Sumário Executivo doPrograma Mensal de Operação                            Revisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa d...
Sumário Executivo do Programa Mensal de OperaçãoRevisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013     Du...
Sumário Executivo do Programa Mensal de OperaçãoRevisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013     A ...
Sumário Executivo do Programa Mensal de OperaçãoRevisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013     6....
Sumário Executivo do Programa Mensal de OperaçãoRevisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013     8....
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sumário executivo pmo_201301_rev3

123 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
123
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sumário executivo pmo_201301_rev3

  1. 1. Sumário Executivo doPrograma Mensal de Operação Revisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013 1. APRESENTAÇÃO 2. NOTÍCIAS A perspectiva para a próxima semana é de que os totais  Em 24 e 25/01: Reunião de elaboração do PMO mais significativos de precipitação ocorram nas bacias dos Fevereiro/2013. rios Paranaíba, São Francisco, Tocantins, Doce, Jequitinhonha, Paraguaçu e Parnaíba. Nas bacias dos rios 3. ANÁLISE DAS CONDIÇÕES HIDROMETEOROLÓGICAS Paraíba do Sul, Tietê e Grande, também ocorre precipitação, 3.1. Condições Antecedentes porém de forma mais isolada e com menor intensidade. Nas bacias do subsistema Sul e na bacia do rio Paranapanema a A previsão de precipitação para a semana anterior indicava previsão é de ausência de precipitação ou totais muito a configuração da Zona de Convergência do Atlântico Sul – baixos. ZCAS sobre as regiões SE/CO, ocasionando precipitação também nas bacias dos rios Tocantins e São Francisco. Para A previsão de vazões, cuja atualização para esta Revisão as bacias da região Sul a previsão era de ausência de representou uma redução, em relação à previsão da semana precipitação ou de totais muito baixos (Figura 1). anterior, na energia natural afluente – ENA de todos os subsistemas, foi o parâmetro de maior impacto na elevação Figura 1 –Precipitação (mm) prevista no período de 13 a 19 de dos CMOs observada na Revisão 3 do PMO Janeiro/13. janeiro Desta forma, esta Revisão representou um aumento nos custos marginais de operação - CMOs, cujo valor médio 1 semanal para a região SE/CO passou de R$ 336,29/MWh para R$ 477,81/MWh. Esta Revisão indicou o despacho de geração térmica de cerca de 10.200 MWmed por ordem de mérito de custo, para a semana de 19 a 25/01/2013. Sendo assim, e tendo por base as condições atuais de atendimento eletroenergético do SIN, será mantido o atual valor de geração térmica da ordem de 13.800 MWmed. Neste contexto, está previsto um despacho térmico de cerca de 3.600 MWmed por garantia energética para a próxima semana. O conteúdo desta publicação foi produzido pelo ONS com base em dados e informações de conhecimento público. É de responsabilidade exclusiva dos agentes e demais interessados a obtenção de outros dados e informações, a realização de análises, estudos e avaliações para fins de tomada de decisões, definição de estratégias de atuação, assunção de compromissos e obrigações e quaisquer outras finalidades, em qualquer tempo e sob qualquer condição. É proibida a reproduç ão ou utilização total ou parcial do presente sem a identificação da fonte.
  2. 2. Sumário Executivo do Programa Mensal de OperaçãoRevisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013 Durante este período realmente foi observada a Tabela 2 – ENAs passadas consideradas no PMO de Janeiro/2013 configuração da ZCAS, ocorrendo totais significativos de precipitação, e bastante próximos dos previstos pelo Rev.3 do PMO de Janeiro/2013 - ENAs modelo ETA, nas bacias dos rios Tietê, Grande, Paranaíba, 5/1 a 11/1/2013 12/1 a 18/1/2013 Subsistema Tocantins e São Francisco. Nas bacias da região Sul e na MWmed %MLT MWmed %MLT bacia do rio Paranapanema os totais observados foram mais SE/CO 30.425 54 49.333 88 baixos, também conforme o previsto (Figura 2). S 16.169 225 9.087 127 NE 3.201 22 2.858 20 Figura 2 - Precipitação (mm) observada no período de 12 a 18 N 4.255 44 5.179 53 de janeiro 3.2. PREVISÃO PARA A PRÓXIMA SEMANA Com o posicionamento mais ao norte da ZCAS, a perspectiva para a próxima semana é de que os totais mais significativos de precipitação ocorram nas bacias dos rios Paranaíba, São Francisco, Tocantins, Doce, Jequitinhonha, Paraguaçu e Parnaíba. Nas bacias dos rios Paraíba do Sul, Tietê e Grande, também ocorre precipitação, porém de forma mais isolada e com menor intensidade. Nas bacias do subsistema Sul e na bacia do rio Paranapanema a previsão é de ausência de precipitação ou totais muito baixos (Figura 3). Cabe ressaltar que nas bacias dos rios Paranapanema, São Francisco, Iguaçu e Uruguai e parte das bacias dos rios Grande, Paranaíba e Paraná, esta previsão é utilizada como insumo nos modelos do tipo chuva-vazão, para a previsão de 2 afluências para a próxima semana. Figura 3 - Precipitação acumulada prevista pelo modelo ETA A Tabela 1 mostra a comparação entre a ENA semanal (CPTEC/INPE) para o período de 20 a 26 de janeiro de 2013 prevista para a semana de 12/01/2013 a 18/01/2013 e a verificada até o dia 16/01/2013. Tabela 1 – ENAs previstas e observadas para a semana em curso Rev.3 do PMO de Janeiro/2013 - ENAs Previsto Verificado Subsistema 12/1 a 18/1/2013 12/01 a 16/1/2013 MWmed %MLT MWmed %MLT SE/CO 58.488 105 46.583 83 S 13.742 191 9.894 138 NE 2.850 20 2.788 20 N 5.680 59 5.106 53 A tabela a seguir apresenta a ENA semanal verificada na semana de 05/01/2013 a 11/01/2013 e a estimada para a semana de 12/01/2013 a 18/01/2013 nos Subsistemas do SIN. O conteúdo desta publicação foi produzido pelo ONS com base em dados e informações de conhecimento público. É de responsabilidade exclusiva dos agentes e demais interessados a obtenção de outros dados e informações, a realização de análises, estudos e avaliações para fins de tomada de decisões, definição de estratégias de atuação, assunção de compromissos e obrigações e quaisquer outras finalidades, em qualquer tempo e sob qualquer condição. É proibida a reprodução ou utilização total ou parcial do presente sem a identificação da fonte.
  3. 3. Sumário Executivo do Programa Mensal de OperaçãoRevisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013 A partir da previsão meteorológica, prevê-se que na elevados índices de precipitação e registro de temperaturas próxima semana operativa, de 19/01/2013 a 25/01/2013, as amenas. afluências aumentem nos subsistemas Sudeste, Norte e Nordeste e apresentem redução no subsistema Sul. A Tabela 4 - Evolução da carga para a Revisão 3 do PMO de Janeiro/2013 Tabela 3 apresenta os resultados da previsão de ENAs para a próxima semana e para o mês de Janeiro. CARGA SEMANAL (MWmed) CARGA MENSAL (MWmed) Subsistema Var. (%) 1ª Sem 2ª Sem 3ª Sem 4ª Sem 5ª Sem jan/13 jan/13 -> jan/12 Tabela 3 – Previsão de Energia Natural Afluente SE/ CO 35.703 39.198 36.989 37.707 38.009 37.682 4,2% SUL 8.528 10.636 11.189 10.984 10.958 10.630 3,0% Revisão 3 do PMO de Janeiro/2013 - ENAs previstas NE 9.097 9.865 9.732 9.789 9.778 9.702 8,6% 19/1 a 25/1/2013 Mês de Janeiro NORTE 3.851 3.992 3.959 3.996 4.002 3.969 -2,9% Subsistema MWmed %MLT MWmed %MLT SIN 57.179 63.691 61.869 62.476 62.747 61.983 4,1% SE/CO 51.931 93 43.699 78 S 5.981 83 9.476 132 5. PRINCIPAIS RESULTADOS NE 4.573 32 4.582 32 N 6.321 65 5.552 57 5.1. CUSTO MARGINAL DE OPERAÇÃO (CMO) A tabela a seguir apresenta o CMO, por subsistema e 4. PREVISÕES DE CARGA patamar de carga, na semana operativa de 19 a 25/01/2013. Com a incorporação dos equipamentos de refrigeração de Tabela 5 – CMO por patamar de carga para a próxima semana uma maneira geral, as variações de carga tem se apresentado muito mais sensíveis às variações de CMO (R$/MWh) Patamares de Carga SE/CO S NE N temperatura. Pesada 478,86 478,86 478,86 478,86 Média 478,86 478,86 478,86 478,86 No subsistema NE, o crescimento previsto de 8,6% reflete a Leve 475,96 475,96 475,96 475,96 3 continuidade do bom desempenho que vem sendo Média Semanal 477,81 477,81 477,81 477,81 observado na atividade econômica da região voltada para o mercado interno. Além disso, destaca-se o aumento no consumo de energia elétrica das classes residencial e comercial (incluindo o setor de serviços). 5.2. POLÍTICA DE INTERCÂMBIO No subsistema Norte, o principal efeito que provoca o A figura a seguir apresenta a política de operação decréscimo previsto de 2,9% decorre da permanência da determinada pelo modelo DECOMP para a semana carga reduzida de dois consumidores industriais da Rede operativa de 19 a 25/01/2013. Básica, dos setores de alumínio e níquel, cuja redução Figura 4 - Políticas de Intercâmbio para a próxima semana temporária é de cerca de 180 MWmed. FICT. 1806 NORTE 0 R$ 477,81/MWh R$ 477,81/MWh No subsistema Sul, a taxa de crescimento de 3,0% está N NE refletindo, basicamente, o comportamento das temperaturas observadas que, embora no início do ano 1806 119 tenham sido amenas, a partir da segunda semana voltaram R$ 477,81/MWh 3509 a subir, assumindo o comportamento esperado para essa SE/CO época do ano (temperatura elevadas). 50 Hz Caso 1: JAN13_RV3_N-2_V ITAIP Caso 2 60 Hz 2030 No subsistema SE/CO, a atual taxa de crescimento prevista 1208 4177 SEMANA 4 FICT. SUL MÉDIA DO ESTÁGIO de 4,2% está associada à recuperação da carga do setor 2147 industrial, que representa cerca de 60% da carga de energia R$ 477,81/MWh desse setor do país. Além disso, destaca-se a ocorrência de S temperaturas muito elevadas nas duas primeiras semanas do mês. A semana em curso foi marcada por dias de O conteúdo desta publicação foi produzido pelo ONS com base em dados e informações de conhecimento público. É de responsabilidade exclusiva dos agentes e demais interessados a obtenção de outros dados e informações, a realização de análises, estudos e avaliações para fins de tomada de decisões, definição de estratégias de atuação, assunção de compromissos e obrigações e quaisquer outras finalidades, em qualquer tempo e sob qualquer condição. É proibida a reprodução ou utilização total ou parcial do presente sem a identificação da fonte.
  4. 4. Sumário Executivo do Programa Mensal de OperaçãoRevisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013 6. ANÁLISE DA VARIAÇÃO SEMANAL DOS CUSTOS 7. GERAÇÃO TÉRMICA MARGINAIS DE OPERAÇÃO O gráfico a seguir apresenta, para cada subsistema do SIN, o A análise da variação semanal dos custos marginais de despacho térmico por modalidade, para a semana operativa operação, em função da atualização dos dados de de 19 a 25/01/2013. planejamento desta revisão do PMO, foi realizada a partir de cinco estudos. Figura 6 - Geração térmica para a 4ª semana operativa do mês Janeiro/2013 O caso inicial foi construído com base nos dados de planejamento da Revisão 2 do PMO, excluindo a semana 14000 13.881 operativa de 12/01/2013 a 18/01/2013. Nos estudos 12000 seguintes foram atualizados os seguintes blocos de dados: a 10000 MWmed 7.886 8000 previsão de carga dos subsistemas, partida dos 6000 reservatórios, previsão de afluências e os limites nos fluxos 4000 3.777 intercâmbios de energia entre os subsistemas. Os valores do 2000 1.900 318 CMO publicados nos resultados de cada um destes estudos 0 SE/CO SUL NE NORTE SIN estão reproduzidos graficamente, a seguir. GARANTIA ENERGÉTICA 1192 178 1937 318 3625 RESTRIÇÃO ELÉTRICA 120 0 0 0 120 INFLEXIBILIDADE 55 0 0 0 55 ORDEM DE MÉRITO 6519 1722 1840 0 10081 Figura 5 - Análise da variação do CMO nos Subsistemas do SIN CMO Médio Semanal CMO Médio Semanal 3ª semana operativa 4ª semana operativa Despacho Térmico por ordem de mérito de custo: 4 12/01 a 18/01/2013 19/01 a 25/01/2013  Região Sudeste/C.Oeste: Angra 1¹ e Angra 2, Norte SE/CO, Sul, NE e Norte - CMO (R$/MWh) Fluminense 1, 2, 3 e 4, St. Cruz Nova², Linhares², L.C. Prestes, Atlantico, G. L. Brizola, Juiz de Fora, Cocal¹, 475,87 475,88 477,81 Pie-RP, B. L. Sobrinho, A. Chaves, W.Arjona1, 336,29 147,67 Euzebio Rocha, F. Gasparian, St. Cruz 34¹, M. Lago e 333,81 331,88 328,20 0,01 Piratininga 12¹; 1,93 -2,48 -1,93 -3,68  Região Sul: Candiota III, P. Medici A e B, J. Lacerda C, B, A2 e A1, Charqueadas, Madeira, S. Jerônimo, Araucária e Figueira;  Região Nordeste: Termopernambuco, Fortaleza, P. Sem.3 Sem.4 Carga Armaz. Vazões Desligam. Demais Pecem I, R. Almeida, Termoceará, C. Furtado e J. S. Iniciais (1º Est.) Atualiz. Pereira; ¹ Consideradas indisponíveis conforme legislação vigente ou informação do Agente. ² Despacho comandado antecipadamente conforme metodologia vigente de despacho GNL. Adicionalmente, foi indicado o despacho antecipado por ordem de mérito de custo, em todos os patamares de carga, das UTEs St. Cruz Nova e Linhares para a semana operativa de 23/03 a 29/03/2013. O conteúdo desta publicação foi produzido pelo ONS com base em dados e informações de conhecimento público. É de responsabilidade exclusiva dos agentes e demais interessados a obtenção de outros dados e informações, a realização de análises, estudos e avaliações para fins de tomada de decisões, definição de estratégias de atuação, assunção de compromissos e obrigações e quaisquer outras finalidades, em qualquer tempo e sob qualquer condição. É proibida a reprodução ou utilização total ou parcial do presente sem a identificação da fonte.
  5. 5. Sumário Executivo do Programa Mensal de OperaçãoRevisão 3 do PMO de Janeiro| Semana Operativa de 19/01 a 25/01/2013 8. RESUMO DOS RESULTADOS DO PMO Figura 10 - Subsistema Norte As figuras a seguir mostram o resumo dos resultados da Revisão-3 do PMO de Janeiro/2013, relacionando, Energia REVISÃO 3 DO PMO - N - Janeiro/2013 Natural Afluente (ENA), Energia Armazenada (EAR) e Custo 90,0 600,0 80,0 Marginal de Operação (CMO) nos quatro subsistemas do 70,0 500,0 CMO (R$/MWh) EAR ou ENA (%) Sistema Interligado Nacional (SIN). São apresentados os 60,0 400,0 50,0 valores semanais observados e previstos e o valor esperado 40,0 300,0 dos cenários gerados para o mês de Fevereiro. 30,0 200,0 20,0 100,0 10,0 Figura 7 – Subsistema Sudeste 0,0 Inic Sem_1 Sem_2 Sem_3 Sem_4 Sem_5 VE[FEV] 0,0 CMO (R$/MWh) 341,01 551,77 336,29 477,81 476,06 466,18 EAR(%EARmax) 40,9 40,6 41,5 43,0 42,9 43,1 58,7 REVISÃO 3 DO PMO - SE/CO - Janeiro/2013 ENA(%mlt) 47,0 44,0 53,0 66,8 78,8 78,4 120,0 600,0 100,0 500,0 CMO (R$/MWh) EAR ou ENA (%) 80,0 400,0 60,0 300,0 40,0 200,0 Observação: As contribuições referentes ao Sumário 20,0 100,0 Executivo do Programa Mensal de Operação poderão ser 0,0 Inic Sem_1 Sem_2 Sem_3 Sem_4 Sem_5 VE[FEV] 0,0 encaminhadas para o email: pmo-ouv@ons.org.br CMO (R$/MWh) 341,01 554,95 336,29 477,81 476,06 487,59 EAR(%EARmax) 28,8 28,6 29,3 32,0 34,5 36,9 44,7 ENA(%mlt) 55,0 54,0 88,0 96,3 97,4 86,5 5 Figura 8 - Subsistema Sul REVISÃO 3 DO PMO - S - Janeiro/2013 250,0 600,0 500,0 200,0 CMO (R$/MWh) EAR ou ENA (%) 400,0 150,0 300,0 100,0 200,0 50,0 100,0 0,0 0,0 Inic Sem_1 Sem_2 Sem_3 Sem_4 Sem_5 VE[FEV] CMO (R$/MWh) 341,01 554,95 336,29 477,81 476,06 486,92 EAR(%EARmax) 34,8 39,4 48,3 49,0 48,6 47,9 54,0 ENA(%mlt) 123,0 225,0 127,0 81,8 87,6 118,3 Figura 9 – Subsistema Nordeste REVISÃO 3 DO PMO - NE - Janeiro/2013 70,0 600,0 60,0 500,0 50,0 CMO (R$/MWh) EAR ou ENA (%) 400,0 40,0 300,0 30,0 200,0 20,0 10,0 100,0 0,0 0,0 Inic Sem_1 Sem_2 Sem_3 Sem_4 Sem_5 VE[FEV] CMO (R$/MWh) 341,01 551,77 336,29 477,81 476,06 466,24 EAR(%EARmax) 32,3 31,0 29,3 28,0 26,9 27,3 29,8 ENA(%mlt) 34,0 22,0 20,0 29,1 58,7 56,5 O conteúdo desta publicação foi produzido pelo ONS com base em dados e informações de conhecimento público. É de responsabilidade exclusiva dos agentes e demais interessados a obtenção de outros dados e informações, a realização de análises, estudos e avaliações para fins de tomada de decisões, definição de estratégias de atuação, assunção de compromissos e obrigações e quaisquer outras finalidades, em qualquer tempo e sob qualquer condição. É proibida a reprodução ou utilização total ou parcial do presente sem a identificação da fonte.

×