De hora em hora de "Ruth Rocha"

17.024 visualizações

Publicada em

Este livro é recomendado para o trabalho com medidas de tempo.

Publicada em: Educação
0 comentários
43 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.024
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
863
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2.458
Comentários
0
Gostaram
43
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

De hora em hora de "Ruth Rocha"

  1. 1. e». _ 'QUI NTÉTO a EDETCRIAI
  2. 2. Fa" um. :mf N-Wm _ 5,». 2-; ILUSTRAÇÕES DE HELENA ALEXANDRINO 7g M. ul_ NUA. . E; k. : - ~
  3. 3. ; dm», qlhguéwv. .Hnttuw. .m , MMM , z . lxllÍ, l l í . tr
  4. 4. Lin. . 19703 ' En; 10:21h ' "na. !v4.1 . ' . - Ccnyvigh! 13 -hpvz «^ ' › 1:1; Cuhur ' L . w T0002 os o-"abtosda @mean @semanas a OUQNYETO EDITORlAL LTIIA. Sua PJ¡ Barbosa. 156 . Í J , S-'àa “sua A SP CEF (J 326-010 marc-a» gO-XX-ÍÍI 3595-5003 F -r-. j oro_r›1o'-›3ñd. n:<›m. bv fcalom *díxcfa f* RP- '4 ? Jüfh Ec-icra ass atente Ermta Norte: Chn: : EC R: : n: : 'xíc 51th 'rí-Í- L «rx 111-: llustcaçaes He : :na A axanar. A, Diagramação 'M103 Velaaaxrs Net-ñ Fnntonnçízn ulutrbnlm¡ a . , y . v 14h] Saturn; Êur- , ._ Dudo- lnu-raacnonain oo- Caaalognçao na Publicação (CIF-v ' (Cõfn-afa Rmnilwín- do Livro. SD, Brasil) 1 . '75 Racha» Hum. * “H5 Um Duhorwwvnlvans. lFulhñodxznian-írnçboduP-t-v- 1 33?¡ Úu¡ PúÂFZtQCWÓ-'iñfhyíxl - 58o Paulon). - '1V›.1t›Edlf0fvaJ, ? M63 ! Coleção nuno doa Manhas) l. Utnranra. uvnnmjuvcnl. l. Alexandrno, b-tmcana. II. fado. Ill. Son-in. : sen ias-amazon -n ! y 98-21 97 CDD-02B_'› Inn-oo: par¡ catalogo zsznmnüoo! 1. Llmrmnrn ¡Mann! 0?B.5 ? . Lltcomrtutn ínrmooiuvaril 02115
  5. 5. ,É o , r a à Q 'o I '. ... _o/ Marcelo vivia perguntando: - Mamãe, o que é bandopassâ? - Bandapcssó? Sei não, menino! Onde é que você viu isso? - Tem uma músico que diz assim: pra vê a bcndapossó. .. - Não é bandapossõ, Marcelo. É bando passar. Pro ver o bando passar. Bando de músico.
  6. 6. U1 1 e? -x 'x . r 4 A. í _ 1. . r-Àvg_ «l . 'LW , ~ WW; w . 9 -- Ingá-ui ~ I ' ' F-àj . ., ~ 1 P . , ~_ 7 ^ ! u 'x ¡ -r fi T- . . . “ 'x , . .
  7. 7. ó No ouiro dia, ló vinha o Marcelo: - Pai, sinal tem pelo? O pa¡ de Marcelo nõo entendia: - Que sinal, menino? Não esjouentendendo. - Sinal, pai, do peloesínal-da-santa-cruz. .. O pai* de Marcelo suspirava e 'tenta o explicar: - Nõ , Marcelo, não é pelo-pelo. Ê pelo-pelo. ..
  8. 8. 'a' . . j¡ I' . .l ' 1 w* ; ü < . - , ____ _ K _ Ô l . . , _ . * 'v __ ' _ . .-7 < l - , w- _ 4 L v' ã” m *r ~~ “QL v' ~ . J __, ,__. .- - l, _ ¡ , 1 . A ' “" V. . Í . '¡ * A ; _- _l V í T Um dia, Marcelo perguniou: - O que é veazora. mãe? - Veazora, Marcelo? Se¡ lã! - A Gabriela indagorinha disse que ia veazora. - Não, Marcelo, não é veazora. Ê ver as horas- Ver que horas são. Que horas são do dia. _,
  9. 9. e _sá . , r yÍi. .. _ : 11.4 . _. , _ , _ 4. . ,,. .. . . ill] -. r _ . amu, . . .. ... s . _ , ,. .n e . . _ _ , Í , ,_ . _ L . ._ , _ , . _q ll 4 , .. , . . . _ __ . a _ . a , f. . . . vt. . _ _ b» 4 w , › , _, 4 . . , . Mw. ? J , . _ sn. .. u 11| . _U . . _ _ . s . i, 1 __ _ . l »QL
  10. 10. 'IO - E como é que a gente faz isso? - Bem, Marcelo. Pra isso a gente usa o relógio. - E como é que a gente vê as horas no relógio? Dona Laura explicou: - O tempo é todo divídidinho. Cada pedaço bem pequeno do tempo se chama segundo. - E o primeiro, como é que é? - Não atrapalhe, Marcelo, senão não acabo nunca! '__ _- / l *r : ._: _'_ v, ' : ~ z . f. ' f_ Q g | l f V: ,I 'j ' a l . N , l 2 l z i / '1 r z 'N -x/ u o * / 7 _- 'xj j_ -- '_ *Í v 9 ~ ; ,s~-_~--*' : r ; , V) - - WI _S x_ x . - m í
  11. 11. ll - Um segundo é o tempo que você leva pra tocar uma nota no piano, por exemplo. Pra estalar os dedos. .. Pra dar um passo. .. Pro piscar o olho. _ 711 12 *1 7 _. '¡0__ 2 ug i -1:, »_ a3,- 7 Q _Í ; IÍW l a~_/ l E: f. _ *T7 É A l i l ' › N _. n- '. _ _. _v: - r 3:41'. ; l ›s fr', t: ,Í_›_, r~«1.: ¡Í~-l LJ* . - › ¡ , -
  12. 12. em: g, - Agora: 60 segundos fazem um minuto. Ê o tempo que você leva pra piscar o olho 60 vezes. É o tempo que você leva pra lavar as mãos. .. - Jã sei! - disse Marcelo. - É o tempo que leva pro sorvete acabar. Ele sempre acaba num minuto!
  13. 13. Dona Laura suspirou e continuou: - você iã reparou que o relógio é todo riscadinho, entre um número e outro? Pois um minuto é o tempo que o ponteiro grande do relógio leva pra ir de um risquinho até o outro. . ~ 5 z e / É¡ . ,¡. »._¡ nz: : '¡(_'Íl____ . a 2 ; ; Fl 7 z ' i 38 7 4 11 a ñ/ .IJL , lrÇÍ>Á A 1" 13
  14. 14. i4 - Jó entendi- Marcelo disse. - Pode passar adiante. Dona Laura continuou: - 60 minutos fazem uma hora. Ê o tempo que você leva pra fazer suas lições. .. Ê o tempo que eu gasto pra fazer um almoço. ..
  15. 15. - Jó sei! - gritou Marcelo. - É o tempo que você gasta no telefone falando com a vovó. Papa¡ sempre diz: "Sua mãe fica uma hora nesse telefonel". Dona Laura sorriu: - E o tempo que o ponteiro V¡ grande leva pra dar uma volta inteirinha no mostrador do relógio. v E o ponteiro pequeno leva uma hora pra ir de um número ao número seguinte. 1 ot 2 l Í 9 '“'“í¡í* 3 «l 1 « | . Ú. .z 4 : 5-_-
  16. 16. 'ló - A gente chama de dia as 24 horas que vão da meia-noite de um dia ã meia-noite do outro. . IL p' . j ' 4 1 d. 8 _f ; J . › _ , e _Lx 'Í x" l
  17. 17. _ -AEU sei! - disse Marcelo. À - E também chama de dia _y_ , _ 1., as horas em que estã claro, f¡ ? as horas em que a gente « fica acordado. . __ _ -_ *a2* . u 9.2.. .. z '- -' ' 'r c. f. : , 4 I _ 5-, J ” * 'f l . d' . l a_ : a . vv ›_ l
  18. 18. i8 - Quase todo mundo dorme de noite. Você, por exemplo. Quando são 9 horas, você vai dormir. A noite va¡ passando e você va¡ dormindo. .. 9 horas-. . -um eia. ; 1:'; _~__, 'IO horas. .. Wo 1° '. 11 horas. .. : g3 “ 'j 12 horas ou meia-noite. m” * g. _. _g. _,
  19. 19. 20 - PRlNl? Que é isso, Marcelo? - PRIIIIIMMM! Ê o despertador que toca às 7 horas. Não esta certo? - Estã certo, sim! Às 7 horas, PRIM! Toca o despertador. Você levanta, vai se lavar, toma café, veste sua roupa, pega seus livros e. .. - Eu saio correndo pra escola, que iã estou atrasado!
  20. 20. 22 em ponto. .. - E a¡ PRIM, de novo! › . s/*Ít '. ,.~í> - PRI/ Vl de novo, Marcelo? 54?' 3733:: 5 - É. Às 8 em Ponto, PRIIIIIMMMM! í'1“: :+: 'f*"' Toca o sinal pra eu entrar na escola. Das 8 às 9 horas a gente estudo ' _ A _ F7” _ _ “““ r ' matematica. Das 9 ãs 'lO a gente A "x“_: __7 ' ” ° l estuda português. E às 10 horas
  21. 21. - Jó sei, Marcelo. PRlM! - E isso mesmo. Toca o sinal pro recreio. 23
  22. 22. 24 Marcelo continuou: - Às 11 horas é aula de história ou, se não, de geografia. Ás 12 horas. .. Eu nunca ouvi ninguém dizer 12 horas. A gente diz meio-día, não diz? - Diz, sim, Marcelo. Meio-dia é a mesma coisa que 12 horas - respondeu dona Laura. - E meia-noite é a mesmo coisa que 12 horas da noite. - Ao meio-dia a gente sai da escola. [A _ 'x . _ _ _r »j *V _T A; _ , f_ L_ V', _ v _ . . = -4:; À-. __ / A . L1 7 S? ” _ / _ , " l ¡ l 'rçx/ .K › _ . L. , _. Í ¡ , in ' " -_ _ «l l v l *¡ , _A _ _ l ' I A 7 *Al l . _ ' i' _wf y _ VV_ _ , i ~ t' ~ v x c "h Í'. . . ' 1T. " 7 . _/ t; t. l . r . 7 f¡ A. f; xx' ~ . A l l l : . v +; _x*'-. _~_ _i ' r . ,_; ,ty-- , _Ç * . ~ q-_t : r . í J “ j! r | j _ (.51 1 x7'
  23. 23. 5 2
  24. 24. x (, ' ' V' - í o 1'¡ I a. .- -. --
  25. 25. u. .lcmdlií irHq. ,“l. ¡uHvl. ..›_ Hlrilm. . I l, .. . L. MTL? t» . |.“.
  26. 26. --8 Às 3 horas eu descanso um pouco- . É « _ r A* 7. ' 1- a ; ra- ~ " _. ,r" . 7 7 "j N , '77 7 . _. _ , 7 , -y / V- . A_ 7 J' ) m' 7 ' "'41 r _ x 7m'. gw. f x I_ › '. _ A . l - - g 7 g A v l l r v . _ , | . › J . I v? Í -' l L' y _c Tí A 77-1_ _p_ _ - : às a _' " 'S4' --v1 7 , VJ ma'.
  27. 27. Às 4 horas eu tomo meu lanche. . __ _ix , u» ~ V. x - _l_ l, N ¡ em '(9 l g__ l É : V A_ u' J 7. ç - r ' , l¡ _ _ _ r › _ . ___ l ” m_ m” ; i l l "m" m* i l 7,14
  28. 28. _-. t em, Às 5 horas eu : A . l vou brincar com “- 'A meus amigos. .; .. '
  29. 29. i . _ ; ›- mas . ig-xa n-: u- p--': 24121.22¡ ' ' ¡-, =~›. r._-, aÇ-_'. SL-5=T~SEFJ; ;Ê l ' ' 51' ; Il' &K; si! ? r' n-e-. sâêaawui 9 . .a--, ._. .._- . general-vp : u i
  30. 30. 32 l Às 7 horas eu ianto. l. . . x “ ÍHÍLÂ _ É 7 _ -í ' 74o” x 4077? a' ›_'*, “°-- a_ lu 9 É. 3' l I 7“&' ~ x uti 7' 5.4 - "_ ' n' n71?” e ~'“' . « , x : x . _ . r' 7 I “ - - ~c . x-'7 . mu › ' an" j , di - _ x N l ' x _ f! l I» _ ~*'| . q' - › ~ . ñ. ' / “ l K . t 1*_ l z , r l 'x A' N ' ' : x ' r
  31. 31. Às 8 horas a gente conversa. Você, ou o papai, conta histórias pra mim. r *i7 1- ' l 4 , ' 7*. *_, 1 3. 3 3,_ . _.12 . , ' E. l 4 '› -r- g' I 'ñ l l v' ' ” N ! l l- _L_ _ . - -_ . cJ- 3 " u I ~. x a l - 1 n x ' ' › 7.7 . a . ._ L' _ l , ~' 7 tw' J l' : ' . ~ t. A › _ AJ' 7 l L. , - "j. - * _ _ r _ _ . _- . l l _ . . | _›__, __« - W777' _7 1 " Tx, r 74 l , a7 7 F t( 7 i _. _ ___. -_ _ x_ _ , Á_'« ”t| I' 7 , ,i _ r a ci ~ l x 33
  32. 32. IíÃ~ »Í _V_ 4.: : _r m__í_ r w- . .. r e . m . _ _ l l 1 r 7 Í_ l c ' l . ' ' 7.¡ '. ; › . _ _ _ _l › _ ^ s r 'l l /7 l _-- - *P m--- _ ¡ _V 7 l _ . r i w V . ' 7 rt 11,. . "a L~ y 7 7 . V* . . ___ . _¡ -. . 9 4 , Á/ _. ./r g r_4-': .fr v . r , x V, - à 7 t": v. , _ 1'¡ '. *- *l . _ . p”
  33. 33. r . f _nú_ . . _. ... ,.L. .. . .. . VA. ix. .. um_ _. íx. _,. _,: .. __ . _. N' . if a : rf . 3.
  34. 34. Cx Ruth Rocha Eu sou paulista Nas minhas Crtgens, baianos, mineiros ^* - cariocas. Corn muitos portugueses bem na para trás e algum sangue augre ou negro - cuem sabe? ~. que se traduz na mirha ccr dc cuia quando apanho sei Gosto muho de sc! , de praia e de mar. De música c de 'ivrcs De cantar_ : :arcar e nr. › Gosto muito de gente Princlaalmente ce criança. I Crença-criança. Que da risada fora de hcra, qoe se . . ~ impa-: ienta quando gente grande fala demais e que grxta que o re¡ '› está nu Gosto do Loaato. !não o Lobato cas mil mortes ce Uru ces. mas l a o Lobato que D-Dtc-u na boca da Enflla. quanto perguntada “quem c- ' Y_ “r voce? a síntese da rebeldia: "Eu sou a independencia ou _ a Morte". D: Guimarães Rosa, nor quem Rlcoalco falou a famosa " _, ~ 'Mestre não é aquele qu? semzre ensina. mas aquele que de repente aprende" E Ca Mario de Andrase. Cate resumen na rala de Macunaíma meu sentimento mais secreto. “Al, que pregu cam' miar. '. › svunv. ¡ Helena Alexandrino s . ' ilustrar De hora- em hora me fez Ív vxàfar de volta ao tarr no em que m nha mãe me ensinava a ver as Í ~ ' 'e a horas _ 0 relógl-p lá de casa era desses , :: e corda. gre 'ldào e desengonçzndo, .. ' e 'ne serviu de : nspiraçãáo para - __ desenhar este Irvro. -* Acho due o mais biz-mio de ler '. , ' as horas e descobrir que toda hora ' ” . tem uma coisa legal nr. : gente fazer
  35. 35. ?à ' K eunñzro Í D¡ ÍÓFÍ 'A l. . s, t_ . - o H n ç v - _ . É 13 Qt' '›« nr an: : n¡ _ _ - . . _ . e . › s *an* '44- ' o o 1 ~ . TW-cre ' m ~ son. DIA_ A rr às pula. . ' q_ l __ iii( f" _ . W O MENlNO GU¡ ru 'ra N71) à a-ÍW 72 1 P¡ ¡Blh 42;_ '. ' r 'Íil 7 J' . J A ZZ'

×