Fundamentos de webdesign,
tecnologia e ubiquidade
15 de abril de 2015
Não exagere nas opções
Renato Cruz – Senac2
Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to...
Opções mais simples
Renato Cruz – Senac3
Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to We...
Tipos de usuários
Renato Cruz – Senac4
 Algumas pessoas (usuários “dominados pelas
pesquisas”) quase sempre procuram as c...
Como funciona a navegação
Renato Cruz – Senac5
Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach...
Convenções
Renato Cruz – Senac6
Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to Web Usabili...
Nomes de páginas
Renato Cruz – Senac7
Todas as páginas precisam de um nome. Da mesma forma que
cada esquina deve ter uma ...
Você está aqui
Renato Cruz – Senac8
Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to Web Usa...
Migalhas de pão
Renato Cruz – Senac9
Abas
Renato Cruz – Senac10
São autoevidentes. Ninguém olha para elas e diz: “O que será que
elas fazem?”
São difíceis de...
Teste do porta-malas
Renato Cruz – Senac11
Que site é este? (Identificação do site)
Em qual página estou? (Nome da págin...
Homepage (I)
Renato Cruz – Senac12
Identificação e missão do site. De cara, a página
inicial tem de dizer o que é o site ...
Homepage (II)
Renato Cruz – Senac13
Conteúdo oportuno. A página inicial precisa de algum
conteúdo que seja atualizado fre...
Respostas mais importantes
Renato Cruz – Senac14
 O que é isto?
 O que eu posso fazer aqui?
 O que eles têm aqui?
 Por...
O site da universidade
Renato Cruz – Senac15
Fonte: https://xkcd.com/773/
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fundamentos de webdesing, tecnologia e ubiquidade - 15/4/15

115 visualizações

Publicada em

Aula da disciplina Fundamentos de webdesign, tecnologia e ubiquidade, do curso de Gestão da Comunicação em Mídias Digitais do Senac Lapa Scipião, em 15 de abril de 2015.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
115
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fundamentos de webdesing, tecnologia e ubiquidade - 15/4/15

  1. 1. Fundamentos de webdesign, tecnologia e ubiquidade 15 de abril de 2015
  2. 2. Não exagere nas opções Renato Cruz – Senac2 Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to Web Usability. San Francisco: New Riders, 2013.
  3. 3. Opções mais simples Renato Cruz – Senac3 Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to Web Usability. San Francisco: New Riders, 2013.
  4. 4. Tipos de usuários Renato Cruz – Senac4  Algumas pessoas (usuários “dominados pelas pesquisas”) quase sempre procuram as caixas de busca assim que entram em um site.  Outras pessoas (usuários “dominados por links”) quase sempre navegarão primeiro, pesquisando apenas quando não tiverem mais prováveis links para clicar ou quando já estiverem suficientemente frustradas com o site. Fonte: KRUG, Steve. Não me faça pensar: uma abordagem de bom senso da usabilidade na web. Rio de Janeiro: Alta Books, 2008.
  5. 5. Como funciona a navegação Renato Cruz – Senac5 Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to Web Usability. San Francisco: New Riders, 2013.
  6. 6. Convenções Renato Cruz – Senac6 Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to Web Usability. San Francisco: New Riders, 2013.
  7. 7. Nomes de páginas Renato Cruz – Senac7 Todas as páginas precisam de um nome. Da mesma forma que cada esquina deve ter uma placa, cada página deve ter um nome. O nome precisa estar no lugar certo. Na hierarquia visual da página, o nome deve englobar todo o conteúdo único desta página. O nome precisa ter destaque. A combinação de posição, tamanho, cor e tipo de letra deve dizer “Este é o cabeçalho da página inteira”. O nome precisa ser equivalente ao clicado. Se eu clicar num link ou botão que diga “Purê de batatas”, o site me levará a uma página chamada “Purê de batatas”. Fonte: KRUG, Steve. Não me faça pensar: uma abordagem de bom senso da usabilidade na web. Rio de Janeiro: Alta Books, 2008.
  8. 8. Você está aqui Renato Cruz – Senac8 Fonte: KRUG, Steve. Don't Make Me Think, Revisited: A Common Sense Approach to Web Usability. San Francisco: New Riders, 2013.
  9. 9. Migalhas de pão Renato Cruz – Senac9
  10. 10. Abas Renato Cruz – Senac10 São autoevidentes. Ninguém olha para elas e diz: “O que será que elas fazem?” São difíceis de não serem vistas. Não é tão incomum o usuário deixar de perceber uma barra de botões no topo da página. As barras dificilmente são confundidas com outra coisa que não seja navegação. São agradáveis. Se feitas de forma correta, podem adicionar um acabamento e servir a um propósito útil. Sugerem um espaço físico. Criam a ilusão de que a aba ativa se move fisicamente para a frente. Fonte: KRUG, Steve. Não me faça pensar: uma abordagem de bom senso da usabilidade na web. Rio de Janeiro: Alta Books, 2008.
  11. 11. Teste do porta-malas Renato Cruz – Senac11 Que site é este? (Identificação do site) Em qual página estou? (Nome da página) Quais são as principais seções desta página? (Seções) Quais são as minhas opções neste nível? (Navegação local) Onde eu estou no esquema das coisas? (Indicadores “Você está aqui”) Como eu posso fazer uma pesquisa? Fonte: KRUG, Steve. Não me faça pensar: uma abordagem de bom senso da usabilidade na web. Rio de Janeiro: Alta Books, 2008.
  12. 12. Homepage (I) Renato Cruz – Senac12 Identificação e missão do site. De cara, a página inicial tem de dizer o que é o site e para que ele serve. Hierarquia do site. Tem de dar uma indicação visual do que o site tem para oferecer e como está organizado. Pesquisa. A maioria dos sites precisa ter uma caixa de busca em destaque na página inicial. Atrações. Como a capa de uma revista, precisar oferecer dicas do “bom conteúdo” dentro dele. Fonte: KRUG, Steve. Não me faça pensar: uma abordagem de bom senso da usabilidade na web. Rio de Janeiro: Alta Books, 2008.
  13. 13. Homepage (II) Renato Cruz – Senac13 Conteúdo oportuno. A página inicial precisa de algum conteúdo que seja atualizado frequentemente. Negócios. Precisa dar espaço para qualquer propaganda, promoção cruzada ou negócios entre marcas. Atalhos. As páginas mais procuradas podem merecer links próprios na primeira página. Registro. Se o site usar registro, precisa de links para novos usuários se registrarem e para os antigos assinarem. Fonte: KRUG, Steve. Não me faça pensar: uma abordagem de bom senso da usabilidade na web. Rio de Janeiro: Alta Books, 2008.
  14. 14. Respostas mais importantes Renato Cruz – Senac14  O que é isto?  O que eu posso fazer aqui?  O que eles têm aqui?  Por que eu deveria estar aqui – e não em outro lugar? Fonte: KRUG, Steve. Não me faça pensar: uma abordagem de bom senso da usabilidade na web. Rio de Janeiro: Alta Books, 2008.
  15. 15. O site da universidade Renato Cruz – Senac15 Fonte: https://xkcd.com/773/

×