POLÍCIA MILITAR DO ACRE                             Processo de anexação do Acre ao Brasil            2° BATALHÃO DE POLÍC...
O Governo do Amazonas e o interesse pela região do Acre                   Acre: Império de Luis Galvez Rodrigues de Arias ...
do Brasil, Galvez não recebeu nenhum apoio político. O Brasil            O Bolivian Syndicatecontinuava a defender o Acre ...
- Após a rescisão do contrato com o Bolivian Syndicate, a              - O ataque de Plácido de Castro à volta do Seringal...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

História da pmac

420 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
420
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da pmac

  1. 1. POLÍCIA MILITAR DO ACRE Processo de anexação do Acre ao Brasil 2° BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR GUARDA MIRIM - 1493, Bula Papal Intercoetera (expansão comercial de Portugal e Espanha, século XV, gera conflitos diplomáticos que serão resolvidos pelo Papa da época), Acre e Bolívia pertencem à Espanha; - 7 de junho de 1494, Tratado de Tordesilhas (a linha demarcatória passaria agora a 370 léguas da Ilha de Cabo Verde, Portugal alcança as terras brasileiras, mas as regiões acreana e boliviana continuaram como áreas da Espanha; - 13 de janeiro de 1750, Tratado de Madri, os portuguesesHistória da PMAC asseguraram para si as terras adquiridas na Amazônia, utilizando-se do princípio do UTI POSSIDETIS; 1904 – O Acre passa a ser brasileiro. - 12 de fevereiro de 1761, Tratado de Prado, pressionado pela Espanha, Portugal assina o Tratado de Prado que anula o Tratado de 15 de Junho de 1962 O acre passou a ser estado. Madri; 1904 – 1916 – O Exercito fazia o policiamento - 10 de outubro de 1777, Tratado de Santo Ildefonso, com as 1916 – 1921 -- As Companhias Regionais revoltas dos comerciantes portugueses, Portugal forçou a Espanha a assinar esse Tratado, no qual os territórios já conquistados pelos 1921 – 1934 – Força Policial do Território Federal do Acre portugueses na Amazônia pertenceriam a Portugal; 1934 – 1945 – Guarda Territorial do Estado do Acre - 27 de março de 1867, Tratado de Ayacucho, financiados pela 1963 – Criada a PM pela Constituição Estadual PMAC Inglaterra, o Brasil, a Argentina e o Uruguai entraram em guerra 1974 – Instalação da PMAC contra o Paraguai. O Brasil temendo que a Bolívia ficasse do lado do Paraguai na guerra, decidiu atender as exigências do governo “A Expedição dos Poetas” conhecida como Expedição Floriano boliviano, desde que a Bolívia ficasse neutra no conflito;Peixoto. Na época o Governador do Amazonas era Silvério José Néri. - A assinatura do Tratado de Ayacucho é feita entre Brasil e - Quem expulsou o delegado Moises Santivanes? José de Bolívia, onde o Brasil abria a navegação no Rio Amazonas à Bolívia eCarvalho. reconhecia o Acre como possesão boliviana; - D. Lino Romero, ‘ o Acre nominalmente era da Bolívia, masmaterialmente pertencia ao Brasil. - O Delegado Moises Santivanez, representa o governo bolivianono Acre em Porto Acre, no lugar de Paravicini.
  2. 2. O Governo do Amazonas e o interesse pela região do Acre Acre: Império de Luis Galvez Rodrigues de Arias - A penetração boliviana no Acre estava sendo bastante - A Bolívia não se conformando com a situação pede ajuda aosdificultada pelo governo do estado do Amazonas e pelos seringalistas Estados Unidos, ... Com medo de perder o Acre para os brasileiros, ada região; Bolívia começou a pensar num possível arrendamento da região - Em 02 de janeiro de 1899, José Paravicini instalou-se no Acre acreana para os empresários americanos e ingleses;fundando ali uma cidade chamada de Puerto Alonso (atual Porto - Esta negociação foi descoberta pelo espanhol Luis GalvezAcre), começa a funcionar a Aduana da Bolívia, passando a cobrar Rodrigues de Arias, que havia sido embaixador de seu país nataxas de extração da borracha e transporte dos seringueiros, o que Argentina, vindo para o Rio de Janeiro e logo depois para Belém;gerou insatisfações e “conflitos” ! - Luis Galvez descobre os planos da Bolívia de arrendar o Acre - Com Paravicini, o Acre passa a ser administrado pela Bolívia aos Estados Unidos, denunciando tal trama no Jornal “A Província do(uma política de impostos pelas mercadorias trazidas para o Acre e Pará”, no dia 3 de junho de 1899;pela borracha transportada para Manaus e Belém); impostos que O governo americano não querendo conflito com o Brasil,variavam de 15% a 40% do valor do produto; resolveu “não fechar negócio” com o governo boliviano. Luis Galvez - A maioria dos seringalistas acreanos e o governo do Amazonas, retornou para a cidade de Manaus;continuaram com seus planos de não deixarem a Bolívia se apossar - Com o apoio do governador do Estado do Amazonas, Ramalhodas terras acreanas, contrariando o governo brasileiro que reconhecia Júnior, Luis Galvez foi para o Acre, a bordo do navio a vapor “Cidadeo Acre como território boliviano; do Pará”, saindo da cidade d e Manaus a 4 de junho 1899; - No lugar de Paravicini, assumiu o Delegado Moisés - A 14 de julho de 1899, Galvez, em Puerto Alonso, proclama oSantivanez, representando o governo da Bolívia no Acre e o clima de Estado Independente do Acre, sendo aclamado também seurevolta ficava cada vez mais quente! presidente; (esquecemos de lembrar que Galvez estava cumprindo - O Seringal Bom Destino foi o lugar onde alguns seringalistas ordens do governo amazonense que tinha interesse em anexar a regiãoarmaram o plano de expulsão do Delegado Moisés Santivanez e suas acreana ao seu território!);tropas do Acre. A rebelião liderada por José de Carvalho não precisou - Usando o lema “Liberdade e Justiça” , Galvez nomeou osde trocas de tiros. Santivanez deixa o acre em 3 de maio 1899; ministros do Estado Independente do Acre (os donos dos seringais - José de Carvalho, líder da 1ª insurreição conseguiu convencer acreanos), a capital do Estado Independente do Acre era Puertoos bolivianos a saírem da região, sem precisar disparar um tiro sequer. Alonso, agora “Cidade do Acre”. Galvez também criou uma bandeiraSeu governo durou pouco, o Brasil interveio no caso e o Acre passou para o Acre;novamente para as mãos dos bolivianos! - Galvez escreveu também ao presidente Campos Sales, do Brasil, pedindo-lhe que aceitasse a independência do Acre. Por parte
  3. 3. do Brasil, Galvez não recebeu nenhum apoio político. O Brasil O Bolivian Syndicatecontinuava a defender o Acre como território da Bolívia; - Com o decorrer do tempo, Luis Galvez começou a enfrentar - Depois da derrota da Expedição dos Poetas, o governo daproblemas: oposição dos seringalistas de Xapuri ao governo de Bolívia tentou arrumar sua administração no Acre. O EmbaixadorGalvez, oposição do influente seringalista Neutel Maia dono do Boliviano na Inglaterra , Félix Aramayo, chega à conclusão de que aSeringal Empresa (atual cidade de rio Branco); Bolívia não tinha dinheiro para manter o território do Acre e nem - O governo de Luis Galvez também teve problemas também condições militares para defender a região dos ataques dos brasileiros;com as Casas Aviadoras de Manaus e Belém, que queriam suspender - Félix Aramayo sugere o arrendamento do Acre a empresárioso aviamento se Galvez continuasse a cobrar impostos sobre a ingleses e norte-americanos. Com isto, o governo boliviano saíaexportação da borracha; lucrando, não precisando preocupar-se com a defesa da região; - Galvez proibiu a exportação de borracha para Manaus e Belém - Formou-se um grupo de grandes empresários da Inglaterra ee não permitiu mais a navegação de navios brasileiros nos rios Acre, dos Estados Unidos , a fim de fecharem negócio com a Bolívia aXapuri e seus afluentes; respeito do arrendamento do Acre. Esse grupo de empresários - 28 de dezembro de 1899, Galvez foi deposto do cargo de chamava-se “Bolivian Syndicate” ( a administração do BolivianPresidente pelo seringalista Antônio Braga que assumiu com o apoio Syndicate seria fiscal);dos seringalistas insatisfeitos; o despreparo do Coronel Antônio Bragafez com que Galvez novamente voltasse a ser Presidente do EstadoIndependente do Acre; A guerra dos acreanos contra a Bolívia - O governo brasileiro “toma uma atitude”, no dia 15 defevereiro de 1900, Galvez foi deposto pelas autoridades brasileiras, - O governo brasileiro procurou o governo dos Estados Unidosque chegaram à cidade de Porto Acre no navio de guerra “Tocantins”; para que tal contrato, assinado entre o Bolivian Syndicate e a Bolívia, - Galvez foi levado muito doente para Manaus e Belém e de lá fosse desfeito (O Brasil temia a invasão americana);para Recife e depois para a Europa, morreu em Madri; - Os Estados Unidos querendo o apoio do Brasil em suas -Com a expulsão de Luis Galvez, os bolivianos resolveram intervenções armadas nos países da América Central convenceu aocupar novamente a região acreana, espalhando seus soldados nas Bolívia a desfazer o contrato assinado com o Bolivian Syndicate;várias localidades ao longo do Rio Acre. O governador do Amazonas - A Bolívia desfez o contrato, mas quem pagou a indenização foifinancia e envia a “Expedição dos Poetas”, liderada pelo engenheiro o Brasil. Antes de desfazer o contrato de arrendamento do Acre com ocivil Orlando Correia Lopes... Os poetas fugiram quando ouviram os Bolivian Syndicate o governo boliviano enviou para o Acre um novoprimeiros tiros das armas bolivianas!; delegado, conhecido pelo nome de D. Lino Romero , chegando na região acreana a 2 de abril de 1902;
  4. 4. - Após a rescisão do contrato com o Bolivian Syndicate, a - O ataque de Plácido de Castro à volta do Seringal EmpresaBolívia continuou mantendo o seu poder na região acreana. Isto não durou de 5 a 14 de outubro de 1902, saindo derrotado o exércitoagradava ao governo do Estado do Amazonas; boliviano sob o comando do Coronel Rozendo Rojas; - O Estado do Amazonas encontrou um militar preparado para -Depois da vitória militar na volta do seringal Empresa, Plácidocomandar uma possível guerra contra as forças bolivianas do Acre. de Castro dominou todo o rio Acre e faltava ainda uma localidadeSeu nome era José Plácido de Castro; ocupada por bolivianos a ser tomada: PUERTO ALONSO. - Nascido no Rio Grande do Sul, no município de São Gabriel, - D. Lino Romero e sua “carta”!ex-militar e estava na Amazônia desde 1899 trabalhando como - O ataque a Porto Acre começou no dia 15 de janeiro de 1903,agrimensor na demarcação de seringais. Tinha profundo conhecimento terminando com a vitória dos brasileiros em 1903. D. Lino Romero etático de guerra; seus soldados foram vencidos, e com eles, estava vencida a tentativa - Em Manaus, Plácido de Castro foi convidado pelo governo do boliviana em permanecer na região acreana!Amazonas e por seringalistas do Acre a comandar um exército de - Plácido de Castro foi aclamado governador do Estadoseringueiros contra os bolivianos na região acreana; Independente do Acre fazendo de Xapuri a sede de seu governo; - A reação do Presidente José Manuel Pando x A diplomacia doA Revolução Acreana Ministro das Relações Exteriores do Brasil, o Barão do Rio Branco; - A 9 de março de 1903, o ministro brasileiro Barão do Rio - Formou-se uma junta revolucionária em 1º de julho de 1902; Branco enviou um telegrama ao governo boliviano não concordando com a continuidade da guerra; - Plácido de Castro formou 4 (quatro) Batalhões com ossoldados-seringueiros; - Acontece o Acordo de Paz em 21 de março de 1903; - Em 6 de agosto de 1902, o pequeno povoado de Xapuri - Com sua habilidade diplomática, o Barão do Rio Branco(Mariscal Sucre), foi tomado pelas forças acreanas. Xapuri era convenceu a Bolívia a vender o Acre para o Brasil através do Tratadodirigido pelo intendente boliviano Juan de Dios Barrientos; de Petrópolis, no dia 17 de novembro de 1903; - Após a derrota de Xapuri, o delegado da Bolívia D. Lino - O Tratado de Petropólis resolveu as seguintes questõesRomero preparou seu batalhão para lutar contra as forças acreanas; principais: - Tornava o Acre brasileiro e traçava os limites definitivos entre Brasil e Bolívia; - O Brasil pagaria à Bolívia a quantia de 2 - Acontece a derrota dos acreanos na volta do Seringal Empresa. milhões de libras esterlinas; - O Brasil obrigava-se a construir umaPlácido e seu exércitos foram surpreendidos pelas armas dos soldados estrada de ferro (Madeira-Mamoré); - A Bolívia teria a liberdade dedo Coronel Rojas, perdendo grande parte de seus soldados; transitar pela estrada de ferro Madeira-Mamoré e pelos rio acreanos. - Plácido recua e reorganiza sua tropa, voltando a atacar osbolivianos mais uma vez na Volta da Empresa, agora tendo vitória! Fim

×