Fontes de Financimento 3 - Minom Pinho

338 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
338
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fontes de Financimento 3 - Minom Pinho

  1. 1. Curso:Fontes de Financiamento - Empreendimentos Culturais e CriativosAula 3Investimento-Anjo e Private equityMinom PinhoNoções gerais para encontrar investidores para o seu negócio: requisitos, riscose vantagens.
  2. 2. O que é um Investidor-Anjo.O Investimento-Anjo é originário dos EUA, aonde é conhecido como Angel Investor  ouBusiness Angel, apresentando as seguintes características:1. É efetivado por pessoa física (que pode investir através de uma PJ, mas com recursose trabalho próprios; não de terceiros*).2. Investe em empresas nascentes(startups), próximas aonde reside, para poder apoiá-las.3. Tem normalmente uma participação minoritária no negócio.4. Não tem posição executiva na empresa, mas apóia o empreendedor com seuconhecimento, experiência e relacionamento, além dos recursos financeiros. O que éconhecido como smart-money.*O Investimento com recursos de terceiros é chamado de "gestão de recursos". Éefetivado por fundos de investimento e similares, sendo uma modalidade importante ecomplementar a de Investimento-Anjo, é normalmente aplicado em aportes subsequentes.Fonte:  h)p://www.anjosdobrasil.net
  3. 3. O Investidor-Anjo.O Investidor-Anjo é normalmente um (ex-)empresário/empreendedor ou executivo que játrilhou uma carreira de sucesso.Acumulou recursos suficientes e alocar uma parte deles(normalmente entre 5% a 10% doseu patrimônio) para investir em novas empresas.Aplica sua experiência apoiando as empresas em que investe.Diferentemente que muitos imaginam, o Investidor-Anjo normalmente não é detentor degrandes fortunas, pois o investimento-anjo para estes seria muito pequeno para seradministrado.Fonte:  www.anjosdobrasil.net  
  4. 4. Parâmetros do investimento-anjo:- O investimento-anjo não é uma atividade filantrópica e/ou com fins sociais.- O Investidor-Anjo tem como objetivo aplicar em negócios com alto potencial de retorno,que consequentemente terão um grande impacto positivo para a sociedade através dageração de oportunidades de trabalho e de renda.- O termo "anjo" é utilizado pelo fato de não ser um investidor puramente financeiro quefornece apenas o capital necessário para o negócio, mas por apoiar o empreendedor,aplicando seus conhecimentos, experiência e rede de relacionamento para orientá-lo eaumentar suas chances de sucesso.O investimento-anjo em uma empresa é normalmente feito por um grupo de 2 a 5investidores, tanto para diluição de riscos como para o compartilhamento da dedicação,sendo definido para cada negócio 1 ou 2 como investidores-líderes, para agilizar oprocesso de investimento.Fonte:  www.anjosdobrasil.net
  5. 5. Características do Investidor Anjo:O Investimento Anjo é a primeira etapa de investimento em um projeto ou uma empresastart-up.O investimento individual vai de R$ 25.000 A R$100.000, dependendo do negócio, regiãoe quantidade de Investidores-Anjo presentes no investimento.O valor de investimento pretendido deve ser preferencialmente inferior a 1 milhão de reais.Geralmente não adquire mais do que 30 ou 40% de uma empresa.Ele não está interessado em sentar na poltrona do presidente e ditar ordens.Não está interessado em empresas que apresentam poucas barreiras de entrada, mesmoque o negócio possa ser extremamente lucrativo.A empresa deve ser inovadora ou de base tecnológica. Entende-se por inovadora umaempresa que preste uma solução ou serviço pioneiro em sua região.Não deseja ficar na empresa investida por muito tempo, pelo contrário.O processo de Investimento-Anjo pode durar em torno de dois a seis anos. Após esseperíodo o investidor espera vender a empresa para um “player” maior (ou outra condiçãode saída).Fonte:  www.INVESTIMENTOanjo.COM
  6. 6. Investidor-AnjoGuia Prático para Empreendedores e Investidores1a. edição, 2011Cassio A. SpinanVersos
  7. 7. STARTUPSUma companhia start-up ou startup é uma empresa com um histórico operacional limitado.Essas empresas, geralmente recém-criadas, estão em fase de desenvolvimento epesquisa de mercados.O termo se tornou popular internacionalmente durante a bolha da internet, quando umgrande número de empresa “ponto com” foram fundadas.Uma startup é uma empresa nova, até mesmo embrionária ou ainda em fase deconstituição, que conta com projetos promissores, ligados à pesquisa, investigação edesenvolvimento de ideias inovadoras.
  8. 8. STARTUPSPor ser jovem e estar implantando uma ideia no mercado, outra característica das startupsé possuir risco envolvido no negócio.Mas, apesar disso, são empreendimentos com baixos custos iniciais e são altamenteescaláveis, ou seja, possuem uma expectativa de crescimento muito grande quando dãocerto.Algumas empresas já solidificadas no mercado e líderes em seus segmentos, como oGoogle, a Yahoo e o Ebay, também são consideradas startups.Essas empresas, normalmente de base tecnológica, possuem espírito empreendedor euma constante busca por modelo de negócios inovador.Este modelo de negócios é a maneira como a startup gera valor – ou seja, comotransforma seu trabalho em dinheiro.
  9. 9. STARTUPSUm exemplo de startup é o modelo de negócios do Google que se baseia em cobrar porcada click nos anúncios mostrados nos resultados de busca.Outro exemplo seria o modelo de negócio de franquias: o franqueado paga royalties poruma marca, mas tem acesso a uma receita de sucesso com suporte do franquiador – epor isso aumenta suas chances de gerar lucro.Empresas que criam modelos de negócio altamente escaláveis, a baixos custos e apartir de ideias inovadoras são empresas startups.Startups não são somente empresas de internet. Elas só são mais frequentes na internetporque é bem mais barato criar uma empresa de software do que uma indústria.
  10. 10. PRIVATE  EQUITYPrivate equity é um tipo de atividade financeira realizada por instituições que investemessencialmente em empresas que ainda não são listadas em bolsa de valores, com oobjetivo de alavancar seu desenvolvimento. Esses investimentos são realizados viaFUNDOS DE PRIVATE EQUITY.Private Equity geralmente são realizados em empresas emergentes de maior porte comgrande potencial.Em sua maioria são constituídos em acordos contratuais privados entre investidores egestores, não sendo oferecidos abertamente ao mercado e sim através de colocaçãoprivada.
  11. 11. PRIVATE  EQUITYPrincipais formas de atuação • Venture capital: investimento na fundação de uma empresa nova ou expansão de uma empresa pequena; • Buy-out: aquisição de parte significativa ou até mesmo o controle de uma empresa mais madura em seu estágio de desenvolvimento; • Situações extraordinárias: investimento em empresas que passam por dificuldades financeiras ou sofrem mudanças impactantes, tais como mudanças regulatórias e de tendências do mercado.
  12. 12. RODADAS DE NEGÓCIOS E PITCHINGSA apresentação para os investidores devem ter no máximo 20 slides.1) APRESENTAÇÃONo primeiro slide coloque o nome e logotipo da empresa.Inclua também o nome do empreendedor(es) e uma breve descrição sobre suas respectivasexperiências profissionais.Sintetize em poucas linhas a atividade da sua empresa.2) VISÃO GERAL DO NEGÓCIODiga o que você vende e que serviço ou solução sua empresa está prestando.Utilize uma linguagem de fácil entendimento e bem sintetizada, pois isso define o contexto para oresto de sua apresentação.3) EQUIPE EXECUTIVAEm uma linha descreva cada integrante de sua equipe executiva.
  13. 13. 4) MERCADODefina qual o seu nicho de mercado, tamanho, possibilidade de crescimento e fraquezas.Qual o seu diferencial e o que exatamente faz. Utilize um protótipo, uma imagem ou um simplesdiagrama. Se o investidor não sabe exatamente o que você vai fazer, provavelmente ele não terámotivos suficientes para investir tempo e capital em sua empresa.5) MODELO DE NEGÓCIOSQuem paga, quanto e de onde. Fluxos de receitas anuais.6) CONSUMIDORESQuantos, quem são eles, processo de distribuição.7) PARCERIASCaso tenha qualquer parceria estratégica informe ao investidor.
  14. 14. 8) CONCORRENCIAQuem são seus concorrentes? Qual o grau de ameaça?Quais são os diferenciais?Lembre-se que para tudo existe concorrência e se você disser que não existe nenhuma seráimprovável de obter financiamento. Inclua concorrentes diretos e indiretos.9) BARREIRAS DE ENTRADAComo os concorrentes serão evitados?10) PLANO FINANCEIROReceitas e despesas. Dois anos atrás e quatro anos afrente.11) POTENCIAL DO NEGÓCIO E USO DOS RECURSOSPara que você precisa do investimento e onde pretende chegar.12) ESTRUTURA DE CAPITAL E VALUATIONQuanto você já faturou anteriormente, quem são seus investidores atuais, o que você estáprocurando nesta rodada e como você chegou ao valuation sugerido.
  15. 15. 13) RESUMOUm resumo das características mais fortes do seu empreendimento. Atenha-se aos cinco ou seispontos mais importantes. Certifique-se que o último ponto citado seja o mais forte.
  16. 16. BUSINESS MODEL GENERATIONAlexander Osterwalder e Yves PigneurUm manual para visionários, empreendedores e inovadores.Um best-seller que virou fenômeno global - aplicado por pessoas deinúmeros países. Ensina como compreender, criar e diferenciar o seumodelo de negócio e forma simples e sistematizada.O BMG foi testado e aplicado em diversos países do mundo e emempresas como IBM, Deloitte, Ericsson, dentre outras.
  17. 17. BUSINESS MODEL GENERATIONAlexander Osterwalder e Yves PigneurO best-seller no brasil:
  18. 18. BUSINESS MODEL GENERATIONAlexander Osterwalder e Yves Pigneurhttp://www.businessmodelgeneration.com/
  19. 19. - Você possui espírito empreendedor?- Você sempre pensa sobre como criarvalor e construir novos negócios?- Pensa continuamente em comomelhorar ou transformar seu negócio ousua empresa?- Quer encontrar maneiras inovadoras defazer negócios, gerar movimentos,promover mudanças?
  20. 20. BUSINESS MODEL GENERATIONUm modelo de negócios que descreve como uma organização cria,entrega e promove/gera valor (capture value) para o mercado.Os conceitos aplicados ao desenho do modelo e às descrições donegócio devem ser simples, relevantes, intuitivamentecompreensíveis.Servem para descrever o modelo de negócio e trabalhar com elecriando novas estratégias e soluções.
  21. 21. CANVAS9 BLOCOS DE CONSTRUÇÃO DO MODELO Os nove blocos trabalham de forma diferenciada com os 4 elementos de um negócio: clientes, oferta, infraestrutura e viabilidade financeira.
  22. 22. 1 Segmento de Mercado/Clientes
  23. 23. 1 Segmento de Mercado/ClientesPara quem estamos criando valor?Quem são nossos clientes mais importantes? Descreve os diferentes grupos de pessoas ou organizações com os quais uma empresa deseja ou pretende relacionar-se com ou servir.
  24. 24. 2 Proposição de Valor / Valor agregado
  25. 25. 2 Proposição de Valor / Valor agregadoQue valores entregamos aos nossos clientes?Que problemas dos nossos clientes estamos resolvendo? Descreve o conjunto de produtos e serviços que cria valor para um segmento de mercado(clientes). É a razão pela qual os clientes escolhem a sua empresa e não outra.
  26. 26. 3 Canais
  27. 27. 3 CanaisQue canais de distribuição/comunicação devemos utilizar parachegar aos nossos clientes/públicos? Que canais estamosutilizando hoje? Que outros canais podemos utilizar? Háintegração entre os canais de comunicação, distribuição evendas? Quais funcionam melhor? Quais são os maiseficientes? Eles dialogam e se adequam às rotinas/hábitos dosclientes?-Descreve como uma empresa se comunica e alcança seus clientes paraentregar os valores propostos pelo negócio, Canais de comunicação,distribuição e vendas compõem as interfaces da empresa/organização comos clientes/públicos. Canais são pontos de contato com o cliente/públicos edesempenham um papel importante na experiência oferecida pelaorganização/empresa.
  28. 28. 4 Relacionamento com os Clientes
  29. 29. 4 Relacionamento com os ClientesQue tipo de relação cada segmentos de clientes esperaestabelecer/manter com a nossa empresa/organização?Quais os tipos de relacionamento que temos estabelecidocom os clientes? Os relacionamentos envolvem altoscustos? Como estes relacionamentos interagem com oresto do nosso modelo de negócio?-Descreve os tipos de relacionamentos que uma empresa estabelece comsegmentos específicos de clientes A empresa deve ter clareza sobre o tipode relação que deseja estabelecer com cada segmento. Relacionamentospodem variar de pessoal para automatizados. As políticas de relacionamentocom o cliente influenciam profundamente a experiência geral do cliente.Podem ser orientados pelas motivações abaixo:a) Aquisição de novos clientes; b) Retenção/fidelização de clientes; c)Impulsionar as vendas (upselling).
  30. 30. 5 Fluxos de Receitas
  31. 31. 5 Fluxos de ReceitasQue valor os nossos clientes estão realmente dispostos apagar pelos produtos e serviços oferecidos? Quanto ecomo eles pagam por estes produtos/seviços atualmente?Qual a receita gerada por cada segmento de mercadoatendido e quanto ela contribui para as receitas globaisda empresa/organização?A empresa deve se perguntar: Qual o preço que cada segmento estárealmente disposto a pagar pelos produtos/serviços oferecidos?Responder a esta questão permite à empresa/organização gerar um ou maisfluxos de receitas provenientes dos múltiplos segmentos de mercado/clientes atendidos.
  32. 32. 6 Recursos-Chave
  33. 33. 6 Recursos-ChaveQuais os recursos envolvidos para gerar valor aosprodutos/serviços da minha empresa? E para construir/ativar canais de comunicação/distribuição e venda? O queé necessário para garantir estratégias de relacionamentocom segmentos específicos de mercado? Quais osrecursos envolvidos na geração de receitas do meunegócio?Descreve os ativos mais importantes necessários à implementação efuncionamento do modelo de negócios. Estes recursos permitem que umaempresa crie valor agregado, atingindo mercados, mantendo relações comsegmentos de clientes e gerando fluxos de receitas contínuos.Diferentes recursos são necessários a partir do tipo de modelo de negócio. Afabricante de microchips requer instalações de capital intensivo de produção,enquanto que um designer de microchips se concentra mais em recursoshumanos.Os recursos podem ser físicos, financeiros, intelectuais ou humanos. Podemser próprios, arrendados ou adquiridos de parceiros-chave.
  34. 34. 7 Atividades-Chave
  35. 35. 7 Atividades-ChaveDescreve as coisas mais importantes que uma empresa deve fazer para fazercom que o modelo de negócio funcione. Cada modelo de negócio exige umasérie de atividades-chave.São as ações mais importantes que uma empresa deve observar para operarcom êxito.São as atividades fundamentais que garantem a criação e a oferta de valoragregado aos produtos/serviços da empresa, o alcance dos segmentos demercados, a manutenção dos relacionamentos com clientes e a geração dereceitas.
  36. 36. 8 Parcerias-Chave
  37. 37. 8 Parcerias-ChaveQuem são os nossos principais parceiros? Quemsão os nossos principais fornecedores? Querecursos-chave estão envolvidos na adquisiçãode parceiros? Quais as atividades-chave dosnossos parceiros e como elas dialogam com/facilitam/dinamizam o nosso negócio?Descreve a rede de fornecedores e parceiros que fazem o modelode negócio funcionar.Empresas firmam parcerias por muitas razões, mas recentementeas parcerias estão se tornando a verdadeira sustentação demuitos modelos de negócios. As empresas criam alianças paraotimizar seus modelos de negócios, reduzir o risco ou adquirirrecursos.
  38. 38. 9 Estrutura de Custos
  39. 39. 9 Estrutura de CustosQuais são os custos mais importantes inerentes aonosso modelo de negócio? Quais recursos-chave sãomais caros? Quais atividades-chave que são maiscaros?Descreve todos os custos incorridos para operar um modelo de negócioe os custos mais importantes envolvidos.Criação e entrega de valor, manutenção dos relacionamentos comclientes e geração de receitas envolvem inúmeros custos.Tais custos podem ser calculados de forma relativamente fácil depoisde definir recursos-chave, atividades-chave e parcerias importantes.Alguns modelos de negócios, porém, são mais dirigidos a custos doque outros.
  40. 40. Riscos“O investidor vai se tornar um sócio e não vai ser passivo, vai ter uma frequência decomunicação semanal muitas vezes. Geralmente, a ansiedade do empreendedor pelorecurso financeiro é grande e ele deixa de controlar esse ponto”. Fernando Campos,investidoro-anjo e gestor da Devise.“É importante ter discussões de ideias, mas não dá para pensar de forma totalmente oposta.Precisa ter ideias complementares e se sentir confortável durante a conversa”. Cassio Spina,autor do livro indicado.“Não é tão popular ou comum eles divulgarem os investimentos que fazem, mas é bom fazeruma pesquisa na internet ou perguntar diretamente ao investidor. É bom saber em quesegmento ele atuou e como é a relação com as outras empresas”. Cassio Spina.“O empreendedor tem que estar preparado para puxar uma ficha do investidor, saber se eletem processos ou o nome limpo. É bom também avaliar a reputação: saber de onde vem e sejá teve startups, por exemplo”. Cassio Spina
  41. 41. Sites de interesse:http://www.anjosdobrasil.net/http://www.investidoranjo.com/http://www.businessmodelgeneration.com/http://www.endeavor.org.br/http://www.artemisia.org.br/

×