1
21. Atenta à sua históriaPonto de partida: Conferencia de Aparecida  (2007)Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da   I...
3Celebração do Centenário da Arquidiocese, quecoincidiu com o Ano Paulino (2008)Em 2010, o Congresso de Leigos, com o tema...
4Referências: o Projeto de Animação MissionáriaPermanente (PAMP) do Regional Sul 1 da CNBB; aConferência de Aparecida, a E...
5Projeto de Evangelização (2013-2016) – “Arquidiocese deSão Paulo: testemunha de Jesus Cristo na cidade” –estabelece para ...
6
7Iniciativa é divina – É Cristo que nos procuraExperiência de Paulo é emblemáticaJesus Cristo – no Mistério da Encarnação ...
8Ser testemunha de Jesus Cristo é, portanto, paraa Igreja de São Paulo: Tornar visível Cristo,Profeta, anunciador do Reino...
93. Diante das possibilidades e desafios- Possibilidades:Por maiores que sejam os desafios à açãopastoral, a Igreja tem a ...
10- Desafios para a ação evangelizadora:Realidades antagônicas, onde convive opulência emiséria, lugar de decisões polític...
11- Desafios à ação eclesial:Religiosidade descompromissada com o serhumano e dimensão eclesial e comunitária da fé;Diminu...
12Necessidade da formação dos leigos para que,numa eclesiologia de comunhão, estejampreparados e orientados a difundir a m...
13Valorizar o Domingo, o “Dia do Senhor”.A Pastoral Familiar e Movimentos Eclesiaisvoltados às famílias e as paróquias noa...
14O imperativo de evangelizar, pelos meios decomunicação, traz o desafio de apoiar, sustentar,aprimorar o uso e promover m...
15A   acelerada   movimentação   do    mercadoimobiliário e o surgimento de novos e grandesempreendimentos habitacionais r...
164. Fiel à Vocação de Evangelizar“ Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossaalegria; segui-lo é uma graça, e transmitir est...
17O Objetivo Geral da Ação Evangelizadora daIgreja no Brasil, definido nas Diretrizes Geraisaprovadas pela      49ª Assemb...
18Portanto, este também é o objetivo geral para aação evangelizadora na Arquidiocese de SãoPaulo,   com      uma   conotaç...
19O Objetivo Geral da Ação Evangelizadora daIgreja no Brasil, definido nas Diretrizes Geraisaprovadas pela      49ª Assemb...
20A conversão pastoral de nossas comunidadesexige que se vá além de uma pastoral de meraconservação, passando a uma       ...
21II PARTE – Urgências na ação evangelizadora epastoralA partir da conversão pastoral e missionária,entende-se a importânc...
22Primeira urgência: Igreja em estado permanente demissão;Segunda urgência: Igreja - casa da iniciação cristã;Terceira urg...
23Primeira urgência: Igreja em estado permanente demissão  “A atual consciência missionária interpela oscatólicos a irem a...
24Segunda urgência: Igreja – Casa da iniciação àvida cristã “A fé é dom de Deus! “Não se começa a sercristão por uma decis...
25Terceira urgência: Igreja – comunidade animada pelaPalavra de Deus“Na alvorada do terceiro milênio, não só existemmuitos...
26Quarta urgência:    Igreja   –   comunidade   decomunidades“A dimensão comunitária é intrínseca ao mistérioe à realidade...
27Quinta urgência: Igreja a serviço da vida plenapara todos“Ao longo de uma história de solidariedade ecompromisso com as ...
28Sexta urgência – A Igreja e a evangelização dajuventude“A evangelização da juventude interessa muito àIgreja e aos seus ...
29
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Arquidiocese de São Paulo: Testemunha de Jesus Cristo na cidade - 11º Plano de Pastoral (2012)

1.104 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.104
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
154
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arquidiocese de São Paulo: Testemunha de Jesus Cristo na cidade - 11º Plano de Pastoral (2012)

  1. 1. 1
  2. 2. 21. Atenta à sua históriaPonto de partida: Conferencia de Aparecida (2007)Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil (2007-2011)10° Plano de Pastoral (2009-2012) - “Discípulos- missionários na cidade de São Paulo”, na Arquidiocese de São Paulo
  3. 3. 3Celebração do Centenário da Arquidiocese, quecoincidiu com o Ano Paulino (2008)Em 2010, o Congresso de Leigos, com o tema - “Vóssois o sal da terra... Vós sois a luz do mundo”(Mt 5,13.14)Em 2011-2012 - Destaque pastoral - “Paróquia:comunidade de comunidades” - , com a publicaçãoda Carta Pastoral - “Paróquia: torna-te o que tu és!”– do Arcebispo Metropolitano, Cardeal Dom Odilo.
  4. 4. 4Referências: o Projeto de Animação MissionáriaPermanente (PAMP) do Regional Sul 1 da CNBB; aConferência de Aparecida, a Exortação Apostólica“Verbum Domini” do Papa Bento XVI (2010), asDiretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igrejano Brasil (2011-2015), a comemoração dos 50 anosdo Concílio Vaticano II, o “Ano da Fé” (2012-2013) ea Jornada Mundial da Juventude, de 2013, no Rio deJaneiro, com repercussão também em São Paulo.
  5. 5. 5Projeto de Evangelização (2013-2016) – “Arquidiocese deSão Paulo: testemunha de Jesus Cristo na cidade” –estabelece para o próximo quatriênio destaques de açãopastoral, a partir do Catecismo da Igreja Católica, doConcilio Vaticano II, e das Urgências da Ação pastoral eevangelizadora da Igreja do Brasil – visando celebrar oANO DA FÉ, proposto pelo Papa Bento XVI, com acelebração dos 50 anos do Concílio Vaticano II e os 20anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica, peloBeato Papa João Paulo II.
  6. 6. 6
  7. 7. 7Iniciativa é divina – É Cristo que nos procuraExperiência de Paulo é emblemáticaJesus Cristo – no Mistério da Encarnação –(Flp 2, 6-11) – tem implicações: assumir seu jeitode ser, seu estilo de vida: Serviço e Gratuidade.Colocar-se a serviço da sua tríplice missãomessiânica, de ensinar, santificar e pastorear,como paradigma para a vida e a ação da Igreja.
  8. 8. 8Ser testemunha de Jesus Cristo é, portanto, paraa Igreja de São Paulo: Tornar visível Cristo,Profeta, anunciador do Reino do Pai e da Palavrada Salvação; Sacerdote, Mediador da NovaAliança, que em seu Corpo reconcilia os homenscom Deus e entre Si; e Pastor, Aquele que dá avida pelo seu rebanho.
  9. 9. 93. Diante das possibilidades e desafios- Possibilidades:Por maiores que sejam os desafios à açãopastoral, a Igreja tem a certeza de que vive um“tempo de graça”, uma ocasião propícia para otestemunho dos verdadeiros valores humanos ecristãos. A cidade é também um espaço deliberdade e de oportunidades.
  10. 10. 10- Desafios para a ação evangelizadora:Realidades antagônicas, onde convive opulência emiséria, lugar de decisões políticas e centroeconômico da nação brasileira e pouca formaçãopolítica das consciências, casos de corrupçãoconvivendo com a violência, a juventude semoportunidades iguais; consumismo que geraexclusão; meios de comunicação social muitasvezes a serviço de interesses de grupos; adegradação do meio ambiente, as ameaçasconstantes à família, inversão de valores queacabam por descaracterizar a afetividade e asexualidade; o drama da saúde pública.
  11. 11. 11- Desafios à ação eclesial:Religiosidade descompromissada com o serhumano e dimensão eclesial e comunitária da fé;Diminuição das vocações ao sacerdócio e àconsagração de vida. Ainda são poucas asparóquias que têm um serviço de animaçãovocacional (SAV) organizado,
  12. 12. 12Necessidade da formação dos leigos para que,numa eclesiologia de comunhão, estejampreparados e orientados a difundir a mensagemdivina da salvação a todos, em especial nosambientes em que as pessoas não podem ouviro Evangelho nem conhecer a Cristo, a não seratravés dos leigos.Diante da evasão de fiéis católicos da Igreja,exige, hoje, maior empenho na formação dosfiéis na fé católica com base na Palavra de Deus,no Catecismo da Igreja, nas orientações da Igrejae no testemunho dos santos.
  13. 13. 13Valorizar o Domingo, o “Dia do Senhor”.A Pastoral Familiar e Movimentos Eclesiaisvoltados às famílias e as paróquias noacompanhamento dos casais e famílias, devemestimula-las (famílias e casais) a viver a uniãomatrimonial e a vida em família na graça doSenhor, e comunicar às novas gerações omaravilhoso tesouro da fé. Formar asconsciências para os valores humanos ecristãos, superando a ética do “politicamentecorreto”, onde a valorização da vida em todas assuas etapas (desde o útero até o seu declínio)torna-se valor absoluto.
  14. 14. 14O imperativo de evangelizar, pelos meios decomunicação, traz o desafio de apoiar, sustentar,aprimorar o uso e promover mais os meios decomunicação, o trabalho da PASCOM em todos osníveis e a formação de pessoas para atuarem nestecampo.A falta de condições materiais requer estabelecervigorosos laços de solidariedade entre comunidadese paróquias, num intercâmbio de bens e forças, quenão deixe faltar a ninguém, sobretudo aos pobres, oanúncio do Evangelho e seus valores de justiça edefesa dos pequenos e marginalizados ( valorizar asexperiências de “paróquias irmãs”)
  15. 15. 15A acelerada movimentação do mercadoimobiliário e o surgimento de novos e grandesempreendimentos habitacionais requerem umaação atenta e corajosa para tornar a Igrejavisivelmente presente nessas áreas e para aformação de novas Comunidades e Paróquias.
  16. 16. 164. Fiel à Vocação de Evangelizar“ Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossaalegria; segui-lo é uma graça, e transmitir estetesouro aos demais é uma tarefa que o Senhornos confiou ao nos chamar e nos escolher. Comos olhos iluminados pela luz de Jesus Cristoressuscitado, podemos e queremos contemplaro mundo, a história, os nossos povos daAmérica Latina e do Caribe, e cada um dos seushabitantes” (DAp 18).
  17. 17. 17O Objetivo Geral da Ação Evangelizadora daIgreja no Brasil, definido nas Diretrizes Geraisaprovadas pela 49ª Assembleia Geral dosBispos do Brasil (CNBB), em maio de 2011, é oseguinte:EVANGELIZAR, a partir de Jesus Cristo e naforça do Espírito Santo, como Igreja discípula,missionária e profética, alimentada pela Palavrade Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélicaopção preferencial pelos pobres, para que todostenham vida, rumo ao Reino definitivo.
  18. 18. 18Portanto, este também é o objetivo geral para aação evangelizadora na Arquidiocese de SãoPaulo, com uma conotação particular: a“conversão pastoral”, para que a Igreja em SãoPaulo possa cumprir sua vocação e missãonesta cidade imensa e complexa, mas cheia depossibilidades.
  19. 19. 19O Objetivo Geral da Ação Evangelizadora daIgreja no Brasil, definido nas Diretrizes Geraisaprovadas pela 49ª Assembleia Geral dosBispos do Brasil (CNBB), em maio de 2011, é oseguinte:“Conversão pastoral” - A conversão pastoral,antes de tudo, é uma decisão e uma novapostura missionária, que deve impregnar todasas estruturas eclesiais da Arquidiocese, o 11ºPlano de Pastoral, a vida das paróquias,comunidades religiosas, movimentos e dequalquer instituição da Igreja em São Paulo.
  20. 20. 20A conversão pastoral de nossas comunidadesexige que se vá além de uma pastoral de meraconservação, passando a uma pastoraldecididamente missionária. Assim será possívelque o único programa do Evangelho continueintroduzindo-se na história de cada comunidadeeclesial com novo ardor missionário, fazendocom que a Igreja se manifeste como mãe que vaiao encontro, como casa acolhedora, comoescola permanente de comunhão missionária”(DAp 370).
  21. 21. 21II PARTE – Urgências na ação evangelizadora epastoralA partir da conversão pastoral e missionária,entende-se a importância das urgênciaspastorais, são urgências na evangelização.Tendo consciência da sua missão de transmitir edar um alicerce sólido à fé, a Igreja do Brasildestaca cinco urgências na evangelização, àsquais a Arquidiocese de São Paulo acrescentauma sexta, relacionada à juventude:
  22. 22. 22Primeira urgência: Igreja em estado permanente demissão;Segunda urgência: Igreja - casa da iniciação cristã;Terceira urgência: Igreja - comunidade animadapela Palavra de Deus;Quarta urgência: Igreja - comunidade decomunidades;Quinta urgência: Igreja a serviço da vida plenapara todos;Sexta urgência: A Igreja e a evangelização dosjovens.
  23. 23. 23Primeira urgência: Igreja em estado permanente demissão “A atual consciência missionária interpela oscatólicos a irem ao encontro das pessoas, famílias,comunidades e povos, para lhes comunicar ecompartilhar o dom da fé, no encontro com Cristo.Estamos num tempo de urgente saída ”em todasas direções para proclamar que o mal e a mortenão têm a última palavra”, um tempo de esquecero que ficou para trás e correr em busca d´Aqueleque já nos alcançou (cf. Fl 3,12-14), um tempo quedeve levar a uma forte comoção missionária”(DGAE 2011-2015, n.31).
  24. 24. 24Segunda urgência: Igreja – Casa da iniciação àvida cristã “A fé é dom de Deus! “Não se começa a sercristão por uma decisão ética ou uma grandeideia, mas pelo encontro com um acontecimento,com uma Pessoa, que dá um novo horizonte àvida e, com isso, uma orientação decisiva”[Bento XVI, DCE,n.1]. Por sua vez, este encontroé mediado pela ação da Igreja, ação que seconcretiza em cada tempo e lugar, de acordocom o jeito de ser de cada povo, de cada cultura”(DGAE 2011-2015, N.37).
  25. 25. 25Terceira urgência: Igreja – comunidade animada pelaPalavra de Deus“Na alvorada do terceiro milênio, não só existemmuitos povos que ainda não conheceram a Boa-Nova, mas há também muitos cristãos que têmnecessidade que lhes seja anunciada novamente, demodo persuasivo, a Palavra de Deus, para poderemexperimentar concretamente a força do Evangelho[...]; particularmente as novas gerações têm anecessidade de ser introduzidas na Palavra de Deusatravés do encontro e do testemunho autêntico doadulto, da influência positiva dos amigos e dagrande companhia que é a comunidade eclesial.”(Bento XVI, Verbum Domini, nn.96.97)
  26. 26. 26Quarta urgência: Igreja – comunidade decomunidades“A dimensão comunitária é intrínseca ao mistérioe à realidade da Igreja, que deve refletir aSantíssima Trindade (DAp n.304). Sem vida emcomunidade, não há como viver efetivamente aproposta cristã, isto é, o Reino de Deus. Acomunidade acolhe, forma e transforma, enviaem missão, restaura, celebra, adverte esustenta.” (DGAE 2011-2015, n. 56).
  27. 27. 27Quinta urgência: Igreja a serviço da vida plenapara todos“Ao longo de uma história de solidariedade ecompromisso com as incontáveis vítimas dasinúmeras formas de destruição da vida, a Igrejase reconhece servidora do Deus da vida. A novaépoca que, pela graça deste mesmo Deus,haverá de surgir precisa ser marcada pelo amore pela valorização da vida, em todas as suasdimensões. A omissão diante de tal desafio serácobrada por Deus e pela história futura” (DGAE2011-2015 n. 66).
  28. 28. 28Sexta urgência – A Igreja e a evangelização dajuventude“A evangelização da juventude interessa muito àIgreja e aos seus pastores. Temos umcompromisso sério com a formação das novasgerações que, pressionadas por tantas propostasde vida, necessitam de muito discernimento, decoragem, de verdadeiros caminhos e,principalmente, de nossa presença amiga. Osjovens têm o direito de receber da Igreja oEvangelho e de ser introduzidos na experiênciareligiosa, no encontro com Deus e no contato comas riquezas da fé cristã” (Doc. 85 CNBB, p.5)
  29. 29. 29

×