Apoio	
  do	
  BNDES	
  à	
  Economia	
  da	
  Cultura	
  
Segmento	
  Dinâmico	
  e	
  atra/vo	
  
	
  O	
  faturamento	
  global	
  da	
  Economia	
  
Cria/va	
  é	
  de	
  cerca	...
 Setor	
  com	
  muitas	
  empresas	
  de	
  
pequeno	
  porte	
  e	
  segmentos	
  nascentes.	
  
	
  Ausência	
  de	
  d...
PROCULT	
  -­‐	
  Empreendimentos	
  apoiáveis	
  
•  Projetos	
  inovadores,	
  que	
  se	
  des2nem	
  a	
  desenvolver	...
Empreendimentos	
  apoiáveis	
  
•  Implantação,	
  modernização	
  e	
  expansão	
  de	
  a2vos	
  necessários	
  à	
  
p...
Empreendimentos	
  apoiáveis	
  
•  Programação	
  e	
  empacotamento	
  	
  de	
  conteúdo	
  audiovisual	
  
•  Implanta...
Empreendimentos	
  não	
  apoiáveis	
  
•  Projetos	
  de	
  cunho	
  publicitário,	
  religioso,	
  pornográfico	
  e/ou	
...
Itens	
  Financiáveis	
  
Pra2camente	
  todos	
  
Pesquisa	
  e	
  desenvolvimento	
  de	
  novos	
  produtos,	
  process...
Inves2mentos	
  Financiáveis	
  
 Inovação	
  (desenvolvimento	
  de	
  conteúdo	
  proprietário	
  original)	
  
 Plano...
•  Financiamento	
  Mínimo	
  -­‐	
  R$	
  1	
  milhão	
  
•  Prazo	
  -­‐	
  Até	
  10	
  anos	
  
•  Carência	
  -­‐	
  ...
GaranDas	
  
Operações	
  diretas:	
  	
  
• 	
  Fiança	
  dos	
  sócios	
  controladores	
  
• 	
  Prestação	
  de	
  gar...
Recursos	
  não	
  Reembolsáveis	
  	
  
•  Valor	
  máximo	
  Não	
  Reembolsável	
  igual	
  ao	
  Reembolsável	
  
•  L...
Recursos	
  não	
  Reembolsáveis	
  	
  
•  Para	
  projetos	
  em	
  envolvam	
  obras	
  audiovisuais	
  
•  Com	
  reai...
O	
  Que	
  Busca	
  o	
  BNDES?	
  
•  CARTEIRA DE PROJETOS GERADORES DE RECEITAS
•  CONTRATOS DE LONGO PRAZO
•  PRESTAÇÃ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Financiamento Audiovisual - Capital de Risco (part. II) - Ricardo Rozzino - Jul 2014

255 visualizações

Publicada em

Nos últimos anos, temos acompanhado o crescimento acelerado do mercado audiovisual, em resposta principalmente às mudanças trazidas pela Lei 12.485/2011, e ao volume de recursos disponíveis para o desenvolvimento do setor.

Diante deste cenário otimista de grandes oportunidades, torna-se indispensável uma atenção e preparação cada vez maiores por parte daqueles que trabalham com projetos nesta área. Os mecanismos de financiamento disponíveis mudaram, assim como a própria dinâmica de produção e distribuição audiovisual.

Para oferecer suporte aos produtores, distribuidores, agentes e players do mercado, o curso Fontes de Financiamento ao Audiovisual funcionará como um espaço de reflexão e conhecimento, reunindo o olhar de especialistas do mercado audiovisual sobre as ferramentas de negócio, os instrumentos de financiamento público e privado, e as oportunidades de circulação comercial dos filmes e séries.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
255
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Financiamento Audiovisual - Capital de Risco (part. II) - Ricardo Rozzino - Jul 2014

  1. 1. Apoio  do  BNDES  à  Economia  da  Cultura  
  2. 2. Segmento  Dinâmico  e  atra/vo    O  faturamento  global  da  Economia   Cria/va  é  de  cerca  de  US$  1,4  trilhão   anuais,  com  previsão  de  crescimento   de  6,3%  a.a.   Fonte:  PriceWaterhouse  &  Coopers   Desenvolvimento  Limpo    A/vidades  econômicas  que   pra/camente  não  demandam   recursos  naturais  nem  geram   impactos  significa/vos  sobre  o  meio   ambiente.   Acesso  à  Cultura    55%  da  população  brasileira  não   par/cipa  sequer  de  uma  a/vidade   cultural  por  ano  (leitura  de  livro,   cinema,  teatro,  show,  espetáculo,   exposição  etc).     Fonte:  Ipsos      O  papel  central  do  Estado    Na  experiência  internacional,  o   Estado  tem  sido  determinante  para   o  crescimento  do  setor,  por  meio  de   leis  de  incen/vo,  ar/culação,   mobilização,  ins/tucionalidade  e   mecanismos  de  financiamento.  
  3. 3.  Setor  com  muitas  empresas  de   pequeno  porte  e  segmentos  nascentes.    Ausência  de  dados  e  estudos  de   mercado  consolidados    A/vidades  baseadas  em  a/vos   intangíveis,  o  que  dificulta  a   configuração  de  garan/as  para   operações  de  apoio  ao  setor.   Cultura  de  dependência  das  leis  de   incen/vo  fiscal.   Demonstra/vos  contábeis.  
  4. 4. PROCULT  -­‐  Empreendimentos  apoiáveis   •  Projetos  inovadores,  que  se  des2nem  a  desenvolver  a2vos   geradores  de  direitos  de  propriedade  intelectual  que  envolvam   a  criação  de  novos  personagens,  marcas  ou  formatos,  com   potencial  de  geração  de  receitas  derivadas  de  licenciamento  ou   outras  formas  de  rentabilização  de  direitos.     •  Projetos  inovadores,  que  se  des2nem  a  desenvolver  ou   implementar  conteúdos  em  novas  plataformas,  de  caráter   digital,  intera2vo,  mul2plataforma  ou  transmídia,  que  não  se   resumam  à  mera  digitalização  de  acervos.    
  5. 5. Empreendimentos  apoiáveis   •  Implantação,  modernização  e  expansão  de  a2vos  necessários  à   produção,  pós-­‐produção,  distribuição,  exibição  e  comercialização   de  conteúdo  no  País   •  Planos  de  negócios  para  o  desenvolvimento  e  a  produção  de   conteúdo  brasileiro,  e  para  adaptação  de  obras  a  novos  formatos   •  Distribuição,  divulgação,  comercialização  e  exibição  de  conteúdo   brasileiro  no  País  e  no  exterior,  incluindo  desenvolvimento  e   implantação  de  novos  modelos  de  negócios  e  adaptação  do   conteúdo  a  novas  mídias/plataformas   •  Distribuição,  divulgação  e  comercialização  de  obras  audiovisuais   no  País  por  distribuidoras  brasileiras  independentes  
  6. 6. Empreendimentos  apoiáveis   •  Programação  e  empacotamento    de  conteúdo  audiovisual   •  Implantação,  modernização  e  expansão  de  editoras  e  livrarias   •  Produção  de  planos  editoriais,  adaptação  de  obras  para   comercialização  em  novos  formatos   •  Distribuição,  divulgação  e  comercialização  de  obras  editoriais   brasileiras  no  País  e  no  exterior,  e  de  obras  estrangeiras  no  País   •  Aquisição  de  direitos  relacionados  a  conteúdo  brasileiro   •  Restauração,  preservação  e  digitalização  de  acervos  bibliográficos,   arquivís2cos  e  museológicos   •  Produção,  divulgação  e  comercialização  de  espetáculos  brasileiros   ao  vivo  no  País  e  no  exterior  e  de  divulgação  e  comercialização  de   espetáculos  estrangeiros  no  País  
  7. 7. Empreendimentos  não  apoiáveis   •  Projetos  de  cunho  publicitário,  religioso,  pornográfico  e/ou   polí2co-­‐par2dário.  
  8. 8. Itens  Financiáveis   Pra2camente  todos   Pesquisa  e  desenvolvimento  de  novos  produtos,  processos  e   serviços,  inclusive  design,  registro  de  propriedade  intelectual,   aquisição  de  direitos  autorais,  patrimoniais,  de  difusão  e   comercialização  de  conteúdo  brasileiro;  despesas  para   produção  de  obras  audiovisuais,  aquisição  de  direitos,  elenco  e   de  equipe  técnica,  locações  para  filmagem,  estúdios  e   equipamentos,  cenários  e  figurinos,  infraestrutura,  pós   produção  de  imagem  e  som,  licenciamento  de  soNware   nacional  credenciado  no  BNDES,  gastos  em  distribuição,   divulgação,  marke2ng  e  comercialização;  capacitação  gerencial   e  tecnológica,  treinamento  e  cer2ficação;  capital  de  giro   associado  ao  projeto  de  inves2mento  ou  plano  de  negócios.  
  9. 9. Inves2mentos  Financiáveis    Inovação  (desenvolvimento  de  conteúdo  proprietário  original)    Planos  de  negócio    Produção                                     Prazo:  até  10  anos     Distribuição     Infraestrutura   Taxa  de  Juros:    TJLP  +  1  %  a  1,5%  a.a.  +    Tx  Risco    (0,5%  a.a.  para  MPME)            *  Inovação  :  TJLP  +    0%  +  Tx  Risco  (MPME    isentas)   Valor:  financiamento  mínimo  de  R$  1  milhão   Garan2as:  Fiança  pessoal,  recebíveis,  garan2as  reais   Flexibilização  de  regras  de  risco  e  garan2as   Par2cipação:    até  70%    (50%  para  salas  de  cinema)      *  até  90%  para  Inovação  e  MPME  
  10. 10. •  Financiamento  Mínimo  -­‐  R$  1  milhão   •  Prazo  -­‐  Até  10  anos   •  Carência  -­‐  3/4  anos   •  Pagto  Juros  sobre  Capital  -­‐  Trimestral  
  11. 11. GaranDas   Operações  diretas:     •   Fiança  dos  sócios  controladores   •   Prestação  de  garan2a  real   •   Recebíveis  
  12. 12. Recursos  não  Reembolsáveis     •  Valor  máximo  Não  Reembolsável  igual  ao  Reembolsável   •  Limitado  a  R$  2  milhões  por  obra  audiviosual   •  Limitado  a  R$  6  milhões  por  Grupo  Econômico,  ao  ano  
  13. 13. Recursos  não  Reembolsáveis     •  Para  projetos  em  envolvam  obras  audiovisuais   •  Com  reais  possibilidades  de  geração  de  receitas   •  Com  interesse  em  distribuição  e  exibição   •  Empresa  com  comprovada  capacidade  de  gerar  negócios   •  Plano  de  Negócios  
  14. 14. O  Que  Busca  o  BNDES?   •  CARTEIRA DE PROJETOS GERADORES DE RECEITAS •  CONTRATOS DE LONGO PRAZO •  PRESTAÇÃO DE SERVIÇO •  PARCERIAS •  NÚCLEO CRIATIVO •  CAPACITAÇÃO •  GOVERNANÇA E DECISÃO DE INVESTIMENTOS Negócios

×