica para aumentar a participação do espectador • Facilitar a inscrição de espectadores diretamente a partir de seus vídeos • Criar um índice para vídeos longos • Vincular vídeos ou conteúdo relacionado mencionados no vídeo • Vincular a outros vídeos na série • Vincular a outros vídeos, listas de reprodução, canais ou versões comple- tas declipes de vídeo menores. • Torne clicáveis e interativas determinadas áreas do vídeo. • Destacar sua empresa “ponto com” ou loja de mercadoria. • Vincular a sua presença de mídia social. • Direcionar os espectadores de vídeos mais antigos para novos conteúdos enviados. • Coloque “ovos de páscoa” escondidos ou jogos interativos em seus vídeos. • Adicione um esclarecimento em texto a uma parte específica do vídeo. É possível ter controle sobre texto, veiculação, pontualidade e URLs de link. Se bem utilizados, ajudam a aumentar o envolvimento. Práticas recomendadas: • Evite anotações no terço inferior do vídeo, pois o anúncio sobreposto pode ocultá-las. • Evite também anotações ao longo do topo da estrutura. • Não obstrua o conteúdo real. As anotações devem adicionar valor, e não atrapalhar a visualização. • Não bombardeie o espectador. Pode parecer spam e ter um efeito adverso. • Quando for apropriado, configure as anotações para abrir uma nova janela por meio de um clique. Tenha cuidado. Não afaste os espectadores de um vídeo antecipadamente. • Repita as solicitações “Inscrever-se” e outras frases de chamariz repetidas ao final do episódio. • As anotações no final do vídeo devem abrir na mesma janela. 30 ManualiMPRESSAO.indd 32 13/02/2014 14:26:30
  33. 33. • Use o bom senso, e o Analytics, para determinar o tempo, posicionamento, estilo e quantas anotações devem ser incluídas em seus vídeos. Seja criativo! A anotação é um recurso flexível único do YouTube, e ainda existem muitos usos a serem descobertos. As possibilidades no digital são infini- tamente maiores do que na janela TV e é possível aproveitá-las para aumentar a audiência em todos os meios. É interessante pensar em usá-los em algum tipo de interatividade nos con- teúdos; assim como pensar em estratégias transmídia. ANOTAÇÕES DE VÍDEOS DO MOMENTO A maioria das anotações são auto-explicativas. As anotações de vídeos do momento se destacam, pois permitem que criadores criem sutilmente área cli- cáveis no vídeo. O texto só aparece quando um espectador passa o cursor sobre a anotação com o mouse. Essa é uma maneira de incluir anotações clicáveis e discretas. Um dos objetivos destas anotações é fazer com que o espectador tenha uma forma imediata de acessar outros vídeos relacionados ou material extra, a partir do próprio vídeo. OTIMIZAÇÃO DO CANAL O objetivo da organização do canal é criar uma experiência coerente e atra- tiva para transformar visitantes novos em inscritos. Uma página bem organizada e metadados eficientes deixam seu canal mais interessante para inscritos atuais e inscritos em potencial. Quanto maior for a organização e otimização do canal, maiores são as possibilidades de aumento do engajamento. É necessário, para isso, que se otimize o branding e os metadados do canal, crie seções e um trailer de canal e faça transmissões para os inscritos por meio do feed. Com isso, criam-se condições ideias para o crescimento das exibições 31 ManualiMPRESSAO.indd 33 13/02/2014 14:26:30
  34. 34. do canal, aumentamos a possibilidade de descoberta do canal, Inscritos, Visua- lizações, etc. Os canais aparecem no YouTube com mais frequência e em posicionamentos mais variados do que nunca. É importante otimizar o canal do Futura para posi- cionamento na pesquisa, em canais relacionados, na procura de canais e no feed para envolver os inscritos atuais e os inscritos em potencial no YouTube. Nome do canal • O nome de seu canal aparecerá no site na pesquisa, em canais sugeridos e nos posicionamentos do navegador. • O nome de seu canal é diferente do URL do canal e pode ser editado na página do canal. • Escolha um nome de canal curto, fácil de lembrar e que dê a seu público uma ideia sobre seu canal. Neste caso específico, “Canal Futura” é suficiente, em vista da força que a marca já possui. Descrição do canal • As primeiras palavras da descrição do canal aparecem mais frequentemen- te em todo o site. Sendo assim, é fundamental que elas transmitam mensagens claras sobre o canal, seu conteúdo e, somente depois, questões de branding. • Destaque o conteúdo mais importante. • Descreva seu canal de forma precisa. • Use palavras-chave relevantes na descrição. • Quando possível (e se houver) inclua sua programação de envios, espe- cialmente se você hospeda vários tipos de conteúdos ou séries. Por exempo: “o Sala Debate é exibido terças, com reprises no domingo. Assista no Youtube a partir de quarta” 32 ManualiMPRESSAO.indd 34 13/02/2014 14:26:30
  35. 35. Neste vídeo temos duas anotações que servem para que o espectador tenha acesso à conteúdo adicional. Em programas longos, pode-se criar listas com “breakpoints” e permitir que o espectador vá diretamente para um ponto específico do vídeo. Isso também permite que se use palavras-chave espe- cíficas que aumentarão a capacidade dos vídeos de serem vistos ou encontrados. 33 ManualiMPRESSAO.indd 35 13/02/2014 14:26:30
  36. 36. Ícone do canal • Envie uma imagem quadrada e de alta resolução (800 x 800 px) que possa ser identificada em resoluções menores. Essa imagem será o ícone de seu canal em todo o site. Sugerimos que seja a logo do Canal Futura, sem efeitos 3D. • Se quiser usar texto, faça testes, pois ele pode ficar ilegível em resoluções menores. Arte do canal • Crie uma arte do canal personalizada e visualmente atrativa. Use a página do canal e a ferramenta de arte do canal para escolher como a imagem apare- cerá em computadores, celulares e TVs. Referência:https://support.google.com/youtube/answer/2972003?hl=pt- -BR • A arte do canal deve refletir a personalidade de seu canal. Faça com que opúblico sinta que estão conectados com uma pessoa ou personagem e não ape- nas uma marca. Humanize a arte. Faça-a parecer parte do projeto. • Adicione links de mídias sociais e websites à guia “Sobre”. Esses links po- dem ser sobrepostos na arte do canal para a área de trabalho. • Confira a aparência de seu canal na pesquisa, em canais relacionados e no navegador do canal. O ícone, o nome e a arte de seu canal o descrevem bem para possíveis fãs? As páginas do canal do YouTube exibem vídeos de duas formas: por meio de “Procurar” ou do Feed de atividade. O feed transmite as atividades do canal a seus inscritos. Para saber mais, consulte Como manter o feed do canal. Em “Procurar”, os espectadores inscritos e os não inscritos visualizam ver- sões diferentes de seu canal. A visualização para não inscritos é sua primeira oportunidade de convencer o público em potencial a se inscrever. 34 ManualiMPRESSAO.indd 36 13/02/2014 14:26:30
  37. 37. Visualização de inscritos • Os espectadores inscritos visualizam recomendações personalizadas de “O que assistir a seguir” com base em seu histórico de visualização. Na visualização padrão, os inscritos verão vídeos que ainda não assistiram. • Suas postagens de feed mais recentes aparecerão na página de seu canal. • Promover um vídeo com a Programação InVideo faz com que ele seja exi- bidocom mais frequência em “O que assistir a seguir.” (consulte Programação) • Os canais listados no módulo “Canais em destaque” são listados como “Su- geridos” quando um usuário se inscreve em seu canal. Visualização de não inscritos • Os espectadores não inscritos verão primeiro o trailer de seu canal. Neste trailer, pode-se usar, por exemplo, a campanha em vigor na época. Ative a visu- alização do trailer do canal. • Faça um trailer curto. Atraia espectadores novos em poucas palavras. • Não diga, mostre. Se você é um canal de comédia, faça um vídeo promo- cional engraçado. Se você é um canal de esportes radicais, incorpore um truque em seu vídeo. O trailer do canal é uma mensagem persuasiva e sucinta: o que você pode mostrar para convencer os espectadores a se inscreverem em seu canal? Ao final do vídeo, peça para que o espectador se inscreva. • Peça aos espectadores que se inscrevam. Todas as frases de chamariz devem permitir tempo suficiente para que o espectador faça algo antes que o vídeo termine. Por exemplo, você pode colocar uma chamada para o espectador assinar o Canal Futura logo ao final dos vídeos, em cada programa. Seções • As seções funcionam como a ferramenta de organização principal para canais. São vistas apenas em sua página do canal e podem ser criadas dinami- 35 ManualiMPRESSAO.indd 37 13/02/2014 14:26:31
  38. 38. camente a partir das tags de vídeos ou das listas de reprodução. • Use as seções para organizar seu melhor conteúdo ou selecionar conteúdo de outros canais. • Divida seu conteúdo em temas diferentes usando tags. Toda vez que en- viar um novo vídeo com essa tag, ele será adicionado automaticamente à seção apropriada. • Para os canais que enviam vários programas e os reúnem em listas de reprodução, é possível colocar todas essas listas de reprodução em uma seção. • As seções podem selecionar conteúdo de outros canais. Use o Gerenciador de vídeos para marcar com tags os vídeos aos quais assistiu ou de que gostou e adicioná-los às seções de seu canal. Canais em destaque • Os Canais em destaque são canais selecionados que você promove em sua página do canal. • Se estiver promovendo um grande número de canais, gire a lista usando o recurso “Alternar canais”. Isso garante que todos os seus canais sejam vistos. Canais relacionados • Os Canais relacionados são canais promovidos. Esse espaço é preenchido pelo YouTube é não é possível escolhê-los. As Recomendações são baseadas em canais semelhantes ao seu. • É possível desativar o recurso “Canais relacionados”, mas isso impede que seu canal seja promovido como canal relacionado em outros canais. • Outras dicas para visualização em série e para vídeos de conteúdo longo aqui: https://www.youtube.com/yt/playbook/pt-BR/captivate-your-audience. html 36 ManualiMPRESSAO.indd 38 13/02/2014 14:26:31
  39. 39. COMO MANTER O FEED DO CANAL Para conquistar novas assinaturas, o feed de um canal deve ser ativo, mas sem flood (excesso de publicações). Manter um feed ativo leva o espectador para novos envios e ajuda a promover outros vídeos. Quanto mais inscritos, maior a possibilidade de que os vídeos do Futura sejam disseminados, aumen- tando o alcance. Utilizar a conta do Futura para assistir vídeos que sejam de interesse do público-alvo do Canal e dar “likes” nestes vídeos ajuda a manter o feed interes- sante para os visitantes. Utilize outra atividade do canal, como postar nele e “gostar” de vídeos, para publicar seu conteúdo no feed e selecionar vídeos de outros canais. Com isso, é possível aumentar o envolvimento, aumentar as visualizações e inscrições. O feed de seu canal transmite suas atividades para os inscritos. O feed pa- drão compartilha seus envios, vídeos com marcações “gostei”, vídeos adiciona- dos a listas de reprodução, postagens do canal, comentários, inscritos do canal e vídeos favoritos. Seu feed deve estar atualizado, promover o conteúdo que é importante, sem abarrotar os inscritos com muito conteúdo. O feed: como selecionar seu conteúdo • Ajuste suas opções de compartilhamento nas configurações do canal com base no que deseja compartilhar. Tenha cuidado para não sobrecarregar seus inscritos. • Para criadores que não enviam semanalmente, o feed possibilita permane- cer mais ativo pela transmissão de outras atividades. • Defina um cronograma para as atividades de seu canal. Se você envia uma vez por semana, ofereça seleções e postagens do canal entre novos vídeos. 37 ManualiMPRESSAO.indd 39 13/02/2014 14:26:31
  40. 40. O feed: como selecionar outros conteúdos • Ao promover os vídeos de outras pessoas, seu canal pode se transformar em um destino de formação de opinião. • Seja um curador exigente: entenda seu público e compartilhe o trabalho que será atraente a ele. • Defina um cronograma de curadoria. Escolha dias de em que não há envios para selecionar conteúdo no feed de seu canal. Trate esses vídeos selecionados como se fossem um programa semanal. • Defina o contexto. Ao comentar em seu vídeo e no de outra pessoa, certi- fique-se de que o conteúdo contribui para a experiência. O feed: carro-chefe da programação • Compile listas de reprodução para os principais eventos de sustentação e publique as listas de sustentação no feed utilizando o recurso de postagens do canal. • O feed pode ser usado para trazer de volta vídeos e listas de reprodução relevantes aos tópicos em alta ou eventos de sustentação futuros. • Somente quando um vídeo é posto no ar pela primeira vez que ele aparece em seu feed. Miniaturas e títulos de destaque são muito importantes para chamar a aten- ção dos assinantes nos feeds de sua página inicial (veja Metadados). 38 ManualiMPRESSAO.indd 40 13/02/2014 14:26:31
  41. 41. COMO ATINGIR OS PÚBLICOS ALVO ManualiMPRESSAO.indd 41 13/02/2014 14:26:31
  42. 42. Otimize vídeos e crie conteúdo para atingir o maior público possível. Legen- de seus vídeos para garantir que eles sejam acessíveis para qualquer especta- dor, incluindo falantes de idiomas estrangeiros e pessoas com deficiência. Esta prática aumenta a audiência, o tráfego oriundo de pesquisa e as visualizações nos vídeos. O YouTube é uma plataforma global e seu público pode assistir ao conteúdo de qualquer lugar do mundo. É importante que os vídeos pertinentes recebam tratamento que permita que o conteúdo seja consumido em outros idiomas. Crie conteúdo com apelo global • Seu conteúdo já pode ter apelo global (Confira YouTube Analytics), mas considere a possibilidade de adaptá-lo e expandi-lo para interesses globais. • Use o Google Analytics para descobrir em que regiões seu canal já atrai um público. Concentre esforços para a internacionalização nesses idiomas. Se um conteúdo já tem audiência no exterior, talvez seja uma possibilidade usar este conteúdo com recursos de idiomas adicionais, que possibilitem aos espectadores em outros países consumir este conteúdo. • Atraia novos públicos. Animação, dança, animais, visuais fortes sem diálo- go é um atrativo entre culturas. Que programas possuímos no canal que corres- pondem a estas características? Como podemos aproveitar isso? • Programe-se para as tendências locais e regionais assim como eventos de sustentação. Torne seus metadados multilíngues e adicione legendas durante esses eventos. • É interessante pensar em lançar o conteúdo em um canal separado, dire- cionado a novas regiões e grupos de idiomas. Um canal do Licenciamento, por exemplo. • Legendas tornam seu trabalho acessível a um público maior. Elas também funcionam como metadados adicionais que ajudam seu vídeo a aparecer em mais lugares no site. 40 ManualiMPRESSAO.indd 42 13/02/2014 14:26:32
  43. 43. YOUTUBE ANALYTICS O uso frequente do YouTube Analytics para avaliar o desempenho de seu ca- nal e investigar alterações ou tendências nas principais métricas permite que se tenha uma ideia mais clara de como otimizar o canal, melhorar a programação ou fazer outros tipos de alteração. O YouTube Analytics disponibiliza informa- ções acionáveis para tarefas importantes para os criadores, como fazer vídeos melhores, implementar ou avaliar otimizações e desenvolver uma programação estratégica. Por isso, é fundamental avaliar com frequência o desempenho do canal e fazer alterações no conteúdo ou nas estratégias de público com base nos dados coletados. YouTube Analytics é o “termômetro” de seu canal. O YouTube Analyti- cs ajuda a descobrir informações importantes de canais com base em dados de espectadores reais e o conteúdo com o qual mais interagem. É possível usar o YTA para os vídeos mais recentes e também para anali- sar os dados de desempenho em vídeos mais antigos, a fim de informar sobre conteúdo, programação e estratégias de desenvolvimento de público. Através destes dados é possível repensar o modelo de publicação online, bem como es- tratégias de lançamento e até mesmo a programação da TV. VISUALIZAÇÕES: COMO EU CONQUISTO UM PÚBLICO MAIOR E MAIS LEAL? 41 ManualiMPRESSAO.indd 43 13/02/2014 14:26:32
  44. 44. 1.SAIBA QUEM SÃO SEUS ESPECTADORES Entenda seus espectadores mais assíduos. A idade, o gênero e o local atual de seus espectadores correspondem a seu público-alvo ideal? Caso não corres- ponda, considere recriar seu conteúdo e estratégias de promoção para atrair o público que você realmente deseja. Principais relatórios: • Demografia dos inscritos - Filtra o relatório para exibir apenas os dados das inscrições. • Informações demográficas: fornece informações a respeito da idade e do gênero do público. • Geografia: exibe de quais países seus espectadores são. Exemplos de usos de relatórios: • Adapte o design de canais, o tipo de conteúdo e as miniaturas para atrair seu público principal. • Caso seu conteúdo tenha um bom desempenho em outro país, considere transcrevê-lo e habilitar legendas. (Antes, verificar a possibilidade junto ao Li- cenciamento e ao Jurídico) • Rastreie ao longo do tempo as alterações nas informações demográficas do público de seu canal, a fim de continuar fornecendo a espectadores o conteúdo mais relevante e envolvente possível. • Esteja atento a possíveis diferenças, como crianças usando as contas dos pais, pois esse tipo de comportamento do usuário pode afetar os dados demo- gráficos. 42 ManualiMPRESSAO.indd 44 13/02/2014 14:26:32
  45. 45. 2.SAIBA ONDE OS ESPECTADORES ENCONTRAM SEUS VÍDEOS Entender os caminhos do público até chegar ao seu conteúdo ajuda a apro- veitar os esforços de desenvolvimento de público. Considere alocar seus esfor- ços para onde seus vídeos são mais bem recebidos. Atente que não é apenas a quantidade que importa, mas a qualidade das visualizações (Veja “Duração média de visualização” na imagem abaixo para ver quais origens são respon- sáveis pelos espectadores mais envolvidos). Principais relatórios: • Locais da reprodução: exiba as páginas do YouTube e sites incorporados onde os espectadores assistem a seus vídeos. • Origens de tráfego: exibe sites externos e recursos do YouTube que vincu- lam os espectadores a seus vídeos. Exemplos de usos de relatórios: • Aumente a visualização a partir dos módulos de pesquisa e vídeos suge- ridos do YouTube criando títulos e descrições, miniaturas atraentes e conteúdos envolventes. • Aumente o número de visualizações do Feed da página inicial e de inscri- ções. Envie conteúdo que seu público deseja de forma frequente e consistente. 43 ManualiMPRESSAO.indd 45 13/02/2014 14:26:32
  46. 46. • Analise os relatórios do Player incorporado e os Websites externos para saber quais sites estão promovendo seu conteúdo e considere entrar em contato com eles para promoções cruzadas e/ou colaborações. • Marque a caixa de seleção “Exibir apenas inscritos” no relatório de Origens de tráfego para ver as tendências de visualização dos inscritos de seu canal. • Selecione a coluna “Duração média da visualização” em todos os relatórios de tráfego para identificar quais origens direcionam visualizações com maior du- ração (qualidade da visualização). 3.SAIBA O QUE FAZ OS ESPECTADORES IREM E VIREM Entender como o público interage com seu conteúdo ajuda a descobrir pa- drões e a criar um conteúdo mais envolvente. Os vídeos com taxas baixas de retenção de público são menos prováveis de aparecerem na Pesquisa ou nas Veiculações sugeridas no YouTube. Crie uma experiência de visualização que faça com que o público assista a seu vídeo quantas vezes for possível. Saiba por que o público assiste a alguns vídeos até o final e abandona outros nos primeiros segundos. Principais relatórios: • Retenção absoluta: exibe quais partes de seu vídeo as pessoas assistem e/ou abandonam. • Retenção relativa: exibe o envolvimento do público em comparação a ou- tros vídeos de duração semelhante. 44 ManualiMPRESSAO.indd 46 13/02/2014 14:26:32
  47. 47. Exemplos de usos de relatórios: • Um aumento no gráfico de Retenção absoluta significa que os espectado- res assistiram novamente a uma parte específica do vídeo. Uma queda significa que os espectadores avançaram ou abandonaram o vídeo. • Na Retenção absoluta, as quedas significativas nos primeiros cinco a 10 se- gundos indicam que o vídeo não correspondeu às expectativas do público. Suas miniaturas e títulos devem representar o conteúdo real comprecisão. • Use os padrões de retenção de público para informar possíveis alterações nos tópicos de conteúdos, no estilo, no ritmo, na duração e/ou nas embalagens futuras. • Avalie a “Conversão de exibição média” e o “Tempo de visualização médio” de vídeos específicos para identificar quais tipos de conteúdo são mais prováveis de impulsionar um tempo de exibição elevado. 4.SAIBA QUANTOS VÍDEOS CADA ESPECTADOR ASSISTE É importante entender o que leva os espectadores a assistirem vários vídeos por visita. Envolver um público existente é mais fácil do que atrair um público inteiramente novo, por isso é importante ampliar as sessões de visualização a espectadores existentes. Em quais dias é mais provável que os espectadores visitem seu canal? Quais vídeos mais gostam de assistir? Com esses dados é possível, por exemplo, verificar que pautas atraem mais os espectadores. É uma forma de analisar o comportamento da assistência e ser capaz de reagir às suas demandas. 45 ManualiMPRESSAO.indd 47 13/02/2014 14:26:33
  48. 48. Principais relatórios: • Visualizações: exibe as tendências gerais de visualização e quais vídeos estão impulsionando essas visualizações. • Visualizações x Cookies únicos: exibe quantas visualizações médias são feitas por visitante. Exemplos de usos de relatórios: • Identifique os dias que seu público está mais ativo. Picos de visualização que se repetem semanalmente indicam os melhores dias para enviar novos ví- deos para seu canal. • Considere focar ou inserir pontos de vista criativos sobre temas e tópicos que tiveram um bom desempenho no passado. Por exemplo: Baseado nos nú- meros obtidos, que pautas podem explorar outros pontos de vista de determi- nado assunto? • Aumente as visualizações ao sugerir vídeos adicionais que seus espectado- res possam gostar por meio das listas de reprodução envolventes, dos cartões fi- nais(áreas clicáveis que conduzem para outros vídeos) e das frases de chamariz. • Se seu gráfico de visualização tem muitos picos e está irregular, confira as origens de tráfego das “Inscrições e Feeds da página inicial” para identificar se sua programação de envio é responsável por esses resultados. • Se as “Visualizações” em geral estão crescendo e/ou um vídeo específico se tornou viral, considere adicionar anotações de inscrição para transformar es- ses espectadores em uma comunidade leal. 46 ManualiMPRESSAO.indd 48 13/02/2014 14:26:33
  49. 49. ENVOLVIMENTO: COMO ESTIMULAR O ENVOLVIMENTO DO PÚBLICO? 1.SAIBA POR QUE OS ESPECTADORES SE INSCREVEM Entender o que leva as pessoas a se inscreverem ajuda a transformar es- pectadores casuais em inscritos leais. Saiba quais vídeos levam as pessoas a se inscreverem e confira se sua estratégia de publicação está voltada para esses inscritos. Principais relatórios: • Inscritos: exibe em quais vídeos as pessoas se inscrevem ou cancelam a inscrição. • Visualizações x inscritos: exibe sua eficácia em conquistar inscritos a cada visualização. Exemplos de usos de relatórios: • Analise datas e/ou vídeos específicos com um número elevado de conquis- tas (ou perdas) de inscritos para saber quais conteúdos são mais bem recebidos pelo público. • Considere usar seus vídeos com mais inscritos para informar sobre conte- údos e programações futuras. Por exemplo, em um vídeo com muitas visualiza- ções, pode-se divulgar outros programas relacionados, playlists, etc. 47 ManualiMPRESSAO.indd 49 13/02/2014 14:26:33
  50. 50. Conquiste mais inscritos ao adicionar anotações de inscrição, frases de cha- mariz, links na descrição e Programação InVideo (o recurso “Picture in Picture” usado, por exemplo, pelo Porta dos Fundos, onde é possível ver miniaturas de outros episódios nos vídeos que permitem saltar para estes) em seus vídeos mais populares. Compare visualizações e inscrições de rede para avaliar sua eficácia ao tor- nar espectadores em inscrições. 2. SAIBA A EFICÁCIA DE SUAS ANOTAÇÕES As anotações são uma maneira poderosa de envolver os espectadores e direcioná-los para que assistam a mais de seus vídeos. Os espectadores têm muitos vídeos à disposição no YouTube. Adicionar e otimizar as anotações em seus envios ajuda a manter os espectadores em seu canal e torná-los inscritos. Além disso, é importante ficar atento às tendências para saber em que momento um vídeo pode servir de base para anotações que remetam a outros conteúdos importantes do canal. Principais relatórios: • Anotações: exibe as taxas de clique (CTR) e de fechamento para todas as suas anotações. Portanto, quanto maior a CTR, mais os usuários estão clicando em suas anotações. 48 ManualiMPRESSAO.indd 50 13/02/2014 14:26:33
  51. 51. Exemplos de usos de relatórios: Otimize a veiculação de anotações e a duração para alcançar as melhores taxas de clique (CTR) enquanto reduz as taxas de fechamento. Taxas de fechamento elevadas significam que os espectadores não acham as anotações úteis. Assim, considere alterar ou excluir as anotações de desem- penho baixo. Monitore os cartões finais de anotação, que promovem outros vídeos e com- param as CTRs das escolhas em questão para saber quais vídeos e/ou miniatu- ras atraem a maioria dos cliques. 3.SAIBA COMO OS FÃS SE ENVOLVEM COM SEUS VÍDEOS Entender com quais vídeos o público mais se envolve pode ajudar criar con- teúdos e estratégias promocionais mais bem-sucedidos. Analise marcações “gostei” e “não gostei”, comentários e compartilhamen- tos em vídeos de destaque para entender que tipo de conteúdo é mais bem re- cebido pelo público. 49 ManualiMPRESSAO.indd 51 13/02/2014 14:26:34
  52. 52. Principais relatórios: • Marcações “gostei” e “não gostei”: exibe quantos espectadores gostaram, ou não,de seus vídeos. • Comentários: exibe quantos comentários são feitos em seus vídeos. • Compartilhamento: exibe quantas vezes e onde os espectadores compar- tilharam seus vídeos. Exemplos de usos de relatórios: • Identifique quantas marcações “gostei” e quantos comentários por visua- lização os vídeos geram, a fim de informar que tipos de conteúdo são recomen- dáveis para você criar no futuro. • Leia as opiniões da comunidade sobre os vídeos mais comentados e con- sidere a possibilidade de abordá-los, incorporá-los ou mencioná-los de alguma forma em envios futuros. • Identifique que vídeos são mais prováveis de serem compartilhados pelo público e aumente o número de compartilhamentos por meio das frases de cha- mariz inseridas em vídeos. 50 ManualiMPRESSAO.indd 52 13/02/2014 14:26:34
  53. 53. RESUMO ManualiMPRESSAO.indd 53 13/02/2014 14:26:34
  54. 54. Fazer upload • Crie metadados detalhados e abrangentes seguindo as estratégias e a for- matação das palavras-chave. • Crie e envie uma miniatura atraente e em alta resolução. • Verifique o vídeo ativo e os metadados publicados. Publicar • Anote o vídeo com frases de chamariz, um botão de inscrição e links para conteúdos relacionados. • Otimize o branding e os metadados do canal, crie seções, um trailer de canal e faça transmissões para os inscritos por meio do feed. • Utilize as postagens do canal e marcações “gostei” de vídeos para publicar seu conteúdo no feed e selecionar vídeos de outros canais. • Use ferramentas on-line para criar legendas para seus vídeos. Crie conte- údos que possam transcender diferenças culturais. • Use o Analytics para entender melhor seu público-alvo, aprimorar seu con- teúdo e desenvolver estratégias de otimização mais eficientes. 52 ManualiMPRESSAO.indd 54 13/02/2014 14:26:34

×