PAPER: A CONSTRUÇÃO DE  CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO  FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM  SERVIÇOS  Por Marcelo Paes, Celso Scaletsky...
Evento: 6º CIPED: “Uma agenda para o Design” (Lisboa, Portugal, de 10 a 12 de outubro de 2011)  Paper: A construção de cen...
CONTEXTO: AVANÇO DA “ECONOMIA DE SERVIÇOS” NA SOCIEDADE  MODERNA  Questões principais:  • Serviços são dominantes nos país...
CONTEXTO: INOVAÇÃO NOS SERVIÇOS  Questões principais:  • A inovação constitui-se um fator-chave de sucesso para a vantagem...
OBJETIVO  Apontar a Construção de Cenários como um facilitador para a aproximação  fundamental do design às necessidades d...
CONCEITOS ESSENCIAIS  Inovação é mudança:  • Referente às coisas (inovação de produto);  • À forma (inovação de processo);...
CONCEITOS ESSENCIAIS  Francesco Zurlo levanta três capacidades do designer:  • VER: capacidade de leitura orientada dos co...
CONCEITOS ESSENCIAIS  O Design Estratégico pressupõe um processo de aprendizado que conduz à  transformação, de forma que ...
CONCEITOS ESSENCIAIS  Há uma relação direta entre o uso da construção de cenários e o processo de  aprendizagem, de forma ...
DISCUSSÃO  O processo de construção de cenários é fundamentalmente criativo e poderá  gerar um novo modelo de pensar e pro...
DISCUSSÃO  Tal prática, a nosso ver, gera possibilidades de inovar em serviços,  independentemente de características espe...
CONSIDERAÇÕES FINAIS  Muitas lacunas ainda permanecem inalcançadas quando se refere ao  desenvolvimento de novos serviços ...
CONSIDERAÇÕES FINAIS  Sendo o design capaz de ver, de prever e de fazer ver contextos e situações  futuras, antecipando cr...
DIRECIONAMENTOS DA INVESTIGAÇÃO  O Design deverá exercer um papel estratégico no desenvolvimento de  produtos/serviços ino...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A construção de cenários como instrumento facilitador da inovação em serviços

1.679 visualizações

Publicada em

É recente na literatura a análise da inovação em serviços, cujos conceitos ainda enfrentam disparidades entre autores. “Serviços são produtos” das organizações que os desenvolvem e comercializam e, por isso, são criadores de valor para firmas e usuários. Desta forma, torna-se essencial para o alcance da vantagem estratégica que tais produtos-serviços sejam projetados levando-se em conta o potencial de inovação que possam entregar ao mercado. Assim, o design, através de suas capacidades inerentes e de seus instrumentos de projetação, oferece condições de inovar em serviços. Nosso estudo caminha na direção de apontar a Construção de Cenários como um facilitador para a aproximação fundamental do design às necessidades de previsão de situações críticas para a organização, de forma que possam ser refletidas antecipadamente e, a partir daí, permitam a geração de inovação e vantagem competitiva.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.679
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
72
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A construção de cenários como instrumento facilitador da inovação em serviços

  1. 1. PAPER: A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS Por Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez www.redesdeprojeto.comA CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 1Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  2. 2. Evento: 6º CIPED: “Uma agenda para o Design” (Lisboa, Portugal, de 10 a 12 de outubro de 2011) Paper: A construção de cenários como instrumento facilitador da inovação em serviços Autor: Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez Resumo: É recente na literatura a análise da inovação em serviços, cujos conceitos ainda enfrentam disparidades entre autores. “Serviços são produtos” das organizações que os desenvolvem e comercializam e, por isso, são criadores de valor para firmas e usuários. Desta forma, torna-se essencial para o alcance da vantagem estratégica que tais produtos-serviços sejam projetados levando-se em conta o potencial de inovação que possam entregar ao mercado. Assim, o design, através de suas capacidades inerentes e de seus instrumentos de projetação, oferece condições de inovar em serviços. Nosso estudo caminha na direção de apontar a Construção de Cenários como um facilitador para a aproximação fundamental do design às necessidades de previsão de situações críticas para a organização, de forma que possam ser refletidas antecipadamente e, a partir daí, permitam a geração de inovação e vantagem competitiva. Palavras Chave: Inovação em serviços, construção de cenários, design estratégico. Disponível em: http://wp.me/p1DKEo-5FA CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 2Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  3. 3. CONTEXTO: AVANÇO DA “ECONOMIA DE SERVIÇOS” NA SOCIEDADE MODERNA Questões principais: • Serviços são dominantes nos países desenvolvidos; • Carência de propostas de valor diferenciadas, fruto da produção massiva e em série; • A tecnologia está democrática; • As pessoas têm necessidades individuais, dificultando a padronização das expectativas. MORITZ, S. Service design. Practical access to an evolving field. Tese – Köln International School of Design. Köln, 2005.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 3Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  4. 4. CONTEXTO: INOVAÇÃO NOS SERVIÇOS Questões principais: • A inovação constitui-se um fator-chave de sucesso para a vantagem estratégica • Grandes desafios na busca da inovação em serviços • O desenvolvimento de novos produtos/serviços, embora com alguns aprofundamentos teóricos, ainda não abrange um campo de estudo maduro GRIFFIN, A. PDMA Research on New Product Development Practices: Updating trends and benchmarking best practices. Journal of Product Innovation Management, 1997. JOHNE, A.; STOREY, C. New service development: a review of the literature and annotated bibliography. European Journal of Marketing, 1998. TIDD, J; PAVITT, K.; BESSANT, J. Gestão para inovação. Porto Alegre: Bookman, 2008. JAW, C.; LO, J-Y; LIN, Y-H. The determinants of new service development: Service characteristics, market orientation, and actualizing innovation effort. Tachnovation, 2010.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 4Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  5. 5. OBJETIVO Apontar a Construção de Cenários como um facilitador para a aproximação fundamental do design às necessidades de previsão de situações críticas da organização, para geração de inovação e vantagem competitivaA CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 5Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  6. 6. CONCEITOS ESSENCIAIS Inovação é mudança: • Referente às coisas (inovação de produto); • À forma (inovação de processo); • Ao contexto (inovação de posição); • Aos modelos mentais (inovação de paradigma) que orientam o que a empresa faz. O Design, como um dos caminhos possíveis para se alcançar a inovação, conduz a uma abordagem a partir de características próprias.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 6Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  7. 7. CONCEITOS ESSENCIAIS Francesco Zurlo levanta três capacidades do designer: • VER: capacidade de leitura orientada dos contextos e sistemas; • PREVER: entendida como antecipação crítica do futuro; • FAZER VER: capacidade de visualizar cenários futuros. ZURLO, Francesco. Design strategico. In: XXI Secolo. Roma: Enciclopedia Treccani, 2010. v. 4, Gli spazi e le arti.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 7Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  8. 8. CONCEITOS ESSENCIAIS O Design Estratégico pressupõe um processo de aprendizado que conduz à transformação, de forma que a mudança de cultura é um elemento intrínseco nas tomadas de decisão da organização. A vantagem competitiva pode ser adquirida mediante o reexame dos produtos tradicionais com um novo olhar e uma nova abordagem, utilizando técnicas de design que poderiam ser definidas como Design-inspired innovation. ZURLO, Francesco. Design strategico. In: XXI Secolo. Roma: Enciclopedia Treccani, 2010. v. 4, Gli spazi e le arti. UTTERBACK, James; VEDIN, Bengt-Arne; ALVAREZ, Eduardo; EKMAN, Sten; SANDERSON, Susan Walsh; TETHER, Bruce; VERGANTI, Roberto. Design- inspired Innovation. Capítulos 1 e 4. New York: World Scientific Publishing Company, 2006.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 8Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  9. 9. CONCEITOS ESSENCIAIS Há uma relação direta entre o uso da construção de cenários e o processo de aprendizagem, de forma que este instrumento ajuda as organizações a se tornarem mais competentes frente aos desafios mercadológicos. A construção de cenários ajuda a ampliar o leque de possibilidades, afastando-nos das tomadas de decisão baseadas numa ficção científica desenfreada. Tem implicações estratégicas para a organização, pois age questionando suposições básicas e articulando axiomas fundamentais de planejamento estratégico em uso pela empresa. HEIJDEN, K. van der. Planejamento de Cenários: a arte da conversação estratégica. Porto Alegre: Bookman, 2004. SHOEMAKER, P. Scenario Planning: a tool for strategic thinking. Sloan Management Review, 1995.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 9Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  10. 10. DISCUSSÃO O processo de construção de cenários é fundamentalmente criativo e poderá gerar um novo modelo de pensar e produzir novas ideias na organização. Cria ideias e situações com as quais a empresa, no momento presente, não convive. HEIJDEN, K. van der. Planejamento de Cenários: a arte da conversação estratégica. Porto Alegre: Bookman, 2004.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 10Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  11. 11. DISCUSSÃO Tal prática, a nosso ver, gera possibilidades de inovar em serviços, independentemente de características específicas que possam diferenciá-los dos bens físicos (produtos). O Design traz características próprias que permitem simular situações espaço-temporais da organização no ambiente de forma a prever problemas e desenvolver soluções colaborativas, mirando na satisfação das necessidades do cliente e do mercado.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 11Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  12. 12. CONSIDERAÇÕES FINAIS Muitas lacunas ainda permanecem inalcançadas quando se refere ao desenvolvimento de novos serviços como um capítulo inerente à inovação. A construção de cenários apresenta-se como um elemento condutor da inovação, uma vez que permite aplicar as capacidades do design de ver, prever e fazer ver.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 12Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  13. 13. CONSIDERAÇÕES FINAIS Sendo o design capaz de ver, de prever e de fazer ver contextos e situações futuras, antecipando criticamente o futuro e visualizando realidades ainda não experimentadas, é pertinente posicionar tal ferramenta como um contributo direto ao agir estratégico de organizações que perseguem a inovação em serviços. Exercitar o uso de cenários em serviços passa a ser uma necessidade criativa de organizações que buscam a diferenciação. De forma prática, esse exercício pode encontrar um campo ainda mais fértil para a criatividade ao considerarem a intangibilidade, a heterogeneidade e a simultaneidade do serviço.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 13Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez
  14. 14. DIRECIONAMENTOS DA INVESTIGAÇÃO O Design deverá exercer um papel estratégico no desenvolvimento de produtos/serviços inovadores, e os cenários precisam ganhar relevância dentro das organizações que se propõem a gerar serviços com cada vez mais valor aos clientes e usuários.A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS COMO INSTRUMENTO FACILITADOR DA INOVAÇÃO EM SERVIÇOS - 14Marcelo Paes, Celso Scaletsky e Guilherme Trez

×