Like this? Share it with your network

Share

Linguagem e interpretação de textos

em

  • 1,210 visualizações

Linguagem e interpretação de textos

Linguagem e interpretação de textos

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
1,210
Visualizações no SlideShare
1,210
Visualizações incorporadas
0

Actions

Curtidas
1
Downloads
35
Comentários
0

0 Incorporações 0

No embeds

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Linguagem e interpretação de textos Presentation Transcript

  • 1. Faculdade Metropolitana de Caieiras Linguagem e Interpretação de Textos Prof. Me. Renato Antonio de Souza prof.renato@fmccaieiras.com.br
  • 2. Linguagem e Interpretação de textos  A PRODUÇÃO DA LINGUAGEM
  • 3. Linguagem e Interpretação de Textos  ORALIDADE – Materialização: som – Organização: turnos tópicos (assunto) – Situação: realização – Meio/Suporte: canal de comunicação Exemplo: (entrevista professor Luciano Zamberlan a respeito de pesquisa do consumo feminino do sapato) – http://www.unijui.edu.br/comunica/entrevistas-em-audio
  • 4. Linguagem e Interpretação de Textos  ORALIDADE – síntese A) Situação discursiva: formal, informal B) Evento de fala: casual, espontâneo, profissional, institucional C) Tema do evento: casual, prévio D) Objetivo do evento: nenhum, prévio E) Grau de preparo necessário para efetivação do evento: nenhum, pouco, muito
  • 5. Linguagem e Interpretação de Textos  ORALIDADE – síntese F) Participantes: idade, sexo, posição social, formação, profissão, etc. G) Relação entre participantes: amigos, conhecidos, inimigos, desconhecidos, parentes, etc. H) Canal utilizado para a realização do evento: face a face, telefone, rádio, televisão, internet. (FÁVERO, ANDRADE, AQUINO, 2005, p.18)
  • 6. Linguagem e Interpretação de Textos  Situação discursiva: Aula expositiva
  • 7. Linguagem e Interpretação de Textos
  • 8. Linguagem e Interpretação de Textos Crônica de Arnaldo Jabor, para o Jornal da Globo – 19/01/2013
  • 9. Linguagem e Interpretação de Textos Entrevista com Geraldo Alckmin.Veja 20/02/2013
  • 10. Linguagem e Interpretação de Textos  COMPONENTES ESSENCIAIS DA COMUNICÃÇÃO • Emissor (remetente, locutor, codificador, falante) • Receptor(destinatário, interlocutor, decodificador, ouvinte) • Mensagem • Código • Situação (referente, contexto) • Canal (meio de contato)
  • 11. Linguagem e Interpretação de Textos  COMPONENTES ESSENCIAIS DA COMUNICÃÇÃO
  • 12. Linguagem e Interpretação de Textos  COMPONENTES ESSENCIAIS DA COMUNICÃÇÃO Veja. Carta ao leitor. 13 de fevereiro de 2013.
  • 13. Linguagem e Interpretação de Textos  ORALIDADE – Gênero Entrevista Vídeo: João Dória entrevista Eike Batista, no Programa Show Business.
  • 14. Linguagem e Interpretação de Textos  ESCRITA  Parágrafo: Unidade composta por um ou mais períodos reunidos em torno de ideias estritamente relacionadas. Unidade de sentido completo.  Tipos de parágrafos: narrativo – descritivo – dissertativo
  • 15. Linguagem e Interpretação de Textos  ESCRITA  Parágrafo: narrativo (núcleo da ideia: episódio ou fragmento de um episódio) Foram só 73 segundos de voo. O ônibus espacial Challenger havia arrancado, aparentemente com sucesso, da base do cabo Canaveral, na Flórica, e já estava a 16 quilômetros de altitude, quando sobreveio uma tragédia: a nave transformou-se abruptamente em uma bola de fogo. (ISTOÉ, dez. 1986).
  • 16. Linguagem e Interpretação de Textos  ESCRITA  Parágrafo: descritivo (retrato de uma paisagem/ser em determinado instante) A Catedral de Brasília é um dos prédios que mais me agradam na arquitetura da nova capital. É diferente de todas as catedrais já construídas. Com a galeria de acesso em sombra e a nave colorida, ela estabelece um jogo, um contraste de luz que a todos surpreende; cria com a nave transparente uma ligação visual inovadora entre ela e os espaços infinitos; tem na sua concepção arquitetural um movimento de ascensão que a caracteriza e não apresenta fachadas diferentes como as velhas catedrais. (NIEMAYER, O. A catedral e as cadeiras in: Folha de S.Paulo, 20 de maio de 1992).
  • 17. Linguagem e Interpretação de Textos  ESCRITA  Parágrafo: dissertativo (ideia-núcleo ou ideia principal) A sociedade industrial moderna destruiu a imagem de coerência e estética da cidade. A persistência do discurso cultural identificado com a qualidade do entorno construído que permitia a progressiva articulação de diferentes manifestações artísticas – a praça da Annunziata no centro medieval de Florenza ou a coexistência de estilos sucessivos na praça São Marcos de Veneza -, se desintegra ante a extensão da agressiva volumetria das edificações e a nítida segregação territorial dos grupos sociais que nela habitam. Quem planeja e realiza a cidade atual? São os especuladores, empresários, incorporadores, engenheiros, proprietários de terra e os desamparados. Resta pouco espaço para o Estado e para os urbanistas e projetistas que representam a vanguarda do saber profissional.(SEGRE, R. Havana: o resgate social da memória, 1992, p. 102).
  • 18. Linguagem e Interpretação de Textos  Parágrafo: dissertativo Veja. Carta ao leitor. 13 de fevereiro de 2013.
  • 19. Linguagem e Interpretação de Textos  Parágrafo: dissertativo – Exercício Leia a notícia, cujo título é Pastor Feliciano manda prender manifestante que o chamou de 'racista’ ,e escreva um parágrafo dissertativo.
  • 20. Linguagem e Interpretação de Textos  ESCRITA  Características do parágrafo: - Unidade - Coerência - Concisão - Clareza
  • 21. Linguagem e Interpretação de Textos  ESCRITA  Gêneros textuais: materialização do discurso – escrita. – Alguns gêneros da esfera empresarial.
  • 22. Linguagem e Interpretação de Textos  FUNÇÕES DA LINGUAGEM: intenções de seu produtor (múltiplas), que podem ser explícitas ou implícitas. – Convencer – Informar – Solicitar informação – Descrever um processo ...
  • 23. Linguagem e Interpretação de Textos  Exercício sobre Funções da Linguagem: Qual é a função do texto ao lado?
  • 24. Comunicação Empresarial  COMPONENTES ESSENCIAIS DA COMUNICÃÇÃO Revista Veja, Ed. 2281 – 08/08/12
  • 25. Linguagem e Interpretação de Textos  Função da Linguagem
  • 26. Linguagem e Interpretação de Textos Função da Linguagem
  • 27. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Pesquisas realizadas com estudantes americanos revelaram que o tempo desses estudantes está assim divido: (16h) Ouvindo: 42% Falando: 32% Lendo: 15% Escrevendo: 11%
  • 28. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais > Ouvir – ato responsivo ativo. > A compreensão de um texto não se dá somente na apreensão de significados, compreender uma sentença ou um texto exige também uma contextualização cognitiva.
  • 29. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais O texto sem o contexto
  • 30. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Até que ponto compreender textos é um ato criativo ? Quais os seus limites? Para a compreensão de textos orais exige-se muita capacidade inferencial (raciocínio lógico) o que parece não faltar as pessoas, haja vista o fato de ser mais comum as pessoas se entenderem do que se mal-entenderem.
  • 31. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais O que é inferência? De acordo com o Dicionário Aulete: 1. Ação ou resultado de inferir 2. Raciocínio por meio do qual se conclui a partir de indícios 3. Lóg. operação intelectual que consiste em estabelecer uma conclusão a partir das premissas de que se parte.
  • 32. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Inferência O Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, declarou o seguinte, a respeito da escolha do candidato do PSDB às eleições presidenciais que ocorrerão em 2014: precisamos pôr o pé na estrada, amassar barro, decidir as questões de forma mais democrática, permitir a participação popular.
  • 33. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Inferência O Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, declarou o seguinte, a respeito da escolha do candidato do PSDB às eleições presidenciais que ocorrerão em 2014: precisamos pôr o pé na estrada, amassar barro, decidir as questões de forma mais democrática, permitir a participação popular.
  • 34. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Alguns gêneros orais. - Conversa - Telejornal (notícia – editorial)
  • 35. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Alguns gêneros orais. Jornal Nacional – Notícia - 09/03/12
  • 36. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Alguns gêneros orais. Jornal do SBT– Editorial – José Nêumanne Pinto - 021/12/11
  • 37. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais - Barreiras na comunicação oral – o caso da língua - Observar a situação de comunicação -Uso inadequado da língua portuguesa (norma culta – popular) - Uso de vocabulário inadequado para a situação comunicativa - Regras de polidez
  • 38. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação oral. Teoria da Polidez (BROWN e LEVINSON, 1987) Atos de linguagem são potencialmente ameaçadores das faces dos interlocutores. As faces são, contraditoriamente, alvos de ameaças permanentes e objeto de um desejo de preservação.
  • 39. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação. Teoria da Polidez (BROWN e LEVINSON, 1987) (1) atos ameaçadores da face negativa do emissor: promessas, pelas quais empenhamo-nos em fazer, em um futuro próximo ou distante, qualquer coisa que evite lesar o nosso próprio território; (2) atos ameaçadores da face positiva do emissor: confissões, desculpas, autocríticas e outros comportamentos auto-degradantes; (3) atos ameaçadores da face negativa do destinatário: ofensas, agressões, perguntas ―indiscretas‖, pedidos, solicitações, ordens, proibições, conselhos e outros atos que são, de alguma forma, contrários e impositivos; (4) atos ameaçadores da face positiva do destinatário: críticas, refutações, censuras, insultos, escárnios e outros comportamentos vexatórios.
  • 40. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação. Teoria da Polidez (BROWN e LEVINSON, 1987) Estratégias de polidez (positiva) – Satisfazer aspirações do interlocutor 1. Perceba o outro. Mostre-se interessado pelos desejos e necessidades do outro. 2. Exagere o interesse, a aprovação e a simpatia pelo outro. 3. Intensifique o interesse pelo outro. 4. Use marcas de identidade de grupo. 5. Procure acordo. 6. Evite desacordo. 7. Pressuponha, declare pontos em comum. 8. Faça piadas. 9. Explicite e pressuponha os conhecimentos sobre os desejos do outro. 10. Ofereça, prometa. 11. Seja otimista. 12. Inclua o ouvinte na atividade. 13. Dê ou peça razões, explicações. 14. Simule ou explicite reciprocidade. 15. Dê presentes.
  • 41. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação. Teoria da Polidez (BROWN e LEVINSON, 1987) Estratégias de polidez (negativa) – Evitam imposições ao interlocutor 1. Seja convencionalmente indireto. 2. Seja evasivo, não se comprometa. 3. Seja pessimista. 4. Minimize a imposição. 5. Mostre respeito. 6. Peça desculpas. 7. Impessoalize o falante e o ouvinte. Evite os pronomes "eu" e "você". 10. Vá diretamente como se estivesse assumindo o débito, ou como se não estivesse endividando o ouvinte.
  • 42. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação. Teoria da Polidez (BROWN e LEVINSON, 1987) Estratégias de polidez (indiretividade). Permitem ameaçar a face evitando responsabilidades. 1. Dê pistas e sugestões indiretas 2. Presuponha. 3. Minimize a expressão, não diga tudo. 4. Use tautologias. 5. Use contradições. 6. Seja irônico. 7. Use metáforas. 8. Faça perguntas retóricas. 9. Seja ambíguo. 10. Seja vago. 11. Seja incompleto, use elipse.
  • 43. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação. Teoria da Polidez (BROWN e LEVINSON, 1987) Agora assista ao vídeo em que o apresentador Ronnie Von conversa com uma professora de comunicação verbal, Eunice Mendes, sobre questões de linguagem e tente perceber uso da teoria da polidez.
  • 44. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação. - Físicas / mecânicas - Fisiológicas - Semânticas - Psicológicas
  • 45. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação. - Semânticas Em evento com Alckmin, Aécio chama golpe de 64 de 'revolução' Após fala, neto de Tancredo minimiza uso do termo e critica ditadura. (Folha de S.Paulo) O governo da presidente Dilma detesta admitir que está fazendo privatização. Então diz sempre que não está privatizando, mas sim fazendo concessões à iniciativa privada. É bom explicar isso melhor. (OGlobo)
  • 46. Linguagem e Interpretação de Textos Barreiras na comunicação (Ruído Semântico) Hoje vou tratar a respeito de ruídos na comunicação. Quando nos comunicamos, precisamos estar atentos a muitos aspectos para que nossa comunicação seja eficaz. Caso isso não aconteça, podem surgir ruídos físicos, fisiológicos, semânticos e psicológicos. Vou ater-me ao ruído semântico. Recentemente, o senador Aécio Neves, em um discurso em um Congresso Estadual de Municípios paulistas tratou a instauração da ditadura brasileira de 64 como ‗ revolução‘. Causou um ruído muito grande pelo fato de a palavra ‗revolução‘, naquela situação de comunicação, não possuir sentido compartilhado entre os interlocutores (emissor e receptor). Revolução tem várias acepções, todas com ideologias diferentes e nem sempre partilhadas pelas pessoas que se comunicam. Uma das acepções da palavra ‗revolução‘ é de ―movimento súbito e generalizado, de caráter social e político, por meio do qual uma grande parte do povo procura conquistar, pela força, o governo do país a fim de dar- lhe outra direção‖. A ditadura militar não foi um levante do povo, mas de uma camada muito restrita de pessoas (militares), o que, por essa acepção aqui tratada, a palavra revolução não se encaixaria.Rapidamente, o senador, presidenciável, tratou de explicar-se. Moral da história: um ruído semântico pode fazer um político, ou qualquer um, projetar uma imagem negativa de si. É isso.
  • 47. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Barreiras na comunicação oral - o caso da paralinguagem
  • 48. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Barreiras na comunicação oral - o caso da paralinguagem
  • 49. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais Barreiras na comunicação oral – o caso da língua Vídeo: Falhas na comunicação oral
  • 50. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais e escritos -Recursos persuasivos na oralidade e escrita -Persuasão: De acordo com o dicionário Michaelis: Levar à persuasão ou à convicção; levar ou induzir a fazer, a aceitar ou a crer; aconselhar; acreditar, convencer-se, cuidar, julgar; admitir como verdadeiro, aceitar como certo. Portanto, argumentar é defender uma ideia, um ponto de vista, uma tese, apresentando razões para que se possa admitir como verdadeiro, certo. O argumento, utilizado para convencer o outro, é considerado como provas (raciocínio, dados, fatos ...)
  • 51. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais e escritos -Recursos persuasivos na oralidade e escrita -Tipos de argumento: Citação É um argumento ancorado, geralmente, em uma autoridade no assunto tema da argumentação. "Reading is important. If you know how to read then the whole world opens up to you." —President Obama at The White House Easter Egg Roll: (publicado no facebook em 02/04/2013)
  • 52. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais e escritos -Recursos persuasivos na oralidade e escrita -Tipos de argumento: Por comprovação É um argumento que é apresentado mas em forma de dados, fatos, estatísticas. Todas essas informações devem ser coerentes com o fato/ideia que se tenta provar. ―No Gênesis, a Bíblia conta que Noé, quando saiu da Arca, embebedou-se e ficou nu. O filho mais novo dele, Cam, riu do pai e contou o que havia visto aos dois irmãos. Quando Noé soube da história, em vez de puxar a orelha dele, lançou uma maldição sobre o filho de Cam, Canaã. Disse que Canaã seria escravo‖. (Marco Feliciano à Revista Veja, 20/03/13, sobre a acusação de ato discriminatório contra negros africanos)
  • 53. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais e escritos -Recursos persuasivos na oralidade e escrita -Tipos de argumento: Por comprovação Em média, 30% das crianças no 4° ou 5° ano de escola ainda não podem ser consideradas alfabetizadas. Esse foi o resultado apontado pela avaliação Prova Brasil, realizada com crianças do 5º ao 9º ano do ensino fundamental.
  • 54. Linguagem e Interpretação de Textos Compreensão de textos orais e escritos -Recursos persuasivos na oralidade e escrita -Tipos de argumento: Raciocínio lógico É uma estratégia de raciocínio baseada em causa/efeito ou consequência. Sobre o aumento da inflação: ... Mais uma vez, os alimentos foram os grandes responsáveis da inflação, devido a problemas climáticos. Subiram menos em março, mas ainda respondem por mais da metade do IPCA.... (G1.com.br, 10/04/13) (causa) ... Ou seja, há fortes indícios de que a demanda final vinda do consumo está caindo e que isto pode ser um efeito da forte aceleração da inflação dos últimos meses... (Ricardo Gallo, 14/04/13 – Portal IG) – (efeito)