Curso:Fontes de Financiamento - Empreendimentos Culturais e CriativosAula 1NOVOS PARADIGMAS DE FINANCIAMENTO DO SETORMinom...
culturacul.tu.rasf (lat cultura) 1 Ação, efeito, arte ou maneira de cultivar a terra ou certasplantas. 2 Terreno cultivado...
criatividadeA criatividade é a faculdade/habilidade de criar ou o potencial criativo. Consiste emencontrar métodos ou obje...
A CULTURA DE CADA UM, A CULTURA DE TODOS História, memória e legado A história pessoal x história coletiva Os empreendimen...
PANORAMA RECENTE1991- Lei Rouanet, Lei do Audiovisual -> Patrocínio Empresarial Incentivado;Década de 90 - Crescimento do ...
O QUE É ECONOMIA CRIATIVA?Uma produção que valoriza a singularidade, o simbólico eaquilo que é intangível: a criatividade....
ECONOMIA -> BEM DE CONSUMO A cada novo carro produzido, novos recursos naturais são                       necessários.    ...
ECONOMIA -> BEM INTANGÍVEL      As músicas do álbum não perdem valor com o tempo.A difusão / fruição digital permite que o...
Era industrial   Era do conhecimentoSociedade do Consumo      Sociedade da ConhecimentoAlto Impacto Ambiental    Baixo Imp...
antigo paradigma   novo paradigma
pensamento)              pensamento)     linear-cartesiano)            complexo)                              )    )      ...
OBRIGADA!Minomcontato@casaredonda.com.brwww.casaredonda.com.brwww.casaredonda.com.br/patrociniosustentavel
Fontes de Financimento 1 - Minom Pinho
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fontes de Financimento 1 - Minom Pinho

315 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
315
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fontes de Financimento 1 - Minom Pinho

  1. 1. Curso:Fontes de Financiamento - Empreendimentos Culturais e CriativosAula 1NOVOS PARADIGMAS DE FINANCIAMENTO DO SETORMinom PinhoAs transformações do mercado e novas modalidades de financiamento deiniciativas culturais e criativas. Diálogo e laboratório.
  2. 2. culturacul.tu.rasf (lat cultura) 1 Ação, efeito, arte ou maneira de cultivar a terra ou certasplantas. 2 Terreno cultivado. 3 Biol Propagação de microrganismos ou cultivaçãode tecido vivo em um meio nutritivo preparado. 4 Biol Produto de tal cultivação. 5Biol O meio junto com o material cultivado. 6 Utilização industrial de certasproduções naturais. 7 Aplicação do espírito a uma coisa; estudo. 8Desenvolvimento que, por cuidados assíduos, se dá às faculdades naturais. 9Desenvolvimento intelectual. 10 Adiantamento, civilização. 11 Apuro, esmero,elegância. 12 V culteranismo. 13 Sociol Sistema de idéias, conhecimentos,técnicas e artefatos, de padrões de comportamento e atitudes que caracterizauma determinada sociedade. 14 Antrop Estado ou estágio do desenvolvimentocultural de um povo ou período, caracterizado pelo conjunto das obras,instalações e objetos criados pelo homem desse povo ou período; conteúdosocial. 15 Arqueol Conjunto de remanescentes recorrentes, como artefatos, tiposde casas, métodos de sepultamento e outros testemunhos de um modo de vidaque diferenciam um grupo de sítios arqueológicos.
  3. 3. criatividadeA criatividade é a faculdade/habilidade de criar ou o potencial criativo. Consiste emencontrar métodos ou objectos para executar tarefas de uma maneira nova oudiferente do habitual, com a intenção de satisfazer um propósito. A criatividadepermite cumprir os desejos de forma mais rápida, fácil, eficiente ou económica.À criação de novas ideias e conceitos também se dá o nome de inventividade,pensamento original, pensamento divergente ou imaginação construtiva. Trata-sede conceitos que implicam o ato de inventar algo novo, a capacidade de encontrarsoluções originais e a vontade de mudar o mundo.Com base em diversos ramos e disciplinas, a ciência tem vindo a estudar acriatividade, em busca de objetivos e termos lógicos precisos. A inventividade podeser considerada do ponto de vista técnico, como um processo, como umacaracterística da personalidade ou como um produto.Para a psicologia, o pensamento divergente é uma atividade contida pelaimaginação, que consiste em realizar algo novo ou de forma diferente. Muitosespecialistas têm analisado a relação entre a criatividade e a inteligência.Para a sociologia, no que lhe diz respeito, a imaginação construtiva surge a partir daintervenção de três variáveis: o campo (os grupos sociais), o domínio(a área ou adisciplina) e o indivíduo. Isto significa que uma pessoa realiza transformações numdomínio, que são avaliadas pelos grupos sociais.
  4. 4. A CULTURA DE CADA UM, A CULTURA DE TODOS História, memória e legado A história pessoal x história coletiva Os empreendimentos expressam a cultura de cada um(ou de um grupo de artistas/empreendedores) e encontram sentidos/ propósitos) coletivos na cultura compartilhada
  5. 5. PANORAMA RECENTE1991- Lei Rouanet, Lei do Audiovisual -> Patrocínio Empresarial Incentivado;Década de 90 - Crescimento do Terceiro Setor no Brasil -> Investimento Social PrivadoInício do Milênio - Incremento nos investimentos e políticas de Sustentabilidade1995 - Barateamento do PCs e democratização do acesso à internet: Revolução Digital, Era do Conhecimento, Cidadania Digital, Cultura Livre2003 - Programa Cultura Viva e Pontos de Cultura ->Brasil torna-se referência mundial em Política Cultural.Valorização, proteção e preservação da Diversidade.Direitos Culturais, Cidadania Cultural, Democratização e Acesso Cultural.2006 – Convenção da UNESCO – Diversidade Cultural como Valor2008 - Relatório Economia Criativa, UNCTAD.2011 – Secretaria de Economia Criativa, MINC2012 - PLANO NACIONAL DE CULTURAL
  6. 6. O QUE É ECONOMIA CRIATIVA?Uma produção que valoriza a singularidade, o simbólico eaquilo que é intangível: a criatividade. Esses são os trêspilares da economia criativa. Embora esse conceitovenha sendo amplamente discutido, defini-lo é umprocesso em elaboração, pois envolve contextosculturais, econômicos e sociais diferentes.ANA CARLA FONSECA REISEconomia criativa : como estratégia de desenvolvimento : uma visão dospaíses em desenvolvimento. São Paulo : Itaú Cultural, 2008.
  7. 7. ECONOMIA -> BEM DE CONSUMO A cada novo carro produzido, novos recursos naturais são necessários. Alto impacto ambiental. Uso = desgaste do bemDesenvolvimento econômico = degradação do meio ambiente ERA INDUSTRIAL . ECONOMIA DE ESCALA . PADRONIZAÇÃO COMO VALOR
  8. 8. ECONOMIA -> BEM INTANGÍVEL As músicas do álbum não perdem valor com o tempo.A difusão / fruição digital permite que o bem seja replicado sem a necessidade de novos recursos naturais. Baixo impacto ambiental. Desenvolvimento econômico -> não degrada o meio ambiente. ERA DO CONHECIMENTO . ECONOMIA CRIATIVA . DIVERSIDADE COMO VALOR
  9. 9. Era industrial Era do conhecimentoSociedade do Consumo Sociedade da ConhecimentoAlto Impacto Ambiental Baixo Impacto Ambiental Bens Tangíveis Bens Intangíveis Finito Infinito Escassez Abundância Competição Colaboração/Cooperação
  10. 10. antigo paradigma novo paradigma
  11. 11. pensamento) pensamento) linear-cartesiano) complexo) ) ) razão) razão)+)emoção).)intuição) ) ) separação)entre)disciplinas) ar=culação)entre)disciplinas) ) ) ou/ou) e/e) ) ) causa)+)efeito) acaso) ) ) solucionar) compreender) ) ) (re)produzir) criar,)amar) ) ) ciência) ciência,)filosofia,)arte,)mitos) ) ) ) )desenvolver) aprender)
  12. 12. OBRIGADA!Minomcontato@casaredonda.com.brwww.casaredonda.com.brwww.casaredonda.com.br/patrociniosustentavel

×